VÍDEO: Gestão Covas está negociando com Cuba vacina contra covid-19, diz Marta Suplicy


Marta participou do Manhattan Connection. Reprodução Youtube

Marta Suplicy, Secretária de Relações Internacionais da gestão Bruno Covas (PSDB-SP), afirmou que o município  negocia com Cuba a aquisição de lotes da vacina Soberana 2.

De acordo com a ex-prefeita,  discute-se inclusive a possibilidade de instalar-se uma fábrica do imunizante em São Paulo.

“Estamos conversando, não está muito publicizado ainda, com Cuba. Vimos que Cuba, segundo a Opas [Organização Pan-Americana da Saúde] nos informou, a vacina deles sempre foi de excelência. Foram os primeiros que fizeram a vacina de hepatite, que foi apoiada pela OMS. Eles têm uma vacina que chama Soberana 2 que está na fase três, e parece que é uma vacina de excelência. Mas não está finalizada ainda“, disse  a Secretária  durante audiência da Comissão Extraordinária de Relações Internacionais da Câmara de São Paulo.

“Já tem países interessados. Se você não entra na fila depois não tem mais. Então entramos na fila.”, disse  Marta.

O prefeito Bruno Covas e representantes cubanos simpatizam com a ideía  da implantação da fábrica.

“Estamos conversando também, está nos primórdios mas recebi carta branca do prefeito, que é a gente trazer, e eles topam, uma fábrica dessa vacina para a cidade de São Paulo. Porque a gente então fabrica o insumo aqui e não fica mais na dependência. Não tem nenhuma ilusão de que essa história de vírus vai acabar.”

Ciente dos trâmites burocráticos, Marta prevê uma certa demora  até que esses planos sejam efetivados:
 
“Vai depender ainda de um caminho. A Soberana 2 tem que ser testada lá ainda, tem que ter aprovação lá de fora, depois tem que ser testada pela Anvisa. Mas a gente já vai começando as conversas porque tudo isso demora muito”, afirmou.

“Mas se a gente conseguir trazer a fábrica, ainda que demore, até chegar o final do mandato do Bruno é um legado legal que ele vai deixar para a cidade“, concluiu a ex-petista.

 A informação é do DCM.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Paulo Guedes põe a culpa no Congresso, sobre decisão do STF exigir a realização da pesquisa (Censo)


De acordo a matéria circulada no 247, o ministro da Economia, Paulo Guedes, se eximiu de responsabilidade sobre o cancelamento do Censo 2021, depois que o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta quarta-feira (28) que o governo realize a pesquisa.

Em declaração a jornalistas na entrada do ministério, Paulo Guedes culpou o Congresso Nacional pela retirada dos recursos previstos para o Censo.

“Não fomos nós que cortamos o Censo. Quando houve corte no Congresso, a explicação que nos foi dada é de que o isolamento social impediria que as pessoas fossem de casa em casa transmitir o vírus, porque é físico, os pesquisadores vão de casa em casa. Então, me pareceu que essa é uma explicação, vou me informar a respeito”, afirmou Guedes.

Na tramitação do Orçamento no Congresso Nacional, os parlamentares já haviam cortado os valores destinados ao Censo, de R$ 2 bilhões para R$ 71 milhões. Por lei, o Censo deve ser realizado a cada dez anos. O último ocorreu em 2010. Com o adiamento da pesquisa de 2020 devido à pandemia de Covid-19, o dinheiro foi usado no combate ao coronavírus.

É preciso saber que é através do Censo que se faz uma avaliação sobre as necessidades de mais escolas, mais hospitais e como, de fato, está a situação do povo brasileiro. Fugir do Censo é não querer se importar com as condições do país e seu povo.

 

Covid-19: Salvador contabiliza 748 casos e 25 mortes em 24h


Capital baiana acumula 188.081 casos da doença deste o início da pandemia, 2.762 casos ativos e 5.868 óbitos

Covid-19: Salvador contabiliza 748 casos e 25 mortes em 24h

Foto: Jefferson Peixoto / Secom-PMS

Salvador registrou nesta terça (27) mais 25 mortes por coronavírus e 748 novos casos de covid-19 em 24 horas, conforme dados disponibilizados pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

A capital baiana acumula 188.081 casos da doença deste o início da pandemia, 2.762 casos ativos e 5.868 óbitos. A cidade ainda registrou 76% da taxa de ocupação dos leitos de UTI adulto para pacientes com coronavírus. Do Metrópole

Negacionista, Flávio Bolsonaro prega isolamento de senadores para melar a CPI da Pandemia


Acredite se quiser: o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) passou a defender o isolamento social nesta terça-feira (27).

