Queen e Alice Cooper fazem show pra ajudar Austrália


Foto: reproduçao

Foto: reproduçao

Queen e Alice Cooper vão tocar juntos no Fire Fight Australia, show beneficente para levantar fundos para os grupos que trabalham contra os incêndios florestais no país – tanto bombeiros quanto a Cruz Vermelha e outros centros médicos.

A ideia é ajudar no “socorro, alívio e recuperação” das pessoas e paisagens da Austrália.

O evento será em fevereiro em Sydney, no ANZ Stadium, com shows de k.d. lang, Olivier Newton-John e Pete Murray.

A apresentação será da humorista Celeste Barber.

Queen + Adam Lambert aparecerão por lá entre as datas da turnê The Rhapsody na Austrália – o show solo da banda será no dia 15 de fevereiro.

Iang deve apresentar duas músicas, uma delas a sua redenção ao clássico de Leonard Cohen “Hallelujah.”

Outros artistas serão anunciados em breve. Fonte:SóNotíciaBoa

 

 

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Destrição: Relatório de ONG denuncia que Bolsonaro incentiva execução de pessoas e queimadas na Amazônia


Queimadas. Foto: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

Publicado originalmente no site Rede Brasil Atual (RBA)

“O ataque do presidente Bolsonaro às agências de fiscalização ambiental está colocando em risco a Amazônia e aqueles que a defendem.” A afirmação é de Maria Laura Canineu, diretora da Organização Não-Governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW) no Brasil. “Sem nenhuma prova, o governo tem culpado ONGs, voluntários brigadistas e povos indígenas pelos incêndios na Amazônia e, ao mesmo tempo, fracassado em agir contra as redes criminosas que estão derrubando árvores e queimando a floresta para dar lugar à criação de gado e agricultura, ameaçando e atacando aqueles que estão no caminho”, acrescentou.

A entidade internacional de pesquisa e defesa dos direitos humanos divulgou hoje (14) o 30° Relatório Mundial de Direitos Humanos 2020. O estudo detalha a situação dos direitos humanos em 90 países, incluindo o Brasil e diz que “o presidente Jair Bolsonaro assumiu uma agenda contra os direitos humanos”.

Segundo o relatório, autoridades e moradores da região amazônica contam que a intimidação contra populações indígenas aumentou significativamente em 2019, primeiro ano do atual presidente da República. A constatação é de que, sob o atual governo, apenas em novembro e dezembro, três indígenas foram assassinados.

Dados preliminares, denuncia o estudo de 652 páginas, apontam que de janeiro a meados de dezembro o desmatamento na Amazônia aumentou mais de 80 por cento.

Segundo a organização, o presidente Jair Bolsonaro adota uma política sistemática contra os direitos humanos e incentiva a execução de pessoas. “Sugeriu que criminosos deveriam ‘morrer na rua igual baratas’”. Em seu site, a organização acrescenta: “Os padrões internacionais de direitos humanos permitem matar pessoas deliberadamente apenas quando necessário para proteger uma vida”. Casos como o da menina Ághata Felix, de oito anos, assassinada por um policial no Rio de Janeiro, e do músico morto com mais de 80 tiros de fuzil no mesmo estado estão no relatório.

A ONG afirma também que “o governo Bolsonaro tem agido para enfraquecer os esforços de prevenção da tortura”, lembrando que o chefe de Estado brasileiro tentou exonerar peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, órgão estabelecido por lei, “e descartou evidências de que a força-tarefa de intervenção penitenciária federal havia submetido presos a tortura no estado do Pará”.

A HRW denuncia ainda que Bolsonaro perseguiu a mídia, organizações não-governamentais e tentou restringir o acesso de crianças à educação sexual integral.

Fonte DCM.

 

A arte da enganação: Carlinhos Brown se junta ao “amigo especial” Doria. Triste Bahia. Por Kiko Nogueira


“Recebi a visita do grande artista brasileiro Carlinhos Brown, amigo especial por quem tenho profunda admiração. Falamos sobre projetos na área da cultura do Estado de São Paulo. Em breve, novidades”.

Como se não bastasse a mídia e os evangélicos servindo a ala negativa da política, agora os artistas, em parte, também entram no jogo

A frase é de João Doria, ele mesmo, o primeiro e único.

O que Brown foi vender ao presidenciável tucano é um mistério, mas o pote de ouro no final do túnel é óbvio.

Mangueiras novas para jogar água em mendigos enquanto rola um axé?

Dinheiro faz o mundo girar, especialmente o do Carlinhos.

