Governo oferece R$ 40 milhões a cada deputado e CCJ aprova reforma da Previdência


Por 48 votos a 18, reforma da Previdência passa na primeira de uma série de votações que terá que enfrentar no Congresso Nacional. Governo ofereceu R$ 40 milhões para cada deputado que votar a favor da reforma

reforma da previdência aprovada CCJ

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta terça-feira (23), a reforma da Previdência do governo Bolsonaro. Com isso, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma passará a uma comissão especial, onde será analisado o conteúdo do projeto.

A sessão desta terça-feira (23) foi marcada por tentativas de obstrução por parte da oposição, mas o sucesso da votação foi encaminhado após o relator da PEC na CCJ, deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), ter acatado um acordo costurado desde semana passada com o Centrão e retirado de seu relatório os quatro pontos que o bloco — formado por PP, PR, DEM, PRB e Solidariedade — havia exigido ver fora do texto.

Entre outras tentativas de barrar os trabalhos, a oposição alegou, sem sucesso, que não se poderia seguir com a tramitação devido ao sigilo imposto pelo governo no detalhamento das contas que deram embasamento para a formulação da PEC.

Com quase sete horas de sessão, o painel eletrônico de votação desligou, o que forçou a comissão a votar de forma “manual” (com os deputados sendo chamados um a um a anunciar o voto ao microfone) os dois últimos requerimentos de obstrução, o que ajudou a atrasar ainda mais os trabalhos.

Mais cedo, logo no início da sessão, por volta das 15h, os oposicionistas afirmaram terem recolhido 103 assinaturas para tentar suspender a votação da PEC em 20 dias. O requerimento já havia sido negado mas, à noite, Felipe Francischini (PSL-PR) fez uma nova intervenção para informar ao colegiado que haviam sido registradas apenas 99 assinaturas, o que provocou mais protestos da oposição e também de deputados favoráveis à reforma, que consideraram que a fala de Francischini foi desnecessária e atrasou ainda mais os trabalhos.

A líder da minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), havia alegado que o governo feriu o artigo 113 do Ato das Disposições Transitórias da Constituição, que determina explicitar todo impacto financeiro de proposta legislativa. Ela destacou que é possível, quando isso é desrespeitado, que um quinto dos parlamentares suspendam a tramitação.

R$ 40 milhões

Líderes de cinco partidos governistas (DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade) confirmaram que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ofereceu destinar um extra de R$ 40 milhões em emendas parlamentares até 2022 a cada deputado federal que votar a favor da reforma da Previdência no plenário da Câmara.

A proposta foi feita na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na semana passada. A estratégia de Onyx representa um acréscimo de 65% no valor que cada deputado pode manejar no Orçamento federal de 2019 para obras e investimentos de infraestrutura em seus redutos eleitorais. Hoje, os congressistas têm direito a R$ 15,4 milhões em emendas parlamentares.

O extra viria de rubricas de fora do volume reservado para as emendas, mas, segundo os deputados, o ministro não entrou em detalhes sobre a fonte.

Uma das principais promessas de campanha de Jair Bolsonaro foi colocar um fim no chamado “toma lá dá cá”, que é a antiga prática de governos obterem apoio no Congresso em troca de cargos federais, verbas do Orçamento ou outras benesses da máquina pública. Matéria na íntegra do Pragmatismo Político.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Piloto relata quase colisão com outra aeronave em Buenos Aires e chama controladora de ‘inútil’


Por G1

Um dos aviões envolvidos no incidente perto do aeroporto Jorge Newberry, em Buenos Aires — Foto: FlightRadar24/Reprodução

Um dos aviões envolvidos no incidente perto do aeroporto Jorge Newberry, em Buenos Aires — Foto: FlightRadar24/Reprodução

Uma falha no controle de tráfego aéreo na Argentina quase causou uma colisão entre dois aviões em Buenos Aires, denunciou um piloto no domingo. O caso veio à tona nesta terça-feira (24) depois que um áudio da discussão entre ele e a torre no aeroporto foi divulgado. Nele, o comandante chama a controladora de “inútil”.

