MARACÁS: DA PADARIA PAPITO’S SAIU O CUPOM PREMIADO DO CARRO NOVO


 

O vencedor foi Raimundo Lago morador do Bairro Jiquiriçá em Maracás

Padaria pé quente

Através de uma forte parceria entre os principais comerciantes de Maracás, uma grande quantidade de prêmios valiosos foi adquirida e colocada de forma revezada em frente de cada loja, que era de segmentos variados, entre motos e um carro, o que deu uma guinada na movimentação de Maracás durante alguns meses antes do fim do ano.

Papito e esposa Erlandia se disseram felizes pela sua loja ser contemplada

O sorteio do carro zero aconteceu na praça, de forma muito transparente através da locução do amigo empresário e ex-vereador Armandinho de São Paulo, onde com muita euforia todos comemoraram quando saiu o nome do sortudo Raimundo Lago, morador do Bairro Jiquiriçá, em Maracás. Ali acontecia uma espécie de dois sorteios, um o ganhador do carro novo e o outro foi a loja que sorteou o ganhador, que nesse caso foi a Padaria Papito’s.

Em conversa com Papito, proprietário da padaria, que diga-se de passagem, uma bela panificadora e lanchonete que chegou para acrescentar em Maracás, ele disse ter ficado muito feliz da sua loja ter sido contemplada no sentido de o cupom premiado ter sido de lá. “Para nós é motivo de muita alegria, a nossa loja ser a premiada no meio de tantos outros comércios”, Disse Papito, acrescentando que foi uma campanha muito positiva e que todos os comerciantes que participaram dessa parceria de fim de ano, estão de parabéns.

Esse é o Raimundo sortudo ganhador do carro

Além do carro novo houve também sorteios de quatro motos novas que aconteceram dias antes ao grande sorteio do carro, onde das lojas seguintes saíram os cupons premiados: Farmácia Santa Cruz, Loja Completa, Supermercado WS e uma empresa nova de fornecimento de Internet.

 

Valeu a pena fazer campanha também no Café com Leite. Aí está o carro no meio da propaganda atraindo clientes  

 

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Moro volta a criticar ‘juiz de garantias’ e posta foto ao lado de estátua de Churchil: “Nunca nos renderemos”


Numa clara tentativa de demonstrar independência frente a Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro voltou a criticar a sanção da criação da figura do “juiz das garantias”, prevista do pacote anticrime.

Resultado de imagem para FOTO DE mORO COM BOLSONARO

O Ministro Sergio Moro que sinalizou que ia se entregar, resolveu reagir e enfrentar o chefe

 

No dia 25, Moro falou sobre o assunto de modo a sinalizar que havia aceitado a derrota. Mas nesta sexta (27), o ministro usou a sua conta no Twitter para criticar a medida sancionada por Bolsonaro.

“Leio na lei de criação do juiz de garantias que, nas comarcas com um juiz apenas (40 por cento do total), será feito um ‘rodízio de magistrados’ para resolver a necessidade de outro juiz. Pir e enfrentar o chefeara mim é um mistério o que esse ‘rodízio’ significa. Tenho dúvidas se alguém sabe a resposta”, escreveu Moro em sua conta no Twitter.

Antes, o ministro postou uma foto ao pé de uma estátua de Churchill. A estátua fica nos arredores da prefeitura de Toronto, no Canadá. “Tempo de renovar energias com exemplos do passado e de sempre”, disse Moro. E acrescentou: “Um complemento para os admiradores (eu incluso). ‘Nunca nos renderemos'”.

Até agora, um mesmo juiz tocava todo o processo e dava a sentença, mas a nova lei estebelaceu uma divisão de tarefas, ou seja, haverá dois magistrados no mesmo caso, buscando assegurar a imparcialidade.

O juiz das garantias foi inserida no projeto de lei durante debate na Câmara e foi chamada de remédio anti-Moro, por conta da parcialidade verificada nos processos da Lava Jato em Curitiba.

Em sua live semanal, Bolsonaro rebateu às críticas e a campanha que o chamou de “traidor”, por não vetar a medida. “O que me surpreende é um batalhão de internautas constitucionalistas, juristas para debater o assunto. E falam que eu traí, que não votam mais […] 90% não sabem o que é juiz de garantia e ficam criticando”, afirmou Bolsonaro.

 

Sergio Moro

@SF_Moro

Leio na lei de criação do juiz de garantias que,nas comarcas com um juiz apenas (40 por cento do total),será feito um “rodízio de magistrados” para resolver a necessidade de outro juiz. Para mim é um mistério o que esse “rodízio” significa.Tenho dúvidas se alguém sabe a resposta.

Carro explode durante abastecimento em posto de gasolina, veja vídeo


Um carro explodiu, por volta das 21h de quarta-feira (25/12/2019), enquanto seu proprietário o abastecia em um posto de combustível na cidade de Assu, no interior do Rio Grande do Norte. De acordo com informações do site O Dia, a Polícia Militar foi acionada uma hora após a explosão.

Um vídeo das câmeras de segurança do local mostram o momento em que o motorista abre a mala do veículo e ajusta a posição de um botijão de gás de cozinha que estava à frente do cilindro do combustível. Em seguida, o homem fecha o porta-malas e, pouco tempo depois, o carro entrou em combustão. Metrópoles.

Veja o vídeo

 

Desmonte da Saúde: Bolsonaro veta projeto que obrigava SUS a garantir sangue e remédios aos pacientes


Essa é só mais uma medida que prejudicará diretamente a população mais necessitada, como muitas, o que tem feito crescer a mortalidade infantil, moradores de ruas e, resumindo, mais pobreza no país.

De Rafael Moraes Moura no Estado de S.Paulo

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar integralmente um projeto de lei aprovado pelo Congressoivo que vem crescendo a mortalidade dos mais pobr que garantia a todos os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) a oferta de sangue, hemoderivados, medicamentos e demais recursos necessários para o diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças.

A proposta original do autor do projeto, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB-GO), era garantir o tratamento de pacientes portadores de coagulopatias congênitas (hemofilias), mas o texto sofreu alterações durante a tramitação no Senado, e a redação aprovada acabou estendendo a garantia para todos os pacientes do SUS.

Segundo a assessoria de imprensa da Presidência da República, Bolsonaro decidiu barrar o projeto após analisar manifestações de “ordem técnica e jurídica”. O texto traria alterações em lei que regulamenta a coleta, processamento e distribuição do sangue e derivados.

Primeiro avião elétrico é testado com sucesso no Canadá


Foto: divulgação

Foto: divulgação

A primeiro avião comercial totalmente elétrico do mundo fez história ao pousar após um vôo de teste bem-sucedido, em Vancouver, Canadá.

O vôo inaugural de 15 minutos foi realizado pela Harbor Air, a maior companhia aérea de hidroaviões da América do Norte, e pela magniX, a empresa que impulsionou a revolução da aviação elétrica.

O ePlane, um DHC-2 de Havilland Beaver, decolou do terminal da Harbor Air Seaplanes em Richmond com seis passageiros, movido por um sistema de propulsão magni500 de 750 cavalos de potência (560 kW).
Após publicidade continue lendo a matéria.

Nova era

O CEO e fundador da Harbor Air, Greg McDougall, que pilotou o avião para seu voo histórico, disse que a jornada significa o início da terceira era na aviação: a era da eletricidade.

“Hoje fizemos história”, disse Greg McDougall, CEO e fundador da Harbor Air Seaplanes.

“Estou incrivelmente orgulhoso do papel de liderança da Harbor Air na redefinição da segurança e inovação na indústria de aviação e hidroaviões.

O Canadá tem desempenhado um papel icônico na história da aviação, e fazer parte desse incrível marco mundial é algo de que todos podemos nos orgulhar. ”

Parceria inovadora

No início deste ano, a Harbor Air anunciou sua parceria com a magniX e a intenção da empresa é construir a primeira frota de hidroaviões comerciais totalmente elétrica do mundo.

O magni500, que foi apresentado no Paris Air Show em junho de 2019, é um sistema de propulsão elétrica de alta densidade de potência que fornece uma maneira limpa e eficiente de alimentar aviões.

História

“Em dezembro de 1903, os Irmãos Wright lançaram uma nova era de transporte – a era da aviação – com o primeiro voo de uma aeronave motorizada.

Hoje, 116 anos depois, com o primeiro voo de uma aeronave comercial totalmente elétrica, lançamos a era elétrica da aviação ”, disse Roei Ganzarski, CEO da magniX.

“O setor de transporte e, especificamente, o segmento de aviação que, em sua maior parte, está estagnado desde o final da década de 1930, está propenso a uma ruptura maciça.

Futuro elétrico

Agora, estamos provando que o transporte aéreo comercial elétrico, de baixo custo e ambientalmente amigável, pode ser uma realidade em um futuro muito próximo. ”

O próximo passo da MagniX e a Harbour Air é a certificação e aprovação do sistema de propulsão e a modernização das aeronaves.

Após a conclusão da certificação, o restante da frota pode ser ampliado com a tecnologia de propulsão totalmente elétrica da magniX.

Fonte Só Notícias Boas.

.

Maestro João Carlos Martins ganha luvas biônicas de Natal e volta a tocar


Foto: reprodução Facebook

Foto: reprodução Facebook

O maestro e pianista brasileiro João Carlos Martins postou um vídeo no Facebook tocando piano com um par de luvas biônicas, que ganhou de presente neste Natal.

É mais um caso de superação na vida do músico. Em fevereiro ele passou pela 24ª cirurgia, nos nervos do braço esquerdo, para interromper dores crônicas e os médicos disseram que o maestro não poderia mais tocar piano, porque a mobilidade ficaria reduzida.

Só que o presente que João Carlos Martins recebeu neste Natal fez o maestro tocar novamente e está comovendo as redes sociais.

O vídeo, postado neste dia 24, já teve mais de 60 mil visualizações, mais de mil comentários e 10 mil  curtidas.

O presente

João Carlos Martins recebeu as luvas biônicas de Ubiratan Bizarro Costa, um designer industrial automotivo e professor de desenho de São Paulo.

“Órteses que projetei para o maestro João Carlos Martins. A arte de João não pode parar”, escreveu Ubiratan no Instagram, ao lado da foto do presente (veja abaixo)

“Um pequeno presente de Natal do maestro e também estudante de piano, com as “mãos biônicas” do Bira de Sumaré. É só um primeiro passo. Vamos caminhando!!!!”, escreveu João Carlos Martins.

Superação

João Carlos Martins é conhecido pela história de superação, após vários acidentes e problemas que teve com suas mãos – direita e esquerda – ao longo da carreira de sucesso. O maestro teve que parar de tocar por diversas vezes.

A saga começou após um acidente numa partida de futebol, em 1965, durante um treino da Portuguesa, realizado no Central Park, em Nova Iorque.

Ele foi convidado para integrar o time, mas teve uma queda, que perfurou seu braço direito na altura do cotovelo, atingindo o nervo ulnar, provocando atrofia em três dedos, o que o obrigou a parar de tocar por um ano e fez com que ele tocasse com dificuldades até os 30 anos.

De volta ao Brasil, o músico acabou envolvido com o boxe por 7 anos, empresariando Eder Jofre, bicampeão mundial de boxe.

Após puplicidades continua a matéria.

O maestro voltou aos palcos, com muita dificuldade, e depois de longos períodos de fisioterapia, recebeu criticas positivas, e foi aclamado pelo público.

Mas acabou desenvolvendo distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho, conhecido como Dort, o que o fez sair do palco mais de uma vez.

Ele fez várias adaptações para continuar tocando, de 1979 a 1985, gravou dez primeiras gravações da obra de Bach, mesmo com todas as sequelas.

Porém voltou a sentir o membro superior direito. João Carlos fez trabalhos de reprogramação cerebral para movimentar a mão direita e a fala após um assalto em 1995, na cidade de Sófia, na Bulgária.

Em 2001, ele gravou o álbum Só para Mão Esquerda, escrito por Maurice Ravel para Paul Wittgenstein que perdeu o membro direito na Primeira Guerra Mundial.

A intenção era de gravar 8 álbuns apenas para a mão esquerda. Mas com o passar dos anos desenvolveu no membro superior saudável, o esquerdo, uma doença chamada contratura de Dupuytren, provocada pela própria contratura, o espessamento da fáscia palmar.

Fora submetido de novo a um procedimento cirúrgico, que não impediu que perdesse os movimento da mão esquerda, inviabilizando tocar piano.

E ele não desistiu. O maestro continuou na carreira, foi homenageado pela Vai-Vai, escola de Samba de São Paulo vencedora com o enredo ” A música venceu”, regendo a bateria em plena Avenida.

Em 2012 João se submeteu a uma cirurgia para a implantar de dois eletrodos do cérebro, com um estimulador eletrônico no peito, para recuperar os movimentos da mão esquerda, já que estava com a distonia bem avançada, atingindo todo o braço e não abria a mão há 10 anos

Em 2017, o maestro executou o Hino Nacional brasileira durante a abertura dos Jogos Paralímpicos de 2016.

Em agosto de 2017, foi lançado o filme “João, o Maestro”, dirigido por Mauro Lima com os atores Davi Campolongo, na infância, Rodrigo Pandolfo, na juventude, e Alexandre Nero, na idade adulta.

O maestro com o designer e estudante de piano Ubiratan Bizarro Foto: Facebook

O maestro com o designer Ubiratan Bizarro – Foto: Facebook

Órteses criadas por Bira Fotos: Facebook

Órteses criadas por Bira – Fotos: Facebook

foto_protese1

O presente - Foto: reprodução / Instagram

O presente – Foto: reprodução / Instagram

Abaixo o vídeo de João Carlos Martins tocando com as luvas:

Com informação do Só Notícia Boa

Lula é indiciado por supostas doações irregulares da Odebrecht ao Instituto Lula


A Polícia Federal afirma que há “robustos indícios” de que o presidente foi beneficiado por doações da Odebrecht ao Instituto Lula

Foto: Ricardo Stuckert

Após o Ministério Público acusar o ex-presidente Lula de suposto beneficiamento em um terreno em São Bernardo do Campo que teria sido destinado pela Odebrecht para a construção do Instituto Lula, o instituto agora é alvo da Polícia Federal por supostas doações irregulares. Em inquérito concluído na segunda-feira (23), Lula, o ex-ministro Antonio Palocci e mais duas pessoas são indiciadas.

“As evidências mostraram que os recursos transferidos pela Odebrecht sob a rubrica de ‘doações’ foram abatidos de uma espécie de conta-corrente informal de propinas mantida junto à construtora, da mesma forma ocorrida com aqueles destinados à aquisição do imóvel para o Instituto Lula”, diz o inquérito que aponta que Lula teria recebido R$ 4 milhões da empreiteira por meio do instituto.

Sem citar exatamente as acusações, o órgão afirma que há “robustos indícios” que apontam “a origem ilícita dos recursos e, via de consequência, da prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, considerando o pagamento de vantagem indevida a agente público em razão do cargo por ele anteriormente ocupado”.

Além de Lula e Palocci, Paulo Okamoto, presidente do instituto, e  o empreiteiro Marcelo Odebrecht foram indiciados por corrupção e lavagem de dinheiro. O inquérito será encaminhado ao Ministério Público.

Em nota, o advogado Cristiano Zanin, que faz a defesa de Lula, afirmou que “o indiciamento não faz nenhum sentido”. “As doações ao Instituto Lula foram formais, com origem identificada e sem qualquer contrapartida. À época das doações Lula não era agente público e o beneficiário foi o Instituto Lula”, afirma.

“Este é mais um capítulo do lawfare promovido pela ‘lava jato’ de Curitiba contra o ex-presidente Lula. É o uso estratégico do Direito para fins de deslegitimar, prejudicar ou aniquilar um inimigo. A delação do ex-ministro é mentirosa e foi construída para servir de instrumento para a prática de lawfare contra o ex-presidente Lula”, completou o advogado.

Com informações da Revista Forum.

Que neste Natal esqueçamos as mágoas e no lugar plantemos o amor como Jesus ensinou. Por Walter Salles


Que neste Natal possamos esquecer todas as mágoas que por ventura apossaram dos nossos corações frágios, e no lugar deixemos o amor invadir nem só os mesmos corações, mas também as nossas almas. Basta que foquemos no menino Jesus, que nasceu longe de um lar, cresceu e nos ensinou a praticar o amor e a bondade, mas que ainda jovem, por pregar o amor, a igualdade e a salvação, aos 33 anos foi, torturado, crucificado e morto. Também, mostrou Jesus para nós, que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida e que só chega ao Pai, ou seja, à Salvação, quem por esse Caminho trilhar. 

Pois é, faça este Natal ser diferente de todos os outros. Reflita no amor de Jesus por nós e na sua vontade de vê a humanidade salva.

Uma mensagem de Walter Salles fundador da Agência de Notícias Café Com Leite Impresso e digital.

Disse Nelson Portela: Essa é a chapa de 2020 para prefeitura de Maracás


Por Walter Salles: Numa conversa rápida pelo WhatsApp, o ex-prefeito Nelson Portela, que governou Maracás por dois mandatos, o Café com Leite questionou sobre quem seria candidato na sua equipe de apoio e que foi formada ainda pelo saudoso Fernando Carvalho, que aliás, foi quem lançou o Nelson como o seu substituto há 15 anos, ele respondeu que ia me mandar uma foto da chapa e que ele acredita ser uma chama forte por ter ambos já mostrado quando governaram a cidade que têm amor pela terra e pelo povo. Vale lembrar que o Paulo dos Anjos, que também faz parte do grupo formado por FC, deixou a sua marca positiva como prefeito durante quatro anos e que já tinha mais oitos anos como vice de Nelson.

Logo em seguida chegou uma mensagem com essa foto, só que Nelson não informou como seria formada a chapa, ou seja: qual dos dois seria cabeça de chapa na campanha.

O que se sabe é que, di acordo aos comentários na cidade, se essa dupla sair unida, dificilmente perderá a política. Essa fala está na boca do povo, que na verdade, a questão de quem será o cabeça de chapa se divide meio de igual para igual.

Bom, quanto quem vai ser vice ou cabeça, vai depender do acordo de ambos, mas o que se sabe é que essa dupla na mesma chapa, sem dúvida torna uma chapa difícil de ser derrotada.

 

A imagem pode conter: texto

 

Maduro peita Bolsonaro e cobra posição sobre armas roubadas da Venezuela no Brasil


As armas venezuelanas foram roubadas em um ataque terrorista, Sr. Jair Bolsonaro, e essas armas, neste momento temos informações que estão no território brasileiro. Exigimos que as autoridades brasileiras capturem os agressores que estão no território brasileiro e retornem as armas das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas”, disse Maduro nesta segunda (23) durante uma reunião de ministros transmitida no rádio e na televisão.

 

Fronteira, Maduro e Bolsonaro

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que as armas que foram roubadas das Forças Armadas de seu país no último domingo estão no Brasil e exigiu que o governo de Jair Bolsonaro capture os responsáveis.  

“As armas venezuelanas foram roubadas em um ataque terrorista, Sr. Jair Bolsonaro, e essas armas, neste momento temos informações que estão no território brasileiro. Exigimos que as autoridades brasileiras capturem os agressores que estão no território brasileiro e retornem as armas das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas”, disse Maduro durante uma reunião de ministros transmitida no rádio e na televisão.

O presidente venezuelano explicou que entre os equipamentos roubados do Batalhão Militar estão nove rifles AK-103 e um lançador de granadas de longo alcance.

No domingo passado, foi registrado o roubo no Batalhão de Infantaria da Selva Mariano Montilla, no sul do estado de Bolívar, de 120 rifles de alto calibre e, durante a ação, um soldado que protegia a instalação militar foi abatido.

De acordo com indicações dadas por Maduro, as armas seriam usadas “para banhar o Natal venezuelano com sangue”.

Segundo a versão das autoridades, esse plano foi dirigido pelo líder da oposição Leopoldo López, que está sob asilo político desde 30 de abril na embaixada espanhola em Caracas, depois de escapar de sua casa, onde cumpria uma sentença de quase 14 anos de prisão pelos atos de violência registrados no país em 2013.

Maduro também exigiu das autoridades peruanas a deportação do líder político da oposição venezuelana Villca Fernández, que reside no Peru desde 2018, após um processo de negociação entre o governo e a oposição, que levou à sua libertação após dois anos de detenção.

“Se o governo do Peru realmente, de coração, não estava envolvido, peço que este terrorista Vilca Fernández seja capturado de acordo com o direito internacional, já que assumiu a responsabilidade pelos eventos através das redes sociais”, afirmou.

O ministro venezuelano de Comunicação e Informação, Jorge Rodríguez, disse que o objetivo do ataque de domingo era promover um confronto entre nações vizinhas para justificar uma intervenção militar dos EUA.

Por seu lado, os governos do Peru e da Colômbia citados pela Venezuela por um suposto apoio ao roubo dessas armas rejeitaram as acusações.

“Rejeitamos as falsas expressões […] nas quais ele pretende vincular o Peru e o Grupo de Lima a ações violentas na Venezuela. Nosso país reitera seu compromisso com uma solução pacífica para a crise neste país irmão, que permite ao retorno da democracia e o fim do regime ilegal de Maduro”, ponderou o ministro de Relações Exteriores do Peru, Gustavo Meza, em sua conta na rede social do Twitter.Em seu discurso nesta segunda-feira, Maduro comentou que o Brasil também negou sua participação no plano.

Com informação do 247

 

Flávio Bolsonaro é chefe de organização criminosa que desviava dinheiro, segundo MP, diz G1


Segundo o MP, foram identificados pelo menos 13 assessores que repassaram parte dos salários ao ex-assessor dele, Fabrício Queiroz. Senador nega prática de ‘rachadinhas’.

MP do RJ detalha suposto esquema de corrupção envolvendo então deputado Flávio Bolsonaro

Um documento do Ministério Público estadual do Rio detalha o suposto esquema de corrupção envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), quando ele era deputado estadual. Os promotores afirmam que Flávio Bolsonaro é o chefe de uma organização criminosa e identificaram pelo menos 13 assessores que repassaram parte de seus salários ao ex-assessor dele, Fabrício Queiroz.

Palácio Tiradentes, a casa do Poder Legislativo do Rio. O Ministério Público diz que “as provas permitem vislumbrar que existiu uma organização criminosa com alto grau de permanência e estabilidade, entre 2007 e 2018, destinada à prática de desvio de dinheiro público e lavagem de dinheiro”.

Após as publicidades segue a matéria

 

Em um vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta quinta-feira, Flávio Bolsonaro nega ‘rachadinhas’ e lavagem de dinheiro. Ele criticou o vazamento das informações do processo, que corre em segredo de Justiça, negou todas as acusações e se disse vítima de perseguição.

Os promotores dizem que Fabrício Queiroz “arrecadou grande parte da remuneração de funcionários fantasmas do então deputado estadual Flávio Bolsonaro” e que foram identificados pelo menos 13 assessores que repassavam parte do salário.

Queiroz recebeu 483 depósitos na conta bancária, mais de R$ 2 milhões.

Os promotores afirmam que, apesar do que já disse, “Fabrício Queiroz não agiu sem o conhecimento de seus superiores hierárquicos, já que ele próprio alegou em sua defesa que retinha os contracheques para prestar contas a terceiros”.

O Ministério Público apresenta uma troca de mensagens com uma das funcionárias do gabinete em que ele escreve: “Você pode me informar o valor que foi depositado este mês para eu prestar contas”.

O Ministério Público diz que ele conversava com Danielle Mendonça, ex-mulher de Adriano Nóbrega. O ex-capitão do Bope foi denunciado como líder de um grupo de milicianos e assassinos de aluguel conhecido como Escritório do Crime.

O Ministério Público afirma que a nomeação de Danielle no gabinete de Flávio foi feita a pedido de Adriano.

A investigação mostra que, no final de 2017, Fabrício Queiroz demonstrou preocupação com a situação de Danielle por causa das eleições de 2018 e o receio de que o aumento da exposição de Flávio Bolsonaro levasse a imprensa a descobrir a nomeação da esposa do miliciano em seu gabinete.

Foi o que ele escreveu numa outra mensagem: “Sobre seu nome…. Não querem correr risco, tendo em vista que estão concorrendo e a visibilidade que estão. Estão fazendo um pente fino nos funcionários e na família deles”.

Danielle acabou exonerada e, numa conversa em janeiro ela, admitiu a uma amiga que sabia da origem ilícita do dinheiro: “Eu já vinha há um tempo muito incomodada com a origem desse dinheiro na minha vida. Sei lá. Deus deve ter ouvido”.

Os promotores mostram ainda que o esquema de funcionários fantasmas tinha uma base a quase 200 quilômetros da Assembleia Legislativa do Rio. Dez assessores da mesma família eram de Resende, no Sul do Rio, a família Siqueira, todos parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro.

Juntos eles receberam mais de R$ 4,8 milhões em salários da Alerj – 83% foram sacados em dinheiro vivo.

A investigação indica que Flávio Bolsonaro era o líder da organização criminosa e que essa organização tinha pelo menos quatro núcleos, com uma clara divisão de tarefas: quem nomeava, os operadores financeiros, as pessoas que aceitavam os cargos em troca de devolver parte dos salários, e o núcleo que lavava dinheiro.

Os promotores dizem que, no fim de 2018, numa conversa com um dos fantasmas, Queiroz já se mostrava apreensivo com a investigação. Ele avisou: “Cuidado com o que vai falar no celular”.

Mas o Ministério Público suspeita que Queiroz acreditava que poderia manter o esquema. Em outra mensagem para a funcionária do gabinete ele disse: “Vamos continuar juntos em 2019”. A assessora respondeu: “Que assim seja”.

O advogado Paulo Klein informou que, por questões de foro íntimo, não representa mais Fabrício Queiroz nem a família dele, mas tem plena convicção da inocência deles em relação aos fatos investigados pelo Ministério Público.

Matéria na íntegra do G1.

O cerco começa a ficar apertado para a família Bolsonaro


Café com Leite Notícias: Não adianta falar por falar, ou falar alimentando um ódio que impregnou em uma alas do povo brasileiro. O que se percebe é que o novelo que foi enrolado, onde escondia e ainda esconde verdades e mentiras, que por muito tempo ficaram escondidas em meio as voltas do barbante, com o desenrolar do tempo e do novelo, começa a aparecer para todos os brasileiros, tanto as verdades como também as mentiras.

O ser humano nem deve e nem pode julgar quem quer que seja, por não ter capacidade pra isso. Só a justiça da terra, com credenciais para isto, com a permissão de Deus que é quem sabe a hora certa de mostrar aonde estão escondidas as verdades e as mentiras, é quem pode investigar e revelar os fatos e aí sim vem as punições.

O que se espera é que as investigações sejam realizadas com critérios e responsabilidade para que a verdade dos fatos sejam esclarecidos para a sociedade brasileira.

Até agora, com essa nova operação da polícia do Rio de Janeiro, que é onde nasceu o estopim de tudo, percebe-se, logo nas primeiras investigações, que a situação da família Bolsonaro, principalmente do Flavio, é complicada.

Os meios de comunicação, ainda que aliados ao novo governo, a ponto de não fazer uma única entrevista com um ex-presidente ao sair de uma prisão, puramente por medo do “chefe”, vai ter que noticiar os fatos ou perder audiência com o público.

Até os aliados do passado, da Família do império, fazem comentários nada agradável para a turma. Veja o que disse a deputada Joice: “O mentor do bando pago com dinheiro público para forjar dossiês, perseguir pessoas, espalhar notícias falsas que destroem vidas, carreiras, imagens tá nervoso! Não é pra menos. Todos estão encrencados: Um irmão com o pé na xilindró, o outro…quase lá. O crime não compensa”.

A verdade é que muitas coisas estranhas estão acontecendo com o Brasil e com o povo brasileiro nos últimos 3 anos. O ódio na população e a apologia à violência, com uma campanha que pegou força ensinando até crianças a fazer arminha com a mão, algo que mexe profundamente com o estado psicológico do ser humano, é visto em outros países como absurdo. Se coisas assim agradaram a Deus ninguém sabe. Para os evangélicos, em parte, a maior parte, aliás, sim. Fazer arminha e espalhar notícias falsas, como a do Kit Gay, que só agora o TSE proibiu até de mencionar a palavra, pois nunca existiu, foi criada para alavancar a campanha, ainda assim tem o apoio da classe.

O que se deve fazer neste momento de turbulência no país é pedir a Deus para que a Sua justiça impere e que seja punido quem merecer ser punido.

” style=”box-sizing: border-box; display: inline-block; line-height: 1; vertical-align: bottom; padding: 0px; margin: 0px; text-indent: 0px; text-align: center;”>

: “

O cerco começa a apertar: MP diz que Flávio Bolsonaro ‘lavou’ R$ 638 mil em compra de imóveis com dinheiro vivo


Flávio Bolsonaro. Foto: Reprodução/YouTube

De Italo Nogueira na Folha de S.Paulo.

O Ministério Público do Rio de Janeiro afirma ter indícios de que o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) e sua mulher, Fernanda, pagaram em dinheiro vivo de forma ilegal R$ 638,4 mil na compra de dois imóveis em Copacabana (zona sul).

Para os promotores, o uso de recursos em espécie tinha como objetivo lavar o dinheiro obtido por meio da “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), que consiste em coagir servidores a devolver parte do salário para os deputados.

A informação sobre os imóveis consta do pedido de busca e apreensão de 111 páginas feito pelo MP-RJ à Justiça fluminense, autorizado e cumprido em operação nesta quarta-feira (18).

Lula propõe frente progressista com PT, PCdoB, PSOL e ‘uma parte’ do PDT


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu um passo importante para a constituição de uma frente progressista no país. Em evento de apoio à cultura realizado nesta quarta-feira no Rio de Janeiro, Lula propôs a união dos partidos progressistas e de esquerda, mencionando explicitamente o PT, o PCdoB, o PSOL e uma parte do PDT

 

Ex-presidente Lula em ato com artistas no Circo Voador (RJ)
Ex-presidente Lula em ato com artistas no Circo Voador (RJ) (Foto: Midia Ninja) 

Dizendo-se mais consciente sobre as mazelas brasileiras, depois de ter passado 580 dias injustamente preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retomou o discurso frentista e propôs a união do seu partido, o PT, com o PCdoB, o PSOL e uma parte do PDT para enfrentar os desafios políticos que se apresentam para o país.

Em discurso de cerca de 20 minutos, Lula disse que conta com partidos como PCdoB, PSOL e uma parte do PDT, para formar o que ele classificou de força unificada para combater “esse fascismo instalado no governo brasileiro”, informa O Estado de S.Paulo.

 

Presidente dos EUA pode ser cassado, vai depender do Senado. Os deputados já aprovaram


Resultado de imagem para foto de Trump

Ele foi acusado de abuso de poder e obstrução do Congresso e foi o terceiro presidente na história do país a sofrer impeachment. Trump continua no cargo enquanto espera julgamento no Senado, que deve acontecer em janeiro.

 

O impeachment do presidente dos Estados UnidosDonald Trump, foi aprovado nesta quarta-feira (18) pela Câmara dos Deputados. A Casa votou pela aprovação de duas acusações (veja detalhes sobre cada uma mais abaixo):

  • Abuso de poder – 230 votos a favor e 197 contra
  • Obstrução de Congresso – 229 votos a favor e 198 contra

O presidente continuará no cargo, enquanto espera o resultado do julgamento no Senado, que deve acontecer em janeiro. Ele é o terceiro presidente na história dos EUA a sofrer um impeachment.

Deputado Louie Gohmert, do Partido Republicano do Texas, discursa no plenário antes do voto que decidirá se Donald Trump sofrerá impeachment — Foto: House TV via REUTERSDeputado Louie Gohmert, do Partido Republicano do Texas, discursa no plenário antes do voto que decidirá se Donald Trump sofrerá impeachment — Foto: House TV via REUTERS

Deputado Louie Gohmert, do Partido Republicano do Texas, discursa no plenário antes do voto que decidirá se Donald Trump sofrerá impeachment — Foto: House TV via REUTERS

Trump fala em comício de Natal em Battle Creek enquanto a Câmara dos Deputados, em Washington votava a favor de seu impeachment — Foto: Reuters/Leah MillisTrump fala em comício de Natal em Battle Creek enquanto a Câmara dos Deputados, em Washington votava a favor de seu impeachment — Foto: Reuters/Leah Millis

Trump fala em comício de Natal em Battle Creek enquanto a Câmara dos Deputados, em Washington votava a favor de seu impeachment — Foto: Reuters/Leah Millis

A votação foi precedida por um debate que durou mais de dez horas, no qual discursaram deputados dos partidos Democrata e Republicano, expondo seus pontos de vista a favor e contra o impeachment.

Enquanto seu impeachment era aprovado, Trump participava de um comício em Battle Creek, Michigan. “Não parece que estamos sofrendo impeachment”, disse Trump à multidão. “O país está indo melhor do que nunca. Não fizemos nada de errado. Temos um tremendo apoio no Partido Republicano como nunca tivemos antes”, discursou.

A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, durante a abertura do debate e votação dos artigos de impeachment do presidente Donald Trump, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: House Television via APA presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, durante a abertura do debate e votação dos artigos de impeachment do presidente Donald Trump, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: House Television via AP

A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, durante a abertura do debate e votação dos artigos de impeachment do presidente Donald Trump, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: House Television via AP

Na abertura da sessão, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, afirmou que os deputados estavam ali para “defender a democracia pelo povo”. “Eu abro solene e tristemente o debate sobre o impeachment do presidente dos Estados Unidos”, disse.

No Twitter, Trump respondeu indignado, falando em “mentiras atrozes da esquerda radical”. “Isto é um ataque à América, e um ataque ao Partido Republicano”, escreveu.

Em sua defesa, alguns deputados republicanos se exaltaram e até exageraram nas comparações. Mike Kelly, da Pensilvânia, disse que 18 de dezembro de 2019 seria lembrado da mesma forma como o dia do ataque japonês a Pearl Harbor, na II Guerra Mundial.

“Em 7 de dezembro de 1941, um ato horrível aconteceu nos Estados Unidos, sobre o qual o presidente Roosevelt disse ‘esta é uma data que viverá na infâmia’. Hoje, 18 de dezembro de 2019, é outra data que irá viver na infâmia”, disse.

Já Barry Loudermilk, do estado da Georgia, chocou diversos colegas ao comparar o inquérito com o julgamento de Jesus, dizendo que Cristo teve mais direitos antes de sua crucificação do que o presidente.

“Antes de vocês realizarem essa votação histórica hoje, uma semana antes do Natal, quero que vocês tenham isso em mente: quando Jesus foi falsamente acusado de traição, Pôncio Pilatos deu a Jesus a oportunidade de encarar seus acusadores. Durante esse falso julgamento, Pôncio Pilatos concedeu mais direitos a Jesus do que os democratas concederam a este presidente neste processo”, afirmou.

Manifestantes participam de protesto a favor do impeachment de Donald Trump do lado de fora do Capitólio, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: Win McNamee/Getty Images/AFPManifestantes participam de protesto a favor do impeachment de Donald Trump do lado de fora do Capitólio, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: Win McNamee/Getty Images/AFP

Manifestantes participam de protesto a favor do impeachment de Donald Trump do lado de fora do Capitólio, em Washington, na quarta-feira (18) — Foto: Win McNamee/Getty Images/AFP

Ted Lieu, da Califórnia, justificou a importância da votação desta quarta-feira. “Nossos filhos estão assistindo, nenhum presidente quer sofrer um impeachment. Se Donald Trump sair em um mês, um ano ou cinco anos, esse impeachment é permanente, ele o seguirá pelo resto de sua vida e pelos livros de história e as pessoas saberão a razão do impeachment”, disse Ted Lieu, da Califórnia.

John Lewis, um veterano deputado democrata do estado da Geórgia, que marchou ao lado de Martin Luther King Jr., falou sobre a importância do legado de um impeachment de Donald Trump.

“Mas hoje, este dia, não pedimos por isso. Hoje é um dia triste. Não é um dia de alegria. Nossa nação é fundada sob o princípio de que não temos reis. Temos presidentes. E a Constituição é a nossa bússola…

…Quando você vê algo que não está certo, não é justo, você tem uma obrigação moral de dizer algo. Nossos filhos e os filhos deles nos perguntarão: ‘O que você fez? O que você disse?’ Para alguns, esse voto pode ser difícil. Temos uma missão e um mandato para estar do lado certo da história”, disse Lewis.

Matéria na íntegra do G1.