Sem nenhum talento especial — não canta bem, não toca bem, não escreve bem, não se expressa bem –, Brown é uma espécie de gênio do marketing.

É jurado do programa de calouros “The Voice”, da Globo, em que dá suas cacetadas sem sentido, mas com muito barulho e pirotecnia.

Na última edição, atribuiu a linda “Balada do Louco”, dos Mutantes, parceria de Arnaldo Baptista e Rita Lee, aos Secos & Molhados.

Nunca se corrigiu porque quem se importa com isso, talquei? Arnaldo Baptista reclamou, mas quem é Arnaldo diante do Brown?

Enganador, especialista em auto promoção, ele sabe se juntar a gente melhor que ele — não necessariamente no bom sentido.

Foi assim com Marisa Monte e Arnaldo Antunes nos Tribalistas.

Não é diferente com Doria. Carlinhos está enxergando ali uma oportunidade de faturar com alguém que engana num nível ainda maior que o dele.

Para CB, os Racionais são “sectários”.

O caminho é se unir à escumalha da direita porque dali vai sair uma geleia geral sensacional. Perfeito.

É um chute na cara do Brasil progressista numa encruzilhada da nossa História, mas desde quando isso importa para o maravilhoso Brown?

Triste Bahia, triste país, pobre Chico Buarque.

Kiko Nogueira é do DCM, onde através dos seus textos demonstra ser um jornalista comprometido em resgatar o Brasil.

Matéria publicada no DCM.

 

 

Patrícia Pillar enquadra Roda Viva sobre entrevistadores de Moro


Atriz questiona quem irá entrevistar o ministro da Justiça na próxima segunda-feira 20. Internautas cobram direção do programa para que o The Intercept, responsável pela Vaza Jato, esteja presente.

Patrícia Pillar enquadra Roda Viva.
Patrícia Pillar enquadra Roda Viva. (Foto: Divulgação | Abr)

De acordo a matéria do Site 247, a  atriz Patricia Pillar cobrou o programa Roda Viva sobre quem serão os entrevistadores do ministro da Justiça, Sergio Moro, convidado da próxima segunda-feira 20.

“Quem serão os entrevistadores?”, indagou a atriz no Twitter, usando a hashtag #InterceptNoRodaViva, que foi parar na lista dos Trending Topic da rede social nesta terça-feira 14.

Os internautas cobram na roda de entrevistadores do programa a presença de um jornalista do The Intercept, site responsável pela divulgação das reportagens sobre os vazamentos de diálogos de autoridades da Lava Jato, série que ficou conhecida como Vaza Jato.

Veja o que disse o jornalista Glenn, responsável pela Vasa Jato.

Seria indesculpável e covarde, diz Glenn sobre Intercept não ir ao Roda Viva com Moro

Por a achar justo, o que é realmente, ficar frente a frente com o Moro, o Diretor do The Intercept, Glenn Greenwald aponta “medo” e “covardia” da mídia se nenhum jornalista do veículo, que publicou a Vaza Jato, for convidado para entrevistar o ministro na próxima segunda-feira 20. “A única razão para não fazer isso é o medo de Moro e deixá-lo — escandalosamente — ditar quem está lá”, diz Glenn.

Glenn pretende fazer algumas perguntas para Moro, mas pode ficar de fora da equipe de jornalistas

 

O jornalista Glenn Greenwald, diretor do The Intercept, comentou o fato de nenhum jornalista do veículo ter sido convidado até o momento para participar da entrevista com o ministro da Justiça, Sergio Moro, no Roda Viva, da TV Cultura, na próxima segunda-feira 20.

O nome de Sergio Moro foi anunciado nesta terça-feira 14 pela nova apresentadora do programa, a jornalista Vera Magalhães, que estreará no mesmo dia. Ela recebeu uma resposta de Rafael Moro Martins, também editor do Intercept, sobre a presença do veículo. Internautas levaram a hashtag #InterceptNoRodaViva ao Trending Topic do Twitter.

Para Glenn, “seria indesculpável e covarde” o Roda Viva não convidar o Intercept. Ele falou ainda em “medo de Sergio Moro” por parte da mídia e a participação dos veículos da imprensa na narrativa da Lava Jato, com apoio às prisões ilegais e outros abusos da investigação.

Seria indesculpável e um tanto covarde para @rodaviva permitir que Sergio Moro aparecesse sem colocar um jornalista da @TheInterceptBr no painel para participar da discussão.