Segundo o site de notícias argentino Infobae, o incidente ocorreu no aeroporto Jorge Newberry com um avião que decolava do terminal, da Avianca Argentina, e outro, da Austral, que pousaria ali momentos depois. Nenhuma das companhias se pronunciou.

A discussão começa quando o piloto da Avianca Argentina relata à funcionária que a aeronave passou pela outra a apenas 300 pés – cerca de 90 metros.

A distância é considerada muito curta, quase de colisão, porque os aviões costumam voar em aerovias separados por 1 mil pés de altitude (cerca de 300m).

Após ser alertada pelo piloto, a controladora respondeu: “Correto, senhor, na verdade tem razão. Se tiver que fazer [a reclamação] por escrito, faça”. “É a saturação que temos neste setor e neste serviço no momento”, completou a controladora.

Em seguida, o piloto – que não foi identificado – rebate: “A verdade é que são uns inúteis, esse é o problema”. A profissional retruca: “Então venha me dizer isso pessoalmente, por favor. Idiota”.

De acordo com o jornal “La Nación”, o piloto da Avianca Argentina envolvido na discussão se chama Julio Cresta. Ele negou ter xingado os controladores, disse que “havia outros pilotos falando no rádio”.

Cresta também afirmou que um sinal de alerta avisou a cabine sobre a aproximação das duas aeronaves. “Não se chegou a uma situação extrema, mas não deveria ter ocorrido”.

As aeronaves comerciais contam com dispositivos chamados de “TCAS”, que emitem alertas quando uma outra aeronave está próxima e há risco de colisão. Não está claro se o TCAS foi acionado.

O dispositivo emite um alerta quando uma aeronave está a 40 segundos de bater na outra, ou cerca de 6 km. Se os pilotos não fizerem nada, outro alerta é emitido a 25 segundos de uma colisão: o dispositivo orienta os pilotos, em inglês, a executar “manobras evasivas”: manda, por exemplo, um avião subir e outro descer.

Após a divulgação do áudio, a Empresa Argentina de Navegação Aérea (EANA), vinculada ao governo, abriu investiação sobre o incidente. A autoridade ainda não chegou a nenhuma conclusão sobre o que ocorreu.

Associação denuncia sobrecarga

A revelação levou a Associação de Técnicos e Empregados de Proteção e Segurança da Aeronavegação da Argentina (Atepsa) a denunciar às autoridades locais um “colapso” no sistema de controle aéreo do país. Em nota, a entidade manifestou apoio à controladora envolvida na discussão.

O secretário-geral da Atepsa, Jonatan Doino, disse que no domingo o número de voos registrados “superou a capacidade técnica e humana” dos controladores que trabalhavam em Buenos Aires.

“Além disso, não funcionaram as medidas de regulação que deveriam ser adotadas, pelas quais os controladores não são responsáveis. O espaço aéreo voltou a entrar em colapso”, criticou Doino.

O chefe da EANA, Gabriel Giannotti, negou ao “Clarín” que o tráfego aéreo esteja saturado. Ele admitiu, no entanto, que as equipes estão “obsoletas” e que “praticamente não houve investimento no setor aeronáutico nos últimos 20 anos”.

Segundo a agência EFE, o governo da Argentina adotou uma série de medidas para atrair novas companhias aéreas, algumas delas de baixo custo, e aumentar o número de voos nacionais e internacionais. A medida iniciada em 2015, com a chegada de Maurício Macri à Presidência, ficou conhecida como a “revolução dos aviões”.

Uma em cada 4 cidades do Brasil tem “coquetel” com agrotóxicos na água


Estudo mais abrangente já realizado na área revela coquetel que mistura 27 agrotóxicos na água de 1 em cada 4 cidades do Brasil (consulte a sua). 16 pesticidas são classificados como extremamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncer

cidades do Brasil coquetel com agrotóxicos água torneiras
Imagem: Shutterstock

Ana Aranha e Luana Rocha, Agência Pública/Repórter Brasil

Um coquetel que mistura diferentes agrotóxicosfoi encontrado na água de 1 em cada 4 cidades do Brasil entre 2014 e 2017. Nesse período, as empresas de abastecimento de 1.396 municípios detectaram todos os 27 pesticidas que são obrigados por lei a testar. Desses, 16 são classificados pela Anvisa como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncermalformação fetaldisfunções hormonais e reprodutivas. Entre os locais com contaminação múltipla estão as capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Manaus, Curitiba, Porto Alegre, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis e Palmas.

