O papel do brasileiro agora é: cobrar, fiscalizar e torcer para que o Jair faça um bom trabalho, por Walter Salles


Vamos torcer para que caia chuva sobre o Brasil, que tudo que o Jair Bolsonaro falou não passou de brincadeiras e que na verdade, ele vai surpreender a todos que votaram contra.

Praça dos Três Poderes

 

Café com Leite Notícias. Muita gente tem se manifestado de todas as maneiras diante da vitória de Jair Bolsonaro e, conseqüentemente, diante da derrota do Fernando Haddad. Cada um reage de uma forma, todos de acordo ao seu ponto de vista. Claro que muitos foram pra festa no embalo do som. Esses não têm como se manifestar, pois o som foi desligado no dia 28 de outubro às 17 horas. A partir desse horário apenas aguardou o momento para soltar foguetes e buzinar carros, porém o que se espera é que no futuro, a tristeza não venha tomar o lugar da alegria de quando todos seguiram no embalo do som, com o choro forçando a cabeça se debruçar na mesa da sua cozinha, ao som de uma canção fúnebre enquanto sai o café.

Para isso não acontecer, a população brasileira, nem só terá que apoiar o novo presidente, mas, também, dizer não às propostas que venham prejudicar o trabalhador brasileiro, que, aliás, já foi sinalizado que haverá a carteira verde e amarela para que o desempregado tenha “mais facilidade” de encontrar trabalho, porém terá que abrir mão dos seus direitos. Será dado o direito ao empregador dizer o seguinte: “ a minha condição é essa, caso o senhor e a senhora queiram trabalhar, é pra começar amanhã mesmo”.  Nesse caso, a depender da situação daquele trabalhador ou trabalhadora, um almoço ao meio dia no refeitório da empresa e mais alguns trocados, vai ser o suficiente para estar lá um pai ou uma mãe de família trabalhando muito por pouco e ainda sem garantias. É nesse sentido que o trabalhador precisa de quem o defenda, para que as coisas fiquem mais ou menos equilibradas. Pois jamais o trabalhador vai ter o poder e a moral de dizer que a condição dele é essa para o empregador e obter êxito na sua negociação, principalmente diante do desemprego que está.  As forças são diferentes e o trabalhador precisa ser protegido.

Fora disso, é preciso sim, que as pessoas procurem de alguma forma, contribuir para que o novo presidente eleito realize uma administração que venha não decepcionar aos que votaram na sigla do seu partido, bem como, por outro lado, surpreender aos que não acreditam que haverá um governo humanitário, sobretudo de olho no que mais precisa, pois é quem mais sofre.

Na verdade, o novo presidente não vai estar livre para fazer o que bem quiser e entender  no seu governo. O seu adversário que concorreu à candidatura, Fernando Haddad, juntamente com Manuela,  juntos será a oposição mais forte do país, pois quase metade do eleitorado brasileiro disse sim às suas idéias e serão seguidora na caminhada, ajudando a cobrar os benefícios que têm que chegar ao povo brasileiro.

A organização internacional Human Rights Watch (HRW), de defesa dos direitos humanos, já avisou que irá monitorar o governo do Jair Bolsonaro. Quem disse foi José Miguel Vivanco, diretor das Américas da Human Rights Watch, em nota divulgada ontem (28), após o anúncio do resultado das eleições no país.

A ONG sublinhou que o capitão reformado venceu as eleições marcadas por violência de cunho político. “Muitas vítimas eram pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), mulheres e negros”, diz a nota. “Continuaremos fazendo nosso trabalho rigoroso e independente de investigação e pressão por mudanças de políticas públicas, como temos feito nas últimas décadas, na defesa dos direitos humanos de todos os cidadãos brasileiros, independentemente de gênero, orientação sexual, raça, filiações políticas ou crenças religiosas”, disse o diretor da HRW.

Pra finalizar, o que o país precisa neste momento, onde no curto período de dois anos o atual governo fez um estrago que não se tem dimensão de onde vão as conseqüências, é de um governo que não dê continuidade ao desmando que está aí, mas sim que mude de trilha, porém para melhor.

Que todos torçam, lutem, cobrem e orem para que o novo presidente faça um bom trabalho e não ficar torcendo para o quanto pior melhor.