(77) 99152-6666

Ludhmila relata ameaças de morte e recusa convite de Bolsonaro


Ludhmila recusa convite para o Ministério da Saúde e revela que chegou a ser ameaçada por apoiadores do presidente. Extremistas tentaram invadir hotel onde a médica estava hospedada

Médica Ludhmila Hajjar
A médica Ludhmila Hajjar

De acordo a matéria publicada no Pragmatismo e muitos outros meios de comunicação do Brasil, a médica Ludhmila Hajjar, que foi cotada por Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o Ministério da Saúde, afirmou que sofreu ataques de apoiadores do presidente da República. Em entrevista à CNN, ela relatou tentativas de invasão ao hotel onde ela estava e ameaças de mortes por parte de bolsonaristas.

“Eu recebi ataques, tentativa de invasão no hotel que eu estava, ameaças de morte, fui agredida com áudios e vídeos falsos, espalhados por milhares de pessoas. Mas estou firme e forte aqui. Hoje volto para São Paulo para continuar a minha missão, que é ser médica. Estou à disposição do meu país e vou continuar atendendo pessoas da direita e da esquerda”, declarou.

“Esse radicalismo, essa maldade utilizada em redes sociais, isso hoje é um atraso para o Brasil e vidas estão indo embora por causa disso, porque se criou uma narrativa baseada em algo que não tem lógica, não tem fundamento […] Sei que isso passa, que são pessoas radicais. Tive meu celular publicado em vários grupos de WhatsApp, duas tentativas de entrada no meu quarto do hotel durante a noite – coisas absurdas, indescritíveis, inimagináveis”.

A médica cardiologista admitiu ter recusado o convite para ocupar o cargo por divergências com Jair Bolsonaro. Ela já havia se manifestado contra o chamado “tratamento precoce”, ou seja, uso de medicamentos comprovadamente ineficazes contra a covid, incentivados pelo presidente. Além disso, apoiava o isolamento social e a vacinação em massa.

Para assumir o cargo, é preciso rezar a cartilha do presidente — o que é perigoso para qualquer médico minimamente sério, uma vez que as crenças de Bolsonaro são desprovidas de base científica.

Após o nome de Ludhmila Hajjar começar a ser ventilado para substituir Pazuello, apoiadores de Bolsonaro resgataram uma live que a médica fez com a ex-presidente Dilma Rousseff. Ludhmila integrou a equipe que tratou a petista, quando foi acometida por um câncer.

À CNN, a cardiologista disse que nunca declarou posição política. “A missão do médico é cuidar, confortar, salvar a quem quer que seja e isso muito me honra”, afirmou. Ludhmila tratou de Arthur Lira, Eduardo Pazuello e Fabio Farias quando todos tiveram covid-19.

“Talvez, para pessoas radicais é algo que me diminua. Pelo contrário, se eu fizesse isso, eu estaria negando o juramento que eu fiz no dia que me formei na Universidade de Brasília. Continuarei cuidando da direita e da esquerda porque eu não tenho medo”, disse.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Se você fizer lockdown no NE vai me foder e perco a eleição, diz Bolsonaro


 

 

Se você fizer lockdown no Nordeste vai me foder e eu perco a eleição, diz Bolsonaro a Ludhmila Hajjar
A médica cardiologista Ludhmila Hajjar, durante gravação do programa Poder em Foco, em abril de 2020 Sérgio

A indicação da médica cardiologista Ludhmila Hajjar para assumir o Ministério da Saúde não decolou. O presidente Jair Bolsonaro recebeu a cardiologista do Incor e dos hospitais Star, da Rede D’Or, no domingo (14.mar.2021) e na manhã desta 2ª feira (15.mar). As conversas não fluíram bem para nenhum dos lados.

Participaram da reunião de domingo, no Palácio da Alvorada, o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A presença de Pazuello e do filho do presidente foi uma surpresa para a médica.

Ludhmila Hajjar viajou a Brasília com o apoio –público ou reservado– de nomes como o do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL); do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM); do procurador-geral da República, Augusto Aras; e dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Todos, de uma forma ou de outra, deixaram Bolsonaro saber que apoiavam a cardiologista para ser a nova ministra da Saúde.

Seu nome, no entanto, não foi bem aceito nas redes de apoiadores de Bolsonaro na internet –que são um termômetro considerado pelo presidente sempre que vai nomear alguém para cargos-chave em seu governo. Mesmo reprovada nesse “teste de estresse”, a cardiologista foi recebida por Bolsonaro. O presidente não queria ser visto como alguém que se recusa a ao menos conversar –embora já não fosse simpático ao nome de Ludhmila.

