(77) 99152-6666

Pequim denuncia Eduardo Bolsonaro por pôr em risco relação entre Brasil e China


A China é a maior parceira comercial do Brasil há 11 anos e é um dos países com mais investimentos no país

[Pequim denuncia Eduardo Bolsonaro por pôr em risco relação entre Brasil e China]
Foto : Lula Marques

A embaixada da China no Brasil protesta ao Itamaraty e acusa o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de colocar em risco a relação entre e China e o Brasil. Essa denúncia acontece porque, de acordo com eles, o filho do presidente brasileiro, vem realizando declarações infames infundadas contra o país chinês.

O representante publicou acusações contra Pequim na última segunda-feira (23) nas redes sociais. Ele chamou o Partido Comunista da China de “inimigo da liberdade” e falou da existência de invasões e violações às informações privadas de cidadãos e empresas.

 

Pequim se defendeu e afirmou que as declarações do deputado são infundadas e não são condignas com o seu cargo, de presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados. “Isso é totalmente inaceitável para o lado chinês e manifestamos forte insatisfação e veemente repúdio a esse comportamento”, diz.

“Na contracorrente da opinião pública brasileira, o deputado Eduardo Bolsonaro e algumas personalidades têm produzido uma série de declarações infames que, além de desrespeitarem os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia, solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil”, afirma.

A China é a maior parceira comercial do Brasil há 11 anos e é um dos países com mais investimentos no país, como ressaltou Pequim em seu comunicado. Fonte:Metro1

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Diretora da Sesab é investigada por esquema em licitações do Hospital de Juazeiro


Diretora da Sesab é investigada por esquema em licitações do Hospital de Juazeiro

“Chicourel” em selfie no Hospital da Mulher | Foto: Reprodução / Instagram

A ligação entre a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) com o suposto esquema com as organizações sociais (OSs) do Hospital Regional de Juazeiro (HRJ) seria a diretora da Rede Própria Sob Gestão Indireta (DIRP-GI), Viviane Chicourel Hipólito, que teve os sigilos telefônico e bancários quebrados na Operação Metástase, na qual a Sesab foi alvo. As informações estão contidas em decisões da Justiça Federal obtidas pelo Bahia Notícias, na força-tarefa que decretou quatro prisões preventivas e mandados de busca e apreensão (leia mais aquiaqui e aqui).

 

“Embora os processos licitatórios e de prestação de contas do HRJ sejam encaminhados ao setor financeiro da Sesab, entende que pode existir a chance de tais procedimentos serem avaliados pela Diretoria de Rede Própria Sob Gestão Indireta (DIRP-GI), também sob a direção da investigada Viviane Chicourel Hipólito”, pontua o juiz federal Pablo Baldivieso, Vara Única da Subseção Judiciária de Eunápolis, no exercício da titularidade plena da Subseção Judiciária de Juazeiro, em sentença expedida no dia 10 de novembro.

O magistrado entendeu que seria possível que alguns documentos estivessem arquivados na Superintendência de Atenção à Saúde – SAIS, ”razão pela qual requer que as medidas de busca apreensão sejam, também, direcionadas a estes setores”, alvo das buscas.

Casada com João Hipólito Rodrigues Filho (PSB), prefeito de Abaíra, na Chapada Diamantina entre 2009 e 2016, Viviane foi primeira-dama do município neste período. Na eleição deste ano, ele foi derrotado por Diga (DEM).

A primeira decisão, expedida no dia 10 agosto pelo juiz federal Wagner Mota Alves de Souza, diz que informações obtidas através depoimentos à Polícia Federal apontam que Viviane possui “grande proximidade” com Alex Oliveira de Carvalho, conhecido como “chefe” da IBDAH e da APMI e, “por consequência, do HRJ”. Eles, inclusive, residem no mesmo condomínio, em Salvador.

 

De acordo com a sentença de agosto, ela é “responsável por auditorias, análise de prestações de contas”, além de questões financeiras de repasses, análise de cumprimento de metas de unidades de saúde sob gestão indireta, dentre elas o Hospital de Juazeiro.

 

“Segundo a autoridade policial, Viviane C. H. Rodrigues, assinou parecer aprovando justificativas “extremamente vagas” e “sem comprovação de veracidade”, diante de um “relato pouco técnico e muito subjetivo”, diante do aumento dos índices de mortalidade do HRJ”, diz trecho da decisão obtida pela reportagem.

 

Em abril de 2019, o vereador de Salvador, Carlos Muniz (PTB), acusou a investigada, numa sessão na Câmara, de participação em suposto esquema de fraudes a licitações da Sesab.

 

“Em um dos últimos pagamentos da Sesab em favor da APMI, foi incluído uma observação no empenho, informando que o pagamento foi realizado sem que a prestação de contas de março/2020 estivesse aprovada, o que seria vedado contratualmente. A hipótese da autoridade policial é que a investigada foi “estrategicamente designada para o cargo, responsável por fiscalizar e auditar as unidades de saúde sob gestão indireta, inclusive o HRJ, e, sem qualquer dúvida, por indicação de integrantes da quadrilha ora investigada”, diz outro trecho da sentença.

 

Segundo o documento, há um inquérito conduzido pelo Ministério Público Federal (MPF), desde 2016, que apura a situação “de constante deficiência do atendimento no setor de oncologia no Hospital Regional de Juazeiro”. Segundo a cautelar penal, o governo do estado evita informar de maneira detalhada os nomes dos servidores responsáveis pela prestação de contas “dos recursos transferidos por meio do termo de parceria” da unidade hospitalar. A Sesab, por meio de Viviane, informou “que não apenas um servidor mas sim todos aqueles lotados da DIRP-GI auxiliam a gestão do contrato, em diversos aspectos, através da Coordenação de Contratos, Coordenação de Monitoramento e Avaliação – setor de prestação de contas e setor de pagamento”.

