Bolsonaro sanciona novo Código de Trânsito: CNH vai a 10 anos e pontos até 40


Trânsito lento nos dois sentidos da avenida 23 de maio.

A nova lei de trânsito pode até facilitar a vida do motorista , porém as vidas de um modo geral passa a correr mais riscos. Um dos itens que não terá mais a obrigatoriedade, que é acender os faróis baixos em rodovias durante o dia, fez diminuir consideravelmente a quantidade de acidentes nas estradas. Com o fim da obrigação de acender tais faróis, pode começar uma nova etapa de acidentes.

Em conversa com um vendedor de uma grande loja de automóvel, ao perguntar o porque da maioria dos carros na atualidade ser da cor prata, ou seja, da cor do asfalto, sendo que nem é uma cor bonita, bem como o retrovisor que engana em relação à distância do veículo atrás e mais o pedal do do freio que tambem faz embregem do carro automático ser mais largo, a resposta do vendedor, depois de pensar um pouco, pasmem,  foi, “deve ser porque quem está mandando nas mentes de quem faz assim é o capeta”. Rsrsr. Agora vem o presidente e acaba com a obrigação de acender os faróis durante o dia em rodovias.

Sobre os motoqueiros continuarem trafegando pelos corredores, nada a dizer, mas sim fazer aqui um apelo para quando passarem no meio de dois carros  que estão mais juntos, ao invés de quebrarem os retrovisores com os pés, que passem mais devagar e com cuidado e, se quiserem, pedir para que o condutor do carro deixe o corredor livre. Pois, do jeito que o mundo anda cheio de doidos com o grau de psicopatismo elevado, e a onda de andar armado ajudando, o motoqueiro corre o risco de levar um tiro pelas costas. Fica a dica.   Até aqui Café com Leite. 

Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira (13) a sanção do projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional que atualiza o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A lei aumenta a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para até 10 anos e o limite de pontos para a suspensão da carteira para até 40. A sanção foi antecipada por Bolsonaro em transmissão nas redes sociais, à noite, a Secretaria-Geral da Presidência divulgou detalhes sobre trechos vetados.

O texto com as novas normas da legislação de trânsito deve ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, mas as regras só entram em vigor em abril de 2021. Bolsonaro já anunciou que vai vetar o trecho do projeto que impedia os motociclistas de efetuarem ultrapassagens nos “corredores” entre os carros.

Principais mudanças no novo Código:

Maior validade da CNH

Em relação ao tempo para renovação do documento fica definido o seguinte: 10 anos para condutores com menos de 50 anos; 5 anos para condutores com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos; 3 anos para condutores com 70 anos ou mais.

Pontuação maior para perder carteira

Sobre as alterações na pontuação para suspensão de dirigir fica estipulado:  20 pontos, caso constem 2 ou mais infrações gravíssimas na pontuação; 30 pontos, caso conste 1 infração gravíssima na pontuação;  40 pontos, caso não conste nenhuma infração gravíssima na pontuação. No caso de o condutor exercer atividade remunerada utilizando-se do veículo, a penalidade será imposta quando o infrator atingir o limite de 40 pontos.

Faróis

Acaba a obrigatoriedade do uso de farol baixo em rodovias durante o dia. Com o novo texto do Congresso, isso será exigido apenas em rodovias simples fora do perímetro urbano, ou seja, aquelas sem canteiro central e com divisão das faixas de direção por meio de sinalização no chão.

Em alguns sites a notícia é que a obrigatoriedade do uso do farol aceso continue, mas apenas em pistas urbanas não. É preciso mais pesquisa e informação, pois acaba de sair as primeiras informações sobre as mudanças.

Outras regras

Além disso, a partir de agora, em casos de lesão corporal e homicídio causados por motorista sob efeito de álcool ou outro psicoativo a pena de reclusão não poderá ser substituída por outra mais branda, ou seja, ‘restritiva de direitos’. O exame de aptidão física e mental passa a ser realizado no local de residência ou domicílio do examinado.

Fonte 247