Depressão, denúncias na Justiça, faltas no Senado: o que está por trás do sumiço de Serra da vida pública. Por José Cássio


Independente do que esteja acontecendo com o político Serra, (matéria a seguir) a hora agora é de fazer uma reflexão, avaliar o que fez de bom e ruim na sua trajetória política e, se for preciso, pedir perdão para quem o prejudicou e a Deus. vale lembrar que o José Serra quando ministro da Saúde, no governo FHC, foi o criador do Genérico e quebrou a patente dos remédios de combate ao HIV. “Vá por mim, Serra. Seja o pivô de desmanchar esse ‘acordão’, o qual o seu partido é o principal envolvido. Se não conseguir salvar a sua ‘pele’, salve a sua alma. Café com Leite Notícias.

 

Resultado de imagem para ultimas fotos de jose serra

De acordo a matéria publicada no DCM, a  notícia de que José Serra reatou o casamento com a ex-mulher, Mônica, reacendeu um mistério que o cerca desde o início deste ano.

Sumido do noticiário, em função das inúmeras pendências com a Justiça, e bastante ausente no plenário (é o senador paulista com menos presença, segundo a Veja), Serra não está bem de saúde e a volta para a casa da família pode ser indício de que está precisando de cuidados especiais.

Em Brasília e entre seus correligionários do PSDB o assunto é tratado com a discrição que aquele ambiente permite.

Nas vezes em que é visto em público, Serra aparenta apatia e olhar vago. Recentemente, num encontro casual com lideranças políticas no bairro do Itaim, em São Paulo, foi apresentado a uma pessoa, não esboçou reação e esticou a mão para cumprimentar outra que estava ao lado.

 

 

Velhos companheiros tratam o caso ora na base da brincadeira – “está no bico do corvo” –, ora com certa consternação – Fernando Henrique Cardoso, 87 anos, dez mais velho, tem manifestado preocupação afirmando, em seu círculo íntimo, que “Serra está bem mais envelhecido do que eu”.

Notório hipocondríaco, Serra nunca falou claramente sobre seu estado.

Quando deixou o ministério das Relações Exteriores, em março de 2017, enviou carta a Michel Temer relatando que decidiu deixar a pasta “em razão de problemas de saúde”, mencionando dores na coluna que o impediriam de fazer viagens longas.

De fato, quatro meses antes ele havia se submetido a uma cirurgia no Hospital Sírio-Libanês.

Em janeiro de 2014, o senador foi submetido a uma cirurgia na próstata para curar um quadro de hiperplasia prostática benigna, quando há aumento do órgão.

Um ano antes, fez cateterismo. À época, os médicos colocaram no coração dele um stent, mola metálica que expande a artéria e aumenta a capacidade do fluxo sanguíneo.

As versões extra-oficias vindas de amigos nesses últimos dias apontam para um quadro de depressão profunda e continuada. Mas cenas recentes – como a do encontro casual no Itaim supracitada e, anteriormente, confusões com nomes de lugares e pessoas – podem indicar problemas mais sérios.

Seja por depressão ou algum mal neurológico não revelado, é certo que o estado de saúde de José Serra é assunto de interesse público, já que, na condição de um dos principais líderes do PSDB, suas propostas e atitudes têm impacto direto na vida de milhões de brasileiros.

Serra é autor da Lei 131/2015, que determinou o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração de petróleo nas camadas do pré-sal.

Também teve o seu DNA a legislação dos medicamentos genéricos e a Lei Antifumo.

Disputou e perdeu duas vezes (2002 e 2010) a presidência da República. Foi prefeito de São Paulo e governador do Estado, deputado federal Constituinte, ministro duas vezes de Fernando Henrique, nas pastas do Planejamento e da Saúde.

Serra vem tentando manter sua rotina no Senado, mas a falta de energia é notável. No mês de abril, faltou a metade % das sessões.

Retomou um pouco o ritmo em junho. Já avisou que não concorrerá a nada neste ano.

Nenhuma aparição pública, seja em eventos de pré-campanha ou locais onde há concentração de pessoas. 

O retorno à casa da família foi vendido pela imprensa velha amiga como se Serra e Mônica tivessem reatado um romance que começou em 1973 e encerrou em 2013, após 40 anos juntos.

O casal tem dois filhos, Luciano e Verônica, e dois netos. Fonte DCM.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

VÍDEO: Lembo diz que nunca viu nada tão imoral quanto o que se faz com Lula


Aos poucos, o povo vai entendendo que há um forte acordo( o chamado acordão) entre judiciário, quase todo o congresso e a grande mídia, para manter Lula preso. A única finalidade de tudo isso é não deixar a esquerda governar o país mais uma vez, sabem por que? porque a esquerda governa para o país crescer favorecendo o próprio brasileiro e a direita para vender o país e fazer dos brasileiros escravos. Quem está por trás de tudo? Não sabe? Os Estados Unidos  da América!! Ou você acha que o poder do Moro vem de onde? Dele mesmo?  Isso é mentira, senhoras e senhores da alta cúpula??????? Café com Leite Notícias.

 

 

Lembo

Um extraordinário depoimento feito pelo jurista, professor e ex-governador Cláudio Lembo a respeito da grave injustiça que o STF está cometendo com o Presidente Lula. Parabéns, Claudio Lembo.#LulaLivre

Posted by Eduardo Suplicy on Friday, June 29, 2018

Governo golpista entrega nossas riquezas. Por Luiz Inácio Lula da Silva


Carta enviada ao Jornal do Brasil

 

Enquanto o país prestava atenção à Copa do Mundo, a Câmara dos Deputados aprovou, em regime de urgência, uma das leis mais vergonhosas de sua história. Por maioria simples de 217 votos, decidiram vender aos estrangeiros 70% dos imensos campos do pré-sal que a Petrobras recebeu diretamente do governo em 2010. Foi mais um passo do governo golpista e de seus aliados para entregar nossas riquezas e destruir a maior empresa do povo brasileiro.

