(77) 99152-6666

“Tempestades fortes derrubaram a casa de Delfim Neto”


“Quanto será que ele roubou em quase meio século”
Temer e Jucá com Delfim

 

Um dos alvos de busca e apreensão da Polícia Federal na operação que investiga contratos da construção de Belo Monte é Delfim Netto.

Ele é suspeito de receber 10% dos valores que as empresas teriam pago de propina pelo contrato. Os outros 90% seriam divididos entre PMDB e PT.

De acordo com o Ministério Público Federal, até agora já foram rastreados pagamentos superiores a R$ 4 milhões a Delfim, de um total de R$ 15 milhões.

A grana teria vindo de Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS e J. Malucelli.

Quanto terá roubado Delfim ao longo de mais de meio século?

Ele era, provavelmente, um dos maiores casos de blindagem da história e um exemplo de sobrevivência política impressionante.

Levou tempo para ele aceitar depor na Comissão da Verdade. Esteve lá em 2013. Na versão paulista da comissão, repetiu seu velho refrão quando perguntado sobre os abusos do regime: não sabia de nada.

 

“Havia a mais absoluta separação. No meu gabinete nunca entrou um oficial fardado”, disse. “Não existia nenhum vínculo entre as administrações”.PUBLICIDADE

Delfim não era um contínuo. Assinou o AI-5 quando era ministro da Fazenda de Costa e Silva. “Direi mesmo que creio que não é suficiente”, afirmou.

Ao chancelar o ato, estava ajudando a suspender o habeas corpus para crimes políticos e contra a segurança nacional, o que foi fundamental para a indústria da repressão.

Ocupou esse mesmo cargo entre 1969 e 1974, sob Medici. O “Gordo” virou uma celebridade com o milagre econômico.

O general Geisel se livrou dele. Depois foi ministro da Agricultura e do Planejamento com Figueiredo. Sobre seu legado na economia, declarou que “Geisel quebrou o Brasil”. Não ele.

Nos anos Figueiredo, tornou-se uma figura meio pop. Jô Soares tinha um quadro em que metia uns óculos de lentes de fundo de garrafa, um terno apertado e o imitava.

Em convescote com o empresário Henning Boilesen (centro), cabeça da Oban

Numa entrevista para o documentário “Muito Além do Cidadão Kane”, Roberto Civita, da Abril, conta que, em 1980, quando o grupo tentou uma concessão de TV, ele tinha a seu lado “Golbery e Delfim, os dois homens mais importantes do governo naquela época”.

Declarou não ter conhecimento da OBAN, apesar de sua proximidade com gente como Henning Boilesen, o dinamarquês que presidiu a Ultragás e financiou a tortura.

Mesmo com a imprensa sob censura, o cidadão medianamente informado tinha noção do que acontecia. Era um segredo de polichinelo.

E Delfim, repito, não era um contínuo. Depois da redemocratização, foi cinco vezes deputado federal, virou colunista de jornais e revistas, conselheiro de FHC, Lula e Dilma.

Albert Speer era chamado de “o bom nazista”. Arquiteto do Terceiro Reich, depois ministro do Armamento, querido de Hitler, sempre negou ter ideia do extermínio em massa dos judeus.

Foi julgado em Nuremberg e preso em Spandau. Publicou uma ótima autobiografia que virou best seller e doou parte dos lucros para instituições judaicas de caridade.

Trinta anos após sua morte em 1981, documentos revelaram não apenas que ele conhecia os campos de concentração como participou de roubos de obras de arte de judeus.

Não há, hoje, um único edifício ou viaduto de Speer de pé em Berlim. A obra de Delfim está aí!!! Fonte, DCB.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Austrália pode ser 1º país a eliminar câncer de colo de útero


Foto: Pan American Health Organization

A Austrália poderá se tornar o primeiro país a eliminar o câncer do colo do útero. O motivo é a alta adesão à vacina contra o HPV.

Depois dela, a taxa de infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), que causa 99,9% de todo o câncer cervical, caiu de 22,7% para 1,1% das mulheres australianas jovens.

As descobertas foram publicadas no Journal of Infectious Diseases, para a emoção da comunidade médica.

 

Pesquisadores da International Papillomavirus Society (IPVS) lançaram uma declaração no último domingo dizendo que eles acreditam que a Austrália se tornará o primeiro país do mundo a vencer o HPV e o câncer cervical.

A professora Suzanne Garland, do Royal Women’s Hospital e da Universidade de Melbourne, disse:

“Estamos prevendo que nos próximos 30/40 anos, as taxas de câncer cervical cairão em torno dos 1.000 casos por ano na Austrália para apenas alguns.

“Nosso programa nacional de vacinação contra HPV para meninos e meninas, combinado com nossa seleção de população de câncer cervical, significa que estamos bem posicionados para ser o primeiro país a efetivamente acabar com esse câncer mortal”, acrescentou.

Cármen Lúcia inclui na pauta do CNJ dois processos contra Moro


 

Resultado de imagem para foto de moro com aecio

 

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta do dia 6 de março, terça-feira, dois processos disciplinares contra o juiz Sergio Moro relacionados à divulgação de conversas telefônicas entre os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff interceptadas pela Lava Jato.

Aliados de Dilma e Lula no Congresso, entre eles a presidente nacional do PT e senadora Gleisi Hoffmann, denunciaram Moro ao CNJ, acusando-o de vazamento. O juiz tornou os grampos públicos pouco antes na véspera da cerimônia que empossaria Lula como chefe da Casa Civil do governo Dilma.

A representação feita no Conselho Nacional de Justiça pelos deputados Wadih Damous e Paulo Pimenta contra o juiz Sérgio Moro será analisada hoje pelo CNJ. Os parlamentares apontam inúmeras ilegalidades praticadas pelo magistrado na condução de processo contra o ex-presidente Lula, como a divulgação dos áudios da conversa com a então presidenta Dilma Roussef. É o item 42 da pauta de julgamentos. DCM.

 

 

extremismo x extremismo sem radicalismo = à ponto de vista lógico


Fiquei sabendo hoje, por um artículo da Folha, sobre uma dona cujo nome não me lembro que criticou meu “extremismo de esquerda”. A pessoa se apresenta como “socialite”, eufemismo gourmetizado para “rica que não precisa trabalhar”, é sogra de um jogador de futebol e, segundo a matéria, coordena grupos de WhatsApp com “influencers” que simpatizam com políticos não tão “extremistas”, dentre os quais se destaca o deputado fascista que defende a tortura, reivindica a ditadura, odeia as minorias e é réu por apologia ao estupro.

