Maior tratado de livre-comércio do mundo pode afetar o Brasil e a América Latina


O novo acordo comercial abrange 29% do Produto Interno Bruto (PIB) do mundo. O comércio bilateral entre a Ásia e a América Latina tem crescido continuamente nas últimas décadas, mas a integração entre as duas regiões tem muito espaço para avanços e pode sofrer o impacto do novo acordo, afirmam analistas

Em reunião virtual é assinado o maior acordo comercial do mundo
Em reunião virtual é assinado o maior acordo comercial do mundo (Foto: CNBC)

Depois de uma década em construção, o maior acordo comercial do mundo foi assinado. Líderes asiáticos firmaram no último domingo (15), em Hanói, capital vietnamita, o mega-tratado que inclui os dez membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático, além de China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

O acordo, Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês), será maior que a União Europeia e o Acordo Estados Unidos-México-Canadá. Os membros somam quase um terço da população mundial e 29% do Produto Interno Bruto (PIB) do planeta, informa o site da BBC.

O RCEP eliminará tarifas de importação pelos próximos 20 anos. O acordo também inclui dispositivos sobre propriedade intelectual, telecomunicações, serviços financeiros, comércio eletrônico e serviços profissionais.  Do 247