‘O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza’, diz Guedes, ministro do governo que odeia pobre, em Davos


Para um cidadão desse e também o seu chefe, a saída é desmatar a amazônia, produzir mais comida e depois distribuir através de cestas básicas, como acontecia no governo FHC. Deixa a amazônia livre deste assassinato e parte para uma política de melhoramento da classe mais precisa, de forma digna, que o Brasil se alavanca e até cresce o montante de 377 bilhões de dólares que o Lula deixou na reserva internacional, colocando o Brasil equiparado à China. Como está hoje? dos 377 pelo menos 37 o Guedes já mandou vender. E quando acabar? Vai voltar para o FMI?  Coloca o povo pobre no orçamento da União que tudo muda. Mas enxergando o pobre como a problema do Meio ambiente, é, no mínimo, uma covardia e incompetência. Até aqui Café com Leite.
Ministro da Economia, Paulo Guedes
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

De Célia Froufe no Estado de S.Paulo.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje, durante o painel “Shaping the Future of Advanced Manufacturing”, realizado durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), que o grande inimigo do meio ambiente é a pobreza. “Destroem porque estão com fome”, justificou o brasileiro.

Em outro momento do mesmo evento, ele disse que o mundo precisa de mais comida e salientou que é preciso usar defensivos para que seja possível produzir mais. “Isso é uma decisão política, que não é simples, é complexa”, afirmou. Ainda sobre o tema, Guedes disse que a busca dos humanos é sempre pela criação de vidas melhores. Ele ressaltou, porém, que “somos animais que escapamos da natureza”.

O ministro disse que o Brasil está criando um ambiente melhor para os negócios e que é preciso agora qualificar as pessoas para terem um emprego no sistema, que está mais tecnológico. “Num país como o Brasil, que está um pouco atrás (em relação às inovações), temos um pouco de preocupação”, afirmou, acrescentando que a primeira ação a ser feita é acabar com os “obstáculos”.

Fonte Diário do Centro do Mundo.

(…)

  •