(77) 99152-6666

Pai faz graduação escondido na mesma faculdade que a filha e surpreende a família na formatura


Mike Loven, de 47 anos, diz que não é de guardar segredos, mas depois desse ano, dificilmente a esposa e os filhos dele conseguirão acreditar nisso. Ele se matriculou escondido para cursar Finanças e Economia na mesma faculdade que a filha fazia Psicologia, e manteve os estudos em segredo por 4 anos, até surpreender todo mundo no dia da formatura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

pai faz faculdade escondido da família
Foto: Facebook Mike Loven

Ele resolveu se matricular na Universidade após um sonho em 2016

Mike conta que em 2016 acordou de madrugada pensando sobre um sonho que teve naquela noite. “Em 6 de junho de 2016 acordei com a premonição de Deus de que estava voltando para a escola. Eu estava indo para a GCU e seria uma surpresa para todos.

Ele então não teve dúvidas. Se matriculou na Grand Canyon University (GCU) em Phoenix, Arizona (EUA), a mesma universidade em que sua filha mais velha também iniciaria o curso de Psicologia. Razoes  para acreditar

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

De saída, presidente da Eletrobras pede privatização da estatal


Ferreira Junior admitiu que um dos motivos de sua saída é a demora para a capitalização ser discutida no Congresso

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras
Valter Campanato/Agência Brasil

“A missão foi cumprida”, afirmou hoje (25) em coletiva virtual, o presidente da Eletrobras , Wilson Ferreira Junior , ao confirmar sua renúncia do cargo por motivos pessoais , anunciada no último fim de semana. Ferreira Junior esclareceu que um dos motivos da renúncia foi considerar que as concessões para geração de energia que operam em regime de cotas são desfavoráveis não só para a União, como também para o consumidor brasileiro.

Outra razão é que ele não vê o processo de privatização da Eletrobras como prioridade no Congresso Nacional. Para o presidente, “se o assunto não for julgado rapidamente, no primeiro semestre, será difícil viabilizá-lo (a privatização) este ano”. No ano que vem, que é um ano de eleição, o projeto encontraria dificuldade ainda maior. “É uma percepção pessoal”, destacou.

Ferreira Júnior aceitou, entretanto, o convite feito pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque , e continuará como membro do Conselho de Administração da companhia. Para isso, já fez solicitação ao Comitê de Ética Pública da Presidência da República. Disse que seu compromisso é fazer a transição em 45 dias para o novo presidente assumir, além de fechar o balanço de 2020.

“Tive e estou tendo a honra de conduzir o maior grupo de energia da América Latina, um dos cinco maiores do mundo”. Para Ferreira Junior, o processo de reestruturação da Eletrobras foi um dos maiores que conduziu. “A companhia tinha um conjunto de desafios elevados em sua estrutura societária”.

Observou que todas as distribuidoras de energia da empresa, consideradas deficitárias, foram privatizadas até dezembro de 2018. Elas se concentravam no Norte e Nordeste do país.

O balanço de gestão apresentado por Wilson Ferreira Junior inclui a redução de dívidas das controladas, diminuição do quadro de pessoal acima de 50% por meio de programas de demissão incentivada, profissionalização dos gestores por meio de processo público, redução de custos de 40%, desalavancagem da empresa para menos de duas vezes e meia, que é padrão reconhecido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ( BNDES ). “Essa reestruturação foi reconhecida pelo mercado; as ações praticamente quintuplicaram de preço”.

A Eletrobras tem hoje um plano estratégico de 15 anos que permite sua capitalização , afirmou o presidente, que deverá ficar no cargo até o dia 5 de março. “É uma companhia que está hoje fadada ao sucesso, fruto de medidas de competitividade, de medidas de saneamento financeiro e de governança corporativa de classe mundial”, comentou.

Fonte: undefined – iG 

Católicos e evangélicos vão entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro


De acordo a matéria do DCM, em um movimento que será apresentado como uma “frente de fé”, um grupo de religiosos formalizará nesta terça-feira, 26, na Câmara dos Deputados, um pedido de afastamento de Bolsonaro, sob o argumento de que ele agiu com negligência na condução da pandemia de covid-19, agravando a crise.

É a primeira vez que representantes desse segmento encaminham uma denúncia contra o presidente por crime de responsabilidade.

O pedido de impeachment é assinado por religiosos críticos ao governo. Na lista estão padres católicos, anglicanos, luteranos, metodistas e também pastores. Embora sem o apoio formal das igrejas, o grupo tem o respaldo de organizações como o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, a Comissão Brasileira Justiça e Paz da Confederação Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) e a Aliança de Batistas do Brasil.

“Uma parcela da igreja deu um apoio acrítico e incondicional ao Bolsonaro independentemente do discurso que ele defendia. Queremos mostrar que a fé cristã precisa ser resgatada e que a igreja não é um bloco monolítico”, disse ao Estadão/Broadcast o teólogo Tiago Santos, um dos autores do pedido de impeachment.

Com informação do DCM

 

O FIM DE UMA ERA: Faustão também deixará a Globo, após 32 anos


A imagem pode conter: comida, texto que diz "MB HORTIFRUTTI 7398817 991179 Frutas, verduras e raízes como batata, aipim, inhame e outros você encontra aqui no MB HORTIFRUTI. COMANDOPECAS 23 2715 São alimentos fresquinhos, de boa qualidade e preços que agradam o cliente Estamos instalados Rua Landulfo Spínola lado do Comando da Polícia Militar, em Maracás. Telefone (73) 99117 9651 COMANDO PEÇAS Tudo para o seu carro Levamos a peça aonde seu carro estiver. Disk Peças. (73) 3533 2715 Temos uma grande variedade de itens e marcas com preços bons. Praça da Feira Maracás Bahia"

O jornalista Flavio Ricco anunciou que um dos maiores apresentadores da história da televisão brasileira e da Rede Globo Fausto Silva, não renovará seu contrato com e emissora. O contrato do apresentador vai até dezembro deste ano.

A Rede Globo ainda estuda o que vai fazer para tentar substituir o apresentador, porém a marca Domingão vai continuar. Flavio disse ainda que Faustão não irá se aposentar e abrirá espaço para conversas com outras emissoras e analisar futuras propostas.

Ainda de acordo com o colunista, a Rede Globo ofereceu ao apresentador um programa na quinta-feira a noite, porém, Fausto Silva, recusou. Do Jornal do País

 

Colégio Militar de BH retoma aulas presenciais para ‘nivelamento de alunos’


Instituição volta a receber jovens de forma presencial, após um 2020 marcado pela ‘guerra jurídica’ para evitar as atividades in loco

Colégio Militar recebe alunos para promover um ‘nivelamento’, após argumentar que houve perdas cognitivas em boa parte dos estudantes(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)

Colégio Militar de Belo Horizonte (CMBH) retomou, nesta segunda-feira (25/01), atividades presenciais, após dois meses sem receber alunos. A instituição voltou a abrir as portas para que os estudantes passem por um “nivelamento de conhecimento”, que está previsto para durar até o dia 27 de fevereiro.

De acordo com um comunicado emitido pelo comando do CMBH, foram constatadas, durante as aulas presenciais nos meses de outubro e novembro do ano passado, que as perdas cognitivas em boa parte dos alunos foram significativas. Com isso, a instituição pediu “conscientização” dos responsáveis pela participação dos estudantes nas aulas presenciais.

O comunicado distribuído aos pais também destacou que o turno da manhã contará com a presença de somente dois anos escolares de forma presencial, de forma escalonada, para evitar a concentração de alunos. A instituição permite avaliações virtuais, mas cobra justificativa dos alunos que não comparecerem de forma presencial ao colégio.

O ano letivo de 2021 está previsto para começar dia 8 de março.

Protocolo

O comando da instituição também estabeleceu um protocolo para a realização das aulas presenciais, como aferição de temperatura corporal na entrada e na saída do colégio, além da oferta de álcool em gel e a adoção do distanciamento mínimo de 1,5m entre os alunos nas salas de aula.
O uso da máscara também é obrigatório, mas o acessório tem que ser branco, preto ou caqui. Caso algum aluno apresente sintoma da COVID-19 no colégio, os pais serão acionados de forma imediata para que possam buscar o estudante. O atestado médico é cobrado em caso de ausência por problemas de saúde.

Guerra jurídica

Em 16 de setembro, o Colégio Militar da capital anunciou que retomaria as aulas presenciais, suspensas desde 18 de março. O juiz Willian Ken Aoki atendeu o pedido do Sindicato dos Tralhadores Ativos, Aposentados, Pensionistas Servidores Públicos Federais de Minas Gerais – SINDSEP-MG – suspendeu a abertura do colégio e estabeleceu multa em caso de desobediência.
Mesmo com a imposição da Justiça Federal, a instituição de ensino abriu as portas em 21 de setembro, mas interrompeu novamente as atividades da unidade, que fica localizada no Bairro São Francisco, Região da Pampulha.
A decisão que favoreceu o sindicato foi derrubada pelo desembargador Jirair Aram Meguerian no dia 25 mas, logo em seguida, a 3ª Vara Cível acatou um outro pedido feito pelo MPF e decidiu pela interrupção das aulas presenciais no colégio.
A “guerra jurídica” só teve uma trégua quando o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF)Luiz Fux, decidiu, em 23 de outubro, que o Colégio Militar de BH poderia receber alunos, uma vez que não foi “demonstrada nos autos a existência de potencial lesão de natureza grave ao interesse público”.

Sem resposta do governo, caminhoneiros mantêm paralisação no dia 1° de fevereiro


Líder da categoria afirmou que greve será mantida se tabela de preços de combustíveis não for reajustada

Greve de caminhoneiros: paralisação pode ser ainda maior do que foi em 2018; entenda
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Greve de caminhoneiros: paralisação pode ser ainda maior do que foi em 2018; entenda

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro cedeu a reivindicações dos caminhoneiros,  colocando a categoria no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19 e prometendo rever o valor do frete e da multa de sobrepeso, para evitar qualquer possibilidade de greve. Porém, tudo indica que a  paralisação marcada para o próximo dia 1° de fevereiro será mantida por conta de outro ponto que acabou ficando sem resposta: o valor dos combustíveis.

Em entrevista ao blog do jornalista Lauro Jardim, o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas, Plínio Dias, afirmou que o governo Bolsonaro não deu qualquer retorno sobre a demanda da revisão da tabela de preços da Petrobras e garantiu: “a paralisação está de pé”.

Os “afagos” do presidente vieram apenas um dia após outra movimentação do governo para amenizar o descontentamento dos caminhoneiros , quando a tarifa de importação de pneus para transporte de cargas foi reduzida de 16% para zero . Esta era outra reivindiação importante da categoria, que apontava este como o segundo item mais caro de manutenção dos veículos, perdendo apenas para o valor do diesel.

Entretanto, a ameaça de greve segue pairando. Em entrevista recente, o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, afirmou que a paralisação deste ano pode ser ainda maior do que a registrada em 2018 , que causou desabastecimentos em todo o país e gerou diversos tipos de complicações.

“A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou. O diesel é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o  combustível  (50% a 60% do valor da viagem). Queremos uma mudança na política de preço”, afirmou Stringasci.

Fonte: undefined – iG 

“Exerci minha liberdade de expressão”, diz enfermeira que debochou da vacina


Enfermeira que debochou da CoronaVac diz que exerceu ‘direito de liberdade de expressão’ e pediu desculpas. Horas após a justificativa, hospital anunciou a demissão de Nathanna Ceschim

enfermeira negacionista Nathanna Ceschim
A enfermeira negacionista Nathanna Ceschim

A enfermeira que debochou da CoronaVac e apareceu em seu ambiente de trabalho sem máscara diz que exerceu seu “direito de liberdade de expressão”. Horas após divulgar a justificativa, Nathanna Ceschim acabou demitida do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (ES).

“Os meus vídeos foram apenas exercendo meu direito de liberdade de expressão como cidadã. Eu fiz um vídeo caseiro, dentro da minha casa, sem expor ninguém, dando apenas o meu ponto de vista. Eu acho a vacina importante? Sim, mas não acho que seja a salvação do problema. Foi um ponto de vista meu. Meu. Eu não fiz campanha contra a vacina, não falei para as pessoas não se vacinarem. Eu não fiz nada disso. Tanto que eu falo no vídeo ‘Olha, para mim, essa vacina não tem segurança, eu não tomei ela para me sentir mais segura’. Foi um ponto de vista meu”, justificou a enfermeira, em relato enviado ao site ‘A Gazeta’.

Em outro áudio, Nathanna explica por que aparece sem máscara em um vídeo gravado dentro do Hospital da Santa Casa de Vitória, onde atua na linha de frente do combate à Covid-19.

“Aquele momento lá era um momento que eu estava fechando meu plantão. Era perto das 19h. Foi um plantão bastante tumultuado que eu tive. Eu passei o dia todo de máscara e não bebi uma gota d’água. Naquele momento, foi um momento que eu parei em frente ao computador, respirei, tirei a máscara para poder tomar um pouco de água e fiz aquela brincadeirinha com o técnico da equipe de enfermagem, que não teve relação em nada com a vacina. Foi isso que aconteceu”, disse à reportagem de ‘A Gazeta’.

Mais tarde, a enfermeira voltou a usar o perfil na rede social para publicar mais um vídeo e pedir desculpas às pessoas que se sentiram ofendidas. “Peço desculpas a todos que entenderam de forma diferente e se sentiram ofendidos”, escreveu.

A vacina que Nathanna tomou é a CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Ao contrário do que a enfermeira sugeriu no vídeo, os 50,38% de eficácia total da vacina não significam que apenas a metade dos vacinados serão protegidos (saiba mais aqui).

Ao demitir a enfermeira negacionista, o hospital informou que foram tomadas todas as medidas cabíveis sobre o caso e que não se manifestaria mais a respeito. “A Santa Casa reitera sua postura clara e irrestrita com relação à importância da vacina como única solução possível para conter o avanço dos casos de coronavírus”, declarou. Do Pragmatismo

Datafolha: 48% desaprovam desempenho de Bolsonaro frente à Covid-19


[Datafolha: 48% desaprovam desempenho de Bolsonaro frente à Covid-19]
Foto : Isac Nóbrega/PR

Em um mês, esse índice cresceu 6 pontos percentuais

Uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada ontem (24) mostra que o desempenho do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) diante da pandemia do coronavírus é avaliado como ruim ou péssimo por 48% dos entrevistados. Em um mês, esse índice cresceu 6 pontos percentuais.

Já 26% consideram as ações de combate à Covid-19 do presidente boas ou ótimas. De dezembro para cá, essa taxa caiu 4 pontos percentuais.

Em relação às quase 220 mil mortes pelo coronavírus no Brasil, 47% consideram que Bolsonaro não tem culpa nenhuma; 39% acreditam que o gestor não é o principal responsável; 11% acham que o chefe de Estado é o maior causador. Não souberam responder 2% dos interrogados.

O levantamento foi feito entre os dias 20 e 21 de janeiro com 2.030 pessoas. A magem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Fechamento das escolas pela Covid-19 durou no Brasil o dobro da média mundial


Levantamento da Unesco mostra que país interrompeu ano letivo por 40 semanas, mesmo índice de Argentina, Moçambique e Etiópia
Cartaz anuncia fechamento da escola municipal Beltazar Lisboa, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio Foto: Brenno Carvalho/6-7-2020
Cartaz anuncia fechamento da escola municipal Beltazar Lisboa, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio Foto: Brenno Carvalho/6-7-2020

 

RIO — O Brasil fechou suas escolas por 40 semanas durante a pandemia, praticamente o dobro do tempo visto no resto do mundo (22 semanas). A conclusão é de um relatório divulgado este domingo pela Unesco, sobre os impactos provocados no setor pela Covid-19.

Teste: Que nota preciso tirar no Enem?

Argentina, Chile, Moçambique e Etiópia também fecharam suas instituições por, em média, 40 semanas — duas a mais do que os EUA, o país com maior número de casos e óbitos pela pandemia.

De acordo com a Unesco, aproximadamente 800 milhões de estudantes no mundo tiveram o calendário escolar prejudicado pela pandemia. As instituições de ensino passaram, em média, 2/3 do ano letivo fechadas.

Teste:  Qual é o seu lugar na fila da vacina?

Mais da metade dos estudantes no mundo ainda enfrentam interrupções de aulas. O fechamento total das escolas ainda atinge 31 países; em regime parcial, outros 48. Em abril de 2020, no pior momento da pandemia, 190 nações fecharam suas instituições de ensino.

Diretora geral de ensino da Unesco, Audrey Azoulay avalia que o fechamento prologado das escolas causa impacto psicossocial crescente nos alunos, o que traz consequências como perdas de aprendizagem e risco de evasão, sobretudo entre os estudantes de condições mais vulneráveis. Por isso, interromper as aulas, segundo ela, deve ser “o último recurso”. A reabertura, ressalta, precisa ser “uma prioridade’, mas feita com segurança.O Globo, com o G1

Cego volta a enxergar após 1º transplante de córnea artificial do mundo


O KPro pode substituir córnea deformada ou opaca - Foto: Reuters
O KPro pode substituir córnea deformada ou opaca – Foto: Reuters

Deu certo. Pela primeira vez na história um homem cego voltou a enxergar. O paciente foi operado por médicos do Rabin Medical Center, em Israel e recebeu o primeiro transplante de córnea artificial bem-sucedido do mundo. 24 horas depois ele já estava enxergando.

O homem é um idoso de 78 anos, chamado Jamal Furani, que ficou cego durante 10 anos.

Ele perdeu a visão por ter córnea deformada e após o implante foi capaz de ler textos e reconhecer parentes. A primeira coisa que ele afirma ter visto foi a luz.

“Testemunhar um outro ser humano recuperar a visão no dia seguinte foi eletrizante e emocionalmente comovente”, disse o doutor Gilad Litvin, inventor do dispositivo, em entrevista ao Israel Hayom.

Como

O implante artificial, denominado KPro, pode substituir uma córnea deformada ou opaca.

Ele tem um nano-tecido sintético não degradável que é colocado sob uma membrana que cobre a superfície da pálpebra e a parte branca do globo ocular.

Ao ser implantado, ele se integra com o tecido vivo e estimula a “proliferação celular” dentro do olho.

O procedimento foi feito pela startup israelense CorNeat e foi aprovado para testes clínicos em julho do ano passado.

O doutor Gilad Litvin contou que operação era “relativamente simples” e durou menos de uma hora.

Futuro

Atualmente, transplantes de córnea são procedimentos comuns, mas necessitam de doadores e a demanda é alta.

Os resultados deste transplante de córnea artificial são significantes para o futuro de pessoas cegas no mundo.

“O procedimento cirúrgico foi simples e o resultado superou todas as nossas expectativas”, disse o professor Irit Bahar, chefe de oftalmologia do Rabin Medical Center.

Ele complementa que a tecnologia era “a chave para virar a maré contra a cegueira global” e que era emocionante “estar na vanguarda desde projeto que sem dúvida impactará milhões de vidas”.

Outros 10 pacientes foram aprovados para fazer o procedimento de transplante de córnea artificial no Rabin Medical Center.

Com informações do Israel Hayom e  Exame

 

MK critica autoridades que furaram fila da vacinação: ‘Coisa vergonhosa’; ouça


Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész ainda defendeu a liberação de mais imunizantes por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária

[MK critica autoridades que furaram fila da vacinação: 'Coisa vergonhosa'; ouça]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (25), Mário Kertész comemorou a chegada de 2 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, das quais 119,5 mil foram enviadas para a Bahia. Ele repudiou, no entanto, a postura de prefeitos e gestores públicos que “furaram a fila” da vacinação.

“Ótimo, o governo federal conseguiu finalmente liberar aqueles 2 milhões de vacinas que estavam presos lá na Índia. Ele não precisou daquela coisa de mandar um avião da Azul. Colocou num avião de carreira, Emirates, trouxe, bonito, já chegou, já distribuiu, Parabéns, satisfeito com isso, espero que venham mais vacinas e que os fura-filas… Rapaz, isso é uma coisa vergonhosa. Fura-fila descarado, me desculpe. Tem gente que pega, toma vacina, prefeito que toma vacina, diz que é pra poder estimular a vacinação e coloca a mulher pra tomar vacina também. Aqui teve aquela denúncia do prefeito de Antas, Sidônio Nilo, que depois respondeu em uma longa carta enviada pelo advogado dele. Mas antes tinha chegado uma informação enviada por Marcelo Nilo, confirmando que ele é médico, dono de hospital, frequentemente vai ao hospital, tem 70 anos, portanto já tinha direito de se vacinar. Agora, a gente vê aí muita gente furando fila, inclusive prefeitos”, disse.

MK ainda defendeu a liberação de mais imunizantes por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), considerando o atual cenário da pandemia de Covid-19. Ele citou como exemplo a Sputnik V, tida como altamente confiável por cientistas israelenses. “Esse não é o momento de ficar com muita desculpa, nem muita firula. Tem que se ver do ponto de vista técnico. Já foi aprovado em algum país, pode ser liberado? Libera. Rápido e caceteiro, porque não dá pra gente esperar. A contaminação está cada dia mais rápida, com mais letalidade. Mas muita gente continua não acreditando”, pontuou.Por Metro1

Ouça o comentário completo:

Tragédia: Acidente com avião em pista de pouso particular mata quatro jogadores e presidente do Palmas; veja vídeos


Time se preparava para enfrentar o Vila Nova em Goiânia pela Copa Verde. Nas redes sociais do time foram compartilhadas imagens do último treino realizado no

O acidente com um avião em uma pista de pouso particular em Luzimangues (Tocantins) neste domingo (24) matou quatro jogadores e o presidente do Palmas. A assessoria do clube informou que estavam a bordo os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari. Além dos quatro, a aeronave levava ainda o presidente Lucas Meira e o piloto, identificado apenas como ‘comandante Wagner’.

O Palmas estava indo para Goiânia, onde enfrentaria o Vila Nova pela Copa Verde. Nas redes sociais do time foram compartilhadas imagens do último treino realizado no Tocantins neste sábado (23). O jogo está marcado para as 16h de segunda-feira (25), em Goiânia. Mas o próprio Vila Nova emitiu nota lamentando o acidente e informando que vai colaborar para o adiamento da partida.

Quem são as vítimas do clube:
Ranule: goleiro, 27 anos
Lucas Praxedes: lateral-esquerdo, 23 anos
Guilherme Noé: zagueiro, 28 anos
Marcus Molinari: meia, 23 anos
Lucas Meira: presidente do Palmas, empresário de 32 anos

O Palmas também tinha um jogo pelo Campeonato Tocantins na quinta-feira (28), às 16h, no Nilton Santos, contra o Araguacema.

O acidente foi na manhã deste domingo. O avião caiu momentos após decolar de uma pista de pouso no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional, município localizado 60km ao sul de Palmas. A aeronave tinha acabado de decolar e acabou atingindo o solo em um matagal logo após a cabeceira da pista.

Veja a nota do Palmas na íntegra

O Palmas Futebol e Regatas vem por meio desta informar que por volta das 8h15 da manhã deste domingo, 24, ocorreu um acidente aéreo envolvendo o presidente do clube Lucas Meira, quando decolava para Goiânia, para a partida entre Vila Nova x Palmas nesta segunda, 25, válida pela Copa Verde.

O avião em que Lucas estava junto com o comandante Wagner e os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, decolou e caiu no final da pista da Associação Tocantinense de Aviação.

Lamentamos informar que não há sobreviventes. Neste momento de dor e consternação, o clube pede orações pelos familiares aos quais prestará os devidos apoios, e ressalta que no momento oportuno voltará a se pronunciar.

Guilherme Noé atuou pela Caldense em 2016 | FOTO: Divulgação/Caldense |

Conheça as vítimas:

Guilherme Noé
Idade: 28 anos
Posição: Volante/Zagueiro

Começou sua carreira no Corinthians, teve passagem ainda pelas categorias de base do Internacional e desde 2013 rodou por 14 equipes do futebol brasileiro, entre elas Ipatinga, Tupi e Palmas.

Lucas Praxedes pelo XV de Jaú em 2020 | FOTO: Divulgação/XV de Jaú |

Lucas Praxedes
Idade: 23 anos
Posição: lateral-esquerdo

Começou a carreira no Inter de Limeira, se formou no Capivariano e passou por equipes como Marília, Botafogo-PB e Palmas.

Goleiro Ranule | FOTO: Reprodução/Instagram |

Ranule
Idade: 27 anos
Posição: goleiro

Iniciou sua trajetória no Democrata, de Sete Lagoas. Rodou por clubes de Minas Gerais e nos últimos anos atuou por clubes cariocas como Resende e Portuguesa-RJ. Chegou ao Palmas em 2021.

Marcus Molinari em passagem pelo Ipatinga | FOTO: Divulgação Ipatinga |

Marcus Molinari
Idade: 23 anos
Posição: atacante

Filho do ex-atacante Marinho, que rodou por times do futebol mineiro e se destacou em 2006 no Atlético-MG, Molinari surgiu no Villa Nova-MG, passou pelo time sub-23 do Santos, Tupi, Ipatinga, até chegar ao Palmas em 2021.

Lucas Meira foi empresário e presidente do Palmas | FOTO: Reprodução |

Lucas Meira
Idade: 32 anos
Presidente do Palmas

O empresário Lucas Meira é natural de Goiânia. Morava em Palmas desde 2007, onde se formou em Agronomia. Ele passou perto de se candidatar a vice-prefeito de Palmas em 2020, mas desistiu por conta de processos judiciais em que estava envolvido em Goiânia. As informações foram extraídas do Globo Esporte.

Enem 2020 registra abstenção de 55,3%; pedido de reaplicação deve ser feito a partir desta segunda


A reaplicação do exame acontecerá nos dias 23 e 24 de fevereiro

[Enem 2020 registra abstenção de 55,3%; pedido de reaplicação deve ser feito a partir desta segunda]
Foto : Wilson Dias/ Agência Brasil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou ontem (24) que o índice de abstenção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 atingiu a marca de 55,3% do total de candidatos esperados para esta edição (5,5 milhões). Este é o maior índice de toda a história do Enem.

Quem perdeu o Enem por problemas de infraestrutura, (como salas lotadas ou falta de luz) ou por ter sido diagnóstico com Covid ou doenças infectocontagiosas na véspera do exame pode pedir a reaplicação do exame, que acontecerá nos dias 23 e 24 de fevereiro. O pedido pode ser feito a partir das 12h de hoje (25) até sexta (29).

“Foi mais do que a gente estava esperando”, afirmou Alexandre Lopes, presidente do Inep, sobre a taxa de abstenção do Enem. “Mas gosto de olhar o copo meio cheio: 2,5 milhões de pessoas conseguiram fazer a Enem em ambiente de pandemia, em ambiente de receio”, afirma.Do Metro1

Após criticar Dória, governo de MG diz que ‘conversa’ com três laboratórios


Secretário afirmou que planeja fechar parcerias para transferência de tecnologia à Funed de modo que Minas passe a produzir vacinas, mas acordos miram futuro. Resta saber que futuro é esse, pois Minas Gerais é um dos Estados brasileiros que mais contamina e morre gente com a covid19. O povo tem pressa, Governador.

O que fazer em Ouro Preto - Melhores Destinos
Essa é a cidade mineira de Ouro Preto, que também deseja que chegue logo a vacina  

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (22/1), o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, sugeriu que o estado já esboça uma espécie de ‘plano B’ para a campanha de vacinação. O discurso do Executivo estadual segue reforçando a confiança no Plano Nacional de Imunização e a intenção de segui-lo à risca, a despeito dos tropeços e atrasos do governo federal.

  • Amaral, contudo, revelou que a secretaria de Saúde iniciou tratativas com três fabricantes de vacinas: o laboratório chinês Sinopharm, a gigante americana Covaxx, além do instituto indiano Serum, um dos produtores das doses criadas pela universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca.
Cauteloso, o dirigente se refere às negociações como “memorandos de entendimento” e descarta a possibilidade de obtenção de doses nos próximos 30 ou 40 dias. “É claro que, se nós tivermos condição de comprar a vacina, e repassar ao Ministério (para distribuição nacional) dentro do programa de imunização, nós vamos fazê-lo”, ponderou o secretário.
Ele destaca que o principal objetivo dos acordos é a transferência da tecnologia de produção de vacinas para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), instituto de ciências biológicas e tecnologia vinculado à SES-MG.
O modelo de parceria soa semelhante ao firmado pelo governador de São Paulo, João Dória (PSDB), entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac para a produção da CoronaVac. Os arranjos de Dória foram alvo de críticas do governador Romeu Zema (Novo) em meados de dezembro do ano passado. Na ocasião, Zema disse que prefeitos e governadores que se adiantavam à União usavam a pandemia para promoção política, e criavam “tumulto”.

Pouco mais de um mês depois do episódio, o chefe da pasta da Saúde avalia que os acordos com empresas farmacêuticas podem trazer benefícios que extrapolam o combate à pandemia de COVID-19. “Nós estamos muito mais pensando no futuro”, diz Amaral.

“O objetivo é nós termos condição de ter a tecnologia transferida para a Funed, de forma que nós venhamos a produzir vacinas com essa tecnologia. Tanto contra o Coronavírus, quanto para outras que virão. Eu acho que isso é muito importante. O Brasil vem num processo de desindustrialização há anos, não só na saúde, mas em outros setores. E nós tivemos dificuldades aqui por causa disso (durante a pandemia). Não tínhamos volume suficiente de empresas que produzissem equipamentos de proteção individual, ventiladores. E também o nosso parque de produção de vacinas é um parque que pode melhorar e muito. O que nós podemos fazer enquanto estado é desenvolver a Funed”, complementou.

‘Quem não quer vacinar é negacionista, idiota e burro’. Disse Alexandre Kalil prefeito de BH


O prefeito de Belo Horizonte destacou a confiabilidade da vacina contra a COVID-19 e criticou parte da população que se nega a se imunizar contra a doença.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), criticou parte da população que se nega a vacinar nessa quinta-feira (22/01). Em uma entrevista, ele ressaltou a confiabilidade da vacina contra a COVID-19.

‘Eu confio 200% na vacina, eu confio na ciência. Nós temos uma tradição de vacinas no Brasil. Todo mundo tem de se vacinar, quem não quer é negacionista, idiota e burro. Se falar que tem que vacinar por lei, eu vacino minha família inteira’

Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte.

A declaração do chefe do executivo municipal foi feita durante uma entrevista do programa Balanço Geral, da RecordTV. Ele chegou a dizer que quando a vacina chegar em massa para toda a população, a capital estará preparada para iniciar o processo de imunização. “Quando a vacina chegar em massa, e eu tenho certeza que vai chegar, nós estamos preparados para vacinar o belo-horizontino em tempo recorde para que a cidade volte ao normal o mais rápido possível”, disse.
O primeiro lote da CoronaVac chegou na segunda (18/01) e foi distribuído, segundo a Secretária de Estado de Saúde (SES-MG), em 18 horas, para as 28 regionais de Saúde do estado numa operação coordenada pelas Forças de Segurança Pública.
BH recebeu 128.388 doses da CoronaVac, considerando que são duas doses, é o suficiente para imunizar 64.194 pessoas. No entanto, os profissionais de saúde se aproximam de 140 mil. Com as doses recebidas, BH poderia imunizar até 45,8% dos profissionais de saúde.
Com informação do Estado de Minas