O projeto de lei aprovado semana passada é um crime contra a pátria, que exige reação firme da sociedade para ser detido no Senado, antes que seja tarde demais. É uma decisão que entrega de mão beijada campos do pré-sal com potencial de conter cerca de 20 bilhões de barris de petróleo e gás, burlando a lei que garante o pré-sal para os brasileiros.

A imagem pode conter: texto

Para entender a gravidade desse crime, é preciso voltar ao ano de 2009, quando a Petrobras precisava investir para explorar o recém-descoberto pré-sal. Apresentamos então um projeto de lei em que a União (a quem pertencem as reservas de petróleo, não se esqueçam) vendeu à estatal, em troca de títulos, o direito de explorar até 5 bilhões de barris de petróleo em campos do pré-sal. Foi a chamada Cessão Onerosa.

Assim, a empresa se valorizou, fez a maior operação de capitalização da história e tornou-se capaz de investir. O resultado é que, em tempo recorde, o pré-sal já produz 1,7 milhão de barris/dia, mais da metade da produção nacional. Como era uma operação especial, para defender interesses estratégicos do país, definimos na Lei 12.276/10, que a Cessão Onerosa “é intransferível”.

Fora dessa área, o pré-sal só pode ser explorado pelo regime de partilha, por meio de uma legislação que garante a soberania do país e direciona essa riqueza para investimentos em educação, saúde, ciência e tecnologia, o nosso passaporte para o futuro.

Já circulam estudos indicando que o petróleo dos campos de Cessão Onerosa será vendido a preços entre US$ 6 e US$ 8 o barril, que é o custo de exploração, quando o preço internacional do barril oscila entre U$ 70 e US$ 80. As chances de achar petróleo nesses campos são praticamente totais, porque nós, brasileiros, já mapeamos as áreas. Para as petroleiras, é como comprar um bilhete premiado da loteria. Para o Brasil, é como vender a galinha da fábula, que botava ovos de ouro.

 

De posse desses campos, os estrangeiros vão comprar sondas e plataformas lá fora, sem gerar um só emprego na indústria brasileira. Vão contratar engenheiros e técnicos lá fora; vão controlar diretamente toda a inteligência de pesquisa e exploração em nosso pré-sal, o que também é um ataque à nossa soberania.

Esse ataque vem acontecendo desde o início do governo golpista, quando aprovaram a chamada Lei Serra, que excluiu a participação obrigatória da Petrobras em todos os campos do pré-sal. Foi mais um golpe na indústria naval brasileira, que se somou à decisão de reduzir para 50% a obrigação de a Petrobras de comprar máquinas e equipamentos no Brasil, o chamado conteúdo local.

Na presidência da Petrobras, Pedro Parente, representante do PSDB, iniciou a privatização de atividades estratégicas, como a produção de biocombustíveis, distribuição de gás de cozinha, produção de fertilizantes e participações na petroquímica. Pôs à venda a Liquigás, a BR Distribuidora, a fábrica de nitrogenados de Três Lagoas e o gasoduto do Sudeste (NTS).

 

Em outra manobra criminosa, reduziu em até 30% a produção de combustíveis nas refinarias brasileiras. Deixamos de produzir aqui, em reais, para importar em dólares. Fez reajustes quase diários dos combustíveis, acima dos preços internacionais, o que aumentou os lucros dos estrangeiros. A importação de óleo diesel dos Estados Unidos mais que dobrou.

Não podemos esquecer que os primeiros a sofrer com a nova política de preços da Petrobras foram os mais pobres, que passaram a usar lenha e o perigosíssimo álcool para cozinhar, por causa do brutal aumento do botijão de gás.

Essa desastrosa política provocou, em maio, a paralisação dos transportes terrestres que tantos prejuízos provocou ao país. O Ipea acaba de informar que a produção industrial caiu 13,4% naquele mês. Não houve queda igual nem mesmo no primeiro mês da crise financeira global de 2008, quando o recuo foi de 11,2% (e cabe lembrar que superamos rapidamente aquela crise).

Em dois anos foram mais de 200 mil demissões de trabalhadores da Petrobras e de empresas contratadas por ela, além de mais de 60 mil demissões na indústria naval. A indústria de máquinas e equipamentos calcula uma perda de 1 milhão de empregos na cadeia de petróleo e gás, em decorrência dessa operação suicida.

A desvalorização do patrimônio da Petrobras, com a venda de empresas controladas, a perda de mercado no Brasil, a opção por se tornar mera exportadora de óleo cru, entre outras ações danosas de Parente, é dezenas de vezes maior que os alegados R$ 6 bilhões que teriam sido desviados nos casos investigados pela Lava Jato.

A votação da semana passada na Câmara, em regime de urgência, sem nenhum debate com a sociedade, mostrou que o governo golpista tem uma pressa desesperada para entregar o patrimônio nacional e destruir nossa maior empresa.

A verdade é que o tempo deles está acabando. Correm para entregar o que prometeram aos patrocinadores do golpe do impeachment em 2016: nosso petróleo, nossas riquezas, as empresas do povo, a Petrobras, a Eletrobras e os bancos públicos. Foi para isso, e para revogar direitos dos trabalhadores, que eles derrubaram a honesta presidenta Dilma Rousseff.

Ao longo de dois anos, os golpistas e os entreguistas do PSDB submeteram o Brasil aos interesses geopolíticos dos Estados Unidos e não apenas na Petrobras. A política externa dos chanceleres tucanos voltou a ser ditada pelo Departamento de Estado dos EUA, num retorno vergonhoso ao complexo de vira-latas que tínhamos superado em nosso governo.

Mas o tempo deles acaba em outubro, quando o Brasil vai eleger um governo democrático, com legitimidade para reverter a agenda do entreguismo, do ultraliberalismo, que só interessa ao mercado e não ao país ou ao nosso povo. Quando o Brasil eleger um governo que vai acabar com a farra das privatizações e da entrega do patrimônio nacional.

