Bill Gates constrói 7 fábricas pra acelerar produção de vacinas: covid-19


Foto: divulgação/TED
Foto: divulgação/TED

Bill Gates anunciou que ele e sua fundação estão acelerando o esforço de resposta ao COVID-19 construindo fábricas para todas as 7 vacinas mais promissoras atualmente em desenvolvimento – mesmo que apenas uma ou duas delas provavelmente sejam produzidas.

O anúncio foi feito durante uma etnrevista com Trevor Noah, do Daily Show, nesta semana.

“Como nossa fundação tem uma experiência tão profunda em doenças infecciosas, pensamos na epidemia, financiamos algumas coisas a serem mais preparadas, como um esforço de vacina”, disse Gates.

“Nosso dinheiro inicial pode acelerar as coisas.”

Gates diz que ter instalações prontas para qualquer um dos tratamentos provavelmente acabará salvando milhares de vidas a longo prazo.

“Mesmo tendo que escolher apenas duas delas, vamos financiar fábricas para todas as sete”, disse ele.

Em um artigo publicado no The Washington Post na semana passada, Gates acrescentou:

“Para acabar com a doença, precisaremos de uma vacina segura e eficaz.

Se fizermos tudo certo, poderíamos ter uma em menos de 18 meses – o mais rápido que uma vacina já foi desenvolvida.

“Podemos começar agora construindo as instalações onde essas vacinas serão feitas. Teremos que construir instalações para cada um deles, mesmo sabendo que algumas não serão usadas.

“Em 2015, pedi aos líderes mundiais em uma conversa do TED que se preparassem para uma pandemia da mesma maneira que se preparam para a guerra – executando simulações para encontrar as falhas no sistema.

Como vimos este ano, ainda temos um longo caminho a percorrer ”, escreveu Gates.

“Mas ainda acredito que se tomarmos as decisões corretas agora, informadas pela ciência, dados e pela experiência de profissionais médicos, poderemos salvar vidas e fazer com que as pessoas voltem ao trabalho”.

Esta não é a primeira iniciativa que a Fundação Gates tomou para combater o novo coronavírus.

No início de março, a fundação doou US $ 100 milhões para identificar, avaliar, desenvolver e ampliar os tratamentos para o vírus.

Com informações do GNN