“Não se meta nas investigações”! Recado da viúva de Marielle Franco para Bolsonaro:


Após depoimento de quase 3 horas, Mônica Benício conversa com jornalistas – Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil

A Coluna de Guilherme Amado na Revista Época fez uma entrevista com Monica Benício, a viúva de Marielle.

O que a senhora diria para Bolsonaro?

Que não se meta nas investigações. Afinal de contas, não cabe ao presidente da República investigar absolutamente nada. A declaração que ele fez sobre ter tido acesso a áudios, a provas, faz com que isso tenha que ser olhado com muita seriedade. Qualquer investigação que envolva o presidente deve ser feita pela PGR e analisada pelo STF. Apenas. Não cabe ao presidente se antecipar e recolher provas, alegando que haveria adulteração. E quem é que me garante que de fato não foi adulterado? Já solicitamos uma nova perícia, desconsiderando absolutamente a primeira que foi feita, às avessas, às pressas.

Em dez meses de governo, Bolsonaro evitava falar no caso.

É muito lamentável que durante todo esse tempo o presidente tenha silenciado sobre essa execução. Mesmo quando questionado, sempre optou pelo silêncio. Ele só se manifestou agora, diante de todo esse caos, com o seu nome sendo mencionado. É muito preocupante ver um país que se diz em um Estado democrático de direito numa situação como essa. No Brasil, quem não está extremamente preocupado com o que está acontecendo, com a não elucidação desse caso 600 dias depois, não está entendendo. Ele ocupa o maior cargo do país. Se não está comprometido com a elucidação de um crime político, que tem a maior repercussão na história do país, está equivocado, para dizer o mínimo.

Mais sobre o caso Marielle e casa 58. Depoimento do porteiro do condomínio de Bolsonaro no Rio foi filmado.

 

De acordo a coluna do Lauro jardim, do GLOBO, a Polícia Civil do Rio de Janeiro filmou o depoimento do porteiro do condomínio Vivendas da Barra que anotou no livro o número 58 (o da casa de Jair Bolsonaro) e disse ter ouvido o o.k. do “seu Jair” quando o PM reformado Élcio Queiroz entrou no local.

A Polícia ainda não periciou a voz desse porteiro com a do outro porteiro, que surgiu num áudio divulgado por Carlos Bolsonaro. Como, repita-se, o depoimento foi filmado basta comparar as vozes. É um novelo que começa a se desenrolar.