Perda do paladar por coronavírus chega a 40% dos casos e pode durar até 12 meses, afirma infectologista


Da CNN:

O infectologista Sergio Cimerman, do Hospital Emílio Ribas, disse à CNN, nesta segunda-feira (13), que a perda do paladar provocada pelo novo coronavírus pode chegar a durar até 12 meses.

“No início de da pandemia, pouco se falava sobre a perda de olfato e de paladar, mas depois foram ver fazer a análise retrospectiva com todos os pacientes, e em torno de 40% deles apresenta essa perda, que perdura, na grande maioria das vezes, até 14 ou 15 dias”, informa o médico. “Porém, existem alguns pacientes que têm essa perda de sensibilidade mais arrastada e que pode chegar até 12 meses”, acrescenta.

A perspectiva, contudo, ainda é preliminar e deve ter ser compreendida melhor diante de novos estudos das sequelas da doença causada pela COVID-19. “Como é que nós vamos saber isso? Daqui seis meses ou um ano, quando nós entendermos um pouco melhor a história natural da doença. E aí os otorrinolaringologistas vão poder fazer uma avaliação desse quadro desse paciente para poder avaliar se teve sequelas ou não”, completa.

O médico ainda explicou que quem ficou em isolamento por suspeita de coronavírus e agora começa a voltar para uma rotina mais semelhante à vida normal deve manter as orientações de higiene e, dentro do possível, continuar o isolamento social. Também deve ser mantida a distância, principalmente, de pessoas do grupo de risco – como idosos, por exemplo.

Fonte DCM