Dallagnol sabia que Onyx estava envolvido em corrupção mas afirmou “fingir que não sabia”


O vazamento só aumenta e complica a vida do Deltan, e o que se espera é que depois de tantas descobertas de falcatruas que envolvem os nomes de Dallahnol e outros, inclusive o do Ministro da Justiça Sergio Moro, as providências cabíveis sejam tomadas, pois a sociedade não pode ficar assistindo o nome do Brasil ser jogado na lata do lixo e nada ser feito. A sociedade espera que a punição aos inimigos do Brasil e brasileiros, que têm contribuído ou, indo mais adiante, têm sido os principais responsáveis pela situação do país, na opinião de muita gente, não sejam punidos apenas com afastamento dos cargos. O STF e outros órgãos do Judiciário brasileiro têm que recuperar a credibilidade perante a opinião pública, pois nos últimos anos, essas instituições que representam a justiça brasileira, e que foi criada para agirem com coerência, têm deixado um parecer que a balança da justiça tem estado desequilibrada. As mensagens foram vazadas, são originais, o Intercept não inventou e o Brasil espera o desfecho de tudo. Até aqui café com Leite Notícias.

 

 

Deltan Dallagnol confessou que já sabia que Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil de Bolsonaro, estava envolvido em corrupção. Mesmo assim, fez vista grossa e manteve o trabalho conjunto com o então deputado gaúcho, principalmente no documento “10 Medidas Contra a Corrupção”.Ele chegou a escrever num tweet que “tinha que fingir que não sabia” do envolvimento de Lorenzoni com corrupção. As novas revelações fazem parte da Vaza Jato e foram divulgadas no começoa da tarde desta segunda pelo Intercept

 

Novos trechos de mensagens da Vaza Jato, divulgados pelo The Intercept no começo da tarde desta segunda-feira, revelam que o procurador chefe da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, já sabia que o então deputado Onyx Lorenzoni, atual chefe da Casa Civil de Bolsonaro, estava envolvido em esquemas de corrupção, mas fechou os olhos para levar a cabo a sua cruzada no suposto “combate à corrupção”.

Em conversa num grupo de procuradores, Deltan é indagado por Fábio Oliveira: “Vc viu que saiu o nome do Onyx na lista do Fachin hj?”. Ele se refere à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, que em 4 de dezembro, atendeu pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de uma petição autônoma específica para analisar as acusações de caixa dois feitas por delatores da JBS ao, na época, futuro ministro da Casa Civil.

“Vi… (já sabia, mas tinha que fingir que não sabia, o que foi, na verdade, bom…rsrsrs)”, respondeu Dallagnol. “Não que não quisesse falar, mas se falasse seira até crime rs”, completou.

O procurador admite que seguia trabalhando com Onyx, que era o lobista das 10 Medidas Contra a Corrupção, projeto que criado pela Lava Jato, mesmo após descobrir denúncias de corrupção.

Onyx é foi “perdoado” por Sergio Moro apenas porque admitiu que errou e pediu desculpas, segundo o próprio ex-juiz e hoje ministro da Justiça.

“Eu já me manifestei anteriormente. É uma questão de Onyx. O que vejo é um grande esforço [do ministro Onyx] para a aprovação das 10 medidas do Ministério Público, razão pela qual foi abandonado por grande parte de seus pares. Ele tem minha confiança pessoal”, disse Moro em dezembro de 2018.

Com informação do brasil 247.