Após assassinato de Bruno e Dom, parlamentares dos EUA questionam política ambiental de Bolsonaro


Deputados do partido Democrata afirmam que é preciso fazer uma investigação independente e transparente sobre o assassinato do servidor da Funai e do jornalista britânico

Mais um crime bábaro que choca o mu7ndo. O primeiro foi de Mariele Franco, que até hoje ainda não foi revelado o mandante

De acordo a matéria da Revista Fórum, um deputado dos Estados Unidos, Raúl Grijalva (Democrata), se pronunciou nesta quinta-feira (16) sobre o assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips e pediu que a morte de ambos seja investigada de modo independente. O parlamentar também afirmou que isso será importante para saber quais foram as ações tomadas pelo governo de Jair Bolsonaro (PL) após o desaparecimento.

“Há numerosas questões que permanecem, não apenas sobre seu desaparecimento, mas sobre as ações subsequentes tomadas pelo governo Bolsonaro”, disse à Folha de S. Paulo o parlamentar, que representa o estado do Arizona e integra a Comissão de Recursos Naturais da Câmara dos EUA.

May be an image of text that says 'Panificadora Massa Fina Aqui também é lanchonete e o produto é de qualidade!! MassaFin Massa F Massa ina Venha comprar seu pão na certeza que estará levando um ótimo produto para sua casa. Aqui também você faz o seu lanche, onde pode escolher dentre a nossa variedade de salgados e sanduiches. Entre e fique a vontade!!! Estamos em Planaltino, ao lado da Feira Livre, aguardando você.'

Após assassinato de Bruno e Dom, parlamentares dos EUA questionam política ambiental de Bolsonaro.Créditos: Reprodução/Fantástico

“Peço ao sistema judicial brasileiro que responsabilize os autores destes assassinatos horríveis. O governo brasileiro deveria permitir uma entidade independente conduzir uma investigação intensiva e transparente. As famílias e amigos de Dom e Bruno merecem justiça, e podem ter certeza de que o mundo estará olhando de perto. A perda deles é uma notícia devastadora para a comunidade internacional, para o jornalismo e os direitos indígenas no Brasil e ao redor do mundo”, afirmou que Grijalva. 

Mark Pocan, deputado democrata pelo estado de Wisconsin, que integra um dos comitês de Orçamento vinculado às verbas ligadas à agricultura e desenvolvimento rural, também cobrou o governo brasileiro. “Jornalistas deveriam ter segurança para fazer seu trabalho, não importa o que estão investigando, se é pesca irregular, desmatamento ilegal ou governos corruptos. Espero que o governo brasileiro e os governos ao redor do globo garantam que assassinatos brutais como esse nunca se repitam”.

No photo description available.

Representante do Parlamento Europeu relaciona crime com Bolsonaro

A política ambiental do governo Jair Bolsonaro (PL) permissiva com o desmatamento e com a ação de criminosos na Amazônia e os constantes ataques do presidente a ativistas de direitos humanos e do meio ambiente abriram caminho para as mortes do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, segundo representante do Parlamento Europeu no Brasil. A avaliação mostra que o episódio trágico devastou ainda mais a imagem do Brasil no exterior.

Em entrevista ao jornalista Jamil Chade, do portal Uol, a eurodeputada Anna Cavazzini, vice-presidenta da delegação do Parlamento Europeu para o Brasil, lamentou o episódio e criticou o governo Bolsonaro. 

May be an image of outdoors and text that says 'Tudo para a sua MADEIREIRA EIRAJK construção Aqui você encontra tudo. Do alicerce ao interruptor! E mais: temos preços bons, qualidade e atendimento. Estamos lhe aguardando na AV. Brasília 404, em frente a Pousada Menina Bonita, em Maracás. Telefone whatsapp (73) 3533-2944'

“As mortes do jornalista Dom Phillips e do ativista dos direitos indígenas Bruno Pereira são notícias terríveis. As autoridades brasileiras devem investigar imediatamente os antecedentes destes assassinatos e levar os responsáveis à Justiça”, disse nesta quinta-feira (15).

“Estes assassinatos são também uma consequência da difamação dos ativistas humanos e ambientais pelo presidente Bolsonaro e do desmantelamento da legislação ambiental e de direitos humanos”, apontou.