Podem ter certeza: voltando ao governo com a força do povo e a legitimidade do voto democrático, vamos reverter tudo que estão fazendo contra nossa gente, contra os trabalhadores e contra o país. E o Brasil vai voltar a ser dos brasileiros.

Luiz Inácio Lula da Silva

Ex-presidente e pré-candidato do PT à Presidência da República

A imagem pode conter: comida e texto

NOVA ITARANA: Mais uma vez acontece uma das mais lindas festas do interior da Bahia


O Drone seguiu o roteiro até a festa, onde no caminho mostrou um pouco da cidade de Nova Itarana, que começa a se destacar como uma das mais agradáveis e charmosas do interior da Bahia, diga-se de passagem. Clik no link vermelho e viaje de carona com o drone sobre a cidade. youtu.be/Rd5fuBdHrd4

Agora saiba mais da festa que foi de muito forró e uma diversidade de brincadeiras durante uma semana na Vila Cultural (Junina). Na foto abaixo, veja o famoso e antigo Tanque da Nação, que é um dos cartões postais do interior da Bahia e mais apreciados por visitantes e moradores de bom gosto. Ele fica bem ao lado do palco. À noite, com a iluminação, é um verdadeiro espetáculo.

Lembrando que todas as fotos e parte dos textos desta reportagem foram gentilmente cedidas pela (Ascom de Nova Itarana). Um abraço à galera da Assessoria de Comunicação.

A imagem pode conter: noite, atividades ao ar livre e água

Como já era de se esperar em Nova Itarana um São João bonito e de muita paz, esse ano parece ter superado todos os outros, por vários motivos, dentre eles, a cidade, no seu aspaço físico, está mais preparada e com muitas ruas próximas ao centro asfaltadas, deixando a cidade mais bonita para oferecer aos seus  moradores e convidados uma festa à altura do povo.

 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, área interna

Muitas bandas com cantoras e cantores arrasaram este ano no gigante palco

A imagem pode conter: 2 pessoas

O Drone seguiu mostrando o caminho até o local da festa, onde muitas bandas se apresentaram no gigante palco fixo. Neste local aconteceu uma espécie de encontro marcado de moradores da cidade e visitantes de todas as classes, idade, cor e posição social para dividirem ali momentos de muita alegria que eternizarão em cada coração.

Na vila Junina (Cultural) muitas brincadeiras aconteceram desde o dia 16 de junho.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé, sapatos e atividades ao ar livre

Foram muitas as brincadeiras que aconteceram na Vila. Na verdade, um verdadeiro resgate das velhas brincadeiras

A imagem pode conter: 14 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, pessoas dançando e atividades ao ar livre

Na verdade a festa junina começou no dia 16 do mês de fogueira, como dizem os mais antigos se referindo ao mês de São João, que é de muita fogueira, quentão, milho assado e brincadeiras típicas, que, aliás, aconteceu o resgate de tudo isso em Nova Itarana, durante os festejos da Vila Cultural, (Vila Junina) mas que leva o nome também de Vila Cultural, pela volta das velhas brincadeira e costumes, que durante uma semana foram resgatados e aplicadas ali, onde um dos destaques foi as quadrilhas de adultos e infantil. Na de adultos, Danilo não perdeu tempo e caiu na brincadeira. Pela batida do passo, parece que ele entende do assunto.

Como foi bem lembrado pelo secretário Administrativo, Elmo Ricardo, num rápido bate papo, onde disse que esse ano, mais uma vez o São João chega com um povo muito alegre pelo que vem acontecendo na cidade, pelo empenho da administração atual, onde quase dez milhões de reais  entraram no município  em obras que foram inauguradas e que receberam ordem de serviços. O secretário lembrou que para isso tudo acontecer, é preciso muita dedicação por parte do gestor e não se cansar de viajar em busca dos benefícios tantos nas secretarias como nos ministérios em Brasília. A ajuda dos deputados Ronaldo Carleto e Roberto Britto tem sido fundamental para acontecer essa evolução em Nova Itarana. Mas Ricardo lembrou rapidamente que o assunto ali era festa e começou a falar das bandas e da ornamentação da cidade.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas dançando

Dançarinas levantaram aplausos da galera

“Mas se o assunto aqui é festa mesmo, então saiba mais sobre o grande evento”, disse Ricardo e foi adiantando que foram muitas bandas, todas boas de forró, que fizeram o chão e a galera de Nova Itarana tremer. Felomena Bagaceira foi um dos nomes que arrebentaram, mas outras também agradaram muito os foliões como: Fubá de Milho, Farra dos Amigos, Forrozeiro do Norte, Banda Tatua, Cravo com Mel, Julho Cesar, Banda Mandacaru e a conhecida e boa banda Portal da Bahia. Essas e outras atrações fizeram a grande festa que durou três dias na linda cidade de Nova Itarana.

Prefeito agradece a todos os participantes

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas

Prefeito Danilo com a sua esposa Carol da Damacena dançaram e curtiram as três noites

O prefeito Danilo Italiano Almeida agradeceu a todos que participaram da festa, tanto na organização direta, mas também os que indiretamente contribuíram. Elogiou os moradores da terra pela receptividade, como sempre, aos visitantes que sempre têm optado por Nova Itarana para curtir a festa; a ornamentação da cidade, que sempre é um item que chama a atenção de todos; e, de forma muito tranquila pela beleza da festa e pelo seu município estar passando por uma boa fase, permaneceu se mostrando muito feliz. Disse ainda que apesar do recurso ser limitado para realização da festa, com muito cuidado e economia deu para acontecer uma grande festa. No segundo dia de forró Danilo faz uma avaliação: “Assim foi a nossa noite do São João dos novos tempos. Esta segunda noite está sendo fechada com alegria, o que deixa todos nós muitos felizes. Depois de acender a fogueira, o povo veio à praça e viu quando a Banda Forrozão Tatua começou os trabalhos, fazendo um resgate do forró tradicional, passeando por repertórios de Luiz Gonzaga e Jackson do pandeiro até Magníficos e estakazero, agradando assim, os públicos de todas as idades. A Banda Fubá de Milho desfilou toda sua graça e talento com um show que encantou a todos e fez o povo se emocionar com um repertório mais eclético e mesclado para os foliões presentes. Pra fechar a noite do palco principal, tivemos o forrozeiro Júlio César com uma grande produção e repertório baseado no resgate da música nordestina de raiz. Com tudo isso eu só tenho a agradecer. E amanhã tem mais e quero ver todo mundo aqui”, convidou Italiano.

