Se Lula não for candidato, Judiciário ‘vai passar a ter descrédito’ do povo, diz Rui Costa


[Se Lula não for candidato, Judiciário ‘vai passar a ter descrédito’ do povo, diz Rui Costa]

Se acordo à matéria do blog Metrô 1, o governador da Bahia, Rui Costa (PT) falou, hoje (11), sobre a pesquisa Datafolha, que aponta a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na corrida presidencial e afirmou que ausência do ex-chefe do Palácio do Planalto da disputa vai trazer um “descrédito” para o Judiciário.

“[Lula] está liderando porque o povo tem a convição de que o Lula está preso não porque cometeu uma irregularidade. Até porque ninguém disse até agora qual foi a irregularidade que Lula cometeu. Aquela história do apartamento é a mesma historinha do papai noel. Ninguém acredita naquilo. O povo está convencido de que Lula está preso, porque querem impedir que ele seja candidato. Por isso, que o povo continua votando nele. Isso significa que, se não for resolvido isso, boa parte da população vai passar a ter descrédito do sistema judicial, porque algus membros da Justiça, para não generalizar, passaram a fazer militância partidária”, afirmou o governador.

Segundo o levantamento divulgado neste final de semana, o ex-presidente Lula tem 30% das intenções de votos. Em seguida, aparece Jair Bolsonaro (PSL), com 17%, e Marina Silva com 10%.

 

Café com Leite Notícias: Os demais candidatos são os consideradas, até agora, retardatários. As coisas ficam mais explicadas, em relação ao Ciro Gomes, de não ter vestido a camisa da esquerda solidária a Lula quando o mesmo foi preso, quando agora ele já começa a cogitar a possibilidade de fazer alianças com partidos de direita, como o DEM, onde na Bahia o presidente do PDT baiano, o Félix Mendonça Junior, disse que se ocorrer uma aliança entre o DEM da Bahia e o Ciro, nada vai mudar na orientação política.

Lá pras bandas de Brasília, o presidente da câmara, Rodrigo Maia, disse que não está nos seus planos apoiar o Ciro, como se tivesse descartando, o que pode ser uma jogada. Na verdade, o que vai haver é uma ‘queda de braço’ entre o Ciro e Alckmin pelo apoio do DEM.

Essa abertura do pedetista para terrenos da direita mostra que realmente tem muita coerência com ele ter se comportado de forma não definida sobre defender o Lula e a sua candidatura. Se é esquerda, é esquerda. Usando aqui um versículo bíblico, “ninguém consegue servir a dois senhores”.

Agora, com essa falta de paciência do Ciro, ou mais do que isso, a ansiedade para chegar ao Planalto, a certeza de Lula ser candidato cresce, pois, como disse o Rui Costa no começo da matéria, o Judiciário não vai querer perder o resto de credibilidade que têm perante ao povo. Já que não apresentaram provas para justificar a prisão do Lula, o mínimo que deve acontecer, já que não vão deixa-lo livre para concorrer as eleições, que permita deixa-lo concorrer encancerado, e se ganhar, que seja a sua vitória o passaporte para a sua liberdade e posteriormente governar este país.

No caso de travarem a candidatura do Lula, certamente será o Haddad que irá concorrer, o que já sinalizou que decolará com facilidade. Nesse caso, o que resta para Ciro crescer nas pesquisas, é disputar com o Alckmin o apoio de partidos de direita. O quadro poderia ser outro caso o pedetista, lá atrás tivesse se posicionado ao lado do PT, ao invés de ficar no meio, tentando morder os dois lados.