Pastor faz culto para imunizar Coronavírus e é investigado por curandeirismo e charlatanismo


Ser profeta é uma coisa, mas brincar com Deus achando que é profeta é outra.

Autoproclamado “profeta” Silvio Ribeiro disse que está sendo vítima de uma perseguição contra todos os cristãos

“Profetas” Silvio e Maria Ribeiro, da igreja Catedral Global do Espírito Santo (Reprodução/Facebook)
O autoproclamado “profeta” Silvio Ribeiro, pastor da igreja Catedral Global do Espírito Santo, virou alvo de investigação policial após promover neste domingo (1º) um culto de imunização contra o coronavírus, em Porto Alegre.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Laura Rodrigues Lopes, o pastor será investigado por um possível charlatanismo, que consiste na “exploração da credulidade pública, anunciando a cura por meio secreto ou infalível”.

Por meio das redes sociais, a população começou a compartilhar cartazes do panfleto que anunciava “O poder de Deus contra o coronavírus”. “Venha porque haverá unção com óleo consagrado no jejum para imunizar contra qualquer epidemia, vírus ou doença.”

Nesta segunda-feira, 2, o Ministério Público do Rio Grande do Sul recebeu dez denúncias sobre as promessas da igreja Catedral Global do Espírito Santo. A coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos, Angela Salton Rotunno, falou por meio de um vídeo publicado no Facebook do órgão que, a partir do momento em que o MP tomou conhecimento sobre as supostas promessas de cura, todas as medidas cabíveis foram tomadas. “Na área criminal, a conduta pode ser enquadrada como charlatanismo, como curandeirismo e, se houve algum tipo de pagamento, pode ser considerado estelionato”.

Na madrugada desta terça-feira (3), o pastor foi às redes sociais e disse que está sendo vítima de uma perseguição contra cristãos. “Eles não estão perseguindo Silvio. Eles não estão perseguindo o avivamento. Eles não estão perseguindo Catedral Global. Eles estão perseguindo todo aquele que é cristão, sendo católico, evangélico ou não”, disse exaltado.