METALÚRGICOS DO ABC APROVAM GREVE GERAL CONTRA REFORMA DE BOLSONARO


Error, no Ad ID set! Check your syntax!

BOLSONARO DIZ QUE OUVE QUALQUER MINISTRO, ‘ATÉ A DAMARES’


Ao falar que não toma decisões sozinho, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que sempre procura ouvir seus ministros de cada área. “Até a Damares”, disse o presidente. “Qualquer decisão minha, eu ouço qualquer ministro da área. Não tomo sozinho, até porque eu posso errar. Tem que ter responsabilidade, é obvio. Até a Damares, por exemplo, que podem achar que é uma ministra com importância não muito grande, mas tem importância”, disse Bolsonaro, em transmissão pelas redes sociais

O presidente Jair Bolsonaro demonstrou sua consideração com a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, nessa quinta-feira, 21, durante transmissão ao vivo do Chile pelas redes sociais.

Ao falar que não toma decisões sozinho, Bolsonaro afirmou que sempre procura ouvir seus ministros de cada área. “Até a Damares”, disse o presidente. “Qualquer decisão minha, eu ouço qualquer ministro da área. Não tomo sozinho, até porque eu posso errar. Tem que ter responsabilidade, é obvio. Até a Damares, por exemplo, que podem achar que é uma ministra com importância não muito grande, mas tem importância”, disse Bolsonaro.

“A Damares é uma ministra que trata da questão da família, direitos humanos, eu converso muito com ela. Está fazendo um trabalho excepcional no seu ministério. Com o Wagner Rosário (Transparência), a mesma coisa. (Também) com o ministro da Infraestrutura, com o ministro da Defesa. Nosso trabalho é esse. Conversar e chegar à conclusão do que pode ser feito. Tudo que esse governo poderá fazer será feito.” 247.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, texto e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa

A imagem pode conter: comida

Decisão do PDT contra a reforma da Previdência é contestada por deputados do partido


Resultado de imagem para foto pdt

Integrantes da bancada do PDT na Câmara decidiram reagir à decisão do partido de fechar questão contra a reforma da Previdência. O grupo capitaneado por Mauro Benevides (CE) e Tabata Amaral (SP) defende que os deputados passem um pente-fino no projeto do governo Jair Bolsonaro (PSL) e apresentem uma contraproposta.

O tema foi discutido em reunião da bancada na terça (19) e ao menos metade dos 28 deputados concordaram com a tese. A ideia é aproveitar o tempo de tramitação do texto na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara para elaborar uma versão que o PDT aprovaria.

““Para muitos é mais fácil votar contra, mas neste momento temos que ter coragem para lidar com a reforma da Previdência””, diz Tabata

A imagem pode conter: 1 pessoa

Nenhuma descrição de foto disponível.

Manifestações em todo o país em defesa da aposentadoria


De acordo a matéria do Blog do Esmael, as centrais sindicais CTB, Força Sindical, CUT, Nova Central, CSB, CSP-Conlutas, CGTB e Intersindical estão realizando nesta sexta-feira (22) manifestações em cerca de 130 cidades por todo o País, em defesa da aposentadoria dos trabalhadores.

O pontapé inicial da jornada de luta em defesa da Previdência e das aposentadorias públicas, que deverá acompanhar a tramitação do projeto de reforma enviado por Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional e culminar numa greve geral.

“Estamos construindo o caminho nesta direção”, declarou o presidente da CTB, Adilson Araújo.

“Vamos trabalhar sem descanso nos próximos dias e meses para impor uma derrota ao governo de extrema direita nesta grande batalha que é vital não só para o Palácio do Planalto, que faz o jogo dos EUA e dos banqueiros, mas também e sobretudo para a classe trabalhadora brasileira, que tem muito a perder com a eventual aprovação da PEC 06/2019”. Disse o sindicalista.

Para Miguel Torres, presidente da Força Sindical “a luta é por uma Previdência Social pública, universal e sem privilégios”.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

A imagem pode conter: comida e texto

A imagem pode conter: carro e texto

No Chile, Eduardo Bolsonaro diz que “uso da força” será necessário na Venezuela e espalha fake news


O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que está acompanhando o pai Jair na viagem ao Chile, continua espalhando fake news.

Agora em nível internacional.

