Os ouvidos têm paredes: bolsominions não se importam com Bolsolão. Por Nathalí Macedo


Não vale se iludir: a denúncia contra a campanha de Jair Bolsonaro, que teria recebido 12 milhões de empresários para espalhar notícias falsas pelo WhatsApp, sequer abala as estruturas da paixão dos fãs desta figura esdrúxula.

campanha do presidenciável tem seus alicerces na mentira – diria vovó, mentiras têm pernas curtas! – e não é a primeira vez que a dita (dita pelos eleitores anti-verdade, é claro) honestidade de Bolsonaro é escandalizada: os 200 mil da JBS, atabalhoadamente explicados; a história cabeluda do roubo à ex-mulher, depois desmentida na imprensa sob nítida pressão; a funcionária fantasma do quiosque de açaí… nenhum escândalo foi capaz de convencer o eleitor convicto, porque, admitamos: eles não querem ouvir a verdade.

O projeto de demonização do PT – que tem tudo a ver com o crescimento vertiginoso da onda bolsonarista no Brasil – não é coisa recente, e foi um trabalho tão bem feito (pelos mesmos veículos hoje chamados de comunistas pela extrema direita), que deu no que deu: para a opinião pública que não é politicamente esclarecida, PT é sinônimo de corrupção, e, diante disso, o resto é fichinha.

Ledo engano: o desenho da campanha e sobretudo das alianças de Bolsonaro não revela apenas sua inclinação autoritária e despreparada, revela uma verdadeira orquestração das elites que envolve gente da pior estirpe: empresários, latifundiários e militares.

Dá pra pensar em um triplo casamento mais nocivo do que esse?

Há muito tempo os argumentos antifascistas não são suficientes para dissuadir os fãs de Bolsonaro: as palavras nazismo, autoritarismo e ditadura já não assustam.

Ninguém vota em Bolsonaro porque ninguém, de fato, sabe quem ele é. As pessoas votam no personagem que uma parcela nefasta da elite antipetista criou. Fonte DCM.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Menino tem reação linda após irmã se machucar no basquete: vídeo


Fotos: reprodução / Twitter
Fotos: reprodução / Twitter

 

Nesse momento de tanta tensão no Brasil, onde o ódio foi espalhado entre a nação, que tal a gente curtir um ato de amor da mais pura naturalidade, capaz de nos fazer refletir o tempo de criança, onde todos brincavam sem maldade, mas muitas vezes com amor, principalmente entre irmãos.

É preciso que o amor resista aos nos tempos obscuros! Um vídeo mostra a reação linda de um menino ao ver a irmãzinha errar na cesta de basquete e se machucar com a bola, que bate no nariz dela.

O pequeno dá um beijinho no nariz dela e a conforta: “Está tudo bem! Você é forte”.

Depois de dar “um força” para a irmã, ele busca a bola, dá nas mãos dela novamente, pega a menina no colo e a ajuda a fazer a cesta. (Vídeo abaixo)

Em seguida, o choro passa, a família que estava gravando comemora a cesta, a menina ri e ganha mais três beijinhos do irmão.Nossa, muito lindo isso. Esqueça o ódio do seu conterrâneo nesse momento. Todos querem apenas um mundo melhor. Com calma e com amor fica mais fácil de discernir as coisas.

O vídeo do casal de irmãos foi postado no Twitter, no último domingo, 14, pelo internauta que se identifica como @Jalalt1. O post já teve mais de 10 milhões de visualizações.

Ele diz: “Brother of the year! You’re strong”- “Irmão do ano. Você é forte”, em tradução livre.

Ele identifica as crianças como a jogadora de basquete e o líder de torcida.

História

Primeiro o garotinho incentiva a irmã a acertar a cesta: “JOGA!”, grita ele.

Na ponta dos pés, a menina se esforça pra chegar perto da cesta com a bola. Mas acaba errando e a bola cai em cima do nariz dela.