Terceira noite foi de muito forró e alegria

A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco e área interna

A imagem pode conter: 10 pessoas, multidão

A noite seguinte chegou, depois de um descanso para todos e mais uma vez foi repetida uma grande festa, com mais  bandas fazendo acontecer um grande espetáculo. Lembrando que para que ninguém ficasse parado, outro forrozeiro, o Gélder Silva fez a animação da galera entre os intervalos no palco alternativo. 

no final da festa da terceira e última noite deste São João, mais uma vez o prefeito fez uma avaliação e agradeceu a Deus por tudo. “Nossa última noite de São joão foi marcada pela mistura de alegria e saudades. Iniciamos os trabalhos com a Banda Pirata que apresentou um repertório alegre e diversificado. Logo após tivemos apresentações de dança de rua com grupos de dança locais que foi seguido por Zé Costa e Forrozão Mandacaru, tocando um repertório típico de Adelmário Coelho, Flávio José e outros, com muito arrasta pé, xote e baião. Já eram 03:20h e a praça continuava lotada aguardando a apresentação do forrozeiro João Almeida, que como sempre, apresentou um show sensacional com forró de qualidade, músicos e dançarinos que encantam a todos. O dia amanheceu e recebemos o sol ao som do melhor São joão de todos os tempos. Aproveito mais uma vez para agradecer a cada um folião presente e lembrando que de 06 a 08 de julho, estaremos juntos novamente la na Serra do Cem com grandes atrações no São Pedro mais animado da região. Um forte abraço a todos e até lá.

 

Fim das telas quebradas: aluno inventa “airbag” pra celular


Foto: Divulgação

Veja a criatividade de um estudante alemão: ele fez uma espécie de “airbag” para o telefone celular não quebrar ao cair no chão, uma solução para um problema mundial.

Não! Não vai sair um saco cheio de ar para proteger o aparelho. Em vez disso, o designer Philip Frenzel, um estudante da Universidade de Aalen, na Alemanha, criou um sistema de amortecimento diferente.

Ele tem sensores embutidos e oito “molas” que se parecem com ganchos e disparam sempre que o smartphone cai. São duas molas em cada lateral, frente e verso. (vídeo abaixo)

Os sensores detectam automaticamente quando o telefone está em queda livre e, em seguida, as molas são disparadas para amenizar o impacto do celular no chão.

O vídeo da invenção mostra o telefone pulando em segurança, depois que o usuário o derruba.

Após pegá-lo de volta, o usuário pode simplesmente dobrar as molas de volta no estojo para que ele esteja pronto para o próximo “descuido”.

Prêmio

Frenzel ganhou o prêmio principal da Sociedade Alemã de Mecatrônica por sua capa de telefone, embora o design ainda seja um protótipo.

Ele também patenteou a tecnologia, o que significa que o caso pode estar prontamente disponível para os consumidores em breve.

O case parece funcionar perfeitamente em superfícies planas, mas não há indicação de que os resultados seriam tão sólidos se o telefone caise em um local irregular.

Embora existam muitas opções no mercado, desde caixas à prova d’água até aquelas que se dizem “indestrutíveis”, ainda não existe uma solução que salte.

Inspiração

A invenção chamou a invenção da empresa a ADCASE.

“Há três anos, Philip deixou cair seu novo iPhone,” contou Peter, um porta-voz ADCASE .

“A tela quebrou em mil pedaços. Depois disso, ele comprou um monte de capas telefônicas convencionais para proteger seu novo telefone. Mas a proteção não o satisfez.”

No início, Frenzel criou um mecanismo de ativação com sensores que detectam quando o telefone está em queda livre.

Ele inicialmente pensou em projetar um airbag real no telefone, que é uma alternativa baseada em espuma, no entanto, esses projetos não se mostraram práticos.

Frenzel pensou então em molas.

No total, Philip e sua equipe levaram cerca de dois anos e meio para criar o dispositivo.

Financiamento

Agora a missão é tornar o “airbag” compatível com os mais novos iPhones, a partir do iPhone 6… e quem sabe outros tipos de celulares também.

Para financiar o projeto, está sendo preparada uma campanha no Kickstarter, que deve começar em julho.

 

o estudante Philip Frenzel e sua invenção

o estudante Philip Frenzel e sua invenção

airbag_celular4

Foto: Divulgação

Fotos: Divulgação

Veja como funciona:

Com informações do Daily Mail e Bored Panda

Outdoors por Lula Livre são instalados em Curitiba


Publicado em 29 junho, 2018 9:58 am

Do site Marketing contra o Golpe.

 

Campanha de outdoors não é campanha eleitoral. É exercício do Direito de Manifestação! É grito de liberdade contra a Ditadura do ódio.

Agora é oficial! Nossos outdoors foram devidamente instalados, ontem, na República da Resistência, Curitiba. 

A satisfação é imensa, pois não foi nada fácil, como todos puderam acompanhar.

 

E, apesar da animação da militância, algumas poucas vozes de desaprovação sempre ecoam nos grupos de whatsapp e comentários nas redes sociais. Mas é de um grupo de pessoas que acham que nossa maior preocupação é conseguir votos para o Lula.

Acontece que o voto da maioria Lula já tem! Todas as pesquisas de intenção de voto indicam vitória folgada de Lula.De acordo com a pesquisa ipsos, 55% das pessoas sabe que Lula sofre perseguição política e 73% acreditam que os poderosos querem tirar Lula das Eleições.

