Hildegard sobre a morte de Paulo Gustavo: “não foi covid, foi assassinato frio desse governo gelado e monstruoso”


Ela lembrou que o governo de Jair Bolsonaro recusou onze oferecimentos de vacinas e assina milhares de mortes.

A verdade é que assim como Paulo Gustavo, milhares de pessoas que perderam as suas vidas, principalmente em 2021, poderiam estarem vivas caso o governo tivesse aceito as vacinas que foram oferecidas ainda em 2020. Agora, enquanto a vacina cai de conta gotas, a pandemia segue de forma desenfreada e ninguém sabe que será ou serão as próximas vítimas.

Hildegard Angel

“Hoje perdemos o maior ator de humor brasileiro da atualidade, maior bilheteria do teatro, maior bilheteria do cinema. Não foi COVID. Foi assassinato frio desse governo gelado, monstruoso, sem gota sentimento e amor, que recusou 11 oferecimentos de vacinas e assina milhares de mortes”, escreveu a jornalista Hildegard Angel.

Como disse o Caetano Veloso, o ator Paulo Gustavo que fez muita gente soltar grandes gargalhadas nos cinemas, teatros e TV, deixou o Brasil de luto.

O ator Paulo Gustavo não resistiu às complicações da COVID-19 e morreu nesta terça-feira (4) aos 42 anos. Ele sofreu uma embolia pulmonar no último domingo (2).

O ator Paulo Gustavo estava internado com complicações da COVID-19 desde o dia 13 de março no Rio de Janeiro.

No último domingo (2) o quadro de saúde do ator teve uma piora, quando sofreu uma embolia pulmonar.

Anteriormente, Paulo Gustavo vinha apresentando melhoras significativas, tendo uma redução dos sedativos e bloqueadores e conseguindo interagir.

Na noite desta terça-feira (4) os médicos anunciaram que o quadro do ator era irreversível, mas que ele mantinha os sinais vitais.

Nesta terça, novo boletim disse que o ator estava com quadro irreversível, mas mantinha os sinais vitais. No entanto, posteriormente, às 22h12, foi constatada a morte de Paulo Gustavo.

ator ficou marcado pelo grande sucesso com a comédia “Minha mãe é uma peça”, vivendo o papel da personagem Dona Hermínia, de sua criação. A série de três filmes da obra vendeu mais de 26 milhões de ingressos entre 2013 e 2020.

Fonte 247.