Glenn Greenwald

@ggreenwald

Um grande problema é que a maioria das instituições brasileiras – incluindo a grande mídia – tem tido medo de Sergio Moro e o tratava como um herói. Muitos, liderados pela Folha e Veja, reconheceram isso. Deixá-lo no @RodaViva sem sérios desafios repetiria essa desgraça.

2.018 pessoas estão falando sobre isso

Glenn Greenwald

@ggreenwald

É muito óbvio que convidar um jornalista da @TheInterceptBr para participar da entrevista de Sergio Moro explodiria a audiência desse programa. A única razão para não fazer isso é o medo de Moro e deixá-lo — escandalosamente — ditar quem está lá. https://twitter.com/amandafaudi/status/1217151252301303814 

Amanda Audi

@amandafaudi

O Roda Viva quase nunca convida jornalistas de fora da grande mídia. Nem tenho esperanças que irão chamar o @TheInterceptBr para a entrevista de @SF_Moro.

Mas quero ver se os convidados vão fazer as perguntas que têm que ser feitas.

Se não fizerem, é pq foi joguinho combinado.

Comentários no 247, que foi fonte desta matéria.

Testes da vacina contra Alzheimer em humanos começam em 2 anos


A vacina, desenvolvida pelo endocrinologista Nikolai Petrovsky Foto: Australian Unlimited

A vacina, desenvolvida pelo endocrinologista Nikolai Petrovsky Foto: Australian Unlimited

Cientistas do Instituto de Medicina Molecular e pela Universidade da Califórnia em Irvine, ambos nos Estados Unidos, devem começar em 2 anos os testes da vacina contra Alzheimer em humanos.

Ela foi desenvolvida pelo Prof. Nikolai Petrovsky, diretor de endocrinologia da Universidade Flinders, em Adelaide, na Austrália Meridional, após mais de duas décadas de pesquisa.

O potencial desta nova vacina é tão promissor que está sendo saudado como o “avanço” da década na doença de Alzheimer.

Os cientistas combinaram duas vacinas, que têm como alvo específico estas proteínas, com um composto auxiliar chamado “Advax”.

A ideia é estimular a produção de anticorpos que se conectam às proteínas, fazendo com que o sistema imunológico humano as destrua antes que as placas se formem.

“Com a vacina, o que estamos fazendo é conseguir que o sistema imunológico produza anticorpos que reconheçam esses grupos anormais de proteína e que os tirem do sistema e os quebre”, disse Petrovsky à ABC Australia . “Ele vai desbloquear os vasos e fazer com que o cérebro volte ao normal.”

Promissora

Testes realizados em camundongos mostraram que o acúmulo de proteínas no cérebro dos animais que receberam a vacina foram substancialmente menores.

A equipe espera agora que o tratamento possa impedir o desenvolvimento do Alzheimer, além de reduzir os sintomas em pacientes que já começaram a desenvolver a doença.

Os cientistas acreditam que a doença é causada pelo acúmulo de placas compostas pelas proteínas “beta-amilóide” e “tau” no cérebro dos pacientes.

Estas placas danificam os neurônios, causando a perda de memória e danos cognitivos.

Testes em humanos

Antes que a vacina chegue ao mercado serão feitos testes clínicos em humanos para se certificar de que o mecanismo de atuação é o mesmo dos camundongos e que não há efeitos colaterais associados ao tratamento.

Petrovsky acredita que os testes em humanos nos Estados Unidos comecem entre 18 e 24 meses.

A vacina foi desenvolvida por Petrovsky, mas a pesquisa está sendo liderada e financiada pelo Instituto de Medicina Molecular (IMM) na Califórnia e pela Universidade da Califórnia em Oakland, que é o principal sistema universitário de pesquisa pública do mundo.

“É um momento emocionante para começar a nova década – espero que este seja o avanço da próxima década, se conseguirmos que funcione nos testes em humanos. É um momento emocionante”, concluiu.

Com informações do Medical Daily

Irã anuncia prisão de acusados por envolvimento em queda de avião ucraniano


O governo não detalhou quantas pessoas foram detidas ou seus nomes e cargos

[Irã anuncia prisão de acusados por envolvimento em queda de avião ucraniano]
Foto : Getty Images

O Irã anunciou hoje (14) a prisão das pessoas acusadas de envolvimento na queda acidental de um avião ucraniano na semana passada, que matou 176 pessoas. A aeronave foi atingida por um míssil disparou pelo exército do país persa.

O governo, no entanto, não chegou a detalhar quantas pessoas foram detidas ou seus nomes e cargos. “Investigações amplas estão sendo feitas e alguns indivíduos foram presos”, disse Gholamhossein Esmaili, porta-voz do Ministério da Justiça, à imprensa estatal.

