Bancada Evangélica abre guerra contra governo Bolsonaro


 

Por Walter Salles, Café com Leite Notícias: Para quem já esperava ou sabia que o Governo de Bolsonaro será apenas uma continuidade do Governo Temer, uma travada briga entre evangélicos e o Governo que irá iniciar em Janeiro, não é uma novidade.

O pior de tudo, e que o povo, em parte não acompanha, é que tudo gira em torno de interesses. Assim que o Magno Malta se sentiu traído, aí, para ele, o Bolsonaro já não presta. “Você não acompanhou o Bolsonaro, Malta? Não já sabia de tudo que poderia acontecer? E por que tanta raiva só porque ele lhe trocou por Marco Feliciano”? É o que pergunta o povo brasileiro ao Magno Malta.

O estranho, é que durante a campanha, os eleitores de Bolsonaro acreditavam piamente que ele ia chegar para iniciar uma mudança. “O povo agora quer mudança”, diziam os eleitores de Bolsonaro, mas nunca pararam para pensar que o Bolsonaro era o candidato de Temer. Portanto, não é bom esperar muita coisa diferente do que já estava acontecendo. Na opinião de muitos, o risco é de iniciar em Janeiro, um governo que dê seguimento ao Governo Temer, porém, um pouco piorado. Com isso o blog Café com Leite Notícias não está querendo dizer que o governo que está chegando vai ser pior que o que estava. Apenas se segue uma lógica de que não ha mudança quando quem propõe tal mudança é aliado de quem supostamente esteja errado. Os líderes dos evangélicos ou realmente acreditava numa mudança, mas já desconfiam que não vai haver, pelo menos pra melhor, ou não ganharam o bombom que esperavam, o que é mais provável.
Esse desentendimento da bancada evangélica é só o começo. Logo os grandões da bancada mandarão recados para que os pequenos comecem a criticar o governo que vai começar em janeiro e a crítica surge, ou…pode rolar outros acertos.

Veja esse vídeo do DCM e depois continue lendo outros assuntos na matéria.

Muito poder antes da hora

Nunca se viu tanto poder numa cúpula de integrantes de um futuro presidente como está acontecendo agora, como o caso do filho do presidente eleito, que, usando um boné que exalta o verdadeiro presidente do Brasil a tomar posse no dia 1° de janeiro de 2019, Bolsonaro filho, entre outras estupidezes a que é tão afeito, reafirmou a decisão estapafúrdia de transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém.

Como disse o jornalista Carlos Fernandes numa matéria que circulou no DCM, o Trump ri da obediência subalterna com que suas ordens são tão prontamente recebidas e acatadas nessas paragens ao sul da linha do Equador. E olha que esse é apenas um item da lista do governo americano que todos nós seremos obrigados a pagar sem qualquer consulta e aprovação prévias do povo brasileiro.

Vexames diplomáticos como a retirada da candidatura única do Brasil para sediar a COP-25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas) em 2019, atesta o descaso com que o país sob Bolsonaro trata o meio ambiente numa franca subserviência aos interesses imperiais norte-americanos.

A entrega definitiva da base de lançamento de foguetes de Alcântara no Maranhão para uso exclusivo dos Estados Unidos é outra medida que deixa claro o quanto nosso território volta a ser o grande quintal dos poderosos de lá.

Fica bem claro, que o Ronald Trump não quer que o Brasil se desenvolv. Pelo contrário, quer pisar no Brasil, ou seja: ter sempre o Brasil debaixo dos seus pés. Agora que encontrou um presidente disposto a fazer todas as vontades, a situação tende a piorar.

É quando se vê tanta entrega das riquezas brasileiras para os Estados Unidos, é que muitos dos brasileiros começa a sentir saudade de um presidente que “peitou” o presidente americano, o Jorge Bush, dizendo que o povo americano ia ser tratado no brasil com a mesma medida que o povo brasileiro fosse tratado lá. Em outra ocasião, durante encontros de presidente, quando o Bush entrou no recinto os presidentes levantaram, mas alguns continuaram sentados. Quando vieram questionar ao presidente brasileiro o por que dele não ter se levantado para o presidente dos EUA, a resposta foi que “ontem quando eu entrei ele já estava aqui e ninguém se levantou inclusive ele, por que eu teria que me levantar? Refere-se ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que por defender o Brasil e os brasileiros, não agradou às forças americanas, que é quem está por trás de tudo que aconteceu no nosso país nos últimos quatro anos. Café com Leite Noticias.