Esquerda europeia pede suspensão de acordos com Brasil por morte de Marielle


 Imediatamente após denunciar em palanque do Parlamento Europeu o assassinato da vereadora brasileira Marielle Franco, do PSOL, o partido espanhol Podemos ingressou uma carta à Comissão Europeia pedindo que o assassinato seja condenado e que a União Europeia suspenda as negociações comerciais desejadas pelo presidente Michel Temer de fechar um acordo de livre comércio com o Mercosul.
A informação é do jornalista Jamil Chade, do Estadão, que acompanhou de Genebra, na Suíça, a movimentação da reunião do Parlamento Europeu em Estrasburgo, no leste da França. Mais cedo, o ativista, deputado espanhol e um dos fundadores do Podemos, Miguel Urbán Crespo, ocupou a tribuna de Estrasburgo para denunciar o caso.
“Presidenta, esta noite, assassinaram a vereadora do PSOL, Marielle Franco, no Rio de Janeiro. Assassinaram uma ativista, feminista, defensora dos direitos humanos, anti-capitalista”, havia lamentado. “Desde aqui, nossa solidariedade a seus companheiros e suas companheiras e, sobretudo, nossa condenação firme desde o Parlamento Europeu a este clima de violência no Brasil”, completou.
Mas após a manifestação de apoio aos brasileiros e de condenação ao cenário de violência no país, o partido espanhol decidiu também enviar uma carta pedindo a suspensão das negociações entre a Europa e o Mercosul, como gesto de repreensão pela violência vivida no país latino-americano.
As negociações são de interesse do mandatário Michel Temer, o mesmo que decretou a intervenção federal no Rio de Janeiro, com o aumento da presença policial e militar nas ruas do Estado. Além do Podemos, assinaram o documento outros deputados que integram a Esquerda Europeia Unida.
“Pedimos para a Comissão uma suspensão imediata das negociações com o Mercosul até que haja o fim da violência e intimidação contra a oposição política e defensores de direitos humanos”, afirmou a aliança de 52 euro-deputados, segundo o repórter do Estadão. Matéria na íntegra do ggn.