A reunião de domingo (14.mar) deu aos defensores da cardiologista a impressão de que estava encaminhada sua indicação para substituir Pazuello. Lira até mesmo veio a público, por meio das redes sociais, manifestar que apoiava a nomeação.

O encontro no Alvorada teve certo constrangimento logo de cara, pois Ludhmila foi a uma reunião para ouvir um convite para ser ministra e encontrou na mesma sala o general que poderia substituir. Passou cerca de 3 horas mais ouvindo do que falando, pois todos os presentes se esforçaram para dizer que nada havia sido feito de errado até agora na política do governo federal para combater o coronavírus.

A médica foi sabatinada pelo presidente e seu filho. Eduardo Bolsonaro quis saber o que ela achava de 2 temas: aborto e armas. Segundo apurou o Poder360, ela respondeu que considerava o tema das armas relacionado a polícias e às Forças Armadas, e que não nutria simpatia por armar a população. Não foi possível apurar sua resposta a respeito de aborto.

Num determinado momento, Bolsonaro quis saber o que a médica achava da cloroquina. Ludhmila disse que não iria desdizer o presidente eventualmente no Ministério da Saúde, mas que essa fase já havia passado. Que era necessário olhar para a frente. O presidente insistiu. Disse que ninguém sabe ainda o que funciona ou não para tratar a covid-19. E que os médicos têm o direito de prescrever o que quiserem. Nesse aspecto, houve divergência entre Bolsonaro e Ludhmila.

O presidente perguntou também sobre medidas que restringem a circulação da população para frear os contágios pelo coronavírus. Disse ser contra o fechamento de negócios e a adoção de toque de recolher, casos de São Paulo e Brasília, por exemplo.

A reportagem do Poder360 apurou que o presidente em determinado momento dirigiu-se a Ludhmila no seu estilo que mistura franqueza com rispidez: “Você não vai fazer lockdown no Nordeste para me foder e eu depois perder a eleição, né?”.

Ludhmila afirmou que as medidas de distanciamento mais restritivas deveriam ser tomadas em situações extremas, em locais em que o número de doentes e de mortes exigisse isso. Pazuello entrou na conversa. Disse que tinha dados diferentes e que os governadores estavam mentindo sobre a taxa de lotação de UTIs (unidades de terapia intensiva) e outras estatísticas. Ludhmila expressou descrença sobre isso.

O atual ministro da Saúde também fez uma longa exposição sobre como tem conduzido a pasta. Defendeu sua gestão. Disse que estava possivelmente saindo do cargo porque não se aliou a ninguém, a nenhum grupo, diferentemente de Ludhmila, que vinha recomendada inclusive por políticos com vários interesses. O Poder360 apurou que Pazuello se referia, de maneira oblíqua, ao deputado Arthur Lira. O presidente ouviu e não redarguiu, como que concordando com a fala do ministro.

Ludhmila e Bolsonaro voltaram a se reunir nesta 2ª feira (15.mar). Pouco depois do encontro, a médica foi à CNN Brasil e também à TV Globo dizer que foi convidada para assumir a Saúde, mas que recusou por “motivos técnicos”.

A substituição de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde é tida como certa. O Planalto é pressionado para mudar sua política de combate à pandemia, que já deixou mais de 278 mil mortos no Brasil.

Com o nome de Ludhmila riscado da lista de opções de Bolsonaro, sobram 2 outros cotados para a vaga.

Um deles é Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Queiroga é um bolsonarista de raiz e agrada mais aos militantes fiéis ao presidente. O outro é o deputado Dr. Luizinho (PP-RJ).

ANÁLISE

Bolsonaro de uma vez só se indispôs com uma profissional médica muito respeitada e também com todos que a indicaram. O presidente da Câmara (que ficou vendido em público), o procurador-geral da República e 2 ministros do STF e 1 governador de Estado. Não é pouca coisa.

A médica Ludhmila Hajjar foi educada e comedida ao relatar o que se passou em entrevistas para a CNN Brasil e a Globo. Mas o Poder360 apurou o que houve de fato nas últimas cerca de 48 horas. Bolsonaro não pretende recuar de suas ideias sobre como atuar na pandemia.

Esse episódio revela que o presidente não quer um novo ministro da Saúde. Deseja apenas um substituto para Pazuello. Alguém que continue a fazer tudo do mesmo jeito, mas que apenas consiga se relacionar melhor com a mídia e tenha uma narrativa mais aceitável por parte dos seus aliados no Congresso e no Judiciário. Toda a equipe e a estrutura montadas pelo atual ministro ficarão intactas para o novo titular da pasta. Na prática, fora a troca de nome, fica tudo igual.
Não vai ser fácil.