Pouco antes do comunicado, o presidente iraniano, Hassan Rowhani, afirmou, em discurso exibido pela TV, que todos os responsáveis deverão ser punidos. “Para nosso povo, é muito importante que qualquer pessoa que tenha tido culpa ou sido negligente seja levado à Justiça”, declarou ele. Fonte: Metro1

Vídeo do cantor Victor agredindo mulher é divulgado por TV; assista


Cenas mostram sertanejo empurrando e chutando ex-esposa, que estava grávida na época

Quase três anos após as agressões do cantor Victor, ocorridas em fevereiro de 2017, contra a sua ex-esposa, a empresária Poliana Bagatini, as imagens do ato foram divulgadas na noite do último domingo (12) pelo programa Domingo Espetacular da TV Record.

Nas imagens, a ex-dupla de Léo, aparece empurrando e chutando Poliana. No final do ano passado, o cantor foi condenado por vias de fato, que é agressão sem deixar lesões aparentes. A pena foi de 18 dias de prisão simples em regime aberto, que pode ser convertida em trabalhos comunitários.

O vídeo veiculado pela Record é do circuito interno de câmeras do prédio em Belo Horizonte onde o casal morava e, segundo o canal, faz parte do processo. A juíza do caso decretou o fim do segredo de Justiça, de acordo com a TV.

Veja o vídeo:

A reportagem também afirmou que, no dia do ocorrido, a mulher, que estava grávida de quatro meses do segundo filho do casal, discutiu com a sogra, que morava no andar abaixo deles. Após a discussão, as imagens mostram Poliana indo ao elevador e tentando digitar o código de segurança para subir ao apartamento, onde estava a filha.

Sua cunhada, Paula Chaves, também entra no elevador. Em seguida, Victor puxa as duas para fora do elevador. Poliana cai no chão, para fora, no hall. Victor, então, leva uma das pernas em direção a Poliana.

Em seu depoimento, ela disse não saber se foi um empurrão ou um chute naquele momento. Segundo UOL, exame de corpo de delito deu negativo, por isso o cantor foi indiciado por vias de fato, e não por lesão corporal.

Victor disse que não tinha exata lembrança do momento do ocorrido, em seu depoimento, mas que não era sua intenção agredir e só queria que ninguém se aproximasse da filha naquela circunstância. Nem ele nem a ex-mulher quiseram comentar o caso com a Record.

Quando o caso se tornou público, Victor, ao lado do irmão Léo, fazia parte do corpo de jurados do The Voice Kids. No entanto, ele acabou sendo afastado do programa por decisão da Globo. O cantor chegou a se manifestar sobre a exclusão e disse que não voltaria a fazer parte da atração.

“Com esta postagem, confirmo minha tristeza diante das pessoas que, diariamente, perguntam-me carinhosamente se eu voltaria ao programa. E por aqui afirmo: Não. A informação de manter o programa como foi gravado foi mentirosa. Editaram minha imagem às claras e isso foi desrespeitoso e profano”, disse.

Atualmente, Victor e Léo se separaram. Léo até chegou a falar sobre o término da dupla no Altas Horas.

“As pessoas ficam muito em dúvida sobre separação ou pausa do Victor & Leo. A gente deu uma pausa porque tanto eu como ele tem certeza que no futuro a gente se encontra. Não é uma separação onde você vai cada um para o lado definitivamente. Sabemos que vamos voltar, mas não agora”, explicou.  Com informações do Coreio da Bahia.

 

Pastores brasileiros são detidos em Portugal acusados de tráfico de pessoas


Imagem de avião em Portugal
Brasileiros eram obrigados a pagar até 300 euros de aluguel para viver nos locais de culto, além de dízimo mensal

Três pastores brasileiros foram detidos nesta quinta-feira (9) em Portugal, acusados de tráfico de pessoas e auxílio à imigração ilegal.

De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), responsável pelas prisões, os líderes evangélicos atraíam cidadãos no Brasil com a promessa de trabalho e legalização da situação migratória no país europeu.

Durante a ação, que incluiu cinco mandados de busca na zona da Grande Lisboa, foram encontrados cerca de 30 brasileiros, que eram alojados pelos pastores nos locais em que ocorriam os cultos — em condições muito precárias, segundo a autoridade imigratória. Fonte:BBC.

 

Estes remédios causam mais mortes do que a cocaína


Tratamento para ansiedade e insônia estão entre os principais alvos.