Então, a convicção íntima de que Lula é o melhor candidato à presidência e que Lula é inocente já está presente na maioria dos brasileiros e, de acordo com o jogo democrático, isso seria suficiente para ganharmos a eleição e devolvermos o Poder ao seu legítimo dono: o povo!

Porém, nesse momento Lula está preso, a direita e a mídia querem nos convencer de que ele está inelegível e querem nos impedir de votar em Lula. Nem temos certeza se as eleições ocorrerão mesmo esse ano. Ou seja, a Democracia é que está em xeque, de novo.

Não fosse isso, a direita xucra, ofensiva e violenta tenta acuar a esquerda e o povo de modo geral a não darem qualquer opinião dissonante. Houve um tempo, não muito distante, em que seria perigoso até mesmo usar roupas vermelhas nas ruas da Capital curitibana. Não apenas adultos usando vermelho, mas crianças e cachorros foram hostilizados apenas pela cor de acessórios e roupas. Tudo para nos manter com medo. Calados, enquanto eles espalhavam ódio, entreguismo e preconceitos.

Enquanto eles fizeram dezenas de outdoors e adesivaram seus carros defendendo a Lava Jato, militantes de esquerda temiam (ainda tememos às vezes) represálias por colocar adesivo no carro, nas janelas de nossas casas, ou mesmo defender nossa opinião publicamente.

Tentaram nos calar com ofensas e ameaças. Por um tempo até conseguiram.

E, se nós que somos militantes nos sentimos acuados e ameaçados, imaginem o povo que vota na esquerda e acredita na esquerda, mas não é militante.

Como as pessoas, que estão fora da luta política diária, conseguiriam se manifestar e defender sua opinião política diante de tanto ódio da direita xucra?

Sendo assim, esses outdoors tem uma missão muito maior que apenas angariar votos. A missão desses outdoors é libertar a população dessa ditadura civil, imposta pela direita, na qual qualquer um que discorde dela passa a ser um inimigo a ser ofendido e denegrido até o último fio de cabelo.

(…)

Outdoor Lula Livre em Curitiba. Foto: Reprodução/Marketing Contra O Golpe

 

Outdoor Lula Livre em Curitiba. Foto: Reprodução/Marketing Contra O Golpe

 

Outdoor Lula Livre em Curitiba. Foto: Reprodução/Marketing Contra O Golpe

 

Outdoor Lula Livre em Curitiba. Foto: Reprodução/Marketing Contra O Golpe
A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Operador de máquinas é atacado por abelhas durante trabalho de limpeza em mata no oeste da Bahia


Caso ocorreu na manhã desta quinta-feira (28), próximo à localidade da Prainha, em Barreiras, no oeste da Bahia.Mata fechada fica no fundo da Universidade Federak do Oeste da Bahia (UFOB), na localidade da Prainha, em Barreiras. (Foto: Gazeta 5)

Mata fechada fica no fundo da Universidade Federak do Oeste da Bahia (UFOB), na localidade da Prainha, em Barreiras. (Foto: Gazeta 5)

Um operador de máquinas de 65 anos ficou ferido após ser atacado por um enxame de abelhas enquanto trabalhava em uma mata, na manhã desta quinta-feira (28), próximo à localidade da Prainha, em Barreiras, no oeste da Bahia. As informações são do Corpo de Bombeiros da cidade.

A vítima, Valdemar José de Sena, realizava a limpeza de uma área nos fundos da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) quando a situação aconteceu. Mesmo ferido, o operador conseguiu sair do veículo que operava e deixar o local para pedir socorro.

O Corpo de Bombeiros disse que a vítima foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levado para uma unidade de saúde. Não há informações atualizadas sobre o estado de saúde dele. Com informações do G1BA.

O Corpo de Bombeiros da cidade foi acionado para fazer os primeiros socorros. (Foto: Gazeta 5)O Corpo de Bombeiros da cidade foi acionado para fazer os primeiros socorros. (Foto: Gazeta 5)

O Corpo de Bombeiros da cidade foi acionado para fazer os primeiros socorros. (Foto: Gazeta 5)

Fachin libera para o plenário do Supremo pedido de liberdade de Lula


Publicado em 28 junho, 2018 2:59 pm

De Mariana Oliveira da TV Globo Brasília.

O ministro Luiz Edson Fachin liberou nesta quinta-feira (28) para julgamento no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) o recurso da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva contra a decisão que arquivou o pedido de liberdade do ex-presidente.

Caberá à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, marcar a data. Ainda não há informações sobre se o julgamento será nesta quinta ou na sexta (29), ou se ficará para agosto, como era a previsão inicial. Em julho o STF entra de recesso.

 

A decisão de Fachin de liberar o processo ocorreu depois que a defesa de Lula apresentou um novo pedido de liberdade e solicitou a mudança de relator.

Lula foi preso em abril, depois de ser condenado pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4) a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Lula se diz inocente.

A prisão do ex-presidente foi baseada em entendimento do STF de que a pena pode começar a ser cumprida a partir da condenação na segunda instância, como o TRF-4.

A defesa de Lula, no entanto, argumenta que ele tem direito de ficar livre enquanto houver possibilidades de recursos.

(…)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Cinco mortes confirmadas após tiroteio em jornal nos Estados Unidos


Reportagem de Leandra Felipe na Agência Brasil.

Cinco pessoas morreram e várias ficaram gravemente feridas devido a um tiroteio que aconteceu hoje (28) no Capital Gazette, um jornal diário em Annapolis, no estado de Maryland. A confirmação sobre o número de vítimas foi divulgada no fim da tarde pela polícia local.

 

 

Autoridades também confirmaram que um suspeito foi preso no local, mas sua identidade ainda não foi revelada.

O incidente ocorreu dentro do escritório do Capital Gazette, um jornal diário histórico da cidade. A área permanece isolada. Annápolis se localiza a 50 quilômetros na área metropolitana da capital Washington.

