Menina grávida aos 10 aceitou proteção do Estado: terá casa e nome novos


Palácio Anchieta/Gov ES - Foto: Agência AG
Palácio Anchieta/Gov ES – Foto: Agência AG

A menina que foi abusada e ficou grávida aos 10 anos aceitou proteção do Estado. Com isso ela poderá ter novo nome na identidade e uma casa gratuita para morar em outro lugar distante com a família.

A criança aceitou participar do programa de apoio às vitima de violência oferecido pelo governo do Espírito Santo, mostrado ontem no SóNotíciaBoa.

Entre as possibilidades oferecidas pelo benefício, estão a troca de endereço, identidade e promoção da segurança da família e da criança, tratamentos físico e psicológico, mais ajuda financeira por dois anos, renováveis pelo mesmo período.

Fonte Notícia Boa

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Brasileiros criam teste pra Covid mais eficiente e barato que PCR


Foto: Universidade Federal de Goiás - UFG
Foto: Universidade Federal de Goiás – UFG

Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás desenvolveram um novo teste para detectar a Covid-19, mais simples, barato e rápido que o PCR usado atualmente.

A equipe do Instituto de Química do Laboratório de Genética Molecular e Citogenética do Instituto de Ciências Biológicas da UFG utiliza microchips descartáveis para o diagnosticar a Sars-Cov-2.

O método desenvolvido em Goiás também detecta o RNA do novo coronavírus na amostra coletada. A leitura é feita pelo próprio microchip, com um volume pequeno de secreção do paciente e reagentes.

Segundo os pesquisadores, o RT-LAMP é 10 mil vezes mais sensível que o PCR, portanto mais eficaz, informou o Jornal da UFG.

Outra vantagem é que o teste não precisa do RNA puro, ou seja, que algumas proteínas estejam fora da amostra.

Por serem descartáveis e portáteis e, ao contrário do PCR, não exigem instrumentação específica para a coleta e por isso o custo do teste chega a ser 40 vezes mais barato em relação ao padrão-ouro.

Como é feita a coleta

Depois de coletar secreção da boca ou nasofaringe, a amostra é colocada no microchip.

O resultado sai em menos de duas horas, bem menos que o PCF que leva 7 horas para dar o diagnóstico.

Outra vantagem é que a leitura é feita a olho nu, porque é colorimétrica, ou seja, se tiver o vírus, uma cor verde fluorescente aparece.

Até agora, o teste foi aplicado em 50 pessoas, entre voluntários, colaboradores da UFG e pacientes.

A próxima etapa inclui cerca de 200 pessoas para validar a segurança e a eficácia do procedimento.

Gabriela Rodrigues Mendes Duarte, professora da universidade e uma das responsáveis pela pesquisa, disse que até setembro o projeto será concluído e oferecida a instituições de saúde, hospitais e clínicas.

Com informação do Notícia Boa

Fiquem de olhos abertos: Caixa copia modelo de crédito que fez americanos perder casa própria e economia dos EUA quebrar


Agência da Caixa abre neste sábado em Passo Fundo para atender quem recebe benefícios e está sem cartão - Rádio Uirapuru

Pouco utilizada no Brasil, a Caixa Econômica Federal decidiu revitalizar a modalidade de crédito pessoal “home equity”. Com o nome Real Fácil Caixa, o novo modelo utiliza imóveis urbanos livres de ônus como garantia para a obtenção de novos créditos junto ao banco público. O novo crédito começou a valer esta semana. A justificativa do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, para a nova linha seria de aproximar o mercado brasileiro ao que é feito em países desenvolvidos. No entanto, as famílias poderão perder seu principal bem: a casa própria. Além desse fator, o banco público, mais uma vez, deixa de investir em políticas públicas de habitação para as famílias mais vulneráveis.

O presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto, vê com muita preocupação as medidas anunciadas pelo presidente da Caixa. “A casa própria é o bem mais precioso de boa parte das famílias brasileiras. Submetê-lo à lógica puramente especulativa dos mercados financeiros não me parece razoável e é só isso que o presidente da Caixa faz desde que chegou ao banco”, afirma.

Para a população que deseja contratar o crédito, o risco é altíssimo. Segundo o economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Sérgio Lisboa, para fazer o crédito pessoal Real Fácil Caixa é preciso atenção.

“O risco de perder o imóvel é real. Ter o imóvel como garantia de crédito pessoal compromete o patrimônio das famílias durante anos; por isso, é preciso ter certeza da capacidade de pagamento. Em um contexto de crise econômica e desemprego, por exemplo, não existe a garantia que a renda irá se manter e, sem o pagamento, o imóvel poderá ser confiscado”, explica.

Investir nessa modalidade requer educação financeira e planejamento, algo que a população brasileira ainda faz pouco. Dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) mostraram que 62% da população brasileira não economizou em 2019 e entrou em 2020 sem qualquer reserva financeira para algum tipo de emergência.

LOTES — Outro anúncio foi a linha de financiamento de Lote Urbanizado e Construção Individual. Ambas as modalidades, com funding no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e reajuste pela Taxa Referencial (TR), estarão disponíveis para contratação também a partir desta segunda-feira (3).

