Rock in Rio: Primeira banda feminina no dia do metal dedica música a Marielle…


Resultado de imagem para foto de marielle franco

 

Resultado de imagem para foto da banda Nervosa no Rock in Rio

O dia do metal no Rock in Rio teve hoje, pela primeira vez, a apresentação de uma banda formada apenas por mulheres, com o trio paulistano Nervosa tocando na abertura da programação do palco Sunset. Foi um show com som pesado, feminismo e música dedicada a Marielle Franco, vereadora assassinada em 2018 no Rio de Janeiro. Formado pela vocalista e baixista Fernanda Lira, pela guitarrista Prika Amaral e pela baterista Luana Dametto, o trio Nervosa levou ao festival um thrash metal brutal, com poucos intervalos, e fez o público abrir as primeiras rodas do dia.

Resultado de imagem para foto da banda Nervosa no Rock in Rio

Logo de cara, a líder Fernanda Lira agradeceu ao público e falou sobre o sonho realizado de se apresentar no Rock in Rio. Os discursos mais politizados vieram em dois momentos – o primeiro antes de Guerra Santa. “Essa próxima [música] fala sobre quando a gente faz essa mistura perigosa, que é religião com governo, que infelizmente está acontecendo bastante no Brasil. Cuidado, pode dar bosta!”, afirmou a vocalista.

Em dois momentos do show, houve gritos contra o presidente Jair Bolsonaro, e a vocalista respondeu em ambos. Primeiro, disse “música para meus ouvidos”, depois disse estar orgulhosa da plateia.

Ao apresentar a música Raise Your Fist, Fernanda lembrou do assassinato da vereadora Marielle Franco e a homenageou. “Essa próxima música fala sobre acreditar em um ideal, lutar por um ideal e, às vezes, morrer por um ideal.

E a gente está na terra de uma pessoa que morreu, infelizmente, por um ideal, simplesmente porque ela queria justiça social. O nome dela era Marielle Franco, e essa música é pra ela”.

Bandeira defendida pela banda, o feminismo também esteve presente, com a vocalista chamando pelo público feminino e ironizando quem achava que mulher não podia fazer som pesado. “Cadê a mulherada aí da plateia? Acharam que mulher não podia fazer metal pesado, mas quem achou estava errado. Mulher pode fazer o que ela quiser, hoje e sempre. Deve fazer o que ela quiser”.

Fonte UOL.