Os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos e tratados em investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento.

Os números revelam que a contaminação da água está aumentando a passos largos e constantes. Em 2014, 75% dos testes detectaram agrotóxicos. Subiu para 84% em 2015 e foi para 88% em 2016, chegando a 92% em 2017. Nesse ritmo, em alguns anos, pode ficar difícil encontrar água sem agrotóxico nas torneiras do país.

Embora se trate de informação pública, os testes não são divulgados de forma compreensível para a população, deixando os brasileiros no escuro sobre os riscos que correm ao beber um copo d’água. Em um esforço conjunto, a Repórter Brasil, a Agência Pública e a organização suíça Public Eyefizeram um mapa interativo com os agrotóxicos encontrados em cada cidade. O mapa revela ainda quais estão acima do limite de segurança de acordo com a lei do Brasil e pela regulação europeia, onde fica a Public Eye.

 

CPI de Brumadinho: auditor de segurança de barragens usa habeas corpus para ficar em silêncio


Na mesa (dir. para esq.), senador Carlos Viana, relator da CPI; senador Jorge Kajuru, que presidiu a reunião. Foto: Pedro França/Agência Senado

Café com Leite Notícias:  Um engenheiro da empresa alemã Tüv Süd, contratada pela Vale para inspecionar as barragens e produzir laudos que pudessem atestar ou não a segurança das estruturas, levou um habeas corpus ao Senado para permanecer em silêncio durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada para apurar as causas do rompimento da barragem na Mina Córrego do Feijão.

A tragédia aconteceu no dia 25 de janeiro e causou 232 mortes, número que pode ser maior – desaparecidos ainda são 40. Segundo informações da Agência Senado, a CPI de Brumadinho realizou sessão na tarde desta terça-feira (23) para ouvir três convocados, entre eles o engenheiro da Tüv Süd.

Logo no início da sessão, o auditor da empresa alemã apresentou o habeas corpus para permanecer em silêncio. Segundo ele, já teria prestado “oitivas longas e complexas” à polícia e ao Ministério Público, e foi aconselhado pelos seus advogados a permanecer em silêncio.

A postura suscitou críticas dos parlamentares na CPI. A senadora Juíza Selma (PSL-MT) pontuou que o silêncio do depoente angariou a “antipatia de todas as pessoas”. Ela tentou fazer várias perguntas, mas o engenheiro permaneceu calado.

O relator da CPI, senador Carlos Viana (PSD-MG), da mesma forma foi ignorado. Ele perguntou ao auditor se as ações da Vale foram as adequadas tendo em vista um suposto vazamento em uma de suas barragens ainda em junho de 2018 e, ainda, sobre o risco de cancelamento do contrato da Vale com a Tüv Süd em caso de a empresa contratada negar o atestado de segurança para a barragem do Córrego do Feijão.

A sessão também ouviu um geólogo e um engenheiro, ambos da Vale. O primeiro negou que soubesse do risco de rompimento da barragem B1 (no Córrego do Feijão). Já o segundo confirmou que foi feita uma apresentação para a Vale sobre os riscos das barragens da empresa que citava a barragem B1.

O senador Jorge Kajuru (PSB-GO), que presidiu a reunião, disse que a CPI quer “separar os lambaris dos tubarões”. Ele pediu para o engenheiro pensar em sua própria família e deixar o silêncio de lado. Kajuru disse que os convocados “protegem a Vale e seus colegas” e está claro que “a Vale está pagando advogados e conquistando habeas corpus”. Fonte GGN

*Com informações da Agência Senado.

