Bancos rebaixam Petrobrás e sugerem a seus clientes que vendam a ação


Há quem diga, com o desconfiômetro em alta, devido os acontecimentos, e não é de descartar a ideia, de que pode está acontecendo algo meio que proposital para que as ações da Petrobras se desmoronem, para então, amigos do Guedes ou até mesmo banqueiros comprem superbaratas, para então, depois de tudo resolvido, tudo volta para o lugar e os lucros serão gigantes. Geralmente o investidor pensa em vender ações quando as mesmas atingem o patamar mais alto ou quase. Aconselhar vender quando as ações estão em baixa é, no mínimo, estranho.  

De acordo a matéria no 247, bancos e operadoras estão sugerindo aos seus clientes que vendam as ações da Petrobrás, depois do anúncio de Jair Bolsonaro de que irá trocar o presidente da estatal por um general, Joaquim de Silva e Luna. O anúncio pegou o mercado de surpresa.

Neste domingo (21), a XP Investimentos rebaixou a recomendação das ações da empresa de neutro para venda em relatório intitulado “Não há mais como defender, rebaixamos para venda”, no qual o preço-alvo foi revisado de R$ 32 para R$ 24 nas ações ordinárias e preferenciais.

“Vemos esse anúncio como uma sinalização negativa, tanto de uma perspectiva de governança, dados os riscos para a independência de gestão da Petrobras, como também por implicar riscos de que a companhia continue a praticar uma política de preços de combustíveis em linha com referências internacionais de preços, ou seja, que reflitam as variações dos preços de petróleo e câmbio”, dizem os analistas Gabriel Francisco e Maíra Maldonado no relatório.

O Bradesco BBI também divulgou relatório neste domingo rebaixando a recomendação dos papéis da Petrobras. A instituição já havia cortado recomendação da companhia para ‘neutra’ no dia 8 de fevereiro, alegando que “o dilema do diesel” estava de volta. Analistas da instituição também citaram, na ocasião, riscos relacionados à situação dos caminhoneiros no Brasil.

Na sexta-feira (19), as ações ordinárias (PETR4) da Petrobras fecharam o pregão valendo R$ 27,33. As ações preferenciais (PETR3) encerraram os negócios a R$ 27,10. Os papéis da estatal negociados no exterior chegaram a cair 15% depois da divulgação da nota do presidente, que havia ameaçado na véspera fazer mudanças na estatal.

Fonte 247