Para senador da base de Bolsonaro, se professores estivessem armados teriam evitado a tragédia


Não tem como não parar o que estamos fazendo pra pensar um pouco sobre o pensamento de um senador da República, de achar que uma professora ou professor, que tem como meta ensinar de forma bastante satisfatória o alunado da escola, estaria segura em ter ali na gaveta da sua mesa uma arma. O que tem na cabeça um senador que os bons professores estão pensando em ter armas. Até quando o clima vai ser de terror? Pode ser que esteja passando desapercebido, mas a violência está cada vez maior. O senador, o presidente e todos que apoiam a ideia do armamento precisa saber é que quem planta espinhos colhe espinho, quem planta laranjas colhem laranjas, quem planta Oliveira colhe azeitonas, quem planta paz colhe paz e quem planta violência colhe violência, não tem para onde correr. E a violência já dá sinais de crescimento no país. Mas, entretanto, para um senador da marca deste aí, ele usa o massacre, para fazer a campanha do armamento. Já era, senador, esse projeto fracassou antes de ser criado. Até aqui Café com Leite Notícias.

Resultado de imagem para foto do senador major olimpio

O senador Major Olímpio (PSL-SP) disse hoje (13) que o massacre que vitimou dez pessoas na escola estadual Professor Raul Brasil em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, teria sido evitado caso os funcionários da escola estivessem com armas. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o parlamentar defendeu a revogação do estatuto do desarmamento e a redução da maioridade penal.

“Se os professores estivessem armados, e se os serventes estivessem armados, essa tragédia de Suzano teria sido evitada”, disse Olímpio durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. “Se tivesse um cidadão com arma regular dentro da escola, professor, servente, um policial militar aposentado, ele poderia ter minimizado o tamanho da tragédia. Vamos, sem hipocrisia, chorar os mortos e discutir a legislação, e onde estamos sendo omissos”, completou.

O massacre foi protagonizado por dois atiradores que mataram 8 pessoas e tiraram a própria vida em seguida. 23 pessoas foram levadas a hospitais. Entre elas, há pessoas que ficaram feridas e outras que passaram mal após o ataque.