 

 

 

 

 

STJ REDUZ PENA E LULA PODE IR PARA O SEMIABERTO EM SETEMBRO


A redução da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para 8 anos, 10 meses e 20 dias de prisão no caso do tríplex em Guarujá (SP) pode permitir que o petista vá para o regime semiaberto ainda neste ano.

A nova pena para Lula foi fixada hoje pela 5ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), que julga um recurso do ex-presidente contra a condenação no processo do tríplex. O julgamento ainda está em andamento. A maioria dos ministros (três dos quatro presentes) votou pela redução da pena de Lula.

Advogados ouvidos pelo UOL apontam que, com a nova pena, Lula poderá pedir uma progressão para o regime semiaberto a partir de setembro.

A progressão para o regime semiaberto é prevista após o cumprimento de um sexto da sentença. Considerando a redução no tempo de prisão, Lula pode pedir a progressão de regime após aproximadamente 17 meses de prisão. O ex-presidente está preso desde o dia 7 de abril de 2018, há pouco mais de um ano.

A data exata em que o ex-presidente pode pleitear a progressão de regime deve ser disponibilizada no acórdão do julgamento do STJ. (…) Fonte DCM.

 

Artistas se manifestam contra ‘esvaziamento’ da Lei Rouanet por Bolsonaro


O Ministério da Cidadania divulgou na segunda-feira (22) as mudanças na Lei de Incentivo à Cultura, novo nome da Lei Rouanet, que financia projetos culturais no país. Entre as alterações mais importantes, estão a redução do valor máximo para cada projeto, que caiu de R$ 60 milhões para R$ 1 milhão.

Outra mudança foi no nome da legislação, que agora passa a se chamar Lei de Incentivo à Cultura. O texto da nova legislação desagrada artistas e agentes culturais. A atriz Ingrid Guimarães, por exemplo, declarou em entrevista ao programa Pânico que as pessoas desconhecem a legislação que regula a cultura no país.

“As pessoas demonizaram a Lei Rouanet sem saber a importância que ela tem. A verdade é essa. Quando a Lei Rouanet acabar, se é que ela vai acabar, você vai ver como a cultura vai parar nesse país”, declarou Ingrid.

Já para Miguel Falabella é fundamental a permanência do incentivo governamental aos projetos culturais.

“As pessoas ficam falando besteira da Lei Rouanet. Tem coisas erradas? Tem sim, mas como um todo, é uma m*? Não é, não. Bem usada, ela é maravilhosa, 10% dos ingressos são destinados a pessoas que jamais foram ao teatro “, argumentou o ator e diretor.

A área cultural tem enfrentado uma permanente hostilidade do governo Bolsonaro e de seus apoiadores. Fonte Blog do Esmael.

  •  

Vovó de 96 ensina família a dançar após duas cirurgias no coração. Assista!


Foto: Inside Edition/Reprodução
Foto: Inside Edition/Reprodução

Uma vovó de 96 anos chamou a atenção nas redes sociais ao aparecer ensinando a família toda a dançar o que chama de “Tush Push” – ‘empurrão’, em tradução livre.

Shirley Goodman, que é de Sarasota, na Flórida, EUA, se tornou um sucesso dançando Bruno Mars em um vídeo.

Ela já fez duas cirurgias no coração e mesmo assim quer continuar dançando. A idosa acredita que a dança ajudou na recuperação e está pronta pra chegar aos 100 anos.

“Eu tive duas cirurgias de coração. Eu tenho um marcapasso e um stent, e apesar de tudo isso eu ainda me recupero rápido e volto a dançar porque minhas pernas ainda estão funcionando bem ”, disse Goodman.

“Os médicos me dizem que é porque eu dancei a vida toda.”

Viral

O neto de Goodman, Todd, postou o vídeo no Facebook e logo virou sensação, com mais de 73 mil visualizações até o fechamento desta matéria.

A avó diz que o movimento constante a mantém animada.

“Eu adoro isso. Tá no meu DNA. Quando eu ouço a música e vejo as pessoas, isso me excita.”, disse Goodman.

