Bolsonaro diz que pode aceitar ajuda, mas exige que Macron ‘retire insultos’


Cafe com Leite Notícias: O Problema é que o próprio presidente Jair Mecias Bolsonaro, com a sua fala, acaba com a sua moral, o seu perfil de presidente e com as possibilidades de uma boa parceria com outros países. Todo seu discurso é com arrogância e ódio. Seja pra falar com lideranças políticas do Brasil ou de outros países, com exceção do Tramp, o tom é sempre de que não precisa de ninguém.  Na matéria abaixo, ele exige do Macron, presidente da França, pedido de desculpas, para então poder aceitar a ajuda, sendo que ele. (oBolsonaro) não quer pedir desculpas sobre o que o governo brasileiro falou da Primeira Dama francesa.
Pode ser que o Macron, por outros interesses, aceite pedir desculpas, mas tenham certeza que não vem coisa boa pro o Brasil, pois o governo brasileiro colocou o seu país à venda e o que todos sabem é que o mundo está de olho na imensa riqueza do Brasil.

Bolsonaro diz que pode aceitar ajuda, mas exige que Macron ‘retire insultos’

(Arquivo) O presidente Jair Bolsonaro afirmou que seu colega francês Emmanuel Macron “disfarça suas intenções” por trás de seus pedidos para salvar a Amazônia – AFP/Arquivos

O presidente Jair Bolsonaro disse na manhã desta terça-feira, 27, que pode reconsiderar decisão da véspera e aceitar a ajuda emergencial do G-7 caso o presidente da França, Emmanuel Macron, retire “insultos” contra ele e a ideia de que a internacionalização da Amazônia está “em aberto”. Bolsonaro não demonstrou, no entanto, qualquer intenção de pedir desculpas à primeira-dama francesa, Brigitte. Na segunda-feira, 26, o Palácio do Planalto informou oficialmente que vai recusar os 20 milhões de euros anunciados por Macron em nome dos países que formam o G-7.

“Primeiramente, o seu Macron tem que retirar os insultos que fez a minha pessoa. Ele me chamou de mentiroso. E, depois, informaram, que a nossa soberania está em aberto na Amazônia. Para conversar ou aceitar qualquer coisa da França, que seja das melhores intenções possíveis, ele vai ter que retirar essas palavras e daí a gente pode conversar”, declarou Bolsonaro. “Primeiro, ele retira. Depois, oferece ajuda. Daí eu respondo”, reforçou.

Bolsonaro questionou até mesmo anúncio oficial feito pelo Palácio do Planalto com a recusa dos recursos do G-7 pelo Brasil. “Eu falei isso? Eu falei? O presidente Bolsonaro falou?”, reagiu. Indagado se ainda cogita receber a quantia, ele falou que a imprensa “vai ter uma surpresa hoje” na reunião que ele fará com governadores da região amazônica, no Palácio do Planalto, às 10h. “Tudo tem um preço. Eu disse há poucas semanas que estavam comprando à prestação a Amazônia. Vocês vão ter a resposta.”

Após dois minutos de entrevista, Bolsonaro encerrou a conversa com jornalistas nesta terça por causa de perguntas sobre um possível pedido de desculpas à primeira-dama francesa. Ele disse que não colocou a foto que zombava Brigitte e justificou que pediu para o responsável não “falar besteira”.

No final de semana, o presidente brasileiro reagiu com risadas a um comentário em que um seguidor da sua página no Facebook postou fotos dos chefes de Estado com suas respectivas primeiras-damas, afirmando que o mandatário francês teria inveja de Bolsonaro porque sua esposa é 24 anos mais velha do que ele. “Não humilha cara. Kkkkkkk”, escreveu Bolsonaro em rede social como resposta ao apoiador.

Ao ser indagado se pretende pedir desculpas, Bolsonaro ficou irritado com jornalistas e encerrou a conversa. “Se continuar pergunta desse padrão vai acabar a entrevista. Meu comentário era para não insistir nesse tipo de postagem. Realmente, o jornalismo, vocês não merecem consideração.”

Com informação da ISTOÉ.