Borracheiro do Posto Safra morre atropelado na Reta da Coalhada


14805463_925640864204419_1620052134_n
Foto/Diário do Entrocamento

 

Francisco Lopes que trabalhava de Borracheiro no posto Safra, BR 116,  morreu na noite de domingo (23) na BR-116, vitima de atropelamento numa localidade conhecida como Reta da Coalhada, próximo à Serra do Mutum,  perímetro do município de Jaguaquara.  Ninguém soube informar se o borracheiro, que residia no povoado de Baixão, município de Jequié  estava bebendo na noite do atropelamento.

A notícia pára aqui, mas o texto continua: Vale lembrar e é muito bom que as pessoas, tanto motoristas quanto pedestres, saibam e tomem consciência, que em 99% dos acidentes, sejam atropelamentos ou colisões, ha sempre um culpado, onde, ainda que seja uma falha mecânica, tanto nos freios como direção ou pneus, que são as peças de mais frequências em falhas mecânicas, ainda assim o condutor leva culpa, pois é muito difícil acontecer falhas mecânicas sem antes apresentar algum tipo de citoma. Vidas vão se acabando por aí a fora, pelas pessoas viverem aleatoriamente, sem ter conhecimento e consciência dos perigos que há em cada esquina, em cada curva e em todos o cantos. Por outro lado, o Estado falha em não ter uma política de conscientização, mas sim uma ditadura, onde lança obrigações para o condutor ou ele pagará multas. Vai aqui uma sugestão: Anexar um espaço ao documento do carro, que possa informar de forma bastante introdutória, sobre a forma correta de se conduzir um veículo, que, aos poucos o condutor vai se conscientizando. Afinal, de tanto a água pigar numa pedra terminou fazendo um buraco na mesma.

A equipe do jornal e blog Café com Leite está sempre fazendo valer o poder da imprensa, porém fugindo do sensacionalismo, mas buscando passar uma informação que contribua para o desenvolvimento de um povo e de um país. O dever do Estado é colocar placas de sinalização adequadas para o motorista e o dever do motorista é respeitá-las. Com esses dois deveres cumpridos muitas vidas que se foram teriam sido polpadas. Quem sabe a de Francisco Lopes poderia ser uma.