 

“Entende o MPF que a referida diretora não informou quais são os servidores que chancelam as prestações de contas e se estas de fato existem, bem como não atendeu ao teor da recomendação para que fosse nomeado servidor de cargo efetivo para a gestão do referido contrato”, acrescenta o juiz.

 

O MPF solicitou, posteriormente, mais uma vez, mais informações sobre a prestação de contas de 2017 e 2018. O secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, de acordo com o parquet, informou que a responsável pelo contrato era a diretora do Hospital de Juazeiro. “Não foi informado quais servidores do Estado analisam a prestação de contas, bem como não foram encaminhadas as prestações de contas de 2017 e 2018. O MPF informa que foram recomendadas à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia medidas alinhadas a diretrizes do TCU e do STF dirigidas à transparência na informação de dados pertinentes ao repasse e aos gastos de recursos públicos, o que não teria sido acatado. A conclusão do MPF é que há resistência no atendimento de solicitações e prestação de informações”, acrescenta.

 

ENTENDA O CASO

A Operação Metástase desarticulou um suposto esquema de fraude em licitações e desvio de recursos públicos destinados à gestão do Hospital Regional de Juazeiro (HRJ). Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e 16 mandados de busca e apreensão.

 

A organização criminosa investigada praticava fraudes em licitações públicas, passando a dominar a gestão de inúmeras unidades da rede estadual de saúde sob gestão indireta, por intermédio de diferentes Organizações Sociais de Saúde (OSs), que são controladas por um mesmo grupo empresarial, quase sempre registradas em nome de “laranjas”.

Essas instituições gestoras das unidades de saúde (OSs) passaram a contratar empresas de fachada ligadas ao mesmo grupo, de forma direcionada e com superfaturamento, por meio das quais os recursos públicos destinados à administração hospitalar eram escoados, sem que muitos dos serviços fossem efetivamente prestados ou os produtos fossem fornecidos. 

De acordo com a PF, os investigados responderão pelos crimes de fraude à licitação, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Do Aratuon

Seria desespero ou o que? Ciro mente sobre Dilma e volta a atacar Lula e o PT


Não se sabe se é inveja ou maldade mesmo que o Ciro carrega consigo, mas o que se sabe é que mexe e vira lá aparece o candidato derrotado em 2018, com uma acusação para atacar o Lula e o PT inteiro. Agora o Presidenciável do PDT voltou a atacar o “lulopetismo corrompido” e disse que Dilma recebeu o Brasil com desemprego de 4% e entregou com 14%, quando, na verdade, foi ela, cuja reeleição ele próprio apoiou, quem trouxe o desemprego para o menor nível da história, até ser vítima de um golpe de estado.

Na verdade o golpe começou no dia em que ela ganhou do Aécio Neves as eleições.

Ciro Gomes
Ciro Gomes (Foto: Adriano Machado – Reuters)

O encontro recente entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidenciável Ciro Gomes, do PDT, não teve resultados duradouros. Em entrevista à Rádio Jornal Pernambuco, Ciro voltou a atacar Lula, o PT e chegou até a mentir para também falsear a história do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Sobre o encontro com Lula, Ciro disse que saiu “com as mesmas ideias e as mesmas convicções”

 

 

Ciro disse ainda que Lula “impôs a Dilma para continuar mandando” e responsabilizou o PT pela eleição de Jair Bolsonaro em 2018,  quando ele próprio se omitiu de apoiar Fernando Haddad no segundo turno. “A Dilma, sem nenhuma experiência, se agarra na economia mais atrasada e a corrupção generalizada, que infelizmente não dá para ser escondida, o Antonio Palocci era braço direito do Lula. Isso criou as condições no Brasil para o povo por desespero, por raiva, por frustração, que eu compreendo com a minha alma, votar neste absurdo que está se revelando ser o Bolsonaro”, afirmou, segundo relato publicado no jornal O Globo.

Ciro, que foi ministro de Lula e apoiou a reeleição de Dilma, em 2014, também usou dados econômicos falsos para atacar a ex-presidente. “A Dilma não é uma pessoa desonrada, é uma pessoa séria. Nós aqui no Ceará demos dois terços do votos contra o impeachment, portanto não me meto nessa história de que a Dilma é uma corrupta, mas a Dilma desastrou o Brasil. Quando ela assumiu o desemprego era 4% quando saiu estava em 14%”, afirmou.

Os dados oficiais do IBGE, no entanto, mostram que Dilma assumiu o cargo com a o desemprego em 6,1% e trouxe a taxa para 4,3%, no menor nível da história, em dezembro de 2014. Depois disso, ela passou a ser alvo de uma articulação golpista, da sabotagem no Congresso, da quebra de empresas promovida pela Lava Jato e da política do “quanto pior, melhor”, liderada pelo PSDB, o que fez com que o desemprego voltasse a crescer.

Embora o PDT tenha sido um dos partidos que mais perdeu eleitores nas eleições municipais, Ciro fez uma leitura peculiar das eleições. “Foi uma vitória importante desse campo que nega os extremos. O luopetismo corrompido e o bolsonarismo boçal foram varridos da vida brasileira nas grandes cidades”, afirmou. Ciro apoia João Campos,  do PSB em Recife, que pode  ser derrotado por Marília Arraes, do PT, na capital pernambucana.

