Glaucos, enfim, admite que assinou recibos apresentados por Lula


Se no caso triplex Sergio Moro teve de fazer “piruetas jurídicas” para condenar Lula, nesta ação penal envolvendo a Odebrecht, o leitor não deve esperar menos do que um verdadeiro espetáculo circense
Jornal GGN – Se na sentença do caso triplex o juiz Sergio Moro teve de dar umas “piruetas jurídicas” para condenar Lula, nesta segunda ação penal – na qual a Lava Jato afirma que o petista recebeu um apartamento da Odebrecht e a prova disso é que ele não teria pago os aluguéis, mas, sim, “falsificado” os recibos – o leitor não deve esperar menos do que um verdadeiro espetáculo circense.
Quem está na corda bamba, se esforçando ao máximo para não deixar a narrativa cair por terra, é o réu Glaucos da Costamarques, primo distante de José Carlos Bumlai. Ele é o elo que liga a Odebrecht a operações que supostamente teriam beneficiado Lula.
Diante de Moro nesta sexta (15), pela segunda vez, Glaucos impôs algumas derrotas à turma de Deltan Dallagnol. Ele atestou a veracidade de provas levadas aos autos pela defesa de Lula e ainda disse expressamente que é dono do apartamento atribuído ao ex-presidente pelos procuradores.
GGN já mostrou, com base em um relatório da Polícia Federal que teve seu verdadeiro teor abafado pela grande mídia, que Glaucos possivelmente colabora com a Lava Jato, na condição de um delator informal, porque a Receita encontrou movimentações supeitas em suas contas. E essas movimentações envolvem depósitos que somam mais de R$ 8 milhões, que ele recebeu de seus filhos.
A Lava Jato, como se sabe, é especialista em arrastar familiares para o olho do furacão como forma de pressionar os investigados a colaborar. Paulo Roberto Costa é o exemplo mais lembrado.
Glaucos é réu, assim como Lula e o advogado Roberto Teixeira, além de executivos da Odebrecht, porque comprou um imóvel que seria ofertado para o Instituto Lula. Mas, na mídia, a segunda parte da denúncia da Lava Jato ganhou mais espaço: a compra de um apartamento vizinho ao do ex-presidente, em São Bernardo do Campo, também por Glaucos, a pedido de Bumlai.
Pois foi na esperança de cair nas graças de Moro que Glaucos disse ao juiz que entre fevereiro de 2011 (quando fez o contrato com Marisa Letícia), e novembro de 2015 (quando Bumlai foi preso), Lula não pagou o aluguel pelo espaço.
O problema na história de Glaucos, até então, era o fato de que ele mesmo declarou o recebimento dos aluguéis em seu imposto de renda, todos os anos.
Quando a defesa de Lula surgiu com os comprovantes de pagamento, a Lava Jato e os jornais que funcionam como porta-vozes dos procuradores entraram em polvorosa. Trataram os recibos como peças falsas e insuficientes para atestar a versão de Lula. Abriu-se um incidente de falsidade.
Foi no âmbito deste incidente de falsidade que Glaucos foi chamado para depor novamente diante de Moro, nesta sexta-feira (15). A missão do réu era desmontar todas as provas que foram levantadas em favor de Lula e contra a narrativa criada pela Lava Jato. Além dos recibos, existem:
– Sírio Libanês negando que Roberto Teixeira tenha visitado Glaucos no hospital em data referida por este último. Glaucos afirma que, no Sírio, Roberto lhe informou que a partir de novembro de 2015, o aluguel seria pago. 
– E-mail trocado entre Glaucos e o contador responsável pela declaração do imposto de renda de Lula, no qual o primeiro expõe os valores de aluguel recebidos ao longo de 2013.
A questão principal neste segundo depoimento de Glaucos era saber se ele confirma que assinou os recibos apresentados pela defesa de Lula. Ele disse que sim, a assinatura era dele.
Ele reafirmou que não recebeu aluguel entre fevereiro de 2011 e novembro de 2015. Mas agora surgiu com um fato novo: uma explicação do por quê declarava no imposto de renda um aluguel que ele não recebia.
A história é que Bumlai ressarcia Glaucos pelo menos em relação aos impostos. Como? Em transações particulares, como compra de cavalos. Nem Moro, nem o Ministério Público perguntaram se ele tinha provas dessa versão.
Moro se preocupou em saber como Glaucos explica que o Sírio Libanês não resgistrou a visita que ele diz ter recebido de Roberto Teixeira.
Foi assim que o réu-delator informal ajudou a Lava Jato a explicar a falta de prova:
“Ele entrou sem se identificar. Porque a entrada no hospital, onde a gente faz o crachá lá na frente é falha. E eu vou dar ao senhor um exemplo. Quando eu estava internado, meus filhos alugaram um flat na rua lateral do hospital, bem na frente do pronto socorro do hospital. Eles saiam dali sem se identificar e entravam pelo pronto-socorro. Eu vou explicar para o senhor… Nem toda entrada é fiscalizada. A principal é, as outras não são.”
Glaucos admitiu que o e-mail apresentado pela defesa de Lula sobre os valores de 2013 é verdadeiro.
E deixou para o final uma frase que a defesa de Lula, em nota, chamou de contraditória, já que nela, Glaucos admite que é dono do apartamento que a Lava Jato atribuiu ao ex-presidente.
Disse Glaucos, sobre a conversa que diz ter tido com Roberto Teixeira, em novembro de 2015:
“Com esse negócio que aconteceu [o estouro da Lava Jato], a prisão do Zé Carlos [Bumlai] e tudo, ele [Bumlai] já não me pagou [o valor gasto na compra do apartamento], eu não vou mais receber esse dinheiro. Então, daqui para frente, eu vou assumir, o apartamento é meu. Até aquela data, na minha cabeça, eu tinha comprado para o Zé Carlos e ele estava me devendo o dinheiro do apartamento. Mas dali para frente, como comecei a receber o aluguel e tudo, o apartamento era meu. (…) O aparamento, na minha cabeça, é meu.”
Em nota, a defesa de Lula escreveu:
“A verdade hoje confirmada pelos depoimentos é que os recibos de locação, como sempre foi afirmado pela defesa do ex-Presidente Lula, são autênticos, foram emitidos pelo Sr. Glaucos da Costamarques com declaração de quitação em favor da D. Marisa, que é prova mais plena do recebimento dos aluguéis de acordo com a lei brasileira, confirmada por outros documentos existentes nos autos, como a movimentação nas contas do proprietário envolvendo valores em espécie. Também ficou claro mais uma vez que o apartamento não é do ex-Presidente Lula e que não há qualquer valor proveniente de contratos da Petrobras relacionado ao imóvel, ao contrário do que consta na denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal.” Matéria na íntegra do GGN.
Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Dinheiro de patrocínio da JBS parou na conta pessoal de Gilmar, diz revista


 De acordo à matéria publicada nesta sexta feira, 15 de dezembro, pelo GGN, a revista Veja promete uma reportagem, na edição deste final de semana, sobre as “relações perigosas” de Gilmar Mendes e Joesley Batista. De acordo com publicação no portal, o ministro do Supremo Tribunal Federal teria trocado favores com o sócio da JBS. Além disso, parte do dinheiro que a empresa repassou ao IDP como forma de patrocínio teria ido parar em conta pessoal de Gilmar.
Segundo Veja, o “IDP, além de uma fonte de receita, passou a ser uma fonte de dor de cabeça para o ministro, depois que veio a público o caso da JBS e das traficâncias dos irmãos Joesley e Wesley Batista.”
“Isso porque, nos últimos dois anos, Gilmar e Joesley mantiveram uma parceria comercial e uma convivência amigável, a ponto de se visitarem em Brasília e São Paulo, trocarem favores, compartilharem certezas e incertezas jurídicas e tocarem projetos comuns. De 2016 a junho deste ano, a JBS transferiu 2,1 milhões de reais para o IDP em patrocínios que nem sempre foram públicos. Os valores de patrocínios de empresas iam parar, por vezes, na conta pessoal de Gilmar Mendes. É o que revela uma das mensagens obtidas por VEJA, que na edição desta semana traz mais detalhes sobre a relação entre o juiz e o empresário.”
O IDP suspendeu os contratos de patrocínio com a JBS tão logo as gravações de Joesley Batista e outros executivos vieram à tona.