É cada vez mais comum ouvir de algum amigo, parente ou colega de trabalho que está tomando algum medicamento para regular o sono ou para ansiedade. No entanto, em estudos recentemente publicados, cientistas descobriram que estes remédios podem matar mais do que a cocaína.

A grande vilã é a benzodiazepina, uma substância presente nos remédios para insônia e ansiedade que pode causar dependência e abstinência nas pessoas em tratamento.

A pesquisa sobre a benzodiazepina

Apesar do nome complicado, a substância está presente em remédios populares como o Rivotril, Valium, Ativan e Xanax. Juntos, eles matam mais do que a cocaína e a heroína juntos, como mostra pesquisas publicadas no American Journal of Health.

No primeiro estudo feito com 2.802 participantes que são usuários de remédios que contêm a benzodiazepina na Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá. De acordo com os resultados, o uso excessivo desses remédios aumenta em quase duas vezes o risco de morrer. Do total de participantes, 18,8% morreu, mesmo após os pesquisadores terem isolado fatores que poderiam aumentar o risco tais como o uso de drogas ilícitas.

Já a segunda pesquisa, estava relacionada ao uso da benzodiazepina e a hepatite C. De acordo com os resultados, a probabilidade de infecção é 1,67 vezes maior.

Cuidado no tratamento

A insônia e ansiedade são doenças sérias e que merecem toda atenção. No entanto, a Organização Mundial da Saúde alerta que remédios que contenham a benzodiazepina só devem ser usados em situações gravíssimas devido o alto risco de dependência e abstinência.

Alguns pequenos exercícios diários podem ajudar a controlar a ansiedade, como mostra este vídeo:

É preciso estar sempre atento aos sinais do corpo e conversar com o seu médio. Compartilhe estas informações importantes com os amigos e familiares.

 

‘Se aproveitaram da fraqueza dele com relação ao álcool, diz irmã de catador de material reciclável que morreu após aceitar aposta


Polícia não descarta a possibilidade de crime no caso.
'Se aproveitaram da fraqueza dele com relação ao álcool, diz irmã de catador de material reciclável que morreu após aceitar aposta

Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Civil de Feira de Santana não descarta a possibilidade de existência de crime no caso da morte do catador de material reciclável Wellington Cardoso da Silva, de 39 anos. Ele morreu na quarta-feira (8), após ingerir toda a bebida alcoólica que estava em uma garrafa em troca de R$20. A bebida foi oferecida por supostos colegas da vítima e as imagens da aposta circularam nas redes sociais. Também circularam pelas redes sociais outros dois vídeos onde o catador aparece desacordado e os colegas despejam água em seu rosto no intuito de reanimá-lo e sem seguida outro vídeo no qual Wellington aparece em cima de uma carroça, sendo socorrido por dois homens para a policlínica do Conjunto George Américo.

Irmã da vítima (Foto: Ed Santos/Acorda Cidade)

Janaína Cardoso da Silva, irmã de Wellington, lamentou a morte do irmão e na opinião dela, as pessoas que fizeram a aposta para que ele ingerisse toda a bebida se aproveitaram da fraqueza dele com relação ao álcool. Ela afirmou em entrevista ao Acorda Cidade que desde pequeno, o irmão lutava contra o vício e inclusive a família estava buscando interná-lo em um centro de recuperação para alcoólatras. Ela salientou que a família quer justiça e que Wellington morava sozinho, trabalhava como catador de materiais para custear a bebida alcoólica e deixou uma filha de 13 anos.

“Foi uma brincadeira de mau gosto. Se aproveitaram da fraqueza dele para fazer essa maldade. Ele costumava beber com os amigos e bebia todos os dias. Até agora eu não sei direito como aconteceu. Recebi a notícia de que ele chegou à policlínica morto. Vamos dar uma queixa às autoridades e aguardar para ver o que acontece”, comentou.

Investigações

O delegado Alisson Cardoso afirmou em entrevista ao Acorda Cidade que a polícia analisa as imagens do fato e que aguarda o resultado do laudo da necropsia para saber qual foi a causa da morte de Wellington. Segundo ele, a hipótese de homicídio não é descartada e investigação vai ouvir também familiares, buscar informações sobre o comportamento da vítima e se era comum esse tipo de comportamento de ingerir bebidas alcoólicas. Ele informou que o fato foi registrado como morte a esclarecer.

Delegado Alisson Cardoso (Foto: Ed Santos/Acorda Cidade)

“Ainda não há um crime definido, mas nós não descartamos a possibilidade de que ao final de um inquérito policial nós cheguemos até a conclusão de um crime. Na verdade o laudo vai ser emitido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). A policlínica nos acionou em virtude de ter chegado até lá o corpo de um homem. Com remoção desse cadáver até o DPT, nós aguardamos o laudo da perícia para definir a causa da morte. A gente tem um leque de possibilidades e eu não descarto nenhuma possibilidade, inclusive a de não haver crime. A investigação está sendo feita com base na atipicidade. Não obstante, nós temos que ver vários fatores, ouvir pessoas, buscar outros indícios e caso seja vislumbrado pela Polícia Civil a existência de um crime, nós faremos os devidos indiciamentos e seguiremos conforme a lei determina”, explicou.

O delegado declarou que a morte de Wellington tem interesse policial e para toda a sociedade e que no primeiro momento a polícia não fala em pessoas acusadas.

“A Polícia Civil não descarta a possibilidade de um crime ainda. Mas, nós podemos chegar sim até a possibilidade também de um homicídio culposo, quando a gente verifica que houve uma imprudência , negligência, ou imperícia por parte de algumas pessoas. Podemos chegar a conclusão ainda de um homicídio doloso que é aquele que há intenção de matar. Caso a gente verifique que haja a existência de um homicídio doloso, as pessoas normalmente responderão pelo crime de homicídio. E, não basta que a pessoa tenha a intenção, mas que ela assuma o risco sabendo que a pessoa poderia sofrer o resultado. Configurado dessa maneira não há nada que impeça que a Polícia Civil faça os devidos indiciamentos por meio de um homicídio doloso daquelas pessoas que estejam envolvidas diretamente com a morte do referido senhor”, acrescentou. Fonte: Acorda Cidade.

Número de feminicídios cresceu 32% na Bahia em 2019


Foram 101 crimes contra a mulher no ano passado. Já em 2018, foram 76.

[Número de feminicídios cresceu 32% na Bahia em 2019]
Foto : Marcos Santos/USP Imagens

O número de feminicídios aumentou 32% em 2019 na Bahia, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) hoje (13). O acréscimo ocorre mesmo diante da redução de crimes violentos no estado, que foi registrado no ano passado.

De acordo com o BNews, o secretário de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, informou que foram 101 crimes contra a mulher no ano passado. Já em 2018, foram 76.

“Esse é o grande desafio. As causas do feminicídio são múltiplas, então o foco que nós, juntamente com outras instituições que zelam pela defesa da mulher, vítima de violência são multi causas e a gente tenta atuar em muitas delas, ainda não com a capacidade que a gente gostaria”, disse o secretário.

Para o titular da SSP-BA, com a aplicação de punições pela Justiça, a ocorrência desse tipo de crime tende a diminuir. Com informações do Metro1.

ÁGUA SUJA NO RIO. Medo de contaminação faz água mineral sumir dos supermercados


Diversos bairros estão recebendo água suja da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) há pelo menos uma semana

Diversos bairros do Rio de Janeiro e região metropolitana estão recebendo água turva da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) há pelo menos uma semana. O medo de contaminação fez com que a busca por água mineral em supermercados aumentasse na capital, onde as prateleiras ficaram mais vazias nesta semana.

Em alguns estabelecimentos, como as unidades do Prezunic, a venda quintuplicou em apenas três dias. Reportagem do jornal O Globo visitou quatro supermercados no Rio, dos quais apenas metade tinha em seu estoque água mineral natural e, nos outros dois, apenas com gás.

Os principais mananciais que fornecem água para a Estação do Guandu, responsável pelo abastecimento de grande parte do Rio, estão poluídos. Este é o principal motivo para a qualidade ruim da água que tem sido distribuída na capital fluminense.

Em Barra do Piraí, o Rio Paraíba do Sul, de onde vem 90% da água do Rio Guandu, a aparência é barrenta. “Essa água indica altíssima poluição. A gente vê, bem claramente, o alto grau de degradação da bacia, com ocupação das faixas marginais, desmatamento. A água vai passando pelas cidades e você vê as manchas de poluição entrando no rio. E lamentavelmente esta é a água que estamos bebendo”, destacou Adacto Ottoni, professor e engenheiro sanitarista da Uerj, em entrevista ao G1.

Fonte Revista Forum.

Atleta palestino ao responder a Flávio Bolsonaro: “pensei que seu pai era o único idiota da família”


 

O maratonista palestino Mohammad Alqadi respondeu a um tuíte antigo onde o senador Flávio Bolsonaro (sem partido) ataca seu povo:

Bnews Eu pensei que o único idiota da família é seu pai. Mas agora entendo que você está competindo com seu pai. O mais idiota da família”.

Alqadi, que é conhecido por militar pela liberdade do seu país, escreveu ainda: “Pare de atacar palestinos. Nós amamos o povo brasileiro, exceto sua família”.

O atleta resgatou post onde Flávio Bolsonaro coloca uma imagem de um homem com a bandeira da Palestina com a legenda: “Quero que vocês se explodam”.

Flávio Bolsonaro deletou a postagem tempos depois. A provocação foi uma resposta ao Hamas, grupo radical islâmico, que emitiu uma nota de repúdio à abertura de um escritório do governo brasileiro em Jerusalém, Israel.

O atleta faz parte da comunidade “Runners For Freedom” (Corredores pela liberdade), de esportistas que competem pela “paz, direitos humanos e um futuro melhor”.

Ver imagem no Twitter

Com informação da Forum.

Jovem de 21 anos morre em acidente na BR 116 próximo a Manoel Vitorino


Na madrugada deste sábado (11), um grave acidente envolvendo um carro de passeio e uma carreta deixou uma pessoa morta e outras duas feridas no km 682 da BR-116, próximo a Manoel Vitorino.

Segundo o Blog do Jeferson Almeida, Vinicius Cruz Cerqueira, de 21 anos, morreu na hora. O seu corpo foi removido para o Instituto Medico Legal (IML) de Jequié.

Equipes da ViaBahia e do Samu 192 estiveram no local e socorreram os feridos para o Hospital Geral Prado Valadares (HGPV).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou a ocorrência e apura as causas do acidente, mas, como na maioria dos acidentes, sempre há um culpado, o que é preciso ser eliminado gradativamente, éformas erradas de dirigir, através de informação em campanhas nacionais, para que os condutores de veículos aprendam a respeitar mais as regras e as vidas. Quando todos passarem a dirigir como manda a lei, certamente os acidentes cairão em 99%.

Fonte Mídia Bahia

Veja relatos de segurados que esperam por resposta do INSS para seus pedidos


Em busca do auxílio-doença, a atendente Sabrina Ferreira Santos peregrinou entre duas agências até ser atendida no Rio de Janeiro. Em uma delas, só havia um atendente e foi informada que o sistema caiu. Na outra, havia dois funcionários.

“Eles falam para ligar para eles, mas quando liga pede para ir na agência e quando vai na agência pede para ligar. E fica nisso. Até agora não sei de nada, só sei que me deram laudo da minha perícia e de resto não sei de mais nada. (O dinheiro) faz muita falta. Estou atrás do dinheiro para pagar as contas, estou afastada (por motivos de doença) há 3 meses”.

Já Débora de Jesus estava atrás do benefício para o filho deficiente. Diarista, ela às vezes deixa de trabalhar para ficar na fila do INSS à espera de uma resposta. “Vai fazer um ano agora no dia 25 de janeiro (que entrei com o pedido do benefício)”, lamentou.

“Eu venho direto (na agência), estou olhando no site, estou vindo uma vez por semana e estou olhando todo dia e até agora nada. Meu filho está fazendo muito exames, vai operar, vai fazer a terceira cirurgia e até o cartão de passagem dele já foi vencido. Estou tentando ver se consigo fazer de novo, a gente gasta muito dinheiro porque é muita passagem, internação, alimentação é tudo né?”

Filas e dificuldades

Na agência central do INSS em Belo Horizonte, também havia fila quinta-feira (9). “Olha quanta gente na fila, precisava disso não menino, para ganhar um salário mínimo. Isso é um absurdo. Tem que ficar nessa fila enorme, humilhante, humilhante mesmo”, disse a autônoma Efigênia Soares de Oliveira.

Em Brasília, o vigilante João Braghirolli também relatou dificuldade. Nesta quinta-feira, foi a um posto do INSS pela quinta vez. Ele já tentou um agendamento pelo site e pelo aplicativo do INSS. “(Desde) o dia 05 de novembro estou tentando”, afirmou. “Fiz uma cirurgia de córnea e é esse descaso com o trabalhador. Total falta de respeito”. disse. Segundo o vigilante, a justificativa dos funcionários do INSS para tanta demora é a falha no sistema.

Por meio de nota, o governo informou que “não há fila para atendimento em casos de perícia médica.”

8 meses de espera por aposentadoria

Claudete Tassi espera há 8 meses uma resposta do INSS — Foto: Arquivo pessoalClaudete Tassi espera há 8 meses uma resposta do INSS — Foto: Arquivo pessoal

Claudete Tassi espera há 8 meses uma resposta do INSS — Foto: Arquivo pessoal

A assistente administrativa Claudete Tassi, de 49 anos, aguarda desde 28 de maio do ano passado uma resposta do INSS para seu pedido de aposentadoria por tempo de contribuição.

“São 8 meses de espera e nada, eles falam que meu pedido está em análise”.

Claudete conta que descobriu que faltavam 11 anos de contribuição quando entrou no site Meu INSS. Os 29 anos e 8 meses de contribuição caíram para 18 anos. “Tive que ir na agência para comprovar todos esses anos com a carteira profissional e o contrato de trabalho e fazer o pedido”, disse.

Falta pouco para ela se aposentar, pois já está com 30 anos e 3 meses de contribuição. “Falaram que iriam verificar o erro para autorizar o pedido de aposentadoria. Voltei à agência e recebi como resposta que a análise estava atrasada e que era preciso esperar”, contou.

A angústia de Claudete também é devido à recusa do auxílio-doença pelo INSS, que a mandou retornar ao trabalho mesmo após três cirurgias na coluna no ano passado. “Não recebo nada desde novembro, por isso estou esperando a aposentadoria sair”, afirmou.

Sem prazo definido

Marili Masoni, de 50 anos, está no processo para pegar a aposentadoria do marido desde setembro  — Foto: Marcelo Brandt/G1Marili Masoni, de 50 anos, está no processo para pegar a aposentadoria do marido desde setembro  — Foto: Marcelo Brandt/G1

Marili Masoni, de 50 anos, está no processo para pegar a aposentadoria do marido desde setembro — Foto: Marcelo Brandt/G1

Marili Masoni, de 50 anos, foi a uma agência do INSS em São Paulo nesta quinta-feira (9) para mostrar a carta de dependente do marido, mais uma etapa para conseguir a aposentadoria que tenta desde setembro.

“Eles não dão uma data certa de quando você vai receber, só mandam aguardar”, afirmou a manicure.

O valor está fazendo falta na renda da família, porque, desde que o marido morreu, ela não está trabalhando. “Eu parei de trabalhar porque tem coisas a resolver e porque eu não pude deixar meu filho sozinho. A renda vai me favorecer muito”, explicou.

É a filha mais velha que está ajudando nos trâmites na internet. “Eles falaram que isso ia melhorar, mas eu achei que ficou mais demorado”, opinou Marili. “Quando está em análise é porque está numa fila, fica nessa análise e você nunca tem uma posição. Se liga no 135 eles não sabem informar.”

Para a manicure, não saber quando vai receber o benefício é um dos maiores problemas.

“Você fica no aguardo até eles mandarem uma exigência para trazer o documento, você fica no ar sem saber. O ruim é isso sem uma posição, sem um prazo certo.”

Matéria na íntegra do G1

INSS afirma que não tem como zerar a fila dos benefícios em menos de 6 meses

INSS afirma que não tem como zerar a fila dos benefícios em menos de 6 meses

Medidas anunciadas em agosto do ano passado com o objetivo de zerar o estoque de pedidos como a otimização da força de trabalho e digitalização do atendimento parecem não ter surtido efeito.

E, dois meses após a aprovação da reforma da Previdência, os sistemas ainda não foram adaptados às novas regras, o que está travando principalmente os pedidos de aposentadoria. Segurados relatam problemas também para obter benefícios como salário-maternidade e auxílio-doença.

O governo reconhece que existe o problema e que a solução deve demorar. Mas não há um prazo oficial para zerar a fila de análise de pedidos.

O prazo para que o INSS analise os pedidos de benefícios é de 45 dias. Mas, de acordo com o próprio órgão, o estoque de pedidos de benefícios era 1,990 milhão no ano passado, mas 1,3 milhão não foram concluídos até agora, ou seja, cerca de 65% dos requerimentos estão travados à espera de resposta do órgão, segundo mostra reportagem do Jornal Hoje.

De acordo com o instituto, todos os sistemas de concessão de benefícios estão tendo que ser ajustados, já que nenhum cálculo ou definição de valores de benefícios concedidos são feitos de forma manual pelos servidores.

No caso dos pedidos para aposentadoria, o diretor de atendimento do INSS, Castro Junior, reconheceu que o sistema ainda não está adaptado às novas regras introduzidas pela reforma da Previdência e deu prazo pra situação ser regularizada.

Segundo ele, a expectativa é que ainda no primeiro trimestre as adaptações estejam concluídas para agilizar os atendimentos e a concessão de benefícios.