Tia de médico morto pela PM desabafa: ”Vítima de governo que mata e depois pergunta”


O médico Luiz Augusto Rodrigues
O médico Luiz Augusto Rodrigues

 

 

O médico Luiz Augusto Rodrigues, de 45 anos, foi morto pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) durante uma abordagem, na madrugada desta quinta-feira (28). Ele estava acompanhado de um amigo.

Segundo os bombeiros, que atenderam a ocorrência, o endocrinologista estava desarmado e levou um tiro na cabeça. O militar que atirou usava uma carabina calibre 5.56.

De acordo com a PM, os militares viram dois homens em atitude suspeita, em frente ao Teatro dos Bancários, perto de uma caminhonete. Ao realizarem a abordagem, segundo o relato da corporação, um dos homens apontou uma arma.

Um soldado reagiu e fez o disparo que acertou o médico, diz a PM. Por meio de nota, a corporação disse que “lamenta profundamente o desfecho da ocorrência e informa que vai instaurar um Inquérito Policial Militar para apurar todas as circunstâncias”.

O Corpo de Bombeiros constatou a morte do médico, no local. O soldado, que teria disparado contra o endocrinologista, se apresentou na 1ª DP e, por isso, não foi preso em flagrante.

Esposa

Viviane Rodrigues, de 44 anos, afirma que não recebeu explicações concretas da polícia sobre a morte do marido. Segundo ela, que soube da notícia na manhã desta quinta-feira (28), o ocorrido ainda não foi esclarecido para a família.

Viviane precisou comparecer à delegacia para buscar o carro do marido. “Falaram apenas que a culpa era 80% desse amigo que estava com ele. Parece que o amigo sacou a arma e o policial se assustou”, explicou.

Viviane informou ainda que Luiz Augusto tinha posse de arma, mas que não estava armado no momento e que sua arma se encontra em propriedade no interior do Goiás.

“Não sei o que aconteceu. Só falaram que ele levou um tiro de graça”, declarou. A falta de informações sobre a morte do esposo a fez buscar auxílio jurídico. Com informações do Pragmatismo Politico.