O Café com Leite Notícias, particularmente, sugere que alguém que seja simpatizante do Ciro, que dê uns conselhos para que ele pare de bater nessa tecla emperrada, até porque ele já está ganhando um apelido de Boca Aberta. Quando o PDT se alia a um outro partido, que tem como pedra de tropeço o PT, usa logo a Ciro para tentar fazer amenizar o peso do PT. Logo a metralhadora dele vai aponta na direção do Luciano Huck .

Quando uma pessoa bêbada está numa festa e fica inventando dança esquisita e passos diferentes, ele não imagina o quanto ele está sendo ridículo e envergonhando a classe. Só que o Ciro não está bêbado, no entanto está, também, envergonhando a classe. Me lembrei de uns dizeres do meu avô: (Quem a paca cara compra, vai pagar a paca cara, e não há quem cuspa pra cima que não lhe caia na cara).

A parte em Itálico a responsabilidade é do Café com Leite Notícias. Com informações do 247. 

 

 

MST vai reconstruir escola e casas derrubadas após despejo em Minas Gerais


Esses sim, são verdadeiros heróis, mas, por ser manipulado pela mídia, boa parte da sociedade não entende a proposta da classe

De acordo a publicação no site DCM, as seis casas destruídas durante a ação de despejo no acampamento Quilombo Campo Grande, em Campo do Meio, no Sul de Minas Gerais, serão reconstruídas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A escola Eduardo Galeano, que foi derrubada por tratores, também será refeita, segundo Tuira Tule, da coordenação estadual do MST. A organização também planeja submeter os cerca de 300 integrantes que resistiram à ação de reintegração de posse a testes de coronavírus. “Vamos fazer os exames na segunda-feira”, afirma Tule.

Os acampados resistiram por 56 horas a uma ordem de reintegração de posse de um terreno de 52 hectares da usina falida Ariadnópolis. Seis famílias foram despejadas pelos policiais que, na tarde de sexta-feira (14), usaram bombas de efeito moral para desmobilizar os trabalhadores rurais. A operação contou com 150 militares, helicóptero e um aparato policial que esgotou as vagas de hotéis nas cidades de Campo do Meio e na vizinha Campos Gerais.

“A mobilização do aparato policial promoveu aglomeração expondo não somente as famílias sem-terra, mas também toda a população da região à propagação do Coronavírus, inclusive grávidas, idosos e outras pessoas do grupo de risco”, afirmou o MST.

O território é ocupado pelo MST há 22 anos. São 450 famílias acampadas no terreno de uma antiga usina, que deixou dívidas trabalhistas na década de 1990. A ordem judicial de reintegração de posse refere-se a uma área de 52 hectares — do total de cerca de 4 mil. O tamanho da área que foi alvo da ação da polícia é controversa. A primeira ordem judicial de reintegração de posse, referendada na 2ª instância, afirmava que ela tinha 26 hectares. No entanto, meses depois, um juiz da Vara Agrária dobrou o tamanho do terreno a ser reintegrado e determinou o despejo.

Para o MST, essa ampliação foi feita para pressionar as famílias que vivem no outro terreno, onde mora a maioria das famílias e onde será construída a nova escola e as casas que foram destruídas. Cada família tem em média oito hectares de terra e a maioria não usa agrotóxicos e nem sementes transgênicas. Um orgulho dos acampados é o café orgânico Guaií, símbolo da produção local.

O despejo foi iniciado na quarta-feira (12) às 6h. O primeiro alvo foi a Escola Eduardo Galeano e uma família que vivia no mesmo lote. “Foi horrível. Meus filhos, assustados com os policiais, estavam chorando e tremendo”, conta Crislaine Cristina, que teve a casa em que vivia com o marido e os dois filhos jogada no chão por um trator.

A estratégia do MST foi deter o avanço da polícia com barricadas e ganhar tempo para tentar preservar as outras casas enquanto apoiadores políticos e advogados atuavam para reverter o despejo. A esperança maior surgiu na noite de quarta-feira, quando o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) publicou no Twitter que a Secretaria de Desenvolvimento Social de Minas Gerais havia solicitado a suspensão do cumprimento da ordem judicial para reintegração de posse da área.

O anúncio foi entendido como uma vitória pelo MST e ajudou a conter a tropa de policiais. Contudo, menos de duas horas depois, o governador de Minas voltou a usar a rede social para explicar que o pedido da secretaria de governo havia sido feito na terça-feira (11) e que não fora aceito pela Justiça, reafirmando que os policiais cumpririam a ordem do juiz.

A comunicação errática do governador o colocou no alvo do MST. Na rede social Twitter, a hashtag #zemacovarde chegou ao primeiro lugar entre os assuntos mais comentados. “O governador Romeu Zema colocou a vida e a saúde de milhares de pessoas em risco, demonstrando o seu descaso com o povo, mostrando sua face covarde e criminosa”, afirmou em nota o MST.  O governo mineiro destacou também em uma nota que a ação foi programada para “ocorrer de forma pacífica”.

Os ânimos ficaram exaltados no início da tarde de quinta-feira (13), quando as pastagens que circundam a estrada de terra onde policiais e manifestantes se encaravam foi incendiado. O fogo levou ao recuo dos policiais e à dispersão dos sem-terra. A origem do incêndio é incerta. Um homem montado em um cavalo foi filmado pela polícia colocando o fogo, mas não foi preso. O MST acusa a polícia, enquanto a polícia acusa o movimento.