Aí começa a verdadeira cena de amor, linda de se assistir: Fonte Só Notícias boas.

 

Casais que se “zoam” e fazem brincadeiras são mais felizes


Foto: pixabay

 

Relacionamento pra dar certo é preciso ter “zoação”, brincadeiras… Não se trata de bullying, é bom humor e leveza entre os dois parceiros.

Foi o que constatou um pesquisa feita por psicólogos da Universidade Luterana de Halle-Wittenberg, na Alemanha, e publicada no Journal of Research in Personality.

Namorados e casais que aceitam ser “zoados”, um pelo outro, têm mais facilidade para rirem de si mesmos, assim, são mais felizes no dia a dia.

Os cientistas descobriram ainda que as pessoas que têm medo de serem ridicularizadas confiam menos em seu parceiro e tendem a ter menos conteúdo no dia a dia para trocar com ele.

Alguns indivíduos – principalmente homens – disseram também que frequentemente não se sentem satisfeitos com sua vida sexual quando a cônjuge não aceita que tire sarro dela.

Senso de humor

“Estudos anteriores mostraram que as pessoas estão procurando um parceiro com senso de humor e que gosta de rir”, disse o professor René Proyer da universidade em um comunicado.

Os pesquisadores chegaram, ainda, à conclusão que casais parecidos geralmente têm mais assunto no dia a dia do que aqueles que são menos parecidos.

“Descobrimos que os parceiros são muitas vezes semelhantes em relação às suas características individuais e também seus perfis”, acrescentou o co-autor do estudo, Kay Brauer.

Em outras palavras, tudo depende da compatibilidade entre o casal.

Alerta

Se um parceiro gosta de tirar sarro e a outro não se sente confortável com isso, o relacionamento por estar fadado a ter problemas.

Agora, se os dois gostam de “zoar” um ao outro, ou se ambos não curtem esse tipo de atitude, tudo bem.

Se a sintonia é a mesma entre o casal, a relação tem mais chances de dar certo.

O estudo foi feito com 154 casais heterossexuais da Alemanha.

Com informações da Galileu

Haddad cresce e chega a 46% dos votos válidos; Bolsonaro cai para 54%


No total de votos, contando brancos, nulos e indecisos, Haddad tem 37% contra 43% do capitão da reserva. Segundo a pesquisa, 12% declararam que votarão em branco ou nulo e 8% ainda estão indecisos.

A mais nova pesquisa Vox Populi, divulgada nesta sexta-feira (19) mostra um crescimento da candidatura de Fernando Haddad (PT) na reta final do segundo turno das eleições presidenciais. O petista aparece com 46% dos votos válidos, enquanto o oponente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 54%, na pesquisa espontânea. Na pesquisa estimulada, quando são mostrados os nomes dos candidatos, o petista tem 47% dos votos válidos, contra 53% do militar.

No total, contando votos brancos, nulos e indecisos, Haddad tem 37% contra 43% do capitão da reserva. Segundo a pesquisa, 12% declararam que votarão em branco ou nulo e 8% ainda estão indecisos.

Por região
Na pesquisa espontânea por regiões, Haddad marca 55% da preferência do eleitorado nordestino, contra 27% de Bolsonaro. O capitão da reserva fica à frente nas demais regiões. No Sudeste, marca 49%, contra 28% do petista, no Sul, 53% a 33%, e no Centro Oeste/Norte, 45% a 34%.

Mudança de voto
Segundo o Vox Populi, entre os eleitores que definiram seu voto, 8% ainda podem mudar de ideia e outros 3% dizem que não há nada decidido e “podem mudar de ideia até amanhã” – 89% dizem que não pretendem mudar de ideia.

Rejeição
Em relação à rejeição, os dois candidatos estão empatados tecnicamente. De acordo com a pesquisa, Haddad é rejeito por 41% dos eleitores ouvidos, enquanto Bolsonaro tem índice de rejeição de 38%.

