(77) 99152-6666

Abraham Weintraub diz que pensa em deixar o Brasil “o quanto antes” para evitar prisão


weintraub fugir brasil

Renato Costa / FramePhoto / Agência O Globo

 

Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação, afirmou em entrevista à ‘CNN Brasil’ que pretende deixar o Brasil “o quanto antes” para evitar “morte e prisão”.

“A prioridade total é que eu saia do Brasil o quanto antes”, afirmou Weintraub. “Agora é evitar que me prendam, cadeião e me matem”, acrescentou.

Na última quarta-feira (17), por 9 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter Weintraub na mira do inquérito que apura fake news disparadas contra integrantes da corte e seus familiares.

Weintraub é investigado por ter dito, na reunião ministerial de 22 de abril que, por ele, “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. Além disso, ele é alvo de inquérito por racismo contra chineses.

Senador faz apelo ao STF

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que proíba Weintraub de deixar o Brasil.

Weintraub foi indicado por Jair Bolsonaro para assumir um cargo no Banco Mundial, em Washington, nos Estados Unidos e, em seu Twitter, anunciou que fará a mudança nos próximos diasO salário é de R$ 111 mil por mês.

Fabiano Contarato defende que por ser investigado no inquérito das fake news Weintraub não pode sair do país.

“Ao comemorar a iminente mudança ao exterior, o senhor Abraham Weintruab, aparentemente se esqueceu de mencionar que ostenta a condição de investigado perante o Supremo Tribunal Federal, por potencial cometimento do crime de lesar ou expor a perigo de lesão a independência do Poder Judiciário e ao Estado de Direito”, argumentou o senador no pedido encaminhado ao STF.

O senador pede ainda que o STF determine a apreensão do passaporte do ex-ministro.

“Ante o exposto, diante da imprescindibilidade da continuidade das investigações sem interrupções, ao menos até que se conclua o presente inquérito, e diante da reiteração da conduta delitiva pelo investigado, requer a deferimento da imposição de medida coercitiva de proibição de saída do país, bem como decretação de busca e apreensão dos documentos de viagem”.

Com informação do Pragmatismo.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Miliciano Capitão Adriano transferiu mais de R$ 400 mil para Queiroz, diz MP-RJ


 

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) estima que Adriano Magalhães da Nóbrega, o Capitão Adriano, que era o chefe da milícia Escritório do Crime, transferiu mais de R$ 400 mil para as contas bancárias do policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ),que foi preso ontem.

O Capitão Adriano foi morto em uma operação policial na Bahia em fevereiro deste ano. Pelo menos R$ 69,5 mil foram depositados nas contas bancárias de Queiroz por restaurantes administrados pelo miliciano e seus familiares.

Em novembro passado, Queiroz pediu que a mãe de Adriano permanecesse escondida no interior de Minas Gerais, após uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) garantir o andamento das investigações sobre o esquema de rachadinha de salários do gabinete de Flávio Bolsonaro, quando este era deputado estadual no Rio de Janeiro.

As informações sobre as transferências constam nos documentos judiciais que embasaram o decreto de prisão preventiva de Queiroz, detido ontem em um sítio de Atibaia, interior de São Paulo. A propriedade pertence ao advogado do senador, Frederico Wassef.

Fonte DCM

Militares já falam em intervir no governo Bolsonaro com “ministério de notáveis”, solução que não salvou Collor…..


/O fracasso do governo Bolsonaro e o acelerado desgaste de sua imagem com a sucessão de conflitos com os demais poderes e escândalos envolvendo sua pessoa e seu clã estão levando os militares a discutir sobre a formação de um “ministério de notáveis”. A mesma tentativa foi feita em 1992 para salvar o governo Fernando Collor, mas não foi suficiente para impedir sua queda.

Os generais que ocupam os postos mais importantes do Palácio do Planalto especulamsobre nomes que poderiam ser guindados ao primeiro escalão do governo com apoio político no Congresso Nacional, num plano com gosto de caserna.

Os militares sabem, no entanto que o principal obstáculo à realização de tais planos é Jair Bolsonaro, que sequer foi consultado sobre a ideia.

A expectativa dos generais palacianos é abrir uma nova janela de oportunidade para dar um “reset” no governo, de acordo com o jornalista Igor Gielow da Folha de S.Paulo.

O problema se complica ainda mais porque os militares se mostram dispostos a defender Jair Bolsonaro em seus embates com o Judiciário, mas não estão dispostos a manter tal apoio caso sejam comprovados elos ainda mais constrangedores entre o clã de Bolsonaro e o ex-assessor, investigado por sua relação com milícias e irregularidades.