Felipe Neto e o intimado pela polícia por “crime contra a segurança nacional” por chamar Bolsonaro de “genocida”


Da Revista Fórum

Felipe Neto convoca influenciadores a se posicionarem contra Bolsonaro -  Bem Paraná

O influenciador Felipe Neto informou através de suas redes sociais, nesta segunda-feira (15), que foi intimado a prestar depoimento em um inquérito aberto contra ele por “crime contra a segurança nacional”. Segundo o youtuber, o motivo teria sido o fato de ele ter chamado o presidente Jair Bolsonaro de “genocida”, e o procedimento investigatório teria sido aberto a partir de denúncia do vereador Carlos Bolsonaro.

“Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação p/ q eu compareça e responda por CRIME CONTRA SEGURANÇA NACIONAL Pq chamei Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado q me indiciou por ‘corrupção de menores’. Sim, é isso mesmo”, escreveu Neto junto a uma foto da intimação.

O “crime contra a segurança nacional” está previsto na Lei de Segurança Nacional, criada na ditadura militar para reprimir opositores ao regime.

Na mesma postagem em que divulgou a intimação, o influenciador disse que não se intimida. “A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar”, escreveu.

“Minha atribuição do termo ‘genocida’ ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”, completou o influenciador.

 

Ditadura?

No início do mês, um jovem de 24 anos foi preso em flagrante em Uberlândia (MG) por conta de um tuíte, segundo ele em tom de piada, contra o presidente Jair Bolsonaro. Ele foi enquadrado na mesma Lei de Segurança Nacional utilizada para intimar Felipe Neto.

O serviço de inteligência da Polícia Militar de Minas Gerais considerou a postagem de João Reginaldo da Silva Júnior uma incitação à prática de crime contra a segurança nacional.

“Gente, Bolsonaro em Udia [Uberlândia] amanhã… Alguém fecha virar herói nacional?”, escreveu o jovem, que chegou a ser respondido por outros internautas que agora estão na mira da Polícia Federal.

“Propaganda e incitação à prática de crimes contra a integridade física e a vida do Exmo. Presidente da República Jair Messias Bolsonaro com promessas de que tais ameaças se concretizariam durante a sua passagem nesta cidade de Uberlândia na data de hoje”, afirma o serviço de inteligência da PM sobre a postagem do jovem.

Outra prisão por falar mal de Bolsonaro

No mesmo dia, André Constantine, liderança de movimento de favelas no Rio e militante do PT, foi preso pela Polícia Militar do Rio de Janeiro durante ato realizado no centro da capital carioca.

Conforme vídeo divulgado pelo Brasil 247, onde Constantine é colunista, o ativista discursava sobre a situação do país na pandemia do novo coronavírus, criticava o governo Bolsonaro e a polícia que, afirmou, “mata preto e favelado todos os dias”.

Após dizer a frase um PM arrancou o microfone do ativista e o levou preso. Segundo informações do 247, Constantine teria sido levado para a 5ª Delegacia de Polícia.

O ato era contra o armamento da Guarda Municipal do Rio.

Segundo o deputado estadual Waldeck Carneiro, de quem o ativista é assessor, Constantine já foi liberado. “O aguerrido André Constantine, colaborador do nosso mandato popular e coletivo, foi levado pela PM de maneira ARBITRÁRIA enquanto se manifestava contra o armamento da Guarda Municipal do Rio. André já foi liberado e está em segurança. Como ele sempre diz: Favela NÃO se cala! Resistiremos!”, tuitou.

Diversas lideranças e entidades já se manifestaram contra a prisão de Constantine. “Vivemos tempos de ditadura. PM interrompe manifestação e prende ativista André Constantine que denunciava, em ato na Cinelândia, assassinatos de negros e pobres praticados pela Polícia Militar. André é militante do movimento de favelas”, escreveu a CUT Rio.

Saiba mais aqui.

Centrão faz ameaça velada e diz que Bolsonaro tem sua última chance de acertar


A substituição do general Eduardo Pazuello e a nomeação do cardiologista Marcelo Queiroga nesta segunda-feira (15) para a pasta da Saúde constituíram mais um episódio da crise política do governo Bolsonaro, em que o titular do Planalto voltou a se isolar. Os constrangimentos que marcaram as duas conversas da médica Ludhmila Hajjar com Jair Bolsonaro fizeram políticos do Centrão lavar as mãos sobre a indicação do novo ministro da Saúde. Bolsonaro volta a ficar isolado.

Reportagem do Estado de S.Paulo informa que um influente político do Centrão resume. Bolsonaro quis escolher um nome sozinho. Não tem problema. Mas terá que acertar na seleção do seu quarto ministro da Saúde porque, caso seja necessário fazer uma nova troca, o país não vai parar para discutir quem será o quinto, mas sim o próximo presidente da República. Na versão de um deputado, ninguém mais ficará brincando de escolher ministro.