A pesquisa ouviu 2 mil eleitores entre os dias 16 e 17 de outubro em 120 municípios de todos os estados e o Distrito Federal. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Fonte Jornalistas Livres.

Reviravolta na eleição presidencial do Brasil, vê imprensa internacional


 

Os principais jornais do mundo — New York Times, The Guardian, Le Monde, etc. — veem reviravolta na disputa presidencial do Brasil após o “Bolsolão”, o uso de caixa 2 na campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para espalhar notícias falsas pelo WhatsApp.

O escândalo denunciado por uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo foi amplamente reverberado pelo candidato do PT, Fernando Haddad, durante uma coletiva à imprensa internacional.

“As acusações seguem uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, dizendo que empresários ligados ao congressista Jair Bolsonaro financiaram a disseminação de notícias falsas no serviço de mensagens WhatsApp para beneficiar sua candidatura”, registrou o New York Times.

A fraude eleitoral cometida por Bolsonaro também foi destaque no britânico The Guardian, que estampou as relações polêmicas do ex-chefe de campanha de Donald Trump, Steve Bannon, com o atual marketing político do ex-militar. O jornal descreve Bannon como “o sabotador da democracia” que “assumiu um papel de protagonista na eleição presidencial, cada dia mais antagônica, do Brasil”.

Para o francês Le Monde, a reportagem da Folha intitulada “As empresas financiam o envio de mensagens anti-PT nas redes sociais” causou um alvoroço nas campanhas e pode marcar uma reviravolta na eleição do segundo turno.

Se a corrupção eleitoral de Bolsonaro chamou a atenção da imprensa mundial, que sente o cheiro de reviravolta no ar, a TV Globo não deu importância ao fato. O principal telejornal da emissora dos Marinha — o Jornal Nacional — citou a burocraticamente a ocorrência. Fonte Blog do Esmael.

 

Quatro parágrafos sobre o Comunismo. Texto muito interessante.


Mitos sobre quem sonha e luta por uma sociedade com justiça, democracia e liberdade.

Muito “normal” parte do povo brasileiro deturpar as informações e confundir muitas coisas, Inclusive monstros com ovelhas, quando a informação até ele chega toda na contramão da realidade. Quando se fala a palavra comunismo ou comunista, se pensa logo em algo monstruoso e que representa insegurança para a sociedade. O bom mesmo é cada um entender o que é cada coisa que causa intriga, mesmo sem conhecer o significado, para então conhecer o significado. Se uma pessoa parte um bolo em pedaços iguais para um determinado número de pessoas e tem o cuidado de nem um ficar sem comer do bolo, ele está sendo um comunista. Seria uma espécie de pensar no próximo, o que é algo que, em muitos casos, é um pouco difícil. Até aqui Café com Leite Notícias.

 

 

