Como sempre, mentiras e mentiras: Redes bolsonaristas dizem que intervenção do presidente na Petrobras foi para tirar “funcionários comunistas ligados a Zé Dirceu”


A mais nova fake news bolsonarista

Após Jair Bolsonaro demitir o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e indicar para o seu lugar o general Joaquim Silva e Luna, circula nos grupos bolsonaristas de WhatsApp e Facebook uma teoria da conspiração sobre a troca no comando da estatal.

Os apoiadores do presidente estão espalhando que a empresa tinha um “ninho de petistas e comunistas” e que o “plano foi descoberto”.

É preciso que a população brasileira aprenda a discernir de uma vez por todas o que é mentira e verdade, para que seja recuperado o que se perdeu por acreditar em tantos fake news . Cadê o kite gay? e o que tinha na tal da caixa preta do BNDS, que uma empresa americana recebeu do governo brasileiro (dinheiro do povo) 48 milhões para abrir essa dita caixa preta e nada anormal encontrou? Até quando o povo brasileiro em parte, vai aceitar mentiras e mais  mentiras para enganar o povo e afundar o Brasil? Vejam o que estão inventando para justificar a intervenção da Petrobras.

Pessoal, vocês sabem por que Bolsonaro trocou o presidente da Petrobras?”, pergunta uma seguidora. “Na empresa tem um ninho de petistas e comunitas (sic) e o plano era aumentar os combustíveis toda semana para fazer com que os caminhoneiros fizessem greve e o povo se revoltasse contra o governo”, denuncia.

O Brasil e brasileiros precisam é ver obras de impacto ser ao menos iniciadas. Até agora só se falou em vender as riquezas do país e dar armas para os bolsonaristas. Claro, gente de esquerda, além de ser uma classe com menos poder aquisitivo para comprar armas, ainda é contra, na sua maioria, a liberação da arma quase que aleatoriamente. Pelo contrário, os esquerdas, que pensam mais no futuro das crianças brasileiras, preferem uma campanha de trocar uma arma por um livro para melhorar esse país.

Mas siga em frente lendo as fake de fazer nojo…

Até o nome de José Dirceu, chefe da Casa Civil durante o Governo Lula, é citado nas fake news. Uma mensagem que tem sido muito compartilhada via WhatsApp diz o seguinte:

“Nesse momento: mais de 300 funcionários ligados a José Dirceu foram demitidos da Petrobras. Um andar inteiro foi esvaziado para acomodação de militares e Polícia Federal.”

Na verdade, o atual presidente da estatal ainda não deixou o cargo. Ele já avisou a pessoas próximas que não está disposto a renunciar e cumprirá o mandato de dois anos até o dia 20 de março.

Um dos bolsonaristas narra um cenário apocalíptico na empresa e inventa que todos os funcionários estão se demitindo, graças à “quadrilha petista”.

“Vocês não têm noção do furacão aqui no DF. Está caindo diretor, supervisor, funcionários, igual manga madura no pé. O expurgo na Petrobas tá gigante, sem falar que várias descobertas cabulosas vindo à tona, muitos com raízes fincadas na quadrilha petista”, diz.

Os apoiadores do presidente acreditam que o general indicado por Bolsonaro vai “fazer uma faxina” na Petrobras e que os militares vão “mudar o Brasil de forma estratégica”.

Com montagens toscas e mensagens em caixa alta, inventam que os “petistas infiltrados na estatal” ganhavam “rios de dinheiro inflacionando o preço dos combustíveis”.