Com informação do 247

 

Nova variante do coronavírus é detectada em região da França; vacinação será acelerada no país


Nova variante do coronavírus é detectada em região da França; vacinação será acelerada no país
Crédito da Foto: ilustrativa/Pexels

Uma nova variante do novo coronavírus foi detectada na região da Bretanha, na França, na segunda-feira (15/3).  A nova cepa foi sequenciada a partir de um foco ocorrido no hospital de Lannion, no noroeste do país. Dos 79 casos suspeitos, as autoridades de saúde francesas confirmaram pelo menos oito.

Segundo o comunicado, as primeiras análises desta variante “não permitem concluir um aumento da severidade ou transmissibilidade em relação ao vírus original. Investigações aprofundadas estão em andamento para entender melhor essa variante e seu impacto”, declarou o órgão.

“Serão realizadas experiências para determinar como esta variante reage à vacinação e aos anticorpos desenvolvidos durante infecções anteriores. Finalmente, as autoridades internacionais foram informadas da descoberta desta variante”, explica.

O órgão francês afirma ainda que a vacinação será acelerada no país para tentar conter a disseminação da variante. A França vacinou pouco mais de 7,5 milhões de pessoas, aproximadamente 11,3% de sua população de 67 milhões de habitantes. Cerca de 2 milhões de pessoas, que representam 2,9% da população, já receberam duas doses de imunizantes. Aratuon

Vaticano decreta que Igreja Católica não pode abençoar casamento homossexual: “Pecado”


Vaticano decreta que Igreja Católica não pode abençoar casamento homossexual: "Pecado"Crédito da Foto: ilustrativa/Pixabay

Em um texto de duas páginas, publicado em sete idiomas diferentes, o Vaticano decretou que a Igreja Católica não pode abençoar as uniões de casais do mesmo sexo, pois Deus “não pode abençoar o pecado”. A decisão foi aprovada pelo Papa Francisco e divulgada na segunda-feira (15/3).

Em nota, a Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), organismo doutrinário da instituição, diz que qualquer bênção para casamentos entre pessoas do mesmo sexo será considerada ilícita. A Congregação afirma que a união entre um homem e uma mulher é um sacramento ligado ao casamento, e que a bênção não pode ser ampliada para casais do mesmo sexo, mas tenta argumentar que a proibição “não se destina a ser uma forma de injusta discriminação” e sim à defesa do sacramento do casamento.

“Não é lícito dar uma bênção a relacionamentos, ou parcerias, mesmo estáveis, que envolvam atividade sexual fora do casamento (ou seja, fora da união indissolúvel de um homem e uma mulher aberta em si mesma à transmissão da vida), como é o caso das uniões entre pessoas do mesmo sexo”, diz a decisão.

Segundo a instituição, a única exceção é para casais em que uma das pessoas seja homossexual, mas mantém uma união que segue o ideal heteronormativo. “Pessoas com inclinações homossexuais, que manifestem a vontade de viver em fidelidade aos desígnios revelados por Deus” podem ter o casamento abençoado por um padre ou oficial católico.

“A presença em tais relações de elementos positivos, que por si só devem ser valorizados e apreciados, não pode justificar essas relações e torná-las objetos legítimos de uma bênção eclesial, uma vez que os elementos positivos existem no contexto de uma união não ordenada ao Criador plano”, diz o texto.

“Deus não abençoa e não pode abençoar o pecado: Ele abençoa o homem pecador, para que ele reconheça que faz parte de seu plano de amor e se permita ser mudado por ele”, completa, reforçando que qualquer união que envolva relações sexuais fora do casamento não pode ser abençoada.

Nas redes sociais, a aprovação do Papa Francisco pegou os internautas de surpresa pois a posição é oposta a falas recentes do pontífice. No documentário Francesco (2020), de Evgeny Afineevsky, o papa afirmou que: “Pessoas homossexuais têm o direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família” inclusive. Do Aratuon

Três cidades da BA que receberam ‘kit Covid’ do ministério registram n° alto de óbitos


Foto: Reprodução / Senadoleg

Entre os destinos das 7,4 milhões de comprimidos de cloroquina, distribuídos pelo governo federal, através do Ministério da Saúde, estão seis municípios da Bahia e o próprio estado. Nos “kits Covid” enviados para a realização do tratamento precoce para o combate Covid-19 constavam difosfato de cloroquina 150 mg e hidroxicloroquina 200 mg, totalizando 280.500 comprimidos.

