Ricardo Boechat, um dos maiores jornalistas do Brasil morre em queda de helicóptero


O jornalista Ricardo Boechat morreu na queda de um helicóptero em São Paulo. O governo estadual confirmou a informação. Um helicóptero caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o piloto e outra pessoa que estava na aeronave morreram carbonizados.

O acidente aconteceu na altura do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco, próximo a um pedágio. Um helicóptero e 11 viaturas foram deslocados para as primeiras providências.

A concessionária CCR Rodoanel, que administra o trecho oeste do Rodoanel, informou que os motoristas podem acessar a Anhanguera sentido São Paulo e pegar um retorno no quilômetro 18 para o sentido Jundiaí.

Hoje pela manhã o jornalista fez o seu último comentário sobre a tragédia de Brumadinho. “Na Rádio BandNews FM, nesta manhã, o jornalista Ricardo Boechat citou o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, que deixou até o momento 165 mortos e 160 desaparecidos, além da morte de dez jovens da categoria de base do Flamengo, no final da última semana, entre outras tragédias; “A impunidade é o que rege, é o que comanda a orquestra das tragédias nacionais”, disse, horas antes de ser vítima fatal de um acidente de helicóptero; assista ao comentário.

Veja reportagem maior onde o jornalista comenta sobre impunidade no Brasil

 

A última aparição pública de Ricardo Boechat foi registrada na manhã desta segunda-feira (11), poucas horas antes do acidente que lhe tiraria a vida.

Durante o programa Café com Jornal, na Rádio BandNews FM, o jornalista lamentava o fato de os responsáveis pelas grandes tragédias no Brasil permaneceram impunes.

“A impunidade é o que comanda a orquestra das tragédias nacionais”, afirmou o jornalista, que voltou a criticar o descaso da Vale pelos crimes de Mariana e Brumadinho.

Ainda no programa, Boechat cita uma reportagem do jornal O Globo que enumerou diversas tragédias que resultaram em mortes no Brasil sem que ninguém tenha sido punido por elas.

“Não só os agentes públicos não pagaram nada por isso [tragédias], como os agentes privados e os seus sócios também não. Esse é o ponto que une todas essas tragédias e é preciso ver agora como será em relação a Brumadinho a ao Ninho do Urubu”, assinalou o jornalista.

Internautas revelaram-se chocados com a morte do jornalista e com as suas últimas palavras. “Meu Deus. Ele fala de tragédias e acaba de fazer parte de uma. Não somos mesmo nada nesse mundo”, escreveu uma internauta.

“O único jornalista que estava batendo de frente contra a Vale é morto vítima de um acidente de helicóptero”, lamentou outro.

Boechat era pai de seis filhos e ultimamente revelou que estava um pouco deprimido, mas nada tirava a sua coragem e garra de falar a verdade. Começou a sua carreira como jornalista na década de 70, sendo um jornalista que não tinha receio de expor o que o brasileiro queria saber. O que Boechat não sabia é que um pouco depois de deixar o programa Café com Jornal, ele iria sofrer um acidente fatal.

Veja foto do helicóptero em chamas.

 

O helicóptero pertencia à empresa RQ Helicópteros e tinha mais de 40 anos. De acordo com o portal R7, a aeronave estava com funcionamento regularizado até 9 de maio de 2023.