Após o fogo, o comandante da operação policial subiu o tom nas negociações com os advogados do movimento. Disse que os líderes do MST seriam responsabilizados por tentativa de homicídio, pois colocaram a vida dos policiais em risco com o fogo. “Fica difícil explicar isso para minha tropa”, afirmou o tenente-coronel Afrânio Tadeu Garcia, comandante do 64° Batalhão de Polícia Militar em Alfenas. Declaração que foi entendida, pelos advogados, como uma ameaça de uso de violência.

No final da tarde quinta-feira Garcia chegou a anunciar duas vezes no megafone que a tropa iria avançar, mas antes do terceiro e último aviso chamou os advogados do movimento para uma nova negociação e recuou. O MST ganhou tempo, mas as tentativas jurídicas e de apelos políticos não surtiram efeito. Celebridades como Wagner Moura e Bela Gil publicaram mensagens de apoio ao MST.

A liminar que permitia a reintegração da posse podia ser executada até o sábado (15). No início da tarde de sexta-feira (14), um helicóptero da PM fez voos rasantes sobre a área queimada, jogando grande quantidade de fuligem e poeira do pasto incendiado sobre os sem-terra. A medida que a tensão aumentava o movimento respondia com músicas. Encarando os policiais fortemente armados, eles cantavam: “O risco que corre o pau, corre o machado / Não há o que temer / Aqueles que mandam matar também / Podem morrer! / Nós estamos em guerra / O lado de lá já decretou / Pois contratam pistoleiros / Para matar trabalhador”

Às 14h a polícia avançou após jogar bombas de efeito moral e reintegrou a posse da área determinada pela Vara Agrária, derrubando as três casas do terreno entendido como controverso pelo MST. Entre os despejados está Wellington Fagundes, que vivia no local com a esposa e os dois filhos, um de 5 anos e um bebê de 10 meses. Ele e a esposa terminaram na semana passada de preparar cinco mil mudas de café para o plantio e ainda sonham conseguirem com a terra dar para os filhos o que não tiveram. “Quero poder pagar uma faculdade para eles”, afirma Fagundes.

Lideranças do movimento apontaram uso desmedido da força policial contra os trabalhadores, incluindo idosos, que estavam resistindo. Dois sem-terra ficaram feridos e foram atendidos pela equipe de saúde do MST. A polícia afirmou que as bombas foram lançadas devido aos ânimos exaltados dos manifestantes. “A ação foi pautada em todos os parâmetros técnicos e legais, sendo proporcional e legítima. Não existindo qualquer excesso por parte da PMMG”, afirmou a capitã Layla Brunnela. Quatro pessoas foram presas e levadas para a delegacia de Alfenas. Foram soltos horas depois. Segundo a polícia, o motivo da prisão foi: “crime de resistência”.

A área foi reintegrada em favor do empresário Jovane de Souza Moreira, que comprou a Usina Ariadnópolis, uma gigante fundada no século 19, que teve seu auge na década de 1970 e faliu em 1996. Para tentar reerguer, Moreira fez um acordo com um dos maiores produtores de café do Brasil, João Faria. O documento firmado prevê o arrendamento de parte dos 4 mil hectares da terra para o plantio de café, enquanto outra parcela seria destinada ao cultivo da cana-de-açúcar. O advogado da empresa, Diego Cruvinel, afirma que a futura produção na área gerará entre 100 e 150 empregos diretos.

Para Jovane de Souza Moreira, o MST “faz um teatro”. Segundo ele, os acampados não viviam nas áreas alvo do despejo. “Não tinha gente lá. Eles não eram moradores. Foi um crime do MST colocar família lá”. O advogado da usina Ariadnópolis, Cruvinel, afirma que foi tentado um acordo com os moradores da área. “Em audiência no ano passado, propusemos um acordo de produzir na área e empregar todos eles com carteira assinada. Eles poderiam, inclusive, ficar e produzir em uma área menor, e propusemos inclusive de comprar a produção deles, mas eles não aceitaram”, afirma.

Durante a ação de despejo, os policiais militares ficaram aquartelados na casa de Moreira, na sede da antiga usina. Um dos filhos de Jovane é pré-candidato a prefeito de Alfenas nas eleições deste ano.

Para o MST, segundo nota divulgada, mesmo com a perda da área e as queixas à ação policial, a solidariedade da sociedade foi importante para denunciar “o neofascismo que se instala no país” e enfrentar “os desmandos do Estado de cabeça erguida”. Na análise de Tuira Tule, da direção estadual do MST:  “A resistência foi uma luz que se acendeu. Só a partir da unidade do povo trabalhador que conseguimos vitórias. Foi uma vitória de ser a semente da esperança nesse momento tão difícil de desesperança”.

Com informação do DCM.

Odres Novos para Novos Sonhos: Manuela D’Avila para Prefeita. Por Leandro Minozzo


Manu, que tem esbanjado simpatia, sempre soube, com sabedoria, dar tempo ao tempo, por ser de esquerda e defender os mais oprimidos, aprendeu a nadar contra a correnteza da comunicação maior, como emissoras de TV e as rádios e jornais que geralmente são ligados aos grandes da direita. Pois é, quem não lembra de quando a levaram para o programa da Cultura, o Roda Viva, que na verdade, os jornalistas colocaram ela [a Manu] na roda achando que iam devorá-la viva. Só que, como sempre, a Manuela se sai sempre bem e terminou dando a volta por cima. Agora tentam a qualquer custo desmoralizá-la com uma avalanche de fake news, na tentativa de derrotá-la em Porto Alegre, mas, de acordo ao que vem sinalizado a aceitação popular ao ouvir seus projetos para a Capital Gaúcha, ela vai faturar mais essa. Até aqui Café com Leite Notícias. 
Manuela D’Ávila. Foto: Divulgação/Twitter

