Rui Costa inaugura Hospital da Mulher; unidade começa a receber pacientes nesta sexta (13)


O Hospital da Mulher (HM), que começa a receber pacientes para internamento nesta sexta (13), e abre totalmente na segunda (16), é um hospital de regulação. As mulheres precisam passar por consultas em outras unidades de saúde antes de serem encaminhadas para o hospital.

 download-1

“Esse não é um hospital de porta aberta. Quem vier aqui para marcar uma consulta não vai ser atendida. É preciso que essa mulher se dirija a uma unidade básica de saúde do seu município, faça uma consulta e a partir de lá seja agendada (para o HM)”, explica o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. O HM tem uma emergência, para casos especiais. “Em casos de emergência ginecológica, teremos um pronto atendimento de 24h aqui, principalmente de violência sexual”, completa o secretário.

Segundo o governador, o HM será um hospital de alta rotatividade, com poucos internamentos. “Aqui não será um hospital para ter pacientes de longa duração ou pacientes crônicos. Por isso tem dez salas cirúrgicas, queremos fazer muitas cirurgias. A partir delas, as mulheres poderão seguir seu tratamento (em outros lugares)”, informa.

Em seu discurso durante a inauguração, a secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Olívia Santana, citou as chacinas de Campinas, em São Paulo, e Feira de Santana, como exemplos de misoginia e machismo. “Sei que é um momento de alegria, mas a gente não pode esquecer que a vocação de um governante é enfrentar desafios. O governador Rui Costa rema contra a maré nacional, em que houve retrocesso nas políticas para as mulheres. Ele reafirmou seu compromisso pela vida e pela saúde das mulheres”, parabenzou.

A médica e presidente da Comissão de Mulheres da Assembleia Legislativa da Bahia, Fabíola Mansur, comemorou a inauguração do hospital. Segundo ela, a unidade dará prioridade a certos atendimentos, diminuindo as filas e salvando vidas de mulheres. “Pra mim é um presente, para as mulheres baianas e para a saúde como um todo. Certamente será um marco na assistência à mulher. Vamos zerar fila, dar um tratamento diferenciado e fazer medicina de primeiro mundo com verba do SUS.”, afirmou a deputada.

Estrutura
Com investimento superior a R$ 40 milhões, o HM é considerado um centro de referência estadual. A unidade possui dez salas cirúrgicas e 136 leitos, sendo 97 destinados à internação, 10 para terapia intensiva (UTI) e 29 leitos para hospital-dia. O centro de diagnóstico está equipado com tomógrafo computadorizado, mamógrafo, ultrassom, doppler scan, raio-X e laboratório 24 horas. O hospital tem capacidade para realizar 9 mil consultas e mil cirurgias por mês.   Fonte:Correio