Bolsonaro declara guerra ao crime, mas esquece dos milicianos ligados ao filho Flávio


Sem fazer qualquer menção às denúncias de que o filho Flavio Bolsonaro empregou parentes de milicianos no seu gabinete na Assembléia Legislativa do Rio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em mensagem ao Congresso Nacional que o governo brasileiro declara “guerra” ao crime organizado, informa o G1.

A mensagem, entregue nesta segunda-feira (4) pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi lida pela primeira-secretária do Congresso, deputada Soraya Santos (PR-RJ), na sessão de abertura do ano legislativo.

Mais cedo, nesta segunda, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou um pacote com propostas anticorrupção e antiviolência.