Originalmente publicado em FACEBOOK

Por Leandro Minozzo

Acompanho a Manu há bastante tempo e ela tem se posicionado de maneira direta na defesa dos mais necessitados. Sempre defendeu o SUS, o direito das mães e dos jovens. Além disso, é contra a PEC da Morte, uma posição que diferencia visões de mundo de candidatos. Ela foi vereadora, deputada federal e estadual. Tem Mestrado em política na UFRGS e é extremamente inteligente. E como vice tem o Miguel Rosseto, que foi nada mais nada menos que vice-governador do RS e ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. Falta de experiência, como pregam opositores, não fecha com o currículo da dupla. Aliás, pode ser mais uma das estratégias ad hominem, de desqualificar o adversários no campo dos rótulos e preconceitos, evitando o mais importante: o debate de ideias.

Manuela, de maneira corajosa, disputou a vice-presidência numa das campanhas mais humilhantes, covardes e violentas que tivemos, quando foi vítima de fake news organizadas por máfias que servem a interesses mesquinhos e são anti-povo. Sua vida pessoal, sua fé e seu corpo foram motivos de ataques violentos – o que infelizmente está se repetindo nas últimas semanas e por opositores que se dizem cristãos e do bem. O fato de não ir pelos caminhos mais fáceis também é ponto forte da Manu. Não a vejo como política com medo ou, então, “carreirista”, pois ela poderia estar bem confortável como deputada estadual ou federal eleita e numa posição de expectadora e comentarista dos cenários cotidianos via redes sociais. Mas, não: ela lidera uma campanha muito bem construída para devolver esperança a Porto Alegre.

Reli ontem as propostas para educação, saúde e assistência social. Comparei com as da outra chapa. Há uma diferença muito grande de visões de cidade e de sociedade. Sugiro a leitura para quem está em dúvidas. Sei que as propostas da Manuela foram debatidas e elaboradas por muita gente e são realmente executáveis e necessárias. A maioria delas recoloca as pessoas como centro das políticas públicas. São caminhos pautados na democracia e que parecem devolver a Porto Alegre a capacidade de ser uma cidade de sonhos, como da época do Orçamento Participativo e do Fórum Social Mundial.

E a pandemia? Seu enfrentamento é tema fundamental nesse momento. Ela afetou e afetará a todos, em especial os mais vulneráveis. Acredite, há muitas pessoas que voltaram à miséria nesses últimos meses. Pessoas que não acessam as redes sociais e se relacionam mais é com suas carências básicas, como a fome e a falta de oportunidades. Pessoas que estão dormindo em ruas, crianças sem aula e sem escolas e professores seguros, mães sem condições de colocar comida na mesa – isso existe e muito. Um prefeito ou prefeita precisa cuidar dessas pessoas. Sabe, outro ponto que não me deixa sossegado é um candidato a prefeito “lacrar”, como dizem os jovens, que não vai fechar o comércio ou tomar medidas de cuidado similares caso a pandemia piore. Veja bem, não é o desejo de ninguém, mas e se for necessário? O prefeito vai arriscar a vida das pessoas mesmo que professores de medicina, especialistas e as estatísticas apontem o fechamento temporário como necessário? Lembro que o governador Eduardo Leite foi massacrado quando criou as bandeiras. E se não as tivesse criado? Quantos teriam morrido sem necessidade? Eu jamais faria essa promessa de colocar a economia na frente das vidas. E os dados mostram que a economia melhora mais rápido quando justamente se prioriza as vidas! O prefeito de Milão teve que pedir perdão por agir como negacionista lá no começo do ano. Prefeitos de grandes cidades nos EUA e Europa agiram e agem contrariando a promessa de Sebastião Melo. Ainda sobre a pandemia, a questão da vacina também é importante. Com as crescentes dificuldades do Ministério da Saúde do Bolsoanro, cada prefeito precisará agir e conscientizar a população da sua cidade. Esse ponto ficou bastante claro nas declarações da Manuela: elas parecem mais alinhadas com minha forma de pensar o enfrentamento da pandemia, com ênfase em testar e estimular a vacinação.

São tempos muito difíceis, que demandam novas formas de fazer política: soluções ao invés do antipetismo, escuta ao invés de intolerância, inovação no lugar da repetição do mesmo. Não que se identifique no Sebastião Melo um político de extrema-direita ou alinhado 100% ao bolsonarismo, mas em suas propostas falta essa capacidade de mobilizar e acolher os novos sonhos. Falta ao candidato também ser solidário à Manuela nessa nova onda de ataque de fakenews. Ele sabe que as mentiras e essa violência o beneficiam, deveria pedir que cessem ou pelo menos mencionar que elas existem.

Nos últimos anos todos fomos contaminados por discursos de ódio e de medo através de telas de celulares. Esses discursos, porém, não nos trouxeram uma vida melhor. E esse ódio plantado e os absurdos diários roubam aos poucos algo fundamental: nossa capacidade de imaginar um futuro com cores mais vivas e com alegria, um futuro de construções. Os jovens de Porto Alegre captaram na candidatura da Manuela a esperança na mudança. No imaginário dos jovens há uma nova forma de viver em sociedade, com tolerância e mudança. Odres novos para vinhos novos é passagem bíblica que fala sobre a necessidade de acolher as novas demandas, de ser flexível, de refletir e ter empatia continuamente. Não há o desaparecimento do velho, mas o sagrado do acolhimento e da mudança, lições de Cristo. A fonte foi do DCM.