Por: Leonardo Koury* | Especial para os Jornalistas Livres

Nos últimos tempos me senti provocado quando ao falar que acredito no comunismo tornou-se algo assustador ou abominável para quem escutasse. Uma amiga, por sua vez, me encorajou em descrever sobre esta escolha.  Em quatro parágrafos tentarei trazer elementos do nosso cotidiano que reforçam a necessidade de construir o comunismo como alternativa à barbárie do lucro sobre as pessoas.
Os comunistas são mais antigos do que o próprio conceito. Jesus era comunista, não assuste! Aquele que divide o pão em partes iguais procurando a fraternidade e a solidariedade ao invés de ganhar algo em troca de sua atitude, não é capitalista. No século passado, um importante filósofo francês Deleuze descreve a principal diferença entre a esquerda (comunista, socialista, etc.) e os capitalistas (em suma os ricos) é que aos capitalistas é necessário primeiro crescer o bolo (a economia) para depois repartir. Quanto aos da “esquerda” é necessário o contrário, só se cresce o bolo dividindo.
Dom Pedro Casaldáliga, conhecido por sua generosidade e suas visões políticas,  dizia que na dúvida fique com os pobres. É necessário esclarecer que a economia é uma ciência e por sua vez sua construção se difere do conceito de finanças. Assim como é fundamental reconhecer que os pobres não são culpados por sua pobreza e nem por estarem sobre esta condição, os mesmos não terão forças para supera-la. Aos economistas do capital  a pobreza é natural e só é superada apenas pelo mérito. Que mérito é esse? Nascemos presos nas correntes da escravidão do dinheiro sem ter o direito de termos oportunidades iguais. Claro se quiserem argumentar sobre a economia de Cuba, primeiro vejam os dados sobre a pobreza no Brasil e nos Estados Unidos e depois falaremos sobre meritocracia e oportunidades.
Mas vamos terminar este breve texto falando de amor. O modelo do amor no capitalismo esta vinculado ao que se têm (e não o que somos) como a propriedade, condição econômica, bens materiais e aparência. E nisso, não tenho dúvidas, o amor no comunismo é lindo porque não tem preço, não somos mercadoria. Sou comunista porque amo gratuitamente toda forma de vida, e por crer que nenhuma vida vale mais que a outra. O planeta, o povo, nossas cores e diversidade não podem servir para a usurpação do interesse dos poderosos. Amor não é interesseiro, pois quando o amor é comum, é coletivo, é gratuito não será o pão ou o bolo que ao se repartir se acabará, ao contrário ao repartir ele cresce. Que o amor seja uma expressão do nosso comum. Matéria do Jornalistas Livres.
Leonardo Koury* é Professor, Assistente Social e militante da Frente Brasil Popular.

CARTA ABERTA AOS PASTORES E IGREJAS QUE APOIAM BOLSONARO


Carta do bispo Hermes C. Fernandes aos líderes evangélicos

Senhores (as) líderes evangélicos, graça, paz e discernimento!

 

As eleições se avizinham, e boa parte dos pastores de nosso país tem manifestado seu apoio à candidatura de Jair Bolsonaro. A maioria alega ser ele o que melhor representa os anseios do povo evangélico, principalmente devido ao seu discurso favorável à família tradicional e aos valores morais tão caros ao cristianismo.

De repente, sinto-me como se houvesse viajado no tempo e revivesse os dias da guerra fria, quando o mundo se via ameaçado pela eclosão de uma guerra nuclear envolvendo as duas potências mundiais: A União Soviética e os Estados Unidos. Colegas vociferam de seus púlpitos sobre o perigo do comunismo que ronda a nossa sociedade. Pergunto-me em que mundo estamos vivendo, afinal? Qualquer um que levante sua voz a favor do pobre, do excluído, do oprimido, logo é tachado de esquerdopata, comunista, “agente do inferno”, e coisa parecida.

Os senhores já pararam para se perguntar sobre o que estaria por trás deste discurso ultraconservador? Há uma onda conservadora varrendo a Europa e os EUA, suscitando velhos rancores contra os imigrantes, os homossexuais, as minorias, a classe operária, etc.

No meio desta avalanche de intolerância, eis que uma voz destoante se faz ouvir mundo afora. Não de um pastor como foi nos dias de Luther King nos EUA, ou de Bonhoeffer na Alemanha, mas de um Papa, líder da instituição mais conservadora do mundo. Por ironia, justamente o primeiro Papa latino-americano se levanta contra tudo e contra todos os que insistem em ressuscitar um discurso que há décadas parecia ter sido abandonado e enterrado. Enquanto isso, a igreja evangélica, que por tanto tempo esteve na vanguarda na luta pelos direitos humanos passa a se aliar com o que há de mais retrógrado e ultrapassado. Que vergonha! Tudo em nome de nossos escrúpulos moralistas.
Conseguiram a façanha de diluir o puro Evangelho da graça num discurso de ódio e intolerância.
Esquecemo-nos dos colegas que foram perseguidos, torturados, e, alguns até mortos e desaparecidos, durante o regime militar. Justificamo-nos no fato de que o tal candidato defenda os mesmos valores. Será que ser a favor da tortura soa menos cruel quando se é contrário ao aborto? Será que ser a favor do armamento da população condiz com o que foi ensinado por Jesus? Afinal, bem-aventurados são os pacificadores ou os que pretendem armar a população? Ser pela família tradicional abona a conduta de quem se revela contrário aos direitos trabalhistas conquistados a duras penas? Se você, pastor, é contra tais direitos, recomendo que não aceite mais dízimos de décimo-terceiro ou de férias de seus membros.