Entrevistado nesta manhã no programa LT ao Vivo, da versão digital do diário La Tercera, de Santiago, foi indagado por um dos apresentadores sobre se o escândalo envolvendo seu irmão mais velho, Flávio, com as maracutaias do ex-motorista e assessor Fabricio Queiroz, bem como a demissão do ex-ministro Gustavo Bebianno, por conta do laranjal do PSL, não eram uma prova de que a corrupção continuava permeando a política brasileira.

Num portunhol fluente, o Zero 2 não titubeou em reproduzir as mentiras espalhadas pelo site de extrema direita Terça Livre, que atribuiu à repórter Constança Rezende, do Estadão, a declaração de que sua intenção ao escrever reportagens sobre o esquema de apropriação dos salários de funcionários do gabinete do irmão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, era arruinar Flávio Bolsonaro e o governo.

“São casos muito diferentes. Cada um com a sua peculiaridade. Por exemplo, no caso de meu irmão Flávio, estou muito tranquilo”, disse.

“Na realidade, nesta semana, a jornalista que tornou público o caso de Flávio, numa conversa com outro jornalista francês disse que sua motivação era meramente política. Que sabia que não ia acontecer nada, porém, para atingir o presidente Jair Bolsonaro estava fazendo o máximo contra Flávio.”

Na mesma entrevista, Eduardo, que acompanha o pai na reunião de cúpula com os presidentes do Chile, Argentina, Colômbia, Paraguai, Peru, Equador para a criação do Prosul, pontificou sobre a Venezuela na sua condição de chanceler ad hoc do Brasil.

Para ele, todas as formas de pressão deverão ser utilizadas.

“Ninguém quer uma guerra, a guerra é ruim, haverá vidas perdidas e consequências colaterais, mas Maduro não vai sair do poder de maneira pacífica”, falou.

“De alguma maneira, vai ser necessário o uso da força, porque Maduro é um criminoso”. Fonte DCM.

 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, texto

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: comida

Nota do PT sobre a prisão de Michel Temer e Moreira Franco


Resultado de imagem para foto to PT

De acordo ao O cafezinho, o Partido dos Trabalhadores espera que as prisões de Michel Temer e de Moreira Franco, entre outros, tenham sido decretadas com base em fatos consistentes, respeitando o processo legal, e não apenas por especulações e delações sem provas, como ocorreu no processo do ex-presidente Lula e em ações contra dirigentes do PT.

Temer assumiu a Presidência em um golpe deplorável. Sua agenda no governo levou ao aumento da desigualdade e da miséria, no entanto é somente dentro da lei que se poderá fazer a verdadeira Justiça e punir quem cometeu crimes contra a população. Caso contrário, estaremos diante de mais um dos espetáculos pirotécnicos que a Lava Jato pratica sistematicamente, com objetivos políticos e seletivos.

O que fica evidente é que, cumpridos os objetivos do golpe do impeachment de 2016 e da proibição ilegal a Lula de concorrer as eleições de 2018, seus principais artífices estão sendo descartados pelos que realmente movimentaram os cordéis: o sistema financeiro, os representantes dos interesses estrangeiros no país, com o apoio da mídia conservadora. Isso vale para a própria Lava Jato e seu comandante, Sérgio Moro, que travam hoje uma encarniçada luta pelo poder contra o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e a cúpula da Procuradoria-Geral da República.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT
Humberto Costa, líder do PT no Senado
Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara

Lama de Brumadinho chegou à Bacia do São Francisco, diz SOS Mata Atlântica


Agência Nacional de Águas contesta resultado da análise feita pela fundação

[Lama de Brumadinho chegou à Bacia do São Francisco, diz SOS Mata Atlântica]
Foto : Reprodução / TV Globo

Por Juliana Rodrigues

Um relatório divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica aponta que a lama da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho (MG) chegou à Bacia do Rio São Francisco. O documento foi publicado hoje (22), Dia Mundial da Água, segundo informações do blog do jornalista André Trigueiro, no G1.

Entre os dias 8 e 14 de março, a equipe da SOS Mata Atlântica realizou novas coletas de água no rio Paraopeba até o Alto São Francisco, sendo que 9 dessas coletas aconteceram dentro do Reservatório de Três Marias. O resultado aponta concentrações de ferro, manganês, cromo e cobre acima dos limites máximos permitidos na legislação.