Brasil vive ‘início de 2ª onda’ de Covid-19, apontam pesquisadores


A afirmação foi feita baseada em dados da pandemia do coronavírus no país

[Brasil vive 'início de 2ª onda' de Covid-19, apontam pesquisadores]
Foto : SECOM/Salvador

Por Kamille Martinho no dia 24 de Novembro de 2020 ⋅ 08:00

Pesquisadores brasileiros afirmaram ontem (23), por meio de nota, que o Brasil vive o “início de uma 2ª onda” da Covid-19. A afirmação foi feita baseada em dados da pandemia do coronavírus no país. O grupo é formados por cientistas de diferentes universidades públicas brasileiras.

Segundo o G1, os pesquisadores apontam três fatores para o “aumento explosivo” ou “manutenção da grande circulação do vírus”:

  • falta de “testagem sistemática com rastreamento de casos”
  • falta de uma “política central coordenada, clara e eficaz de enfrentamento da situação”
  • “afrouxamento das medidas de isolamento sem evidências empíricas, sem uma análise cuidadosa por uma painel de especialistas”

“O início de uma segunda onda de crescimento de casos já é evidente em quase todos os estados, de forma particularmente preocupante nas regiões mais populosas do país”, afirmam os pesquisadores na Nota Técnica – 22/11/2020 Situação da Pandemia de Covid-19 no Brasil.

 

Boulos sobe e Covas desce em São Paulo


O candidato do PSOL subiu 3% e o do PSDB caiu 3%, mantendo a tendência de uma disputa bem acirrada no dominfo. Imagem: divulgação CNN

A uma semana do segundo turno em São Paulo, candidato do PSOL, Guilherme Boulos, reduziu a distância do primeiro colocado na corrida eleitoral, o prefeito Bruno Covas (PSDB)

Segundo o Datafolha, da pesquisa feita nos dias 17 e 18 para o levantamento desta segunda (23), Boulos passou de 42% para 45% dos votos válidos. Covas, o vencedor do primeiro turno, oscilou negativamente de 58% para 55%.

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.260 pessoas. Encomendado pela Folha, o levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral com o número SP-0985/2020.

A contagem por votos válidos, que excluem os brancos e nulos, é a forma com que o TRE contabiliza o resultado.

Para entender o movimento de Boulos, é importante olhar para os votos totais, que incluem também aqueles que não sabem dizer em quem votar além dos brancos e nulos.

Por esse critério, Covas não se mexeu da rodada anterior para cá, mantendo-se com 48%. Já o psolista subiu cinco pontos, indo de 35% para 40%, atraindo para si eleitores que iam votar em branco ou anular (que caíram de 13% para 9%) e indecisos (que oscilaram de 4% para 3%).

Sem um fato de relevo que possa explicar a mudança, ela pode ser atribuída à eficácia da propaganda do PSOL, dado que no segundo turno ambos os candidatos têm o mesmo tempo de rádio e TV.

Com informação do DCM

Brasileiro gasta mais com pão francês do que com frutas, arroz e feijão, mostra estudo


Brasileiro gasta mais com pão francês do que com frutas, arroz e feijão, mostra estudoFoto: Reprodução/Pixabay

Uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) identificou que apenas dez produtos concentram quase metade do consumo alimentar da população brasileira. O professor de Economia da universidade que conduziu o estudo, Walter Belik, concluiu que a dieta do brasileiro está monótona.

Juntos: arroz, feijão, pão francês, carne bovina, frango, banana, leite, refrigerantes, cervejas e açúcar cristal compõe mais de 45% do cardápio do brasileiro, enquanto representam cerca de 35% do seu gasto em alimentação.

Outra conclusão foi de que o prato do brasileiro costuma ter uma quantidade grande de carboidrato e pouca variedade de vitaminas.

Reportagem do portal Viva Bem sobre o estudo ressalta que os brasileiros gastam por mês com pão francês (cerca de R$ 1,2 bilhão) quase o dobro do que gasta com banana (R$ 410 mi), laranja (R$ 163 mi) e maçã (R$ 162 mi) juntos.

Outra comparação mostra que os gastos com pão francês, que também é conhecido como pão de sal, superam as despesas com o arroz (R$ 821 mi) e o feijão (R$ 408 mi).

Aqueles alimentos campeões em despesas são as carnes bovina (R$ 2,8 bi) e de frango (R$ 1,7 bi), ressalta a reportagem.

Os dados ainda mostram que os legumes e verduras compõem apenas cerca de 4% do consumo alimentar, mesma porcentagem das frutas.

O estudo foi realizado em parceria com o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) e apoiado pelo Instituto Ibirapitanga e Instituto Clima e Sociedade.

 

Uso de antibióticos sem receita na pandemia pode desencadear nova crise sanitária


Uso de antibióticos sem receita na pandemia pode desencadear nova crise sanitária

Foto: Reprodução/Estado de Minas

Durante a pandemia da Covid-19 a azitromicina ultrapassou as barreiras das prescrições médicas, bulas e balcões de farmácias, e adentrou o debate sobre o tratamento da infecção pelo novo coronavírus. O combo formado pelo medo da pandemia, que trazia números alarmantes, um vírus pouco conhecido, e ainda a ausência de medicamento e vacina fez com que os brasileiros acreditassem e se submetessem a práticas que potencializam os riscos e ainda podem prejudicar outras pessoas, como o uso indiscriminado e sem prescrição médica de antibióticos.

Informações sem fundamento científico que sugeriam o uso do medicamento como prevenção da doença circularam, e chegaram a convencer algumas pessoas de que o efeito era positivo, tanto que houve quem o utilizasse. Porém, as ações durante a crise sanitária podem ter efeito lá na frente em uma nova crise, dessa vez desencadeada por responsabilidade humana.