O governador do estado, Larry Logan, escreveu no Twitter: “Absolutamente arrasado em saber dessa tragédia em Annapolis”. Ele também pediu que a população da região atenda aos pedidos de manter distância do local.

O presidente Donald Trump escreveu no Twitter após ser informado sobre o tiroteio. “Meus pensamentos e orações estão com as vítimas e suas famílias. Obrigado a todos os primeiros socorros que estão atualmente no local”.

Police at the scene in Annapolis. Photograph: Saul Loeb/AFP/Getty Images

 

Tiroteio em redação de jornal dos Estados Unidos deixa feridos


Atirador disparou contra funcionários em prédio em Annapolis, segundo repórter.Tiroteio em redação de jornal dos Estados Unidos deixa feridos (Foto: AP )

Mulher morre ferida por taça de vinho ao comemorar vitória do Brasil Contra Servia


Como dizia o Raul, “A morte surda caminha a meu lado e não sei em qual esquina ela vai me beijar. Será que vai ser antes de eu terminar de beber o meu copo de uísque”? No caso de Tâmara, ela não terminou a sua taça de vinho…Outros já costuma dizer que pra morrer basta estar vivo. O que se sabe é que nunca ninguém numa comemoração está esperando a morte chegar. Que Deus conforte os familiares de Tamara.

Do O Globo:

Uma mulher de 30 anos morreu, na tarde desta quarta-feira, após se ferir com uma taça de vinho quebrada enquanto comemorava a vitória do Brasil no jogo contra a Sérvia, em Itatiba, na região de Campinas. Segundo o boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Itatiba, Tamara Maiochi estava sentada numa cadeira com o celular numa mão e a taça na outra. Ela se desequilibrou ao tentar levantar da cadeira para comemorar a vitória e caiu no chão. A taça quebrou e feriu o seu pescoço.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, as pessoas que estavam no local tentaram conter o sangramento enquanto o resgate era chamado, porém Tamara não resistiu e morreu no local. O caso foi registrado na delegacia e está sendo investigado como morte suspeita. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí e foi liberado na manhã desta quinta-feira. Tamara será enterrada na manhã desta sexta-feira, na cidade de Conchal, em São Paulo.

Segundo a irmã de Tamara, Michelle Maiochi, o jogo já tinha terminado quando o acidente aconteceu. Ela contou que o vidro atingiu “milimetricamente” a principal veia do pescoço.

 

 

 

Irmãos recebem doação de rim do mesmo doador no mesmo dia


Foto: Divulgação

Boa notícia em dobro pra dois irmãos. Eles fizeram uma cirurgia de transplante para receber rins do mesmo doador, no mesmo dia.

O caso inusitado e raro aconteceu no Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza.

Raimundo, de 57 anos, e Antônio Rodrigues de Abreu, de 51, ambos aposentados, foram operados na unidade de saúde.

Os irmãos sofrem de uma doença renal progressiva, a nefropatia diabética. Raimundo já se preparava para receber o transplante há cinco anos, e Antonio, há quatro.

Quem nos deu a notícia foi a filha de Raimundo e sobrinha de Antônio, Wanessa Abreu, que é leitora do SóNotíciaBoa.

Acostumada a receber nossas notícias, Wanessa disse: “Vocês me entregam notícia boa e hoje venho entregar uma notícia boa pra vocês. Meu pai e meu tio receberam simultaneamente a doação de um rim.”

 

História

Os irmãos moravam em Manaus (AM) quando receberam a notícia da necessidade do transplante.

Há um ano foram para Fortaleza em busca de oportunidades de realizar o procedimento.

No dia 23 de maio, Raimundo recebeu uma ligação do hospital comunicando que um doador compatível havia aparecido e que ele era o próximo na fila de espera. Algumas horas depois, o irmão, Antonio, recebeu ligação semelhante.

“Eu conheço pessoas que foram chamadas 24 vezes e não estavam preparadas. Não fiquei muito confiante. A ficha não caiu. Não acreditei”, disse Raimundo.

Após fazer os exames e o transplante ser autorizado, Antonio foi o primeiro a ser encaminhado para a cirurgia.

Horas depois, foi a vez de Raimundo. Tudo correu bem para ambos, que passaram a maior parte do período de recuperação juntos num quarto.

“Depois que eu acordei da cirurgia, senti aquela felicidade, aquela alegria, aquela vontade de chorar. Parecia que eu tinha ganhado na loteria”, resume Antonio, emocionado.

 

Recuperação

A recuperação dos dois também foi tranquila e tiveram alta oito dias após a cirurgia.

A filha de Raimundo disse para o SóNotíciaBoa que até agora os dois estão reagindo muito bem.

“É muito bom divulgar a atitude dessa pessoa, anjo de Deus que salvou os dois e deixou uma família inteira feliz e emocionada”, comemora Wanessa.

A chefe da Unidade do Sistema Urinário do HUWC, Dra. Paula Fernandes, disse que essa é uma situação rara no mundo e foi a primeira vez que aconteceu no hospital.

A equipe ficou motivada para que os dois pudessem ser operados no mesmo dia.

“No Walter Cantídio, todo mundo ficou muito admirado e torcendo para dar certo”, disse.

A seleção dos pacientes que vão transplantar respeita uma lista de espera e segue critérios de compatibilidade, entre eles o antígeno leucocitário humano (HLA).

A chance de dois irmãos terem o HLA idêntico é de 25%, caso dos dois, que também eram compatíveis com o doador.

Qualquer célula exibindo algum tipo de HLA que não parece próprio do indivíduo é percebido como invasor pelo corpo, resultando na rejeição do transplante do tecido com essas células.

Por isso, verificar a compatibilidade HLA é fundamental para o sucesso de um transplante. Com informações da TribunaDoCeará e SNB

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

Questionado sobre Lula, Fachin nega perseguição e diz que sente “paz na alma”


 

Matéria publicada no DCM diz que o  ministro Edson Fachin negou que julgue os recursos de Lula com parcialidade. Ao contrário disso, segundo o Estadão desta quarta (27), Fachin disse que deixa as convicções pessoais “do lado de fora da sala de julgamento” quando o assunto é o petista. “É assim que tenho me portado, e isso que me dá paz na alma”, afirmou.