A Agência Nacional de Águas nega a chegada da lama ao reservatório de Três Marias. Segundo o órgão, os rejeitos da barragem da Vale ainda não chegaram à Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo, que fica a 29 km de Três Marias.

Bolsonaro no Chile é como o cangambá, animal fedido de que todos querem distância. Por Joaquim de Carvalho


Se Jair Bolsonaro fosse um animal, ele poderia muito bem ser o Cangambá — um parente distante dos furões, da lontra e da irara –, de que todos querem distância, por exalar mau cheiro.

Convive com ele apenas quem tem interesse no cargo que ocupa, salvo os milicianos ou simpatizantes, estes unidos por laços de indiscutível afinidade.

No Chile para a reunião de fundação da ProSul, a instituição de direita que substituirá a Unasul,  Bolsonaro tem sido rejeitado até por quem, protocolarmente, deveria recebê-lo.

É o caso do presidente do Senado, Jaime Quintana Leal.

O senador recusou convite para um almoço que será oferecido ao presidente do Brasil amanhã. “Os admiradores de Pinochet não são bem vindos no Chile”, disse.

Quintana Leal não é nenhum político extremista. Ele pertence ao Partido pela Democracia, que se define como centro-esquerda.

Nesta semana, o senador se encontrou com o direitista Ivan Duque, presidente da Colômbia, que também está em Santiago para a instalação da ProSul.

“Dividimos a mesa, em um clima muito civilizado. Mas nunca escutei de Duque expressões que atacam os pilares centrais da democracia, os valores essenciais de direitos humanos”, afirmou.

Sobre Bolsonaro, a lista de restrições é longa.

“Não tem a ver com o cargo da Presidência, mas com a pessoa de Jair Bolsonaro e suas declarações homofóbicas, misóginas e em relação à tortura. Participar de uma atividade de homenagem a ele (Bolsonaro) atingiria muitas pessoas de nosso país que se sentem prejudicadas por suas declarações”, disse.

Quintana destacou que Bolsonaro representa ameaça à humanidade. “À medida que sigamos endossando lideranças que começam com discursos populistas, mas terminam consolidando regimes totalitários, a ameaça não é só para um país. Termina sendo uma ameaça para a humanidade. Isso aconteceu na Europa dos anos 1930.”

A deputada Carmen Hertz, do Partido Comunista, foi na mesma linha, porém mais incisiva, e deu nome à ameaça dos anos 30. “Juntar-se hoje com Bolsonaro é como juntar-se a Hitler de 1936”.

Uau!

O presidente do Chile, Sebastian Piñera, que é de direita, se viu em uma saia justa. E ele tentou se justificar. Disse que a recepção a Bolsonaro estava relacionada à importância do Brasil.

“Sei que ocorreram algumas críticas no nosso país. Mas cada país tem direito a escolher seus governos”, afirmou, e fez questão de frisar que o governo dele, Piñera, entretanto, mantém o “forte compromisso na defesa de direitos humanos”.

Delimitou as diferenças.

Depois de Bolsonaro envergonhar o Brasil, com sua postura de lambe-botas de Donald Trump nos Estados Unidos, ele agora espalha seu rastro de ódio pelo Chile.

Uma pessoa assim é nociva para os negócios do Brasil. Viagens internacionais são oportunidades de abertura ou ampliação de novos negócios.

Uma das formas de atrair o interesse estrangeiro por oportunidades no Brasil é a exposição de idéias e propostas através do contato com a imprensa.

Que jornalistas deixaria de fazer as perguntas sobre a controvertida biografia de Bolsonaro caso tivesse a oportunidade de entrevistá-lo?

A CNN do Chile, em uma reportagem recente que fez sobre Bolsonaro, o associou ao assassinato de Marielle Franco.

Enfim, Bolsonaro é uma notícia negativa em si. Sua simples presença não atrai simpatia e, em consequência, afugenta negócios.

Se ele fosse CEO de uma empresa, já teria sido demitido, pela incapacidade de agregar imagem positiva a qualquer negócio que seja lícito. Matéria na íntegra do DCM.

