PF teme retaliação de Bolsonaro após operação que prendeu Milton Ribeiro


Bolsonaro e a PF

Integrantes da Polícia Federal estão em alerta após a operação que prendeu, na quarta-feira (22), o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores suspeitos de corrupção. Membros da corporação temem uma retaliação por parte do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Mais de 15 delegados da PF já foram punidos por atuar em assuntos ou investigações que desagradaram ao governo, seja por meio da remoção dos cargos que ocupavam ou pelo veto a promoções. Esse é o principal motivo para o receio dos policiais, segundo a jornalista Bela Megale.

No photo description available.

A colunista do jornal O Globo informa que o medo dos agentes do órgão foi exposto em grupos de WhatsApp entre diferentes investigadores. No entanto, a maneira como Bolsonaro tratou a prisão publicamente, jogando Ribeiro aos leões e dizendo que “se a PF prendeu, tem um motivo”, surpreendeu os policiais de maneira positiva.

Logo após a prisão do ex-ministro, o presidente afirmou o seguinte, em entrevista à Rádio Itatiaia: “Se tem algum problema, a PF está agindo. Está investigando. É um sinal que eu não interfiro na PF. Se alguém faz algo de errado, pô, vai botar a culpa em mim?”.

De acordo com delegados que conversaram com a jornalista, a operação que prendeu Milton Ribeiro colabora para retirar a “pecha de bolsonarista” colada na Polícia Federal após as diversas tentativas de interferência do chefe do Executivo.

Desde que chegou ao poder, Bolsonaro trocou quatro vezes o posto de diretor-geral da PF. A avaliação dentro do órgão é que investigações como a realizada sobre o MEC reforçam a mensagem de que a corporação atua como polícia de Estado e não de governo, apesar das investidas do presidente.

Do DCM