Delatores dizem ser pressionados para falar contra Lula, diz Folha


De acordo ao GGN, que publicou uma matéria, que teve fonte  A Folha de São Paulo, que falou que disse que  a Odebrecht e Lava Jato de Curitiba omitiram uma série de crimes de superfaturamento em obras no acordo de delação premida, agora a Folha mesma Folha revela que delatores estão sendo perseguidos e pressionados pelos procuradores para admitir culpa e endossar as acusações feitas contra Lula nas duas ações penais que estão nas mãos de Sergio Moro.
Segundo reportagem desta sexta (15), pelo menos 3 delatores da Odebrecht não acham que houve crime ou não concordam com a narrativa dos procuradores no caso do sítio de Atibaia e na compra de um imóvel nunca usado pelo Instituto Lula. O Ministério Público Federal denunciou o petista por ter recebido esses benefícios da empreiteira em troca de favorecer a empresa em negócios da Petrobras.
“Paulo Melo, executivo que participou da negociação de um terreno comprado para o Instituto Lula e foi acusado de lavagem de dinheiro, pediu absolvição a Moro. Ele diz que não cometeu o crime e não viu nada de errado na relação entre a empresa e o ex-presidente”, apontou o jornal.  Ele também afirmou que não sabia da existência de nenhuma contrapartida por parte de Lula.
Também delatores, Carlos Armando Paschoal e Emyr Costa participaram das obras do sítio de Atibaia, e pediram para ser inocentados. Eles disseram que só cumpriram ordens e negaram existência de crime.
“Paschoal, um dos acusados no caso do sítio de Atibaia, reconheceu em seus depoimentos à Lava Jato que pagou propina a funcionários públicos e fez doações ilegais a dezenas de políticos, mas diz que apenas mandou executar as obras no sítio, sem participar dos acertos da cúpula da empresa com Lula.”
Outro delator, Paulo Sérgio Boghossian é forçado pela Odebrecht e pelos procuradores a admitir que pagou propina a agente da Petrobras, mesmo dizendo que ele nunca fez isso. Segundo a Folha, ele é ameaçado de ir para a cadeia, por descumprimento do acordo que a empresa moldou junto à Lava Jato, para que sirva de exemplo para outros que pensem em fugir do que foi escrito nas colaborações.
Os acordos foram homologados pelo Supremo Tribunal Federal, mas caberá a Moro e outros juízes da primeira instância avaliar se os benefícios aos delatores devem ser mantidos.

Menina de 12 anos já leu mais de 200 livros: paixão precoce


Duda e a mãe, Angélica na Feira do Livro Foto: Arquivo Pessoal
Duda e a mãe, Angélica na Feira do Livro Foto: Arquivo Pessoal

 

 

Ela tem 12 anos e já leu uma quantidade de livros que muitos levariam toda uma vida pra ler.

Eduarda Fassina Silva coleciona a marca de 243 livros lidos. E 100 deles só este ano. Isso dá uma média de 3,6 livros por dia, em 2017.

Quem começou a contabilizar esse feito foi a mãe, Angélica Fassina, que é a principal incentivadora da menina.

“Eu sempre tive o hábito de ler muito e lia histórias infantis pra ela, antes de dormir. Quando ela foi alfabetizada com 4 anos, eu combinei que, agora era ela quem iria ler pra mim”, disse Angélica ao SóNotíciaBoa.

E nesses mais de 200 livros não estão contabilizados os outros tantos que a adolescente leu na infância.

A pequena Eduarda contou ao SóNotíciaBoa que ler livros  leva a sonhar, a ter criatividade e ao conhecimento.

Se ela gosta tanto de leitura que é capaz de ler um livro em apenas um, ou dois dias.

Blog

Ah, e Duda como todos a chamam, passou a contar as obras lidas num blog chamado Happiness, há dois anos.

Aos 12 anos ela já pensou em ser médica, veterinária ou cantora, mas com livros ela revela:

“Eu acho que é o maior sonho.  Ter uma livraria, montar uma, ou trabalhar em uma biblioteca, fazer revisão de livros, trabalhar em alguma editora…”

Duda conta quais os autores que fazem seu coração bater mais forte.

Dos autores masculinos ela prefere Lewis Carroll e das mulheres, ela fica entre J.K. Rowling, de Harry Potter, Paula Pimenta e Thalita Rebouças.

Notícias boas

A menina também revelou que gosta de ler coisas, notícias boas.

“Eu acho que já tem muitas coisas ruins acontecendo no mundo, nas cidades, e ler coisas boas, tanto notícias quanto livros, é muito bom para sair da nossa realidade. Por isso que existe a frase famosa, de que os livros são nossas asas, que nos levam para lugares que nós gostaríamos de viver”, ensina a pré-adolescente.

Na feira do livro de Porto Alegre, Duda acabou virando atração por ser precoce, e mais nova que o público interessado, na faixa dos 18 anos.
Ela falou durante o Encontro de Influenciadores Literários no evento.

Tanta precocidade nos leva a fazer uma pergunta pra Duda…

Se fosse pra escolher entre os livros e o celular, qual seria a opção?

Adivinhe!

A resposta veio sem pensar: “Os livros”, diz Duda.

Duda e a mãe entre os escritores Pam Gonçalves e Vitor Martins

Duda e a mãe, entre os escritores Pam Gonçalves e Vitor Martins / Foto: arquivo pessoal

Por Andréa Fassina, da redação do SóNotíciaBoa

Irmãos que não se viam ha 50 anos têm encontro emocionante, ao serem internados lado a lado em hospital


 

Adolfo e Antônio - Foto: reprodução / TV Gazeta-AL

 

Um encontro emocionado dentro de um hospital. Sem saber, dois irmãos – que não se viam há pelo menos 50 anos – ficaram lado a lado em leitos do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió.

Adolfo e Antônio Teixeira da Silva deram entrada na unidade com problemas semelhantes, no intestino, no início deste mês: um no dia 5 e o outro no dia 12.

Eles ficaram cinco dias na mesma enfermaria, sem nenhuma desconfiança do parentesco. Até que chegou a hora da transferência para outro hospital e os nomes dos dois foram chamados por um funcionário do hospital.

Ele leu os nomes nos prontuários e percebeu os olhares surpresos entre os dois.

“Eles começaram a se olhar aí achei estranho e conferi o nome do pai. Um deles puxou a foto do pai e foi quando tiveram a certeza do parentesco. Eles se abraçaram e choraram. Eu também me emocionei”, disse o auxiliar administrativo José Amorim de Oliveira.

História

Adolfo e Antônio moravam em Arcoverde, Pernambuco, quando Antônio se mudou para trabalhar em Maceió.

O trabalho o fez mudar para outros estados, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, até que perdeu contato com a família.

“Isso foi na adolescência, quando tinha 14, 15 anos. Fiquei sabendo que ele [Adolfo] tinha família, mas desde então a gente não se viu mais”, afirma Antônio Silva. Cada um seguiu seu rumo.

Anos mais tarde, os dois fixaram residência em Alagoas, mas ainda sem saber do paradeiro um do outro. Cinco décadas de angústias, de buscas sem notícias, mesmo morando em cidades vizinhas nos últimos anos.