Não ajamos como o profeta Natan que encorajou a Davi a construir o templo, afirmando-lhe categoricamente que Deus o havia escolhido para aquela empreitada. Porém, o Senhor não o tinha autorizado a fazer tal coisa, de modo que, mesmo constrangido, teve que retornar ao rei e dizer-lhe a verdade. Por causa do sangue que havia em suas mãos, Deus não o designou para edificar Sua casa, ainda que já houvesse levantado todos os recursos para tal, e recebido do Senhor a planta, caberia ao seu sucessor tocar a obra.

Quem somos nós para abençoar o que Deus não abençoou? Quem somos nós para encorajar o que contraria frontalmente a Sua vontade?

Sei que muitos alegarão que tudo não passa de manipulação da mídia esquerdista. Mas basta assistir aos inúmeros vídeos de discursos e entrevistas do candidato para verificar que exatamente assim que ele pensa. Ele mesmo afirma que o trabalhador terá que escolher entre ter seus direitos assegurados ou o emprego. Ele é quem diz com todas as letras que o Estado não é laico, mas cristão e que as minorias terão que se dobrar à vontade das maiorias. Ele diz que seria incapaz de amar um filho homossexual e que a homossexualidade é falta de p*rrada na infância. Diz que não empregaria uma mulher, já que esta engravida. Diz que educou seu filhos para que jamais namorassem negras. Diz que em seu governo os índios não receberiam nem mais um centímetro de terra. Se ele é a favor da família tradicional, por que disse que usava o apartamento para “comer gente”? Como defender quem diz que uma mulher não merecia ser estuprada por ser feia? Como apoiar quem defende o uso da tortura se somos seguidores de um Cristo torturado e morto numa cruz? Como apoiar quem diz que ordenaria que helicópteros metralhassem uma favela se os criminosos não se rendessem? Será que na favela só mora bandido? Com que cara visitaremos os presídios para pregar o amor de Cristo depois de apoiar que tem como slogan “bandido bom é bandido morto”?
O sangue de toda uma geração poderá cair em nossas mãos!

 

Se você é pastor de uma pequena congregação, talvez esteja indo na onda de grandes líderes que já manifestaram seu apoio a Bolsonaro. Não seja ingênuo. Muitos deles o fazem, não por convicção, mas por conveniência, movidos por interesses nem sempre louváveis (alguns até sórdidos). Lembre-se de quem nos considerou fiéis, pondo-nos em seu ministério (1 Timóteo 1:12), e que um dia, teremos que prestar contas (Hebreus 13:17).

Por isso, deixo aqui uma recomendação que deveria perturbar o sono de todos os que levam a sério o ministério pastoral:

“Pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. Não ajam como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho.” 1 Pedro 5:2,3
Não compete a pastor algum dizer em quem seu rebanho deve votar. Mas compete-nos instrui-los a reconhecer os riscos por trás de todo discurso de ódio e intolerância.

Jesus disse que enquanto o bom pastor dá a vida pelas ovelhas, o ladrão, ao ver o lobo, foge e deixa suas ovelhas à mercê do perigo. Portanto, cumpramos nosso papel. Pois cuidar das ovelhas que nos foram confiadas é a melhor maneira de dizer: TU SABES QUE TE AMO, SENHOR. Fonte: Jornalistaslivres.

Hermes C. Fernandes
Bispo Primaz da REINA

 

 

Festival Livre Canções de Agora canta a cultura de resistência a Belo Horizonte


No dia 24 de outubro, artistas como Pereira da Viola, Sérgio Pererê, Titane, Wilson Dias, Celso Moretti e outros, se apresentam no Armazém do Campo, em Belo Horizonte.

Foto: Agatha Azevedo | Jornalistas Livres
Entendendo a cultura como parte da disputa política do sensível e imaginável da sociedade, mais uma vez os artistas se entendem como vanguarda responsável por criar os sons e tons que serão tema das lutas do próximo período.
Para Pereira da Viola, é importante produzir uma música que “dialogue com a realidade que estamos vivendo, propondo novos conceitos e novos horizontes em um processo de libertação humana, para falar diretamente no coração das pessoas. Neste período de eleições, viemos demarcar território, sabemos para que serve a música que fazemos. “

Foto: Agatha Azevedo | Jornalistas Livres

 

Nesta primavera do lúdico e do poético, entram também os sonhos e a síntese dos sentimentos do povo trabalhador. É preciso se harmonizar para interpretar o mundo a partir das utopias de transformação da sociedade. Para recobrar a esperança, e alinhar a crescente vontade de se movimentar, a proposta do Festival Livre Cancoes de Agora é de criação musical, com letras que dialoguem com este momento.

Foto: Agatha Azevedo | Jornalistas Livres

 

“Esse Festival surge com o propósito inicial de construirmos de forma coletiva um lugar em que a gente possa dialogar com as novas linguagens artísticas e com a criação, que tem um potencial de transformação muito grande, que muitas vezes não tem um lugar para desaguar.”, explica Pereira da Viola
Entendendo a arte como alicerce da produção e articulação do Armazém, que alem da comida saudável, fruto da reforma agrária, faz florescerem vozes de luta e resistência, o Festival propõe inaugurar um novo espaço no Armazém, para a cultura e a formação, ampliando as iniciativas já existentes de aulas de dança, capoeira e ensaios.
Em meio à mistura de energias místicas e amor, o Armazém do Campo convida a todos e todas para disfrutar livremente da arte que se coloca contra o fascismo e o retrocesso. O Festival começa às 18h, na Av. Augusto de Lima, 2136, em frente ao Armazém do Campo, e é aberto a todos e todas.

Foto: Agatha Azevedo | Jornalistas Livres

Garanhão: HOMEM É ESPANCADO POR SETE NAMORADAS APÓS DESCOBRIR TRAIÇÃO – VEJA VÍDEO


Todas se relacionavam com ele mas sem saber que era ao mesmo tempo.

Santa Catarina – Um homem foi espancado pelas sete namoradas em Joaçaba, no Oeste de Santa Catarina, depois que elas descobriram a traição. Todas se relacionavam com ele mas sem saber que era ao mesmo tempo.

Revoltadas com a situação, elas chegaram a criar um grupo em um aplicativo de mensagens para planejar a vingança.

Algumas, com o relacionamento mais longo, chegavam a planejar casamento e teriam até comprado móveis e deixado na casa dele.

O homem se sentiu ameaçado com a situação e registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil. Ao saber do registro, as namoradas foram ao local e a polícia precisou conter os ânimos mais exaltados.

O homem é investigado por um suposto golpe envolvendo os móveis

Fonte: Anderson Nascimento – NewsRondonia

Dormir tarde colabora para má alimentação


Ficar acordado até tarde é um hábito que faz parte da rotina diária de muita gente. E um estudo realizado pelos pesquisadores da Universidade Northwesten revelou que dormir tarde tem relação direta com a má alimentação.