“Não há nada na minha vida que me deixe mais orgulhoso do que o fato de que esta incrível máquina de dança de 96 anos é minha Nona. Ela é minha inspiração, minha motivação, meu espírito e alma.”, diz o neto Todd, no post.

Agora Goodman tem sua própria conta no Instagram chamada “The Dancing Nana“.

Foto: reprodução Instagram

Foto: reprodução Instagram

Veja a dança de sucesso na internet na postagem do Todd e no youtube:

 

Com informações do Huffpost

 

STJ ESCONDEU DA DEFESA DE LULA QUE RECURSO SERIA JULGADO HOJE


O ministro Felix Fischer, do STJ

Segundo a matéria publicada no DCM, a defesa do ex-presidente Lula sempre teve dificuldade para exercer o seu trabalho no processo sob condução dos magistrados paranaenses que, da primeira à última instância, controlam a Lava Jato. Mas algumas situações são tão bizarras que até um leito acha estranho.

É o que aconteceu ontem, segundo reclamação protocolada pelos advogados no Superior Tribunal de Justiça. É que, às 18h20, um advogado com representação nos autos procurou a secretaria do gabinete do ministro Felix Fischer para saber se o julgamento estava marcado.

A resposta foi negativa, mas, às 20h19,  a assessoria de imprensa da corte informou que o julgamento seria realizado hoje, apesar de não haver agendamento no sistema eletrônico do STJ.

Parece molecagem, mas é muito grave do que isso: o STJ tem dificultado o exercício do direito da ampla defesa de Lula. No ano passado, Félix Fischer já havia rejeitado o recurso de Lula, em decisão monocrática, também tomada de surpresa.

Normalmente, em casos como este, a decisão não é monocrática, e as partes são avisadas com antecedência para que possam fazer a sustentação oral.

Fischer, no entanto, decidiu sozinho que a condenação de Lula pelo juiz Sergio Moro era legal, apesar de não haver no processo prova de crime nem descrição de conduta criminosa.

Ele também ignorou a denúncia da parcialidade de Moro, hoje fora de dúvida, depois  que se tornou ministro de Jair Bolsonaro.

Se Lula tivesse disputado a eleição, Bolsonaro teria dificuldade de vencer. Isso para dizer o mínimo. As pesquisas apontavam Lula na liderança.

Com a decisão isolada, Fischer atropelou o costume da corte, mas a defesa de Lula não concordou.

Apresentou um agravo regimento e forçou a análise desse recurso pela 5a. Turma do STJ, da qual Félix faz parte. É o julgamento desse recurso que foi marcado para hoje.

“É possível resumir o atual cenário da seguinte forma: não houve qualquer espécie de intimação prévia da Defesa, a informação oferecida à Defesa é de que não havia previsão de julgamento. Por outro lado, a informação concedida à imprensa é de que haverá julgamento. O contexto fático descrito, com o devido respeito, está em desconformidade com a garantia constitucional da ampla defesa e das demais garantias fundamentais previstas no Texto Constitucional e nos Tratados Internacionais que o País subscreveu e se obrigou a cumprir”, escreveram os advogados.

É difícil que Félix Fischer recue do julgamento marcado para hoje, o que não chega a ser surpresa nos casos relacionados à Lava Jato.

O próprio Félix Fischer se tornou relator da Lava Jato por um caminho que é, no mínimo, estranho.

Até o início de 2016, o relator da Lava Jato era o ministro Ribeiro Dantas, mas ele foi derrotado no julgamento de HCs apresentados em favor de réus da operação.

Com isso, se estabeleceu um conflito de competência e Félix Fischer foi escolhido pela corte para se tornar relator de todos os processos relacionados à Lava Jato.

A justificativa era que ele havia elaborado o voto vencedor nos julgamentos em que Ribeiro Dantas foi derrotado. Segundo a corte, o regimento interno permitiria essa troca.

Com sua designação como relator, a Lava Jato, embora tenha nascido de casos relacionados à Petrobras, que fica no Rio de Janeiro, passou a ter como relatores apenas magistrados do Paraná.

Na 5a. Turma, o auxiliar direto de Félix Fischer na relatoria da Lava Jato é também juiz do Paraná, Leonardo Bechara Stancioli.

Ele foi nomeado juiz auxiliar de Félix Fischer em maio de 2017 e se tornou, segundo a coluna de Lauro Jardim em O Globo, um dos maiores especialistas em Lava Jato.

Seria ele o autor dos votos lidos por Félix Fischer na 5a. Turma, inclusive aquele em que negou HC a Lula por conta da existência de recursos a serem julgados nas cortes superiores.

Nada que o constranja. Stancioli já demonstrou que sabe sair de situações difíceis.

Em 2007, Stancioli foi flagrado numa escuta telefônica em uma conversa comprometedora com o sogro, o então ministro do STJ Paulo Medina.

No diálogo, ele era informado de um esquema montado para garantir sua aprovação no concurso para juiz do Tribunal de Justiça do Paraná.

Mesmo com a denúncia, publicada na revista Veja, ele assumiu,  e foi convocado para o STJ, de onde o sogro acabaria saindo, por aposentadoria compulsória, acusado de envolvimento com a máfia dos caças níquéis, liderada por Carlinhos Cachoeira, de Goiás.

No gabinete de Félix Fischer, Stancioli não dá a última palavra, mas tem voz ativa. Até hoje, no STJ, Lula não teve êxito em nenhum pedido. Será diferente nesta terça-feira?

Olavo de carvalho disparou mais ataques contra Mourão


Olavo de Carvalho

O escritor Olavo de Carvalho disparou mais uma onda de ataques ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, nesta segunda-feira, depois de Mourão afirmar que Carvalho deveria se limitar à posição de astrólogo. “Qual foi a última contribuição das escolas militares para a alta cultura nacional? As obras do Euclides da Cunha. Depois de então foi só cabelo pintado e voz empostada. Cagada, cagada. Esse pessoal subiu ao poder em 1964, destruiu os políticos de direita e sobrou o quê? Os comunistas”, afirmou. O presidente Jair Bolsonaro reagiu nesta segunda-feira, 22, por meio de nota, às críticas do escritor Olavo de Carvalho a integrantes do governo federal, principalmente, à ala militar do Palácio do Planalto. Bolsonaro afirmou, em comunicado lido pelo porta-voz Rêgo Barros, que Olavo não contribui com os objetivos do governo. Terra.

João de Deus ultrapassa prazo estipulado pela Justiça para internação


O advogado do médium pediu ao STJ extensão do prazo de internação está aguardando decisão

[João de Deus ultrapassa prazo estipulado pela Justiça para internação]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Kamille Martinho

João de Deus está internado no Instituto Neurológico de Goiânia há 31 dias, ultrapassando o período inicial previsto pela decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo os médicos, o médium precisa continuar na unidade de saúde porque “está em tratamento de pneumonia com a previsão de usar antibiótico venoso por mais cinco dias”, conforme nota divulgada pelo hospital.

O advogado do médium, Alberto Toron, informou que pediu ao STJ a extensão do prazo de internação do cliente na última sexta-feira (19) e estão aguardando decisão.

 

EUA registram 71 novos casos de sarampo em meio a surto da doença


Por Reuters

Os Estados Unidos informaram nesta segunda-feira (22) ter registrado 71 casos novos de sarampo na semana passada, um aumento de 13% verificado justamente no momento em que o país enfrenta o segundo pior surto da doença em quase duas décadas, de acordo com autoridades federais da área de saúde.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) disse ter registrado 626 casos da doença altamente contagiosa, e às vezes fatal, em 22 Estados até 19 de abril, a mais alta taxa de infecção em cinco anos.

Entre 1º de janeiro e 11 de abril, o CDC havia relatado 555 casos em 20 Estados. O surto atual provavelmente superará o de 2014 em número de casos, alertou o CDC nesta segunda-feira.

Iowa e Tennessee foram os dois Estados com casos novos de sarampo que entraram na lista da entidade.