O motivo? Livrar a cara do pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na CPI da Pandemia, instalada hoje pelo Senado.

Após meses reproduzindo o negacionismo de Jair, Flávio agora quer que os senadores e servidores do Congresso fiquem em casa para “evitar contaminação”.

No Twitter, o jornalista Fabio Pannunzio debochou: “Gente! O Flávio Bolsonaro defendeu as mulheres na abertura da CPI! Depois pregou o isolamento social para evitar que senadores e servidores se contaminem! Um negacionista master pregando o isolamento social! Daqui a pouco o pai dele vai pregar o lockdown!”

Pesquisadores usam borra de café e recuperam floresta degradada


Foto: Rebecca Cole

Um pesquisa realizada pelas Universidades de Zurique e Havaí utilizou borra de café para revitalizar florestas, num estudo inédito, publicado no Reino Unido. E o resultado foi impressonante.

Os cientistas trabalharam em um terreno desmatado na década de 1950 para dar lugar à agricultura, na Costa Rica. Eles borrifaram nessa área, de 40 a 30 metros, toneladas da borra de café que seriam descartadas.

Os resultados foram comparados com uma área vizinha do mesmo tamanho e no mesmo território. Na área tratada com o café, 80% do terreno ficaram cobertos com árvores, contra  20% do outro terreno.

Mais que isso: as árvores nascidas da polpa do café ficaram 4 vezes maiores do que as do solo não tratado.

Com isso, os pesquisadores comprovaram os benefícios dos resíduos do café como fertilizante natural e sua capacidade de recuperar as áreas desmatadas e degradadas.

“Os resultados foram inesperados e extraordinários. A área tratada com uma espessa camada de polpa de café se transformou em uma densa floresta de árvores em dois anos, enquanto na outra área, a da amostra, nada além de grama e mato cresceu”, explicou a professora Rebecca Cole, chefe do estudo.

 

Fertilizante poderoso

Resíduos de café não só contêm muitos micronutrientes que fertilizam o solo e promovem o crescimento rápido, como fósforo e nitrogênio.

É por isso que é um fertilizante natural muito poderoso, mas também tem o benefício secundário de criar uma barreira no solo que bloqueia o crescimento de ervas e ervas daninhas, retirando a luz do sol.

O extrato estimula o crescimento e facilita o repovoamento rápido das espécies nativas.

“Este estudo sugere claramente que os produtos agrícolas podem ser reutilizados para acelerar a recuperação de florestas em terras tropicais degradadas. É uma situação na qual todos ganham”, concluiu Cole.

Por Andréa Fassina, da redação do Só Notícia Boa – Com informações do Pozitizie

Pesquisadores culpam governo anticientífico de Bolsonaro por aumento devastador da covid


Mais de um ano depois que o Brasil detectou seu primeiro caso de covid-19, o país está enfrentando sua fase mais obscura da pandemia. Os pesquisadores estão arrasados com o aumento recente de casos e dizem que o fracasso do governo em seguir as o

rientações baseadas na ciência para responder à pandemia tornou a crise muito pior.

Eles acrescentam que a administração do presidente Jair Bolsonaro minou publicamente a ciência ao se recusar a implementar bloqueios nacionais de proteção e espalhar desinformação.

“Ser cientista no Brasil é muito triste e frustrante”, diz Jesem Orellana, epidemiologista do centro da Fundação Oswaldo Cruz em Manaus.

Um aumento nas infecções por coronavírus levou muitas das unidades de terapia intensiva do Brasil à beira do colapso. E o número de mortes diárias e mensais atingiu níveis recordes. Desde o início da pandemia, mais de 389.000 pessoas morreram no Brasil da doença causada pelo SARS-CoV-2, o que representa 13% da mortalidade mundial por COVID-19 – embora o país tenha menos de 3% da população global.

Bolsonaro, uma figura polarizadora que foi comparada ao ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, vem contradizendo a opinião científica desde o início da pandemia, quando chamou a covid-19 de “gripezinha”. No final do ano passado, ele também deu a entender que as vacinas podem ser perigosas, dizendo: “Se você se transformar em um jacaré, o problema é seu”. É muita estupidez e falta de respeito com a nação.

Fonte DCM.