Ao utilizar esse tipo de remédio sem receita a pessoa não só se coloca em perigo, como oferece perigo para todos em volta, porque contribui para o desenvolvimento de bactérias super-resistentes. O farmacêutico e professor da UniFTC, Mauro José Bitencourt, cita que a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que cerca de 700 mil pessoas morram no mundo a cada ano com infecção bacteriana resistente. Além disso, o órgão ainda reconhece a possibilidade de que nos próximos 10 anos esse total pode aumentar 10 vezes. O número é alto, chocante e deve servir de alerta.  

 

A azitromicina é um antibiótico usado no tratamento de várias infeções bacterianas. Entre as indicações mais comuns estão o tratamento de otite média, faringite estreptocócica, pneumonia, diarreia do viajante e outras infeções intestinais. 

 

Os riscos de uso indiscriminado, sem prescrição ou recomendação médica de antibióticos já são conhecidos. “Se trata de um problema gravíssimo, de saúde pública”, enfatizou o farmacêutico. Diante desses perigos e como forma de alerta para a população e profissionais da Saúde, todos os anos no mês de novembro entidades de saúde realizam ações durante a “Semana Mundial de Conscientização Sobre o Uso de Antibióticos”, de 18 a 24 de novembro.

 

Bitencourt esclarece que antibiótico só serve pra uma coisa: “matar bactéria ou inibir infecção bacteriana”. “Não existe comprovação de que a azitromicina ou qualquer outro antibiótico combata vírus”, destacou o especialista, que ainda argumentou que a substância serve exclusivamente para infecção bacteriana. “Febre, gripe, dor ou qualquer outro agravo, antibiótico não serve”, ponderou.

Ele ainda explica que esta classe de medicamentos desde 2010 é controlada. Com isso, os antibióticos passaram a ser adquiridos apenas com prescrição de médicos, dentistas ou veterinários. “Se uma farmácia dispensar sem receita está promovendo ação fora da legislação”, destacou.

O aviso do especialista não é direcionado apenas à população. Segundo o farmacêutico, 50% das prescrições deveriam e poderiam ser evitadas. “O prescritor também pode errar”, reconheceu Mauro Bitencourt.

 

“Para conter a infecção bacteriana o antibiótico tem que estar em concentração adequada no sangue. O uso do medicamento tem que ser feito corretamente, no horário correto, só assim consegue concentração plasmática capaz e combater a infecção. Caso se use quantidade menor ou interrompa antes do período adequado, ao invés de combater, fortalece a bactéria, fazendo com que ela desenvolva resistência”, elucidou.

 

 

 

Vacina russa contra Covid-19 teve eficácia ‘acima de 95%’ após segunda dose


Vacina russa contra Covid-19 teve eficácia 'acima de 95%' após segunda dose

Foto: Reprodução/Pixabay

A vacina russa Sputnik V contra a Covid-19, demonstrou eficácia “acima de 95%” 21 dias após a segunda dose da vacina e 42 dias após a primeira dose. As informações sobre o imunizante foram divulgadas nesta terça-feira (24) por autoridades do país, de acordo com reportagem do G1.

A vacina Sputnik V foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya. Os dados ainda são preliminares e não foram publicados em revista científica.

Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina para a Covid-19, ainda no mês de agosto. Dúvidas e questionamentos foram levantados na ocasião na comunidade científica, por causa da fase três dos testes e da vacinação me massa, lembra o G1.

Dados divulgados anteriormente pelo país indicavam que a Sputinik V apresentava eficácia de 92% um dia após a aplicação da segunda dose (e 21 dias após a aplicação da primeira dose). Bahia Notícias

FLAGRANTE: Advogada é presa por HOMOFOBIA, AGRESSÃO E RACISMO em São Paulo


Um vídeo causou revolta ao circular pelas redes sociais, onde uma mulher, identificada como Lidiane Brandão Biezok, advogada, de 45 anos, aparece descontrolada na padaria Dona Deôla, em São Paulo. Ela foi presa em flagrante pela Polícia Militar, por questionar se ali ”era uma parada gay”, com insultos racistas e, dando tapas em uma cliente, onde também fez mais insultos homofóbicos no local e também foi acusada pelas redes sociais da padaria de ter insultados os funcionários e clientes.
De acordo com a nota da padaria, eles estão á disposição das autoridades “para oferecer todo suporte na tomada das medidas legais cabíveis”. Do JornalDoPaís
Veja o vídeo:

 

Brasileira de 9 anos entra para grupo das pessoas mais inteligentes do mundo; QI dela é de 139


Brasileira de 9 anos entra para grupo das pessoas mais inteligentes do mundo; QI dela é de 139
Crédito da Foto: arquivo pessoal

A pequena Laura Büchele, de apenas 9 anos de idade, tornou-se membro da mais antiga e respeitada sociedade de pessoas com alta inteligência do mundo, a MENSA. Após fazer um primeiro teste de QI, com 7 anos, o resultado já chamou a atenção: marcou 139 pontos, considerado muito alto.

A menina se mudou para os Estados Unidos com a família há três anos, onde começou a fazer os testes e campeonatos da escola para entrar na MENSA. A mãe dela, Bruna Büchele, conta que a filha começou a estudar inglês no jardim de infância. “Falaram que ela poderia repetir o primeiro ano, mas, desde que ela começou, foi surpreendente! Ela compreendia 100% das aulas, tanto escrita quanto leitura, e até já lia livros em inglês”, lembra.