Mais da metade dos casos registrados neste ano ocorreu na cidade de Nova York, principalmente em Williamsburg, um bairro do distrito do Brooklyn.

A epidemia norte-americana é parte de um aumento global de ocorrências da doença outrora quase erradicada. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou que os casos globais quase quadruplicaram no primeiro trimestre de 2019, chegando a 112.163, quando comparados com o mesmo período do ano passado.

Uma parcela minoritária, mas engajada, de pais norte-americano rejeita vacinas devido à crença, contrária aos indícios científicos, de que os ingredientes destas causam autismo e outros problemas.

Homem passa perto de escola judaica no Brooklyn, em Nova York. — Foto: Shannon Stapleton/Reuters

Homem passa perto de escola judaica no Brooklyn, em Nova York. — Foto: Shannon Stapleton/Reuters

É ESCANDALOSO COMO AS INSTITUIÇÕES FORAM USADAS NO GOLPE CONTRA LULA E DILMA, DIZ FERRAJOLI


Jurista italiano, um dos mais influentes do mundo, alertou para “uma enorme ameaça” que vive o Ocidente: o uso do Poder Judiciário para fins políticos; “Não está apenas em jogo a democracia no Brasil, mas a democracia global”, diz

 

Jornal GGN – Um dos juristas mais renomados do mundo, o italiano Luigi Ferrajoli disse, durante evento internacional em solidariedade a Lula, que a prisão do ex-presidente e o impeachment de Dilma Rousseff foram frutos de um processo de perseguição política deflagrado por meio do uso das vias judiciais. Para Ferrajoli, o mais preocupante e “escandaloso” é que o lawfare parece ter se tornado método para se chegar ao poder no Ocidente pós guerra, colocando em ameaça as democracias.

Em vídeo de cerca de 3 minutos que circula nas redes sociais, Ferrajoli começa analisando a sentença do caso triplex. Para o jurista, o processo contra Lula “é vergonhoso por muitos motivos, não apenas pela falta de provas, não apenas pela aceleração do processo para impedir Lula de se candidatar, mas também por uma característica escandalosa, a total falta de imparcialidade.”

O jurista chamou atenção para o fato de que Sergio Moro foi, ao mesmo tempo, o juiz instrutor do processo e o magistrado que decidiu quais provas seriam validades ou descartadas para constituir a decisão final sobre Lula. A separação entre essas duas figuras, o juiz que atua ativamente na persecução penal, e o juiz que profere a sentença, é um “princípio elementar”, disse Ferrajoli. É preciso haver “separação entre juiz e acusação.”

Contra Lula, a Lava Jato produziu “um processo político, inquisitório, fundado sobre a petição de princípio. É verdade, é aceitável tudo aquilo que confirma a acusação. É falso, inaceitável tudo aquilo que a desmente.”

Ferrajoli avaliou que a força-tarefa e o ex-juiz Sergio Moro manipularam a opinião pública através da imprensa. “Evidentemente essa era a única maneira para poder provocar a reação da opinião pública, porque evidentemente se produziu, no Brasil, uma mudança do poder que não era aceitável para a elite, e então era necessário aquilo que foi chamado golpe.” Confira a reportagem completa no Jornal GGN.

 

Nada tem dado certo na Globo: o que acontece com a poderosa?


 

Emissora acumula maus resultados em vários segmentos da programação e parece não ter força criativa para reagir

A Globo vive estagnação de criatividade: falta ousar e surpreender o público
A Globo vive estagnação de criatividade: falta ousar e surpreender o público

Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV / Reprodução

Tal situação gera ruidosa insatisfação ouvida nos bastidores e ecoada pela imprensa.

Às vésperas de completar 54 anos, a Globo precisa aplicar o slogan de sua campanha de fim de ano de 1991: “Tente, invente, faça algo diferente”.

O carro-chefe, as novelas, estão com índices insatisfatórios no Ibope.

As quatro produções inéditas no ar atualmente – Malhação – Vidas BrasileirasEspelho da Vida, Verão 90 e O Sétimo Guardião – apresentam números no Ibope abaixo das respectivas antecessoras.