PT de Minas afasta e abre processo para expulsão de vereador que abriu caixão lacrado com facão


A Executiva do diretório estadual do PT em Minas Gerais afastou na manhã desta terça-feira (27) o vereador William Faria (PT), de Santa Bárbara do Leste, que usou um facão para abrir um caixão lacrado, com o corpo de um homem de 92 anos, que morreu depois de apresentar os sintomas da COVID-19.

“A direção executiva do PT de Minas Gerais decidiu afastar imediatamente o vereador William Faria, de Santa Bárbara do Leste, em razão do lamentável fato ocorrido no último domingo (25), quando o parlamentar violou um caixão lacrado durante o funeral de um homem que faleceu com suspeita de covid-19”, diz a nota distribuída pelo diretório do PT, que afirma ainda que “o vereador responderá no Conselho de Ética do PT-MG, como determina o estatuto partidário, em um processo que poderá culminar com a sua expulsão”.

Em vídeo, o vereador mostra laudo que diz que o homem morreu de “insuficiência respiratória aguda crônica”. “Em nenhum lugar fala que é de Covid”, diz Faria que pegou o facão e começou abrir a urna funerária.

“Num dos momentos mais delicados vividos por toda a população mineira e brasileira em função da pandemia do novo coronavírus, a atitude do vereador representa uma ação violenta e desnecessária, além de ser uma grave ameaça à segurança sanitária”, diz o texto distribuído pelo PT.

Nas redes sociais, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) já havia pedido a expulsão do vereador. “É horrível e anti-ético”, tuitou.

 

NOTA DO PT de MINAS GERAIS

A direção executiva do PT de Minas Gerais decidiu afastar imediatamente o vereador William Faria, de Santa Bárbara do Leste, em razão do lamentável fato ocorrido no último domingo (24/5), quando o parlamentar violou um caixão lacrado durante o funeral de um homem que faleceu com suspeita de covid-19. O procedimento de lacre é uma determinação sanitária do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde.

Num dos momentos mais delicados vividos por toda a população mineira e brasileira em função da pandemia do novo coronavírus, a atitude do vereador representa uma ação violenta e desnecessária, além de ser uma grave ameaça à segurança sanitária.

Após o afastamento, o vereador responderá no Conselho de Ética do PT-MG, como determina o estatuto partidário, em um processo que poderá culminar com a sua expulsão.

Belo Horizonte, 27 de abril de 2021

Executiva do Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais.

A informação foi da Fórum.

 

Atualização: Paulo Gustavo tem pneumonia bacteriana, mas apresenta melhora


Atualização: Paulo Gustavo tem pneumonia bacteriana, mas apresenta melhora

Foto: Reprodução / Instagram

O ator Paulo Gustavo, 42, internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da zona sul do Rio por complicações da Covid-19, apresenta sinais de recuperação. O boletim médico do ator foi divulgado nesta segunda (26) pela sua assessoria.

“Há cerca de sete dias não surgem complicações relevantes, fato que aumenta as nossas esperanças na boa recuperação do paciente. Entretanto, como em outros casos graves, ocorrem oscilações no estado geral, demandando reajustes nas medicações, na ventilação mecânica e na ECMO o que ainda determina a vigilância constante da equipe multiprofissional”.

Segundo o boletim médico, no domingo (25) foi detectada uma nova pneumonia bacteriana que “está sendo eficientemente tratada”. Apesar disso, o ator apresenta evidências de melhora na função pulmonar e, em alguns momentos, mostra sinais discretos de interação com o meio, apesar do uso de sedativos.

Nos últimos dias ele precisou passar por intervenções como broncoscopias e alguns procedimentos cirúrgicos, mas a equipe dele diz que “os problemas mais urgentes foram contornados”.

Mais uma vez, a família do ator voltou a agradecer todo o carinho e orações. Ela também pede que continuem a enviar boas energias para a recuperação de todos os que se encontram na luta contra o vírus. Do BN Notícias

Remédio comum para doenças cardíacas reverte a obesidade: estudo


Foto: pixabay
Foto: pixabay

Um estudo publicado na Nature Metabolism mostra que um remédio comum, usado para doenças cardíacas, pode reverter a obesidade.

O trabalho é de grupo de pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa do Câncer – CNIO, na Espanha.

No artigo da Nature, Nabil Djourder, chefe do Grupo de Fatores de Crescimento, Nutrientes e Câncer, mostra que a droga, usada contra doenças cardíacas, reduz a inflamação e leva a uma perda de peso de 40% em ratos obesos, sem qualquer efeito colateral.