Após visita, juiz reforça inocência de Lula e agradece: “Trabalhou contra corrupção”


Nesta quinta (21), uma comissão de 12 juízes federais, estaduais, do trabalho e desembargadores estiveram em Curitiba (PR) para manifestar solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Pela manhã, integrantes da comissão fizeram uma roda de conversa sobre a conjuntura do Poder Judiciário. O debate ocorreu na Vigília Lula Livre, que se mantém em frente à superintendência da Polícia Federal (PF) desde o dia 7 de abril de 2018, quando Lula foi preso. À tarde, representando a comissão, Edevaldo de Medeiros, juiz federal titular da 1ª Vara Federal de Itapeva (SP), esteve com Lula por uma hora.

“Tem um gigante ali dentro. Tem um homem muito forte e corajoso. O presidente Lula está com excelente saúde. Ele é um leão”, comparou, em conversa com militantes após a visita. “Ele não aceita outra decisão do Poder Judiciário que não seja sua absolvição”.

Em entrevista ao Brasil de Fato, Medeiros falou sobre o caráter político da operação Lava Jato desde que foi deflagrada, em 2014, analisou o papel do ex-juiz Sérgio Moro nesse processo e fez uma defesa da função do Supremo Tribunal Federal (STF) como “guardião da Constituição” na atual conjuntura.

Confira os melhores momentos da conversa:

Brasil de Fato: O senhor visitou o ex-presidente Lula nesta quinta (21) representando 12 juízes. Que recado essa comissão levou ao ex-presidente?

Edevaldo de Medeiros: Nós somos uma comissão de juízes representando a Associação Brasileira de Juristas para a Democracia (ABJD). São todas pessoas que gostam muito do presidente Lula, têm muito afeto, gratidão por ele, por várias razões. Nós queremos nos solidarizar com ele, humanamente, porque a gente sabe que ele está sofrendo muito.

Eu, particularmente, tenho gratidão muito grande pelo trabalho que ele fez contra a corrupção no Brasil. A Polícia Federal nunca foi tão forte quanto foi quando ele era presidente, Ele prestigiou o Ministério Público como nenhum presidente antes dele tinha feito. Ele nomeou sempre para o cargo de procurador-geral da República o escolhido em primeiro lugar na votação da ANPR [Associação Nacional dos Procuradores da República], e isso é um grande prestígio, na minha opinião, para o Ministério Público.

Lula criou 230 varas federais no Brasil inteiro, e isso reflete diretamente no acesso à Justiça. São muitas varas, e isso também facilitou o combate à corrupção. Então, nesse sentido que a gente vem oferecer nosso abraço ao presidente Lula, de amor mesmo, e de gratidão.

O Lula foi preso no âmbito da Lava Jato. A operação tem início em 2014, ano de eleições presidenciais; em 2016, ano em que a presidenta Dilma Rousseff foi deposta, a Lava Jato tem recorde de etapas (16 fases ao longo do ano); já em 2018, o líder nas pesquisas eleitorais para Presidência da República é preso. É possível dizer que a Operação Lava Jato tinha um objetivo político desde o início?

Olha, eu tenho muita reticência com relação a essas investigações que a polícia dá nome e chama de “operações”, sejam elas quais forem.

O Código de Processo Penal não trabalha com essa entidade midiática chamada operação. Ele trabalha com investigação, e essa é a linguagem jurídica. A investigação é feita dentro de um processo penal e depois se torna um processo criminal.

Essas operações, que recebem os mais variados nomes lá dentro da polícia, têm um caráter midiático, de propaganda da Polícia Federal. É uma entidade fictícia, mas que provoca uma reação no povo, e esse parece ser o interesse.

Eu não simpatizo com isso, e nas minhas decisões nunca faço referência a esses nomes que a polícia dá. Eu faço referência ao número do inquérito, do processo.

Essa operação, chamada Lava Jato, tem inspiração na operação Mãos Limpas, da Itália. É fora de dúvida que a operação Mãos Limpas interferiu no processo político italiano, e mesmo lá não deu certo.

A Itália não é um exemplo de Estado Democrático de Direito, mas sim, é um país muito corrupto. A crítica que eu sempre fiz a esse tipo de procedimento, de copiar uma coisa de outros países, é que tem que copiar coisa que dá certo. A gente tem que copiar o que se trabalha em matéria de Direito Penal e de Processo Penal nos países que têm baixa população carcerária, onde há menos corrupção.

Agora, a antevisão de que ela teria esse viés político, eu acho que era possível diante do que aconteceu na Itália. Parece também que isso acabou se confirmando com a saída do juiz Sérgio Moro, que se torna ministro [da Justiça] do candidato que se beneficiou, vamos dizer assim, desse estado de coisas.