Adolfo, hoje com 89 anos, mora em Rio Largo. Antônio, 68, no Jacintinho, em Maceió.

Os irmãos seguem em tratamento no hospital para onde foram transferidos.

Funcionários emocionados

Surpresos e emocionados, os funcionários acompanham de perto a história deles.

“Isso me tocou muito, principalmente pela época que estamos. Época que as famílias se juntam e celebram. Época de muito amor e carinho. Os idosos tendem a somar perdas, aqui eles ganharam a família um do outro”, diz a enfermeira Ivanize Guimarães.

Agradecidos

A emoção do reencontro inusitado ainda não passou.

“Estou muito feliz e agradecido a Deus por isso”, afirma Adolfo da Silva.

Eles agora planejam uma festa em família, quando se recuperarem fisicamente.

“Já conheci sobrinhas, a filha dele e falei com a esposa. Obrigado Deus por esse reencontro”, diz emocionado. Noticia Boa.

Adolfo e Antônio - Foto: reprodução / TV Gazeta-AL

Adolfo e Antônio – Foto: reprodução / TV Gazeta-AL

PSDB é mais um partido que entra em acordo para aprovar a reforma de Temer


 Resultado de imagem para foto de temer com alkimim
Atendendo a interesses da sigla, a Executiva Nacional do PSDB decidiu que irá fechar questão a favor da reforma da Previdência, pressionando os deputados tucanos a votarem pela aprovação das mudanças na aposentadoria.
A decisão foi tomada em meio às pressões nos bastidores pelo governo Temer de que a matéria seja votada ainda este ano na Câmara dos Deputados. Da mesma forma, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vem mantendo o discurso de que só iria efetivar a votação na agenda se houvesse a maioria dos parlamentares, evitando que o caso seja barrado na Câmara.
Do lado do governo, o discurso está sendo direcionado em todas as frentes possíveis: desde reuniões de ministros, parlamentares da base aliada e pelo próprio mandatário Michel Temer, que encontra formas de inserir a temática da necessidade de se aprovar a reforma em todos os seus discursos e encontros que participa.
A linha defendida é de que se as mudanças nas aposentadorias não forem feitas agora, precisarão ser feitas, da mesma forma, mais adiante e quanto mais o tema vai sendo adiado, maiores as complicações de defender a medida impopular em ano de pleito eleitoral.
É nesse sentido que o PSDB, apesar de não mais aliado do governo peemedebista, defende a reforma da Previdência e admite que os danos seriam menores agora do que deixar para a votação ocorrer em 2018. Nesta quarta (13), a cúpula se reuniu e decidiu fechar a questão.
Por outro lado, os caciques tucanos, liderados pelo mais novo presidente do PSDB Geraldo Alckmin, decidiram que não haverá punição a parlamentares que não quiserem seguir a orientação do partido. A
 
 
 
O PSDB é o quarto partido a fechar questão, garantindo que pelo menos a maioria de seus integrantes votará a favor da proposta. O PMDB, partido do mandatário, foi o primeiro a obrigar seus correligionários a aprovarem a reforma trabalhista, seguido do PTB e do PPS, que também fecharam questão.
O que tem diferenciado de uma votação democrática e normal, é que dessa vez, como vem dizendo o Rodrigo Maia, só vai votar a reforma na Câmara dos deputados, quanto tiver a certeza de que está com a maioria, o que vem sendo adiada a votação, que nem se sabe se será em 2017. Temer tem pressionado os ministérios para liberar recurso para os deputados, pois tais recursos serão para liberação de obras nos municípios. Na verdade, o que está acontecendo com a cabeça dos deputados, não é que tal obra vai ser bom para a população, mas sim, o que lhe dará mais voto, conseguir verba proveniente de acordo para votar a favor da reforma da previdência, que tanto o o Presidente Temer quer, ou votar contra e ficar bem com seus eleitores. Na verdade, o eleitorado já está com uma lista de deputados que votaram a favor da reforma trabalhista, o que deixa os deputados com uma “pulga atrás da orelha”, pois o eleitorado com duas listas vai ficar difícil do deputado voltar pras mordomias de Brasília, a partir de janeiro de 2019. A grande mídia tem ignorado a voz e sentimento do povo, mas, por outro lado, agora o povo tem a internet que tem sido mais veloz que a televisão e rádio.
Diferente dos tucanos, as outras três siglas decidiram que haverá punição caso os deputados das siglas não sigam a orientação partidária. Apesar do tom de que o tema poderá ser efetivado na Câmara somente no próximo ano, o governo ainda espera que outros partidos fechem questão para conseguir os votos mínimos à PEC.
O PSDB é o quarto partido a fechar questão, garantindo que pelo menos a maioria de seus integrantes votará a favor da proposta. O PMDB, partido do mandatário, foi o primeiro a obrigar seus correligionários a aprovarem a reforma trabalhista, seguido do PTB e do PPS, que também fecharam questão.
O que tem diferenciado de uma votação democrática e normal, é que dessa vez, como vem dizendo o Rodrigo Maia, só vai votar a reforma na Câmara dos Deputados, quando tiver a certeza de que está com a maioria, motivo pela qual vem sendo adiada a votação, que nem se sabe se será em 2017. Temer tem pressionado os ministérios para liberar recurso para os deputados, pois tais recursos serão para liberação de obras nos municípios. Na verdade, o que está acontecendo com a cabeça dos deputados, não é que tal obra vai ser bom para a população, mas sim, o que lhe dará mais voto, conseguir verba proveniente de acordo para votar a favor da reforma da previdência, que tanto o Presidente Temer quer, ou votar contra e ficar bem com seus eleitores. O eleitorado, que já não é mais o mesmo depois da internet, já está com uma lista de deputados que votaram a favor da reforma trabalhista, para aplicar um não em outubro de 2018, o que deixa os parlamentares com uma “pulga atrás da orelha”, pois o eleitorado com duas listas vai ficar difícil do deputado voltar pras mordomias de Brasília, a partir de janeiro de 2019. A grande mídia tem ignorado a voz e sentimento da população, mas, por outro lado, agora o povo tem a internet que tem sido mais veloz que a televisão e rádio. Lembrando que para aprovar a reforma será preciso pelo menos 308 votos de um total de 513  existentes no parlamento. Fonte GGN, Último parágrafo cafecomleitenotícias.
 

Véspera de Natal: Tudo ou nada para Lula que lidera na preferência popular, principalmente na classe mais pobre do país


Ontem foi noticiado que o julgamento de Lula na segunda instância, está marcado pára o dia 24, véspera de Natal. A população que vem acompanhando o caso não está conseguindo entender o fato deste Julgamento ser procedente do triplex, um apartamento que ficou conhecido como “O Caso Triplex”, uma vez que há grandes denúncias de outros grandes nomes da política brasileira, no entanto não há destaques nos casos das grandes corrupções.
A jornalista Mônica Bergamo aponta, nesta quarta (13), que os desembargadores tiveram um motivo especial para acelerar a apreciação do recurso do petista: a rediscussão, no Supremo Tribunal Federal, da prisão a partir de condenação em segunda instância.
Há alguns meses – mesmo com a resistência da ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte – o ministro Gilmar Mendes vem se colocando a favor de refazer a discussão com o intuito de reformular a autorização para execução de pena sem que os recursos do réu tenham sido esgotados em todas as instâncias. Quando a medida foi aprovada, o placar saiu apertado. Se Gilmar mudar de posição, pode ser que a permissão caia por terra.
Mas a ideia é que o TRF4 faça o julgamento de Lula antes que ele possa se beneficiar da revisão no Supremo. “O processo do petista será analisado antes que o STF (Supremo Tribunal Federal) tenha decidido se muda ou não a regra de que um condenado pode ser preso depois de julgado em segunda instância, como será o caso de Lula. A tendência do tribunal é mudar o entendimento, mas Lula será julgado antes disso”, escreveu Bergamo.
“Segundo os mesmos criminalistas, se condenado Lula pode ter a prisão determinada pelo próprio tribunal. Caso a corte seja omissa, a ordem de detenção pode ser dada pelo juiz Sergio Moro”, acrescentou. Fonte, Texto da Jornalista Mônica Bergamo.

Veja alguns cometários de pessoas que se aprofundaram no andamento do processo desde o começo:

 

Manoel Mariano- Não há solução humana prevista para o que estamos presenciando no Brasil. As forças contrárias a democracia se organizaram atrás da trincheira (grande mídia, Poder Judiciário e outros agentes do atraso). Para refletir:”Tudo, neste caso (TRIPLEX), é sempre conduzido pelo cabresto do interesse político, desde que os promotores paulistas que acabaram chamados de “Três Patetas” produziram a ficção de que o apartamento pertencia a Lula, num processo onde todos os  acusados foram absolvidos mas o ex-presidente foi pinçado para ser jogado no Coliseu de Sérgio Moro, em razão de uma “ligação” com a Petrobras que se prova apenas pela “convicção” e por um Powerpoint.Três distintos e bem-pagos senhores, no dia 24 de janeiro de 2018, como num distante 24 de agosto de 1954, preparam a morte de um líder  político e o nascimento de um líder histórico.Ironicamente, entre 2018 e 1954, a distância fica num número que traduz o seu sentido: 64. A tesoura da Justiça pode cortar uma candidatura, mas não pode cortar o fio da História.” Aguardamos o pior! Que virá!!!

Não há solução humana prevista para o que estamos presenciando no Brasil. As forças contrárias a democracia se organizaram atrás da trincheira (grande mídia, Poder Judiciário e outros agentes do atraso). Para refletir:”Tudo, neste caso (TRIPLEX), é sempre conduzido pelo cabresto do interesse político, desde que os promotores paulistas que acabaram chamados de “Três Patetas” produziram a ficção de que o apartamento pertencia a Lula, num processo onde todos os  acusados foram absolvidos mas o ex-presidente foi pinçado para ser jogado no Coliseu de Sérgio Moro, em razão de uma “ligação” com a Petrobras que se prova apenas pela “convicção” e por um Powerpoint.Três distintos e bem-pagos senhores, no dia 24 de janeiro de 2018, como num distante 24 de agosto de 1954, preparam a morte de um líder  político e o nascimento de um líder histórico.Ironicamente, entre 2018 e 1954, a distância fica num número que traduz o seu sentido: 64. A tesoura da Justiça pode cortar uma candidatura, mas não pode cortar o fio da História.” Aguardamos o pior! Que virá!!! Após publicidades continue lendo a matéria.

 

 

Gilberto Cruvinel –Há uma semana, o juiz Moro pediu para Temer influenciar o STF a manter a prisão em segunda instância. Agora o TRF-4 antecipa de forma absoluta inédita o julgamento de Lula. Tudo vai se encaixando na máquina do golpe. Os papéis estão bem distribuídos. Um chuta, outro apita, outro, Gilmar, muda a regra do jogo em pleno jogo, arranjando um semi-presidencialismo oportunista.

 

Romanelli – Tal qual em 64, tudo indica que, já já, o POVO chamará pela presença dos MILITARES como tábua de salvação  ..já que os civis se permitiram um circo de horrores

O arbítrio é flagrante ..o MUNDO assiste, se aproveita, ou não faz nada

..como num jogo de cartas  ..tudo escancarado com o Poder NABABO do Judiciário (e suas forças como OAB e MP) dando ares de “legalidade” (afinal, o que é se ser legal hein ?!)

A turma golpista já esta devidamente identificada e NUNCA será perdoada (mas isso não significa que pagarão pelo estrago)

..o PSDB, DEMO e PMDB são a cada dia mais e mais rechaçados pelo povo, correndo o risco de serem (como os Lacerdas da vida) engolidos em parte pelo próprio PANTANO que criaram  …e à dita esquerda SEM POVO sobra a HUMILHAÇÃO Suprema com LULA na cadeia. Que pesadelo!

 

Walter Salles- Acho que tudo acontece num país onde os seus habitantes, na maioria, não sabem o que é ser patriota e acabam, muitas vezes, até apoiando os grandes interesses dos que não estão nem aí para o país e seus habitantes. Vivemos por muito tempo num país onde a pobreza, apesar de um país rico, imperava e ainda impera. À medida em que foi sinalizado que essa pobreza tinha jeito de diminuir ou quase ser eliminada, como diz o Zé Geraldo numa das suas canções, logo aparece o grupão inimigo do povo pobre e diz: “Pega esse idiota e enterra”. Enterrar, não, mas colocar numa prisão, o acusando de ser dono de um apartamento, baseado em delação premiada, é um fato, que só mesmo num país onde a população em massa consome uma cultura imposta por uma mídia grande e perversa, mercenária e inescrupulosa, aliada a um modelo político, que por sua vez encontra apoio da ala da justiça, isso pode acontecer. Enquanto isso vamos assistindo de camarote, enquanto não chega o carnaval, o nosso país ser vendido e o povo massacrado. É inaceitável, por exemplo, um Aécio está livre e sendo considerado pela cúpula, como homem de valor. Como dizia os mais antigos, está entregue tudo nas mãos de Deus, já que o povo não quer fazer a sua parte.

Municípios intensificam ações de combate ao HIV/Aids durante este mês de dezembro


Diversos Municípios brasileiros promovem ações da campanha Dezembro Vermelho, que alerta para a prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis. No início deste mês, a campanha foi incluída no calendário nacional, e a Confederação Nacional de Municípios (CNM) apoia e incentiva as políticas desenvolvidas pelos governos locais. A entidade municipalista sempre lembra que o sucesso de políticas sociais passa pela atuação dos gestores municipais.

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) é causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. No Brasil, números do governo indicam redução nos casos de aids e a mortalidade provocada pela epidemia. A campanha do Ministério da Saúde (MS) deste ano trouce o slogan “Vamos combinar? Prevenir é viver” com o foco nos jovens, reforçando as diversas formas de prevenção do HIV.

De acordo com a nova edição do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, lançado este ano, a taxa de detecção foi de 18,5 casos por 100 mil habitantes em 2016 – uma redução de 5,2% em relação a 2015, quando era registrado 19,5 casos. Já a mortalidade, observa-se uma queda de 7,2%, a partir de 2014, quando foi ampliado o acesso ao tratamento para todos. Passando de 5,7 óbitos por 100 mil habitantes para 5,2 óbitos, em 2016.

Atividades
Diante disso, a Confederação enaltece as iniciativas desenvolvidas pelos Municípios amazonenses.  Dentre esses, Tabatinga, Lábrea, Uarini e Humaitá realizam, durante esta semana, atividades educativas, com oferta de testes rápidos para diagnóstico de HIV e distribuição de preservativos, além de cursos de capacitação para os profissionais de saúde que atuam na área. Ações também são promovidas pelo governo do Estado, entre os dias 12 e 15 deste mês, com a comunidades escolar.

A Prefeitura de Vera Cruz (SP) também promove ações que visam a chamar atenção para as medidas de prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas com HIV. Entre as atividades estão orientações em salas de espera, com a disponibilização de horários de atendimento para testes rápidos de HIV – indolor e com resultado em 15 minutos; e atividade nas ruas para sanar as dúvidas da população sobre o assunto.

Outros
Em Quissamã (RJ), atividades com os alunos da rede municipal ensino são promovidas até o dia 20 deste mês, com palestra e teste rápido para HIV. Dentre os milhares de Municípios, de Norte a Sul do País, que intensificaram as ações de combate à Aids, durante este mês, estão: Alcinópolis (MT), Cacoal (RO), Esperantina (PI), Maceió (AL), Manaus (AM), Macapá (AP), Olinda (PE), Pedro II (PI), Ribeirão Pires (SP), Santa Maria da Serra (SP), São José dos Pinhais (PR), Sorriso (MT), Uruguaiana (RS),

Com informações do G1, Gaz, das Prefeituras e do Ministério da Saúde

Solidariedade leva alegria ao Natal de crianças com câncer no DF


Foto: divulgaçãoFoto: divulgação

O fim de semana – a duas semanas do Natal – começou especial para cerca de 40 crianças que fazem tratamento contra o câncer em Brasília.

Elas foram ao hospital na tarde dessa sexta-feira (8), mas desta vez não estavam lá para realizar exames médicos, ou para passarem por sessões de quimioterapia ou radioterapia. Elas teriam um encontro muito esperado com o Papai Noel.

São pacientes do Hospital da Criança José Alencar, do Hospital Universitário de Brasília (HUB) e do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês.

Foi uma parceria que tornou tudo possível: entre a Liga de Combate ao Câncer da Universidade de Brasília e o Sírio-Libanês.

Pedidos

Há alguns dias, as crianças foram convidadas a escreverem cartinhas com pedidos ao Papai Noel.

Cada cartinha deveria conter três pedidos.

As mensagens destinadas ao Polo Norte foram entregues para a equipe de coordenação do evento, que passou a buscar voluntários que encarnassem o espírito do Bom Velhinho e contribuíssem para que ao menos um dos desejos de cada criança fosse atendido.

“A celebração doNatal com as crianças aqui, no mesmo espaço em que tratam da saúde, veio
coroar o atendimento humanizado, individualizado, afetivo, que praticamos no dia a dia com elas. Ficamos muito felizes com a parceria com a Liga de Combateao Câncer da UnB. A solidariedade está na base de ação do Sírio-Libanês”, conta o gerente da instituição em Brasília, Jorge Henrique da Rocha.

Super-heróis e Papai Noel

As crianças começaram a chegar por volta de 16h, acompanhadas por seus familiares.

Foram acolhidas com músicas infantis tocadas ao violão e voz e por uma equipe de voluntários da Liga de Combate ao Câncer da UnB e do Sírio-Libanês, fantasiada de super-heróis, princesas, fadas e ajudantes do Papai Noel.

O espaço de recepção do Centro de Oncologia do Sírio-Libanês, na 614 Sul, se transformou em um ambiente propício para animadas brincadeiras.

O ponto alto da festa aconteceu com a chegada do Papai Noel.

Os pequenos tinham os olhos e os ouvidos fixos nele, que anunciava o nome de cada criança e ia ao seu encontro com um abraço, uma palavra de incentivo e a entregava o tão sonhado presente, que abria sorrisos e fazia olhos brilharem de felicidade.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Altruísmo e superação

Do farto estoque de presentes, saltavam bonecas, jogos, tablets, smartphones, playstations e bicicleta.

Sonhos realizados graças à generosidade de voluntários anônimos, empresários, médicos e colaboradores das instituições.

Na festa dos sonhos que se realizam, também havia em comum as histórias de luta e busca por superação de cada criança.

Como a pequena Yasmim Vitória, de 12 anos que, apesar de estar com os movimentos comprometidos por causa da doença, encantou a todos com o microfone em mãos, cantando músicas infantis de sucesso.

Anny Karoliny, de 12 anos, veio de Minas Gerais.

Diagnosticada com câncer no cerebelo, chegou a ter os movimentos do corpo comprometidos também, mas hoje, graças ao tratamento, à sua força de vontade e o apoio dos pais – Luzileide e Lázaro – a garota fica em pé e realiza vários movimentos com autonomia.

Em 2018 ela vai cursar a quinta série do ensino fundamental.

“Eu pedi em minha cartinha que eu queria ganhar um jogo, ou uma boneca Polly ou um tablet”, revela, cochichando no ouvido.

Quando foi chamada pelo Papai Noel, Anny abriu rapidamente o presente com a ajuda da mãe. Abriu, também, um largo sorriso.

Ela ganhou um tablet.

Trajetória de vida parecida tem Esther Ninos (11), que está cadeirante e pediu um televisor.

Ela veio de Barreiras, na Bahia, depois de diagnosticada com câncer.

Ficou muito sensibilizada com o trabalho que os médicos do HUB e do Sírio-Libanês realizam em seu tratamento e anuncia: “eu vou ser médica quando crescer”.

Esperança

As trajetórias e histórias são muitas. Os desafios, diários.

E eventos como esses são saudáveis no processo de tratamento das crianças, como diz Paula Diniz, Coordenadora da Liga de Combate ao Câncer da UnB.

“É uma oportunidade de revisitarem o local de tratamento em um momento festivo e de descontração com a equipe. Ademais, ao verem que seus desejos foram atendidos por meio das cartinhas que enviaram, de uma certa forma eles acabam renovando a esperança de que tudo é possível, até mesmo o impossível” explica.

Remédio diferente

Na tarde dessa sexta-feira, as crianças não abandonaram o tratamento, não deixaram de cuidar da própria saúde e a vida.

Ganharam doses de solidariedade e generosidade, um ótimo remédio.

“Ações como essa fazem com que as crianças se sintam mais importantes e amadas, podendo recarregar as energias para continuarem a luta contra a doença”, resumiu Larissa Corrêa, da Liga de Combate ao Câncer, que no evento estava fantasiada de Mulher-Maravilha. Fonte:Sonoticiaboa.

Foto: divulgação

Mais de 53% dos Municípios pagarão o 13º em parcela única, indica estudo da CNM


Nova pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre o pagamento do 13º salário dos servidores municipais foi divulgada nesta segunda-feira, 11 de dezembro. Das 4.434 Prefeituras, que concederam informações, 53,7% sinalizaram pagamento em parcela única. Delas, 15,4% já haviam transferido os recursos até dia 8 de dezembro, e 75% devem cumprir com a demanda agora em dezembro.

Dos demais, 44,5% parcelaram o benefício dos trabalhadores e 1,8% não concedeu essas informações. Pelas regras vigentes, o 13º deve ser repassado até 20 deste mês. No caso dos Municípios que optaram pela remuneração em duas parcelas, 91,2% já pagaram a primeira prestação, uma vez que a data limite venceu em 30 de novembro, e apenas 1,9% deve atrasar o pagamento – o que representa 600 Prefeituras.

Em relação aos resultados dos anos anteriores, houve um pequeno aumento nos números de atrasos dos Municípios que farão o pagamento em parcela única e nos que fizeram o parcelamento, mas também não conseguiram pagar a primeira parcela dentro do prazo. Ainda assim, quando o assunto é o 1% adicional do FPM repassado no final do ano, 94% dos pesquisados confirmam que a verba cumpre com sua função, de auxiliar no fechamento das contas.

Estudos Técnicos“A economia pode estar melhorando, mas o retorno demora a impactar a arrecadação. Para os Municípios a crise neste fim de ano está muito violenta e, no início do ano que vem, teremos que lidar com duas situações muito difíceis: o cumprimento do piso para o magistério e o aumento do salário mínimo. Principalmente no Nordeste, esses dois componentes têm um impacto muito grande e vai aprofundar ainda mais a crise”, afirmou Ziulkoski.

Conforme mostra o estudo, os gestores locais estão priorizando a folha de pagamento. Pelo menos 94% dos Municípios estão com salário do funcionalismo em dia; e 79,9% confirmam o pagamento da folha de dezembro dentro do prazo. No entanto, dentre outras medidas adotadas, quase 50% têm postergado compromissos com fornecedores para garantir os salários.

Atitudes
Além disso, muitos foram obrigados a tomar atitudes impopulares, como por exemplo: a redução das despesas de custeio, promovida por 3.794 Prefeituras; a diminuição do quadro de funcionários, promovida por 2.582; e eliminação de cargos comissionados, adotada em 2.682. Para o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, o grande responsável por esse cenário é a distorção Pacto Federativo. “Se Prefeitura fosse empresa privada, mais da metade já estava extinta”, afirma.

De acordo com ele, apesar de ter crescido o número de Prefeituras que não vão cumprir o pagamento em dia, o balanço geral é positivo. “Diante da crise que enfrentamos nos Municípios, eu saúdo a competência dos prefeitos que estão conseguindo, a ferro e fogo, gerenciar os problemas”, destaca o líder municipalista. Amurc

Rendimento
São mais de seis milhões de trabalhadores empregados nas administrações municipais, com rendimento media em torno de R$ 3,3 mil. A pesquisa da CNM indica que 74,8% desses servidores são estatutários e 16% são contratados com base na Consolidação de Leis Trabalhistas (CLT), instituída pela Decreto-Lei 5.452/1943. O governo estima injeção de R$ 20,3 bilhões na economia, neste final de ano, com o pagamento da gratificação.

O levantamento também mostra outras informações importantes sobre a gestão municipais. Dentre elas: 60% dos Municípios pesquisados afirmaram estar com o limite de gasto com pessoal sob controle; 2.448 vão deixar Restos a Pagar (RAPs) para o próximo ano; e 1.231 Municípios afirmam ter obras paradas.

Ciro e Lula fizeram acordo para o segundo turno de 2018, diz colunista


 
A colunista do Estadão Andreza Matais publicou nesta segunda (11) que Ciro Gomes e Lula já fizeram um acordo: “quem passar para o segundo turno, apoia o outro”.
Segundo a jornalista, o acordo partiu do entendimento de que o PT não pretende apoiar Ciro já no primeiro turno, insistindo na candidatura de Lula até o final.
“O prazo a que Ciro Gomes (PDT) se impôs para viabilizar seu nome como candidato da esquerda na eleição de 2018 se esgotou há duas semanas. Depois de conversas com petistas, Ciro concluiu que não terá apoio do ex-presidente Lula. Interlocutores dos dois presidenciáveis dizem que estabeleceu-se um acordo: quem passar para o 2° turno apoia o outro”, escreveu.
“Na última Datafolha, o pedetista aparece em quinto lugar, com 6% das intenções de votos, contra 34% de Lula. No seu melhor cenário sem o petista, perde apenas para Jair Bolsonaro”, lembrou.
De acordo com Andreza, “Ciro começou a acelerar a montagem dos palanques regionais filiando novos nomes ao PDT. O mais recente foi o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que saiu do PV. Ciro está em busca de um nome no DF. Quer fortalecer sua campanha nos Estados.”
A jornalista ainda acrescentou que do lado do PT, além da definição sobre Lula, também já está certo que Luiz Marinho será mesmo o postulante ao governo de São Paulo. Fernando Haddad, que é o favorito de uma ala petista para o cargo, foi questionado sobre o assunto e não pensou duas vezes: disse que é Lula presidente e Marinho, governador.
A matéria não fala na possibilidade de ter outro candidato do PT, caso venha calhar de Lula não poder ser candidato, mas em outras matérias  vem cogitando que, num caso desses seria o Haddad, ex-prefeito de São Paulo, ou, também já se falou, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner. Mas a confiança e a vontade da maioria do povo, as pesquisas falam isso, é que seja o Lula.

Municípios recebem na sexta-feira mais de R$ 3,5 bilhões do primeiro decêndio do FPM


Procure sempre acompanhar quanto o seu município recebe por mês, para poder cobrar do gestor os benefícios para a população

Segundo a CNM, ( Confederação Nacional dos Municípios) Será creditado nesta sexta-feira, 8 de dezembro, nas contas das prefeituras brasileiras, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 1º decêndio deste mês. O montante será de R$ 2.807.005.606,28, já descontada a dedução do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, isto é, incluindo a dedução do Fundeb, o montante é de R$ 3.508.757.007,85.

De acordo com o levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) com base nos dados do FPM, o 1º decêndio de dezembro de 2017, quando comparado com o mesmo decêndio de 2016, apresenta aumento de 10,3% em termos nominais, ou seja, sem considerar os efeitos da inflação. Por sua vez, o valor real do repasse do 1º decêndio de dezembro em relação ao mesmo período de 2016 apresentou aumento de 7,92% levando em conta as consequências da inflação.

A CNM destaca também que o montante do FPM repassado ao longo de 2017 até o momento totaliza R$ 89,743 bilhões. Esse valor corresponde a um aumento de 8,57% em relação ao que foi transferido aos Municípios no mesmo período do ano anterior, sem considerar os efeitos da inflação. Nesse sentido, vale ressaltar que essa soma leva em consideração o repasse de 1% de julho e de dezembro. Os repasses extras equivalem, respectivamente, a R$ 3,999 bilhões e a R$ 3,876 bilhões repassados aos Municípios. O levantamento feito pela Confederação ainda ressalta que, considerando os efeitos da inflação, o Fundo acumulado em 2017 apresenta crescimento de 4,99% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Repasse emergencial

No mês de novembro, as cidades brasileiras conquistaram, durante a mobilização promovida pela CNM denominada Não Deixe os Municípios Afundarem, um aporte financeiro no valor de R$ 2 bilhões que será repassado ainda neste mês de dezembro.

Mesmo com esse recurso, a CNM lembra que o cenário ainda é de alerta e requer atenção dos gestores. A entidade entende ser necessário realizar um planejamento e reestruturação dos compromissos financeiros das prefeituras para que seja possível fechar as contas sem deixar Restos a Pagar (RAP).

Vale lembrar que um dos fatores que atrapalharam os gestores neste ano de 2017, principalmente no nordeste, foi os festejos juninos. Para isso, os prefeitos devem começar a guardar recurso antecipadamente para essa finalidade, para não cair no chamado desespero pós festas, pois aí não adianta mais chorar o leite que se foi, e quem vai terminar pagando a conta sempre é a população. Fonte CNM.

 

 

 

 

 

 

Pacientes conseguem reverter diabetes 2 com dieta líquida


Foto: Reprodução BBC

Um experimento, descrito por médicos britânicos como um divisor de águas, conseguiu reverter o diabetes tipo 2 em quase metade dos pacientes.

Eles passaram cinco meses à base de uma dieta de baixas calorias – composta de sopas e shakes – e perderam muito peso.

Para o Instituto Britânico Diabetes UK, que financiou a pesquisa, a descoberta representa um marco e tem potencial para ajudar milhões de pessoas.

A britânica Isobel Murray, de 65 anos, foi uma das 298 pacientes que passaram pelo experimento. Ela pesava 95 kg e perdeu 25 kg.

Os níveis de açúcar em seu sangue eram muito altos – toda vez que ela ia ao médico, sua medicação era aumentada.

Ela adotou uma dieta líquida por 17 semanas. Abriu mão de cozinhar e fazer compras e até comia separado de seu marido, Jim.

A dieta

Isobel tinha quatro refeições por dia.

Um sachê com um pó era misturado na água para fazer a sopa, ou shake.

Cada um deles, com cerca de 200 calorias com uma quantidade balanceada de nutrientes.

Consumindo quatro sachês, a britânica tinha uma dieta de cerca de 800 calorias por dia – uma pessoa adulta saudável precisa ingerir, em média, 2 mil calorias diárias.

Agora, ela não precisa mais de medicação para diabetes. “Recuperei minha vida”, diz.

Os cientistas ainda estão estudando quais são os efeitos desse tratamento no longo prazo.

Ela contou que seguir a dieta foi relativamente fácil, “já que você não precisa pensar no que vai comer”.

Assim que a paciente perdeu o peso necessário, nutricionistas entraram em cena para ajudá-la a introduzir refeições sólidas e saudáveis no cardápio.

“Eu não me vejo mais como diabética. Você precisa estar disposta e preparada, mas qualquer um pode fazer isso caso se sinta forte o suficiente.”

Resultados surpreendentes

Os resultados foram publicados na científica The Lancet e apresentados na Federação Internacional de Diabetes e mostraram que:

– 46% dos pacientes que começaram o experimento entraram em remissão um ano depois;

– 86% dos que perderam 15 kg ou mais entraram em remissão;

– Apenas 4% entraram em remissão com o melhor tratamento usado atualmente.

O segredo é a perda de peso

Roy Taylor, professor da Universidade de Newcastle, disse que o estudo “é um divisor de águas”.

“Antes de iniciarmos essa linha de pesquisa, médicos e especialistas viam o tipo 2 como irreversível. Mas se enfrentarmos o problema de frente e tirarmos as pessoas do nível de perigo, elas podem conseguir a remissão do diabetes.”

“É muito empolgante”, complementou o professor Mike Lean, da Universidade de Glasgow.

“Agora temos evidências claras de que a perda de 10 kg a 15 kg é o bastante para reverter a doença.

É importante ressaltar que os médicos não estão falando em cura.

Se o peso voltar, com ele virá também o diabetes.

Isobel diz que isso não ocorrerá com ela, que por enquanto manteve o peso perdido há dois anos.

O que a dieta faz

A acumulação de gordura corporal no pâncreas provoca o estresse das células beta no órgão, que controla os níveis de açúcar no sangue.

Elas param de produzir o hormônio insulina o suficiente, e isso provoca o aumento descontrolado dos níveis de açúcar.

Fazer dieta diminui a gordura, fazendo o pâncreas trabalhar direito de novo.

O experimento só usou pacientes diagnosticados nos últimos seis anos.

Acredita-se que ter diabetes 2 por um período longo de tempo pode causar um dano irreversível.

Um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes, e a maioria deles tem o tipo 2.

Níveis descontrolados de açúcar podem prejudicar o corpo, levando à falência de órgãos, cegueira e amputações.

“O tratamento tem o potencial de transformar as vidas de milhões de pessoas”, diz Elizabeth Robertson, diretora de pesquisa da Diabetes UK.

“O experimento está em andamento, para que possamos entender os efeitos a longo prazo de uma abordagem dessas.”

 

Com informações da BBC.

 

Após atacar Lula, Palocci tem delação travada pela Lava Jato. Em benefício de quem?


Ex-ministro havia prometido arrastar políticos com foro, nomes do mercado financeiro e empresas de comunicação para o olho do furacão. Mas Sergio Moro, os procuradores de Curitiba e a PGR demonstram desinteresse, restringindo as acusações de Palocci a Lula
Imagem relacionada
 Para se ver livre da prisão e ter penas reduzidas, Antonio Palocci pretendia delatar Lula e uma série de políticos, na intenção de fechar um acordo de delação premiada com a Lava Jato. Mas, na prática, o acordo está travado e as acusações do ex-ministro ficaram restritas a Lula, sendo Palocci um delator informal nas ações penais movidas pelos procuradores de Curitiba – ou seja, não precisa provar nada do que disse.
Na reportagem “Perdeu o bonde”, publicada pela revista Piauí nesta quinta (7), há a exposição de alguns motivos para que Palocci tenha tido sua delação travada. E há algumas dilemas, também:
– Se Palocci não tem como provar o que diz, seu depoimento contra Lula, na condição de réu e delator informal, não perde valor?
– Se a delação tem valor e for usada em novas condenações possivelmente impostas a Lula, por que a própria Lava Jato dificulta o acordo formal? Ou melhor: em benefício de quem?
DELATOR SEM PROVAS
Um dos motivos citados na matéria para a delação ter travado é curioso porque depõe contra a própria Lava Jato, e foi dito ao repórter por um membro da força-tarefa: Palocci, preso há um ano, dificulmente conseguiria produzir provas que corroborem o que diz que tem a entregar aos procuradores.
Por esse ângulo, é mesmo interessante que a Lava Jato de Curitiba mantenha Palocci no time de Léo Pinheiro e Renato Duque: os delatores informais que decidiram disparar contra Lula, na esperança de pelo menos cairem nas graças do juiz Sergio Moro no final do processo.
Piauí colheu depoimento do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa de Curitiba, que endossa essa tese. Disse ele que, na capital paranaense, a Lava Jato já está na “maturidade” e o que Palocci tem a dizer sobre políticos é problema da Procuradoria Geral da República. Trocando em miúdos: que bata em outra porta, o ex-ministro.
A DISTÂNCIA DE BRASÍLIA
O problema levantado pela reportagem é que, com a substituição de Rodrigo Janot por Raque Dodge, o acesso dos advogados de Palocci aos procuradores da República em Brasília passou a ser pífio. Antes, as conversas eram mais assíduas, tinha até grupo no WhatsApp. Agora, é burocrática, sem interlocução: é preciso ligar na secretaria, seguir os trâmites formais, para agendar um horário na PGR.
Um negociador de delações premiada disse à revista, em condição de anonimato: “Nos tempos do Janot, a PGR era um restaurante repleto de advogados propondo colaborações premiadas, com ‘garçons’ da PGR circulando de mesa em mesa, ouvindo os pedidos, cozinha a todo vapor. Agora, quase todos os assentos estão vazios, mas é difícil chamar a atenção de um atendente.”
DESINTERESSE EM CURITIBA
Ao final, a impressão que se tem a partir da leitura da reportagem é que alguém não quer que Palocci seja um delato formal. Não há interesse em ouvir o que o ex-ministro tem a falar sobre políticos com foro, nomes do mercado financeiro e empresas de comunicação.
Seria uma novidade se o juiz Sergio Moro já não tivesse desprezado a delação de Palocci em um de seus despachos. Ao condenar Palocci a 8 anos de prisão, Moro escreveu que a oferta de delação feita pelo ex-ministro soava mais como uma ameaça ou um pedido de socorro a algum poderoso do que uma “verdadeira” tentativa de colaborar com a justiça.
Desde então, os procuradores de Curitiba passaram a demonstrar desinteresse pelo que Palocci teria a dizer. Com informações do GGN.

Maior gerador de primeiro emprego do Brasil, McDonald’s foca ação em jovens


 

São Paulo, 4 de dezembro – Um dos principais empregadores de jovens do País e maior gerador do primeiro emprego em território nacional, o McDonald´s apresentou hoje (4/12) pesquisa inédita sobre como pensam e sentem os “millennials” em relação ao mercado de trabalho e ao futuro. “Nossa experiência como empregadora já nos deu diversos aprendizados, mas é fundamental refletir sobre o sistema de educação das novas gerações, o mercado de trabalho e o perfil deles como consumidores”, afirmou Paulo Camargo, Presidente da Divisão Brasil da Arcos Dorados, operadora da marca McDonald’s na América Latina, na abertura do “1º Fórum Acreditamos nos Jovens”, no auditório do MUBE, em São Paulo. “Nosso negócio vai além de vender muitos Big Mac. Somos uma marca de pessoas. De muita gente que serve muita gente”, adicionou o executivo.