Ela reverte completamente a obesidade, de acordo com a CNIO. Os ratos tratados ficaram com o mesmo peso que os animais saudáveis ​​e não obesos. Os ratos também foram curados de distúrbios metabólicos associados à obesidade.

Como

Como é uma doença inflamatória, ou seja, uma reação defensiva crônica do corpo ao estresse – causado pelo excesso de nutrientes – eles decidiram combater a obesidade, evitando a inflamação… e conseguiram!

A digoxina reduz a produção de uma molécula chamada interleucina 17A (IL-17A), que geralmente causa inflamação.

“Quando você inibe a produção de IL-17A, ou a via de sinalização que essa molécula ativa, você não tem obesidade”, diz Djouder.

Ação do medicamento

Os pesquisadores de Madrid descobriram que a IL-17A atua diretamente no tecido adiposo para causar obesidade e graves alterações metabólicas associadas ao ganho de peso corporal.

É a chamada síndrome metabólica, que inclui diabetes tipo 2, hipertensão e doenças cardiovasculares.

“Uma vez que nenhum tratamento eficaz para obesidade e síndrome metabólica está disponível, a digoxina pode representar uma opção terapêutica eficaz”, de acordo com o artigo na Nature Metabolism .

Os animais, obesos devido a uma dieta hipercalórica, continuaram a se alimentar como antes quando tomavam digoxina. No entanto, eles mostraram ativação de seu metabolismo basal, o que resulta na queima do excesso de gordura e perda de peso.

Digoxina

A digoxina tem sido usada há muito tempo para tratar a insuficiência cardíaca e era conhecida por atuar na IL-17A.

Seu efeito sobre o peso corporal, no entanto, nunca foi observado. Djouder atribui isso ao fato de que a doença cardiovascular em pacientes que usam digoxina causa alta retenção de líquidos, o que mascara o efeito de perda de peso da digoxina.

Além disso, a dose com que a digoxina é usada atualmente em humanos é três vezes menor que a usada em camundongos para combater a obesidade, sem efeitos tóxicos.

O fato de não terem sido observados efeitos colaterais em animais sugere que, em humanos, a dose em que a perda de peso pode ser observada não se mostra prejudicial.

Por Andréa Fassina, da redação do Só Notícia Boa – Com informações do GNN

 

Alegando riscos, Anvisa nega importação da Sputnik V por estados


De acordo com órgão, empresa fabricante não enviou relatórios necessários para análise de qualidade necessários para aprovação

Alegando riscos, Anvisa nega importação da Sputnik V por estados

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) negou, nesta segunda-feira (26), em decisão unânime, a importação emergencial de quase 30 milhões de doses da vacina russa contra covid-19, a Sputnik V, solicitada por 14 estados. A Bahia foi um dos estados que pediu a autorização, após negociar a compra de 9,7 milhões de doses.

O impedimento foi decidido após as gerências técnicas da agência que se ocupam da análise dos medicamentos, fiscalização e monitoramento entenderem que há riscos de uso da vacina. Um deles é a possibilidade da reprodução do adenovírus utilizado na Sputnik V, o que poderia causar o surgimento de doenças. Além disso, alegaram falta de visitas técnicas em todos os locais onde é fabricado o imunizante.

Ainda de acordo com o órgão, a empresa fabricante não enviou os relatórios necessários para a análise de qualidade necessários para aprovação. A Anvisa também informou que houve uma tentativa do Fundo Russo de cancelar a inspeção presencial e os fabricantes da matéria prima da vacina não foram identificados.Do METRÓPOLE

Foco de Bolsonaro na CPI da Pandemia é esconder Pazuello e minimizar e impedir sangria de votos em 2022


O ministro Eduardo Pazuello e o presidente Jair Bolsonaro

Com receio de um aumento ainda maior de sua rejeição e os impactos disso sobre suas chances de reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) escalou integrantes da equipe ministerial e montou gabinete de inteligência na tentativa de blindar a gestão federal na CPI da Covid.

Apesar de repetir em público que não se preocupa com a instalação da comissão de inquérito, Bolsonaro tem manifestado, em caráter reservado, irritação com a possibilidade de ser realizada uma devassa em contratos do governo e de que auxiliares presidenciais sejam, posteriormente, investigados pelo Ministério Público.

“Não estou preocupado porque não devemos nada”, afirmou o presidente nesta segunda-feira (26), em agenda em Conceição do Jacuípe (BA). Na semana passada, ele repetiu a mesma afirmação em reunião virtual com empresários.