Como o senhor avalia a atuação de Moro enquanto juiz da operação Lava Jato e, agora, como Ministro do governo Bolsonaro?

Eu não vou fazer uma crítica direta à atuação profissional do ex-juiz, porque poderia ser uma falta de ética da minha parte. Mas vou falar de um modo genérico. A questão da idolatria que se formou em torno dele, da imagem que ele produziu de “pop-star”, eu não sou a favor. Na democracia, o que tem que brilhar são as instituições, e têm que brilhar por cumprir a lei. A sociedade brasileira é tão carente que acaba se apegando ao juiz e ao juiz combatente.

A figura do juiz combatente é contrária à Constituição, porque juiz não tem que combater a criminalidade. Quem tem que combater a criminalidade é a polícia e o Ministério Público. O juiz tem que julgar.

Quando um juiz toma a frente de uma investigação, ou se ele parece ser um juiz punitivista, ele perde a essência da magistratura, que é a imparcialidade.

Eu não estou dizendo que o juiz tenha sido parcial, o que eu estou dizendo é que as pessoas esperavam isso dele, que ele fosse imparcial.

Agora, o que ficou muito chato e pôs mesmo em dúvida a atividade dele enquanto juiz foi o fato de ele ter saído e se tornado ministro do candidato que ganhou a eleição. E ter combinado isso, inclusive, enquanto era juiz. E ter prendido um ex-presidente da República que tinha plenas condições de ganhar as eleições no primeiro turno. Então, eu acho que essa dúvida que se manifesta é uma dúvida extremamente relevante.

São autoridades internacionais e nacionais, escritores respeitados de Direito Penal e Processo Penal que põem em dúvida a atividade do juiz. O Brasil tem que se acautelar desse tipo de coisa, inclusive, do “juiz-estrela”. Eu costumo dizer o seguinte: a gente não vive em Gotham City, e juiz não é Batman. Juiz tem o papel de julgar com imparcialidade.

Enquanto ministro, Moro nomeou e revogou a nomeação de Ilona Szabó para suplência no Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária [CNPCP]; propôs o chamado pacote anticrime e criou um atrito com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), por pressioná-lo a pautar a votação do pacote. O senhor entende que ele tem demonstrado dificuldade em exercer essa função política dentro do governo?

Eu acho que ele é um pouco imaturo ainda, não sabe muito bem lidar com os políticos. Então, eu acho que ele está tendo as dificuldades próprias de um iniciante, porque na política as coisas não são tão simples. Na política tem que saber pedir, tem que saber negociar, e talvez faltem a ele alguns atributos para ser um bom político.

Mas você tocou num assunto que é muito interessante, que é esse pacote “anticrime”. Isso não é anticrime: é anticonstituição, porque viola diversos direitos fundamentais, visa dar à polícia uma carta branca para cometer homicídios.

A polícia brasileira é a que mais mata e a que mais morre no mundo, infelizmente. E assim é por conta do modelo que nós temos de exclusão social. Querer combater isso legitimando homicídios praticados pela polícia é uma coisa absurda, é uma coisa própria de regimes autoritários e não de Estado democrático de direito. Isso não tem nada a ver com democracia.

Eu espero que esse projeto anticonstituição não seja aprovado, sequer seja pautado para votação, porque isso é uma afronta à sociedade civilizada.

Na roda de conversa na Vigília Lula Livre, o senhor falou em defesa do Supremo Tribunal Federal [STF] e do Supremo Tribunal de Justiça [STJ]. No atual momento de descrédito das instituições brasileiras, o senhor acredita que deve ser uma pauta dos movimentos populares a defesa dessas instituições?

Eu pertenço ao Poder Judiciário e eu tenho a obrigação de defendê-lo. A instituição pode, eventualmente, fazer coisas com as quais eu não concordo, mas é minha obrigação lutar pelo direito, lutar pela instituição e protegê-la.

O STF é um fundamento da República, é o guardião da nossa Constituição. Não existe sociedade civilizada no mundo, não existe estado democrático de direito sem uma corte constitucional, sem um Supremo Tribunal Federal.

Podemos sempre criticar as instituições. Aliás, devemos criticar, porque é próprio da democracia. Mas a gente não pode falar de fechar o STF, falar de “cabo e soldado” para fechar o STF… o que é isso?