A empresa tem forte relação com o público jovem, tanto na frente quanto atrás do balcão. Com seus 2,5 mil pontos de venda distribuídos pelo Brasil, atualmente, mais de 90% do quadro de funcionários, o equivalente a 40 mil pessoas, tem entre 16 e 25 anos. Metade deles está em sua primeira experiência profissional. Por isso, explicou Camargo, o McDonald´s tem se preocupado em conhecer melhor o papel da juventude na sociedade atual. A pesquisa foi feita com 1,8 mil pessoas em cinco países (Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e Peru) e avaliou a mentalidade, as inquietudes e as aspirações desse relevante grupo social.

O seminário também marcou o lançamento de uma grande campanha publicitária que será colocada no ar nos próximos dias sobre a crença da empresa na juventude. “Afinal, nossos restaurantes – que são unidades de negócio que faturam milhões e empregam dezenas de pessoas – são administrados por esses jovens. E eles o fazem muito bem”, disse Camargo. Diariamente, dois milhões de clientes frequentam as lojas da rede.

A pesquisa “Acreditamos nos jovens”, produzida a pedido da Arcos Dorados, mostra que os jovens brasileiros são otimistas, confiam em si, nas suas capacidades e nos seus talentos, mas demandam uma maior confiança da sociedade. Enquanto oito em cada dez jovens confiam em seus próprios talentos e habilidades, apenas um terço considera que a sociedade acredita na sua geração. Eles próprios, em sua maioria, tampouco acreditam que a sociedade e o mercado irão ajudá-los a superar essa percepção negativa. Só 16% deles, conforme o levantamento, confia, parcial ou totalmente no apoio social.

“Os jovens brasileiros esperam que a sociedade confie mais neles neste momento e não em um futuro distante. Eles querem se sentir inseridos e saber que pertencem a algo maior”, disse Ilton Teitelbaum, professor-adjunto da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e coordenador do estudo. “Confiar, para esse jovem, envolve uma via de duas mãos: exige-se alguma coisa, mas, também, se entrega alguma coisa. Ele entrega desempenho, mas quer acreditar na causa que está por trás disso”, analisou.

De um modo geral, o estudo mostra que a autoconfiança do jovem brasileiro está mais abalada do que nos outros quatro países latino-americanos pesquisados. O Brasil passou por uma das piores crises de sua história e a situação difícil está impactando na confiança da geração dos “millennials”. “Em busca do primeiro emprego, eles encontram mais portas fechadas do que abertas”, afirmou Teitelbaum.

Enquanto 77% dos jovens brasileiros declaram ter confiança em si próprios, nos outros países da América Latina, esse índice chega a 82%. Argentinos, chilenos, colombianos e peruanos também parecem olhar para o porvir com melhores olhos que os brasileiros. No Brasil, de cada dez jovens, sete estão bastante ou totalmente otimistas em relação ao futuro. Nos outros países essa relação é de dez para oito.

Cerca de 21 milhões de jovens estão desempregados na América Latina e o índice de desemprego entre jovens chega a ser três vezes maior do que o verificado entre adultos em alguns países, como México e Colômbia. A educação está fora do alcance de 69% deles. Os dados foram apresentados por Lyana Latorre, diretora sênior de Responsabilidade Social Corporativa da Arcos Dorados.

Enquanto o índice de desemprego geral no Brasil está em torno de 12%, na população jovem esse porcentual supera 25% da população em idade ativa. Portanto, um em cada quatro jovens não encontra espaço no mercado de trabalho. O problema é dramático e, segundo o professor Hélio Zylberstajn, da Faculdade de Economia e Administração da USP, além de ser um reflexo da crise econômica, está associado a uma deficiência específica da política educacional brasileira, que valoriza o ensino acadêmico em vez do ensino profissionalizante.

“Não se cuida dessa transição da escola para o trabalho no Brasil”, disse Zylberstajn ao participar do painel “O jovem no mercado de trabalho”, durante o “1º Fórum Acreditamos nos Jovens”. “Precisamos construir pontes para que os estudantes do Ensino Médio entrem no mercado.” Segundo ele, a escola viabiliza a formação básica, mas não permite ao jovem descobrir suas aptidões e encaminhá-lo para a nova vida profissional.

A grande dificuldade é preparar os jovens, para as necessidades do mercado, que está cada vez mais exigente, de acordo com Sofia Esteves, presidente do Conselho do Grupo Cia de Talentos, um dos maiores recrutadores do País, e que também participou do painel. Ela destacou ser importante que esses novos profissionais desenvolvam autoconhecimento, autoestima e descubram seus próprios talentos. “A gente tem que ajudar a empoderar esse jovem porque isso vai dar retorno”, afirma. “Alguém precisa dizer para os jovens que eles são capazes e que participam de algo importante.”

Ao identificar as principais barreiras que encontram na hora de procurar emprego, 77% dos jovens apontam para a falta de uma experiência anterior, 69% para a falta de oportunidades, 68% para a falta de confiança na sua geração e 58% para a dificuldade de transição do ensino médio para o mercado.

A geração “Nem, nem” e a via de mão dupla da relação intergeracional

Os millenials são conhecidos como a geração ‘Nem, nem’: que nem trabalha, nem estuda. Mas, a verdade é que boa parte desse desinteresse se deve a uma autoestima extremamente baixa, segundo a gerente de Empregabilidade da Kroton, Camilla Schahin. Na opinião de Camilla, que atua na formação de 300 mil alunos por ano e participou do painel Uma Educação Relevante para o Jovem, parte dos problemas desses jovens está diretamente relacionada ao momento socioeconômico do Brasil e à falta de histórias de sucesso dessa geração.

“A confiança é uma via de mão dupla e se não fizermos nada agora para ajustar essa relação, corremos o risco de perder uma geração inteira”, alerta Guilherme Oliveira, líder de Juventude do Coletivo Jovem, organização desenvolvida pelo Instituto Coca-Cola e que atua em favelas de todo o País preparando 40 mil jovens por ano para o mercado de trabalho.

Por conta dessa melhoria da relação de confiança, o McDonald’s reduziu, nos últimos dois anos, a rotatividade de seu pessoal de 180% para 70%, que é a média do setor de varejo brasileiro, como resultado de expansão dos investimentos em desenvolvimento humano dentro da organização. “Passamos a oferecer conteúdo diferente de treinamento para esse jovem, com foco em formar seu lado pessoal e ter orgulho da nossa contribuição para esse jovem”, afirmou Marcelo Nóbrega, diretor de Recursos Humanos na Divisão Brasil da Arcos Dorados, operadora do McDonald’s na América Latina. “Isso gerou resultados concretos.”

Nóbrega explicou que, como maior gerador do primeiro emprego no País, o McDonald’s sempre teve a compreensão que, por questão de imaturidade, objetivos de curtíssimo prazo ou até mesmo por ter outras pretensões profissionais, muitos jovens optam por deixar rapidamente o primeiro emprego. “Muitas vezes, a ambição desse jovem é de usar um salário para comprar um tênis, uma roupa nova e ele deixava a empresa sem ter muita clareza das oportunidades que estava abrindo mão. Isso nunca foi um problema, pois, tínhamos clareza de que, nessa fase da vida, o jovem acaba sendo um pouco volátil mesmo”, argumentou.

Por entender o perfil da população mais jovem, a empresa passou a oferecer cursos de capacitação para seus atendentes, o nível onde a rotatividade era maior. Fechou, por exemplo, uma parceria com o Instituto de Oportunidade Social (IOS) para oferecer cursos de informática e também disponibilizou outras alternativas, como em gastronomia e empreendedorismo, com cursos presenciais e via plataforma digital. “O foco nunca foi a retenção de pessoas, mas qualificar esse jovem, mostrar que a experiência do McDonald’s poderia apoiá-lo em toda sua trilha, na sua carreira profissional. Tivemos avanços incríveis em pouco tempo”, relatou. “Agora, a gente está enriquecendo essa experiência de entrada do jovem no mercado de trabalho e está deixando essa vivência ainda mais forte.” finaliza.