Ao mesmo tempo, o Planalto quer discrição por parte do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, e um dos principais focos da CPI.

Fonte DCM.

Idosa morre no AM após ser tratada com nebulização de hidroxicloroquina sem autorização


Filha descobriu depois que pediu o prontuário da mãe; polícia investiga outros casos semelhantes

A filha de uma idosa de 71 anos, que morreu por complicações da Covi-19, descobriu que a mãe foi tratada com nebulização de hidroxicloroquina em uma unidade de saúde de Itacoatiara, a 270 quilômetros de Manaus, capital amazonense.

Depois de mais de um mês internada, a idosa chegou a ser transferida para atendimento em Manaus, onde foi tratada por três dias, mas não resistiu. A filha declarou que não houve autorização da família para tratar a sua mãe com hidroxicloroquina e que só descobriu que depois de pedir o prontuário médico. O caso foi denunciado para a polícia.

Na verdade, é preciso que se faça uma varredura, para descobrir se muitos hospitais do Brasil não está tendo este tipo de tratamento com o povo, ou até mesmo ingerindo comprimidos que já foram reprovados pela medicina, como o Cloroquina e outros.  

A Secretaria de Saúde do Amazonas informou que “não compactua com a prática de qualquer terapêutica experimental sem comprovação científica. Ao tomar conhecimento, a SES=AM encaminhou ofício ao município solicitando que abra processo administrativo para apurar o caso, tendo em vista que Itacoatiara tem gestão plena em saúde e irá acompanhar o processo”.

De acordo com informações do G1, a idosa deu entrada no Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, no dia 6 de fevereiro. A filha disse que a mãe apresentou sintomas de Covid-19, mas que o estado de saúde dela não aparentava ser tão grave.

A família levou a idosa ao hospital, onde ela fez um exame de raio-x. E, de acordo com os parentes, foi a única vez que o hospital fez esse tipo de procedimento na paciente. Aos familiares, os médicos alegaram que a idosa tinha pneumonia e que a doença necessitava de cuidados no hospital e que isso levaria 15 dias. Mas, o processo como um todo levou um mês e 7 dias, quando a mulher morreu em Manaus.

A filha também relatou que teve dificuldade em transferir a mãe para um hospital particular em Manaus, que os médicos não autorizavam e alegavam que a paciente não aguentaria ser transferida.

“Eu só me atentei sobre a questão desse medicamento quando eu assisti a uma reportagem falando sobre o uso da hidroxicloroquina, a inalação e quais eram os sintomas que as pessoas sentiam, o que provocava isso. Eu me lembrei exatamente de como a minha mãe ficou no hospital. Eles faziam a inalação, mas apenas diziam que era inalação, não falavam com o que era feito a inalação. Falavam que ela tinha que fazer inalação com a máscara de bipap, que iria ajudar o pulmão dela, mas em nenhum momento foi nos informado com o que era feito essa inalação”, disse a filha ao G1.

O quadro da idosa se agravou ao longo do tratamento e, depois de ser transferida para o hospital Delphina Aziz, em Manaus, ela morreu depois de ficar três dias internada. O falecimento se deu no dia 13 de março.

Nebulização com hidroxicloroquina em Manaus

Esse não é o primeiro caso que acontece em Manaus. De acordo com a Secretaria de Saúde do Amazonas, pelo menos outras duas pacientes com Covid-19 foram submetidas a nebulização com hidroxicloroquina em uma maternidade em Manaus, em fevereiro, e uma delas morreu. A Polícia Civil investiga a denúncia de que pelo menos três mulheres grávidas morreram após a nebulização.

A Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), vinculada ao Ministério da Saúde, afirmou que considera o tratamento com cloroquina nebulizada em pacientes com Covid-19 em Manaus “um experimento clandestino e sem autorização legal”. Em nota, o órgão faz menção indireta às pesquisas com cobaias no nazismo.

Conselho de Medicina do Amazonas abre sindicância contra médica da nebulização com cloroquina

O Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM) informou em nota enviada à Fórum nesta quinta-feira (15) que abriu um procedimento de sindicância para apurar o uso de nebulização com hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19 no Instituto da Mulher e Maternidade Dona Lindu, em Manaus.

O procedimento, que tramita em sigilo em respeito ao Código de Processo Ético-Profissional, foi aberto após vir à tona a notícia de que médica ginecologista Michelle Chechter estava aplicando a “técnica experimental”, que não tem eficácia comprovada contra a doença do coronavírus, e que uma paciente que tinha acabado de dar à luz teve piora em seu quadro de saúde e morreu após ser submetida ao tratamento.