A modalidade de financiamento Lote Urbanizado também carece de esclarecimentos da Caixa, uma vez que o financiamento de lotes não fomenta a geração de emprego e pode fomentar a especulação imobiliária.

Na visão de Sérgio Takemoto, moradia é um direito e a Caixa Econômica, enquanto banco público, deveria priorizar a população de baixa renda. “A Caixa deveria estar cumprindo sua missão social. Vamos utilizar os recursos de um banco público para estimular a especulação imobiliária nos grandes centros urbanos?”, questiona o presidente da Fenae.

O EXEMPLO AMERICANO — O home equity é velho conhecido da economia americana, peça chave para explicar o estouro da bolha imobiliária e a crise de 2008.

Dados do Federal Reserve (FED) informam que em maio de 2009, as operações de crédito garantidas por imóveis estavam no patamar de S$ 611,3 bilhões. Em junho de 2020, dado mais recente disponível, essas operações eram de S$ 306,5 bilhões — uma queda aproximada de 50% no período. Esses empréstimos, que representavam 5% dos ativos bancários do país em 2009, agora respondem por menos de 2%, de acordo com a Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC).

Anos antes da crise, os bancos americanos ofertaram às famílias americanas uma enorme variedade de contratos financeiros de qualidade duvidosa que tinham, em última instância, imóveis como garantia. Os recursos foram usados inclusive para adquirir bens de consumo. Enquanto o mercado imobiliário estava aquecido e os imóveis das famílias se valorizavam, nada mais grave aconteceu.

Leia matéria completa no DCM

Para derrotar Trump, democratas apostam em senadora negra e indígena para vice de Biden


O candidato do partido Democrata à presidência dos Estados Unidos, Joseph Biden, anunciou nesta terça (11) que escolheu a senadora Kamala Harris para ser sua vice na disputa das eleições de 3 de novembro.

Representante da Califórnia no Senado, Harris é a primeira pessoa de ascendência negra e indígena a ser escolhida para compor uma chapa presidencial por um dos dois principais partidos do país.

Ela é apenas a quarta mulher em toda a História a disputar o comando dos EUA por democratas ou republicanos. Joseph Biden, que foi vice de Barack Obama entre 2009 e 2017, fez o anúncio por meio de uma mensagem de texto enviada a seus simpatizantes.

“Aqui é Joe Biden. Grandes novidades: escolhi Kamala Harris como companheira. Juntos, com vocês, venceremos Trump”, disse ele.

Ex-promotora de Justiça, Harris é considerada uma moderada pragmática. Analistas consideram que ela possa trazer o voto feminino e dos eleitores negros, sem causar grande rejeição de eleitores, tanto à sua direita, como à sua esquerda.

Após deixar a disputa pela vaga de candidata democrata em dezembro, Harris voltou ao Senado e recentemente se tornou uma das políticas mais atuantes depois do assassinato do negro George Floyd, morto pela polícia da cidade de Mineápolis em maio. Ela encampou a luta em defesa de leis mais duras para garantir igualdade racial nos EUA.

Joseph Biden lidera as projeções de intenção de voto por dez pontos percentuais, 51% a 41% entre os eleitores registrados, com 4% de indecisos, segundo a pesquisa Monmouth. A vantagem em relação a Donald Trump, que busca a reeleição, é mais do que Hillary Clinton já conseguiu sobre o republicano na corrida que o elegeu, em 2016.

A má condução do país durante a crise da covid-19 é apontada como o principal motivo para a perda de apoio que sofre o atual presidente.

Fonte DCM

Prisão de Bannon põe em xeque discurso de moralidade da extrema direita


“A prisão e o processo contra ele mostram que a extrema direita cultua um discurso falacioso de moralidade, de combate à corrupção, e não passa de estratégia discursiva”, diz Sérgio Amadeu, professor da UFABC. CPMI das Fake News deverá requerer informações aos EUA para esclarecer vínculo do clã Bolsonaro com Steve Bannon.

Em jantar oficial em Washington, Steve Bannon sentou-se ao lado de Jair Bolsonaro. O estrategista digital foi preso por fraude financeira em campanha virtual de arrecadação junto a eleitores de Donald Trump

Publicado originalmente na Rede Brasil Atual:

Por Eduardo Maretti

A prisão do ex-assessor político Steve Bannon, estrategista da campanha de Donald Trump de 2016, nesta quinta-feira (20), representa “o início de um desmascaramento dos ideólogos que se colocavam contra o sistema”. “A prisão e o processo contra ele mostram que a extrema direita cultua um discurso falacioso de moralidade, de combate à corrupção, e não passa de estratégia discursiva”, diz Sérgio Amadeu, professor associado da Universidade Federal do ABC (UFABC).

“Na prática, ele (Bannon) cultua valores do grande capital, do lucro e do dinheiro acima de tudo.” Amadeu lembra que o estrategista dirigiu uma operação antiética por meio da qual cerca de 300 mil pessoas, só no Brasil, tiveram seus perfis analisados pela Cambridge Analytica. A consultoria de dados teve Bannon como executivo, e é acusada de ter interferido em vários processos políticos no mundo. A estratégia é idêntica em todos eles, com tecnologias de disseminação de desinformação e notícias falsas altamente sofisticadas.

Bannon indica filho de Bolsonaro como líder do neofascismo no mundo

Ele foi preso sob a acusação de fraude financeira na campanha virtual de doações para construção de um muro separando Estados Unidos e México, prometido por Trump na disputa eleitoral com a democrata Hillary Clinton, em 2016.

Próximo aos Bolsonaro

Como organizador de redes de manipulação de informação, de desinformação e de fake news, Bannon teria alavancado a vitória do presidente dos Estados Unidos e o Brexit (a saída do Reino Unido da União Europeia). Considera-se que ele foi um “consultor informal” da campanha de Jair Bolsonaro à presidência do Brasil. É próximo do clã presidencial e foi fotografado inúmeras vezes com membros da família.

Amadeu defende a necessidade de a Justiça brasileira e o Ministério Público apurarem qual foi a participação de Bannon e seus métodos na eleição de 2018. “Ele pode ter cometido crime, se interferiu com seus métodos durante o processo eleitoral.” Após publicidades continua a matéria.

 

“Em outros países, ele ajudou na articulação dessas redes. Na campanha de 2018, no Brasil, a gente sabe que isso foi feito com caixa 2, mas agora temos indícios de que dinheiro público também tem sido usado  nesses financiamentos. E principalmente através de nomeação de assessores parlamentares e da própria presidência”, afirma a deputada Natália Bonavides (PT-RN).

“Me chamou a atenção a razão de sua prisão”, observa Natália. Em sua página no Facebook, o cientista político Vitor Marchetti faz uma analogia com um importante personagem do século 20 na história dos Estados Unidos. “Al Capone, o famoso mafioso, cometeu inúmeros crimes ao longo de sua vida. Assassinatos, roubos, comércio ilegal etc. Foi preso por evasão fiscal. Hoje, Steve Bannon foi preso por fraudar uma campanha de arrecadação de dinheiro para a construção do muro do Trump. Algo próximo de vender lote na lua”, ironizou o analista.

A suspeita do Departamento de Justiça dos Estados Unidos é de que a campanha We Built That Wall (“Nós Construímos o Muro”) foi na verdade utilizada para lavar dinheiro de doadores.

CPMI das Fake News

Integrante da CPMI das Fake News no Congresso Nacional, Natália Bonavides diz que, para a comissão, o vínculo dos Bolsonaro com Bannon “já estava posto, explicitado pelos próprios Bolsonaro até com fotos, e isso mostra que ele foi uma espécie de conselheiro informal dos Bolsonaro realmente”.

A comissão está suspensa e sem data para ser retomada, devido à pandemia de coronavírus. A deputada defende que, no retorno, sejam aprovados requerimentos para colher informações endereçados inclusive a autoridades norte-americanas. “Vamos pedir para que compartilhem conosco se há algum indício de que esse dinheiro supostamente desviado foi usado em campanhas ou em outras articulações internacionais.”

 

MP suspeita que Flávio Bolsonaro lavou R$ 2,1 milhões em loja de chocolates


Do Estadão:

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) investiga se a compra de uma franquia da Kopenhagen pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e a movimentação financeira da loja foram usadas para lavar dinheiro. Os promotores suspeitam que ao menos R$ 2,1 milhões possam ter sido “legalizados” com as duas frentes de negócio. O senador nega ter cometido qualquer tipo de crime. Após as publicidades continua a matéria.

 

Pelo menos R$ 500 mil teriam sido ocultados na aquisição da loja, em dezembro de 2014, e outro R$ 1,6 milhão foi movimentado na conta da empresa de forma suspeita. Esse dinheiro teria sido lançado como venda de chocolates, em dinheiro vivo, para dissimular a origem dos recursos, registram os autos. Parte do valor seria desviada do suposto esquema de “rachadinha” – recolhimento de parte dos salários dos assessores – no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Para os investigadores, as quebras de sigilo evidenciaram “aportes de recursos em espécie na conta bancária da empresa de forma desproporcional ao seu faturamento” e indicaram conexão entre valores lançados como venda em dinheiro com datas de arrecadação dos salários de assessores do gabinete pelo seu ex-assessor Fabrício Queiroz, preso desde 18 de junho.

(…)

A casa caiu para os arapongas argentinos. E no Brasil? Por Moisés Mendes


Do DCM

Os argentinos já sabem quem era o servidor que fazia a ponte entre Mauricio Macri e os seus arapongas encarregados de perseguir adversários políticos. Era Dario Nieto, secretário particular de Macri, o Sombra, ao seu lado na foto.

Esta semana, os promotores Cecilia Incardona e Santiago Eyerhabide pediram ao juiz federal Juan Pablo Auge que o secretário seja ouvido nas investigações sobre a estrutura de espionagem ilegal montada por Macri nos quatro anos de governo.

No dia 25 de junho, a polícia fez busca e apreensão na casa de Sombra, que fugiu para um carro. Encerrado no veículo, passou a deletar mensagens no celular.

As investigações já recuperaram parte das mensagens em que ele se comunica com outros assessores de Macri envolvidos nas espionagens. Quatro celulares de Nieto estão com o Ministério Público.

A espionagem era comandada de dentro da Agência Federal de Inteligência (AFI), de onde eram monitorados todos os passos de Cristina Kirchner, deputados, senadores, jornalistas, sindicalistas e líderes de entidades consideradas inimigas.

