(77) 99152-6666

Rayka Vieira, de Goiânia: Mulher trans concorrerá pela 1ª vez a Miss Brasil


Rayka Vieira - Foto: reprodução / Instagram
Rayka Vieira – Foto: reprodução / Instagram

Pela primeira uma mulher trans vai disputar o Miss Brasil. Será a goiana Rayka Vieira, de 25 anos.

Ela vai disputar a faixa de Miss Brasil Mundo 2020 como representante do Centro Goiano, informou o blog da Folha, De Faixa a Coroa.

“Ser mulher pra mim, nunca foi uma questão de escolha, eu nasci mulher tanto na alma quanto no coração. Prazer, sou Rayka Vieira, miss Centro Goiano, a primeira mulher Trans a participar de um concurso de Miss Brasil, em especial o @missbrasiloficial. Esse é um momento histórico e quero usar dessa voz para mostrar a todas mulheres que juntas, somos mais fortes”, escreveu Rayka nas redes sociais.

Representatividade

A jovem falou que é um “marco histórico” e comentou a representatividade disso para a comunidade transexual:

“Muitas meninas trans, assim como eu, têm medo de se arriscar… Estou aqui para mostrar que é possível, um sonho que está se realizando. Não quero ser só mais uma miss, e sim mostrar que nós, mulheres em geral, não precisamos provar que temos algo mais que beleza. Somos inteligentes, fortes, guerreiras, trabalhadoras e humanas acima de tudo”.

Planos

Além do sonho da faixa, Rayka tem outros planos.

Ela quer coordenar um projeto dedicado a jovens trans.

Até lá a goiana vai se preparar na parte física, na passarela e em idiomas para o concurso.

Exemplo, ela já tem. Em 2018 a trans Angela Ponce atraiu olhares do mundo inteiro como a representante da Espanha ao Miss Universo.

Quando

Por causa da pandemia, o concurso Miss Mundo Brasil foi remarcado para o dia 4 de março de 2021.

Será realizado no Iloa Resort, em Alagoas.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Ex-dependente doa rim para policial que a prendeu várias vezes


Foto: Jocelynn James
Foto: Jocelynn James

Ex-viciada em opioides e presa várias vezes entre 2007 e 2012, ela resolveu retribuir ao policial que a tirou das drogas.

Jocelynn James, que já esteve na ‘Lista dos Mais Produrados’ no Condado de Franklin, Alabama, EUA, doou o próprio rim ao Oficial Terrell Potter.

Jocelynn salvou a vida do policial porque acredita que ele também salvou a vida dela.

Em novembro do ano passado, o ex-policial soube que o rim dele estava falhando, mas os médicos disseram que a lista de espera poderia demorar de 7 a 8 anos para conseguir o órgão.

Assim que Joselynn viu o post no Facebook sobre Potter precisando de um rim, ela conta que ouviu Deus dizer a ela pra doar o órgão e que seria compatível.

Cirurgia

A cirurgia foi realizada há um mês e meio e tudo correu muito bem.

James atualmente dirige uma organização sem fins lucrativos que faz aconselhamento sobre drogas para mulheres e, em novembro, ela celebrará oito anos sóbria.

O ex-oficial disse à KTTV que agora considera James como outra filha.

“É um ótimo relacionamento e o vínculo entre nós vai durar para sempre. ‘

“Ser capaz de dar a outro humano um rim para estender sua vida é realmente gratificante”, disse Jocelynn James.

Com informação de Só Notícia Boa

Governo Bolsonaro diz à ONU que sua apologia de torturadores é “liberdade de opinião”


Revelação é do correspondente internacional Jamil Chade, que aponta também o desconforto as Nações Unidas com os ataques de Bolsonaro à democracia e à história, como na sua defesa do torturador Brilhante Ustra.

