Lula dispara contra Bolsonaro e alivia Mourão em primeira entrevista após prisão


Em primeira entrevista após a prisão, para os jornalistas Florestan Fernandes (El País) e Mônica Bergamo (Folha de São Paulo), realizada nesta sexta-feira (26), o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva criticou o governo Bolsonaro e agradeceu o vice-presidente, general Hamilton Mourão, por ter defendido que ele fosse ao velório do neto. Em mais de duas horas de entrevista, realizada

 

Em primeira entrevista após a prisão, para os jornalistas Florestan Fernandes (El País) e Mônica Bergamo (Folha de São Paulo), realizada nesta sexta-feira (26), o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva criticou o governo Bolsonaro e agradeceu o vice-presidente, general Hamilton Mourão, por ter defendido que ele fosse ao velório do neto.

Em mais de duas horas de entrevista, realizada na sede da Polícia Federal em Curitiba, afirmou que o Brasil está sendo governado por “um bando de maluco”.

“Vamos fazer uma autocrítica geral nesse país. O que não pode é esse país estar governado por esse bando de maluco que governa o país. O país não merece isso e sobretudo o povo não merece isso”, disse.

Ao falar sobre a morte do neto Artur, 7, vítima de uma bactéria no último mês, Lula disse ser grato” ao vice-presidente, general Mourão, “pelo que ele fez na morte do meu neto (defender que ele fosse ao velório), ao contrário do filho do Bolsonaro (Eduardo).”

Esta é a primeira vez que o petista fala com jornalistas desde abril do ano passado. O encontro só foi possível após oito meses de negociação, em que o STF proibiu e depois liberou a entrevista. Na última semana, a Polícia Federal ainda tentou “melar” a entrevista com inclusão de convidados sem ouvir o ex-presidente, mas a manobra foi negada pela Justiça.

Lula foi condenado pelo TRF-4 sem provas no caso do tríplex do Guarujá (SP). O ex-presidente ainda tem condenação em primeira instância por causa do caso do sítio de Atibaia (SP). Um caso de lawfare contra o líder petista.

“Não tem problema que eu fique aqui para o resto da vida. Quem não dorme bem é o Moro, Dallagnol e o juiz do TRF-4”, declarou Lula. Esmael.