O Ministério Público já sabe que eram espionados ilegalmente, além de Cristina, o bispo Jorge Lugones, os jornalistas Hugo Alconada Mon e Rodis Recalt, o líder caminhoneiro Hugo Moyanoaneda e até Florencia Macri, irmã do presidente.

Por que Macri queria vigiar a própria irmã? Três espiões, Leandro Araque, Facundo Melo e Jorge “El Turco” Sáez, disseram em delações que Macri teria interesse em seguir os passos do cunhado, o italiano Salvatore Pica, porque estaria envolvido em atividades ilegais e até tráfico de drogas.

Macri já foi acusado de espionar outra irmã, Sandra Macri. A extensão da estrutura mafiosa da família talvez venha a ser melhor entendida com os resultados das investigações em torno da arapongagem.

Pois Nieto, com sala ao lado do gabinete de Macri, sabe tudo que acontecia ao redor do chefão. Era o encarregado de levar e trazer informações e de repassar orientações aos arapongas.

O apelido Sombra vem do fato de que estava sempre onde Macri estivesse. Era e continua sendo secretário particular, motorista, carregador de malas e celulares e o sujeito que acompanhava Macri até a porta do banheiro.

Dependendo do seu depoimento, sem data definida, o secretário poderá ter o destino de mais de 20 envolvidos nas espionagens criminosas, que foram ouvidos e presos.

Mas o Ministério Público, o Congresso e a Justiça só passaram a desvendar a estrutura da arapongagem com o fim do governo de Macri.

Esta semana, no Brasil, o Supremo decide quais são os limites de atuação dos arapongas de Bolsonaro, a partir da denúncia de existência do dossiê contra servidores antifascistas.

Na Argentina os arapongas ilegais da AFI também tinham limites. Mas toda a estrutura de espionagem de Macri, chamada por eles mesmos de Super Mario Bros, existia dentro da organização estatal.

Agentes da AFI, sob o comando da direção da agência, e gente de fora do governo participavam das ações. O grupo tinha espiões até para marcar os horários de entrada e saída dos carros de políticos da oposição no Congresso.

E no Brasil, quem é o Sombra de Bolsonaro, um obsessivo com atividades de ‘inteligência’ e com informações secretas? Uma obsessão que faz com que tenha, como ele já disse, uma ‘inteligência’ particular. E que o levou ao confronto com Sergio Moro por ser um ministro inoperante na área da arapongagem.

O Supremo deve determinar limites bem claros para que os espiões perseguidores de militantes antifascistas prestem atenção ao que é legal.

Mas arapongas são arapongas porque fazem o que fizeram na ditadura no Brasil e em toda parte e no governo de direita de Macri na Argentina.

Arapongas montam dossiês ilegais porque são arapongas. Uma hora, dizem os argentinos, a casa cai. Mas talvez só caia mesmo na Argentina.

 

Eficácia da máscara é “quase nula”, diz Bolsonaro a seus apoiadores no cercadinho do Alvorada


Bolsonaro sanciona lei que torna obrigatório o uso de máscara - ISTOÉ Independente

Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada na tarde desta quarta (19), o presidente Jair Bolsonaro disse que a máscara de proteção utilizada contra a covid-19 tem eficácia “quase nula”.

“Tem algum médico aí? A eficácia dessa máscara é quase nula”, afirmou ao ser perguntado sobre o uso da máscara por uma seguidora.

Fica bem claro que cada vez mais a quantidade de apoiadores no cercado diminui. Pela forma que a câmera filma, sempre mostrando de perto e sem mostrar o público.

Cada um se comporta como quer, mas sair acompanhado com com aqueles ministros e outros funcionários, aquele tanto de carros oficiais para ficar com aquela conversa que não leva a lugar nenhum, é um pouco complicado para um presidente. Tudo isso é muito desgastante para a população que quer outro tipo de postura de um chefe do executivo federal..

A apoiadora pergunta a Bolsonaro sobre a máscara no minuto 2:02 da parte 2 do vídeo.Com informação do DCM. Assista o vídeo.

Com informação do DCM

 

Cármen Lúcia vota pela suspensão da produção pelo MJ de informações sobre antifascistas


Ministra é relatora de ação no STF contra produção pelo Ministério da Justiça de dossiê com informações de quase 600 servidores identificados como antifascistas e opositores do governo.

Artigo da ministra do STF Cármen Lúcia: Medos e esperanças - Jornal O Globo

Do G1

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quarta-feira (19) a favor da suspensão “todo e qualquer ato do Ministério da Justiça de produção ou compartilhamento de informações sobre a vida pessoal, escolhas pessoais e políticas, práticas cívicas dos cidadãos, servidores públicos identificados como integrantes de movimento político antifascista”.

A ministra é relatora da ação do partido Rede Sustentabilidade que pede a suspensão imediata da produção, pelo Ministério da Justiça, de um relatório sigiloso, suposto dossiê contendo informações de quase 600 servidores públicos, a grande maioria ligada a movimentos antifascistas opositores do governo.

O julgamento foi interrompido e deve ser retomado nesta quinta-feira (20) para o voto dos demais ministros. No início da sessão desta quarta, a Advocacia-Geral da União e a Procuradoria Geral da República pediram a rejeição da ação (veja mais abaixo).

Em seu voto, a ministra Cármen Lúcia afirmou que a ação se justifica. “Não é dito: ‘Não é dossiê, não há relatório'”.

“Como ele [ministro da Justiça, André Mendonça] não disse que não existe relatório, ele reclama do Supremo um salto de fé”, disse a relatora.

“Se não há dossiê, do que estamos falando em matéria administrativa, que levou até a afastamento de servidor?”, argumentou a ministra, em referência ao afastamento do diretor responsável pelo setor que produziu o relatório.

A ministra afirmou que recebeu do ministro da Justiça uma nota explicativa sobre o relatório e que, nessa nota, Mendonça afirmou que não solicitou qualquer relatório e só teve conhecimento da existência do documento pela imprensa.

“Benza Deus a imprensa livre do meu país, benza Deus que temos ainda Judiciário que tem conhecimento disso e que dá importância devida para a garantia da democracia no sentido de a gente verificar do que se trata, do que é e qual a resposta constitucional a ser dada”, disse a ministra.

Ela lembrou ainda que Mendonça chegou a dizer à Corte que o Judiciário não deveria ter acesso às informações e defendeu que o cidadão “tem pleno direito, inexpugnável, de contrapor-se a eventual ação secreta do Estado sobre a sua vida particular ou a sua vida política”.

Para a ministra, “o proceder de dossiês, pastas, relatórios, informes sobre a vida pessoal dos cidadãos brasileiros não é nova no nosso país e não é menos triste termos que voltar a esse assunto quando já se acreditava que era uma face mais negra da nossa história”.

“A República não admite catacumbas, a democracia não se compadece com segredos”, afirmou.

“Ninguém está a cogitar que não seja possível o não cumprimento da lei, qualquer que seja o órgão.”

A ministra questionou ainda o argumento de que os dados seriam usados em atividade de inteligência.

“O serviço de inteligência é necessário. Não é isso que está em questionamento. O uso ou abuso da máquina estatal caracteriza, sim, desvio de finalidade, pelo menos em tese.”

Segundo ela, o Estado não pode ser “detrator, menos ainda em afronta a direitos fundamentais, que é sua função garantir e proteger. O estado tem o dever de impedir ameaça ou lesão a direito”, declarou.

Sustentações orais

O advogado-geral da União, José Levi Mello, pediu que a liminar seja negada.

“A União rejeita toda e qualquer forma de autoritarismo ou totalitarismo, aí incluído o fascismo”, afirmou Levi, para quem a atividade de inteligência deve respeitar o interesse público (veja no vídeo abaixo).

José Levi: 'A União rejeita toda e qualquer forma de autoritarismo ou totalitarismo'

José Levi: ‘A União rejeita toda e qualquer forma de autoritarismo ou totalitarismo’

José Levi negou que o ministro da Justiça, André Mendonça, tenha se recusado a entregar o relatório ao STF, afirmando que não houve pedido expresso e que “não há sigilo oponível ao Supremo”.

Segundo José Levi, o sigilo das informações coletadas, no entanto, serve para proteger autoridades e cidadãos em ambiente de análise “informativo, e não investigativo” e que a atividade de inteligência deve continuar respeitando premissas já definidas pelo STF. “Não há dados para além de dados de alcance público”, disse.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que “o Ministério Público não admite governos que espionem opositores políticos”, mas que teve acesso ao relatório de inteligência e afirmou que ele não reúne dados com fins investigatórios. “Relatório de inteligência não se confunde com investigação criminal”, afirmou.

Leia matéria completa no G1

Uma boa notícia: Anti-inflamatório acelera recuperação de pacientes com Covid


Coronavírus: sem leito público, paciente com covid-19 paga R$ 20 mil por dia em Roraima

Pesquisadores da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto, fizeram um estudo clínico e descobriram que um anti-inflamatório já conhecido, chamado colchicina, é capaz de acelerar a recuperação de pacientes hospitalizados com coronavírus.

O medicamento, usado há décadas no tratamento da gota, pode combater a inflamação pulmonar desses pacientes, até mesmo os mais graves, diz o estudo. (veja alerta abaixo)

O artigo científico, com apoio da Fapesp, foi publicado na Medrxiv com o título: “Os benefícios da colchicina para a forma moderada ou severa de Covid-19”.

“Voluntários tratados com o fármaco ficaram livres da suplementação de oxigênio, em média, três dias antes do que os pacientes que receberam apenas o protocolo terapêutico padrão do hospital. Além disso, puderam voltar para casa mais cedo”, disse o médico Renê Oliveira, que coordenou o estudo no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP).

Paulo Louzada Junior, professor da FMRP-USP e coautor do artigo, disse que o remédio é barato e reduziu o tempo de recuperação dos doentes.

“Cada dia de internação em unidade de terapia intensiva [UTI] pode custar entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por paciente. A suplementação com oxigênio, mesmo quando é feita fora da UTI, também é uma terapia cara. A colchicina, por outro lado, é um medicamento barato e com potencial de uso em larga escala. O tratamento completo custou cerca de R$ 30 por paciente”, afirma Louzada Junior.

Outra vantagem do fármaco, segundo os pesquisadores, são os efeitos colaterais, amplamente conhecidos pelos médicos, sendo o principal deles a diarreia. Após publicidades continua a matéria.

Alerta

“De modo geral, a colchicina é considerada segura. Mas é importante ressaltar que, no caso da COVID-19, os benefícios foram observados apenas em pacientes hospitalizados e com algum nível de comprometimento pulmonar. Não recomendamos o uso indiscriminado do fármaco, nem para prevenção e nem para tratar sintomas leves da doença”, destaca Louzada Junior.

Mesmo no caso de pacientes internados em hospital, explicam os pesquisadores, os benefícios ainda precisam ser confirmados em uma pesquisa com um número maior de participantes.

“Já solicitamos autorização da Conep [Comissão Nacional de Ética em Pesquisa] para a próxima fase e, em breve, começaremos a recrutar voluntários”, conta Oliveira.

Pesquisa 

Para testar a hipótese de que a colchicina poderia amenizar a tempestade de citocinas inflamatórias que costuma ocorrer nos quadros mais graves de COVID-19, os pesquisadores da USP fizeram, entre os dias 1º de abril e 6 de julho, um ensaio clínico controlado, randomizado e duplo-cego.

Esse é o tipo de estudo considerado padrão-ouro para guiar a prática clínica, pois, como nem os médicos e nem os pacientes sabem quem de fato está tomando o composto em teste, o risco de vieses (por exemplo, selecionar pacientes mais ou menos graves para determinado grupo) é reduzido.

Os 38 participantes foram divididos aleatoriamente em dois grupos, ambos tratados com o protocolo terapêutico padrão do hospital para COVID-19.

Um dos grupos recebeu adicionalmente a colchicina e, o outro, placebo. Foram incluídos pacientes com insuficiência respiratória que precisaram ser internados para receber suplementação de oxigênio.

Resultados

Os resultados descritos no artigo são referentes a 35 dos 38 participantes – 18 do grupo placebo e 17 do grupo tratado com colchicina. Nenhum dos 38 voluntários morreu.

Ao comparar os resultados dos grupos, os pesquisadores concluíram que a colchicina promoveu benefícios: reduziu o tempo de oxigenoterapia, reduziu o tempo geral de internação e diminuiu mais rapidamente os níveis de proteína C-reativa no sangue, molécula considerada o principal marcador de inflamação sistêmica.

“Após sete dias de tratamento, os marcadores inflamatórios retornaram aos níveis normais”, conta Louzada Junior.

“Os primeiros estudos feitos com pacientes que desenvolveram a forma grave da COVID-19 mostraram que eles apresentavam aumento importante dos níveis sanguíneos dessas mesmas citocinas, então imaginamos que a colchicina poderia ter um efeito benéfico, diminuindo a inflamação pulmonar que leva à insuficiência respiratória”, conta o pesquisador.

A próxima fase do ensaio clínico será aberta, ou seja, os pacientes serão convidados a participar e terão a certeza de estarem tomando o medicamento.

Os critérios de inclusão serão menos restritos, podendo participar, por exemplo, pacientes com câncer e outras doenças crônicas, conta Oliveira.

Com informação de Só Notícias Boas.

Em campanha antecipada, Bolsonaro levanta anão e coloca nos ombros (vídeo)


O registro da cena foi feito na última segunda-feira (17) em Sergipe, mas viralizou nas redes sociais nesta quarta. Ao protagonizar mais uma cena de campanha antecipada, Bolsonaro pode ter achado que o anão fosse uma criança. Té porque, pegar um anão adulto e colocar nos ombros é algo humilhante até para cidadão de baixa estatura.

Jair Bolsonaro em campanha antecipada em Sergipe

Jair Bolsonaro protagonizou mais uma cena de campanha antecipada nesta semana, com aglomeração de pessoas e sem máscaras, e colocou um anão nos ombros, possivelmente pensando que fosse uma criança.

O registro da cena foi feito na última segunda-feira (17) em Sergipe, mas viralizou nas redes sociais nesta quarta-feira (19). No vídeo, é possível ouvir uma mulher perguntando “é uma criança?”.

“E no Brasil de 2020 tem o presidente da República, no meio de uma pandemia e em campanha de reeleição antecipada, levantando um anão pensando que era uma criança”, comentou no Twitter o jornalista George Marques, que também postou o vídeo. Assista: Com informação do 247.

 

Marcão de Clóvis, “o trator da câmara”, disse que o seu dever é trabalhar pelo povo e para o povo de Maracás


Marcão, como é popularmente conhecido pela população de Maracás, vem realizando um trabalho com um certo diferencial, dentre esse seu trabalho está ‘mapear1 a cidade e registrar o que tiver precisando de reparos, o que tem mudado muito a cara da cidade, quando o executivo acata a sua reclamação. Para ele, um vereador é eleito para representar da melhor forma as comunidades, e que esse é o seu dever. Veja apenas um pouco da atuação do vereador Marcão e o que tem conseguido para a população de Maracás, tanto da sede quanto da zona rural.

Em muitos casos, as reclamações do vereador Marcos tem somado para muitas melhorias na cidade.

Café com Leite: A primeira foto dessa matéria já mostra uma das vertentes do papel do vereador, que é mostrar as mazelas da cidade e cobrar do poder executivo, providências. Isso vem ocorrendo durante os quase quatro anos do mandato do parlamentar, onde, em muitos casos, ele tem obtido atenção por parte da prefeitura e quem ganha é o povo. São inúmeras cobranças que o vereador Marcão tem dirigido ao executivo e colhido bons resultados.

Saúde para o povo

Vale lembrar que o vereador tem atuado fortemente na questão de ajudar as pessoas que necessitam de atendimento médico, principalmente em se tratando de deslocar para Salvador. Esse trabalho de Marcão, que pode ser considerado o ‘trator da câmara’, tem sido incansável. Logo no começo da sua gestão ele conseguiu uma ambulância nova, junto ao Governador Rui Costa, o que foi de fundamental importância.

Ao contrário do vício e costume de muitos políticos brasileiros que deixam para trabalhar no final do mandato para tentar uma reeleição, Marcos Fonseca, o Marcão, trator da câmara, começou trabalhar desde um primeiro dia do seu mandato e não parou mais. Num rápido bate papo com o Café com Leite  ele disse que não  trabalha só para tentar uma reeleição, mas sim para representar bem àqueles que nele confiou colocando o voto na urna. “O dever do vereador é representar o seu povo, as comunidades e procurar fazer o melhor. Eu fui eleito para trabalhar e é isso que vou fazer até o último dia do meu mandato”, assegurou o vereador, acrescentando que se o povo mais uma vez lhe conduzir à câmara para um próximo pleito, será novamente de muita luta e trabalho em busca, como tem sido, de benefícios para as comunidades, além de cobrar do executivo melhorias para a cidade e zona rural, como vem fazendo.

Marcão visita moradores dos cantos e recantos da cidade e recebe muitas queixas da população, sobre abandono de ruas.

Em outros pontos da cidade Marcão está lá com a sua câmera para documentar o que o seu olho biônico vê.

É muito comum a população de Maracás se deparar com o vereador Marcos numa missão de fiscal e cobrador ao mesmo tempo. Como ele mesmo disse, são muitos os problemas de Maracás, sempre  relacionados com entulhos, buracos nas ruas, ruas que viram lagoa quando chove, árvores sem os devidos cuidados, mas que ele não vai se cansar de fiscalizar e cobrar mais benefícios para a população.

Elogio aos profissionais de Saúde e todos que trabalham na linha de frente contra o Corona vírus.

O vereador Marcos Fonseca relembrou e disse ter sentido muito pelas vítimas pelo Covid 19, mas que não poderia deixar de elogiar toda a equipe que está diretamente no combate do corona vírus e consequentemente em defesa das pessoas. “Todos nós sabemos que em todo Brasil, quem corre mais risco são os profissionais da Saúde. Por isso quero deixar aqui o meu apoio, admiração e respeito pela equipe de profissionais da nossa cidade. O trabalho é dez”, ressaltou Marcão.

Atuação na zona rual

Sobre o trabalho do parlamentar, vale ressaltar que a sua atuação também se estende pela zona rural, Foram vários os benefícios que muitas localidades receberam através da sua luta junto às secretarias, através do seu deputado Bôbô que tem ajudado muito a população de Maracás, sempre que o seu vereador lhe procura.
O vereador informou que foram 30 cisternas que ele conseguiu para a população de diversas localidades da zona rural, através do secretário de Direitos Humanos Carlos Martins.  Na verdade, lembrou Marcão, estava pra sair agora uma quantia grande de cisternas, algo em torno de 170 unidades, mas, devido a pandemia ficou para depois, mas assegurou que a luta vai continuar e que ele tem muitos planos para trazer mais conforto para a população maracaense.

 

DONOS DA AVIANCA E DE ESTALEIRO SÃO PRESOS SOB ACUSAÇÃO DE CORRUPÇÃO


Os empresários German Efromovich e Jose Efromovich

Os empresários German Efromovich e Jose Efromovich foram presos, em São Paulo, na 72ª Fase da Operação Lava Jato, realizada na manhã desta quarta-feira (19). Eles são irmãos e donos estaleiro Eisa – Estaleiro Ilha S.A. José Efromovic também é presidente da Avianca, mas a companhia não é citada nas investigações. Seis mandados de busca e apreensão também estão sendo cumpridos em Alagoas e no Rio de Janeiro.

As investigações da atual fase apontam o envolvimento dos dois empresários em esquemas de corrupção na Transpetro envolvendo contratos de construção de navios firmados pela estatal com o estaleiro Eisa.

A organização criminosa, segundo o Ministério Público Federal (MPF), fraudava o caráter competitivo das licitações pagando propina no valor de R$ 40 milhões a altos executivos da Petrobras e empresas como a Transpetro.

Um dos funcionários que recebeu o valor ilícito é Sérgio Machado, segundo o MPF, que, à época, era o então presidente da estatal. Uma apuração interna da Transpetro, conforme as investigações, indica que a atuação dos executivos do estaleiro Eisa junto a Sérgio Machado causou prejuízos de mais de R$ 611 milhões à Transpetro, em razão da entrega irregular de um dos navios Panamax.

com informação do DCM

Whindersson e Felipe Neto ajudam menina grávida aos 10


Whindersson Nunes - Foto: reprodução / Instagram
Whindersson Nunes – Foto: reprodução / Instagram

Solidariedade, compaixão e empatia! Chocados e preocupados, como todo o Brasil, o humorista Whinderson Nunes e o Youtuber Felipe Neto, foram além da polêmica do certo ou errado. Eles se adiantaram e tomaram atitudes para ajudar a criança.