Há extremismos e extremismos, não é?

Eu nem sabia da existência dela, já que, confesso a vocês, nunca tive interesse na vida de “socialites” e mães de noivas de jogadores de futebol. Contudo, fiquei admirado pela relevância que alguns atribuem ao entretenimento da burguesinha e seu grupo de “influencers”. Na verdade, o que é macabro é o que se esconde por trás dessa superficialidade chique, ou cafona: uma elite egoísta que, no tempo livre, flerta com o fascismo.

Por conta de seu nível rasteiro de politização e de sua identificação com os valores que pretendem perpetuar a desigualdade social, o sequestro do sistema político pelas elites para que garanta de seus privilégios, barateando a mão-de-obra dos trabalhadores pobres e erradicando direitos sociais; eu tomei o fato de ela me chamar de “extremista de esquerda” como um elogio! Obrigado!

Eu sinto, de fato, uma extrema rejeição por esse empresariado paulistano que está em seus grupos de WhatsApp e celebra a brutalidade de um pré-candidato a presidente que é um energúmeno que nada sabe nem propõe em termos de política econômica, saúde, educação, transporte, ciência e tecnologia, segurança pública e desenvolvimento sustentável, e que, além disso, é misógino, autoritário e homofóbico. A identificação dessa elite com tal candidato e o fato de a administradora desses grupos me considerar “extremista de esquerda” diz muito acerca deles, que tiveram todos os privilégios, que poderiam ter aproveitado para estudar e alcançar a “vida com pensamento”, mas capazes de apoiar um candidato fascista e bruto porque acham que um governo dele poderia ser bom para seus interesses particulares. Foda-se o país, pensam; o que importa é minha conta bancária!

Não deixa de ser significativo — e deve certamente incomodar os que pertencem às capitanias hereditárias e gostam de falar em “meritocracia”, embora seus privilégios nada tenham a ver com seus “méritos” — o fato de eu, que nasci na extrema pobreza, filho de um pai negro que abusava de álcool devido à miséria e de uma lavadeira, que comecei trabalhar aos dez anos, gay desde sempre, que estudei em escolas públicas, conciliando estudos e trabalho e enfrentando o bullying, e que me formei jornalista e mestre em Letras e Linguística, tendo sido sempre o melhor aluno da classe; não deixa de ser significativo que eu, com essa história, hoje exista para a socialite e seus grupos e os incomode em minha existência e mobilidade social.

Eu sou um exemplo do país que eles detestam e gostariam de ver subalterno. Eu sou o resultado das transformações de um país, graças a políticas públicas e leis elaboradas por pessoas, partidos e movimentos sociais de esquerda. Eu sou resultado de uma democratização à qual essa gente não parece muito simpática. E eu sou um homossexual, que veio da pobreza e fez a mobilidade social, graças a suas habilidades e competências, mas que nem por isso defende a “meritocracia” de exceção que eles reivindicam, embora esteja moralmente mais habilitado para falar de meritocracia do que essa elite com fortunas herdadas ou construídas na base da exploração do trabalho alheio e a subserviência de governos corruptos; essa elite que virou dona do país sem ter feito nada importante na vida.

O fato de a socialite saber quem eu sou e me citar na entrevista — quando, para mim, até então, ela não existia como indivíduo — é muito significativo do quanto nossas conquistas sociais incomodam essas pessoas. Fico feliz por ela me considerar um “extremista de esquerda” (enquanto os reais extremistas de esquerda me chamam de “reformista” ahahaha). Vindo dela, é elogio, volto a dizer. Para mim, ela não passa de uma ignorante motivada cuja dinheiro não lhe refinou o espírito nem ampliou seu repertório cultural: apenas aprofundou sua cafonice e lhe deu mercadorias.

Grande Mídia faz pressão para STJ negar (HC) a Lula hoje


Da esq. para a dir.: Felix Fischer, Joel Ilan Paciornik, Jorge Mussi, Ribeiro Dantas e Reynaldo Soares da Fonseca
Juízes que irão aceitar ou não ao pedido de Lula
Parte da grande mídia aposta todas as fichas na rejeição do habeas corpus (HC) preventivo solicitado pela defesa de Lula ao Superior Tribunal de Justiça. Na edição desta terça (6), O Globo afirma que um ministro do STJ disse, sob condição de anonimato, que o recurso será rejeitado já que o ex-presidente petista não deve ser tratado como “exceção” à “regra”.
Merval Pereira foi escalado para reforçar a orientação contrária a Lula: “O julgamento de hoje do STJ deve confirmar a decisão liminar de recusar o habeas corpus preventivo ao ex-presidente Lula, pois o STJ tem seguido a orientação do Supremo desde que a maioria a favor da prisão em segunda instância foi formada”, escreveu.
A Folha de S. Paulo lançou mão do mesmo expediente: publicou que, a “tendência, segundo integrantes da corte ouvidos pela reportagem, é de que o requerimento dos advogados do petista seja rejeitado.”
O julgamento do HC pela Quinta Turma do STJ ocorre hoje, a partir das 13h, com transmissão ao vivo na internet, numa decisão inédita do tribunal.
Na reportagem, O Globo lembra que, no ano passado, o STJ decidiu em outro processo que prisão a partir de condenação em segunda instância deve ser autorizada, em respeito ao entendimento do Supremo Tribunal Federal.
O relator do HC de Lula é o ministro Félix Fischer, o mesmo que, no processo citado pelo jornal, decidiu que a prisão deve ser considerada uma regra e que a permissão para aguardar o julgamento até o esgotamento de recursos em liberdade é que deve ser uma exceção.
“Assim, a excepcionalidade da situação é que ditará a possibilidade de suspensão dos efeitos do julgado, sendo, contudo, a sua produção, à guisa de execução provisória, a regra decorrente do julgamento condenatório proferido pelo segundo grau de jurisdição, como sucede na espécie”, anotou Fischer em março de 2017.
A matéria de O Globo, portanto, sugere que seria uma contradição se o STJ abrisse uma exceção para Lula a esta altura do campeonato – principalmente porque o ex-presidente ainda não recebeu nenhuma ordem de prisão.
O voto de Fischer foi seguido pelos ministros Jorge Mussi, Reynaldo Soares da Fonseca, Ribeiro Dantas e Joel Ilan Paciornik. Todos compõem a Quinta Turma do STJ.
O HC preventivo no STJ foi apresentado pela defesa de Lula em janeiro de 2018. O pedido de liminar foi negato pelo vice-presidente do STJ, ministro Humberto Martins, que estava de plentão. Ele argumentou que não havia risco imediato de prisão.
O MÉRITO DO PEDIDO
No mérito, a defesa de Lula alega que a orientação do Supremo “autoriza a execução antecipada da pena, mas não torna essa possibilidade obrigatória”, anotou O Globo. O ideal, portanto, seria “fazer a análise caso a caso”. GGN.

É hoje: Se for um plano, uma “ordem”, não tem jeito, o Lula vai ser preso, mas se os juízes analisar os fatos com coerência, tudo pode mudar


 

Walter Salles: Desde o começo do processo contra o ex presidente da República, Lula da Silva, que muita gente diz que o petista vai ser preso, mas não por culpa comprovada e que mereça uma prisão, até mesmo porque ainda não se provou nada do que o acusam, mas sim, baseado num propósito de fazer o ex-presidente não ter direito a concorrer à presidência em 2018. Olhado pelo lado do interesse dos EUA, pois querem comandar o brasil, como já começaram a comandar depois do Governo Temer, não tem escapatória para o petista. Mas se olhar pelo lado da justiça como tem ou teria de ser aplicada, o judiciário chamaria o Lula e diria o seguinte: “vá pra casa, descanse uns dias, você está livre para concorrer a presidência da República”. E apontaria o dedo para outros muitos que estão aí dando risadas e tomando água gelada com o presidente Temer e o juiz Moro, que são os tucanos e quem estiver agregados a ele, vocês todos vão para trás das grades, pois é lá o lugar de vocês. Com isso, esse blog não está inocentando o ex-presidente das eventuais culpas, mas, pelo fato das faltas de provas, sim, pois não está tendo coerência entre acusação, sentenças e fatos.

O Lula acaba de ser indicado ao Prêmio Nobel da Paz, é clamado pelo povo brasileiro para ser presidente, pois o mesmo deixou o segundo mandato com quase 90 por cento de aprovação, as provas até agora se baseiam em delações premiadas e por aí vai seguindo o roteiro de desencontros com uma “realidade” que tentam criar.

Acontece que o Lula foi, talvez, o único presidente que chegou para o presidente americano e falou que a festa acabou, e que agora o americano ia ser tratado no Brasil com a mesma medida que o brasileiro for tratado na América. Episódio desses e outros parecidos, devem ter deixado os “grandões americanos” com sangue nos olhos e, imediatamente podem ter colocado a “batata do Lula pra assar”. Mas pode ser que a chapa esfriou e não vai conseguir assar a batata. Isso vai depender dos cinco juízes que irão dar o desfecho final da “novela” que se arrasta há muito tempo, nesta terça feira.

Tudo começa a se encaixar na cabeça dos que pensam e analisam os fatos. No domingo o Fantástico gastou 14 minutos do programa para denegrir a imagem do Lula e do PT. O que a Globo e aliados não sabem, é que isso só faz a galera tomar raiva da emissora e se aproximar mais do ex-presidente petista. Isso é fato comprovado. Dois dias depois, chega a terça feira do desfecho. Para a Globo, que confia, ainda, na sua audiência, é como se tivesse preparado o povo para receber a provável notícia de que o futuro certo do Lula é a cadeia. Será?

Programa Feira Verde troca pneus velhos por alimentos


Feira Verde - Foto: Divulgação/ Prefeitura de Ponta GrossaFeira Verde – Foto: Divulgação/ Prefeitura de Ponta Grossa

Os moradores de Ponta Grossa, no Paraná, podem trocar pneus usados por frutas, verduras e legumes.

O Programa Feira Verde foi retomado este mês para toda a população.

E não são apenas frutas e verduras. O consumidor também pode trocar os pneus por ovos e mel.

A troca, que recebia apenas materiais recicláveis, ocorre de maneira experimental.

 

A coleta de pneus, segundo a prefeitura, é necessária para diminuir o acúmulo e a forma incorreta como são jogados no meio ambiente.

Os materiais recolhidos são levados a uma empresa parceira da administração pública para a destinação certa.

Há 153 pontos para trocas de materiais recicláveis na região. Já para a troca de pneus são 33.

Quem deseja participar não precisa se inscrever, basta conferir o cronograma no site do Feira Verde e ir ao local de troca.

Outras informações sobre o programa podem ser obtidas no telefone (42) 3901-3057.

Feira Verde

Em 2017, cerca de 13 mil pessoas foram atendidas por mês pelo Feira Verde.

136 produtores ativos da agricultura familiar abastecem o programa com frutas, legumes, verduras, ovos e mel.

Quatro associações de catadores de materiais recicláveis se beneficiam com o programa.

As trocas continuam da mesma forma, com um limite de 20 quilos por dia para cada pessoa.

Com informações do G1

Feira Verde – Foto: Divulgação/ Prefeitura de Ponta Grossa

Os moradores de Ponta Grossa, no Paraná, podem trocar pneus usados por frutas, verduras e legumes.

O Programa Feira Verde foi retomado este mês para toda a população.

E não são apenas frutas e verduras. O consumidor também pode trocar os pneus por ovos e mel.

A troca, que recebia apenas materiais recicláveis, ocorre de maneira experimental.

A coleta de pneus, segundo a prefeitura, é necessária para diminuir o acúmulo e a forma incorreta como são jogados no meio ambiente.

Os materiais recolhidos são levados a uma empresa parceira da administração pública para a destinação certa.

Há 153 pontos para trocas de materiais recicláveis na região. Já para a troca de pneus são 33.

Quem deseja participar não precisa se inscrever, basta conferir o cronograma no site do Feira Verde e ir ao local de troca.

Outras informações sobre o programa podem ser obtidas no telefone (42) 3901-3057.

Feira Verde

Em 2017, cerca de 13 mil pessoas foram atendidas por mês pelo Feira Verde.

136 produtores ativos da agricultura familiar abastecem o programa com frutas, legumes, verduras, ovos e mel.

Quatro associações de catadores de materiais recicláveis se beneficiam com o programa.

As trocas continuam da mesma forma, com um limite de 20 quilos por dia para cada pessoa. Fonte:SóNoticiaBoa

 

Demonstrando desespero a Globo vai para o tudo ou nada e culpa o PT pela crise que ela ajudou a provocar. Por Joaquim de Carvalho


 

 

A Globo publicou no Fantástico deste domingo uma reportagem de 14 minutos para mostrar os brasileiros que mais sofreram com a crise econômica que se abateu sobre o país desde 2104.

Até aí, nenhuma novidade.

Mas, à medida que a reportagem avança, percebe-se que não é exatamente um trabalho jornalístico. É propaganda. Propaganda contra Lula e o PT.

A reportagem é estranha do começo ao fim.

Para começar, é uma reportagem sem repórter, isto é, não é mostrado um jornalista em campo para apresentar os entrevistados e conduzir as informações. Ela foi feita por dois produtores, e a narração é dos apresentadores do Fantástico, Tadeu Schimidt e Poliana Abritta.

Este é o modelo clássico que revela o dedo do padrão e preserva a imagem dos repórteres.

Com um minuto, diz a que veio. Aparece Sérgio Firpo, professor de Economia do Insper (a escola do investidor Jorge Paulo Lemann), que dá a primeira cacetada:

— Depois de uma série de políticas desastrosas de 2010 a 2104, o Brasil passou a viver uma recessão muito forte. Foi uma das piores crise, senão a pior crise que o País já experimentou.

A apresentadora Poliana Abritta toma a boca do professor emprestada para dizer o que a Globo quer:

— As políticas que, segundo o economista levaram o País à recessão foram no último ano do governo Lula e no primeiro governo Dilma Rousseff, ambos do PT, que culminaram no forte abalo econômico de 2014 a 2016.

Fantástico!

Mas tem mais:

A reportagem mostra uma jovem que, em setembro de 2014, vivia seu melhor:

—Eu tinha tudo. Estava numa vida boa e do nada eu me vi no meio… de noite, debaixo do sereno e numa praça…

Ela era vendedora de uma loja em shopping, onde começou a namorar o segurança. Juntos, ganhavam 3 mil reais.

A reportagem mostra os dois tomando cerveja com amigos, em shows e ela, em aula de dança.

— Durou pouco — diz Poliana. Da vida de classe média à pobreza, foram apenas dois anos.

A jovem informa:

— Aí eu fui mandada embora e ele foi mandado embora também.

Os dois hoje vivem de revirar lixo — e a reportagem mostra — para procurar latinha.

Tadeu Schimidt narra, com base na língua da professora da UFRJ:

— A professora Lena Lavinas diz que quem mais se prejudicou foi quem mais se beneficiou com o crescimento rápido da economia, ocorrido entre 2004 e 2013.

Isso é fato. Mas o texto lido pelo apresentador trata de reforçar o que pensam os donos. Foi “nos mesmos governos do PT que depois provocariam a crise que o País atravessa”.

Fantástico outra vez!

Diz a professora:

— As pessoas que primeiro perderam o emprego foram aquelas que, primeiramente, mais se beneficiaram durante o período de crescimento recente que tivemos. Foi um crescimento de empregos de má qualidade.

Os apresentadores do Fantástico colocados para revirar o lixo para encontrar algo contra o PT

Aos 11 minutos, Poliana continua:

— A professora da Federal do Rio adverte que o crescimento não gerou uma classe média maior e sólida.

A professora, Lena Lavinas, complementa:

— Nós não tínhamos uma classe média como quiseram fazer crer.

A reportagem mostra duas mulheres chorando: a ex-vendedora do shopping e outra, que conta:

— Foi aí que comecei a pedir esmola.

Embora com forte apelo sensacionalista, a reportagem apresenta fatos indiscutíveis, mas transforma a reportagem em propaganda quando não apresenta outros aspectos da crise:

Quem perdeu a eleição em 2014 inviabilizou o governo Dilma Rousseff, com a discussão no Congresso de uma pauta que paralisou investimentos.

Depois, emparedou a presidente reeleita com a ameaça do impeachment.

Quem não se lembra da pauta-bomba que Eduardo Cunha colocou sobre a mesa da Câmara dos Deputados?

Nessa crise, não se pode descartar também o ambiente criado pela Lava Jato, que transformou o Brasil numa plataforma defeituosa da Petrobras.

Nada disso prosperaria se a Globo não abrisse sua programação para divulgar, com estardalhaço, um lado da história, a dos que queriam tirar o PT do poder.

Fez um jornalismo de guerra, uma campanha para derrotar adversários.

Por fim, o governo Temer, com sua política recessiva e sem credibilidade para liderar uma mudança de expectativa — em 2008, a declaração de Lula de que a crise era uma “marolinha” foi uma injeção de ânimo

O governo Dilma Rousseff tem, com certeza, sua parcela de responsabilidade na crise, ao capitular diante dos algozes e aceitar o argumento de que a corrupção era o grande mal a ser combatido.

No Brasil, a desigualdade social é a praga. O mais decorre disso.

Joaquim Levy no Ministério da Fazenda não foi a escolha mais feliz, pelo que representou: o reconhecimento da fraqueza do governo de Dilma.

A manutenção de José Eduardo Martins Cardoso no Ministério da Justiça pode ter sido outro erro político, num momento em que era preciso fazer o enfrentamento.

São eventos que a história jugará.

Mas daí a responsabilizar o PT pela crise econômica que jogou os brasileiros mais fracos no abismo vai uma distância gigantesca.

O brasileiro tem na memória os anos de prosperidade nos governos de Lula e também no de Dilma, e é essa memória que explica, em grande parte, a liderança do ex-presidente nas pesquisas.

No Fantástico, a Globo não fez jornalismo. Fez propaganda. E vem mais por aí. Neste ano de eleição, está difícil para os golpistas tentar viabilizar um projeto e, principalmente, um candidato que tenha a preferência do eleitor.

A Globo vai tentar jogar toda a culpa da crise no PT. E apoiar qualquer um que tenha chance de derrotar o PT.

Só que a emissora está subestimando o brasileiro. Em geral, ele sabe com quem pode contar, e não é com a Globo.

Os interesses da Globo são vários, e não é o do Brasil.

A baixaria só está começando. DCM

Escola do Tocantins ganha prêmio mundial


Foto: Divulgação

 

Um projeto de uma escola rural, em Palmas, no Tocantins, recebeu neste ano o prêmio de Melhor Edifício de Arquitetura Educacional do Mundo, da Building of the Year.

Os professores e a direção da escola sentiam a necessidade de proporcionar um ambiente com mais individualidade e privacidade para as crianças, que antes se dividiam em quartos com 20 beliches.

A escola da Fazenda Canuanã tem 780 alunos em regime de internato na zona rural de Formoso do Araguaia, a 320 quilômetros de Palmas (TO).

Para pensar um novo modelo de moradia, a fundação convidou o Instituto Gente Transforma, do designer Marcelo Rosenbaum.

A preocupação em transformar a escola em um lar fez com que a instituição, mantida pela Fundação Bradesco, ficasse conhecida mundialmente como Moradias Infantis, novo alojamento para os alunos.

Como

O projeto começou ouvindo as crianças para saber o que elas entendiam como necessário para transformar o dormitório em uma morada.

“Os pedidos eram simples. O que eles mais queriam era que o prédio fosse mais fresco”, conta o designer.

A região onde a escola está fica na faixa de transição entre o Cerrado, o Pantanal e a Floresta Amazônica, e a temperatura pode chegar a 38º C no verão.

Além de ouvir os alunos, Rosenbaum e os arquitetos do escritório Aleph Zero visitaram as casas das famílias para mapear elementos que pudessem causar identificação.

O projeto criou nova modulação para os quartos, que passaram a abrigar apenas seis crianças e foram divididos em dois pavilhões, feminino e masculino.

Em casa

A construção usou painéis de palha trançada, tijolos de solo-cimento, chão de cimento queimado e madeira.

“Cada criança tem seu próprio gavetão, um abajur, um espelho. Em uma escola com tantos alunos, que passam a maior parte do tempo de uniforme, é importante que tenham um momento em que possam enxergar e valorizar sua individualidade”, diz Rosenbaum.

Os quartos foram entregues no início de 2017 e, segundo Ricardo Figueiredo, diretor da escola, as mudanças foram sentidas rapidamente.

“Eles estão muito mais tranquilos, passaram a valorizar o silêncio, os quartos. Para muitas dessas crianças, é a primeira vez que têm um quarto, já que a maioria morava com os pais em casas de apenas um cômodo.”

Bruno Santos, de 18 anos, saiu da casa dos pais aos 7 para estudar na escola.

“Sou o caçula de sete irmãos, fui o menino que mais chorou na primeira semana de aula de tanta saudade da minha mãe”, lembra.

Agora, não quer mais deixar a escola, onde cursa o ensino técnico em Agronomia.

“Tenho aqui tudo o que meu pai não pode me dar. Sempre foi minha casa, mas melhorou muito no último ano. Antes, só podia dormir quando apagavam a luz. Hoje, os meninos que moram no meu quarto são minha família, a gente se respeita para cada um dormir e estudar na hora que quiser.”

Com informações de Notícia Boa Brasil.

 

O DCM vai cobrir: Dia 19 de Março começa mais uma caravana do Lula, desta vez vai ser no Rio Grande do Sul


Já foi a do Nordeste, a de Minas e agora é a do Rio Grande do Sul, e que venha o Brasil inteiro

 

O DCM vai acompanhar o ex-presidente Lula na caravana pelo Rio Grande do Sul, que começa no dia 19 de março pela cidade de Bagé e dura cinco dias. Para isso, conta com você.

 

As atividades da caravana começarão com uma visita ao Campus da Uni Pampa e encerrarão com um ato em Porto
Alegre, no dia 23 de março.

Em cinco dias, Lula percorrerá diferentes regiões do Estado, passando por 10 cidades.

O roteiro combinará visitas a locais símbolos de políticas públicas dos governos federais petistas e atos temáticos.

Este é o roteiro da caravana:

Segunda-feira, 19 de março de 2018

10h30 – Visita ao campus da Unipampa, em Bagé

15h30 – Conversa pública com Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai, em Santana do Livramento

Terça-feira, 20 de março de 2018

15h00 – Reunião com reitores e diretores de Institutos e Universidades Federais na Universidade Federal de Santa Maria

19h00 – Ato da Reforma Urbana na Nova Santa Marta

Quarta-feira, 21 de março de 2018

14h00 – Visita ao Museu de Jango e Getúlio, seguido de atividade pública em frente ao Mausoléu de Getúlio Vargas, em São Borja.

Quinta-feira, 22 de março de 2018

Passagem por São Miguel das Missões e Cruz Alta.

18h00 – Ato da Agricultura Familiar e da Reforma Agrária em Palmeira das Missões

Sexta-feira, 23 de março de 2018

Passagem por Ronda Alta e Passo Fundo.

13h00 – Visita aos cursos de saúde no campi de Passo Fundo da Universidade Federal da Fronteira Sul

19h00 – Ato da Classe Trabalhadora em Porto Alegre

Por que é importante a presença do DCM na cobertura da caravana?

Como ocorreu no depoimento de Lula em Curitiba e no julgamento do ex-presidente pelo TRF-4, a presença do DCM em eventos dessa natureza garantem uma cobertura com ponto de vista independente.

A velha mídia cobre os atos do ex-presidente, mas sempre com um viés negativo, já que é notória a campanha de guerra que esses veículos de comunicação fazem para impedir que Lula continue na vida pública e dispute as próximas eleições.

Todas as caravanas de Lula foram importantes e tiveram grande repercussão. O carinho manifestado pela população impressiona. Mas esta desperta um interesse ainda maior, pela dramaticidade do momento.

Será a primeira caravana depois que o TRF-4 confirmou a condenação decidida por Sergio Moro, condenação que não se fundamenta em provas, mas em ilações.

Sempre que a perseguição a Lula aumenta, com as manifestações raivosas da imprensa, ele mais se aproxima da população.

É uma característica de Lula como liderança.

É como se essa aproximação reafirmasse um pacto, e Lula dissesse: “não importa o que aconteça comigo, eu estarei sempre juntos de vocês”.

É simbólico, é dramático, é a história do Brasil em movimento.

O DCM estará lá para contar a você os detalhes de mais este evento histórico.

O recurso arrecadado servirá para cobrir os custos da viagem dos repórteres — locomoção, hospedagem, comida.

Entraremos ao vivo mais de uma vez por dia.

Presidindo a FLEM e dizendo amar o que faz, Maria Quitéria ainda não se decidiu se será candidata a deputada estadual


 Quitéria em um dos encontros com a multidão

 

Café com Leite Notícias- Natural de Cardeal da Silva – BA, formada em Administração e Pós Graduada em Direito Público Municipal, iniciou suas atividades políticas quando participou do Grêmio Estudantil do Colégio Estadual Eduardo Mamede, em Salvador. Seu primeiro cargo público foi como Secretária Municipal de Turismo, em 2004, na cidade de Penedo, Estado de Alagoas. Foi Prefeita de Cardeal da Silva nas eleições de 2008 e Vice-presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), em 2011. Em 2012, foi reeleita Prefeita de Cardeal da Silva; em 2013, foi eleita a primeira mulher à Presidência da UPB e, em 2015, foi reconduzida ao cargo de Presidente da UPB.

A sua passagem de vida pública em cargos importantes lhe permite ser assediada pela imprensa por onde passa

Aqui é apenas um pouco da trajetória da simpaticíssima Maria quitéria, que após o Governo Rui Costa, ela foi convidada para presidir a FLEM (Fundação Luís Eduardo Magalhães), onde vem realizando um grande trabalho, principalmente em preparar o jovem para o seu primeiro emprego, que, como ela disse na ocasião da festa de leilão de Lafaiete Coutinho, qualificar o jovem pro primeiro emprego é, para ela e o Governador Rui Costa que é o idealizador do projeto, o “carra chefe de muitas outras vertentes da Fundação, que inclui o grande projeto de Energias Renováveis. Mas voltando a falar do Programa Primeiro emprego, a presidente Maria Quitéria detalhou com entusiasmo sobre esse sonho de todo jovem. O que fazer para ter o primeiro emprego? Como se preparar? “Claro que quando uma pessoa sai de uma faculdade ou de um curso técnico com o seu certificado em mãos, ele, se não tiver uma ajuda por parte do contratante para que seja criada experiência prática, o que geralmente não acontece, foi então que o Governador Rui Costa teve a brilhante ideia de criar uma forma de qualificar esses jovens, com acompanhamento da Fundação, onde terão carteira assinada durante dois anos, para que se tornarão profissionais aptos a assumir cargos que encaixe no seu perfil do curso,  o que irá facilitar muito o seu futuro”, informou Quitéria e concluiu, “é como quebrasse uma barreira que impede aquele jovem sonhador e sonhadora de ter o seu primeiro emprego”. Quitéria informou ainda que a Bahia já conta com quatro mil jovens a caminho de realizar este sonho, mas que a meta é nove mil jovens tendo o seu primeiro emprego garantido.

O grande barato de uma notícia dessa natureza, é saber que há uma tendência de nos próximos anos, além desses milhares de jovens estarem sorrindo de alegria pelo seu emprego, outro tanto vai se sentir motivado a entrar em uma nova turma e assim as coisas vão caminhando para um novo horizonte.

Lembrando que o sonho de Quitéria, que também é o sonho do governador da Bahia, é que essa ideia se expanda para todo Brasil, para que nos próximos anos os horizontes sejam mais verdejantes e alegres.

Sobre ser candidata a algum cargo eletivo nas próximas eleições, provavelmente deputada, Quitéria não deu uma resposta definitiva. Deu um parecer de que ela está amando o que faz e que está deixando esse assunto nas mãos do seu partido, para que a cúpula decida. Só que em Lafaiete o locutor que fazia o Rodeio, ao citar o nome de Quitéria, a chamou de futura deputada. Bom, simpatia e bagagem de trabalho ela tem de sobra pra ser eleita.

Zé da Manaaim foi o grande precursor de uma nova era de Maracás


 

 

Café com Leite Notícias- O empresário José Gomes, (Zé da Manaaim) natural de Itaeté, mas que viveu boa parte da sua vida na capital paulista, onde aprendeu a trabalhar no ramo de panificação, voltou para Maracás há um pouco menos de duas décadas, onde criou um objetivo de ali montar panificadoras parecidas com as grandes padarias dos portugueses, que são instaladas nas esquinas das ruas movimentadas de São Paulo. Foi exatamente em uma das esquinas de Maracás, onde cruzam a Avenida Brasília com  a Rua Nestor Sá, até então sem movimento, que Zé, com a sua visão de visionário, comprou uma casa de construção antiga, jogou a baixo e no lugar construiu a Manaaim, que hoje é uma referência em nível de Bahia, onde dificilmente se vê uma igual, mesmo em cidades maiores como Jequié e outras.

Daí pra frente muitos outros empresários fizeram grandes instalações em lojas, restaurantes, academias pousadas e outros segmentos, que de certa forma mudou o perfil de Maracás, que ainda está a desejar em empresas prestadoras de serviços. Mas o Zé, mostrando que acredita no potencial do povo de Maracás e região, construiu mais um grande empreendimento, para ali montar um comércio , mas terminou alugando o ponto para outra empresa instalar também uma grande loja, que é a Completa.

Um dos empreendimentos do amigo Zé Gomes da Manaaim

 

Como se não bastasse, para uma cidade ainda pequena, o homem da Manaaim está concluindo mais uma grande obra, que fica entre os bairros Airton Sena e Irara, onde ele assegura que vai ser algo mais moderno que a Center Pães e Doces, que é a Manaaim, mas não quis adiantar o que vai ser de fato aquele grande empreendimento.  Só pra lembrar, no prédio da Manaaim funciona um dos mais finos restaurantes do interior da Bahia.

Outra novidade é que o Zé também está investindo em produção de frutas e leite na sua nova fazenda que adquiriu recentemente, onde muita coisa que ali é produzida, está sendo   consumido na lanchonete e restaurante da sua propriedade. O empresário informou, durante o leilão de Lafaiete, onde ele estava lá para arrematar vacas de leite, que já começa a pensar numa fábrica de suco no futuro.

O Café com Leite Notícias parabeniza o senhor José Gomes, pela sua coragem e visão, que terminou contribuindo muito para geração de empregos na cidade. Lembrando que nem só Zé da Manaaim, mas muitos outros empresários de Maracás, merecem elogios pelas belas e modernas instalações nas sua empresas. Vamos alternar com entrevistas e matérias, informando o perfil de cada empresário que instalaram as suas empresas na cidade de Maracás, gerando assim muitos empregos.

Ex-ministro de FHC diz que “São Paulo é uma grande praça de lavagem de dinheiro”


Convidado do “Entre Vistas”, da TVT, Paulo Sérgio Pinheiro diz ser impossível combater tráfico sem se investigar como dinheiro do crime é lavado no sistema bancário do Brasil
por Redação RBA publicado 27/02/2018 16h25, última modificação 27/02/2018 19h48
RBA

Paulo Sérgio Pinheiro

O papel da mídia no impeachment, a intervenção no Rio e o combate ao crime foram temas do programa Entre Vistas

São Paulo – O cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, ministro de Direitos Humanos do governo de Fernando Henrique Cardoso, é o convidado desta terça-feira (27) do programa Entre Vistas, na TVT. O programa, apresentado pelo jornalista Juca Kfouri, vai ao ar às 21h. Pode ser visto no canal digital 44.1, nos canais da emissora no Youtube e Facebook. E aqui na RBA.

Com a autoridade de quem foi relator da infância da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Pinheiro afirma que as crianças serão as primeiras vítimas do congelamento por 20 anos dos gastos sociais do governo federal. “É preciso ter política estritamente direcionada para crianças e adolescentes.”

De modo semelhante, o ex-ministro também acredita que os jovens serão as “vítimas na linha de frente” da intervenção federal no Rio de Janeiro. E sobre a intenção do governo Temer de obter mandados de busca e apreensão coletivos nas favelas cariocas, Pinheiro não economizou na crítica. “É um absurdo fascista.”  

Paulo Sérgio Pinheiro duvida da eficácia da ação militar, vista como um paliativo sem frutos para o futuro, diante da falta de ações inteligência. “Como o dinheiro (do tráfico) é lavado no sistema bancário do Brasil?”, questiona. “Hoje, São Paulo é uma grande praça de lavagem de dinheiro.”

Governo e presidente ilegítimos

Em quase uma hora de programa, Pinheiro se mostrou otimista ao analisar a evolução da temática dos direitos humanos no Brasil desde a redemocratização, apesar de definir como “regressista” o governo de Michel Temer, a quem não hesita em classificar como “governo e presidente ilegítimos”.

“A política avançou em todos os governos, com ênfase de continuidade nos governos de Fernando Henrique, Lula e Dilma. Hoje, Temer é um governo regressista, porque põe abaixo tudo o que se conquistou. É um momento de desconstrução da democracia, um momento gravíssimo”, analisa.

 

 

 

papel da mídia no impeachment de Dilma Rousseff também é abordado no programa, gravado no Café do Sindicato dos Bancários, no Edifício Martinelli, centro de São Paulo. Além da mediação de Juca Kfouri, o Entre Vistas teve participação da vereadora paulistana Juliana Cardoso (PT) e de Ana Claudia Mielke, do coletivo Intervozes. DCM.

Assista à entrevista a partir das 21h desta terça

 

Lafaiete Cultinho virou capital do leilão. E o gado é de qualidade


 

 

Muito gado de qualidade foi leiloado no sábado, mas os que ficaram foram comercializado no domingo 

 

Quem esteve participando da grande festa de Lafaiete Coutinho, no sábado 24 de Fevereiro, onde o leilão, realizado pela empresa Rancho Leilões, com o apoio da prefeitura municipal de Lafaiete Coutinho, percebeu que se trata de uma das maiores festas relacionados com animais, onde só neste Leilão estavam nos currais quase mil animais de qualidade para serem leiloados e vendidos.

Prefeito João Véi, Zé Cocá e amigos

 

Neste evento estavam criadores de várias regiões do estado, como Ipiaú, Jequié, que é a cidade mãe da região, Itororó, Maracás e muitas outras que marcaram presenças tanto com caminhões de animais, como criadores que vieram comprar as criações.  O prefeito João Freitas, popular João Véi, estava muito feliz cumprimentando os visitantes e amigos que vieram prestigiar a festa, mas teve um tempinho para um bate papo com o Café com Leite Notícias.

 

Prefeito João Freitas cumprimenta os visitantes e dá as boas vindas a todos

 

Quando questionado sobre uma festa tão grande numa das menores cidades da Bahia, o prefeito disse que é fruto de muita dedicação e parcerias. Disse que o sucesso das feiras e dos leilões se deve muito aos amigos criadores, que abraçaram e aderiram ao projeto. Perguntado sobre a responsabilidade de não parar com os leilões, as feiras e todo esse incentivo ao criador, tanto do próprio município quanto da região, Freitas disse que nada de parar, que sabe que Lafaiete hoje é uma referência, elogiou o trabalho do seu antecessor Zé Cocá. que foi onde essa nova era de Lafaiete começou, e que ele deu continuidade aos trabalhos, acreditando que a tendência é de crescimento, onde assegurou que quer ver nem só Lafaiete, mas sim toda a região crescendo e  mostrando o potencial de cada município.

Belizário apresenta a Rancho Leilões, empresa que realiza grandes leilões em toda a Bahia

 

Ainda num bate papo com João Véi, ele disse que Lafaiete está bem, exaltou o Governo Estadual na pessoa do Governador Rui Costa, disse que a parceria é forte e que o governo vem ajudando muito Lafaiete Coutinho e toda Bahia. “Além da forte parceria com o Governo do Estado, eu estive em Brasília recentemente e posso adiantar que consegui muitos benefícios para o nosso município e o nosso povo. Gosto de falar quando a obra já está sendo concluída, mas vou adiantar e dizer que está chegando mais obras”, informou o prefeito, comentando ainda que Lafaiete tem um trabalhador rural de muita coragem e fé, o que tem destacado o município também em lavouras, como foi o caso da grande produção de feijão, numa das maiores safras da Bahia, em nível de cidades pequenas, como aconteceu o ano passado. “A prefeitura tem procurado dar o apoio necessário para que o homem do campo seja sempre esse otimista e guerreiro”, enfatizou Freitas.

Muita gente prestigiando o evento, a maioria compradores e vendedores de animais

 

Mas voltando a Falar do grande evento, que foi o leilão com mais de mil animais, sendo todos de qualidade, os comentários é que a cada nova edição do Leilão, há uma superação. A informação do Secretário de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento do município, Belizário, foi que nada menos que 725 animais, todos bovinos, foram arrematados na noite do sábado, que na verdade, acabou nas primeiras horas do domingo. “No domingo a feira continuou o dia inteiro com mais de 200 animais comercializados.

 

Zé Cocá com a sua mãe Gói e Belizário

 

Num bate papo com o secretário Belizário, ele ressaltou e exaltou a equipe que vem lutando para ver Lafaiete ser o que na verdade já está sendo, que é esse destaque em nível de interior, que é por merecer. “Quero aqui exaltar o Prefeito João Freitas, exaltar o ex-prefeito Zé Cocá, que é uma grande liderança, exaltar os criadores nem só de Lafaiete, mas de toda região, inclusive quero lembrar aqui que temos criadores de Itororó, de Ipiaú e tantas outras que estão aqui com os seus animais, inclusive Maracás e Jequié que são as nossas vizinhas”, Disse Belizário.

Cerca de mil animais estavam nos currais para serem comercializados. Esse foi o primeiro lote que rapidamente foi arrematado por um criador.

 

Zé Cocá, que já foi prefeito de Lafaiete por dois mandatos, disse que todo bom fruto é resultado de uma boa plantação e o cuidado que se tem para que possa ter uma boa colheita. disse que tudo é uma questão de objetivo, luta e muita fé, e que há sim a responsabilidade por parte de toda equipe engajada neste projeto, de elevar o município ao desenvolvimento, pois a população a cada evento que acontece, principalmente relacionada com animais, estera uma grande festa. Isso vem acontecendo, pois os parceiros sempre estão prontos, o criador sempre aparece para vender animais e ao mesmo tempo comprar. Sobre o apoio da prefeitura, Cacá disse que o prefeito João Véi, que foi indicado por ele, vem realizando um grande trabalho e que Lafaiete tem tudo para ser, apesar de pequeno, bem estruturado.

Prefeito com filho, sobrinho e o empresário José Gomes (Zé da Manaaim) de Maracás

 

O empresário no ramo de panificação da cidade de Maracás, José Gomes, popular Zé da Manaaim, também estava lá para arrematar vacas de leite para a sua fazenda, onde disse ter ficado surpreso com a grandiosidade da festa numa cidade pequena. (Maracás precisa ter incentivos para podermos fazer uma espécie de parcerias com Lafaiete, para que o criador e produtor rural de lá se sinta motivado”, disse Zé.

Maria Quitéria presente ao evento. Ao seu lado o secretário Belizário e amigos

 

Quem esteve prestigiando o grande evento, também foi a ex-prefeita de Cardeal da Silva e ex-presidente da UPB, Maria quitéria com todo seu charme e simpatia, onde numa rápida entrevista ela exaltou o evento, pela sua grandeza e grande movimentação. Atualmente Maria Quitéria é presidente da FLEM, Fundação Luiz Eduardo Magalhães.

 

Cerca de uma mil cabeças de gado passaram pelos currais 

 

O Café com Leite Notícias parabeniza os organizadores do Leilão, na pessoa do Pablo, que é proprietário da Rancho Leilões, Do leiloeiro Marcelo, que é um grande profissional, ao prefeito João Freitas pelo apoio e a demonstração de amor pelo seu município, ao secretário Belizário, pelo empenho e vontade de vê as coisas acontecerem de forma positiva na sua cidade, ao Zé Corá, por ter acreditado no potencial de Lafaiete e ter sido assim o precursor dessa nova era do município e, por fim, aos criadores nem só da própria cidade, mas  também de outras tantas que trouxeram suas criações e venderam porque também estava lá o comprador. Foi realmente um evento completo digno de cidade grande.

 

 

 

 

 

 

 

 

O Brasil não precisa de armas, mas de educação e de cantores menos manés que Gusttavo Lima. Por Nathalí Macedo


 

 

Walter Salles- Como disse muito bem a Nathalí, se não bastasse as letras idiotas das músicas que estão em evidência, infelizmente, que é uma violência nas cabeças dos jovens e adolescentes, vem esse “mané” fazendo apologia ao crime e defendendo armamento à uma sociedade que na verdade, vive amedrontada e despreparada para andar armada. Quanto à violência fonográfica, musical, acontece porque as SONs LIVREs da vida gravam tudo que não presta, para assim emburrecer mais ainda o Brasil, depois joga na Globo, que infelizmente de novo, tem um telespectador que está com a cara quadrada de tanto babar em frente as telas planas de 50 ou mais polegadas, ou até mesmo as pequenas ainda preto e branco, se existir, vendo as novelas e os telejornais manipuladores….Hoje a coisa globalizou mesmo, e quantos “Gustavos e Gustavas” estão aí cantando babaquice e sendo aplaudidos???? Fico triste, muito triste… quando vejo um país do jeito que está, onde a corrupção e a violência tomaram conta, isso por falta de educação e uma cultura mais rica, mas não vejo uma rádio tocando alguma coisa que combata esses dois males. Até que existem os artistas, mas são anônimos e o mais que atingem é uma rádio pirata aqui outra ali. Muito triste isso. O Brasil precisa de uma reforma geral, mas meia dúzia prefere assim como está. Café com Leite Notícias

 

 

Em uma fase ótima na carreira – no carnaval só deu “ainda não me chame de bebê”, frase do refrão de sua música de trabalho – resolveu dar um tiro no próprio pé com um rifle AR-15.

Foi com essa arma que ele foi filmado em um clube de tiros na Flórida. Postou o vídeo no Instagram e, na legenda, defendeu a revogação do estatuto de desarmamento. “Hoje no Brasil só o cidadão de bem está desarmado”, escreveu.

Ele estava de férias com a família na Flórida, o mesmo estado em que aconteceu o último dos dezessete massacres com arma de fogo nos Estados Unidos – que deixou dezessete mortos em uma escola.

Péssimo momento pra falar asneiras nas redes: além dos dezessete massacres em menos de dois meses nos EUA, no Brasil a situação também não é das melhores: O Rio de Janeiro enfrenta uma preocupante intervenção federal, na qual soldados do exército revistam o material escolar de crianças nas favelas cariocas.

O filho de Gusttavo, cidadão de bem, certamente nunca foi revistado. Não deve sequer ter pisado em uma favela em toda a sua então breve vida.

O cantor, rodeado de seguranças particulares, também não deve ter oportunidade de sentir na pele o estrago que o armamento do “cidadão de bem” – nota: como definir o “cidadão de bem”? – pode causar.

Aí fica fácil tirar uma onda no Instagram com um AR-15 e defender a liberação de armas em um país em que se mata por brincadeira.

Criticado pelo Fantástico, Gusttavo enviou um vídeo em que se justificava: “Não defendo o armamento sem critério, só o armamento de pessoas que não têm antecedentes criminais.” Este deve ser o conceito de cidadão de bem para o cantor.

O que Gusttavo também não deve saber é que a ausência de antecedentes criminais não diz nada: só uma sentença transitada em julgado – quando já não cabem recursos – gera antecedentes criminais para o agente. Com a lentidão da justiça brasileira, isso pode demorar décadas – e frequentemente demora.

Os Estados Unidos – onde agora se discute armar os professores em vez de endurecer o processo para a aquisição de armas – são uma prova mais do que clara de que armar as pessoas não resolve o problema da insegurança.

O Brasil não precisa de armas, precisa de educação de qualidade – e menos cantores meia-boca que se intrometam em assuntos que não são de sua alçada. Fonte DCM.