Dormir de madrugada pode colaborar para a má alimentação (Foto: Istock)

Dormir de madrugada pode colaborar para a má alimentação (Foto: Istock)

Relação entre dormir pouco e a má alimentação

A pesquisa avaliou a prática de atividades físicas e o cardápio de 96 pessoas com idades entre 18 e 50 anos que dormem mais de seis horas e meia por noite. O que foi identificado é que os analisados que dormiam por volta da 1 hora da manhã ingeriram alimentos menos saudáveis. Essas pessoas consumiram menos vegetais e mais fast food, além de praticarem menos exercícios físicos do que aqueles que dormiram mais cedo.

Apesar desse dado, o estudo mostrou que essa diferença na preferência alimentar, na alterou o IMC (índice de massa corporal) e a taxa de gordura do grupo de quem dormia até mais tarde. Os pesquisadores acreditam que uma possibilidade para essa explicação é que quem gosta da madrugada é geneticamente programado para ter uma taxa metabólica mais alta. No entanto, eles acreditam que, a longo prazo, o hábito pode levar ao ganho de peso, mesmo para quem tem o metabolismo acelerado. Por isso, vale sempre cuidar da alimentação.

Os autores do estudo acreditam que pequenas adaptações na rotina alimentar podem reduzir os efeitos negativos que uma noite de sono mais curta pode provocar.

Alimentos que podem ajudar no sono

Um outro estudo publicado no Journal of Clinical Sleep Medicine mostrou que ingerir alimentos ricos em fibras (como feijão e grãos integrais) ajudam a ter uma melhor noite de sono.

Os pesquisadores chamaram 26 voluntários (homens e mulheres adultos) para ficarem em um laboratório do sono por cinco noites. Nos primeiros quatro dias, os analisados precisaram seguir uma dieta controlada. Nos dois dias restantes, eles puderam visitar uma mercearia e comprar o que quisessem com 25 dólares. O que foi revelado é que sem a supervisão dos pesquisadores, os voluntários aproveitaram para ingerir mais gordura saturada, carboidratos e menos proteínas.

Quando os cientistas compararam as mudanças na dieta com o sono dessas pessoas, descobriram que quando ingeriam mais fibras, o sono era mais profundo. Outra constatação que fizeram foi a relação entre o consumo de gordura saturada e uma diminuição no sono profundo e restaurador. Isso quer dizer que quanto mais gordura consumir, menos horas de bons sonhos a pessoa tem.

Os estudiosos enfatizaram que a pesquisa está em fase inicial e que ainda é preciso determinar exatamente a quantidade de fibra extra é necessária ingerir para sentir os benefícios no sono. No entanto, não restam dúvidas de que uma alimentação balanceada só faz bem e, por isso, é essencial manter uma rotina alimentar saudável.

Marquezine confirma fim de namoro com Neymar: “decisão dele”


A atriz confirmou que o namoro terminou mesmo, mas não quis entrar em detalhes

Bruna Marquezine confirmou, na noite desta quinta-feira (18), que terminou mais uma vez o namoro com o atacante Neymar. “Foi uma decisão dele, mas não vou entrar em mais detalhes”, disse a atriz, convidada para o desfile de 30 anos da Le Lis Blanc, ao lado de Fiorella Mattheis e Mariana Rios, no Jockey Club de São Paulo.

Bruna Marquezine foi convidada para o desfile de 30 anos da Le Lis Blanc
Bruna Marquezine foi convidada para o desfile de 30 anos da Le Lis Blanc

Foto: Rosângela Espinossi / Elas no Tapete Vermelho

Marquezine apenas quis deixar claro que o motivo do fim do relacionamento não foi por divergência política. Ela afirmou que se posicionou sobre o assunto, pois está vendo muito ódio nas pessoas. “Nesse momento que o País vive, um momento difícil na política, quero deixar claro que o motivo não foi esse. Foi uma decisão dele (Neymar). É apenas isso que posso dizer”, completou.