Ao chegar na nova escola, os professores perceberam seu talento especial. “A professora nos chamou e disse que ela tinha uma habilidade extraordinária para aprender. Laura foi alfabetizada em português e o curso de inglês, na escolinha que ela frequentava no Brasil, era básico. Mas a imersão na escola norte-americana foi muito rápida. Ela começou a se destacar e acabava tudo primeiro”, conta a mãe.

Além do desempenho na escola, a menina pedia para aprender mais coisas. “Ela começou a fazer aulas de piano, e simplesmente tirava uma música só de ouvir. Também pediu para aprender francês, e era perceptível a facilidade com que aprendia”, elogia.

“Laura é fanática por livros, lê um ou dois toda semana. Faz cálculos complexos de cabeça. As notas dela são incríveis. Ela está na quarta série, mas, segundo os professores, a sua leitura equivale a de um estudante do sétimo ano. Todos os testes que ela fez para matemática e língua inglesa equivalem ao sexto ano. E é muito provável que quando chegar no ensino médio, ela consiga pular etapas. Por enquanto, eles consideram importante ela concluir o ensino fundamental. Mas a professora já deixa ela pegar livros do sétimo ano quando sobra um tempinho”, explica.

Mesmo com tamanha inteligência, Laura adora brincar com seus amigos. “Quero que ela tenha uma infância feliz e viva esse momento que é único na vida. Desejamos que que ela brinque com os amigos na rua, mas sem disperdiçar o dom que ela tem. Ela já até sugeriu formas de combater o coronavírus. Temos que dar esse espaço para que ela continue criando e explore todas as coisas que ela quiser”, sugere.

A mãe também acredita que, se fosse no Brasil, talvez a filha não teria o potencial descoberto. “Provavelmente, se estivéssemos no Brasil, ela não teria recebido toda essa orientação e incentivo na escola. Sei que no nosso país tem crianças que se destacam, mas, muitas vezes, não recebem orientação ou nem são identificadas. Como a Laura, devem ter muitos outros por aí que, se fossem guiados, seriam pequenos gênios inventando várias coisas para melhorar e facilitar nossa vida”, completa.

Outro brasileiro que faz parte desta associação é o neurocientista, filósofo e psicanalista Fabiano de Abreu.

 

Morre em Goiânia aos 83 anos, Francisco Camargo, pai dos sertanejos Zezé e Luciano


Morre em Goiânia aos 83 anos, Francisco Camargo, pai dos sertanejos Zezé e Luciano
Crédito da Foto: reprodução / Instagram @zezedicamargo

O pai dos cantores Zezé di Camargo e Luciano, morreu, aos 83 anos, na noite de segunda-feira (23/11), em um hospital particular de Goiânia (GO). Segundo publicação do Uol a informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da dupla sertaneja.

Francisco José de Camargo, personagem central da cineobiografia dos filhos famosos, “Dois Filhos de Francisco”, foi submetido a uma cirurgia emergencial no último dia 14 de novembro, em razão de um sangramento na parte baixa do intestino grosso.

Ele deixa a esposa, Helena Siqueira de Camargo, de 75 anos, e oito filhos: Mirosmar José de Camargo (Zezé), Marlene José de Camargo, Wellintgton Camargo, Emanoel Camargo, Luciele de Camargo, Welson David de Camargo (Luciano), Wesley José de Camargo e Walter José de Camargo. Ele também tinha dez netos, incluindo a cantora Wanessa Camargo e a atriz, Camilla Camargo. Do Aratuon

40 mil funcionários terão curso antirracismo no Extra, Ponto Frio e Casas Bahia


Via Varejo dará curso Antirracismo a funcionários - Fotos: reprodução
Via Varejo dará curso Antirracismo a funcionários – Fotos: reprodução

Do Só Notícia Boa: No Dia da Consciência Negra, a maior rede de lojas de eletrodomésticos do Brasil assinou um manifesto antirracista para tratar do assunto com a seriedade que ele merece e anunciou que vai dar um curso antirracismo para treinar e capacitar os 40 mil funcionários e colaboradores que atendem clientes em todo o país.

A informação foi dada ao SóNotíciaBoa pela direção da Via Varejo, conglomerado que une Casa Bahia, Ponto Frio e Extra.

O garoto propaganda da ação é o gerente Bruno Mendes, que você viu esta semana aqui no SNB. Ele foi vítima de injúria racial por parte de dois idosos no último fim de semana, no Ponto Frio do GV Shopping, em Governador Valadares, Minas Gerais e os funcionários fizeram uma linda homenagem em apoio ao chefe.

“Existe o “querer fazer” e o “decidir fazer” e nossa empresa dá mais um belo exemplo em “decidir fazer”, disse Bruno Mendes ao SóNotíciaBoa.

No vídeo que dá início à campanha, postado no Instagram, Bruno comemora que todos na empresa serão os novos antirracistas brasileiros:

“Respeito é um princípio que não abrimos mão, é um valor inegociável. O Ponto Frio já treina todos os seus funcionários, e agora daremos um passo além com um curso sobre Antirracismo […] Todos os 40 mil funcionários da @viavarejo serão novos antirracistas!”, disse Bruno na legenda do vídeo.

O curso

A via varejo informou que o curso antirracismo está sendo contratado e desenhado pelo time de diversidade e será dado aos colaboradores até março do ano que vem.

“Essa pauta já faz parte do nosso dia a dia […] Aqui, respeito e diversidade são levados à sério. É o que nos move e nos ajuda a ver um mundo melhor à frente”, afirmou  CEO na Via Varejo.

Assista ao novo vídeo do Bruno:

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa