(77) 99152-6666

OAB vê ‘clara tentativa de criminalização da advocacia’ em fase da Lava Jato que fez buscas contra advogados



Lava-Jato apura desvios de R$ 150 mi em Sesc e Senac do RJ

A Ordem dos Advogados do Brasil criticou a Operação Lava Jato desta quarta-feira (9), que teve como alvos advogados suspeitos de participar de esquema de desvios no Sistema S do Rio de Janeiro — que engloba Fecomércio, Sesc e Senac. A ação foi vista pela OAB como “uma clara iniciativa de criminalização da advocacia brasileira” .

A Operação Esquema S investiga desvios de pelo menos R$ 150 milhões do Sistema S do RJ por escritórios de advocacia no Rio e em São Paulo. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), alguns dos pagamentos foram “sob contratos de prestação de serviços advocatícios ideologicamente falsos”, sem contratação formal e sem critérios técnicos, como concorrência ou licitação. Após publicidade segue a matéria.

O juiz federal Marcelo Bretas expediu 50 mandados de buscas e apreensões e aceitou a denúncia do MPF, tornando rés 26 pessoas — entre eles os advogados Ana Tereza Basílio (Wilson Witzel) e Cristiano Zanin e Roberto Teixeira (Lula). Frederick Wassef (que representou a família Bolsonaro) foi alvo de buscas, mas não foi denunciado. Não há mandados de prisão.

Zanin afirmou que todos os serviços prestados pelo seu escritório à Fecomércio-RJ estão “devidamente documentados em sistema auditável”. Procurados pelo G1, outros citados na operação não haviam se manifestado até as 12h40.

Em nota, a Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia e pela Procuradoria Nacional de Defesa das Prerrogativas do Conselho Federal da OAB dizem que “o processo de criminalização da advocacia, que desrespeita as prerrogativas, é ditatorial e atenta contra o Estado de Direito e à Democracia. Não há estado democrático sem uma advocacia livre”.

Os grupos afirmam ainda que vão adotar medidas administrativas e judiciais, de natureza civil e penal, “contra os que se lançam e insistem em criminalizar a advocacia brasileira”.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Mansão de Edir Macedo de 18 suítes não paga IPTU por estar em nome da Igreja Universal


O bispo Edir Macedo tem uma casa de quase 4000 metros quadrados de área construída. O imóvel está isento de IPTU por estar em nome da Igreja Universal. O Congresso perdoou R$ 1 bilhão em dívidas de igrejas.

Edir Macedo

 

 

 

Piada pronta: Trump é indicado ao prêmio Nobel da Paz por deputado racista


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz, anunciou nesta quarta-feira (9), o site do canal de notícias norte-americano Fox News. De acordo com a reportagem, a indicação de Trump foi feita pelo parlamentar norueguês Christian Tybring-Gjedde, que também atua como presidente da delegação norueguesa na Assembleia Parlamentar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Em entrevista a Fox News, o norueguês destacou o papel do presidente norte-americano para consolidação do acordo entre Emirados Árabes Unidos e Israel. “Por seu mérito, acho que ele fez mais tentando criar a paz entre as nações do que a maioria dos outros indicados ao Prêmio da Paz”, disse Tybring-Gjedde.

Ainda de acordo com a rede americana, a carta de indicação enviada pelo parlamentar ao comitê do Nobel aponta o acordo Israel-Emirados Árabes como um possível “momento de virada” nas relações do Oriente Médio, criando as condições para a cooperação e prosperidade na região. O acordo fomentado pelo presidente norte-americano é bastante precário e foi contestado por diversos países árabes.

As justificativas apresentadas pelo deputado norueguês ao comitê dirigente do Prêmio Nobel são pura propaganda política para ajudar a campanha de reeleição de Donald Trump.

O parlamentar norueguês Tybring-Gjedde é ferozmente contra a imigração e uma vez comparou o hijab a roupas usadas pelos nazistas e pela Ku Klux Klan. O deputado é um admirador do presidente norte-americano.

Fonte Blog do Esmael

Zanin divulga nota e diz que Bretas agiu a serviço de Bolsonaro


Do Blog do Esmael

O advogado Cristiano Zanin divulgou nota, nesta manhã de quarta-feira (9), após ser um dos alvos de operação da Polícia Federal (PF) de busca e apreensão em sua residência e local de trabalho. A operação foi ordenada pelo juiz da Lava Jato do Rio de Janeiro Marcelo Bretas, um defensor público do governo de extrema-direita do presidente Jair Bolsonaro.

O advogado Cristiano Zanin Martins, que também defende o ex-presidente Lula, denunciou a ação como uma tentativa aberta de intimidação. “O juiz Marcelo Bretas é notoriamente vinculado ao presidente Jair Bolsonaro e sua decisão no caso concreto está vinculada ao trabalho desenvolvido em favor de um delator assistido por advogados ligados ao Senador Flavio Bolsonaro. A situação fala por si só”, escreveu Zanin.

O jurista aponta também que a operação é mais ato de abuso da Lava Jato, que viola o Estado de Direito e as prerrogativas de atuação dos advogados. “Esse abuso de autoridade, aliás, não é inédito. A Lava Jato, em 2016, tentou transformar honorários sucumbenciais que nosso escritório recebeu da Odebrecht, por haver vencido uma ação contra a empresa, em valores suspeitos — e teve que admitir o erro posteriormente. No mesmo ano, a Lava Jato autorizou a interceptação do principal ramal do nosso escritório para ouvir conversas entre os advogados do nosso escritório e as conversas que eu mantinha com o ex-presidente Lula na condição de seu advogado, em grave atentado às prerrogativas profissionais e ao direito de defesa”.

 

Veja a íntegra da nota do advogado Cristiano Zanin Martins:

1. Atentado à advocacia e retaliação. A iniciativa do Sr. Marcelo Bretas de autorizar a invasão da minha casa e do meu escritório de advocacia a pedido da Lava Jato somente pode ser entendida como mais uma clara tentativa de intimidação do Estado brasileiro pelo meu trabalho como advogado, que há tempos vem expondo as fissuras no Sistema de Justiça e do Estado Democrático de Direito. É público e notório que minha atuação na advocacia desmascarou as arbitrariedades praticadas pela Lava Jato, as relações espúrias de seus membros com entidades públicas e privadas e sobretudo com autoridades estrangeiras. Desmascarou o lawfare e suas táticas, como está exposto em processos relevantes que estão na iminência de serem julgados por Tribunais Superiores do país e pelo Comitê de Direitos Humano da ONU.

O juiz Marcelo Bretas é notoriamente vinculado ao presidente Jair Bolsonaro e sua decisão no caso concreto está vinculada ao trabalho desenvolvido em favor de um delator assistido por advogados ligados ao Senador Flavio Bolsonaro. A situação fala por si só.

2. Comprovação dos serviços. De acordo com laudo elaborado em 2018 por auditores independentes, todos os serviços prestados à Fecomércio/RJ pelo meu escritório entre 2011 e 2018 estão devidamente documentados em sistema auditável e envolveram 77 (setenta e sete) profissionais e consumiram 12.474 (doze mil, quatrocentas e setenta e quatro) horas de trabalho. Cerca de 1.400 (mil e quatrocentas) petições estão arquivadas em nosso sistema. Além disso, em 2018, a pedido da Fecomércio-RJ, entregamos cópia de todo o material produzido pelo nosso escritório na defesa da entidade, comprovando a efetiva realização dos serviços que foram contratados. Os pagamentos, ademais, foram processados internamente pela Fecomércio/RJ por meio de seus órgãos de administração e fiscalização e foram todos aprovados em Assembleias da entidade — com o voto dos associados.

3. Natureza dos serviços prestados. Nosso escritório, com 50 anos e atuação reconhecida no mercado, foi contratado a partir de 2012 para prestar serviços jurídicos à Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), que é uma entidade privada que representa os milhares de empresários e comerciantes daquele Estado. A atuação do escritório em favor da Fecomércio/RJ e também de entidades por ela geridas por força de lei — o Sesc-RJ e do Senac-RJ —, pode ser constatada em diversas ações judiciais que tramitaram perante o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, do Superior Tribunal de Justiça, do Supremo Tribunal Federal, e também em procedimentos que tramitam no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e perante outros órgãos internos e externos à entidade. Em todos os órgãos judiciários houve atuação pessoal e diligente do nosso escritório.

A atuação do nosso escritório deu-se um litígio de grandes proporções, classificado como uma “guerra jurídica” por alguns veículos de imprensa à época, entre a Fecomércio/RJ e a Confederação Nacional do Comércio (CNC), duas entidades privadas e congêneres de representação de empresários e comerciantes. Cada uma delas contratou diversos escritórios de advocacia para atuar nas mais diversas frentes em que o litígio se desenvolveu.

4. Abuso de autoridade. Além do caráter despropositado e ilegal de autorizar a invasão de um escritório de advocacia e da casa de um advogado com mais de 20 anos de profissão e que cumpre todos os seus deveres profissionais, essa decisão possui claros traços de abuso de autoridade, pois: (a) o seu prolator, o Sr. Marcelo Bretas, é juiz federal e sequer tem competência para tratar de pagamentos realizados por uma entidade privada, como é a Fecomercio/RJ, e mesmo de entidades do Sistema S por ela administrados por força de lei; a matéria é de competência da Justiça Estadual, conforme jurisprudência pacífica dos Tribunais, inclusive do Superior Tribunal de Justiça; (b) foi efetivada com o mesmo espetáculo impróprio a qualquer decisão judicial dessa natureza, como venho denunciando ao longo da minha atuação profissional, sobretudo no âmbito da Operação Lava Jato; (c) foi proferida e cumprida após graves denúncias que fiz no exercício da minha atuação profissional sobre a atuação de membros da Operação Lava Jato e na iminência do Supremo Tribunal Federal realizar alguns dos mais relevantes julgamentos, com impacto na vida jurídica e política do país. Ademais, foge de qualquer lógica jurídica a realização de uma busca e apreensão após o recebimento de uma denúncia — o que mostra a ausência de qualquer materialidade da acusação veiculada naquela peça.

Esse abuso de autoridade, aliás, não é inédito. A Lava Jato, em 2016, tentou transformar honorários sucumbenciais que nosso escritório recebeu da Odebrecht, por haver vencido uma ação contra a empresa, em valores suspeitos — e teve que admitir o erro posteriormente. No mesmo ano, a Lava Jato autorizou a interceptação do principal ramal do nosso escritório para ouvir conversas entre os advogados do nosso escritório e as conversas que eu mantinha com o ex-presidente Lula na condição de seu advogado, em grave atentado às prerrogativas profissionais e ao direito de defesa. Não bastasse, em 2018 a Lava Jato divulgou valores que o nosso escritório havia recebido a título de honorários em decorrência da prestação de serviços advocatícios.

Todas as circunstâncias aqui expostas serão levadas aos foros nacionais e internacionais adequados para os envolvidos sejam punidos e para que seja reparada a violação à minha reputação e à reputação do meu escritório, mais uma vez atacadas por pessoas que cooptaram o poder do Estado para fins ilegítimos, em clara prática do lawfare — fenômeno nefasto e que corroeu a democracia no Brasil e está corroendo em outros países.

São Paulo, 9 de setembro de 2020

Cristiano Zanin Martins

MARACÁS: Reunião da chapa F & F foi de muitos aplausos e demonstração de força


Lembrando que a convenção da chapa Fábio e Flávio está marcada para o dia 13 de Setembro, no domingo, as 15 horas na Câmara Municipal de Maracás.

Cerca de 60 pessoas, todos de máscaras, participaram da reunião

 

Com a frase de que se um F é bom dois é melhor ainda a chapa de pré-candidatos a prefeito e vice Fábio e Flávio respectivamente, mostrou que ambos estão com vontade de fazer acontecer a tão sonhada e falada renovação em Maracás e o povo aplaudiu. A reunião foi no começo da noite do dia 7 de Setembro em um dos salões da Consloc onde muitos assuntos foram discutidos.

 Após Fábio ter dado abertura, onde explanou ali para uma plateia de certa de 60 pessoas, entre militantes, apoiadores e amigos sobre a forma em que ele, juntamente com o seu vice Flávio Guimarães,  ( Professor Fal) pretendem governar o município, onde a palavra foi dada de que existirá realmente uma renovação na história de Maracás. Fábio e Fal colocaram a palavra à disposição para quem quisesse expor as suas ideias e muitos falaram. Em muitos momentos das falas tanto de Fábio como de Fal, bem como dos presentes, muitos aplausos foram levantados. Uma palavra que foi muito falada durante a reunião foi exatamente a palavra que um homem deve ter, principalmente um governante perante o seu povo. Fábio assegurou que a palavra vai ser honrada e que essa PALAVRA que um governante tem que ter será uma peça do contexto que vai denominar a RENOVAÇÃO para mudar a história e o rumo de Maracás. Fal lembrou de um dizer muito antigo em que os avós dos que hoje já são avós diziam: “é o boi pela venta e o homem pela palavra”.  Aplausos.

A verdade é que as pessoas já andam um pouco desanimadas com as promessas de que chegou a hora da mudança, coisa e tal, mas, no entanto, ao que parece ser entre os membros que formarão a chapa,  Fábio & Fal, agora é diferente de apenas uma promessa, mas sim uma vontade da dupla, em fazer uma gestão voltada fortemente para atender os anseios do povo.  De acordo às palavras de ambos, muitas coisas esquecidas serão resgatadas, mas o mais importante é que a palavra foi dada de que o ser humano será valorizado nesta nova gestão, onde talentos serão descobertos e incentivados à deixar aflorar o dom de cada um, dentre outras atenções.

Muitas pessoas tiveram a oportunidade de falar e todos deixando transparecer a fé de que a hora de Maracás se renovar e sair da mesmice está chegando e depende do povo, pois Maracás precisa ser vista com outros olhos, olhos de aplausos e elogio.

Essa é uma responsabilidade grande que F&F terão que saber conduzir muito bem, pois se trata de uma chapa com dois jovens que têm tudo para construir um legado valioso e fazer parte de forma bastante positiva da história dessa terra.

Vale lembrar que essa pré-chapa saiu na frente, onde nem um dos membros, depois de terem conversado e firmado a junção, tiveram dúvidas de que a chapa será criada para fortalecer a possibilidade de uma construção mais sólida de uma Maracás promissora, pois, pela primeira vez, instituições representativas  da população em variadas categorias serão participativas na gestão.

A aprovação do nome de Flávio Guimarães para compor a chapa na posição de vice-prefeito, teve aprovação em massa de grande parte da população. “Essa junção foi uma das coisas mais interessantes que já aconteceram. Acredito que será a chapa de prefeito e vice melhor preparada para governar o município, pelo histórico de cada um”, quem disse isso foi o ex-prefeito Landulfo que está dando seu total apoio. A opinião foi adoçada pelo comunicador J. Matos que disse que sem dúvida será  a chapa que pode e tem tudo para mudar o rumo de Maracás.

Para prefeito se trata de um empresário conceituado e que foi secretário de Infra Estrutura por 14 anos seguidos, deixando ali a sua marca e adquirido uma vasta experiência, onde deu uma grande contribuição num período em que Maracás ganhou um salto considerado, que foi as duas gestões do saudoso Fernando Carvalho.

O pré candidato a vice, Fal, também tem um currículo muito rico. Além de ter nome limpo, de família espetacular, trata-se de um professor de um histórico invejável, com um nível intelectual que vai fazer o diferencial na gestão. Na política Fal traz na sua bagagem experiência de um mandato como vereador, deixando na quela casa de leis a sua contribuição de parlamentar. Na  eleição passada se candidatou a prefeito, mas não obteve a vitória. Assim, fica atestado, que a sua participação na gestão dará uma grande contribuição para acontecer de fato a renovação.

Como está no cabeçalho desta matéria, a convenção, se assim Deus permitir, será no dia 13 de Setembro às 15 horas na Câmara Municipal de Maracás.

Um milhão de pessoas solicitaram o documento do carro pela internet na Bahia


Um milhão de pessoas solicitaram o documento do carro pela internet na Bahia

No portal www.sacdigital.ba.gov.br é possível baixar o documento do veículo e imprimir uma cópia em papel comum

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Se você ainda espera a chegada do documento do carro pelos Correios ou está pensando em ir ao Detran-BA ou ao SAC para buscá-lo, desista. O documento em papel moeda de cor verde foi extinto no final de abril e substituído pelo Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo eletrônico (CRLV-e), que na última sexta-feira (4) alcançou a marca de um milhão de solicitações no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA), por meio do SAC Digital. Do total de procedimentos, 79% estão relacionados a pessoas físicas e 21% a empresas.

“Em apenas quatro meses e enfrentando uma cultura histórica, os números refletem que fizemos a coisa certa. Os baianos pediam a transformação, que veio com o CRLV eletrônico, disponibilizado hoje de forma simples, rápida e sem custo”, ressaltou o diretor-geral do Detran-BA, Rodrigo Pimentel.

No portal www.sacdigital.ba.gov.br, o cidadão tem a facilidade de baixar o documento do veículo e imprimir uma cópia em papel comum, no formato A4, que sai com um código bidimensional (QR Code) para atestar sua validade. O serviço está disponível também no aplicativo SAC Digital.

A pessoa precisa se cadastrar na plataforma e informar o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). No caso de empresa sem identidade virtual, é necessário ainda informar a placa.  O CRLV-e obrigatório é liberado para quem está com o licenciamento em dia. O proprietário do carro pode compartilhar o documento eletrônico com outras pessoas.Com informações do CorreiodaBahia

 

 

Novo disco da La Fúria gera polêmica e será denunciado ao Ministério Público; “é uma agressão! um desrespeito!”


Novo disco da La Fúria gera polêmica e será denunciado ao Ministério Público; "é uma agressão! um desrespeito!"
Crédito da Foto: arquivo pessoal/Instagram

A banda La Fúria lançou na última sexta-feira (4/9), em suas plataformas digitais, um CD intitulado ‘Vai Começar a [email protected]**ia’ com 13 músicas inéditas e, como já é uma marca do grupo, todas falam sobre mulheres. O disco foi elogiado por muitos internautas e criticado por outros, por trazer canções de cunho ofensivo ao público feminino, além de apologia às drogas.

Com quase 42 minutos, o trabalho já ultrapassa a marca de 32 mil visualizações no canal da banda no YouTube. “Eu gosto de lombrar, depois de lombrar, eu gosto de fumar, depois de fumar, que a fumaça apaga, que a lombra passa, eu gosto de transar”, “sequência de ploc dentro da sua tcheca”, “baseado na orelha e o lança para elas bafar”, “chama meu p** de vergonha e toma vergonha na cara”, são alguns trechos das músicas cantadas pelo vocalista, Bruno Magnata.

A Lei Antibaixaria, de abril de 2012, sancionada à época pelo ex-governador Jaques Vagner, foi elaborada com o intuito de normatizar a contratação de artistas cujas obras contenham conteúdo considerado ofensivo. O texto, de autoria da ex-deputada estadual Maria Luiza, diz que “é vedada a utilização de recursos públicos estaduais para contratação de artistas que, no cumprimento do objeto do contrato, apresentem músicas que desvalorizem, incentivem a violência ou exponham as mulheres a situação de constrangimento”.

Leia abaixo na integra:

“Art. 1º – É vedada a utilização de recursos públicos estaduais para contratação de artistas que, no cumprimento do objeto do contrato, apresentem músicas que desvalorizem, incentivem a violência ou exponham as mulheres a situação de constrangimento. 

§ 1º – O disposto neste artigo aplica-se também a manifestações de homofobia ou discriminação racial, bem assim apologia ao uso de drogas ilícitas. 

§ 2º – É obrigatória a inclusão em contrato de cláusula para cumprimento do disposto neste artigo, sujeitando o responsável pela contratação, em caso de omissão, a multa no valor de R$10.000,00 (dez mil reais).

§ 3º – Na hipótese de descumprimento por parte do contratado, este ficará sujeito ao pagamento de multa no valor equivalente a 50% (cinquenta por cento) do valor do contrato.

Art. 2º – O Poder Executivo poderá regulamentar a presente Lei, estabelecendo, na oportunidade, o órgão diretamente responsável pelo seu cumprimento, bem assim a destinação do valor resultante da aplicação da multa prevista no § 2º do art. 1º.”

Em conversa com o Aratu On, Maria Luiza repudiou as canções e informou que vai denunciar a banda ao Ministério Público. “Isso [as músicas] é uma campanha de desrespeito às mulheres, uma agressão”, disse. “Vou conversar com algumas deputadas e encaminhar ao MP para tomarmos medidas legais contra o CD”, informou. A ex-deputada disse, também, que essas letras “sujam” o estado. “Porque as pessoas veem como a Bahia da baixaria, onde tudo pode”, falou.

No entanto, não está claro se o texto da lei, como foi pensado, pode ser aplicado para trabalhos como o da La Fúria, que não envolvem a utilização de dinheiro público. Segundo ela, caso isso seja viável, a banda poderá ter que pagar uma multa e ter o disco retirado das plataformas digitais. “Como é o lançamento de um CD, temos que ver, porque não é um evento específico que o estado ou município contratou. Então, vamos ver como é que ela vai ser aplicada”, informou. “Vou discutir com as promotoras, mas que é uma agressão e um desrespeito, é!”, ressaltou. Fonte:Aatuon

Casal que encontrou meteorito gigante no sertão diz que vive “pesadelo”


meteorito casal

“Virou um pesadelo. Passamos dias sem comer e dormir”. Casal recebeu ofertas de até R$ 120 mil de estrangeiros que estão na cidade atraídos pelo caso. Meteoritos são da época da formação do sistema solar, dizem cientistas

 

 

As pessoas que encontraram fragmentos da chuva de meteorito que caiu no município de Santa Filomena, no sertão pernambucano, no dia 19 de agosto, estão vivendo dias bastante agitados.

Quem achou os fragmentos está ganhando dinheiro com o comércio das pedras, que são negociadas com pesquisadores e “caçadores” de meteoritos.

No entanto, além de dinheiro, os achados os achados trouxeram medo e tensão. Pelo menos é o que relata o morador que encontrou o maior meteorito no município: uma peça de 38,2 kg.

“Isso virou um pesadelo. A gente passou uns dias sem comer e dormir. O objeto tem valor e todos têm interesse aqui, não são só os daqui. Se não tivesse valor, ninguém viria atrás, até do exterior”, relatou a esposa do homem em entrevista à Rede Globo.

No momento da chuva dos fragmentos em Santa Filomena, o morador disse que ouviu o estrondo, mas só ficou sabendo do que se tratava depois. Dias após o fenômeno, ele decidiu procurar em sua propriedade se as pedras haviam caído por lá ou na região, na zona rural do município.

“Na quinta-feira (27/8), um morador me deu informação de onde houve um grande abalo, um estrondo, uma pancada, como se tivesse enfiado algo no chão. Ele me informou uma localização. Comecei as buscas no amanhecer. Quando foi por volta das 8h30 da manhã, consegui localizar a pedra”, conta.

Segundo ele, o fragmento estava enfiado no solo. “Eu retirei e levei até uma estrada aproximadamente 2 km de distância dali, na mão, dentro da Caatinga, até chegar na minha moto. Aí trouxe para a cidade”, relata.

Ainda sem acreditar no tamanho do achado, o homem procurou os pesquisadores para informar sobre a pedra de quase 40 kg que tinha caído em sua propriedade. Mas a repercussão do comércio das pedras foi tamanha que acabou com o sossego da família.

“A gente acha uma pedra dessa, e o pessoal já pensa que a gente virou milionário. Não é bem assim. A gente está muito tenso”, disse o homem que encontrou o meteorito.

O diretor-secretário da Sociedade Brasileira de Geologia e professor do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Fábio Machado, analisou imagens da pedra encontrada pelo morador de Santa Filomena. “Precisamos de testes para cravar que é do tipo condrito, mas é um meteorito. É uma importante amostra”.

Início do sistema solar

Meteorito do tipo condrito é um mineral importante para a ciência porque tem mesma composição química do início do sistema solar, formado há mais de 4,6 bilhões de anos.

“Os condritos são os melhores fragmentos de meteoritos para se estudar a formação do sistema solar porque representam fielmente a composição química no início da formação dos planetas rochosos. Isso quer dizer que as pedras que caíram em Santa Filomena são mais antigas que a própria Terra”, explica Machado.

O professor ainda explica que, antes de entrarem na atmosfera terrestre, os fragmentos que choveram em Santa Filomena eram, provavelmente, uma peça só. Mas o tamanho exato é difícil de prever. “Quando o meteoro entra na atmosfera terrestre, ele queima, então se divide em vários fragmentos”, explica Machado.

“A maioria dos meteoritos que caem são deste tipo. Mas eles são muito importantes, porque eles mostram a formação do sistema solar. Eles são relíquias que não se modificaram desde a época da formação do sistema solar, há 4,56 bilhões de anos atrás”, afirmou a pesquisadora, curadora do Setor de Meteoritos do Museu Nacional de Meteoritos da UFRJ, Maria Elizabeth Zucolotto.

Quanto vale

Algumas pedras foram comercializadas pelos moradores à caçadores de meteoritos estrangeiros por até R$40 o grama, o que faria do meteorito de quase 40 kg ter um valor milionário. Um amigo que tem representado a família na comercialização da pedra contou que os mesmos caçadores ofereceram, contudo, ‘apenas’ R$120 mil.

“A gente teve proposta, mas foi gente querendo se aproveitar e isso não nos interessa. Não temos pressa em negociar a pedra de forma alguma. A gente não deu preço a essa pedra. Não tivemos negociação com ninguém”, enfatizou a esposa do homem que encontrou a pedra.Fonte:PragmatismoPolítico

 

Lava Jato poderá sofrer sequência de derrotas com alterações na composição da segunda turma do STF


No Supremo Tribunal Federal e no Ministério Público, é corrente a avaliação de que a autorização para o questionamento de delações premiadas e mudanças na composição da segunda turma da alta corte podem levar a Lava Jato a sofrer derrotas em série.

Fachada do STF, Ministro Dias Toffoli e Sérgio Moro

Apesar de o ministro Luiz Fux, futuro presidente do STF, ser um defensor do trabalho dos investigadores, sua gestão deve trazer danos a julgamentos relativos à operação.

Reportagem do jornalista Matheus Teixeira na Folha de S.Paulo informa que há no Supremo uma articulação em curso para que o ministro Dias Toffoli, que deixará a presidência do STF em 10 de setembro, assuma o assento do ministro Celso de Mello na segunda turma a partir de novembro.

Com a nova formação da turma, haveria maioria, somando os votos dos ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, para dar decisões contrárias ao trabalho dos procuradores de primeira instância. A chegada de Toffoli à segunda turma poderia resultar em reveses à Lava Jato, esforço no qual já estariam empenhados os ministros Levandowski e Gilmar.

Atualmente, como o ministro Celso de Mello está ausente por questões de saúde, os votos de ambos têm sido suficientes para derrotar a Lava Jato. Em julgamento penal o empate favorece o réu, e os votos do ministro Edson Fachin e da ministra Cármen Lúcia acabam sendo derrotados ao divergir dos colegas.

Foi o que aconteceu, por exemplo, na sessão do último dia 25 de agosto, quando, por 2 a 2, o colegiado anulou, a pedido de pessoas implicadas pelos relatos, a colaboração premiada firmada pelo Ministério Público do Paraná com um ex-auditor fiscal, relata a reportagem.

Advogados têm a expectativa de que com a formação de nova maioria na segunda turma, sejam revistas decisões da Lava Jato contestadas pela ala garantista do direito.

Com informação do 247

 

 

PM que agrediu entregador e forjou roubo é influencer nas redes sociais


policial militar motoboy pm influencer

Do Pragmatismo
Trabalhador negro humilhado, espancado pelo PM e falsamente acusado de roubo ficou preso por cinco dias. Ministério Público recuou e desistiu de denunciar o entregador. Nas redes sociais, o policial Felipe da Silva Joaquim paga de influencer e até compartilha seus “parceiros comerciais”

Uma vez inocentado o André, que teve seu nome desgastado, por passar cinco dias na prisão, resta saber o que vai acontecer com o policial que mentiu para o incriminar.

O Ministério Público de São Paulo recuou e desistiu de acusar o motoboy André Andrade Mezzette, 29 anos, preso neste sábado (29/8). Ele era acusado de tentar um roubo contra o PM Felipe da Silva Joaquim, que paga de influenciador digital nas redes sociais.

André permaneceu preso por cinco dias, até ser solto na última quarta-feira (2/9). A Justiça reavaliou a decisão de prendê-lo preventivamente pelo homem ter emprego e endereço fixo, itens ignorados em um primeiro momento.

A família de André sustentava desde o início que o PM forjou uma tentativa de roubo para incriminar o jovem negro, que acabara de realizar a entrega de uma pizza e fazia um intervalo no trabalho.

Até então, o Ministério Público de São Paulo apoiava a decisão de encarcerar o entregador negro. Contudo, o promotor Celso Élio Vannuzini mudou o entendimento apontado pelo órgão e decidiu arquivar o inquérito policial sobre a suposta tentativa de roubo.

Também na quarta-feira, o promotor analisou as provas, entre elas uma filmagem, e concluiu não haver indícios de que André teria tentado roubar o policial. Ainda assim, ele responderá em liberdade até a decisão judicial que o inocente do suposto crime.

Segundo o PM Felipe, André estava parado na Rua Capinzal, região do Tremembé, zona norte da capital, quando teria feito menção de sacar uma arma e anunciou um assalto.

Felipe, que estava à paisana, reagiu e o prendeu. As imagens mostram o policial agindo com agressividade e empurrando o entregador para a parede. O PM ainda teria o xingado de “verme”, “arrombado” e “noia”.

“Todavia, além da abordagem ter sido feita de forma agressiva, não restou evidenciada a suspeita do policial”, defende o promotor Vannuzini. O representante do Ministério Público garante não haver “qualquer prova segura e insuspeita” de que o homem teria tentado roubar o policial ou de ter feito menção de sacar uma arma.

Influencer

O soldado Felipe usa as redes sociais para exaltar a PM, compartilhar abordagens com agressões e divulgar seus “parceiros comerciais”.

Em um dos vídeos divulgados por ele, a PM persegue um motoqueiro que bate a moto em uma parede antes de ser abordado. Pela batida, intitulou a gravação como “ele achou que era Harry Potter (bruxo protagonista dos livros infanto-juvenis), tentou passar através da parede”.

Felipe promove o trabalho dos policiais da Rocam (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas) ao som de rappers, como Hungria, Pregador Luo e PapaMike, este último um integrante do gênero “rap policial”.

Os vídeos de Felipe também são compartilhados no canal de YouTube ‘Rocam Norte’, aparentemente ligado ao soldado. Depois do caso de agressão, o canal retirou todos os vídeos do ar.

VÍDEO:

Três gatinhos abandonados pela mãe são adotados por cachorrinha que perdeu filhotes


Foto: Sunshine Dog Rescue
Foto: Sunshine Dog Rescue

Geórgia, uma cachorrinha de rua resgatada prestes a dar à luz, acabou perdendo seus filhotes, mas o instinto materno falou mais alto e ela adotou três gatinhos.

Ela estava vagando num posto de gasolina na fronteira entre México e EUA, e após o resgate pela Organização Sunshine Dog Rescue, a cachorra teve que passar por uma cesariana emergência. Os cachorrinhos nasceram prematuros e morreram.

“Nunca vi uma mãe perder uma ninhada inteira. Ela estava tão triste procurando por seus bebês”, disse Anita Osa, fundadora da ONG.

Campanha

Para ajudar a cadelinha deprimida a superar o trauma, Anita fez uma campanha no Facebook para encontrar filhotes órfãos que precisassem de uma mãe adotiva.

Assim, três gatinhos recentemente abandonados pela mãe puderam encontrar uma nova mãe.

Desde o primeiro encontro no abrigo, os gatinhos e Geórgia formaram um vínculo muito forte.

Geórgia já amamentou os gatinhos e desde então, eles não se desgrudaram mais.

“Eu apresentei a primeira gatinha à Geórgia e ela sentiu o cheiro. Como ela parecia aceitar, apresentei-a aos outros dois pequeninos, que também foram aceitos. É incrível como ela se acalmou instantaneamente ”, disse Anita.

Os quatro animais acabaram sendo adotados por uma família e agora estão num novo lar e com uma mãe um pouco diferente, mas uma mãe de verdade.

Com informação do Notícia Boa