Marquezine ao lado de Fiorella Mattheis e Mariana Rios, no Jockey Club de São Paulo
Marquezine ao lado de Fiorella Mattheis e Mariana Rios, no Jockey Club de São Paulo

Foto: Rosângela Espinossi / Elas no Tapete Vermelho

Brasileiro de 16 anos ex-aluno de escola pública vai para Harvard


Guilherme Rocha - Foto: arquivo pessoal
Guilherme Rocha – Foto: arquivo pessoal

Um estudante brasileiro de 16 anos conseguiu o que parecia impossível. Ele vai fazer um curso de verão sobre astronomia na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Guilherme Rocha é um dos estudantes incentivados pelo Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos (Ismart), que apoia desde 1999 jovens de baixa renda e tem parceria com diversas universidades norte-americanas e brasileiras.

A instituição cedeu bolsas de estudos ao adolescente e a outros três alunos, também brasileiros, para que passassem duas semanas de julho deste ano em Harvard onde vão aprender sobre os buracos negros e o modelo do Sistema Solar.

Guilherme estuda no 2º ano do Ensino Médio do Colégio Poliedro, em São Paulo.

“Os professores de lá me tratavam como se eu fosse um aluno da graduação”, diz Guilherme em entrevista à Gallileu.

Para fazer o curso de verão em Harvard, o jovem também precisou disputar sua vaga junto com outros estudantes de todo o mundo.

“Fiz uma prova, teste de proficiência em inglês para conseguir o certificado TOEFL, além de duas redações e uma entrevista final”, conta ele.

Ao todo, foram seis meses de preparação para as avaliações. O estudante teve o apoio do Ismart para ajudá-lo a melhorar seu inglês e se preparar para as provas em Harvard.

Foi também por meio da organização, que conta com o apoio financeiro de empresas e filantropos, que Guilherme ganhou uma bolsa integral para deixar sua antiga escola pública na Vila Itaim, na zona leste de São Paulo, para cursar o ensino médio no colégio particular no qual está hoje.

“Minha escola antiga também era boa, mas a diferença hoje é que eu estudo mais e tenho mais responsabilidade, além de ter que conviver com pessoas muito diferentes de mim”, afirma.

Outro sonho

Guilherme tem mais um sonho: estudar física na Universidade de Yale, também nos EUA, para dar aula em escolas públicas no Brasil.

Nos últimos anos ele vem preparando o seu currículo para ser aceito na faculdade, cujo processo seletivo é um diferente das instituições brasileiras: são realizados testes padronizados e de proficiência em inglês, análise de currículo acadêmico, envio de cartas de recomendação e várias redações.

Com informações da Gallileu.

VÍDEO: ‘Se um empresário for preso, entregará a quadrilha toda’, diz Haddad sobre esquema de fake news


 

Coletiva de imprensa sobre tentativa da campanha de Bolsonaro de fraudar as eleições. #Haddad13

Posted by Fernando Haddad on Thursday, October 18, 2018

O que se espera é que a verdade seja descoberta. Um país e uma nação não podem viver de mentiras. Qualquer pessoa de bem quer que venha a tona a verdade, para que caminhemos tranquilos. O que se sabe é que nunca em tão pouco tempo se espalhou tanto ódio no país, não contra o PT apenas, mas sim contra metade de uma nação, o que é muito mais perigoso. Portanto, na opinião do editor do blog Café com Leite Notícias, o mais importante nesse momento de tanta tensão no Brasil, é a verdade sobre esses últimos fatos e denúncias. Se o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, provar a sua inocência, que siga na sua candidatura, por sinal com grandes chances de ganhar as eleições. Mas se não, aí a justiça brasileira irá tomar as devidas providências no caso. No momento, o que se sabe é que o povo brasileiro está muito tenso. O importante é cada um procurar ficar calmo e deixar a justiça resolver o caso. Até porque, o que há de melhor nesse interior do nosso país é o próprio povo, o que não vale a pena entrar em atrito por motivos políticos. Se o assassino do mestre Moa, lá em Salvador,  tivesse um pouquinho mais de controle emocional, não teria acontecido tal tragédia. Café com Leite Notícias.