A manifestação de Fachin sobre Lula ocorreu após o jornal questionar o “isolamento” do relator da Lava Jato em relação os outros ministros da segunda turma. Na semana passada, em tabelinha com o TRF-4, Fachin retirou da pauta de terça (26) uma medida cautelar que poderia levar Lula à liberdade. Quando a defesa recorreu, o ministro jogou a ação no plenário, onde as chances de construir uma maioria contra Lula são maiores.

“Integrantes da Segunda Turma acreditam que o relator da Lava Jato fez isso como uma manobra para evitar uma nova derrota no colegiado”, escreveu o Estadão.

Fachin, porém, nega o isolamento e diz que a divergência de opiniões no Supremo é natural. “(…) juízes não tem ideologia nem segmento para pender para um lado A ou lado B”, disse. “O colegiado é formado por posições distintas, o dissenso é natural, e é por isso que nessa mesma medida os julgamentos se deram e vão se dar na luz da ordem normativa constitucional, e cada magistrado aplicando aquilo que depreende da Constituição.”

 

Por que o PL do veneno é um desastre completo e precisa mudar. Por Danilo Molina


Assuntos tão sérios, muitas vezes passam despercebidos por falta de conhecimento da humanidade, que termina correndo grandes riscos de morte.

PL do Veneno foi aprovado pela Câmara nessa segunda-feira

POR DANILO MOLINA

Uma matéria publicada no DCM, diz que depois de quatro tentativas, a bancada ruralista da Câmara dos Deputados aprovou, em comissão especial, nesta segunda-feira (25), relatório favorável ao chamado PL do Veneno. O projeto esvazia a atuação dos órgãos de saúde e do meio ambiente no controle e na regulação do uso agrotóxicos no país, delegando ao Ministério da Agricultura uma série de ações que são, hoje, exercidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Ibama.

Na prática, agrotóxicos com características cancerígenas, mutagênicas, que causam malformação no feto, dano ao aparelho reprodutor, desregulação endócrina ou que prejudicam o meio ambiente poderão ser utilizados nas lavouras brasileiras. Além disso, ao permitir o registro automático de produtos, poderemos ter, no mercado nacional, agrotóxicos que não passaram por qualquer avaliação quanto à eficiência agronômica, aos impactos na saúde dos consumidores e dos trabalhadores rurais e aos efeitos no meio ambiente.

Na contramão de todos os países desenvolvidos, que se preocupam cada vez mais com a questão da sustentabilidade, a aprovação do relatório do deputado Luiz Nishimori (PR-PR) representa um grave retrocesso nas políticas públicas brasileiras de proteção da saúde e do meio ambiente, no que se refere ao uso de agrotóxicos, uma verdadeira farra do veneno. É evidente que os agrotóxicos não possuem uma interface exclusiva com a agricultura. O uso desses produtos gera impactos e possui riscos para a saúde a para o meio ambiente.

O limiar entre os benefícios do manejo adequado de um agrotóxico, que pode eliminar determinada praga da lavoura, e os riscos do uso incorreto desse mesmo agrotóxico, que pode matar um ser humano e comprometer completamente todo um ecossistema, por exemplo, é muito estreito. Por isso, a atual legislação sobre agrotóxicos prevê uma atuação conjunta e articulada dos órgãos de agricultura, da saúde e do meio ambiente.

Pelas regras atuais, um novo agrotóxico só pode entrar no mercado brasileiro se for eficaz no controle de uma determinada praga, se não causar prejuízos ao meio ambiente e se não deixar resíduos capazes de afetar a saúde da população nos alimentos. Esses produtos também devem poder ser manipulados pelos trabalhadores rurais, mesmo que com uso de equipamentos de proteção individual, sem afetar a saúde dos mesmos.

Tais condições configuram-se como medidas protetivas fundamentais para que os agrotóxicos sejam utilizados na lavoura brasileira de maneira segura, sem comprometer a saúde dos consumidores e dos próprios trabalhadores do campo. Isso porque, não há dúvidas dos efeitos nocivos que o uso inadequado de agrotóxicos pode gerar na saúde humana, tanto no que diz respeito aos efeitos crônicos que o consumo de pequenas doses de resíduos de agrotóxicos durante um período de tempo prolongado pode gerar nos consumidores, quanto no tocante aos efeitos agudos, que acometem principalmente os trabalhadores e as trabalhadoras, vítimas de intoxicação no manejo desses produtos.

Sem a preocupação com o impacto que os agrotóxicos podem gerar na saúde das pessoas e no próprio meio ambiente, os desdobramentos do uso desses produtos para toda sociedade podem ser devastadores. O próprio Instituto Nacional do Câncer já se posicionou, em 2016, contra o uso de agrotóxicos e recomendou a redução do emprego desses produtos nas plantações, em razão de que a exposição aos agrotóxicos está relacionada ao desenvolvimento de diversos tipos de câncer.

Nunca é demais relembrar pesquisa da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que, entre 2007 e 2014, avaliou os impactos dos agrotóxicos sobre a saúde humana e o meio ambiente, no município de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Dentre outros resultados alarmantes, a pesquisa revelou a contaminação de 56% das amostras de chuva recolhidas no pátio das escolas e de 25% das amostras de ar, também nos pátios das escolas e constatou, ainda, a contaminação com resíduos de agrotóxicos de 100% das amostras de leite materno de 62 mães que pariram e amamentaram, no referido município, em 2010.

 

Mesmo que a bancada ruralista não se dê conta, o PL do veneno também pode ter efeitos nocivos para a própria agricultura brasileira, um dos mais modernos, avançados e importantes segmentos da economia nacional, responsável por 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2017. Não é novidade o uso da justificativa de barreiras sanitárias como instrumentos de disputas comerciais, inclusive em razão da contaminação de produtos por agrotóxicos, para que países adotem medidas protecionistas e restrinjam a importação de alimentos de outros países, com a imposição de barreiras comerciais.

No passado, o próprio suco de laranja brasileiro, que possui cerca de 80% do mercado mundial, já foi vítima de barreiras comerciais pelas autoridades sanitárias dos Estados Unidos. À época, as autoridades norte-americanas questionavam a presença, em nosso suco de laranja, de resíduos do agrotóxico cihexatina, que, depois, veio a ser retirado do mercado brasileiro pela Anvisa, em razão dos efeitos nocivos do referido agrotóxico para a saúde humana.

Os produtores rurais têm todo direito de questionar a demora das autoridades federais na análise para a liberação de novos agrotóxicos, muitas vezes inovadores, no mercado nacional. Mas, é preciso pontuar que os registros desses produtos, uma vez concedidos, têm prazo eterno, não precisando de qualquer tipo de renovação, como ocorre para outros produtos sujeitos à vigilância sanitária, como medicamentos e cosméticos.

 

 

Ademais, a solução para essa morosidade não está no completo esvaziamento da competência regulatória de órgãos fundamentais para o bom funcionamento da sociedade, especialmente quando tratamos da saúde das pessoas. O caminho passa pela melhoria dos procedimentos regulatórios, melhoria na gestão e pelo fortalecimento dessas instituições, com a ampliação e a capacitação do corpo de servidores públicos.

O PL do Veneno ainda tem um longo caminho a percorrer antes de virar lei, com a votação no plenário da Câmara dos Deputados, a tramitação no Senado Federal, a sanção presidencial e a própria judicialização do tema, que certamente ocorrerá se mantidas as diretrizes atuais. Por isso, é imprescindível um debate qualificado e um posicionando claro e público do Governo Federal, que tem preferido a conveniência do silêncio, na mediação da pauta e na total preservação da atuação dos órgãos da saúde e do meio ambiente no controle dos agrotóxicos utilizados no Brasil.

Ainda que a bancada ruralista e a indústria dos agrotóxicos queiram colocar a saúde da alface acima da saúde dos nossos filhos, o PL do Veneno é um desastre completo. Da forma que está, além de cruel, o projeto ameaça a saúde da população, dos nossos filhos, dos trabalhadores rurais, do meio ambiente e da própria agricultura. A farra do veneno é um retrocesso inaceitável, que só será derrotada com forte participação e mobilização da sociedade civil. forte participação e mobilização da sociedade civil, para que a sociedade brasileira enfrente os poderosos interesses da bancada ruralista e das multinacionais dos agrotóxicos.

Danilo Molina é jornalista e servidor público de carreira. Foi assessor da Casa Civil da Presidência da República, do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no governo Dilma Rousseff. Possui, ainda, pós-graduação em Assessoria em Comunicação Pública. Com informação do DCM.

 

 

Mulher morre após bater a cabeça em teto de ônibus e cair sobre poltrona quando coletivo passava por quebra-molas na BA


Vítima sofreu fratura em uma das vértebras e ficou 13 dias internada, no município de Vitória da Conquista, na região sudoeste. Empresa informou que investiga caso.

Mulher morre após se desequilibrar e cair dentro de ônibus, em Vitória da Conquista

Uma mulher morreu depois de ficar 13 dias internada em um hospital de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, por conta de um acidente que sofreu em um ônibus do transporte coletivo da cidade. A vítima bateu a cabeça no teto do coletivo quando o veículo passou por uma quebra-molas, e sofreu fratura em uma das vértebras. Familiares da mulher dizem que o ônibus estava em alta velocidade.

A vítima foi Cidinalva Gusmão da Silva, de 49 anos. Ela morreu na terça-feira (26), no Hospital Geral de Vitória da Conquista. A mulher foi enterrada nesta quarta-feira (27) no Cemitério da Saudade, no centro da cidade.

O acidente ocorreu no dia 13 de junho. Familiares contam que Cidinalva estava indo para casa com uma irmã dentro de um ônibus da Viação Vitória, uma das duas empresas que prestam serviço de transporte público na cidade, quando tudo aconteceu.

Vítima foi enterrada nesta quarta-feira em Vitória da Conquista (Foto: Reprodução/TV Sudoeste)Vítima foi enterrada nesta quarta-feira em Vitória da Conquista (Foto: Reprodução/TV Sudoeste)

Vítima foi enterrada nesta quarta-feira em Vitória da Conquista (Foto: Reprodução/TV Sudoeste)

Os parentes contam que o ônibus estava em alta velocidade e não freou para passar sobre o quebra-molas. Com o impacto, Cidinalva, que estava em pé dentro do coletivo, perdeu o equilíbrio e bateu a cabeça no teto. Em seguida, a mulher caiu.

“Batemos até o teto do ônibus e voltamos. Ela bateu as costas no acento da cadeira e entrou em desespero nesse momento”, contou a irmã da vítima, Jaciara da Paixão.

Após o acidente, ela foi levada para o Hospital Geral de Vitória da Conquista, mas os parentes contam que o estado de saúde dela foi piorando aos poucos. “Ela pegou uma infecção e a perna dela, por causa da coluna, ficou mal e pensaram até em amputar”, disse o filho da mulher, Deive da Paixão.

Por meio de nota, a Viação Vitória lamentou o ocorrido e disse que está oferecendo todo o apoio necessário para a família e os amigos da vítima. A empresa ainda destacou que as causas do acidente estão sendo apuradas.

Os familiares da mulher, no entanto, dizem que somente depois da morte da vítima é que a empresa apareceu para oferecer ajuda. “Agora, depois que minha mãe faleceu, que veio dizendo que vai pagar a parte funerária da minha mãe”, disse o filho da vítima.

Mulher morreu em Vitória da Conquista (Foto: Reprodução/TV Sudoeste)

Mulher morreu em Vitória da Conquista (Foto: Reprodução/TV Sudoeste)