Bolsonaro recomenda livre de Ustra

Bolsonaro recomenda livre de Ustra (Foto: Alan Santos/PR | ABr)

O correspondente internacional Jamil Chade faz, nesta segunda-feira, uma revelação importante, sobre um dos momentos mais vexatórios da história do Brasil. Em cartas enviadas à Organização das Nações Unidas, o governo brasileiro classifica a apologia que Jair Bolsonaro faz de torturadores como “liberdade de opinião”.

“Os documentos, enviados entre Genebra e Brasília entre junho e agosto, apontam para denúncias contra o comportamento de Bolsonaro. Mas a resposta do governo é de que o presidente tem o direito a ter sua ´opinião´ sobre os acontecimentos passados”, aponta Chade, em sua reportagem.

Segundo os peritos, as leis internacionais não lhe conferem tal direito ter sua “opinião” e listam os episódios em que Bolsonaro fez comentários contra os direitos humanos:

– Em 30 de julho de 2019, Bolsonaro criticou o trabalho da Comissão Nacional da Verdade, que em 2014 concluiu que a ditadura foi responsável por 434 assassinatos.

– Em 1º de agosto de 2019, o governo alterou a composição da Comissão Especial sobre Mortes e Desaparecimentos Políticos.

– Em 8 de agosto de 2019, Bolsonaro chamou Carlos Alberto Brilhante Ustra de “herói nacional”.

– Em 1º de março de 2020, Bolsonaro afirmou que “a alegação de tortura é um esquema para obter indenizações”.

– Em 31 de março, no aniversário do golpe militar, Bolsonaro afirmou novamente que não havia havido um golpe de Estado no Brasil em 1964 e declarou que este era o “Dia da Liberdade”.

Jamil Chade obteve ainda uma carta do governo brasileiro de 26 de agosto deste ano. “O governo brasileiro considera injustificáveis as alegações encaminhadas e até mesmo o fato de os distintos relatores questionarem o chefe de estado do Brasil por suas decisões que estão totalmente dentro do escopo de suas atribuições legais”, aponta o texto que defende a “liberdade de opinião de Bolsonaro”.

Com informação do 247.

Ex-secretário da Saúde diz que a vacinação em massa no Brasil deve ocorrer na metade de 2021


Ex-secretário da Saúde diz que a vacinação em massa no Brasil deve ocorrer na metade de 2021
Crédito da Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O epidemiologista e ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, disse que a vacinação em massa no Brasil deve ocorrer na metade de 2021. Wanderson, que em abril deste ano pediu demissão do cargo no Ministério da Saúde, explicou que existe um tempo necessário entre a fabricação e a distribuição do imunizante para todos.

“Não acredito que teremos uma vacina antes de metade do próximo ano. Podemos ter uma vacina enquanto produto ainda no final desse ano, isso é uma possibilidade, mas falar no produto estar pronto e ele estar disponível para aplicar nas pessoas tem uma distância muito grande”, afirmou, em entrevista à CNN Brasil, neste sábado (6/9).

O ex-secretário afirmou também que apesar de existirem 170 vacinas em estágio de desenvolvimento, apesar 5º estão em fase final e que é necessário ter certeza da eficácia e segurança. Wanderson citou a vacina russa, que, apesar de tido uma boa resposta com os 76 participantes da pesquisa, ainda faltam informações sobre a confiabilidade dela.

Ele esclareceu que, a chegada da vacina tanto ao Sistema Único de Saúde (SUS) como às clínicas particulares, deverá ser preparada pelos governos. “Falamos de distanciamento social de forma recorrente, mas na hora que tiver uma vacina teremos uma corrida aos postos de vacinação. Teremos que fazer uma grande campanha de conscientização para evitar que as pessoas se exponham também durante o processo de imunização”, afirmou.

VOLTA ÀS AULAS

Sobre o retorno das atividades escolares, suspensas desde março por conta da pandemia de Covid-19, o ex-secretário criticou a demora da retomada.