Com informações do G1.

 

 

Queiroga lamenta que governo gastou R$ 23 milhões e “ainda não conseguiu convencer população sobre aglomerações fúteis”


Da Revista Fórum

Em depoimento na Câmara, Marcelo Queiroga afirmou que o Ministério da Saúde gastou R$ 23 milhões em ações sobre aglomerações e uso de máscara, mas ignorou que Bolsonaro faz campanha contrária.

Em depoimento à Comissão Temporária da Covid-19 na Câmara dos Deputados na manhã desta segunda-feira (26), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a ressaltar o uso da máscara como essencial para conter a propagação do coronavírus e, após listar emissoras e órgãos de imprensa que foram contratados para ação publicitária, lamentou o fato de o governo ainda não ter conseguido convencer a população sobre os perigos de “aglomerações fúteis”.

“Eu estou aqui com a nossa assessora de comunicação e ela está me passando: campanha de prevenção e vacinação, veiculação de 30/03 a 06/05. Meio: televisão, rádio, mídia exterior e internet”, afirmou listando as emissoras e veículos contemplados. “investimento: R$ 23 milhões, né?”, disse o ministro, antes de reclamar da falta de conscientização da população.

Eu acho, inclusive, que isso aqui deve ser ampliado fortemente. Porque a gente ainda não conseguiu convencer a população brasileira em relação aos malefícios dessas aglomerações fúteis. Isso é um fator de ampliar a circulação do vírus. E do uso das máscaras”, ressaltou Queiroga.

“Eu acredito que só através de uma campanha educativa que vamos conseguir isso. Não será através de algum tipo de instrumento coercitivo. Pra mim, não vai resolver”, disse o ministro.

Queiroga, no entanto, ignorou as aglomerações causadas pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), que ignora o uso de máscaras em contato com apoiadores e se irrita com assessores que usam o artefato no Planalto.

O ministro também não se pronunciou sobre a campanha sistemática do presidente pedindo que apoiadores sabotem e não assistam os mesmos veículos de comunicação que o governo destinou a campanha milionária de conscientização.

Entre março e abril, Lula teve engajamento 9 vezes maior que Bolsonaro nas redes


 

De volta ao jogo eleitoral, Lula tem aumentado o engajamento e número de seguidores nas redes sociais quase 10 vezes mais que Jair Bolsonaro.

Em março, o petista teve um engajamento de 47,9%, ante 5% de Bolsonaro, no Facebook e Instagram.

Nos primeiros 19 dias de abril, a taxa de Lula foi de 6,17%. A de Bolsonaro, 1,33%.

Os números constam de levantamento da Ativaweb, agência especializada em comunicação digital e política. (…)

Considerando-se apenas o Instagram, Lula ganhou 121,2 mil seguidores, ante 4,4 mil de Bolsonaro, entre março e abril.

Gilmar Mendes está prestes a decidir se estende parcialidade de Moro a outras acusações contra Lula


Gilmar Mendes e o ex-presidente Lula
Gilmar Mendes e o ex-presidente Lula (Foto: ABr | Felipe L. Gonçalves/Brasil247)

“Relator dos demais pedidos sobre a parcialidade de Sergio Moro na Lava-Jato, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes vai avaliar, nos próximos dois meses, se estenderá a suspeição do ex-juiz a outros processos que miram Lula. A defesa do ex-presidente pediu ao ministro que estenda a parcialidade de Moro decretada pela Segunda Turma no caso do triplex a três processos que foram transferidos de Curitiba para a Justiça Federal de Brasília”,  escreve a jornalista Bela Megale em sua coluna no Globo.

“Uma das ações diz respeito ao sítio de Atibaia (SP) atribuído a Lula e as outras duas a transações entre a Odebrecht e o Instituto Lula. Gilmar garante a interlocutores que, no primeiro semestre, vai decidir o caso. O ministro votou a favor da suspeição de Moro no processo do triplex e desponta, com Ricardo Lewandowski, como um dos magistrados mais críticos a Moro e à Lava-Jato no STF”.

“Lula e seus advogados estão otimistas e acreditam que Gilmar estenderá a suspeição aos demais casos já que Moro atuou em todas as ações. Com isso, o juiz que recebe as investigações não pode usar nenhum material produzido pela Lava-Jato de Curitiba nos processos em que Moro for decretado suspeito. Isso já está imposto no caso do triplex do Guarujá”, escreve a jornalista.

Do 247