Segundo documento disponibilizado pelo Ministério da Saúde, através de pedido de lei de acesso à informação obtido pela Fiquem Sabendo, agência de dados especializada no acesso à informação, além do estado da Bahia que, recebeu através da Secretaria de Saúde do estado, os municípios de Jequié, Vitória da Conquista, Itapetinga, Porto Seguro, Feira de Santana, Vera Cruz tiveram os lotes dos medicamentos desembarcando nas cidades. 

O estado da Bahia recebeu a maior quantidade de comprimidos, com 51 mil comprimidos de difosfato de cloroquina de 150mg em três cargas. Entre as cidades, o município que mais recebeu comprimidos foi Porto Seguro: 80 mil, em dois lotes de difosfato de cloroquina de 150mg.

Já Feira de Santana recebeu 56 mil comprimidos de difosfato de cloroquina de 150mg. Vitória da Conquista foi destino de 50 mil comprimidos de difosfato de cloroquina de 150mg, em apenas um lote. Jequié recebeu ao todo 13 mil e 500 comprimidos de difosfato de cloroquina de 150mg e Itapetinga 9 mil comprimidos do mesmo medicamento.

Diferentemente das outras cidades, Madre de Deus e Vera Cruz receberam a hidroxicloroquina de 200mg. Madre foi destino de 9 mil comprimidos e Vera Cruz recebeu 4 mil e 500 comprimidos.

Dos 10 municípios com maior número de óbitos por residência, três deles receberam o “kit Covid”. A cidade de Feira de Santana, segunda no ranking com 547 mortes, Vitória da Conquista, quarta colocada tem 354 óbitos e Jequié que registrou até a última segunda-feira (15) 245 óbitos por conta da Covid-19.

Já com relação ao número de casos registrados, as três cidades ainda permanecem entre as 10 que mais têm infecções confirmadas. Feira de Santana já registrou 31.597 casos, Vitória da Conquista tem 22.374 e Jequié já contabilizou 12.666 casos da Covid-19. Bahia Notícias 

Após Bolsonaro obedecer Trump para não comprar vacina “malígna” da Rússia, Putim acionou Lula


Fundo russo que negocia a Sputnik V estaria desistindo de negociar venda do imunizante com Pazuello quando Putin acionou Lula. Documentos dos EUA mostram que Trump pressionou Bolsonaro a não comprar vacina russa.

Lula e Vladimir Putin (Foto: Wikipedia)

Em entrevista ao Fórum Café na manhã desta segunda-feira (15), o ex-ministro da Saúde e deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) afirmou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, acionou o ex-presidente Lula, do Brasil, para evitar que o Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), que financiou o desenvolvimento da Sputnik V, desistisse de vender o imunizante ao governo Jair Bolsonaro (Sem partido).

Segundo Padilha, o fundo russo estava em contato desde junho de 2020 com o Ministério da Saúde, comandado por Eduardo Pazuello, para vender o imunizante desenvolvido pelo instituto Gamaleya, mas “a parceria não andava”.

“O fundo russo desde junho procura construir parceria com o governo brasileiro, com o Ministério da Saúde, com o TecPar, instituto público do Paraná, […] e a parceria não andava, não andava. E chegou uma hora que eles estavam desistindo: o Brasil não vai acontecer, vamos para outros países”, afirmou Padilha.

Nesse momento, com os negociadores prestes a desistirem da negociação, Kirill Dmitriev, diretor do fundo russo, teria visto o nome de Lula entre os signatários de um abaixo-assinado organizado pelo Nobel de Economia Muhammad Yunus, que defende a vacina como bem comum da humanidade e, por isso, deve ser distribuída gratuitamente a todos.

O diretor do fundo russo viu um manifesto que o presidente Lula assinou, com grandes lideranças internacionais, reinvidicando mais vacinas, e o [Vladimir] Putin [presidente da Rússia] disse: vamos procurar o presidente Lula no Brasil”, disse Padilha, que foi convocado, juntamente com o também ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão para participar da reunião. “O presidente Lula disse: o Brasil precisa de vacina, de vacinas boas, eficazes e seguras”, complementou.

Trump
Documentos divulgados pelo jornalista norte-americano John McEvoy no portal Brasil Wire revelam que o governo de Donald Trump, nos Estados Unidos, pressionou o presidente Jair Bolsonaro a não comprar a vacina “maligna” Sputnik V, desenvolvida pelo instituto russo Gamaleya.

Com informação da Fórum

 

Após 4 anos vendendo iogurte, jovem entra em faculdade de enfermagem


O maior sonho de Adom-Ba era trabalhar em hospitais para ajudar pessoas carentes. E ele conseguirá! - Foto: UGC
O maior sonho de Adom-Ba era trabalhar em hospitais para ajudar pessoas carentes. E ele conseguirá! – Foto: UGC

A história deste rapaz é daquelas que nos motivam a trabalhar e nunca desistir. Ainda muito jovem, ele passou quatro anos vendendo iogurte na rua para conseguir sustentar a família e pagar os estudos.

O maior sonho de Adom-Ba Lucky sempre foi trabalhar em hospital para ajudar pessoas carentes, principalmente da comunidade dele em Accra, capital do Gana, na África.

E ele conseguiu! Com a venda do iogurte e a ajuda que recebeu da comunidade, Adom-Ba foi aprovado em enfermagem na Universidade Pentecostal de Accra.

O pai abandonou a família

Infelizmente, muitas das dificuldades que Adom-Ba passou iniciaram quando a mãe dele descobriu que estava grávida.

O pai do jovem não queria o filho e a obrigou a abortar, mas a mulher negou. Isso levou o homem a abandonar o lar e não dar nenhuma ajuda para a família.

Adom-Ba nasceu repleto de dificuldades, mas isso nunca foi motivo para ele se sentir derrotado. Era justamente o contrário!

O jovem usou toda a história de luta da vida dele, para ir atrás dos próprio sonhos e melhorar de vida, junto com a mãe.

Vendedor de iogurte

Após terminar a escola, Adom-Ba começou a pensar em uma maneira de conseguir pagar as mensalidades da universidade.

Foi quando começou a pedalar por vários bairros de Accra vendendo iogurte. O jovem juntou dinheiro de 2012 até 2016. A mãe dele também vendia pão para pagar as contas da casa e dava o que sobrava para o filho.

Após 4 anos trabalhando duro, Adom-Ba foi aprovado a primeira vez, mas não tinha o valor suficiente para custear as mensalidades.

Ele retornou às vendas de iogurtes e passou a fazer outros trabalhos, como o de ator figurante e ajudante em um restaurante.

Depois de todas as suas lutas durante esses anos, Adom-Ba Lucky conseguiu uma bolsa de estudos neste ano e entrou para a faculdade que tanto sonhava.

Quanta determinação!

Adom-Ba pedalava por horas para vender iogurtes e juntar dinheiro para sua faculdade. - Foto: UGC
Adom-Ba pedalava por horas para vender iogurtes e juntar dinheiro para sua faculdade. – Foto: UGC
Após anos de muito sacrifício, o jovem realizou o sonho de cursar enfermagem. - Foto: UGC
Após anos de muito sacrifício, o jovem realizou o sonho de cursar enfermagem. – Foto: UGC
Agora Adom-Ba quer se formar para ajudar pessoas carentes. - Foto: UGC
Agora Adom-Ba quer se formar para ajudar pessoas carentes. – Foto: UGC

Outro jovem carente que nunca desistiu dos sonhos é o Guido Penayo. Ele começou a publicar receitas no YouTube e guardou dinheiro que ganhou nas redes para construir uma casa para a família. Veja essa matéria completa aqui no Só Notícia Boa!

Por Monique de Carvalho, da Redação do Só Notícia Boa – Com informações do Upsocl.

Deputado Bolsonarista é preso por fazer aglomeração no Ceará, se vitimiza, e vira piada: “vai defender ditadura agora” (vídeo)


Conhecido por gostar dos holofotes, o deputado bolsonarista André Fernandes foi preso na tarde deste domingo (14), por promover aglomeração em Fortaleza, e liberado na sequência.

Ele participava de uma manifestação contra o lockdown imposto nas principais capitais do país em decorrência do pico de mortes causadas pela Covid-19.

Após sua resistência para seguir aglomerando no local, policiais lançaram spray de pimenta contra ele, o que gerou o lamento do bolsonarista. “Isso aqui é a ditadura do Camilo Santana”, esbravejou, ao criticar o governador do Ceará.

Ele foi detido e liberado na sequência.

Internautas ironizaram o fato e relembraram que bolsonaristas, típicos defensores da ditadura militar, foram vítimas do seu próprio desejo.

Malafaia dispara ódio contra Lula em grupo evangélico


O pastor afirmou que “Lula está ferrado com os evnagélicos” após críticas do ex-presidente às aglomerações promovidas pelas igrejas. Grupo se reunirá com Bolsonaro para oferecer “apoio espiritual” ao presidente

Silas Malafaia
Silas Malafaia (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Silas Malafaia, pastor da Assembleia de Deus, descartou as chances de evangélicos se aproximarem a uma possível candidatura do ex-presidente Lula em 2022.

discurso da última quarta-feira (10) tocou na questão dos evangélicos: “Muitas mortes poderiam ter sido evitadas, muitas mortes. E que o papel das igrejas é ajudar para orientar as pessoas, não é vender grão de feijão ou fazer culto cheio de gente sem máscara, dizendo que tem o remédio pra sarar”, disse Lula.

No dia seguinte, revela uma reportagem da Folha de S.Paulo, Malafaia lançou a seguinte mensagem no grupo de WhatsApp Grupo Aliança: “Lula está ferrado com os evangélicos!”. Ele também enviou um vídeo criticando duramente a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin de anular as condenações contra Lula na Lava Jato.

Os líderes evangélicos do grupo, entre eles Estevam Hernandes, da Renascer em Cristo e Abner Ferreira, da Assembleia de Deus em Madureira (RJ), reagiram com emojis de aplauso.

Nesta segunda-feira (15), Malafaia, Estevam, Abner, Rene Terra Nova (pastor influente no Norte) e outros se encontrarão com Bolsonaro para oferecer “apoio espiritual” ao presidente 247

Quebra de sigilos do Caso Flávio revela que rachadinha ocorria também nos gabinetes de Jair e Carlos Bolsonaro


A quebra de sigilos bancário e fiscal de pessoas e empresas ligadas ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) revela indícios de que o esquema da rachadinha também ocorria nos gabinetes do pai, o presidente Jair Bolsonaro, quando este era deputado federal, e do irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Jair Bolsonaro e seus filhos Flávio, Eduardo e Carlos

As quebras de sigilos de Flávio Bolsonaro em setembro de 2020, quando ainda não havia uma decisão judicial contestando a legalidade da decisão da Justiça fluminense revelam a amplitude do esquema das rachadinhas por parte dele, de seu irmão Carlos e de Jair Bolsonaro, quando era deputado federal. A informação faz parte de uma série de reportagens publicadas pelo UOL nesta segunda-feira (15).

O site detalha uma série de operações suspeitas de assessores da família Bolsonaro, caracterizadas pelo uso de grandes volumes de dinheiro em espécie.

Leia a íntegra 

 

Saiba quem são os beneficiários do auxílio emergencial que já podem atualizar dados no Caixa Tem


Saiba quem são os beneficiários do auxílio emergencial que já podem atualizar dados no Caixa Tem
Crédito da Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Às vésperas de retomar o pagamento do auxílio emergencial, a Caixa Econômica Federal convida os usuários do aplicativo Caixa Tem a atualizar os dados cadastrais no aplicativo. O procedimento pode ser feito a partir de hoje (14/3) pelos clientes nascidos em janeiro.

A atualização é feita inteiramente pelo celular, bastando o usuário seguir as instruções do aplicativo, usado para movimentar as contas poupança digitais. Segundo a Caixa, o procedimento pretende trazer mais segurança para o recebimento de benefícios e prevenir fraudes.

Ao entrar no aplicativo, o usuário deve acessar a conversa “Atualize seu cadastro”. Em seguida, é necessário enviar uma foto (selfie) e os documentos pessoais (identidade, CPF e comprovante de endereço).

O calendário de atualização seguirá um cronograma escalonado, conforme o mês de nascimento dos clientes. O cronograma continua na terça-feira (16/3) para os nascidos em fevereiro, na quinta-feira (18/3) para os nascidos em março, até encerrar em 31 de março, para os nascidos em dezembro. Aratuon

 

Primeira cidade a vacinar em massa encerra etapa de imunização


Primeira cidade a vacinar em massa encerra etapa de imunização

Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil

Primeira cidade a vacinar os moradores em massa contra a covid-19, Serrana (SP) encerra neste domingo (14) etapa de imunização. Segundo a Agência Brasil, a população participa de estudo clínico do Instituto Butantan para medir a eficácia da CoronaVac contra a disseminação do novo coronavírus.

 

De acordo com o Instituto Butantan, neste domingo, estão sendo vacinados os últimos moradores do grupo azul, que tem a maior quantidade de moradores. A cidade, de 45,6 mil habitantes, foi dividida em quatro regiões de vacinação (verde, amarela, cinza e azul), dos quais cerca de 30 mil estão aptos a serem imunizados.

 

SEGUNDA FASE
Na quarta-feira (17), a pesquisa entra em uma nova etapa, quando a população começa a receber a segunda dose da vacina. O cronograma seguirá o processo da primeira dose, começando pelos moradores da região verde e passando para as regiões amarela, cinza e azul.

 

Segundo o Instituto Butantan, as primeiras conclusões da pesquisa devem começar a ser divulgadas cerca de um mês após o encerramento da aplicação da segunda dose, ou seja, três meses após o início do estudo clínico. Como a vacinação em massa começou em 17 de fevereiro, os resultados devem sair em meados de maio.

 

IMUNIZAÇÃO EM MASSA
Diferentemente do restante do país, onde o plano de vacinação imuniza primeiramente os grupos prioritários, em Serrana, toda a população adulta está recebendo a CoronaVac ao mesmo tempo, conforme a publicação. De acordo com o Butantan, um dos fatores que pesou na escolha da cidade para a realização do estudo foi a proximidade com Ribeirão Preto, onde trabalham diariamente cerca de um quarto dos moradores de Serrana.

 

A adesão ao estudo clínico foi voluntária. Todo morador com mais de 18 anos estava apto a ser vacinado, com exceção das grávidas, das lactantes e de pessoas com contraindicação médica. Do Bahia Noticias

 

Confira os municípios que estão fora da prorrogação das medidas restritivas na Grande Salvador


Confira os municípios que estão fora da prorrogação das medidas restritivas na Grande Salvador
Crédito da Foto: divulgação

O decreto que determina a prorrogação de medidas mais restritivas para a capital baiana e alguns municípios inseridos na Região Metropolitana de Salvador (RMS) está publicado na versão online do Diário Oficial do Estado (DOE). Com a medida, apenas o funcionamento das atividades consideradas essenciais continua permitido ate as 5h de 22 de março.

Apenas Itaparica, Vera Cruz, Pojuca e Mata de São João não vão aderir à prorrogação do decreto e terão serviços não-essenciais funcionando a partir desta segunda-feira (15/3), até as 17h.

Em Salvador, Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Lauro de Freitas, Madre de Deus, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Simões Filho, somente as atividades relacionadas à saúde e ao enfrentamento da pandemia, à comercialização de gêneros alimentícios e feiras livres, à segurança e a atividades de urgência e emergência poderão ser realizadas. Os estabelecimentos comerciais que funcionam como bares e restaurantes poderão operar apenas de portas fechadas, na modalidade de entrega em domicílio, até as 24h.

A circulação de meios de transporte metropolitanos aquaviários, como ferry boat e lanchinhas, deverá ser suspensa das 20h30 às 5h de 15 de março a 19 de março, ficando vedado o funcionamento nos dias 20 e 21 de março.

Também continuam suspensos, até as 5h do dia 22 de março, os atendimentos presenciais do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) em Salvador, Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Lauro de Freitas, Madre de Deus, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé e Simões Filho.

REGIÃO DE GUANAMBI

O funcionamento dos serviços não essenciais pode ser retomado a partir desta segunda-feira (15) em Guanambi e outros 21 municípios da região que estavam com medidas mais restritivas até este domingo (14/3). A determinação é válida para Caculé, Caetité, Candiba, Carinhanha, Feira da Mata, Guanambi, Ibiassucê, Igaporã, Iuiu, Jacaraci, Lagoa Real, Licínio de Almeida, Malhada, Matina, Mortugaba, Palmas de Monte Alto, Pindaí, Riacho de Santana, Rio do Antônio, Sebastião Laranjeiras, Tanque Novo e Urandi.

MEDIDAS VÁLIDAS PARA TODA A BAHIA

Com exceção de deslocamentos por motivos de saúde ou em situações em que fique comprovada a urgência, segue proibida a circulação de pessoas entre 20h e 5h, até o dia 1º de abril, em todos os 417 municípios baianos.

O funcionamento dos serviços não essenciais está proibido em toda a Bahia das 18h de 19 de março ate as 5h de 22 de março.

A restrição da venda de bebidas alcoólicas seguirá valendo, em todo o estado, a partir das 18h de 19 de março até 5h de 22 de março, inclusive por sistema de entrega em domicílio (delivery).

Também segue vedada em todo o estado a prática de atividades esportivas coletivas amadoras até 1º de abril, sendo permitida as práticas individuais, desde que não gerem aglomeração. O funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a prática de atividades físicas está proibido até 22 de março.

Os atos religiosos litúrgicos podem ocorrer na Bahia, respeitados os protocolos sanitários estabelecidos, especialmente o distanciamento social adequado e o uso de máscaras, bem como com capacidade máxima de lotação de 30%.

Ficam vedados, até 22 de março, também em todo o estado, os procedimentos cirúrgicos eletivos não urgentes ou emergenciais nas unidades hospitalares públicas e privadas.

Segue proibida ainda, até 1º de abril, a realização de eventos e atividades que envolvam aglomeração de pessoas, independente do número de participantes, como cerimônias de casamento, solenidades de formatura, feiras, circos, passeatas, eventos desportivos, científicos e religiosos, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

Estão fora do decreto as atividades ligadas ao funcionamento dos terminais rodoviários, metroviários, aquaviários e aeroviários, bem como o deslocamento de funcionários e colaboradores que atuem na operacionalização destes. O mesmo vale para os serviços de limpeza pública e manutenção urbana e os serviços de entrega em domicílio (delivery) de farmácia e medicamentos, além das atividades profissionais de transporte privado de passageiros. Do aratuon