“É inadmissível que tenhámos que esperar uma vacina para dar uma perspectiva para esses alunos. Até porque vários países já tomaram essa iniciativa com resultados muito promissores mesmo não tendo a vacina”, disse.Ele alegou que, países desenvolvido colocaram as escolas entre os primeiros segmentos sociais a serem reabertos. Com informações Aratuon.

 

CORONAVÍRUS: Professora morre durante aula online, aos 46 anos de idade


A professora Paola De Simone, de 46 anos, morreu esta semana (2), de coronavírus, durante uma aula online que ministrava em sua casa.

Paola era professora de relações internacionais da Universidade do governo argentino. Simone quando comandava a sua aula online, começou a sentir mal e seus alunos perceberam a situação ao vivo e pediram o endereço da professora, para tentarem socorrê-la, porém antes mesmo que ela pudesse passar o endereço, ela desmaiou.

As imagens do momento triste em que a professora desmaiou, foram compartilhadas nas redes sociais, o que causou muita revolta entre s usuários, parentes e amigos.

Paola havia postado em sua rede social e comunicado aos seus alunos, que ela estava de quarentena, por ter contraído o COVID-19.

Seu marido que é médico, quando chegou em casa, encontrou a professora já morta e que infelizmente, não pode fazer nada, pois Simone, estava apenas com sua única pequena filha em casa.

A morte de Paola, que estava online, percorreu o mundo inteiro. Lamentavelmente… Fonte:JornaldoPaís

 

Casal terraplanista navega para encontrar ‘borda’ da Terra, se perde e é salvo por bússola


Italianos foram resgatados por navegador com o equipamento, que funciona com magnetismo do planeta, justamente a partir de sua forma redonda

Um casal de terraplanistas italianos se perdeu com um veleiro no mar Mediterrâneo e precisou ser resgatado, segundo o jornal italiano La Stampa. O objetivo da dupla era velejar até “o fim do mundo”, a “borda” onde acabaria o planeta, para provar a teoria absurda de que a Terra é plana.

O casal é de Veneza, mas partiu da ilha de Lampedusa, no sul da Itália, entre a Sicilia e o norte da África. Perdidos no Mediterrâneo, eles foram resgatados por Salvatore Zichichi, sanitarista que navegava a serviço do Ministério da Saúde italiano. Ele utilizou uma bússola para guiar o casal.

“O curioso é que utilizamos uma bússola, que funciona com o magnetismo da Terra, conceito que, como terraplanistas, eles deveriam descartar”, disse Zichichi, ao jornal. Após o retorno, o casal foi obrigado a cumprir quarentena na Itália devido a rota realizada, de acordo com medida de prevenção ao coronavírus em vigor no país.

Com informações do Clarín

População também é responsável pelas mortes da pandemia, diz MK; ouça


Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész também falou sobre os resultados promissores da vacina russa Sputnik V

[População também é responsável pelas mortes da pandemia, diz MK; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (7), Mário Kertész repercutiu a pesquisa Ibope divulgada ontem (6) sobre a percepção dos brasileiros a respeito da pandemia de coronavírus. MK repudiou o descaso da população em relação ao isolamento social e voltou a ressaltar a imprevisibilidade do comportamento do vírus.

“Uma pesquisa do Ibope, que eu achei até bem lúcida, pergunta quem são os responsáveis pelas mortes da pandemia. Do total, 38% dizem ‘o povo’, 33% dizem ‘o presidente Bolsonaro’. Evidente que o povo é responsável. Se você olhar o movimento das praias ontem no Brasil todo, nos bares, nos restaurantes, o pessoal não tá nem aí nem vem chegando. Como disse o doutor Drauzio Varella, o povo brasileiro decretou o fim da pandemia, e nós estamos assistindo países da Europa voltando à pandemia. A Espanha tá tendo problema. Até a nova zelândia, que tinha conseguido se libertar com um lockdown severo, voltou. A maior parte das pessoas não está dando importância. Claro que a postura negacionista do presidente ajuda muito, mas não é só o presidente, somos nós. Quer dizer, eu não entro nessa, nem ninguém que tá aqui trabalhando, nem o Grupo Metrópole, que tem o maior cuidado com seus funcionários. O que não quer dizer que estejamos livres do risco, mesmo porque a maioria dos cientistas ainda não conhece os verdadeiros efeitos do vírus. A cada hora ele ataca de um jeito”, analisou.

Ao falar sobre os resultados promissores da vacina Sputnik V, desenvolvida pela Rússia, MK relembrou a época da Guerra Fria, quando a rivalidade entre a antiga União Soviética e os Estados Unidos levou a grandes avanços tecnológicos. À época, a URSS enviou os primeiros seres vivos ao espaço, provocando uma reação norte-americana. “Os americanos ficaram loucos e começaram a investir maciçamente na Nasa e nos programas espaciais. Agora a Rússia vem e dá outro ‘zignow’ aparente, não sabemos ainda direito, e Putin bota o nome da vacina de Sputnik. A revista Lancet disse que ela é muito interessante, que pode ter efeitos positivos, os cientistas de Israel disseram o mesmo. Putin informa que a partir de outubro começa a vacinação em massa na Rússia. Tá pensando que é brincadeira, que os Estados Unidos continuam essa porretice toda?”, disse. -Fonte:Metro1

Ouça o comentário completo:

 

 

JBS se recusa a fornecer ao Judiciário contratos com Wassef e diz que advogado não atuou na delação dos executivos


A JBS se recusou a fornecer ao MPF uma cópia dos contratos e da comprovação de prestação de serviços pelo advogado Frederick Wassef, que defendia o clã presidencial e escondeu Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro e acusado de envolvimento em lavagem de dinheiro.

JBS
JBS (Foto: José Barbacena)
A JBS se recusou a fornecer ao Ministério Público Federal uma cópia dos contratos e da comprovação de prestação de serviços pelo advogado Frederick Wassef, que também atuava para Jair Bolsonaro. De acordo com relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), a empresa pagou R$ 9 milhões ao defensor entre 2015 e 2020.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu esclarecimentos. Em resposta ao MPF, a JBS afirmou que Wassef atuou no “acompanhamento de procedimentos de natureza criminal”. Também negou que ele tenha trabalhado em assuntos relacionados à delação dos executivos e disse que não poderia fornecer os contratos por estarem resguardados do sigilo legal na relação advogado-cliente. O relato foi publicado pelo jornal O Globo.

A Força-Tarefa da Operação Greenfield acionou a 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília pedindo que obrigue a JBS a fornecer a documentação. O pedido foi enviado na noite de quinta-feira (3) ao juiz federal Vallisney de Oliveira, que vai analisar o assunto.

Segundo a força-tarefa, a omissão de informações sobre Wassef pode provocar impactos ao acordo de leniência do grupo J&F, caso haja indícios de que a contratação do advogado envolveu condutas criminosas. “Não se vislumbra qualquer óbice à apresentação dos documentos requisitados pela FT Greenfield, e sim uma recusa indevida em prestar informações, requisitadas no contexto do acordo de leniência”, escreveram.

“O que foi solicitado objetivamente foram documentos que demonstrassem a efetiva prestação de serviços advocatícios (se de fato existirem), como contratos da JBS com escritório de Frederick Wassef, notas fiscais, procurações ad judicia correspondentes, lista de inquéritos policiais em que Frederick Wassef atuou, cópias da petições firmadas por Frederick Wassef”, diz a manifestação, assinada pelos procuradores da força-tarefa.

