(77) 99152-6666

OAB diz que há elementos para impeachment de Bolsonaro: “depende das ruas e do Congresso”


Rodrigo Maia afirmou em entrevista que o presidente pode sofrer um impeachment nos próximos meses

email sharing button

 

De acordo com Felipe Santa Cruz, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, há elementos para o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), mas o processo vai depender da pressão das ruas.

“É preciso abrir a discussão, porque os fatos [que envolvem Bolsonaro em eventual crime de responsabilidade] são graves. Mas o ritmo dela será ditado pelas ruas e pelo Congresso Nacional”,

A OAB, considerada a principal entidade que poderia desencadear o processo, já discute o tema internamente.

Outras lideranças que devem ter poder de decisão sobre o assunto pensam a mesma coisa. E acreditam que, depois afirmou em entrevista ao portal Metrópoles que o presidente Jair Bolsonaro pode sofrer um impeachment nos próximos mesesdo início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus, protestos podem ganhar impulso.

Maia ameaça

Nesta segunda-feira (11), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a poucas semanas de deixar o cargo.

Maia tem em sua gaveta mais de 50 pedidos de impeachment contra Bolsonaro e não deu, ao longo de seu mandato, sequência a nenhum deles. Na entrevista, o deputado disse que agora, entretanto, a demora do governo em elaborar um plano de vacinação contra a Covid é um fator que pode motivar a abertura de um processo de impedimento contra o ex-capitão.

O PT também protocolou, nesta segunda-feira, na Câmara dos Deputados, mais um pedido de impeachment contra Bolsonaro.

Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Início das obras da ponte Salvador-Itaparica depende de chegada da vacina, diz João Leão


Início das obras da ponte Salvador-Itaparica depende de chegada da vacina, diz João Leão

Foto: Elias Dantas / Ag. Haack / Bahia Notícias

Enquanto não houver vacina, não haverá obras de construção da ponte Salvador-Itaparica. Em entrevista ao Bahia Notícias, o vice-governador João Leão (PP), que também é titular da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), apontou que o temor do novo coronavírus se espalhar entre os mais de 7 mil operários previstos no empreendimento é o que impede o início dos trabalhos na região da Baía de Todos-os-Santos.

 

A previsão para o início dos trabalhos é outubro de 2021, quando Leão acredita que o estado já terá grande parte da sua população imunizada contra o novo coronavírus. Segundo ele, para trabalhar nas obras da ponte Salvador-Itaparica, o operário será obrigado a apresentar uma comprovação de que foi imunizado. “Estamos esperando sair essa vacina, para realmente a obra começar a correr. Minha perspectiva é a seguinte: o funcionário, quando for admitido, tem que estar com o atestado de que foi vacinado. Do engenheiro ao peão”, afirmou.

 

“Imagine o cara chegar em um restaurante que vai ter do lado de cá, que tem 3 mil pessoas para almoçar. Um do lado de lá, na Ilha de Itaparica, que tem mais 3 mil pessoas. Outro restaurante lá, onde será o canteiro de obras, que vai fazer toda a parte pré-moldada da ponte, que tem mais mil e tantas pessoas trabalhando. Imagine, na pandemia, o que vai acontecer com isso. Então é por isso que estamos segurando um pouco, para ver se essa vacina chega, para começar sem problema de contágio”, argumentou o vice-governador.

 

Leão contou que outras obras da administração estadual foram paralisadas por conta da Covid-19. “Para você ter ideia, nós estamos fazendo agora uma série de usinas de energia eólica. Então essas usinas têm 300, 400 funcionários. E o que nós estamos tendo de problemas de contágio… Teve obra que nós tivemos que parar. Imagine 7 mil pessoas trabalhando em uma única obra”, disse.

 

O titular da SDE, que mobiliza há muitos anos forças do governo baiano para a construção da ligação entre Salvador e a Ilha de Itaparica, também utilizou como exemplo as obras da ponte entre os municípios de Barra e Xique-Xique, no Sertão do São Francisco, que conta com 400 operários. “Foi despedido um funcionário porque tirou a máscara no canteiro. É para dar o exemplo. O cara tirou a máscara, botou em um prego e estava batendo o martelo, fazendo forma, sem máscara. Aí foi despedido. Desse dia em diante, ninguém mais tirou a máscara”, garantiu.

 

A ponte Salvador-Itaparica terá um total de 12,4 km de extensão e será construída por um consórcio formado pelas empresas chinesas China Communications Construction Company, CCCC South America Regional Company e China Railway 20 Bureau Group Corporation, com um custo de R$ 7,7 bilhões. O governo do estado arcará com R$ 1,5 bilhão, enquanto o grupo chinês custeará o restante. A concessão, no modelo de PPP (parceria público-privada), terá uma duração de 35 anos, sendo cinco de construção e 30 de exploração, com pedágio para veículos. BN  Notícias

 

Mulher é presa suspeita pela morte dos filhos de 1 e 8 anos em Camaçari


Mulher é presa suspeita pela morte dos filhos de 1 e 8 anos em Camaçari

Família acredita que ela teve surto; causa da morte será determinada em perícia

Uma mulher foi presa em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, suspeita de matar os dois filhos, um bebê de 1 ano e uma menina de 8 anos. As crianças foram achadas mortas dentro de casa, em um condomínio no bairro de Lama Preta, na madrugada desta segunda-feira (11). A mãe foi presa em flagrante.

A Polícia Militar informou que uma equipe do 18ª Batalhão (BPM/Camaçari) foi até o local após denúncias de que havia duas crianças mortas na casa. As crianças não tinham sinal de violência exterior e a causa das mortes será conhecida após perícia. A mãe, que também teria tentado tirar a própria vida, passou mal e foi levada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para a UPA de Abrantes, com apoio da PM.

Parentes da mãe acreditam que ela pode ter sofrido algum surto. “Não tem explicação. A gente está sem entender. Porque era uma mãe dedicada, uma mãe esforçada”, contou uma familiar em entrevista à Record Bahia. “A dedicação com os filhos dela era uma dedicação maravilhosa… A família está arrasada, a gente está abalada, porque a gente não sabe o porquê. Não era uma mãe irresponsável. Uma mãe competente, uma mãe que corria atrás, cuidava direitinho, nunca deixou à toa. Eu não sei porque agiu assim, teve esse comportamento, do nada”, acrescenta.

Outro familiar diz que a mãe da mulher afirmou que ela não estava normal. “Sempre cuidou dos filhos dela muito bem, gostava de levar eles para os lugares. Amava de paixão, muito carinho. A gente está todo mundo sem entender o que foi que aconteceu. Mas a mãe dela disse que ela não estava em si”.

A casa ficou isolada aguardando perícia. A ocorrência foi registrada na 18ª Delegacia, que vai investigar o caso. Do CorreiodaBahia

 

Fechamento da Ford na Bahia deixa 12 mil trabalhadores desempregados


Além da montagem de automóveis, Camaçari fabricava motores

Montadora encerra atividades no Brasil e trabalhadores fazem manifestação

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após 20 anos, o Complexo Industrial Ford Nordeste, em Camaçari, encerrou ontem as suas atividades. A montadora norte-americana anunciou que vai deixar de produzir veículos no Brasil. Na planta industrial baiana, que fabricava o KA e o Ecosport, e em Taubaté (SP), onde eram feitos motores e transmissões, a interrupção das atividades já aconteceu. Até o final deste ano, a Ford pretende encerrar a operação da Troller, em Horizonte (CE).

A empresa prevê despesas decorrentes da decisão na ordem de US$ 4,1 bilhões. Aproximadamente US$ 1,6 bilhão será relacionado ao impacto contábil atribuído à baixa de créditos fiscais, depreciação e amortização de ativos fixos. Nesta conta, entram incentivos fiscais concedidos pelo governo da Bahia. Os valores remanescentes de aproximadamente US$ 2,5 bilhões impactarão diretamente o caixa e estão, em sua maioria, relacionados a compensações, rescisões, acordos e outros pagamentos.

A estimativa do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari é a de que a decisão custe os empregos de 12 mil trabalhadores diretos – 5 mil da Ford e outros 7 mil de empresas que forneciam matérias-primas para a montadora, chamadas de sistemistas. O diretor do sindicato, Júlio Bonfim, acrescenta que a medida compromete outros 60 mil empregos indiretos. Hoje, às 5h30 está prevista uma manifestação em frente à fábrica.

“São 12 mil trabalhadores diretos e em torno de 60 mil trabalhadores indiretos que serão impactados. Estamos falando de 72 mil famílias. É um impacto muito grande na economia”, acredita Júlio Bonfim. Segundo ele, permanecem apenas em torno de 600 pessoas, que irão atuar no centro de desenvolvimento que a empresa deve manter na Bahia.

Ontem o dia foi marcado por reuniões e um clima de apreensão e surpresa entre os trabalhadores. Um deles contou que chegou a pensar que o encontro em que recebeu a notícia do encerramento da operação seria para falar sobre a retomada de turnos de trabalho. Mas não foi apenas a força de trabalho quem se surpreendeu com o anúncio da montadora norte-americana. O governador Rui Costa disse em nota que também tomou conhecimento da decisão ontem.

Reestruturação
Se aqui na Bahia o fechamento do complexo em Camacari põe fim a 20 anos de história, nacionalmente, a Ford interrompe uma trajetória de um século. Em 1919, a montadora norte-americana inaugurava no centro de São Paulo uma fábrica para a produção do icônico Ford T, carinhosamente chamado pelos brasileiros de Bigode.

No comunicado divulgado à imprensa, a Ford fez questão de ressaltar que vai parar de produzir no Brasil, mas continuará no mercado nacional, importando veículos como a nova picape Ranger, a Transit e outros modelos, além dos planos de lançar diversos novos veículos conectados e eletrificados. A empresa destacou que a pandemia de covid-19 ampliou a capacidade ociosa de suas fábricas e a queda nas vendas, que já persistia por alguns anos.

“A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da empresa. “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global”, disse o executivo.

Segundo o comunicado, a empresa “irá trabalhar imediatamente em estreita colaboração com os sindicatos e outros parceiros no desenvolvimento de um plano justo e equilibrado para minimizar os impactos do encerramento da produção”. Jim Farley destacou que a empresa fez o que podia para manter a produção no Brasil. “Além de reduzir custos em todos os aspectos do negócio, lançamos, na região, a Ranger Storm, o Territory e o Escape, e introduzimos serviços inovadores para nossos clientes”, disse. “Esses esforços melhoraram os resultados nos últimos quatro trimestres, entretanto a continuidade do ambiente econômico desfavorável e a pressão adicional causada pela pandemia deixaram claro que era necessário muito mais para criar um futuro sustentável e lucrativo, lamentou.

Cenário econômico
Em um comunicado enviado para a sua rede de concessionárias, a empresa falou sobre as dificuldades no cenário econômico brasileiro. O presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters, ressaltou que as dificuldades vinham sendo enfrentadas desde 2013. “Desde a crise econômica em 2013, a Ford América do Sul acumulou perdas significativas e nossa matriz tem auxiliado nossas necessidades de caixa, o que não é mais sustentável”, contou.

Este cenário teria sido agravado pela situação cambial atual e pela pandemia do novo coronavírus. “A recente desvalorização das moedas na região aumentou os custos industriais além de níveis recuperáveis e a pandemia global ampliou os desafios, gerando uma capacidade ociosa ainda maior, com redução nas vendas de veículos na América do Sul, especialmente no Brasil”, destacou.

Segundo Lyle Watters, a Ford teria tentado manter as unidades de produção em funcionamento de todas as maneiras possíveis. “Essa decisão foi tomada somente após perseguirmos intensamente parcerias e a venda de ativos. Não houve opções viáveis”, ressaltou.

Ford na Bahia
1999 

O governo da Bahia negocia a implantação da Ford no estado. O então senador Antonio Carlos Magalhães se reúne com o comando da montadora e negocia com o então presidente Fernando Henrique Cardoso incentivos para a atração do complexo industrial. Em junho, a empresa anuncia a escolha de Camaçari.

2001  
A empresa foi pioneira ao inaugurar o Complexo Industrial Ford Nordeste, em Camaçari, na Bahia, introduzindo conceitos avançados de arquitetura e produção.

2002 
Lançamento do Novo Fiesta, primeiro modelo do Projeto Amazon, produzido na fábrica de Camaçari, na Bahia, que estreou no segmento de compactos premium e vendeu 50.000 unidades em apenas seis meses.

2006  
Inauguração da fábrica de pneus da Continental (a primeira fábrica do Grupo no Brasil).

2007  
Inauguração fábrica de pneus da Bridgestone (a segunda fábrica do grupo no Brasil).

2014 
Inauguração da Fábrica de Motores da Ford (a primeira no NE).

2015  
EcoSport alcança marca de 1 milhão de unidades produzidas em Camaçari

Chegada da Ford renovou Camaçari
Há 20 anos, a Bahia comemorava a implantação da primeira montadora de automóveis da região Nordeste. Após uma disputa acirrada com o Rio Grande do Sul, a for-tarefa formada pelo governo estadual e representantes empresariais, comandados pelo ex-senador Antonio Carlos Magalhães, comemorava um feito inédito, com investimento de US$ 1,3 bilhão, na época.

Ontem, ao comentar a partida da empresa, o presidente nacional do Democratas, ACM Neto, lembrou da luta do seu avô. “ACM era presidente do Senado quando, em 1999, usou do seu poder e influência para defender, mais uma vez, a Bahia. Enfrentou diversos interesses e trabalhou muito para derrotar as pretensões do Rio Grande do Sul, que também almejava ter a fábrica naquele estado. É uma notícia triste para a Bahia”, lamentou.

O prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo, lamentou a decisão da Ford. “Todas as nossas secretarias vão trabalhar para minimizar ao máximo esse impacto na vida das pessoas que dependiam da Ford”, garantiu.

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou ter ficado surpreso com a decisão da empresa de encerrar a fabricação de automóveis no Brasil. “Não é uma notícia boa. Eu acho que a Ford ganhou bastante dinheiro aqui no Brasil e me surpreende essa decisão”, disse.

O anúncio da Ford levou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a afirmar, em um post no Twitter, que a saída da Ford “é uma demonstração da falta de credibilidade do governo brasileiro, de regras claras, de segurança jurídica e de um sistema tributário racional”.

Em nota, o Ministério da Economia afirmou que “lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil”. A pasta, liderada por Paulo Guedes, afirmou que “a decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país”.

A Anfavea afirmou que não vai se pronunciar sobre a decisão da Ford.  Porém a entidade tem alertado, desde abril de 2019, sobre o custo Brasil. O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do ministério, Carlos da Costa, afirmou que a pandemia de Covid-19 impediu que ações do governo “surtissem efeito a tempo”.

Governo vai tentar trazer a substituta da China
Apesar da direção da Ford ter sinalizado o insucesso na busca por um parceiro para as suas unidades no Brasil, ou mesmo um possível comprador, representantes do governo estadual e da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) se reúnem hoje em busca de uma solução para o complexo industrial deixado pela montadora de veículos norte-americana.

Em nota divulgada na tarde de ontem, o governo lamentou a decisão da empresa, destacou os impactos socioeconômicos consequentes do fim da operação, que era “importante geradora de empregos e renda no estado”. Segundo a Fieb, o setor automotivo representa cerca de 5,5% do Valor da Transformação Industrial na Bahia, além de cerca de 4,1% do pessoal ocupado na indústria de transformação.

O governo estadual também entrou em contato com a Embaixada Chinesa para sondar possíveis investidores com interesse em assumir o negócio na Bahia. Reservadamente, se diz que as expectativas são de um possível interesse da fabricante de veículos elétricos Tesla, que estaria em busca de uma estrutura de produção no Brasil.

O presidente da Fieb, Ricardo Alban, destacou que o mercado automobilístico está vivendo um acentuado processo de transformação em todo o mundo, com o seu foco cada vez menos voltado para a produção de veículos e mais para as soluções de mobilidade.  Segundo Alban, existe um diálogo com a Ford para que ela aproveite a sinergia do seu centro de desenvolvimento com o Cimatec Park.

O superintendente do Comitê para o Fomento Industrial de Camaçari, Mauro Pereira, lamentou a decisão da empresa, para ele reflexo dos gargalos que diminuem a competitividade no país. Fonte:CorreiodaBahia

Cadeirante suspeito de tráfico morde, dá soco e saca arma de PM em BH


Homem reagiu com violência à abordagem dos militares, que o prenderam pelo armazenamento de drogas e armas


Suspeito de envolvimento com o tráfico, cadeirante deu trabalho à PM durante abordagem policial. Ele foi preso e encaminhado à Central de Flagrantes I (Ceflan) no Bairro Floresta, Região Leste da capital(foto: GOOGLE MAPS)

Um cadeirante de 44 anos suspeito de tráfico de drogas resistiu à prisão e agrediu policiais na noite dessa segunda-feira (11) no Bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte.

Segundo o boletim de ocorrência, os militares foram à casa dele apurar uma denúncia de armazenamento de entorpecentes. Ao perceber que a guarnição se aproximava, ele tentou fugir e teve que ser contido por policiais.

Apesar da limitação motora, o homem enfrentou os agentes. Um deles levou um soco no olho, foi mordido e quase teve a arma arrancada do coldre.

Na residência do cadeirante, a PM afirma ter encontrado 209 pedras de crack e duas armas de calibre 32 e 38, além de uma pistola de fabricação caseira.

Ele negou ser dono do material, mas se recusou a informar a procedência dele, alegando que, caso o fizesse, sua família correria perigo.
De acordo com a corporação, já havia um mandado de prisão aberto contra o suspeito, que tem passagens por outros crimes. Ele, inclusive, teria ficado paraplégico durante uma troca de tiros com a polícia, ao ser atingido na coluna.
A ocorrência foi encerrada na Central de Flagrantes I (Ceflan) no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte. Com informações do Estado de Minas Gerais

Após quase morrer, pastor se arrepende de ter chamado Covid-19 de “gripezinha”


pastor dinho covid cloroquina
Antes de ser infectado, pastor Dinho fazia propaganda da cloroquina e defendia o uso “preventivo” do medicamento

Pastor tomou cloroquina “preventivamente”, passou 51 dias na UTI e só não morreu porque teve acesso a tratamento de luxo. Ele foi entubado, submetido a uma traqueostomia e isolado após “virar um perigo para os outros pacientes”. O líder evangélico teve ainda dois choques sépticos

Em entrevista para o jornal Folha de S.Paulo, o pastor evangélico Gladiston Dinho, de 58 anos, se disse arrependido por ter menosprezado a pandemia. Assim como o ídolo Jair Bolsonaro, o religioso dizia em suas pregações que a Covid-19 não passava de uma “gripezinha”.

Dinho passou 51 dias na UTI de um hospital de Campo Grande (MS), onde foi entubado, submetido a uma traqueostomia e isolado após “virar um perigo para os outros pacientes”. Ele teve ainda dois choques sépticos.

O pastor também sofreu um enfisema que fez o ar vazar dentro do corpo. Dinho tinha cerca de 90kg quando foi internado, e deixou o hospital com quase 30 quilos a menos.

Em dezembro, voltou à sua igreja, Ministério Atos de Justiça, e lá admitiu: “Menosprezei um pouco a capacidade de contágio e até a gravidade da enfermidade, achando que, se tivesse Covid, seria, assim, uma gripe, e que no máximo eu ficaria distanciado da igreja por 15 dias”.

Dinho retornou ao púlpito mais de cem dias depois e nele elencou o que hoje considera “avaliações erradas que fiz sobre o período da pandemia”.

“Minimizei a importância do protocolo recomendado por infectologistas. Cheguei a ficar com raiva da máscara, dizer que ‘estão colocando cabresto social nas pessoas’.”

Agora, o líder evangélico recorre às Escrituras para defender as medidas sanitárias. “Distanciamento social e máscara são bíblicos. Há 3.500 Deus já estava nos ensinando isso”, afirma, ao citar passagem do livro de Levítico que fala sobre “a praga da lepra”.

Com zero histórico de comorbidades, o pastor tomou o ‘Kit Covid’ (Ivermectina, Azitromicina e Cloroquina) recomendado pelo governo Bolsonaro. Não adiantou.

Antes de ser infectado pela doença, Dinho chegou a gravar um vídeo nas redes sociais onde defendia o uso preventivo da cloroquina contra o coronavírus.

Apesar de rever alguns posicionamentos, Dinho afirma que continua um crítico da ‘esquerda’ e acredita que os progressistas têm responsabilidade na disseminação global do vírus.

pastor dinho
Pastor Dinho teve acesso aos melhores tratamentos

Banco do Brasil vai demitir 5 mil funcionários só de uma “tacada”


Em meio ao desemprego recorde resultante do descaso de Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, o Banco do Brasil anunciou que irá fechar 361 unidades e desligar 5 mil funcionários por meio de dois programas de demissão voluntária.

(Foto: ABr | Reuters)

 Na lista de privatizações do ministro da Economia, Paulo Guedes, o Banco do Brasil anunciou que irá fechar “361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 Postos de Atendimento”. Por meio de um comunicado ao mercado assinado pelo vice-Presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos José da Costa André, a instituição financeira afirma que disponibilizou planos de “demissão voluntária”, visando o desligamento de 5 mil funcionários.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o “plano de reorganização” prevê  a otimização de 870 pontos de atendimento por meio do fechamento de agências, postos de atendimento e escritórios   e a conversão de 243 agências em postos. Também estão previstas a transformação de oito postos de atendimento em agências, de 145 unidades de negócios em Lojas BB, além da relocalização e 85 unidades de negócios e a criação de 28 unidades de negócios.

“A reorganização da rede de atendimento objetiva a sua adequação ao novo perfil e comportamento dos clientes e compreende, além das medidas de otimização de estrutura descritas acima, outros movimentos de revisão e redimensionamento nas diretorias, áreas de apoio e rede, privilegiando a especialização do atendimento e a ampliação da oferta de soluções digitais”, diz o comunicado. A expectativa é que a adoção das medidas resultem em uma economia anual estimada em R$ 353 milhões ainda este ano.

Com informação do 247

Estes são os países que já estão aplicando a 2ª dose da vacina contra Covid


Margaret Keenan recebeu 2ª dose no Reino Unido - Foto: Imagem: Jonny Weeks/Pool/AFP
Margaret Keenan recebeu 2ª dose no Reino Unido – Foto: Imagem: Jonny Weeks/Pool/AFP

A vacinação começou em pelo menos 50 países, mas quatro deles estão na frente, ou seja, já estão aplicando a 2ª dose da vacina contra a Covid-19: Reino Unido, EUA, Israel e China.

Reino Unido saiu na frente, novamente. Lá, a segunda dose começou a ser aplicada no dia 29 de dezembro.

E a britânica Margaret Keenan, de 91 anos foi a pioneira de novo. Ela é a mesma que recebeu a primeira dose da região no dia 8 de dezembro.

Margaret recebeu a vacina da Pfizer no Hospital Universitário de Coventry & Warwickshire.

A rainha Elizabeth II e o marido, o príncipe Philip, receberam, neste sábado, 9, a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus, somando-se a 1,5 milhão de britânicos que começaram a ser imunizados.

EUA

Nos Estados Unidos a segunda dose da vacina contra Covid começou a ser aplicada no dia 4 de janeiro, quase uma semana após o Reino Unido.

A enfermeira Sandra Lindsay, recebeu a segunda dose do imunizante da Pfizer/BioNTech 21 dias depois de ter sido também a primeira vacinada entre os norte-americanos.

E ela se mostrou confiante: “Sei que não estamos totalmente seguros ainda, mas estamos mais perto do fim”, disse Sandra.

Sandra foi vacinada no Centro Médico Judaico de Long Island, em Nova York.

Israel

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, recebeu a segunda dose do imunizante da Pfizer neste sábado, 9 de janeiro.

A aplicação foi transmitida ao vivo pela televisão.

Netanyahu, de 71 anos de idade, recebeu a primeira dose no dia 19 de dezembro, quando deu início à campanha de vacinação no país.

Levantamento Our World in Data, plataforma da Universidade de Oxford, mostra que quase 18% dos israelenses já foram imunizadas.

E o governo promete que todos os cidadãos devem ser vacinados até o final de março.

“Seremos o primeiro país a vencer o coronavírus“, disse o primeiro-ministro em comunicado.

Nesta semana, o governo de Israel também autorizou o uso da vacina desenvolvida pela Moderna. A empresa informou que o governo israelense garantiu seis milhões de doses do imunizante e que as primeiras entregas “devem começar em breve”.

China

A China começou a imunização emergencial em julho. Mais de 9 milhões de doses de vacinas COVID-19 foram administradas em toda a China, informa o China Daily.

Com o aumento da produção, o número de doses de vacinas será estendido para cobrir toda a população chinesa gratuitamente como uma arma crucial para a prevenção e controle de epidemias, disse o vice-ministro da Saúde Zeng Yixin.

Brasil

No Brasil, a vacinação ainda não começou. Na última semana foram dados os primeiros passos para que isso aconteça.

Na sexta-feira, 8, o Instituto Butantan e a Fiocruz entraram com pedido de uso emergencial de seus imunizantes na Anvisa. A agência tem dez dias para finalizar a análise e emitir seu parecer.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que a vacinação pode começar antes de 20 de janeiro, a depender da autorização da Anvisa e da existência de doses disponíveis para serem aplicadas.

Com informações do G1, TimesOfIsrael , CNN e G1

Johnson & Johnson apresenta vacina em dose única contra Covid


Foto: reprodução Daily Mail
Foto: reprodução Daily Mail

De acordo a matéria publicada no Só Notícias Boas, a gigante farmacêutica Johnson & Johnson apresentou sua vacina de dose única contra a Covid-19 ao Reino Unido.

Ela é produzida na unidade da Bélgica e tem potencial que pode acelerar a velocidade de vacinação na região.

Cientistas e fontes do governo do Reino Unido acreditam que a vacina deverá receber autorização de emergência nas próximas semanas.

O imunizante usa tecnologia semelhante à da vacina da Universidade de Oxford, com facilidade para transportar e armazenar.

Mas o que chama a atenção, entre tantas vacinas, é que a injeção única da Johnson & Johnson seria suficiente para proteger contra Covid-19.

Eficácia

A eficácia da vacina só será divulgada após análise dos órgãos reguladores do Reino Unido, prevista para o início de fevereiro, quando sairá ou não, a aprovação.

John Bell, professor regius da Universidade de Oxford e conselheiro da Vaccine Taskforce do Reino Unido, disse ao The Telegraph que acredita que a vacina vai ‘funcionar bem’ e ficar disponível a tempo para a meta de meados de fevereiro.

Meta

A Grã-Bretanha já fechou um acordo para 30 milhões de doses da vacina, com a opção de encomendar mais 22 milhões.

A expectativa é de que os suprimentos cheguem a tempo para ajudar o governo a cumprir sua ambiciosa promessa de vacinar 13 milhões de britânicos até meados de fevereiro.

3ª vacina

Se aprovada, a vacina da Johnson & Johnson será a terceira em uso no Reino Unido, depois da Pfizer e Oxford.

Até agora, 1,3 milhão de britânicos em todo o Reino Unido foram imunizados.

Com informações do Só Notícias Boas

Homem é assassinado pela companheira em condomínio de alto padrão no Horto Florestal


Homem é assassinado pela companheira em condomínio de alto padrão no Horto Florestal
Crédito da Foto: leitor/Aratu On

Um homem, de 35 anos, identificado como Elton Gonçalves Campelo, foi morto, vítima de disparo de arma de fogo, na manhã deste domingo (10/1), por volta das 10h, no bairro do Horto Florestal, em Salvador.

Segundo informações da polícia, o crime, acontecido em um condomínio de alto padrão, foi cometido por Isabela de Araújo Valença, companheira de Elton, que cometeu suicídio, em seguida. Até o momento, não há informações sobre a motivação da autora. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Ministério da Saúde padroniza modelo de seringas para a vacina da Covid, dificulta produção e pode causar atraso


(…) Enquanto estados e o governo federal travam uma corrida por seringas e agulhas para garantir a vacinação contra a Covid-19, a fábrica da SR (Saldanha Rodrigues) em Manaus, uma das quatro que produzem tais insumos no Brasil, opera a plena carga para abastecer o mercado nacional.

Mas todo esse reforço na produção pode não ser suficiente para garantir a aquisição dos insumos necessários para a imunização dos brasileiros contra a Covid-19, ou seja, para a aplicação das duas doses da vacina em pelo menos 70% da população, sem risco de desabastecimento ao longo da campanha.

Isso porque o Ministério da Saúde restringiu a vacinação a apenas um modelo de seringa: a de 3 ml com o chamado “bico de rosca”, limitando a produção nacional a 1,5 milhão por dia. A indústria nacional pode não dar conta da demanda a tempo da chegada das doses em todos os estados.

“Quando o Ministério escolhe apenas um modelo de seringa assim, em cima da hora, ele limita toda a capacidade de produção das empresas, porque as linhas de produção levam até um ano para serem adaptadas para um novo molde. Vai acontecer isso, de alguns estados terem seringa de 3 ml e outros não para a vacina”, afirma o diretor-técnico da SR, Tomé da Silva.

Será que até nessas horas o ministro da Saúde ainda prefere atitudes que atrapalhe o andamento da vacinação?

Com informação do DCM

 

BH: Suspeito de estuprar moradoras de rua é queimado debaixo de viaduto no Bairro Lagoinha


Viaduto Senegal, na Lagoinha, onde o corpo foi localizado durante a madrugada
Ainda não há pista dos suspeitos do assassinato de um morador de rua na madrugada desta segunda-feira no Bairro Lagoinha, Região Noroeste de Belo Horizonte. O corpo dele foi encontrado amarrado a um poste e queimado. De acordo com a Polícia Militar (PM), outras pessoas em situação de rua disseram que ele teria cometido estupros.
O corpo foi localizado na área do Viaduto Senegal, por volta da 1h40. A vítima teria por volta de 30 anos e foi identificada apenas por um apelido. Os restos mortais ainda estavam em chamas quando a polícia chegou.
O homem estava sentado no chão, amarrado a um poste. A perícia da Polícia Civil esteve no local e constatou lesões no crânio que podem ter sido provocadas por faca ou facão. Um pedaço de madeira também teria sido usado para golpear a vítima.
Continua depois da publicidade
Segundo a PM, moradores de rua da região disseram que a vítima teria estuprado várias mulheres sem-teto. O caso será apurado e a ocorrência foi registrada na 6ª Delegacia de Homicídios Noroeste.
Fonte Estado de Minas

Acaba esta semana prazo para eleitor justificar ausência no 1º turno


Acaba esta semana prazo para eleitor justificar ausência no 1º turno

Foto: Bahia Notícias

Acaba nesta quinta-feira (14) o prazo para o eleitor que não votou e não justificou a ausência no primeiro turno das Eleições Municipais de 2020 realizar o procedimento e ficar em dia com a Justiça Eleitoral.

Caso a justificativa não seja feita, será preciso pagar uma multa. Quem não regularizar a situação pode ficar sujeito a restrições.

Para quem faltou ao segundo turno o prazo limite é 28 de janeiro, destaca reportagem da Agência Brasil.

 

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recomenda que a justificativa seja feita, preferencialmente, por meio do aplicativo e-Título, disponível para celulares com sistemas operacionais Android ou iOS.

É possível realizar o procedimento pela internet, por meio do Sistema Justifica. Ou ainda de modo presencial, no Cartório Eleitoral. Em qualquer um dos casos, o eleitor precisará preencher um Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE), descrevendo por que não votou. O TSE pede que seja anexada documentação que comprove a razão da falta. BN Notícias

Eva Wilma está internada com pneumonia em São Paulo; Covid-19 foi descartada


Eva Wilma está internada com pneumonia em São Paulo; Covid-19 foi descartada

Foto: Reprodução / Globo

Eva Wilma, 87, está internada em São Paulo com pneumonia, mas já foram feitos exames que descartaram que ela tenha sido contaminada pela Covid-19. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital Vila Nova Star na noite deste domingo (10).

Em uma série de entrevistas para homenagear os 70 anos da televisão brasileira, completados em 18 de setembro, Pedro Bial conversou com a atriz. Uma das histórias que chamou mais a atenção foi a não escalação para um filme do cineasta Alfred Hitchcock.

Wilma relembrou que estava com o marido almoçando nos estúdios da Universal Pictures, em 1969, quando um agente se aproxima dela. “Ele veio me perguntar se poderia me fotografar, pois Hitchcock estava procurando uma atriz latino-americana para fazer o papel de uma cubana em um filme muito importante.”

Ela afirmou que se deixou ser fotografada e retornou ao Brasil. Passados alguns meses, uma pessoa entrou em contato para convidá-la para participar do teste: “Fui para Hollywood no dia seguinte”. Wilma recorda que Hitchcock tinha uma casa só para ele nos estúdios e que “parecia mais uma casa de filme de terror mesmo”.

Depois de três meses, a atriz diz que foi escolhida uma alemã [Karin Dor] para o papel da cubana. “O meu consolo, também, digo para me conformar, é que ‘Topázio’ [1969] não foi um dos bons filmes de Hitchcock. Eu assisti e falei: ‘Esse papel não era para mim’. Mas era para me conformar, porque eu queria ter feito.” Do Bahia Notícias

 

Em 2020 a Terra girou mais rápido: maior marca desde 1960


Terra - Foto: Reuters/Nasa
Terra – Foto: Reuters/Nasa

Esta notícia é mais curiosa do que boa. Se você acha que o tempo está voando, não é impressão sua. Realmente a Terra girou mais rápido em 2020.

Desde 1960 o planeta não girava tão rapidamente em torno do seu eixo: até 1,5 milissegundos além do normal.

“A Terra está girando mais rápido agora do que em qualquer momento nos últimos 50 anos”, disse o físico Peter Whibberley, do Laboratório de Física Nacional do Reino Unido, ao The Telegraph.

28 dias quebraram o recorde anterior do dia mais curto já documentado: 5 de julho de 2005.

Aquele dia durou 1,0516 milissegundos a menos do que o padrão de 86.400 segundos. Agora, o dia mais curto já registrado durou 0,45 milissegundos a menos do que o recorde anterior.

A última vez em um ano com duração média do dia inferior a 86.400 segundos foi em 1937.

Os motivos, de acordo com os cientistas, são atividade do núcleo derretido do planeta, dos oceanos e da atmosfera.

Mas o grande número de dias velozes em 2020 pode ser um sinal de que a rotação da Terra está acelerando de forma geral, de acordo com TimeAndDate.com.

2021

Cientistas que monitoram a velocidade de rotação da Terra preveem que 2021 será ainda mais curto.

Espera-se que o dia médio dure 0,05 milissegundos a menos de 86.400 segundos, a duração padrão de um dia, conforme determinado por nossos relógios.

E os dias individuais podem durar 1,5 milissegundos a menos. Ao longo de um ano, espera-se que os dias mais curtos totalizem um déficit de cerca de 19 milissegundos.

Se 2021 acabar sendo um ano curto como 2020, os cientistas podem subtrair um segundo.

“É bem possível que um segundo bissexto negativo seja necessário se a taxa de rotação da Terra aumentar ainda mais, mas é muito cedo para dizer se isso é provável que aconteça”, disse Whibberley ao The Telegraph.

“Também há discussões internacionais ocorrendo sobre o futuro dos segundos bissextos, e também é possível que a necessidade de um segundo bissexto negativo impulsione a decisão de encerrar os segundos bissextos para sempre.”

A pesquisa

Para determinar a duração de cada dia na Terra, os cientistas do Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra (IERS) medem o momento preciso em que uma estrela fixa passa por um local no céu.

Eles expressam essa medida como Tempo Universal, depois a comparam com o Tempo Atômico, uma escala de tempo calculada por relógios atômicos ultraprecisos. Essa comparação pode mostrar o quanto a velocidade de rotação da Terra está se desviando da norma.

Com informações do The Telegraph