Ministro do TSE nega pedido para que UOL, Folha e SBT sabatinem Lula


Imagem relacionada

Segundo matéria publicada no Diario do Centro do Mundo, o ministro Og Fernandes, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), negou na noite de quinta-feira (10) em caráter liminar (provisório) uma representação feita pelo PT contra o UOL, a Folha de S.Paulo e o SBT. Na ação, o partido contesta a ausência de um representante seu na rodada de sabatinas conduzidas pelos veículos de imprensa com pré-candidatos à Presidência da República. O PT mantém o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera as pesquisas de intenção de voto e está preso desde o dia 7 de abril, como seu nome para a disputa.

 

 

O mérito do caso ainda será julgado pelo TSE, o que não tem prazo para acontecer. Por meio de sua assessoria de imprensa, o PT disse que seus advogados vão analisar a decisão judicial “para decidir quais providências tomar”.

No pedido liminar, o PT quis que o TSE obrigasse UOL, Folha e SBT “a dar espaço a um representante da candidatura do ex-presidente Lula, (…) sob pena de declaração de ilegalidade de sua atividade e consequente cancelamento”.

Pelas regras antecipadas às assessorias dos partidos em março, seriam convidados os seis pré-candidatos à Presidência mais bem colocados na pesquisa Datafolha divulgada em 15 de abril: Luiz Inácio Lula da Silva, Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Joaquim Barbosa, Marina Silva e Geraldo Alckmin. Com a prisão do ex-presidente, Alvaro Dias, o sétimo colocado no levantamento, foi convidado.

O UOL reconhece a importância de Lula como líder das pesquisas, mas entende que o pedido do PT é descabido, uma vez que os votos são nominais nas eleições majoritárias. Na impossibilidade da presença de Lula nas sabatinas, não faz sentido ouvir um representante do partido em seu lugar.