Fo

nte 247

 

Bolsonaro perde força e as coisas não saem mais como ele gostaria: Por Walter Salles


Falando apenas das coisas mais recentes, a Sara Winter, que ficou tudo claro que apesar do comportamento de bandida que ela tem, é ou era, protegida por Bolsonaro e ministros, como a Ministra dos Direitos Humanos, Damares, que a abraçou e disse que ia vê o que poderia fazer por ela. Mas, apesar de sentir confortada pela ministra e pelo próprio chefe maior, no fundo a Sara temia acontecer o pior para ela, como de fato aconteceu, que foi a sua prisão. Mas antes de ser presa, Sara Winter viu o seu acampamento, que comportava 300 pessoas, ser desmantelado pela polícia.

Agora foi a vez da prisão de Queiroz, que estava escondido num apartamento do advogado do Senador Flávio Bolsonaro.

Essas prisões, mesmo com a direção da Polícia Federal ter sido trocada por Bolsonaro, prova que o poder do presidente da República já não é mais o mesmo.
Tudo é meio parecido com uma corda quando se estica demais e ela começa a enfraquecer, recebe um reforço aqui, outro ali, mas chega uma hora que “remendo” nenhum resolve o problema.

Agora, o Brasil está na expectativa de saber o que vai aparecer quando começar a desenrolar o novelo que por muito tempo parece que encobriu muitas mentiras e verdades, já que sempre que há uma mentira há também uma verdade.

Saída de  Abraham Weintraub:  Ao contrário do que aconteceu com o ex-ministro Mandeta, que o Brasil queria que ele ficasse, o presidente disse que não e o tirou. Já agora com o já ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, percebe-se claramente que o presidente não queria demitir o seu amigo ministro, mas, talvez, por falta de força, teve que dispensá-lo.

Na verdade, o presidente se assegura nos Militares, que ocupam várias pastas importantes no Governo, mas, entretanto, se esquece que os homens de fardas têm um nome a zelar e, de acordo ao que venha acontecer após a prisão de Fabrício Queiroz, tudo fica muito incerto sobre a permanência dos militares no governo.

É preciso, na verdade, que os brasileiros, em parte,  parem de alimentar o ódio que veio lá do gabinete que deu a origem ao nome ÓDIO, e olhem pros seus irmãos com amor e ternura. Pois, não bastasse a pandemia que vem como um arrastão e que já aproxima de 50 mil pessoas mortas, sem ninguém saber quem é a próxima vítima, ainda vêm mais duas crises prometendo devastar muita coisa, que são a crise econômica e política.

É preciso muita calma, procurar se aproximar mais de Deus, menos crítica e brigas com o próximo, mais  amor no coração, para que os brasileiros, sobretudo a classe trabalhadora e mais precisa, consiga enxergar uma luz indicando esperança de dias melhores para todos. Se continuar nesse ritmo de guerra entre pessoas que ficam no último andar, contando de cima para baixo, recebendo migalhas e brigando por quem está na cobertura, o futuro fica mais obscuro. Vou parar por aqui, um abraço às leitoras e leitores.

Fortes chuvas e ventos de até 60 Km/h são esperados em Salvador até o final da semana, alerta Marinha


Fortes chuvas e ventos de até 60 Km/h são esperados em Salvador até o final da semana, alerta Marinha
Crédito da Foto: leitor/Aratu On

Em alerta divulgado nesta terça-feira (16/6), a Marinha anunciou que até a próxima quinta-feira (18/6) uma frente fria poderá causar fortes chuvas e ventos de até 60 Km/h em Salvador.  As ondas em alto-mar poderão variar entre três a  quatro metros e meio, segundo comunicado. Com isso, a Marinha recomenda que os praticantes de esportes náuticos em geral e proprietários de embarcações de pesca não naveguem.

A Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) afirmou que há uma passagem de frente fria pelo sudeste do Brasil, e a intensificação no sistema de alta pressão poderá provocar os ventos com intensidade na faixa litorânea da Bahia, ao sul de Caravelas. A situação também ocorre nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

A Codesal integra a categoria de serviços fundamentais do município. Os soteropolitanos podem fazer denúncias ou solicitar apoio do órgão em caso de deslizamento pelo número 156.Fonte:Aratuon

 

Caixa começa a liberar crédito emergencial de R$ 3 bilhões para micro e pequenas empresas


Primeira fase será voltada a micro e pequenas empresas do Simples Nacional. Depois, bancos abrem prazos para empresas fora do Simples e, por fim, microempreendedores individuais.

Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (16) o início da liberação do crédito emergencial para as micro e pequenas empresas do país, no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O dinheiro é voltado a reduzir os impactos da pandemia do cononavírus na economia.

De acordo com o presidente da instituição, Pedro Guimarães, a previsão inicial é de liberar R$ 3 bilhões nessa linha de crédito. O governo federal dará garantia sobre 85% do valor a ser contratado em cada banco participante.

“Esse é o volume da Caixa, sujeito a discussões. Podemos ampliar esse limite a partir da tomada pelas empresas. Se houver demanda muito forte, esses R$ 3 bilhões podem ser ampliados”, acrescentou ele.

Segundo Guimarães, as micro e pequenas empresas contempladas no Pronampe – aquelas com faturamento de até R$ 4,8 milhões no ano passado – poderão buscar a contratação do crédito pelo site da Caixa Econômica Federal.

De acordo com a Caixa, a contratação será feita em fases:

  1. a partir desta terça-feira (16), poderão contratar o empréstimo as micro e pequenas empresas inscritas no Simples Nacional;
  2. a partir do dia 23 de junho, serão iniciados os empréstimos para micro e pequenas empresas que não estão inscritas no Simples Nacional;
  3. a partir do dia 30 de junho, começam a ser contratadas as operações para os microempreendedores individuais.

Segundo Pedro Guimarães, 117 mil empresas já fizeram cadastro na instituição financeira para análise do crédito. “Estamos analisando outros caminhos que façam com que esse programa possa ser acelerado ainda mais”, acrescentou.

No crédito do Pronampe, a taxa de juros cobrada é a Selic (atualmente em 3% ao ano), mais 1,25% ao ano. As operações de crédito contam com carência de oito meses, após os quais começarão a pagar os valores em até 28 meses.

Para buscar o crédito na Caixa e nos outros bancos, as micro e pequenas empresas devem receber um comunicado da Receita Federal, confirmando que são elegíveis à linha emergencial do Pronampe. As notificações começaram a ser enviadas na semana passada.

Os comunicados, no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), serão encaminhados por meio de postagem no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN), para as optantes do Simples Nacional, e na caixa postal localizada no Portal e-Cac, para as não optantes.

“A partir do recebimento [do comunicado], as microempresas e empresas de pequeno porte poderão entrar em contato com as instituições financeiras e buscar a contratação do crédito”, disse o secretário da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto na semana passada.

A linha de crédito corresponderá a no máximo 30% da receita bruta anual, calculada com base no exercício de 2019. No caso das empresas que tenham menos de um ano de atividade, a linha de crédito concedida corresponderá ao maior valor apurado, desde o início das suas atividades, entre: 50% do seu capital social, ou 30% da média de seu faturamento mensal.

Segundo a Receita Federal, as empresas contratantes devem se obrigar contratualmente a manter ao menos o número de empregados existentes na data da publicação da Lei nº 13.999/2020 (19 de maio de 2020), até 60 dias após o recebimento da última parcela do empréstimo.

Pelas regras, na concessão de crédito do Pronampe deverá ser exigida “apenas a garantia pessoal” do proponente em montante igual ao empréstimo contratado, acrescido dos encargos, salvo nos casos de empresas constituídas e em funcionamento há menos de um ano, cuja garantia pessoal poderá alcançar até 150% do valor contratado, mais acréscimos.

Aneel prorroga até 31 de julho proibição de corte de energia elétrica


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou até o fim de julho a proibição do corte de energia elétrica dos consumidores inadimplentes residenciais urbanos e rurais. A proibição do corte de energia por 90 dias foi aprovada pela agência no fim de março, com validade também para os serviços considerados essenciais no enfrentamento da pandemia do novo . Com a  desta segunda-feira (15), a medida, que perderia validade na próxima semana, ficará em vigor até o dia 31 de julho.

Ao justificar a prorrogação, a diretora da Aneel Elisa Bastos Silva, relatora do processo, argumentou que, na maior parte dos estados, continuam as ações de  e de restrição à circulação e aglomeração de pessoas para evitar a propagação da covid-19, doença causada pelo novo .

Segundo a relatora, os efeitos da pandemia no setor elétrico levaram a um  da inadimplência dos consumidores e à redução do mercado das distribuidoras, em virtude da diminuição na atividade econômica e da necessidade de manutenção do serviço. Elisa disse, entretanto, que a norma aprovada pela agência prevê que, se após o prazo determinado a dívida persistir, a energia será cortada. As distribuidoras deverão avisar os consumidores com antecedência. Com informações do Jequiéurgente

China fecha escolas e interrompe transporte público após novo surto de Covid-19


escolas china coronavírus
Cidades da China fecham escolas e impõem restrições de viagem após aumento de casos de coronavírus. Novo surto em Pequim foi localizado em um mercado atacadista de alimentos
escolas china coronavírus

Pequim proibiu que pessoas de alto risco deixem a cidade e limitou o transporte público nesta terça-feira (16) para deter a disseminação da alta mais grave nos casos de coronavírus desde fevereiro, o que provocou o temor de uma segunda onda de infecções.

A comissão de educação de Pequim determinou o fechamento das escolas da capital, em meio ao novo surto de coronavírus nesta cidade de 21 milhões de habitantes.

Em sua conta na rede social WeChat (o aplicativo de conversa mais popular na China), a comissão informou que todas as escolas vão retomar o ensino remoto a partir de quarta-feira. As universidades também devem suspender a volta dos alunos.

O polo financeiro de Xangai exigiu que alguns viajantes de Pequim passem duas semanas em quarentena, já que 27 casos novos de Covid-19 elevaram o surto atual da capital para 106 desde quinta-feira (11).

O coronavírus foi identificado pela primeira vez em um mercado de frutos do mar de Wuhan, capital da província chinesa central de Hubei, e se espalhou pelo mundo desde então, infectando mais de 8 milhões de pessoas e matando mais de 436 mil.

O novo surto em Pequim foi localizado no grande mercado atacadista de alimentos de Xinfadi, no sudoeste da cidade, onde milhares de toneladas de vegetais, frutas e carne trocam de mãos todos os dias.

Até segunda-feira, Pequim havia designado 22 bairros como áreas de risco médio, exigindo que eles sujeitem as pessoas ingressando a medições de temperatura e registros.

Os chamados grupos de alto risco de Pequim, incluindo pessoas que têm contato próximo com casos confirmados, não têm permissão de sair da cidade, noticiou a mídia estatal, citando autoridades municipais.

Todos os táxis e serviços de transporte com carro particular com destinos fora da capital foram suspensos, assim como algumas rotas de ônibus de longa distância entre Pequim e as províncias vizinhas de Hebei e Shandong.

Ao menos três serviços de traslado de ônibus de Hebei e outro da Mongólia Interior ao Aeroporto Capital de Pequim, polo de trânsito regional, foram suspensos. Os serviços de ônibus de Hebei a Daxing, o outro grande aeroporto de Pequim, foram reduzidos.

Alguns serviços de ônibus de longa distância de Pequim a Hebei também foram interrompidos. As rodovias que deixam a capital permaneceram abertas.

Preocupadas com os riscos de contágio, muitas províncias impuseram exigências de quarentena para visitantes vindos de Pequim. Nos últimos três dias, Hebei, Liaoning e Sichuan relataram casos novos ligados ao mercado atacadista da capital.

Ainda nesta terça-feira, Xangai começou a exigir que os viajantes de companhias áreas chinesas de risco médio a alto de Covid-19 se submetam a 14 dias de quarentena.

Embora não esteja em um isolamento como o de Wuhan, Pequim entrou em modo de “tempos de guerra” no nível distrital – bairros instituíram postos de verificação 24h, fecharam escolas e proibiram banquetes de casamento.Fonte:PragmatismoPolítico

 

 

Whindersson vai construir dois teatros no Piauí: cultura pra população


Whindersson e Tirullipa - Fotos: reprodução e divulgação
Whindersson e Tirullipa – Fotos: reprodução e divulgação

Whindersson Nunes anunciou a realização de um sonho antigo: o humorista e influenciador digital informou nas redes sociais que vai construir dois teatros no Piauí.

Whindersson explicou que uma das casas será em Bom Jesus, sua cidade natal e a outra em Teresina, na capital do estado para levar artistas ao estado e oferecer cultura à população.

“É com muita emoção que eu vou anunciar um dos meus sonhos sendo realizados. Vou construir dois teatros no Piauí, um na minha cidade (100 lugares) e um na capital (700 lugares). O da minha cidade vai se chamar Teatro Tirullipa do Humor Piauiense, porque o Tirullipa para mim não é uma pessoa, é um estilo de vida. Quero que comediantes queiram se apresentar em minha cidade, quero entretenimento para o meu povo…. Comediantes de primeira viagem poderão se apresentar de graça pela primeira vez”, disse Nunes, no Twitter na última sexta, 5.

“O teatro da capital se chamará Teatro Dirceu Andrade, humorista piauiense que admiro muito e não vou esperar ninguém morrer para homenagear depois de morto não, é vivo e pronto”, afirmou.

Gratidão

Os comediantes Dirceu Andrade e Tirulipa agradeceram pelas redes sociais.

No seu Instagram, Tirulipa publicou: “Homenagem mais linda, pura, verdadeira e gratificante que um amigo possa oferecer ao outro. Além de ser um gesto nobre e de solidariedade para a classe humorística, pois nova safra de comediantes virão e você com sua generosidade abrirá portas para eles serem alguém na vida como você foi e é”.

O comediante piauiense Dirceu Andrade também agradeceu:

“Que linda homenagem, ainda mais que é mais um teatro para nossa cidade. Eu que sou de Piripiri, mas me sinto de Teresina porque moro aqui há 33 anos”, disse no Instagram.

“Nós artistas precisamos de um palco, porque além de expor ao público nosso trabalho, é com as apresentações que a gente aperfeiçoa. No Piauí, temos grandes companhias de teatro, atores, humoristas que precisam de espaço pra fazer isso. Independente do teatro ter o meu nome, estou bastante emocionado pela iniciativa”, falou o comediante.

Projetos

Whindersson anunciou que o Teatro Dirceu Andrade terá capacidade para 700 pessoas.

Ele contou que está usando a quarentena para arquitetar e desenhar os projetos dos teatros.

Após o isolamento, ele pretende iniciar as obras.

Whindersson explicou que os dois espaços serão construídos a partir de outros teatros que foram demolidos ou abandonados, preservando a história do Piauí.

“Você saberá de qual teatro destruído é a poltrona que está sentado. Como uma espécie de santuário do teatro. Para as pessoas saberem como a arte pode mudar sua vida assim como a minha.”

Com informações da Folha de Pernambuco e G1

Prefeito fecha Porto da Barra até Ondina após vídeo de aglomeração


Prazo inicial da interdição é de sete dias, válido a partir de terça

[Prefeito fecha Porto da Barra até Ondina após vídeo de aglomeração]
Foto : Jefferson Peixoto/Secom PMS

A Orla da Barra, em Salvador, será fechada a partir de amanhã (16). O anúncio foi feito hoje pelo prefeito ACM Neto, que determinou um prazo inicial de sete dias para a restrição. De acordo com o gestor, a interdição será do Porto até Ondina e foi motivada após imagens circuladas ontem, que mostravam aglomerações na região.

“Após as imagens divulgadas ontem pela imprensa, nós tomamos essa decisão. É muito ruim ter que ser o chato, ter que puxar a orelha, mas não tem jeito, infelizmente. Fazer aglomeração no Farol, gerar multidão nas ruas, é injustificável”, disse o prefeito.

Neto explicou ainda que somente moradores que cheguem de carro poderão circular no percurso. Ele ainda reiterou que o fechamento não inclui todo o bairro, apenas o trecho da orla, e que o acesso a outros cidadãos será liberado apenas para ida ao Hospital Espanhol. Fonte;Metro1

 

A briga na lama das duas loiras: Sara e Joice


Afinal, quem é Sara Winter?

Sara Winter

A reação de Sara Fernanda Giromini, a Winter, a um comentário de Joice Hasselmann dá a dimensão do nível da miliciana. Em resposta a um comentário inadequado, em que foi chamada de “vagabunda”, Sara disse que a oponente é vagabunda, gorda como uma leitoa e que, no passado, foi projeto de punheta para os “imbecis da direita que não comem uma mulher”. Confira você.

Joice Hasselman liga suposta demissão de Moro a processo de Flávio ...

Joice Hasselmann

Ah, ela disse que deixou de ser vagabunda depois que voltou para a igreja. Deve ter aprendido coisas bacanas com seu padre ou pastor.

Xiii, deu ruim para louca. Ontem tava me toda bancando uma de galo de briga. Hoje ta mansinha vendo o sol nascer quadrado. Tem q apodrecer na cadeia Veja o vídeo aqui https://t.co/O3CDrpdsct

Fonte DCM

 

 

Polícia Federal prende Sara Winter e mais cinco em investigação sobre atos antidemocráticos, em Brasília


Por Márcio Falcão, Marília Marques e Brenda Ortiz, TV Globo e G1 DF


A apoiadora do presidente Jair Bolsonaro Sara Winter defende o armamento da população e já publicou nas redes sociais fotos com revólveres — Foto: Sara Winter/Twitter/Reprodução

Sara Winter é acusada de atuar em crimes contra Lei de Segurança Nacional

A Polícia Federal prendeu a ativista Sara Winter e cumpre mandado de prisão de outras cinco pessoas investigadas por exercerem atos antidemocráticos, em Brasília, na manhã desta segunda-feira (15). A prisão foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Winter é chefe do grupo 300 do Brasil, de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O outros 5 que tiveram prisão autorizada pelo STF, também são ligados ao grupo. Segundo a investigação do caso, eles são suspeitos de organizar e captar recursos para atos antidemocráticos, e de crimes contra a Lei de Segurança Nacional.

O grupo 300 do Brasil se define como militância organizada de direita. Ele foi responsável por um acampamento montado na Esplanada no início de maio e desmobilizado no último fim de semana. Em uma entrevista à BBC Brasil, Sara reconheceu a existência de armas entre os ativistas.

“Em nosso grupo, existem membros que são CACs (sigla para Colecionador, Atirador e Caçador), outros que possuem armas devidamente registradas nos órgãos competentes. Essas armas servem para a proteção dos próprios membros do acampamento e nada têm a ver com nossa militância”, afirmou na ocasião.

Ao pedir o fim do acampamento, o Ministério Público do DF tratou o grupo dos 300 como milícia armada, o que é proibido pela Constituição.

Sara Winter e Jair Bolsonaro em foto postada por ela em 2 de maio em uma rede social  — Foto: Reprodução/Facebook

Sara Winter e Jair Bolsonaro em foto postada por ela em 2 de maio em uma rede social — Foto: Reprodução/Facebook

Renata Tavares, advogada de Sara Winter, chegou à superintendência por volta das 9h30 desta segunda-feira, e disse a ativista “está super tranquila”. “Como defesa, vamos impetrar um habeas corpus. Vamos lutar de todas formas porque estamos vendo que isso é uma prisão política”, afirmou.

Integrantes do grupo 300 participaram de ato no último sábado (13), quando manifestantes lançaram fogos de artifícios contra o prédio do STF. Em 30 de maio, Sara chefiou uma manifestação com referências a grupos neonazistas e de supremacistas brancos americanos, na Esplanada dos Ministérios.

Em um vídeo gravado em frente ao STF, Sara conclama manifestantes a acamparem em frente à casa do ministro do STF, Alexandre de Moraes, e xinga o ministro. “A gente sabe onde o Alexandre de Moraes mora, a gente vai acampar lá na frente. Pessoal de São Paulo, saiam da Alesp, acampem na frente da casa do Alexandre de Moraes”, afirmou.

Veja matéria mais completa no G1

General Ramos descarta golpe, mas disse que se esticarem muito a corda ela pode quebrar


Luís Eduardo Ramos

Ao ser perguntado em entrevista para as páginas amarelas da Revista Veja, publicada nesta sexta-feira (12), sobre a possibilidade de um golpe militar no Brasil, o ministro chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, afirmou que “é ultrajante e ofensivo dizer que as Forças Armadas, em particular o Exército, vão dar golpe, que as Forças Armadas vão quebrar o regime democrático. O próprio presidente nunca pregou o golpe”.

Luiz Eduardo Ramos, no entanto, disse que “o outro lado tem de entender também o seguinte: não estica a corda”.

O general é quem controla as indicações para os cargos mais importantes, a aliança com o Centrão. Por ser general da ativa, também desperta algumas teorias conspiratórias que serviram de mote para os protestos do fim de semana.

Ele esteve disfarçado, de gorro e máscara, nas manifestações do último domingo contra o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) e ouviu chamarem Bolsonaro de fascista e nazista. “O Hitler exterminou 6 milhões de judeus. Fora as outras desgraças. Comparar o presidente a Hitler é passar do ponto, e muito. Não contribui com nada para serenar os ânimos”.

O general afirmou também que o impeachment do presidente “não é pertinente para o momento que estamos vivendo. O Rodrigo Maia (presidente da Câmara) já disse que não tem nenhuma ideia de pôr para votar os pedidos de impeachment contra Bolsonaro. Se o Congresso, que historicamente já fez dois impeachments, da Dilma e do Collor, não cogita essa possibilidade, é o TSE que vai julgar a chapa irregular? Não é uma hipótese plausível”.

Ramos lembra que foi muito criticado, “inclusive pelos meus companheiros de farda” quando participou ao lado de Bolsonaro de manifestação que pedia, entre outras coisas, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso. “Não me sinto bem. Não tenho direito de estar aqui como ministro e haver qualquer leitura equivocada de que estou aqui como Exército ou como general. Por isso, já conversei com o ministro da Defesa e com o comandante do Exército. Devo pedir para ir para a reserva. Estou tomando essa decisão porque acredito que o governo deu certo e vai dar certo. O meu coração e o sentimento querem que eu esteja aqui com o presidente”.

Ramos ainda criticou decisão do ministro Celso de Mello, “que me mandou depor debaixo de vara, digo que a respeito, porque decisão judicial não se discute, se cumpre. Mas me incomodou, porque acho que foi desnecessário. Não precisava”. Ele lembra que o mesmo ocorreu com o pedido de apreensão do aparelho celular do presidente da República. “Isso gerou um calor desnecessário entre as instituições”, disse.

“Além disso, vazou a mensagem de WhatsApp em que o ministro do Supremo comparou o presidente Bolsonaro ao Hitler e os seus seguidores a nazistas. Isso contribui para o clima de diálogo e para buscar uma harmonia entre os poderes? Acredito que não. Aí, o presidente sobe no cavalo e todo mundo critica. São sinais trocados. É preciso superar esse ambiente de histeria”, alertou.

Fonte Fórum

JUIZ NÃO ACEITA ARQUIVAMENTO DO INQUÉRITO CONTRA FLÁVIO BOLSONARO


Não é 'esculacho', é a lei - Sincovaga

O inquérito eleitoral que investiga se o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) cometeu os crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral por incongruências em suas declarações de bens à Justiça Eleitoral passará das mãos do Ministério Público do Rio (MP-RJ) para as do Ministério Público Federal (MPF) no estado.

A decisão é do juiz Flávio Itabaiana, titular da 204ª Zona Eleitoral, onde o caso tramita, e ocorreu o último dia 3, depois que o MP-RJ mudou sua posição anterior de dar prosseguimento às investigações. A defesa do senador entrou com mandado de segurança na Justiça para ter acesso aos autos.

Em março, a Polícia Federal, que participou das investigações, enviou à Justiça um relatório defendendo o arquivamento do caso. No início de maio, o promotor Alexandre Themístocles, titular do MP-RJ junto à 204ª Zona Eleitoral, discordou desse relatório, defendendo o prosseguimento das investigações e solicitando o apoio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) do MP-RJ, cujos promotores atuam no caso das suspeitas de “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Alerj.

No fim do mês passado, porém, Themístocles reviu sua posição, pedindo o arquivamento do caso. Procurado, o MP não retornou. Com a decisão do juiz Itabaiana, o caso ficará com a 2ª Câmara Criminal do MPF.

Fonte DCM

Record acusa homem de agiota, família não gosta e o clima esquenta ao vivo


 

Veja vídeo no final da matéria: O programa Cidade Alerta, da TV Record, voltou a causar polêmica nesta terça-feira (9). Enquanto cobria um assassinato, a repórter Luiza Zanchetta acusou, com base em relatos de vizinhos, o homem morto de ter sido agiota em vida. A informação revoltou a família, que disse que o morto foi acusado sem provas.

Os familiares e vizinhos chegaram a avançar contra a repórter e o cinegrafista José Filho. Após ameaças e um desabafo da filha órfã, Luiz Bacci pediu desculpas ao vivo pelo erro.

A reportagem e a forma como o progrma abordou o caso também revoltou o público. Na manhã desta quarta-feira (10), a hashtag “Record lixo” era o assunto mais comentado das redes sociais.

“Eles estão aqui um tanto revoltados porque nós temos a informação de que ele empresta dinheiro a juros… desculpa, por favor, não precisa de agressão”, disse Luiza Zanchetta, sendo interrompida por um rapaz.

“Você está falando merda!”, esbravejou. “Ninguém está ofendendo ninguém”, retrucou a jornalista. “Está falando merda, está falando coisa que não deve”, insistiu ele. “Você está impedindo o nosso trabalho”, rebateu Luiza Zanchetta.

“Ele emprestou dinheiro para você?”, questionou o rapaz. “Nós temos informações de vizinhos que confirmam isso”, respondeu a repórter. “Todo mundo deu informação para vocês falarem bosta?”, criticou o homem. Luiz Bacci interveio na discussão indignado com o ataque à sua colega.

“Eu peço, por favor, ao cinegrafista que está com a Zanchetta, pode mostrar quem está tentando agredir a nossa reportagem. A arma que nós temos é a câmera”, disse o apresentador, irritado com a passividade dos policiais durante a cena. Ele ainda orientou a jornalista a pedir que a polícia prenda o rapaz em flagrante.

Vídeo incorporado
Desabafo de filha

Amanda, filha da vítima, foi entrevistada ao vivo e desabafou sobre a cobertura da Record, classificada como “desrespeitosa” e “irresponsável”. Aos prantos, ela ainda corrigiu a repórter, que errou o nome do pai dela.

“O meu pai, eu perdi meu pai hoje e não estou vendo um pingo de respeito aqui, vocês falando que ele é agiota, gente! Como assim, qual é essa informação? Da onde vocês tiraram isso, por favor? Eu acho que vocês têm que ter um pingo de consideração!”, disse a filha do homem morto. Após publicidades continua a matéria.

 

A jornalista tentou interromper a fala: “Amanda, vamos focar no mais importante, que é descobrir quem matou o seu pai”. Bacci quis saber de onde surgiu a informação de agiotagem, e a repórter errou o nome da vítima: “A polícia não confirma essa informação, Bacci, mas eu conversei com vizinhos que conhecem bem o Josenildo…”.

O erro irritou ainda mais a filha: “Nem o nome vocês estão passando direito, gente, como vocês vão passar a profissão do meu pai? Meu pai tinha casa de aluguel… e o nome dele é Josivaldo”. Zanchetta se corrigiu: “Josivaldo, perdão, erro meu”. Porém, manteve a apuração obtida por meio da vizinhança.

“Vizinhos disseram que ele emprestava dinheiro a juros…”, afirmou a repórter, sendo interrompida mais uma vez pela filha de Josivaldo. Enquanto a discussão ao vivo acontecia, o Cidade Alerta trocava a legenda na TV, trocando “agiota” por “Josenildo” e, depois, “homem”.

“Eu não sei nem o nome desses vizinhos, para começo de conversa. O único vizinho que conheço é esse da frente”, falou Amanda. “Tudo bem, mas você concorda que a gente não pode descartar essa possibilidade”, insistiu Zanchetta.

Neste momento, a filha da vítima desabafou contra a emissora: “Vocês não podem afirmar uma coisa. De repente, vocês vêm com suposições de vizinho? Achei que o jornalismo da Record era mais responsável”.

Bacci interrompeu a crítica da filha de Josivaldo: “Amanda, eu entendo a sua dor. Nós chegamos agora aí. É claro que é o de menos se ele era ou não agiota…”. Ela continuou inconformada.

“Sim, mas acho que há um pingo de respeito que tem que ter, pô, eu estou sentindo uma dor aqui, cara, não sei se você tem o seu pai ou não. Mas tiraram a vida do meu pai, gente, e vocês vêm falar essas merdas!”, respondeu ela a Bacci.

Pedido de desculpas
Em outro momento, o rapaz que avançou contra a equipe da Record concordou em pedir perdão, mas exigiu que a emissora retire a ameaça de registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra ele, e um novo confronto aconteceu.

“Eu peço desculpas pelo que falei. Eu retiro pelo momento que eu tive de exaustão, só que eu quero que você peça desculpas em rede nacional porque você falou que eu agredi alguém aqui, e eu quero que você retire que vai fazer um B.O. contra mim pelo fato de eu ter agredido”, propôs o homem.

Bacci, ao ouvir a fala, negou o trato: “Não, nós não vamos retirar, desculpa”. Luiza Zanchetta defendeu a acusação: “Nós temos imagens”. O rapaz discutiu com a jornalista.

“Está todo mundo de prova. Eu quero que você vá por as imagens que eu estou agredindo alguém”, afirmou. “Está agredindo a nossa equipe”, retrucou o apresentador. “O Bacci assistiu a tudo”, reforçou a repórter, mas o homem o criticou: “Tudo bem, ele assistiu o que não existiu. A única coisa que eu fiz foi colocar a mão na frente da câmera pela falta de respeito”.

Preocupado, Bacci pediu reforço policial e foi atendido. “Nossa intenção é garantir a cobertura da imprensa, permitir que se possa fazer o trabalho de vocês”, disse o tenente Guedes ao apresentador, por telefone.

Minutos depois, Bacci conversou com a irmã do rapaz que se irritou contra a jornalista, identificada como Viviane, e pediu desculpas por ter acusado a vítima de ser agiota sem provas.

“Eu peço desculpas pela abordagem como agiota, nós vamos tratar como suspeito, como deve ser realmente, porque até que a polícia e a Justiça concluam se é agiota ou não existe uma distância. Se fosse outro repórter mais esquentado, levaria isso para a frente, para a polícia, iria dar a maior dor de cabeça, e eu sei que é um homem que, só de ter reconhecido o erro parece ser um cara gente boa, um cara da paz”, afirmou o apresentador.

“Ele, nervoso por ter muito contato com todo mundo da família, foi sim pedir desculpas, eu mesmo falei para ela que ele queria pedir. Como você também já se desculpou a respeito do que a polícia apurou, eu também fico agradecida e falo em nome da família, porque é uma situação muito difícil perder um ente querido. Mais uma vez, peço desculpas para a repórter por tudo que aconteceu e que vocês saiam daqui e continuem fazendo o trabalho de vocês. Obrigado, Bacci”, falou a mulher.

Com informação do Correio