Advogada que conviveu com Queiroz em Atibaia quebra o silêncio e diz que sofre ameaças


Fabrício Queiroz quando foi preso em Atibaia. Foto: Reprodução

 

Quando Ana Flávia Rigamonti viu Fabrício Queiroz pela primeira vez, em junho do ano passado, não tinha a menor ideia de quem ele era nem desconfiou que estava diante de um dos personagens mais intrigantes da República. Um mês antes, ela havia recebido uma proposta de trabalho de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro. Os dois se conheceram nos tribunais, atuaram juntos em algumas causas e estudavam estender a parceria. Wassef propôs que ela trocasse Ipiguá, cidade no interior de São Paulo com 5 000 habitantes, pela capital.(…) A matéria continua após publicidades.

 

Dividiria o espaço com uma pessoa que estava doente e precisava de um lugar para ficar. A advogada só soube mais tarde que o homem que falava pouco, quase não saía de casa e se apresentava como “Felipe” era o famoso Fabrício Queiroz. Escondido desde que explodiu o escândalo da rachadinha, o policial aposentado estava sendo investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como suspeito de ter comandado um esquema de arrecadação de parte dos salários dos funcionários do gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

Ao descobrir a verdadeira identidade do vizinho de quarto, a advogada, de início, ficou preocupada. Mas ela logo se aproximou de Márcia de Aguiar, esposa de Queiroz, que a tranquilizou, explicando que o marido não oferecia qualquer risco e que não era foragido da Justiça. Rigamonti acabou se transformando na única companhia de Queiroz. Os dois iam ao mercado juntos, cozinhavam juntos e gastavam o tempo de confinamento conversando. Ela chegou a acompanhar o ex-­policial a um tratamento médico num hospital e até emprestou o próprio carro para que ele viajasse ao Rio de Janeiro para visitar a família. As regras da casa eram rígidas.(…) A senhora sabe por que eles se referiam a Wassef como “Anjo”? Como eu te falei, desde quando eu os conheci, já era chamado assim. Entre eles? Wassef, Márcia e Queiroz? Isso.

Procurada novamente por VEJA, a advogada disse que não queria mais falar sobre o assunto. “As pessoas me vincularam ao caso simplesmente porque eu estava ali no local e conheci as pessoas. Caí de paraquedas nessa história. Foi uma situação muito difícil para mim e para minha família”, desabafou. Após a prisão de Fabrício Queiroz, Rigamonti recebeu ameaças e foi aconselhada a esquecer o que viu e ouviu no escritório de Atibaia. Ela voltou a morar em Ipiguá e, no momento, ganha a vida vendendo lingerie.

Com infotmação do DCM.

 

Leia Também:

Wassef chantageia Planalto com conversas gravadas, diz revista

Wassef

O advogado de Bolsonaro, Frederick Wassef, que escondeu Fabrício Queiroz em sua chácara em Atibaia (SP), estaria utilizando gravações de conversas com o presidente para obter vantagens perante o Palácio do Planalto.

A informação é da revista Crusoé, em nota publicada nesta sexta-feira (4). O conteúdo dos diálogos não foi relevado, mas segundo consta, a mera suspeita sobre a existência desses áudios faz com que Wassef consiga o que quer em Brasília.

Também é relatado na publicação que a esposa do advogado, Maria Cristina Boner Leo, tem contas na Suíça e firmas registradas em paraísos fiscais. Promotores do país teriam repassado as informações às autoridades brasileiras durante as investigações do esquema de mensalão do DEM. Um processo por improbidade contra Cristina foi aberto em 2011 após um ex-secretário de governo do Distrito Federal delatar propina em troca de um contrato de R$ 9,8 milhões.

Viúvo rema para levar comida a animais em ilha e deixa a tristeza pra trás


Seu Joatã indo alimentar animais na ilha - Foto: reprodução / Instagram

De Só Notícias Boas

Seu Joatã, de 67 anos, ficou viúvo há poucos meses e todo mundo imagina como é dor de perder a parceira de uma vida… Mas ele não se entrega e encontrou uma forma de ajudar e ser “ajudado”.

Ele rema todo dia, durante 10 minutos, dependendo da maré, para levar comida pra 5 cachorros e vários macaquinhos que vivem na Ilha da Pólvora, no Espírito Santo.

Seu Joatã é policial militar aposentado e mora em Cidade de Cariacica, a mais de dois quilômetros da ilha.

 

 

 

 

 

O filho dele, Luciano Fortunato Ramos, contou ao SoNoticiaBoa que, antes da viagem, o pai tem todo um ritual: prepara alimentos pra ele, para os cães – que foram abandonados por uma família que morava na ilha – e leva as bananas descascadas para os macaquinhos.

E como depende da aposentadoria, ele conta com ajuda de amigos para comprar ração e comida para os bichos.

“Pessoas que não têm tempo disponível, pagam a ração para os bichos” e ele leva, contou Luciano.

Espantar a tristeza

No último fim de semana, Luciano acompanhou o pai no barco e viu pela primeira vez, de perto, a boa ação do seu Joatã.

“A novidade pra mim foi saber que ele atravessa a ilha” para alimentar os bichos, disse.

Mas o trajeto compensa quando se vê a alegria dos animais quando seu Joatã chega.

Sim, é desse jeito que ele passa o tempo para esquecer da tristeza.

“Como minha mãe e faleceu há alguns meses, meu pai mantém a mente em coisas do lar e na pescaria” – além de alimentar os animais abandonados – disse o filho.

Ajudar provoca essa energia transformadora! Que exemplo o seu Joatã!

 

 

Veja em miúdos detalhes da reforma administrativa


Reforma administrativa do governo propõe fim da estabilidade para parte dos servidores, aumenta o poder de Bolsonaro e não mexe em juiz, parlamentar e militar.

reforma administrativa bolsonaro

Do Pragmatismo 

A reforma administrativa apresentada pelo governo federal nesta quinta-feira (3) dá mais poder ao presidente da República para mudar a administração da estrutura do Poder Executivo. O texto foi encaminhado à Câmara dos Deputados.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC), se aprovada, permitirá ao presidente, por meio de decreto, extinguir órgãos e reorganizar autarquias e fundações. Hoje, isso só pode ser feito por projeto de lei, com aval do Congresso Nacional.

O presidente também poderá, desde que não haja aumento de despesas, extinguir cargos (efetivos ou comissionados), funções e gratificações; transformar cargos, quando vagos, mantida a mesma natureza do vínculo; e reorganizar atribuições de cargos do Poder Executivo.

Como se trata de PEC, para ser aprovada é preciso do apoio de 308 deputados e 49 senadores, em dois turnos de votação em cada Casa.

Fim da estabilidade

A proposta de reforma administrativa acaba com a estabilidade para parte dos novos servidores do Executivo federal.

“A estabilidade dos servidores que já ingressaram no serviço público continua nos mesmos termos da Constituição atual. Os vencimentos dos servidores atuais não serão reduzidos”, informou o Ministério da Economia.

As novas regras não englobam os servidores federais que estão na ativa, e também não valerão para o Legislativo, Judiciário, Ministério Público. Os outros poderes terão que elaborar textos próprios se quiserem alterar suas normas.

A reforma, portanto, não mexe com juízes, parlamentares, militares e membros do Ministério Público. O argumento do secretário é que o presidente da República não pode definir normas específicas para membros dos Poderes Legislativo e Judiciário. Apesar disso, os demais servidores da Justiça e do Legislativo são atingidos pela reforma.

“Depois da reforma da Previdência de ‘R$ 1 trilhão’; do Marco do Saneamento de R$ 400 bilhões; da reforma tributária que não existe; vem aí a nova solução milagrosa: a ‘reforma administrativa’. E a desigualdade social permanece intocada”, reagiu o governador do Maranhão, Flávio Dino, nas redes sociais à notícia da entrega da proposta.

Embraer anuncia demissão de 900 depois de fracasso da entrega para Boeing


A fabricante de aviões Embraer anunciou através de comunicado emitido nesta quinta-feira o desligamento de 900 funcionários no Brasil, após fracassar em negócios com a Boeing e constatar uma redução de 75% de entregas de aeronaves no primeiro semestre 2020 em comparação com igual período do ano passado.

REUTERS/Roosevelt Cassio

Depois do fracasso da entrega da Embraer para a Boeing, a empresa nacional de aeronaves anunciou na manhã desta quinta-feira (3) que vai demitir cerca de 900 funcionários no Brasil. Também foram citados os impactos econômicos globais decorrentes da pandemia da Covid-19 como justificativa ao ajuste. A reportagem é do jornal O Globo.

De acordo com comunicado da Embraer, a medida tem como objetivo assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia.

Além da parceria não concretizada entre Boeing e Embraer, a fabricante nacional argumenta que a pandemia da Covid-19 afetou particularmente o setor comercial em que atua, com redução 75% das entregas de aeronaves no primeiro semestre 2020, em comparação com igual período do ano passado, acrescenta a reportagem.

Com informação do 247.

Diretor da Globo elogia Jorge Pontual e diz que anulação de julgamento de Lula “é INEVITÁVEL”


É o novelo se desenrolando e os maiores tietes de Moro, no passado, seja a grande mídia, pequena ou até mesmo grande parte da sociedade, estão sentindo que a “ficha está caindo”, e, tanto as verdades de um lado quanto as mentiras de outro, estão sendo expostas à sociedade. Mas o prejuízo do Brasil e Brasileiros foi muito grande.
Jorge Pontual

Jorge Pontual, correspondente da Globo em Nova York, virou notícia essa semana com um comentário sobre a saída de Deltan Dallagnol da Lava Jato.

Furando o bloqueio jornalístico, Pontual lembrou do caso de Susan Ackerman, que foi uma das mentoras de Dallagnol que ficou indignada ao saber do conluio com Moro e pediu a liberdade de Lula.

Agora um outro executivo da casa se manifesta de maneira mais contundente. Continue lendo após publicidade.

Rodrigo Cebrian, diretor e apresentador do “Que Mundo É Esse?”, na Globonews, diz que “há sim um consenso entre os maiores juristas do mundo de que a condução do julgamento do Lula foi irregular e criminosa”.

“A anulação é INEVITÁVEL”, afirma, em caixa alta, mesmo.

No currículo, Cebrian tem 20 anos na TV Globo como diretor de programas como “Brasil Legal” e “Muvuca”, com a Regina Casé, “A Grande Família” e “Caldeirão do Huck”.

 

Fonte DCM.

Dallagnol pode ser julgado de novo pelo CNMP já na semana que vem


Deltan Dallagnol. Foto: VLADIMIR PLATONOW/AGÊNCIA BRASIL

Da Folha:

O procurador Deltan Dallagnol pode voltar a ser julgado pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) na próxima terça (8), mesmo já afastado da força-tarefa da Lava Jato. As ações contra ele no colegiado foram suspensas por determinação do ministro Celso de Mello, que depois disso se licenciou do cargo. Houve recurso para que elas pudessem prosseguir —e ele será analisado agora pelo ministro Gilmar Mendes.

A expectativa entre os conselheiros é a de que o magistrado julgue a questão em breve —se ele der sinal verde, o julgamento de Dallagnol poderá ocorrer já na primeira sessão do CNMP da próxima semana.

Uma das ações deve ser considerada prejudicada —aquela em que a senadora Kátia Abreu pedia o afastamento do procurador da força-tarefa por atos dele que visariam promoção pessoal.

A segunda foi movida por Renan Calheiros, que acusa Deltan de usar indevidamente as redes sociais para tentar influenciar a eleição para a presidência do Senado, atacando o parlamentar.

(…)