Detecta-se o mesmo problema em todas: tramas fracas, protagonistas pouco carismáticos, falta de dinamismo.

Programas como o Estrelas, de Angélica, e o Vídeo Show saíram do ar por desgaste do formato e incapacidade de reinvenção.

Bem Estar perdeu seus dois apresentadores titulares e, após a redução de sua duração, passou a ter continuidade incerta.

O canal da família Marinho tem feito poucas apostas em novos formatos, sejam criados na casa ou comprados de produtoras.

Um dos que ganharam vida, o Tá Brincando, com Otaviano Costa, passou despercebido em sua primeira temporada. O apresentador merece algo melhor.

Nem mesmo os reality talent shows repetem os mesmos bons resultados de antes.

A 19ª edição do Big Brother Brasil é um fiasco, com a pior audiência desde sempre.

O The Voice Brasil não produz ressonância e continua a premiar cantores que são imediatamente esquecidos pela própria Globo.

Apesar de sua estrutura gigantesca, de ter dezenas de autores e consultores e possuir verba milionária para produção, a emissora carioca parece estagnada no que se refere à criatividade.

Sem oxigenar sua programação, o canal gira em círculos, sem surpreender os telespectadores em busca de novidades relevantes.

Falta inventividade, ousadia, desvincular-se de clichês e repetições. A Globo não consegue superar a si mesma.

Prova irrefutável dessa fase ruim é que a emissora – quarta maior do planeta e líder absoluta de audiência no Brasil – ainda precisa recorrer a reprises para tapar buracos na programação.

Inadmissível ver a baixa qualidade de imagem do seriado A Grande Família ocupar lugar de destaque na faixa vespertina.

Menos aceitável ainda manter a Sessão da Tarde com seus filmes estrangeiros açucarados, enquanto emissoras menores transmitem programas ao vivo no mesmo horário. Terra.

 

Mariana Godoy revela o que vê na TV e quem quer entrevistar


A jornalista já teve um ataque de riso durante a apresentação de telejornal
A jornalista já teve um ataque de riso durante a apresentação de telejornal

Foto: RedeTV! / Divulgação

O Mariana Godoy Entrevista completará 4 anos em maio. Tornou-se passagem obrigatória para personalidades influentes da política, economia e das artes.

 

Em conversa com o Terra, Godoy troca de lado e conta suas preferências como telespectadora e usuária da internet. Confira o pingue-pongue:

Programas favoritos na TV aberta: “Hoje, só vejo o meu programa às sextas à noite, o RedeTV News com Boris Casoy e Amanda Klein, e o Jornal Nacional”.

O que não perde na TV paga: “Aproveito para dar uma olhada nos canais internacionais, principalmente, e gosto de entrevistas com analistas de política e economia”.

Séries preferidas: “Assisti a várias! Friends, House, Grey’s Anatomy… Gostei muito de Breaking Bad e recomendo. Hoje eu vejo The Big Bang Theory e a série clássica Jornada nas Estrelas. Série, para mim, tem que ser leve e divertida. Estou esperando a nova temporada de Perdidos no Espaço e quero ver também Game of Thrones”.

O melhor do conteúdo por streaming: “É procurar coisa nova e encontrar produções de qualidade. Estou sempre de olho em filmes e séries que não sejam americanos. Encontrei muita produção espanhola, francesa e de outros Países, que a TV brasileira jamais exibiria. Trapped (da Islândia), Bordertown (Finlândia), Glacé (França) são alguns exemplos”.

Canal que indica no YouTube: “Vejo de vez em quando o do William Waack”.

Perfis que adora seguir no Instagram: “Gosto de uma conta em particular, que mostra apenas locais abandonados, @itsabandoned, e @sarradasaroundtheworld, que é do meu filho, Heitor”.

Jornalista que é uma referência a você: “Marília Gabriela. Desde que eu era estudante admirava a objetividade com que entrava no assunto e a clareza das perguntas. Postura maravilhosa!”. Terra.