Bruna Marquezine será processada por youtuber; Saiba mais


Bruna Marquezine (Foto: Instagram)

Bruna Marquezine (Foto: Instagram)

A atriz Bruna Marquezine será processada. O motivo? Um comentário sincero que ela fez em um post no Twitter.

Quem vai mover o processo contra a artista é a youtuber Francis Simas, que é conhecida por falar abertamente sobre vários assuntos relacionados a casos de machismo, feminismo e relacionamentos íntimos.

E foi durante um vídeo da youtuber que comentava sobre “ser corna e traída”, que Marquezine acabou comentando.

“Tá rindo porque ela é corna? É corna, mas dorme com ele todos os dias. Dirige o carro dele. Frequenta a casa da família dele. Viajam juntos. Tem projetos, sonhos, alegrias, tristeza. Mas enfrentam juntos”, diz a mulher no vídeo. “Aprenda gata. Um homem, uma mulher trai sim. Trai por carência, por insegurança, por vingança, por necessidade fisiológica”, complementa.

“Ah pronto. A cara nem arde, né?!”, escreveu a global.

O vídeo que já havia viralizado ganhou ainda mais repercussão após o comentário da atriz, e Francis passou a receber vários comentários negativos.

O processo

Segundo o colunista Alessandro Lo-Bianco, do programa ‘A Tarde é Sua’, apresentado por Sonia Abrão, Francis Simas vai processar Bruna Marquezine e levará o comentário da atriz à Justiça, já que ela deixou de opinar sobre o que estava sendo dito, mas deu sua opinião sobre quem estava dizendo. Isso configura um ataque à honra”.

Ainda segundo o jornalista, a youtuber ficou chateada com a mensagens da atriz porque ela era muito fã global, e acabou ficando decepcionada,além disso, em outro momento ela disse que Marquezine é “muito nova e uma criança” e que vai processá-la “para ela parar de falar tudo o que quer”.

Francis Simas declarou: Estou me sentindo completamente difamada, está atingindo minha família, meus filhos e estou sendo atacada. Tudo o que precisa ser feito nas áreas criminais e cíveis”.

Bruna Marquezine curte festival na Califórnia e look chama atenção

Bruna Marquezine / Instagram

A atriz Bruna Marquezine está na Califórnia, nós Estados Unidos, e nesta última sexta-feira (19), aproveitou para curtir os últimos dias do festival de música e cultura, Coachella.

Através da função Stories do Instagram, a atriz mostrou o seu look para o Coachella. Ela estava com uma calça e jaqueta pink neon, um top branco decotado e brincos de argola e pelúcia. Já no cabelo, Bruna preferiu fazer dois minicoques. Área Vip.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Programa Raul Gil comenta morte de Yasmim Gabrielle nas redes sociais


Yasmim Gabrielle/Instagram
Yasmim Gabrielle/Instagram

O domingo de Páscoa (21) foi marcado por uma triste notícia, o suicídio de Yasmim Gabrielle, nome conhecido por fazer participações especiais no ‘Programa Raul Gil’. Ela foi a grande responsável pelo bordão que lhe trouxe o reconhecimento ao chamar o apresentador de “vovô Raul”.

Yasmim, que tinha apenas 17 anos, se suicidou em virtude de uma depressão e seu amigo Luis Gabriel, foi quem anunciou a triste acontecimento através de sua rede social.

Nesta segunda-feira, 22, o perfil oficial do ‘Programa Raul Gil’ se manifestou sobre o ocorrido e com uma foto de Yasmim ao lado do apresentador, anunciaram que o “vovô Raul” irá comentar o caso em seu próximo programa, que irá ao ar no próximo sábado, 27, no SBT.

“Yasmin Gabrielle, ex-assistente mirim do Programa Raul Gil, morreu no último domingo (21), aos 17 anos. O vovô Raul lamenta a perda da garotinha, que era vítima de depressão. No programa deste sábado, o vovô comentará sobre o caso”, dizia a legenda da publicação. ÁreaVip.

Registro de atiradores e colecionadores de armas de fogo cresce 879% em cinco anos


[Registro de atiradores e colecionadores de armas de fogo cresce 879% em cinco anos]

De acordo a matéria publicada no Bocão News, o arsenal e a concessão de registros para caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo — conhecidos pela sigla CAC — deram um salto nos últimos cinco anos. Segundo O Globo, as novas autorizações para a categoria aumentaram 879% no período, passando de 8.988, em 2014, para 87.989, em 2018. Hoje, há 255.402 licenças ativas no Brasil. Já o número de armas nas mãos desse grupo foi de 227.242 para 350.683 unidades, um crescimento de 54%.

Os CAC serão beneficiados por um decreto que o presidente Jair Bolsonaro prometeu assinar nos próximos dias. De acordo com o presidente, a ideia é “facilitar a vida” desse grupo. Há expectativa de que o governo desburocratize a obtenção do registro de CAC; amplie seu prazo de validade, hoje de três anos; e estenda a permissão para o transporte da arma carregada em alguns trajetos a caçadores e colecionadores — a regra atual vale só para atiradores.

Procurada, a Casa Civil não informou os detalhes do decreto. Afirmou que “as atualizações e regulamento que versam sobre armas no Brasil estão sendo avaliadas e, oportunamente, serão divulgadas”.  Os números aos quais o GLOBO teve acesso são de levantamento do Instituto Sou da Paz, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação junto ao Exército, responsável pelo registro e fiscalização da categoria. Para Bruno Langeani, gerente da organização, o volume de armas atinge nível “assustador”:

Hoje, as condições para ser um CAC são quase as mesmas para quem deseja ter a posse de uma arma de fogo: não ter antecedentes criminais e comprovar aptidão técnica e psicológica. Eles ainda precisam ser filiados a um clube de tiro e frequentar o local para realização de treinos.

Até 2017, os atiradores só podiam levar suas armas do local de guarda ao de treino ou competição sem munição. Essa regra foi abrandada no governo Michel Temer, permitindo que o deslocamento seja feito com a arma carregada, sob a justificativa de autodefesa.

A medida, porém, foi considerada de difícil fiscalização por policiais. Isso porque, ao abordarem uma pessoa que alega ser atirador, eles não têm acesso rápido aos registros do Exército para conferir a autenticidade do certificado de CAC. A permissão ainda teria aberto brecha para atiradores transitarem com a arma, mesmo quando estão fora do trajeto permitido. Os CAC, por sua vez, dizem que cumprem as normas.

A flexibilização do porte de armas é um dos temas mais polêmicos da agenda do Palácio do Planalto, alvo de críticas de especialistas e de resistência do próprio ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública. Ainda assim, na última quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou que, em breve, editará decreto para ampliar o número de pessoas habilitadas a transportar armamento com munição. E não pretende ficar restrito aos colecionadores e caçadores.

O presidente informou que vai autorizar o porte de armas, 24 horas por dia, para militares com dez anos nas Forças Armadas, até mesmo aqueles que já foram para a reserva.

Para além do decreto, o governo já sinalizou que apoiará projeto de lei que permita o porte de armas de forma mais ampla. A proposta ainda não tem formato, mas deve ser apresentada por aliados do governo, com o respaldo do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos maiores entusiastas da causa no Congresso.

No começo do governo, o presidente disse que a flexibilização da posse, uma das primeiras ações adotadas, era apenas “o primeiro passo”. O Planalto, porém, não pretende estimular o debate sobre o tema antes da aprovação da reforma da Previdência, que concentra os esforços da articulação política.

O porte de armas também tem potencial para criar embaraço entre o presidente e o ministro Sergio Moro. Em janeiro, enquanto se discutia o decreto da posse de armas, Moro afirmou que este assunto não faz parte de sua política de segurança. Mas atende a um compromisso de campanha do presidente.

Homem assume para a Polícia Federal, ter colocado cocaína em barco de velejadores


[Em depoimentos à PF, homem assume que colocou cocaína no barco e diz que velejadores baianos são inocentes ]

 

 

Um dos suspeitos de colocar uma tonelada de cocaína no barco onde estavam os velejadores baianos Rodrigo Dantas e Daniel Dantas, presos em Cabo Verde, declarou que os brasileiros são inocentes.  No barco estava ainda o gaúcho Daniel Guerra. Todos foram acusados de tráfico internacional e presos por 18 meses. Porém, nesta semana, em depoimento à Polícia Federal um homem identificado como Robert James Delbos admitiu que nenhum dos velejadores sabia que a embarcação estava lotada de drogas.

De acordo com a TV Bahia, ele foi extraditado para Salvador, ficou custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Salvador e, depois, foi transferido para o presídio da Mata Escura.
Em depoimento, Delbos citou que colocou a tonelada de cocaína no barco quando foi contratado para fazer uma reforma no veleiro. Ele também teria sido preso pelo transporte de 1,5 tonelada de haxixe, na década de 80, na Inglaterra.

Nas redes sociais, o pai do velejador Rodrigo Dantas comentou o caso. “A verdade sempre vai prevalecer. Tudo que desejamos agora é o encerramento definitivo desse processo em Cabo Verde, poder tocar as nossas vidas e continuar buscando a realização dos nossos sonhos. Obrigado a todos que sempre estiveram ao nosso lado”, disse, após conhecimento do depoimento. Bocão.

 

Confederação Israelita do Brasil decide processar Ciro Gomes


Político chamou judeus de corruptos em fala sobre Bolsonaro

De acordo a matéria do site Correio da Bahia, a Confederação Israelita do Brasil (Conib) vai processar o ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) por antissemitismo. Em entrevista ao site HuffPost Brasil publicada no sábado (20), Ciro afirmou que “agora Bolsonaro diz aos grupos de interesse o que eles querem ouvir”.

“Por exemplo, para os amigos dele aí, esses corruptos da comunidade judaica, que acham que, porque são da comunidade judaica, têm direito de ser corrupto. Corrupto, para mim, não interessa se é curdo ou cearense. Corrupto é corrupto, ladrão é ladrão”, disse o ex-ministro.

“Mais uma vez, Ciro Gomes nos ataca de forma generalizada, agora chamando membros da comunidade de ‘corruptos’. Não vemos Ciro ligar outras minorias ou grupos à corrupção no Brasil”, disse a Conib em nota, pedindo retratação. Ciro não foi localizado.

Aplicativo de táxi oferece corridas mais rápidas e 20% mais baratas


Resultado de imagem para foto de fila de taxi em salvador

Corridas de táxi mais baratas, seguras e rápidas. Tudo isso está reunido no aplicativo Táxi Mobi, lançado nesta segunda-feira (22) pelo prefeito ACM Neto, no Palácio Thomé de Souza, no Centro Histórico. Elaborado a partir de estudos da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semib) em parceria com taxistas, o aplicativo já está disponível para Android e iOS. Diferente da corrida de táxi comum, ele permite o acompanhamento das corridas em tempo real.

De acordo com ACM Neto, o novo instrumento permite ganhos para taxistas e clientes. “Para o usuário são alguns ganhos importantes, como a facilidade de pedir o táxi, mais segurança. O desconto também vem para fidelizar o passageiro, o que justifica a redução do valor””, afirmou.

O aplicativo não trabalha com tarifas dinâmicas – ou seja, o preço não sobe nos horários de pico ou fins de semana. Com o Táxi Mobi, as corridas serão todas feitas com preço de bandeira 1 (R$ 2,42 por quilômetro), com a aplicação de desconto de 20% sobre o valor total.

“O aplicativo vem dar competitividade à cidade de Salvador, tendo como base o regulamento de táxi, da lei que define a tarifa de táxi da lei de Salvador”, explicou o secretário de Mobilidade (Semob), Fábio Mota.

O presidente da União de Táxi, Leandro Galhardi, aprovou a iniciativa. “O preço é detalhado antes da corrida, com base na quilometragem. Isso permite que o passageiro saiba, de antemão, quanto vai pagar pela corrida. Outra coisa é o pagamento Inapp, quando o passageiro cadastra um cartão de crédito e a cobrança é feita automaticamente após a corrida, sem que ele precise estar com cartão em mãos”, destacou.

Monitoramento
Além da redução dos preços das corridas, o Táxi Mobi permite que o passageiro espere menos para conseguir um veículo. Isso acontece porque a prefeitura trabalha a partir do monitoramento em tempo real de todos os táxis credenciados. Até esta segunda-feira (22), de acordo com a Coordenação de Táxi e Transportes Especiais (Cotae), 2 mil dos 7,5 mil táxis da capital baiana já estavam online no aplicativo.

“É uma plataforma de gestão para a prefeitura, porque cada táxi cadastrado é monitorado, havendo o deslocamento de veículos para os lugares onde a demanda for maior. Isso, de certa forma, vai reduzir as filas de táxis, quando os motoristas chegam a esperar até 4 horas por uma corrida”, disse Fábio Mota.

O secretário utilizou como exemplo o Carnaval. “É possível remanejar os táxis para onde se precisa mais. Se o comércio está com muito táxi em fila e a Ondina necessita de veículos, os motoristas são acionados. Existe um controle do taxista e, com isso, uma maior segurança”, declarou.

O discurso foi reiterado pelo prefeito ACM Neto. “A prefeitura e a Semob vão fazer todo o controle, como acontece com os ônibus da capital baiana. Distribuir melhor a oferta de acordo com a demanda que existe. Isso tudo vai gerar informações que serão trabalhadas e pode até ressignificar um redesenho da distribuição da frota”, garantiu.

Ainda segundo o prefeito, essa modalidade de monitoramento é a mesma utilizada com os ônibus de Salvador. “Quando a gente lançou o Cittamobi, foi um grande avanço no país. Assim, a gente quer continuar replicando, porque Salvador precisa estar na vanguarda da cidades inteligentes”, disse.

Categoria
Há 30 anos na praça, o taxista Gilberto Oliveira e Silva, 68 anos, não escondeu a satisfação com o Táxi Mobi. “A partir de agora vamos ter a mudança que a categoria almeja há tantos anos. Nós estávamos renegados à sorte, mas, com o aplicativo e toda a organização que ele proporciona, temos maior segurança, mais trabalho e benefícios para motoristas e passageiros”, comemorou.

Gilberto também disse que, antes do aplicativo, os taxistas estavam lutando como “filhos órfãos”, sem nenhuma regulamentação. “O Táxi Mobi traz para a categoria a possibilidade de mais trabalho, já que permite a redução das filas, a reorganização da frota a depender da demanda, além dos valores benéficos para todos” declarou.

O também taxista Eduardo Almeida da Cunha, 58, está há 12 anos na praça. Ele ainda não se cadastrou no aplicativo, mas acredita que a ferramenta pode trazer benefícios. “A gente espera que, com isso, os taxistas possam trabalhar com mais dignidade, dentro de um mercado que ofereça uma concorrência leal, justa”.

Ainda segundo ele, o valor que arrecada atualmente com as corridas não está dando conta de pagar todas as contas. “Tudo anda muito ruim. Há 12 anos como taxista, eu preciso, atualmente, trabalhar em outros lugares, com outros serviços diversos, para poder complementar a renda de casa. Minha expectativa com o aplicativo é que eu não fique tanto tempo em filas e, com isso, arrecade mais”, confessou.

O presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Dênis Paim, também defende a concorrência leal com os demais aplicativos de transportes móveis. “O taxista fica até 4 horas numa fila para conseguir a corrida e, a partir de agora, ele vai ganhar com a rotatividade”, disse ele, que se sente mais seguro ao saber que terá o veículo monitorado.

O presidente da AGT declarou ainda que os clientes perdidos para outros aplicativos de transporte, por causa da diferença no preço, devem voltar. “Isso vai ser resolvido com o Táxi Mobi, porque teremos corridas mais baratas e pagamento prático, direto no cartão de crédito”, concluiu.

Debate
Durante a apresentação do Táxi Mobi, o prefeito ACM Neto mencionou também a votação do projeto que regulamenta os aplicativos de transporte em Salvador, pendente de votação pela Câmara dos Vereadores.

“O poder executivo mandou o projeto com os termos adequados, mas que sofreu muitas alterações, comprometendo o espírito do que foi encaminhado pela prefeitura. Convidei a vereadora Lorena Brandão pedindo que ela refletisse e fizesse um debate antes da votação do projeto”, disse.

Ainda segundo o gestor municipal, o projeto vai ser encaminhado à Comissão de Transporte da Casa e, depois, seguirá para votação no plenário.

O presidente da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Geraldo Júnior, destacou que “o Táxi Mobi é uma garantia dada aos taxistas de maior participação no mercado dos transportes, dado o cenário da crise econômica presente em todo o país”. Ainda segundo o presidente da CMS, é necessário haver igualdade de condições entre todos os profissionais.

“São quase 8 mil famílias que estão à mercê de um processo econômico que tem sido desigual. O executivo municipal e o legislativo têm tentando equilibrar essa relação. Já avisei ao prefeito, aos taxistas e representantes dos aplicativos móveis que não irei colocar em votação o projeto. Não tenho nada contra os aplicativos, até porque eles são uma tendência local, nacional e mundial. Mas, precisamos regulamentar os aplicativos e não esquecer da categoria de taxistas, que traz tantas alegrias à cidade do Salvador”, disse.

Uma novidade trazida pelo secretário de Mobilidade, Fábio Mota, e confirmada pelo prefeito ACM Neto, é que daqui a 60 dias a prefeitura vai iniciar o planejamento de um aplicativo também voltado para mototaxistas. “Todas as categorias precisam estar representadas nestes avanços”, afirmou.

O Projeto de Lei nº 258/18 tem relatoria da vereadora Lorena Brandão (PSC) e, entre as mudanças sugeridas por ela, durante a aprovação pela CMS, está a retirada de limitação de 7,2 mil veículos de aplicativos – mesma quantidade dos táxis em circulação – apresentada pela prefeitura de Salvador.

Durante a aprovação do projeto, também foi alterado o limite de idade do carro para rodar pelo aplicativo. O proposto pela prefeitura era de ser, inicialmente, 8 anos e posterior redução até chegar a cinco anos. A redução escalonada foi retirada da lei.

O projeto recebeu quatro votos favoráveis e três com ressalvas. Lorena Brandão apresentou um parecer com modificação ao texto proposto pelo executivo municipal, sendo seguida pelos vereadores Alexandre Aleluia (DEM), Duda Sanches (DEM) e Marcelle Moraes (sem partido).

O vereador Alfredo Mangueira (MDB) aprovou a matéria, mas rejeitou a inclusão de novas emendas. Já Aladilce Souza (PCdoB) apresentou ressalvas, que foram acompanhadas pelo vereador Suíca (PT). Antes de ir a plenário, é preciso passar pela Comissão de Transportes da CMS. Correio.

D. ANGÉLICO A LULA: JESUS PASSOU DA PRISÃO, TORTURA E MORTE PARA A RESSURREIÇÃO


Em carta enviada ao ex-presidente na véspera da Páscoa, o bispo emérito de Blumenau (SC) volta a lembrar que Lula é um preso político e que Jesus “é o vencedor da morte”; “Preso político em enorme injustiça, não lhe podem tirar a liberdade de espírito”, diz

Carta de D. Angélico, bispo emérito de Blumenau (SC), enviada a Lula em 19 de abril de 2019, publicada no site do Instituto Lula:

“Querido irmão e amigo presidente Lula,

Com votos de saúde, amor e paz, estou unido constantemente aos que, aqui no Brasil e no mundo, clamam por “Lula livre!”.

Meu irmão, é festa da Páscoa! Jesus passou da prisão, da tortura, da morte na cruz para a ressurreição. Ele é o vencedor da morte! Ele veio a este mundo para que tenhamos vida e a tenhamos em plenitude. Ele é a nossa paz!

Desejo-lhe de todo coração e à sua amada família, feliz e santa Páscoa!

Preso político em enorme injustiça, não lhe podem tirar a liberdade de espírito.

Fraternas, solidárias saudações e abraço forte, ilustre e querido irmão-presidente Lula.

Dom Angélico Sândalo Bernardino, amigo e companheiro dos bons tempos da Pastoral Operária, e você, das pacíficas lutas no ABC pela libertação da classe trabalhadora.” 247.

Uruguai no alvo: entraves internacionais e domésticos da maior democracia do cone sul, por Andrés del Rio


por Andrés del Rio

Na política regional, especialmente do Cone Sul, existe o ditado: Quando Brasil está com febre, o resto fica em coma. Assim, a importância estratégica regional do país é fundamental para compreender nossa geopolítica, e sua influência supera a compreensão que muitas vezes o próprio Brasil tem.
Tanto Argentina como Brasil estão cegamente apaixonados pelo neoliberalismo autoritário e a violência, desviando-se do caminho democrático e entrando no limbo da exceção. O neocolonialismo presente no Cone Sul é gritante.

O Uruguai foi sobrevivendo a este processo de reconstrução da dependência neocolonialista com sabor a viralatismo local, onde governos de direita e extrema direita estão mostrando o pior da individualidade, dos privilégios, da pouca solidariedade, da concentração delirante, da dependência à nova doutrina Monroe dos Estados Unidos, e do deus lucro internacional acima de todos. Mesmo que a propostas e ações destes governos tenham se mostrado pouco exitosas de forma geral, são fortemente eficientes no aumento da violência, estabelecendo como única proposta políticas de segurança errantes de ruas sem saídas, ou melhor dito, políticas de cemitério.

Nesse sentido, os significados democráticos e progressistas do Uruguai para a região neste momento superam amplamente seu tamanho territorial. Mas hoje em dia se tornou num espaço de disputa internacional com o objetivo de terminar com as experiências de centro-esquerda e esquerda do Cone Sul. E Uruguai parece ser o último bastião.

Nos primeiros meses deste tempestuoso 2019, existiram dois eventos que colocaram o Uruguai no olho da tormenta neste processo de radicalismo conservador e de neoliberalismo autoritário na região.

 

Venezuela

Uruguai se posicionou fortemente contra a intervenção, seja qual for, na Venezuela. Em declarações oficiais, a chancelaria do Uruguai deixou bem nítida sua posição: “Uruguai continuará reconhecendo Nicolas Maduro como presidente legítimo, por isso não reconhecerá o deputado da oposição Juan Guaidó como presidente encarregado da Venezuela” [1]. Tomou essa posição numa América Latina que baixa a cabeça ante os arroubos do presidente dos Estados Unidos. Além disso, conjuntamente com México, criou um espaço de diálogo e negociação, mesmo com resultados irregulares, porém com uma posição diferente da grande maioria dos países da região. Lembremos que a Comissão Permanente do Parlamento, em comunicado oficial, no final de fevereiro, tinha manifestado: “se exige o fim do bloqueio e a liberação do comércio e das contas do Estado venezuelano, impedindo a população de sofrer necessidades básicas, como alimentos e medicamentos” [2]. Ou seja, nem intervenção, nem bloqueio econômico, dois pilares da política dos Estados Unidos contra Venezuela.

É importante salientar, nesta disputa internacional, que o partido Frente Amplia já tinha mostrado seu norte. No final de 2018, a Frente Ampla decidiu expulsar Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), de seu cadastro de partidários. A FA questionou as declarações de Almagro sobre sua posição em favor de uma possível intervenção para derrubar o presidente Nicolás Maduro na Venezuela [3]. Luis Almagro foi chanceler do Uruguai de 2010 até 1º de março de 2015, durante o governo de José Mujica.

PROSUL

Uruguai se manifestou contra a criação do PROSUL e a desintegração da UNASUL. Desta forma, O governo do Uruguai decidiu não assinar a declaração de mandatários da PROSUL. O vice-chanceler declarou: “Temos sido muito claros em expressar a posição do Uuguai, nós não queremos ser os mais estranhos do bairro, os mais difíceis do bairro, mas nossa posição é que tentamos ajudar a melhorar o bairro ” [4]. Aumentando que: “Tem sido dito que a Unasul sofre de uma” ideologização extrema “, mas hoje parece que a ideologia é a culpada por tudo quando, na realidade, alguém poderia perguntar: PROSUL não tem uma conotação ideológica também? “. Enfim, toda uma declaração de princípios. E em contraposição às declarações provenientes do Brasil, o presidente do Uruguai, Tabaré Vásquez, declarou na cúpula do Mercosul no final do 2018, em Montevideo: “O progresso verificado do Mercosul é uma consequência dos compromissos compartilhados e do esforço conjunto; É verdade que há aspectos em que há atrasos e o Mercosul não é e não será perfeito, provavelmente não é o que cada um de nós quer, mas é o melhor que poderia ser em um contexto dinâmico ” [5].

Por um lado, os desafios internacionais, pelo outro os entraves domésticoscom sabor de onda conservadora, neoliberal autoritária, de cor verde oliva. Neste sentido, com uma oposição que reclama políticas de segurança mais duras e apoiando a participação e colaboração dos militares na segurança interna [6], os desafios domésticos tem sabor de doença dos vizinhos. Assim, o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, ordenou a prisão por 30 dias do comandante do Exército, Guido Manini Ríos, por “repetidas falhas disciplinares”, em setembro de 2018.  Manini Ríos foi punido de acordo com determinação da Constituição: “que não permite nem ao presidente da república nem aos militares exercer qualquer tipo de atividade política no cargo” [7]. A sanção surgiu como resultado de repetidas manifestações públicas de Manini Ríos expressando sua posição contrária à reforma do fundo de pensões militares. É um fato inédito que um presidente civil ordene a prisão de um militar, comandante do Exército da Nação. Um evento único se pensamos o Cone Sul. Mas longe de agradar os setores conservadores e militares, o mal-estar foi extensivo nesses setores, hoje encorajados pelo contexto internacional. Lembremos que Manini Ríos esteve na posse de Jair Bolsonaro, com fotografia oficial incluída.

Num ano eleitoral, a tensão nas relações cívico militar se aprofundaram em 12 de março deste ano, quando o presidente Tabaré Vázquez, destituiu o mesmo comandante, depois de que o oficial voltou a fazer críticas à reforma das pensões militares e anunciou sua intenção de entrar para a política [8]. Em poucos dias, o Partido Cabildo Aberto, indicou a Manini Ríos como candidato a presidente, aumentando a tensão doméstica. Numa coletiva, o partido sinalizou seu norte: “A importância de recuperar os valores éticos, morais, culturais, educacionais, sociais, de honestidade e segurança que têm sido lenta mas firmemente perdidos ao longo dos anos”. Agregando: “a família é a base da sociedade, o formador inicial de valores do ser humano” [9]. Um discurso conhecido no Brasil.

No início de abril deste ano, num novo conflito. O Tabaré Vázquez demitiu o primeiro escalão do Ministério da Defesa, o comandante-em-chefe do Exército e dois generais que formaram um tribunal honorário que julgou o comportamento dos soldados condenados por crimes de direitos humanos durante a ditadura (1973- 1985). Desta forma, as tensões nas relações cívico militar multiplicaram as problemáticas, colocando na mesa o debate sobre memória, verdade e justiça, um processo que em Uruguai tem avanços e retrocessos, mas principalmente uma paralisia (e barreira) nos tribunais dos processos pelos crimes da ditadura.

Em 8 de abril assumiu como comandante-chefe do exército Claudio Feola. Em declarações extremamente conflitivas, o novo comandante Claudio Feola indicou: “Não vou repudiar eventos do passado porque não sei se estão confirmados ou não”. Apesar da retratação posterior de Feola, o debate sobre memória, verdade e justiça se consolidou na mesa de discussões. As repercussões não faltaram, e no dia 11 de abril, numa multitudinária manifestação no centro de Montevideo, sob o lema “pela democracia e contra a impunidade”, a sociedade uruguaia se fez escutar [10].

Em outubro são as próximas eleições presidenciais, e o pequeno gigante do sul, hoje um símbolo da democracia na região, está lidando contra os avanços internacionais e domésticos das forças conservadoras e do neoliberalismo autoritário que está dominando o Cone Sul. Neste processo, as pautas das politicas de seguranças e da participação dos militares na seguridade interior, ao igual que os vizinhos, é parte nuclear dos desafios do presente. E com eles, a disputa da memória, da verdade e da justiça. Os movimentos sociais e de direitos humanos estão mobilizando as ruas, numa resistência que também deve ser internacional. Matéria na íntegra do GGN.

Andrés del Río é doutor em ciência política pelo IESP-UERJ e professor adjunto da UFF

Menina sem mãos ganha competição nacional de caligrafia


Foto: Cathryn Hinesley

Foto: Cathryn Hinesley

Sara Hinesley, de 10 anos, nasceu sem as mãos, mas nem por isso deixa pintar, esculpir e escrever, aliás, com uma letra linda! (veja abaixo)

A garota, que nasceu na China e mora nos Estados Unidos há 4 anos, quebrou todas as expectativas e  ganhou o prêmio Nicholas Maxim de 2019 por sua caligrafia.

Ela é aluna do terceiro ano da Escola Católica Regional St. John, em Frederick, Maryland, EUA.

O prêmio é concedido anualmente a dois alunos com necessidades especiais: um para redação impressa e outro para roteiro.

Superação

“Eu nunca ouvi essa menininha dizer: ‘Eu não posso’”, disse Cheryl Churilla, professora da terceira série.

“Sara nunca usou uma prótese.Quando ela recebe ajuda ou uma ferramenta que pode facilitar algumas tarefas – como cortar papel com uma tesoura – ela rejeita”, disse sua mãe, Cathryn Hinesley.

Ela pode escrever em inglês e um pouco de mandarim e quando aprendeu cursivo, revelou que era fácil.

“Ela tem esse lado independente, onde sabe que pode fazer isso e descobrir o seu próprio caminho”, disse Hinesley.

“Ela é linda, forte e poderosa do jeito que é, e vive dessa maneira.” Ela realmente faz.

Como

Para escrever, Sara agarra o lápis entre os braços.

Ela se concentra nas formas das letras, cada ponto e curva. Escrever em letra cursiva parece criar obras de arte, disse Sara.

“Eu gosto da maneira como as letras são formadas. É como arte”, diz.

Desenhar

Em seu tempo livre, Sara gosta de desenhar “coisas que estão ao meu redor”, como girassóis.

Ela gosta de nadar, brincar com Veronica, também com 10 anos, e participar do clube de xadrez de sua escola.

“Sara é um testemunho da perseverança e do espírito humano”, disse a mãe.

“Todo dia eu fico impressionada com as coisas que ela é capaz de fazer e que ela escolhe fazer. Ela não tenta encontrar o caminho para evitar um obstáculo, ela encontra uma maneira de completar a tarefa.

Sara receberá seu prêmio nacional – um troféu – em uma cerimônia de premiação no próximo dia 13 de junho.

O prêmio também vem com um prêmio de US $ 500, quase R$ 2 mil.

Ela é a primeira aluna da St. John’s a receber o prêmio Nicholas Maxim, disse a diretora Kathy Smith.

“Eu tô animada e orgulhosa”, disse ela.

Veja a letra da menina:

Uma amostra da caligrafia de Sara Hinesley. Foto: Cathryn Hinesley

Caligrafia de Sara Hinesley. Foto: Cathryn Hinesley

Com informações MSN/The Washington Post

 

Remanso: É crescente a violência e roubo na cidade que é letra de música


 

Como diz o poeta, aos poucos as praças vão deixando de ser dos idosos e dos namorados

Café com Leite Notícias: A cidade de Remanso que fica no extremo norte da Bahia e é banhada pelo Velho Chico, já foi cantada na linda canção da dupla Sá e Guarabira, posteriormente gravada pelo grupo Biquíni Cavadão, que conta a história de que o Sertão ia virar mar, se referindo à construção da barragem do Sobradinho.

Na ocasião, as águas engoliram as cidades de Remanso, Casa Nova, Cento Sé, Pilão Arcado e Sobradinho. Pois é. As novas cidades foram construídas em localidades mais afastadas e a poesia, com o tempo, além do mar está realmente virando Sertão, Rio São Francisco constantemente muito abaixo das médias de cada temporada, ainda a violência aos poucos vem chegando pra perto.

Acontece que muita gente pensa que essas cinco cidades são perto uma da outra, o que se engana. A primeira cidade do grupo das cinco que se encontra no caminho é Casa Nova. Daí só a mais 150 km é que se chega em Remanso. Só que pelo fato do isolamento, muitos fora da lei começam a ir pra  essas cidades isoladas, pensando que estão indo para uma cidade sem lei, como os velhos faroestes do Texas, (Cidade Sem Lei) lembram. Então, mas três cidadãos que resolveram passar em remanso para efetuarem mais um assalto, se deram mal. foram três homens envolvidos em assalto a motorista. Foram presos na quarta-feira (17), durante uma operação deflagrada pela Polícia Civil (PC), para o cumprimento de mandados de busca e apreensão na cidade vizinha de Campo Alegre de Lourdes.

Campo Alegre é mais uma cidade distante, com um acesso não muito bom, pois se trata de uma estrada de terra e com uma zona rural extensa, o que faz os alfanadores acreditarem que ali eles iriam estar escondidos. Se deram mal e foram parar nas unhas dos homens da Civil.

Três dias depois, olha a as polícias Militar e Civil novamente numa ação conjunta desmoronando uma quadrilha que atuava no tráfico. Pois é, no dia 20 de Abril durante a Operação Semana Santa, policiais Civil e Militares efetuaram as prisões de Rafael Lauren da Silva Costa (reincidente no delito), Francineide da Silva, e a apreensão do menor de iniciais U.S.A (reincidente no ato infracional). Com os imputados, foram encontrados um revolver calibre 32, 24 (vinte e quatro) pedras de crack, uma pequena porção de maconha e a quantia de R$ 270 reais. Os indivíduos foram encaminhados à Delegacia de Policia.

A população de Remanso termina ficando apreensiva e assustada com fatos assim, pois o velho costume de famílias ficarem até altas horas sentadas em cadeiras sobre as calçadas, principalmente pelo calor que faz na cidade, vai sendo substituindo por ficarem trancafiados dentro de casa com medo dos não delinquentes. .

Essa matéria teve a colaboração do Blog Remanso Notícia.

Cantor Luan Santana movimenta a cidade de Remanso doando roupas


 

Através do projeto “Consciência Solidaria”, o cantor remansense Luan Santana, entregou mais de 1.300 peças de roupas para moradores da Vila Agostinho e Vila Matilde, bairros carentes do município de Remanso.

“Estou muito feliz em fazer o bem ao próximo. Sei das dificuldades que essas pessoas passam, por isso tive a ideia de criar esse projeto. Obrigado a todos que ajudaram com as doações.”, relatou Luan.

Segundo o cantor, cerca de mais de 200 pessoas foram beneficiadas. Parabenizamos ao Luan, por sua solidariedade, que todos os artistas remansenses peguem essa ação como exemplo e se unam para fazer o bem para aqueles que precisam. Fonte Remanso Notícias.

 

Bolsonaro extingue grupo de trabalho que identifica mortos da Ditadura


Decisão de Bolsonaro acaba com a estrutura do Grupo de Trabalho Perus, embora exista decisão judicial que sustenta a operação de identificação de mortos da Ditadura

Na esteira do Decreto 9.759, Jair Bolsonaro extinguiu o Grupo de Trabalho Perus, núcleo ligado à Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos que é responsável por identificar as vítimas da Ditadura que foram torturadas, mortas e tiveram suas ossadas jogadas na vala comum do cemitério de Perus, na zona oeste de São Paulo.

Segundo a procuradora da República Eugênia Gonzaga, presidente da Comissão de Mortos, o GT Araguaia também foi atingido.

A Comissão de Mortos está hoje sob o guarda-chuva do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O GT de Perus existe desde 2014, após determinação da Justiça Federal em ação civil pública.

Procurado pela imprensa, o Ministério dos Direitos Humanos não informou como pretende, ou mesmo se pretende, continuar o trabalho de identificação das ossadas.

A pasta sob Damares Alves indicou apenas que “está avaliando, estudando e proporá algo dentro dos parâmetros do decreto”, afirmou reportagem de O Dia.

Bolsonaro, quando parlamentar, debochava das buscas pelos desaparecidos da Ditadura. Em uma foto divulgada nas redes, ele aparece ao lado de um cartaz sobre Araguaia, que diz: “Quem procura osso é cachorro”.

Segundo Eugênia, a comissão não poderia ser atingida pelo decreto de Bolsonaro porque foi criada por lei federal. Ainda assim, os grupos de trabalho e equipes técnicas de peritos necessários aos trabalhos foram extintos pelo decreto. Na prática, significa que ninguém pode assinar documentos ou fazer contratações, embora exista verba prevista e determinação judicial para que o trabalho seja feito.

A decisão de Bolsonaro foi levada ao conhecimento do juiz federal Eurico Maiolino, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que cuida do cumprimento da decisão judicial que obrigou a União a fazer a identificação das ossadas.

Hoje, quatro peritos trabalham com 1.047 caixas, em contratos assinados antes do decreto. No passado, o GT já teve 10 peritos, o que demonstra que o número atual é insuficiente. Fonte GGN.

 

Após relatório, democrata não descarta pedido de impeachment contra Trump


No entanto, Adam Schiff acredita que a tentativa poderia fracassar devido ao grande poder de influência republicano

[Após relatório, democrata não descarta pedido de impeachment contra Trump]
Foto : Shealah Craighead/Flickr/White House

Por Daniel Brito

O chefe do Comitê de Inteligência da Câmara Baixa dos Estados Unidos, Adam Schiff, do partido Democrata, declarou que não descarta encabeçar processo de impeachment contra o presidente Donald Trump devido às suas ligações com a Rússia durante a campanha eleitoral, mas opinou que a tentativa poderia fracassar devido ao apoio dos republicanos a favor de seu líder.

De acordo com ele, os republicanos “estão dispostos a levar água ao presidente independentemente de sua conduta ser corrupta, imoral e desonesta. No entanto, pode ser que empreendamos um processo de impeachment. Acredito que como convenção vamos decidir o que é melhor para o país”.

Segundo uma versão censurada do relatório elaborado pelo procurador-especial Robert Mueller sobre a investigação, divulgado na semana passada, não há “provas suficientes para apoiar acusações criminais” sobre a primeira suspeita. No entanto, o documento lança dúvidas sobre uma possível obstrução de Trump à Justiça.

 

Filha de Lula vende ovos de Páscoa caseiros


Lula e a filha Lurian Silva (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Mônica Bergamo informa, em sua coluna na Folha, que Lurian, a filha mais velha de Lula, voltou a fazer ovos de chocolate para vender na Páscoa.

De acordo com a publicação, o mais barato, de 250g, custa R$ 25. O mais caro, de 750 g, R$ 60. Os recheios são de brigadeiro, leite Ninho e maracujá, entre outros. Lurian anuncia a venda no Facebook.

FALALULA SE TORNA O TEMA MAIS COMENTADO NAS REDES


Resultado de imagem para foto de lula com multidão

Foram quase 400 dias em que a imprensa  aberta, nem só não entrevistava o Lula, pois não era permitido, mas  bombardearam, pois bombardeio não era proibido e foi o que fizeram durante esse tempo.  As redes sociais também foram impedidas de fazer entrevistas com o ex-presidente lula, mas o que chamou a atenção do mundo, foi o fato das virgílias lá em Curitiba, que desde o primeiro dia da sua prisão até hoje, o “caldo só engrossa”, e a as duas palavras de ordem nos últimos dias que na verdade se tonaram uma é LULALIVRE. A mídia que enxergava em Lula um preso político, (Redes Sociais) e que a sua prisão foi apenas para que a extrema direita fosse eleita no país, como de fato foi, e, constatando o plano, o Juiz Sérgio Moro foi convidado para ser Ministro da Justiça, fez um trabalho sem trégua, mostrando os fatos reais e sinalizando o caminho que o país estava entrando, e que, na verdade, o propósito deles era, e é, outro. Esse fato, simplesmente terminou enfraquecendo as forças da direita, o que vem fazendo a cada dia que passa o povo enxergar que o país caiu na mão de um grupo que só fala em vender as nossas riquezas e castigar o trabalhador.

Agora o Brasil e o mundo aguardam para saberem o que o ex-presidente Lula tem a falar, já que durante muito tempo, além dele não ter o direito de se expressar na imprensa, como já foi dito, ainda era bombardeado com as delações, que apesar de não terem provas de nada que diziam os delatores, se tornou uma especie de lei, que terminou sentenciando um ex-presidente que fez muito pelo país e que é reconhecido internacionalmente. Até aqui café com Leite Notícias.

 

Com mais de um ano preso e silenciado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai finalmente falar aos jornalistas Florestan Fernandes Júnior e Mônica Bergamo. O reaparecimento de Lula na cena política pode marcar um ponto de virada no golpe que vem destruindo o Brasil desde 2016 para impor uma marcada pela estagnação econômica, entrega de setores estratégicos para estrangeiros, ferindo a soberania nacional, e cortes de direitos.

O STF liberou o ex-presidente Lula para dar entrevistas aos jornalistas Florestan Fernandes Júnior, Mônica Bergamo e outros veículos que pediram autorização para falar com ele na prisão. “A hashtag #FalaLula está no top do Twitter. Para alguns jornais, no entanto, a notícia de que o STF liberou a entrevista simplesmente não existe”, postou a jornalista no Twitter.

Na mesma rede social, Florestan afirmou que “a autorização dada ao El País para entrevistar Lula deixou o ex-presidente um pouco mais livre. E os jornalistas começam a ver uma luzinha no fim do túnel”. “Espero que não seja uma miragem”, disse.

Lula foi condenado no processo do triplex em Guarujá (SP) com uma sentença questionada por vários juristas. Segundo a acusação, ele recebeu um apartamento da OAS como propina em troca de contratos na Petrobrás. Mas o ex-presidente nunca dormiu nem tinha a chave do imóvel. O próprio Ministério Público Federal (MPF) reconheceu na apresentação da denúncia a falta de “prova cabal”, mas o procurador Deltan Dallagnol falou somente em “plena convicção” para denunciar Lula.

O ex-presidente vinha liderando todas as pesquisas eleitorais no ano passado, mas Sérgio Mor, então juiz da Operação Lava Jato, demiti a ordem de prisão mesmo sem o esgotamento de todos os recursos judicias. Durante a campanha, Moro recebeu o convite da equipe de Jair Bolsonaro para ser ministro – a proposta foi aceita.

A pesquisa Vox Pupuli-CUT, divulgada nesta quarta-feira (10), apontou que, após um ano preso, Lula é considerado o melhor presidente da história por 48%. O segundo colocado, com 18%, é “nenhum” (respostas espontâneas). Fonte 247