Figuras denunciadas por vários crimes de corrupção, mas até o momento intocáveis. O povo está vendo tudo


Imagem relacionada

Jucá e Aécio são amigos e têm muita coisa em comum 

 

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), presidente do partido, virou personagem central em vídeo feito dentro de um avião. “E aí, senador, conseguiu estancar a sangria?”, questionou a autora da gravação, dentro da aeronave.

Ela fez referência a um dos áudios entregues pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado à Polícia Federal, no qual Jucá afirma que é preciso “estancar a sangria”, supostamente provocada pela Operação Lava Jato em ações contra políticos. No avião, o senador primeiro pediu respeito, e em seguida tentou arrancar o celular da mão da mulher, sem sucesso. Parte dos passageiros aplaudiu a intervenção da mulher. “Vai acabar o seu sossego. Quer viajar? Vai ter que viajar de jatinho particular”, disse ela. “O senhor deveria ter vergonha, o senhor protege corruptos”, afirmou. O senador afirmou ao UOL, fonte desta matéria, que foi vítima de agressão de uma pessoa que o importunou com desaforos e ofensas.

“Reagi à provocação tentando tirar o celular da mão da pessoa para que o vídeo parasse de ser feito. Respeito qualquer tipo de manifestação democrática. Mas não é correto importunar um passageiro num voo comercial. Isso é crime”.

Até dá pra concordar com o senador Jucá, quando se trata de pessoas que não tem mancha e pegadas sujas por onde passa, mas no caso dele, que há tantas denúncias, onde até políticos do seu partido o MDB, como o Jarbas Vasconcelos, PDB Pernambuco, que uma certa feita o chamou de crápula e que pretende vê-lo um dia sair do senado algemado. Essas palavras foram ditas no finalzinho do ano de 2017.

São muitas as denúncias de envolvimento de Jucá em falcatruas, que só mesmo sendo líder do governo e presidente do MDB, pra poder se segurar e se livrar das alfinetadas, até quando?

Em depoimento à Polícia Federal, o banqueiro José Augusto Ferreira dos Santos, que era controlador do Banco BVA, contou que embolsou 2,5 milhões que era para o Jucá, enviado pela Andrade Gutierrez, “provavelmente como propina”, disse o banqueiro. Por essas e outras tantas denúncias envolvendo Romero Jucá e outros, como este que está ao seu lado na foto, o Aécio Neves, que vai ficando cada vez mais difícil de se entender como, por exemplo, a suposição de um triplex ser do ex presidente Lula, o levar à condenação na segunda instância, enquanto figurões com tantas denúncias de envolvimento de corrupção, de forma brutal, até o momento intocáveis.