Pancadaria em SP: reforma da Previdência é aprovada e servidores apanham da Tropa de Choque


Com 59 votos favoráveis e 32 contrários, a base do governo João Doria (PSDB) aprovou nesta terça-feira 3 a reforma da Previdência que é alvo de protesto de servidores em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

A Tropa de Choque da Polícia Militar de São Paulo reage com violência à manifestação de servidores estaduais que tentavam acompanhar a votação. Os policiais usaram bombas de gás, balas de borracha e spray de pimenta contra os manifestantes em frente ao Legislativo.

De acordo com assessoria de imprensa da Casa, durante o protesto, uma das portas do plenário teria sido quebrada durante a mobilização. A PM bloqueou os acessos para que servidores fossem impedidos de entrar.

A proposta de reforma da previdência prevê, entre outros pontos, aumento no recolhimento dos servidores, com desconto na folha de pagamento passando de 11% para 14%. Também estabelece idade mínima para aposentadoria de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. O governo pretende economizar R$ 32 bilhões em 10 anos com as mudanças.

Professores presos na Alesp

A professora Aline Rodrigues denunciou em seu Facebook que ela e outros professores da rede estadual estão presos no interior da Alesp. Metria publicada no 247.