Whindersson se comprometeu a pagar apoio psicológico, até os 18 anos, para a menina de 10 anos que ficou grávida após abuso, possivelmente do tio dela, no interior do Espírito Santo.

“Me preocupa o tanto de atrocidades que essa criança vai ouvir no decorrer da vida. Alguém da família entre em contato, quero ajudar com toda assistência psicológica até os 18 anos”, escreveu o artista no Twitter neste domingo, 16.

Whindersson também deixou uma crítica sobre a forma como as pessoas estão julgando e brigando nas redes sociais, enquanto a menina e a família sofrem.

“A terra devia estar em paz com tantos Jesus nas redes sociais”, ironizou o humorista.

Felipe Neto

Já o youtuber Felipe Neto se ofereceu para pagar os estudos da menina até a faculdade.

“Não consigo parar de pensar na menina. Alguém da família, por favor, entre em contato pelo email da minha bio. Eu me disponho a arcar com todos os custos de educação dela até o fim da faculdade”, escreveu Felipe no Twitter.

“Num mundo de injustiças e desigualdades, que ela possa receber a melhor arma possível”, concluiu.

Polêmica

A Justiça autorizou a interrupção da gravidez da menina, que ficou uma semana sob guarda do Estado, após médicos do Espírito Santo se negarem a fazer o aborto.

A criança foi levada então para Pernambuco. Lá um grupo de manifestantes anti-aborto cercou o hospital para tentar impedir o procedimento, mas não conseguiu. A gravidez foi interrompida neste domingo.

Apesar de o tempo de gestação da menina não ter sido confirmado oficialmente, os manifestantes, alegam que a gestação já passou das 20 semanas e o aborto legal seria proibido a essa altura.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) discorda: “Além de ter sido estupro, gera risco para a vida da grávida”, explicou José Carlos Rizk Filho, presidente da OAB-ES, em entrevista ao O Globo.

“Entendemos que está muito legitimada a prática do aborto, para que se preserve a vítima. Não vejo nenhuma instância de restrição”, concluiu.

Como identificar

A Justiça expediu um mandado de prisão preventiva contra o tio da garota na última quarta-feira, 12, mas ele está foragido.

A menina disse à polícia que não o denunciou por medo, já que ele a ameaçava de morte.

Mas como identificar que uma criança está sendo vítima de abuso sexual?

Os pais ou responsáveis devem fica atentos a alterações no comportamento dela, como: irritação, ansiedade, dores de cabeça, alterações gastrointestinais frequentes, rebeldia, raiva, introspecção ou depressão, problemas escolares, pesadelos constantes, xixi na cama e presença de comportamentos regressivos (por exemplo, voltar a chupar o dedo).

Outro sinal de alerta é quando a criança passa a falar abertamente sobre sexo, de forma não-natural para a sua idade, física e mental.

Se você notar algum desses sinais, tome cuidado com a sua reação, pra não fazer com que a criança se sinta ainda mais culpada.

É importante fica do lado dela, escutar o que ela tem a dizer e buscar orientação profissional – psicólogo, psiquiatra ou médico – para saber como agir.

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SNB – Com informações do MetrópolesCatraca, 

 

 

Carrefour causa revolta ao cobrir corpo de trabalhador que morreu com guarda-sóis


Corpo de representante de vendas que morreu enquanto trabalhava em supermercado . Foto: reprodução/Twitter

CORPO DE REPRESENTANTE DE VENDAS QUE MORREU ENQUANTO TRABALHAVA EM SUPERMERCADO . FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER

O corpo do representante de vendas foi coberto enquanto o estabelecimento enquanto o estabelecimento seguiu em funcionamento

Um representante de vendas de 53 anos da rede de hipermercados Carrefour morreu, na última sexta-feira 14, enquanto trabalhava em uma unidade do grupo no Recife (PE). O caso ganhou repercussão nas redes sociais na última terça-feira 18 quando uma foto do ocorrido foi divulgada.

O corpo foi coberto com guarda-sóis e cercado por caixas e tapumes improvisados enquanto o estabelecimento seguiu em funcionamento, segundo o G1.

Trabalhadores e clientes que estavam no local disseram ao portal que corpo de Moisés Santos ficou no local entre 8h e 12h, até ser retirado pelo Instituto Médico Legal (IML).

Empresa diz que vai mudar protocolo

O Carrefour publicou três notas nas redes sociais. Na primeira delas, a empresa lamentou o que aconteceu na loja e  disse que a equipe de prevenção e riscos acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), assim que o prestador de serviços começou a passar mal.

A empresa também afirmou que segue “prestando toda assistência necessária para a família, neste momento tão difícil”.

Em outro comunidado, a rede informou que mudou os protocolos para casos como esses.

“Mudamos os protocolos para que as lojas sejam fechadas em casos de fatalidades como essa. Seguimos à disposição para apoiar a família do Sr. Moisés”.

A Polícia Civil  informou que vai checar se foi aberto inquérito sobre o caso.Com informações do CartaCapital

Revolta nas redes

A atitude do supermercado causou revolta nas redes sociais.