Essa gente não tem apreço pela República, não tem apreço pela democracia. E eu insisto: nós temos excelentes quadros no STF e no STJ, excelentes ministros, muito experientes, autoridades renomadas que são respeitadíssimas inclusive fora do Brasil.

Essa gente está achincalhando para poder obrigar o Poder Judiciário a fazer o que eles querem, que é interferir politicamente dentro do Judiciário, e isso é inaceitável.

Os juízes têm que se unir, porque nenhuma pessoa pode ser julgada corretamente, adequadamente, senão por uma corte imparcial, um tribunal imparcial e que não está sob pressão.

Não existe possibilidade de um julgamento livre de vício se você tem juízes amedrontados ou juízes ofendidos, escrachados pela mídia. A gente não pode aceitar que isso ocorra no Brasil, e eu repudio isso com absoluta veemência.

Do Brasil de Fato

RODRIGO MAIA AVISA GUEDES QUE ESTÁ FORA DA ARTICULAÇÃO PARA REFORMA DA PREVIDÊNCIA


De acordo a matéria do DCM, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avisou ontem ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que deixará a articulação política pela reforma da Previdência.

Maia tomou a decisão após ler mais um post do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), com fortes críticas a ele. Irritado, o deputado telefonou para Guedes e disse que, se é para ser atacado nas redes sociais por filhos e aliados de Bolsonaro, o governo não precisa de sua ajuda.

A ligação do presidente da Câmara para o titular da Economia foi presenciada por líderes de partidos do Centrão. Maia está irritado com a ofensiva contra ele nas redes, com a falta de articulação do Palácio do Planalto e com a tentativa do ministro da Justiça, Sergio Moro, de ganhar mais protagonismo na tramitação do pacote anticrime.

“Eu estou aqui para ajudar, mas o governo não quer ajuda”, disse o presidente da Câmara, segundo deputados que estavam ao seu lado no momento do telefonema. “Eu sou a boa política, e não a velha política. Mas se acham que sou a velha, estou fora.”

Carlos Bolsonaro, o filho “zero dois” do presidente, compartilhou nas redes a resposta de Moro à decisão de Maia de não dar prioridade agora ao projeto que prevê medidas para combater o crime organizado e a corrupção. “Há algo bem errado que não está certo!”, escreveu Carlos no Twitter.

O texto acompanhava nota de Moro, divulgada na noite de quarta-feira, rebatendo ataques de Maia à sua insistência em apressar a tramitação do pacote. “Talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo brasileiro não aguenta mais”, afirmou Moro. Além disso, no Instagram, Carlos lançou uma dúvida: “Por que o presidente da Câmara está tão nervoso?”.

(…)

Manifestantes fazem caminhada contra Reforma da Previdência em Salvador


O protesto, organizado por centrais sindicais, faz parte da agenda nacional de manifestações contra a reforma, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL)

[Manifestantes fazem caminhada contra Reforma da Previdência em Salvador]
Foto : Divulgação/CUT

Por Matheus Simoni

Os manifestantes que se reuniram hoje (22) pela manhã na Rótula do Abacaxi, em Salvador, iniciaram o protesto contra a tramitação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional. A manifestação se concentrou a partir das 9h e teve início cerca de uma hora depois. O protesto, organizado por centrais sindicais, faz parte da agenda nacional de manifestações contra a reforma, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Participam do protesto diversas categorias, como trabalhadores do pólo petroquímico e parte dos rodoviários. A categoria também participa da manifestação, mas não adotou posicionamento referente a algum tipo de greve no município. A expectativa é de que os manifestantes sigam em caminhada até a Avenida Antônio Carlos Magalhães (ACM).

Segundo o diretório baiano da Central Única dos Trabalhadores (CUT), também há protestos marcados para as cidades de Camaçari; Itabuna; Juazeiro; Barreiras; Santo Antônio de Jesus; Feira de Santana; Jacobina; Teixeira de Freitas; cidades do Cidades do Extremo Sul e Baixo Sul da Bahia.

Estrela do Country nos EUA morre após atirar em si mesmo por engano


Estrela do Country em ascensão nos EUA, cantor de 35 anos morre ao atirar em si mesmo por engano gravando clipe com arma de fogo

justin carter morre country eua
Justin Carter (reprodução)

A imprensa dos Estados Unidos noticiou nesta quinta-feira (21) a trágica morte do cantor Justin Carter. Considerado uma estrela da música Country em ascensão, o artista de 35 anos atirou em si mesmo acidentalmente.

Cindy McClellan, mãe de Carter, disse que ele estava gravando um novo clipe em Houston, no Texas, quando tirou uma arma de seu bolso e “atirou em seu olho”. A arma estava sendo usada no vídeo. As informações são da Fox News.

“Ele era uma pessoa maravilhosa, muito amoroso e amava muito nosso Deus”, disse McClellan. “Ele tinha uma Bíblia em seu quarto e outra em seu caminhão”, acrescentou a mãe do cantor, dando ênfase à religiosidade do filho.

De acordo com McClellan, seu filho estava prestes a embarcar em uma turnê por 10 estados nos EUA depois de fechar recentemente um acordo com a produtora ‘Triple Threat Management’.

“Ele simplesmente amava a música, era muito talentoso e, por Deus, sua voz era espetacular”, disse McClellan, acrescentando que Carter queria alcançar sucesso na música para “cuidar da sua família”.

Nas redes sociais, a morte prematura do músico repercute, com alguns internautas levantando suspeitas sobre o que teria realmente acontecido.

“Eu não conhecia esse cantor, mas minha pergunta é: por que alguém usaria uma arma de fogo para gravar um vídeo? Ou por que eles não checaram a arma antes de filmar o vídeo? Como isso aconteceu? Por que não usou uma arma falsa para fazer isso? Afinal, era apenas um vídeo! Acidentalmente? Para mim, parece suspeito. Descanse em paz”, escreveu um usuário.

De acordo com a página de Carter no Facebook, ele nasceu e foi criado no Texas. Um dos empresários do cantor disse que Justin Carter “tinha muito potencial para ser um próximo Garth Brooks”, citando a maior estrela do estilo.

“Por favor, mantenha a família de Justin em suas orações e dê privacidade neste momento difícil. Justin não está mais conosco, ele foi embora. Sentiremos saudade de você, que sempre foi cheio de alegria, riso e amado por tantas pessoas em sua vida”, disse a família em um post no Facebook do cantor.

Justin Carter deixa duas filhas pequenas, Dixie e Kaylee.

Justin Carter (reprodução/daily express)

Ciclone tropical em alto-mar pode causar mau tempo e ventos fortes na Bahia


De acordo com a Marinha do Brasil, o fenômeno pode provocar ventos de até 89 km/h no sul do estado

[Ciclone tropical em alto-mar pode causar mau tempo e ventos fortes na Bahia]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Juliana Rodrigues

A Marinha do Brasil informa que a possível formação de um ciclone com características tropicais a partir deste sábado (23) sobre o Oceano Atlântico está associada à ocorrência de mau tempo, com ventos e chuva intensa, no estado da Bahia.

De acordo com o Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), o fenômeno ocorrerá principalmente em alto-mar, a leste da Bahia e do Espírito Santo, mas pode provocar ventos de até 89 km/h na costa do sul do estado.

A situação deve permanecer até segunda (26) e será monitorada pela Marinha.

MICHEL TEMER É CHEFE DE QUADRILHA, DIZ BRETAS


247 – Na sentença em que determinou a prisão preventiva do ex-presidente Michel Temer, o juiz federal Marcelo Bretas, da Lava Jato do Rio de Janeiro, o classificou como chefe de quadrilha.

“Por sua posição hierárquica como Vice-Presidente ou como Presidente da República do Brasil (até recente 31/12/2018), e a própria atitude de chancelar negociações do investigado LIMA o qual seria, em suas próprias palavras, a pessoa ‘apta a tratar de qualquer tema’, é convincente a conclusão ministerial de que MICHEL TEMER é o líder da organização criminosa a que me referi, e o principal responsável pelos atos de corrupção aqui descritos”, escreve Bretas na sentença.

Michel Temer foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Federal no âmbito da operação Lava Jato por suspeita de desvios de recursos nas obras da usina nuclear Angra 3, sendo apontado pelos investigadores como líder de uma organização criminosa que praticou desvios e recebeu propina, menos de três meses após ter deixado o Palácio de Planalto.

A prisão de Temer é preventiva e teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3. A investigação é um desdobramento das operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade.