(77) 99152-6666

Japão diz ter detectado nova variante do coronavírus em viajantes que estiveram no Brasil


Japão diz ter detectado nova variante do coronavírus em viajantes que estiveram no Brasil
Crédito da Foto: ilustrativa/Pixabay

O Ministério da Saúde do Japão divulgou neste domingo (10/1) que foi detectado no país uma nova variante do coronavírus. A mutação foi observada em quatro viajantes que estavam no estado do Amazonas, no Brasil,  e retornaram ao Japão em 2 de janeiro. A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde brasileiro, que disse ter sido notificado pelo governo japonês.

A infecção foi diagnosticada ainda no aeroporto de Haneda, em Tóquio. O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas do Japão (NIID, na sigla em inglês) analisou as amostras colhidas dos pacientes e confirmou tratar-se de uma nova cepa da doença, diferente de duas outras já identificadas no Reino Unido e na África do Sul e que se mostraram altamente infecciosas.

“No momento, não há provas de que a nova variante encontrada nos brasileiros seja altamente infecciosa”, disse Takaji Wakita, diretor do instituto japonês, no comunicado. O governo japonês disse que também investiga se as vacinas disponíveis são eficazes contra a nova variante do coronavírus. Do Aratuon

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Número de casos de coronavírus aumenta nos bairros do Subúrbio


Apesar do crescimento, nenhum bairro do Subúrbio está entre os dez bairros com maior número de casos confirmados

[Número de casos de coronavírus aumenta nos bairros do Subúrbio]
Foto : Jefferson Peixoto/Secom

Os casos de coronavírus aumentaram em diversos bairros do Subúrbio Ferroviário, de forma exponencial, entre outubro e dezembro do último ano, de acordo com levantamento feito pelo Grupo GeoCombate Covid-19 BA, ligado à Universidade Federal da Bahia (Ufba). A pesquisa aponta que os bairros de Itacaranha, Plataforma, São João do Cabrito, Alto do Cabrito e Lobato são algumas das regiões que tiveram aumento nesses três meses.

Entretanto, apesar do crescimento, nenhum bairro do Subúrbio está entre os dez bairros com maior número de casos confirmados, de acordo com a SMS. Do Metro1

Confira os casos de coronavírus registrados no Subúrbio:

  • Paripe: 1738
  • Plataforma: 1530
  • Periperi: 1519
  • Lobato: 1214
  • Fazenda Coutos: 930
  • Coutos: 851
  • Itacaranha: 499
  • São João do Cabrito: 124
  • Alto da Terezinha: 152
  • Rio Sena: 359
  • Praia Grande: 386
  • Nova Constituinte: 41

Casos de feminicídio voltam a assustar o Estado do Rio; estatísticas preocupam


Polícia faz investigações na Penha e nas cidades de Paraty e Teresópolis. Mulheres foram mortas em um intervalo de 36 horas

 

Casos de feminicídio voltam a crescer no Rio de Janeiro
Agência Brasil

Menos de duas semanas depois de a juíza Viviane Vieira do Amaral ter sido assassinada a facadas pelo ex-marido na frente das três filhas , na Barra da Tijuza, novos casos de violência contra a mulher voltam a assombrar o Estado do Rio.

Em 36 horas, três jovens foram vítimas de feminicídio na Penha, na Zona Norte da capital, e nas cidades de Paraty e Teresópolis. Na cidade da Região Serrana, Natália da Silva Fonseca de Souza, de 29 anos, foi morta na sua casa, na localidade de Jardim Feo, no bairro de Barra do Imbuí, na noite de segunda-feira, dia 4. O suspeito é seu ex-marido, Alexsandro Fonseca de Souza, que tentou se suicidar e está hospitalizado. Ele foi autuado em flagrante.

No mesmo dia, quase 12 horas antes, uma adolescente de 14 anos não resistiu a disparos que teriam sido feitos por um ex-namorado em Paraty, na Costa Verde. E, na capital, a Polícia Civil investiga o desaparecimento de Bianca Lourenço, de 24 anos e há a suspeita de que um traficante da Favela da Kelson’s mandou executá-la por ciúme .

Um levantamento do Instituto de Segurança Pública mostra que, em 2019, aconteceram 85 casos de feminicídio no Estado do Rio, um aumento de 19,7% em relação a 2018, que teve 71 registros. Os números de 2020 ainda não foram divulgados, mas o ano já ficou marcado por um assassinato que chocou todo o país. A juíza Viviane Vieira do Amaral foi esfaqueada 16 vezes pelo ex-marido, o engenheiro Paulo José Arronenzi, diante das filhas, duas gêmeas de 7 anos e uma menina de 9. O crime aconteceu na Zona Oeste da cidade, no momento em que ela entregava as crianças ao pai, com quem passariam a noite de Natal.

No Brasil, dados do Fórum de Segurança Pública mostram que, em 2019, mais de três mulheres foram vítimas de feminicídio por dia. Em apenas um ano, 1.326 famílias perderam uma mãe, uma filha, uma irmã, para esse tipo de crime. Em quase 90% dos casos, o assassino foi o companheiro ou o ex-companheiro da vítima.

De acordo com a juíza Adriana Mello, titular do 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Capital, o Brasil vem fortalecendo o sistema de punição aos crimes contra as mulheres, mas ainda há carência de políticas de prevenção à violência e campanhas de conscientização. Segundo a magistrada, é necessária uma mudança de cultura para frear a violência contra as mulheres.

“O feminicídio faz parte de um ciclo de violência que a mulher sofre e do qual ela demora às vezes de sete a oito anos para sair. Às vezes, esse ciclo começa como uma violência psicológica e a mulher nem nota”, diz a juíza.

Ciúmes marcam os casos

Por quase um ano, Bianca namorou um acusado de envolvimento com o tráfico da comunidade. Ela terminou o relacionamento há cinco meses, e desde então, segundo amigos, vinha sendo ameaçada e perseguida.

“Esse cara já foi armado à rodoviária para não deixá-la viajar. E, uma vez, chegou a fechar a Avenida Brasil, numa tentativa de sequestrar Bianca. Mas não conseguiu”, disse uma amiga da jovem, que vinha morando com o pai em Nova Iguaçu, depois de ser agredida pelo ex-namorado na Kelson’s.

Recentemente, Bianca publicou numa rede social um desabafo, no qual dizia estar feliz por voltar a viver em paz. Porém, sua tranquilidade acabou quando decidiu passar o réveillon na comunidade da Penha, na casa de uma amiga.

“O ex-namorado descobriu e foi até lá, armado com um fuzil. Arrastou a menina até um carro”, contou um morador da favela, acrescentando que circulam boatos de que Bianca teria sido jogada, morta, na Baía de Guanabara. O caso vem sendo investigado pela 22ª DP (Penha), e informações podem ser passadas ao Disque-Denúncia (2253-1177).

Para investigadores, não há mistério em torno do assassinato de Natália. Ela tinha se separado em outubro de Alexsandro, que se encontra internado sob custódia policial no Hospital das Clínicas de Teresópolis. De acordo com parentes, ele estava inconformado com o fato de a ex-mulher ter começado um outro relacionamento.

“Ao saber da história, Alexsandro pegou uma arma e foi atrás dela. Deu três tiros e tentou se matar. Ela era muito dedicada e estudiosa, muito querida por todos nós. Só queremos justiça”, disse Isabela Gomes, prima da vítima.

A polícia não divulgou o nome do suspeito de matar a adolescente em Paraty, mas também trata o caso como feminicídio. Parentes e amigos da jovem, que faria 15 anos este mês, já foram ouvidos. O suposto assassino seria um traficante da Costa Verde.

Fonte: undefined – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2021-01-06/casos-de-feminicidio-voltam-a-assustar-o-estado-do-rio-estatisticas-preocupam.html?utm_source=pushnews&utm_medium=pushnotification

Fonte: undefined – i

 

Arrocho de Bolsonaro e inflação de alimentos derrubam poder de compra do salário mínimo


Projeções apontam para o mais baixo poder de renda do salário mínimo desde 2005, pelo segundo ano consecutivo de Bolsonaro. A diferença é que há 16 anos havia uma política de valorização do salário mínimo em vigor. Bancada do PT na Câmara luta pela retomada do auxílio emergencial e do BPC

Inflação de alimentos compromete renda dos trabalhadores

 

Principais vítimas da inflação dos produtos da cesta básica em 2020, as famílias com renda mais baixa (rendimento familiar mensal menor que R$ 1.650,50) terão a situação agravada este ano. A começar pelo salário mínimo, que pela segunda vez consecutiva foi reajustado pelo desgoverno Bolsonaro apenas com base na inflação, sem o aumento real dos tempos dos governos do Partido dos Trabalhadores.

Segundo o instituto, o salário mínimo de R$ 1.100,00 em 2021 terá novamente menor poder de compra em relação aos produtos da cesta básica desde 2005. O Dieese calcula em R$ 696,71 o valor da cesta básica em São Paulo neste mês. Assim, o salário mínimo reajustado equivale a 1,58 cesta básica, mesma proporção de 2020 e a menor desde 2005 (1,60). De 2006 a 2019, a proporção permaneceu próxima ou acima de duas cestas, chegando a 2,16 em 2017.

O resultado poderá ser ainda pior, uma vez que, no apagar das luzes de 2020, o governador João Doria editou decretos para inserir o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no preço de alguns produtos no estado, incluindo leite e produtos hortifrutigranjeiros.

Em dezembro, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada informou que o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda referente a novembro para os mais pobres foi de 1% em novembro, totalizando 4,6% nos primeiros onze meses do ano – três vezes maior do que a inflação das classes mais ricas. Na comparação com novembro de 2019, a taxa de inflação da renda muito baixa aumentou 85%.

A discrepância ocorre porque o impacto da inflação dos produtos da cesta básica é maior justamente sobre a população mais pobre. O grupo “alimentos e bebidas” foi responsável, sozinho, por 75% da inflação da classe de renda muito baixa no período pesquisado pelo Ipea. Para completar, também o aluguel ficará mais alto, pois o IGP-M, que serve como referência para o reajuste desse valor, subiu cerca de 25%.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que 50 milhões de trabalhadores têm rendimento referenciado no salário mínimo. Além de corrigir salários, o índice é usado para reajustar o abono salarial do PIS/PASEP e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos carentes e deficientes físicos carentes, e também benefícios previdenciários pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o seguro- desemprego.

Ainda segundo o Dieese, o salário mínimo ideal para que uma família de quatro pessoas pudesse se sustentar deveria ter sido de R$ 5.289,53 em novembro de 2020. O valor supriria as despesas de um trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, saúdeeducação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Mas o ministro-banqueiro da EconomiaPaulo Guedes, que nunca teve um programa para fomentar a geração de postos de trabalho de qualidade e insiste na retirada de proteções trabalhistas como forma de aumentar o número de contratados, é contra qualquer aumento para o mínimo. Em setembro passado, durante audiência no Congresso, chegou a afirmar que, em tempos de crise, isso seria “condenar as pessoas ao desemprego”.

Além disso, Guedes também pressionou pelo fim do auxílio emergencial, o que causará ainda mais impactos sobre o grupo dos mais pobres, que não será beneficiado pela geração de postos de trabalho em número suficiente, o que obrigará trabalhadores informais a irem para a rua em busca de sustento. Soma-se a isso a demora no processo de vacinação e a ausência de perspectiva para imunizar toda a população, que vai expor essas pessoas ao contágio.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Covid do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em 23 de dezembro, mostrou que 14,1 milhões de brasileiros procuraram trabalho naquele mês, mas não conseguiram – taxa recorde de 14,2%. São quatro milhões de desempregados a mais do que em maio de 2020.

Não à toa, a expectativa da maioria da população brasileira com a economia do país em 2021 é de que não haverá melhora. É o que mostra pesquisa Datafolha divulgada na segunda (4) pelo jornal ‘Folha de São Paulo’. Para 69% não haverá recuperação neste ano. Entre os entrevistados, 41% acreditam que a economia vai piorar e 28% acham que a situação fica como está. Isso significa que sete entre dez brasileiros mantêm previsões pessimistas para o ano.

“Para 2021, as expectativas do mercado financeiro são de retomada do crescimento, após a contração da economia registrada em 2020 por causa da pandemia. Esse crescimento, no entanto, não será suficiente para repor as perdas verificadas no ano passado, o que só deve ocorrer em 2022”, informa Eduardo Cucolo no texto de apresentação da pesquisa.

Reprodução

Deputado Federal José Guimarães (PT-CE). Foto: Gustavo Bezerra

PT defende prorrogar o auxílio emergencial

O líder da Minoria da Câmara dos DeputadosJosé Guimarães (PT-CE), apresentou projeto de lei – autenticado no sistema interno da Câmara – para prorrogar o auxílio emergencial de R$ 600 por mais quatro meses. A proposta prevê que a alteração no calendário de pagamentos já ocorra neste mês. O PL será numerado no início da sessão legislativa de 2021, em fevereiro.

Guimarães defende a adoção permanente de um modelo de renda mínima para os informais. Segundo o petista, é falsa a tese bolsonarista de que o auxílio já cumpriu sua finalidade. “Ainda estamos em pandemia. Não há previsão de vacinação, tampouco de retomada da economia. O auxílio ganha ainda mais importância com o aumento desenfreado do desemprego, que já atinge 14,1 milhões de brasileiros”, afirma.

Logo após o término do recesso do poder legislativo, a Bancada do PT na Câmara também vai apresentar emendas ao texto da Medida Provisória (MP) 1023/2020, que restringe o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC). A medida assinada por Bolsonaro em 31 de dezembro reduziu de meio para um quarto de salário mínimo per capita mensal, por família, o critério de acesso ao benefício pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. Com a medida, até 500 mil brasileiros podem ser excluídos do BPC.

O critério anterior de acesso ao benefício, que vinha sendo utilizado até o final do ano passado, foi instituído pela lei que implantou o auxílio emergencial, que expirou no último dia de 2020. Segundo o líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PR), reduzir o alcance do BPC em plena pandemia vai aumentar ainda mais a pobreza.

“Essa é uma questão de justiça. A MP restringe o acesso dos mais pobres e das pessoas com deficiência ao benefício. Portanto, essa medida do Bolsonaro vai tornar essas pessoas ainda mais pobres. Por isso o PT quer derrubar essa alteração para voltarmos ao parâmetro anterior de acesso ao BPC”, explicou o líder.

O critério de ampliação de acesso ao BPC utilizado até a edição da MP de Bolsonaro foi aprovada em março pelo Congresso, na esteira das medidas emergenciais de combate à pandemia. Apesar de a proposta ter sido vetada por Bolsonaro, o Congresso Nacional derrubou o veto, dando origem à Lei 13.981/2020.

Em uma nova reviravolta, a questão foi submetida a análise do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu a eficácia da norma. A ação deu origem a uma nova Lei (13.982/2020) restabelecendo o critério da renda igual ou inferior a um quarto do salário mínimo para acesso ao BPC, mas com vigência só até 31 de dezembro de 2020.

Da Redação, com CUT e PT na Câmara

 

Cachorro avisa e motociclista salva bebê abandonado perto de lixão


Blacky, o motociclista e o bebê - Fotos: Sibonga WCPD's Facebook
Blacky, o motociclista e o bebê – Fotos: Sibonga WCPD’s Facebook

Um cachorro foi um verdadeiro anjo e virou herói na cidade. Ele parou um motociclista que passava para avisar sobre um bebê recém-nascido abandonado num terreno baldio, perto de um lixão.

O caso aconteceu no final do ano na cidade de Sibonga, a 50 km de Cebu, na Filipinas.

O Gabinete de Proteção à Mulher e Criança (WCPD) da Delegacia de Sibonga informou que cãozinho ficou latindo insistentemente para um motociclista que passava, até ele parar.

O homem chamado Junrell Fuentes Revilla, de 36 anos, disse na delegacia que estranhou a persistência do animal, que não latia para atacar como os outros fazem. Ele então parou a moto e o seguiu para ver o que o bichinho queria.

Quando chegou no terreno baldio, Junrell encontrou um menino recém-nascido chorando, com o cordão umbilical e a placenta ainda presos.

A criança estava enrolada em uma toalha, perto do lixão da cidade.

Rapidamente, Junrell pegou o bebê e levou ao hospital mais próximo para receber os primeiros socorros.

Assistentes sociais assumiram a custódia do bebê enquanto a polícia procura pela mãe.

Eles informaram que a criança passa bem.

O cachorro

O cachorrinho virou assunto na cidade. No início as pessoas achavam que se tratava de um cão sem dono.

Mas depois que a história viralizou, os responsáveis pela ONG ‘Hope for Strays’ descobriram a família dele e o levaram de volta pra casa.

O bichinho estava perdido e o nome dele é Blacky.

Veja o reencontro dele com a família:

Veja o terreno onde o bebê foi encontrado:

 

Com informações do CebuDailyNews e RPA

Ministério da Justiça lança curso sobre investigação de feminicídio


Ministério da Justiça lança curso sobre investigação de feminicídioCrédito da Foto: ilustrativa/Pexels

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) lançou, nesta terça-feira (5/1), o curso “Aspectos Procedimentais do Protocolo Nacional de Investigação e Perícia em Crimes de Feminicídio”, voltado para peritos, agentes de investigação e médicos legistas envolvidos na investigação de crimes contra a mulher.

Esse é o segundo curso sobre o tema. O primeiro, de caráter introdutório, foi disponibilizado em outubro de 2020 a todos os integrantes do Sistema Único de Segurança Pública do País (Susp) eteve como objetivo apresentar a relevância da criação de um protocolo específico para crimes violentos contra a mulher.

Ao concluir a capacitação, os profissionais estarão aptos a identificar as diretrizes nacionais para investigar, processar e julgar as mortes violentas de mulheres. O curso tem quatro módulos e carga horária de 60 horas/aula e o conteúdo abordará temas relacionados às diligências investigativas e aos aspectos procedimentais do protocolo, tanto da perícia criminal e medicina legal quanto da perícia médico-legal.

O material do curso foi desenvolvido por delegados, agentes de investigação e médicos legistas com expertise na investigação desse tipo de crime. Mesmo com um conteúdo voltado ao atendimento de especificidades da atividade investigativa, todos os profissionais do Susp que possuem cadastro na Rede Sinesp poderão se inscrever.

A capacitação online será oferecida por meio da Plataforma de Ensino a Distância da Segen/MJSP e os interessados já podem realizar as matrículas. Fonte:Aratuon

Por meio de decreto, prefeito eleito de Jacobina reduz próprio salário ao mínimo nacional


Por meio de decreto, prefeito eleito de Jacobina reduz próprio salário ao mínimo nacional

Foto: Reprodução / Report News Bahia

O primeiro ato administrativo do prefeito eleito de Jacobina, no Piemonte da Diamantina, foi a redução do próprio salário, por meio de um decreto municipal, que deve ser publicado no Diário Oficial do Município (DOM) nesta terça-feira (4).   Atualmente, o salário do prefeito de Jacobina é de R$ 16 mil reais. Com o decreto, o novo gestor passará a receber durante 12 meses o equivalente a R$1.100,00. 

 

Ao Bahia Notícias, Tiago Dias (PCdoB) explicou a medida. De acordo com ele, será uma forma de ‘viver como o povo’. “Não adianta apenas o discurso, tem que ser na prática. O prefeito tem combustível, telefone, assessoria, e outras coisas que já nos colocam 100 vezes mais à frente do trabalhador e da trabalhadora, além disso tudo, se com um  salário  trabalhador e a trabalhadora conseguem sobreviver, por que o prefeito não consegue”, disse. 

 

Questionado sobre o período de validade do decreto, o gestor de 37 anos que foi eleito com  45,82% dos votos válidos,  disse ao Bahia Notícias que o prazo se justifica por conta de um projeto de lei municipal que pretende aumentar o salário do prefeito em 2022.  “Não adiantaria  tomar agora uma decisão em cima de algo que pode não estar mais valendo no futuro. Quando chegar em janeiro do próximo ano, que a nova lei vigorar, avalio uma nova mudança”, disse.

 

Tiago Dias disse que espera que a medida se estenda para o legislativo municipal e para a classe política de todo o estado.Do BahiaNotícias

Reação à covid leva menina de 6 anos a ficar em coma: “Acreditava ser catapora”, diz mãe


Millie apresentou manchas pelo corpo, febre, vômito e fortes dores (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Millie apresentou manchas pelo corpo, febre, vômito e fortes dores (Foto: Reprodução/Daily Mail)

A britânica e mãe de três Elizabeth Denver, 36 anos, de Steyning, West Sussex, relembrou os momentos de pavor que viveu depois de quase perder sua filha, Millie, 6 anos. O que ela acreditava ser catapora, na verdade, era uma reação à covid que ela sequer sabia que existia. Em depoimento ao Daily Mail, ela contou que Millie começou a se sentir mal na noite de sábado, dia 12 de dezembro, depois que três alunos de sua turma tiveram catapora. A menina apresentou algumas manchas no corpo, ficou pálida, começou a vomitar e teve febre com temperatura de 39,9 graus. Na segunda-feira seguinte, sua temperatura voltou ao normal, mas ela ainda estava sonolenta, sem fome, sofrendo de náuseas e chorando de dor à noite.

Preocupada, a mãe ligou para o pediatra na manhã de terça-feira e foi aconselhada a chamar uma ambulância. Millie chegou ao hospital de Worthing por volta do meio-dia e transferida à noite, em coma induzido, para o hospital de Southampton. Ela permaneceu incosciente por dois dias e seus pais foram informados pela equipe médica que Millie tinha uma condição chamada Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica Temporariamente Associada ao Sars-CoV-2 (SIM-P) — uma reação à covid-19, que ela devia ter contraído algumas semanas antes, mas estava sem sintomas. “Eu estava realmente pirando. Minha mãe é enfermeira e, quando liguei do hospital para contar o que estava acontecendo, ela começou a chorar. Então, eu soube que as coisas estavam realmente sérias. Antes de colocá-la em coma, meu marido, Glen, perguntou se ela poderia morrer, e a enfermeira falou que não sabia dizer. Não tínhamos ideia de que ela estava com covid. Até ficar doente no sábado, 12, ela estava completamente normal e é uma menina muito ativa. Ela tinha ido para a escola e feito tudo que ela normalmente fazia”, lembra.

Millie apresentou manchas pelo corpo (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Millie apresentou manchas pelo corpo (Foto: Reprodução/Daily Mail)

“Todos os seus sintomas eram consistentes com catapora, mas quando as manchas não começaram a formar bolhas, fiquei preocupada. Ela estava com tantas dores no carro que você não conseguia tocá-la. Eu tive que carregá-la para o hospital e segurá-la porque ela estava toda mole”, contou. A língua da menina também adquiriu uma cor branca e espessa pouco antes de chegar ao hospital — o que geralmente é consistente com uma infecção de garganta, mas a garganta dela estava bem.

Os exames de sangue revelaram que o fígado e os rins de Millie estavam lutando. “A princípio, eles perceberam que ela estava com uma infecção em algum lugar, mas não conseguiram resolver. A frequência cardíaca dela estava muito alta e eles disseram que iriam colocá-la para dormir, dar um descanso aos órgãos e ajudar seu corpo a se recuperar. Quando a transferiram, ela estava dormindo, com tubos por toda parte e amarrada a um carrinho. Meu coração batia tão rápido e eu me sentia mal, não podia perder meu bebezinho. Eu senti que não conseguia respirar. Eu não pude viajar na ambulância com ela por causa da covid. Eu simplesmente não conseguia lidar com isso. Eu precisava ficar com ela”, conta.

Elizabeth, que também é mãe de Elsie, 9 anos, e Felicity, 12, disse que Millie ficou oito dias se recuperando no hospital, mas, felizmente, a menina recebeu alta no dia 23, a tempo para o Natal. Segundo a mãe, a recuperação foi rápida com o auxílio da fisioterapia. “Foi um alívio ouvi-la rir com as irmãs na véspera de Natal. Dias depois, passamos por parques cheios de crianças brincando juntas. Ninguém sabe que a covid pode ser tão ruim para eles”, finalizou.

Millie se recuperou a tempo para o Natal (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Millie se recuperou a tempo para o Natal (Foto: Reprodução/Daily Mail)

O QUE SE SABE SOBRE A SIM-P

Segundo o Daily Mail, o NHS enviou um alerta no dia 27 de abril para os médicos ficarem atentos aos sinais da síndrome. Na época, eles disseram que os casos tinham começado a surgir há três meses, eram raros em Londres, mas desde então, eles se espalharam por todo o país. Estima-se que entre 75 e 100 crianças foram infectadas. A maioria hospitalizada com a doença apresentou febre alta, fortes dores abdominais e diarreia. Alguns desenvolveram erupção na pele e olhos ou lábios vermelhos, enquanto um grupo muito pequeno entrou em choque, no qual o coração é afetado e podem ficar com as mãos e os pés frios e ter respiração ofegante.

Os sintomas são semelhantes aos causados ​​pela doença de Kawasaki, uma condição rara, mas tratável, que afeta cerca de oito em cada 100 mil crianças a cada ano no Reino Unido. Os médicos têm quase certeza de que a doença é causada pelo coronavírus, mas ainda não conseguiram provar. Segundo eles, nem todas as crianças que tiveram a síndrome apresentaram teste positivo para a covid no momento em que ficaram doentes, mas todos tiveram resultados positivos para anticorpos, o que significa que já tiveram o coronavírus no passado. Isso sugere que possa ser um “fenômeno pós-infeccioso”, causado por uma reação exagerada tardia do sistema imunológico, que pode acontecer semanas ou até um mês depois que a criança foi infectada. Segundo a pediatra Liz Whittaker, do Imperial College Healthcare, em Londres, disse que, geralmente, as crianças ficam muito doentes por quatro a cinco dias e começam a se recuperar alguns dias após o início do tratamento.

NO BRASIL

Em maio deste ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) emitiu um alerta sobre a síndrome inflamatória. “Crianças e adolescentes infectados, apesar de apresentarem preferencialmente formas assintomáticas, leves ou moderadas da doença [coronavírus], podem desenvolver manifestações clínicas exuberantes e graves. O documento faz referência aos casos do Reino Unido, completando que também foram registrados casos em países como França, Espanha, Itália e Estados Unidos.

+ Covid em crianças: a pediatra Ana Escobar fala sobre os sinais de alerta para quadros mais graves

De acordo com o Boletim Epidemiológico 45 do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 511 casos da Síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P) temporalmente associada à COVID-19 até a Semana Epidemiológica 43, que foi até 24 de outubro. Os casos foram em crianças e adolescentes de 0 a 19 anos, com aumento de 13 casos em relação à Semana Epidemiológica anterior. Há registro de 35 óbitos. Dos casos, 76,7% possuem evidência laboratorial de infecção recente pelo SARS-CoV-2 – os demais (23,3%) histórico de contato próximo com caso confirmado para covid. A predominância de infecções ocorreu em crianças menores, nas faixas etárias de 0 a 4 anos (39,9%) e de 5 a 9 anos (32,9%). Dentre os óbitos, 60% ocorreram em crianças de 0 a 4 anos. Da RevistaCrescer

Retomada das aulas na Bahia em fevereiro é ‘pouco provável’, avalia imunologista


Retomada das aulas na Bahia em fevereiro é 'pouco provável', avalia imunologista

Foto: Camila Souza/GOVBA

As especulações para o retorno das aulas presenciais nas escolas da Bahia são muitas. Válida desde 18 de março, a interrupção das atividades nas escolas públicas e privadas do estado foi uma das primeiras medidas adotadas pelo governo estadual para tentar frear a contaminação da Covid-19. Mas o imunologista Gustavo Cabral considera “pouco provável” retomar as aulas em fevereiro.

 

A Bahia, e outros estados brasileiros, lidam com uma nova escalada nos casos, com aumento na ocupação de leitos e mortes pela infecção. A situação está sendo vivenciada também em outros países.

 

“Acho pouco provável retorno em fevereiro”, disse com base nos atuais dados da pandemia no estado. “Na verdade nem saímos da primeira onda, a Europa entrou na segunda, a gente nem conseguiu sair”, alertou Cabral, que é graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb), mestre em imunologia na Universidade Federal da Bahia (Ufba), doutor pela USP e pós-doutor em Oxford, na Inglaterra, e em Berna, na Suíça, onde estudou imunologia aplicada à vacina.

 

Cabral atualmente é pesquisador da Fapesp, onde vem estudando sobre vacinas contra Covid-19 e outras doenças. Ele comenta que a transmissibilidade ainda é muito alta no estado, e isso é um fator a ser considerado para uma decisão como o retorno das aulas.

Gustavo Cabral é baiano nascido em Tucano | Foto: Matheus Caldas/Bahia Notícias

 

“As aulas vão voltar naturalmente. Só que não vai ser uma volta normal, como acontece sempre. Eles vão ter que organizar”, disse ao destacar o papel das gestões estadual e municipais na retomada.

 

“A gente sabe que criança é muito difícil de controlar, são questões práticas”, disse ao explicar o motivo pelo qual o prudente é que o retorno das aulas seja iniciado pelos mais velhos. Segundo ele, aqueles “mais fáceis de educar e controlar”.

 

Ainda sobre as crianças, principalmente as menores, de três a sete anos, o especialista destaca que não são as que mais transmitem o vírus. Ainda assim, o retorno delas ao convívio com outras crianças deve ocorrer sob muitos cuidados. “Mesmo transmitindo menos, lembrar que as crianças vão para a escola e voltam para casa e têm contato com o pais, os avós. E não precisa ser uma carga viral muito alta, uma carga viral mais baixa você transmite também. O problemas com as crianças é justamente pra manter os protocolos”, analisou.

 

A sugestão do doutor em imunologia é para que o número de alunos nas salas seja reduzido, e que seja adotado um revezamento com aulas presenciais e online.

Enem servirá de conclusão do Ensino Médio na Bahia mesmo sem aulas para 3º ano em 2020


Enem servirá de conclusão do Ensino Médio na Bahia mesmo sem aulas para 3º ano em 2020

Foto: Carol Garcia/GOVBA

Na Bahia os estudantes poderão utilizar as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outras provas semelhantes para requerer o aproveitamento de estudos e concluir o ensino médio. 

 

A Secretaria da Educação (SEC) editou uma portaria que dispõe sobre as regras de aproveitamento de estudos para os concluintes do Ensino Médio de 2020, em todas as ofertas e modalidades integrantes do Sistema Estadual de Ensino da Bahia.

 

Valerão para a requisição os resultados do Enem e do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA); nos exames de certificação aplicados pela Comissão Permanente de Avaliação (CPA); e nas atividades com características de terminalidade desenvolvidas pelas unidades escolares da rede estadual de ensino, sob coordenação da SEC.

 

De acordo com a superintendente de Políticas para a Educação Básica de SEC, Manuelita Brito, a iniciativa rem caráter excepcional. 

 

“O desejo e o empenho da Secretaria da Educação do Estado é para que as provas do Enem sejam adiadas para o mês de maio, mas independente da sua data de aplicação, é necessário oportunizar a todos os estudantes, e não apenas os inscritos no ENEM, a conclusão do Ensino Médio, considerando as adversidades impostas pela pandemia do novo Coronavírus, em 2020, e, sobretudo, os conhecimentos e saberes adquiridos por eles ao longo de seus percursos escolares”.

 

As aulas presenciais na Bahia estão suspensas desde o mês de março e seguem sem data definida para o retorno. A suspenção foi uma das primeiras medidas adotadas no estado para o combate a pandemia da Covi-19.  

 

A SEC informou que para requerer o aproveitamento de estudos, o estudante interessado deve estar regularmente matriculado no ano letivo de 2020; ser concluinte do Ensino Médio naquele ano; fazer a solicitação do aproveitamento de estudos na secretaria escolar; e se submeter a um ou mais processos avaliativos e/ou de certificação. 

 

A portaria define requisitos mínimos a serem alcançados em cada alternativa.

 

No Enem é necessário que o estudante tenha obtido o mínimo de 400 pontos em cada área do conhecimento e não tenha zerado a redação; no ENCCEJA, mínimo de 80 pontos em cada área do conhecimento e não ter zerado a redação. 

 

Em relação aos exames de certificação do CPA, será exigido o mínimo de cinco pontos em cada área do conhecimento. Já em relação ao aproveitamento com base no histórico escolar, serão utilizadas as médias das séries anteriores, por área de conhecimento, e os resultados nos simulados coordenados pela SEC. 

 

O aproveitamento parcial pode ser utilizado pelos estudantes que não alcançarem o aproveitamento integral em uma das alternativas. Neste caso, a portaria autoriza compor os resultados parciais de diferentes exames ou certificações, por exemplo, aproveitar a pontuação em uma área de conhecimento a partir do ENEM, de duas áreas de conhecimento a partir da CPA e de uma área de conhecimento a partir dos simulados aplicados pela escola. Do Bahia Notícias

Capitão condenado por estuprar netas de 7 e 8 anos é demitido da PM em SP


Réu deverá cumprir 17 anos de pena em prisão domiciliar devido seus altos problemas de saúde e idade avançada

 

Antônio Mariano Corrêa culpado em abusar sexualmente das duas netas
Reprodução/ Inquérito

Antônio Mariano Corrêa culpado em abusar sexualmente das duas netas

O capitão reformado da Polícia Militar de São Paulo, Antônio Mariano Corrêa, de 95 anos, foi um dos últimos agentes demitidos da corporação em 2020. No dia 30 de dezembro do ano passado, ele assinou um termo em que perdia sua patente, após em setembro de 2019, ter sido condenado por ter estuprado suas duas netas de 7 e 8 anos em 2013.

Em agosto de 2013, as meninas durante as férias, ficaram sob os cuidados dos avós paternos em sua chácara, para que seus pais fizessem uma viagem de uma semana. Cerca de um mês depois, as meninas já haviam retornado para casa e vendo o noticiário, passou uma reportagem sobre a prisão de um estuprador de crianças e a mãe resolveu perguntas para as filhas se elas já tinham passado por alguma situação parecida.

Segundo a Promotoria, nesse momento a irmã mais nova olhou para a mais velha e disse: vamos contar para a mamãe”. Então, as irmãs contaram para os pais todo o abuso que sofreram quando estavam na chácara do avô.

Um estudo psicossocial foi feito nas meninas e foi comprovado que certos comportamentos como ansiedade, insegurança e medo foram detectados nas crianças e são sinais compatíveis de vítimas de abuso sexual . Com os principais pontos destacados pelas crianças, fica claro que o avô era o autor dos abusos.

Em seu depoimento, a mãe das meninas disse ter as levado em um psicólogo e chegou a conversar sobre perdoar o avô. Declarou que antes de tomar qualquer providência, falou muito com as filhas para saber se todos os detalhes batiam. Em seguida ela conversou com o marido e eles decidiram ir em frente com as denúncias.

Ainda chegou a falar, não oficialmente, sobre um possível caso de abuso também envolvendo Corrêa, mas agora seria com a filha de uma secretária que trabalhava para a família e morava perto da chácara do abusador cerca de quatro anos atrás. Segundo a mãe, quando a funcionária deu indícios de que poderia prestar queixa sobre o ocorrido, Corrêa teria afirmado: “Conta, quem vai acreditar em você? Eu sou capitão da PM”.

Em seguida, a nora do policial disse que chegou a levar a funcionária para a delegacia, mas quando chegou a hora de prosseguir com a denúncia, ela acabou desistindo e disse que daria uma outra chance ao homem pois ele havia parado de beber”.

A defesa do agressor, logo no primeiro momento, alegou que o réu deveria ser absolvido por falta de provas de autoria e materialidade do crime. Em seguida, seguiu o argumento de que se não existem provas, a acusação não poderia seguir. Medida que também não deu certo. Depois, em juízo, disse que as situações apresentadas são mentirosas, que teria sido o “diabo” que colocou isso na cabeça das meninas e que “as crianças de hoje não admitem serem repreendidas”. À Justiça disse que o policial é evangélico e que tem “muito temor a Deus”.

Em setembro de 2019, Corrêa ficou preso no presídio militar Romão Gomes, zona norte da capital paulista, por dois meses, mas alegou uma série de problemas de saúde como uma cirurgia recente no coração, déficit auditivo bilateral, arritmia cardíaca, pressão alta, diabetes, Alzheimer, esclerose e incontinência fecal e urinária. Tais problemas de saúde foram afetados no presídio militar.

Em novembro de 2019, o juiz Luiz Alberto Moro Cavalvante, do Tribunal de Justiça Militar , disse não se opor com a possibilidade do réu cumprir sua pena de 17 anos em prisão domiciliar pela sua idade avançado e pelos vastos problemas de saúde. E ele não pode ter nenhum tipo de contato com suas netas, filho e nora durante o tempo em que cumpre sua pena em domicílio.

Quando questionado, o policial se diz inocente das acusações. Declara que sempre teve um bom relacionamento com o filho, nora e as netas e que depois dessa denúncia, todos se afastaram dele e diz sentir muita falta da família. E que seu relacionamento com os outros netos e bisnetos continua em harmonia.

Pelo seu cargo, o policial antes tinha o direito de receber um salário de aposentado de 14,5 mil mensais em rendimentos brutos, de acordo com informações do site da transparência do governo de São Paulo . Com a perda do título, por ato desonroso à instituição, ele passa a ser somente funcionário público do estado.

Fonte: undefined – iG 

Beneficiários do Bolsa Família precisam provar situação legal até maio; entenda


Governo publicou regras para bloquear benefícios de doadores de campanhas e candidatos nas eleições municipais

cartão bolsa família
Divulgação/Caixa Econômica Federal

Beneficiários do Bolsa Família terão até maio para provar situação legal e não serem cortados do programa

O governo federal publicou, nesta segunda-feira (4), regras para cancelar o pagamento do Bolsa Família para os beneficiários que tenham feito doações de campanha ou participado como candidatos nas eleições municipais de 2020 . Serão cancelados, já agora em janeiro de 2021, o pagamento para as famílias que tenham algum membro eleito nas eleições municipais , que foi candidato nas eleições e declarou à Justiça Eleitoral patrimônio maior do que R$ 300 mil. Segundo o governo, haverá bloqueios temporários para confirmar eventuais irregularidades.

As famílias terão até maio para atualizar o cadastro e provarem que estão em situação legal. Caso contrário, o pagamento do Bolsa Família será cancelado em junho de 2021.

Todos os beneficiários que tiverem o pagamento cancelado poderão apresentar ao governo, por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) dos municípios, eventuais esclarecimentos para atestar que ainda mantêm as condições para fazer parte do Bolsa Família.

No fim de dezembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que 91,5 mil beneficiários do  auxílio emergencial ou do Bolsa Família doaram para campanhas eleitorais nas eleições municipais de 2020. Os valores chegam a R$ 77,5 milhões .

Continua após a publicidade

Cancelamentos

Ainda segundo a portaria, em fevereiro, serão cancelados os pagamentos de famílias em que: um integrante tenha doado para uma campanha valores mensais per capita (por pessoa) iguais ou maiores do que dois salários mínimos, ou ainda um integrante tenha sido prestador de serviço para uma campanha e tenha recebido valores mensais por pessoa iguais ou acima de dois salários mínimos.

O governo informou que fará os bloqueios e os cancelamentos com base em dados cruzados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Cadastro Único (CadÚnico), que reúne informações das famílias aptas a receberem pagamentos de programas sociais .

Para participar do programa, a família deve ter renda mensal por pessoa de até R$ 89. Ou então, deve ser uma família com renda mensal por pessoa de até R$ 178, em que haja crianças, adolescentes, mulheres grávidas ou amamentando.

Fonte: undefined – iG 

Fiocruz diz à Anvisa que pedirá uso emergencial de vacina contra Covid-19 até sexta


Uso em larga escala e registro definitivo só deve vir a partir de 15 de janeiro

[Fiocruz diz à Anvisa que pedirá uso emergencial de vacina contra Covid-19 até sexta]
Foto : Bruno Concha/PMS/Secom

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou hoje (4) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que pedirá autorização para uso emergencial da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca contra o novo coronavírus até sexta-feira (8). A informação foi publicada pelo site UOL, que apurou que o aviso foi feito por diretores da fundação em reunião com técnicos da Anvisa que cuidam dos protocolos de vacinação. A solicitação para uso emergencial permite aplicação de doses em grupos de risco. Oficialmente, além de pedir o uso emergencial até sexta-feira, a fundação comunicou que deve solicitar o registro definitivo no dia 15 de janeiro, possibilitando o uso em larga escala. No país, nenhum laboratório fez pedido à Anvisa para começar a vacinação.

A reunião teve participação da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, diretores da fundação e técnicos da Anvisa. No encontro, técnicos da agência reguladora pediram que a Fiocruz prove que a vacina importada da Índia é semelhante àquela aplicada no Reino Unido.

No último sábado (2), a Anvisa informou que foi aprovado o pedido para que a Fiocruz importe da Índia 2 milhões de doses já prontas da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca. Mas para que sejam aplicadas, além de provar que são semelhantes às do Reino Unido, é necessário também a autorização para uso emergencial.

Segundo a Anvisa, a previsão é que após o pedido de uso emergencial, em até dez dias o corpo técnico se manifeste pelo uso ou não do fármaco.
Por Metro1

 

Tarifas do pedágio na BA-099 serão reajustadas a partir desta terça


Mudança de valores foi readequada com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

[Tarifas do pedágio na BA-099 serão reajustadas a partir desta terça]
Foto : Divulgação/CLN

As tarifas básicas do pedágio sob administração da Concessionária Litoral Norte (CLN) serão reajustadas a partir de amanhã (5). A Resolução Agerba n° 59 estabelece o reajuste 2,44%, correspondente a readequação tarifária anual, prevista no contrato de concessão. A mudança de valores foi readequada com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para cada categoria de veículo.

Na praça de pedágio da BA-099, operada pela CLN, a tarifa aplicada para automóveis, caminhonetes e furgão passa a ser de R$ 7,20 em dias úteis e de R$ 10,80 aos finais de semana e feriados. Outras categorias de veículos, a exemplo de caminhões, ônibus e motocicletas também passarão por readequação tarifária.

São Paulo confirma dois primeiros casos da variante de COVID-19 no Brasil


Os infectados são uma mulher de 25 anos e um homem, de 34, que teve contato com ela


Identificada no Reino Unido, a nova cepa do COVID-19 vem preocupando a população mundial(foto: PIXABAY/REPRODUÇÃO)

O estado de São Paulo registrou os primeiros dois casos da nova variante do novo coronavírus no Brasil. Identificada no Reino Unido, a nova cepa do COVID-19, vem preocupando a população mundial. Os infectados são uma mulher de 25 anos e um homem, de 34, que teve contato com ela.

 

A informação é da Secretaria de Estado de São Paulo e foi publicada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A confirmação da cepa foi feita por meio de sequenciamento genético realizado pela
empresa de medicina diagnóstica Dasa em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).
Os infectados são uma mulher de 25 anos que mora em São Paulo e que teve contato com viajantes que passaram pelo Reino Unido. O outro é um homem, de 34, também da capital paulista, que teve contato com ela.

Continua depois da publicidade

Mais cedo, o secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse que dois de quatro casos suspeitos de contaminação pela nova cepa do coronavírus tinham sido descartados.
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz