Chapa apoiada pelo MBL, com Doria e ACM Neto, começa a ser cogitada


pagesadsadsdasd

Faltando um pouco mais de um ano para as eleições mais importante do país, onde serão eleitos presidente da república, governadores, senadores e deputados, começa a se pensar nos acertos de chapas. Em Brasília existe um grupo de políticos mergulhados num lamaçal de corrupção, que muitos de nomes limpos não querem nem em cima do palanque para não perder votos (me diga com quem andas que eu te direi quem tu és)  Por falar em acertos de chapas, poucos dias atrás, uma matéria do Estado de São Paulo divulgava um suposto plano do Movimento Brasil Livre por uma chapa presidencial em 2018, encabeçada por João Doria com ACM Neto como vice. Prefeitos de São Paulo e Salvador, respectivamente, seriam os melhores nomes não só para derrotar um nome da esquerda, mas para comandar o país na próxima gestão. Tudo bem, pode ser uma chapa forte em se tratando de nomes, Dória e Neto. mas em se tratando de partidos envolvidos em denúncias, podem ter grandes perdas. Uma palavra muito usada nos últimos meses é golpe. Nesse sentido, ambos os partidos fizeram parte do propósito de tirarem Dilma do poder. Fato que, diante da crise que o país mergulhou, parte da população que apoiou o impeachment, hoje não apoiaria mais. Por tanto, derrubar a esquerda é uma tarefa um pouco difícil.

 

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Editor do Blog Palavra Livre, Devis Pimenta Filho, fala a respeito de Aécio Neves


Resultado de imagem para foto do mapa do brasil

Acorda Brasil e brasileiros!!

“Vamos obstruir todos os trabalhos legislativos até o País quebrar e Dilma ficar incapacitada de governar” — Senador Aécio Neves (PSDB), em discurso dias depois de sua derrota eleitoral para Dilma Rousseff, a presidente legítima e constitucional, que foi deposta por um golpe cucaracha e de terceiro mundo. PS: E o castigo veio a galope.
Eu não consigo, por mais que eu tente, compreender a indignação e a fúria do senador do PSDB, Aécio Neves, e de sua irmã, a jornalista Andrea Neves, que também igualmente indignada gravou um vídeo a chorar e a se perguntar: “De onde vem tanto ódio?” Para quem não sabe, mas quase todo mundo sabe, os irmãos estão “estarrecidos” e irados por terem sido acusados em matéria da Veja — a Última Flor do Fáscio —, dentre inúmeras acusações dentro e fora do âmbito da Lava Jato, de receberem milhões em propinas em uma conta não declarada ao Fisco brasileiro em Nova York.
As propinas, de acordo com o delator e ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Júnior (BJ), eram depositadas em conta operada por sua irmã. Ressalta-se que as acusações a Aécio Neves são inúmeras e variadas e o atingem frontalmente, a enfraquecê-lo politicamente no que tange à disputa dentro do PSDB para ser indicado pelos tucanos candidato a presidente em 2018.
José Serra está fora. Geraldo Alckmin também é acusado de cometer malfeitos e o prefeito de São Paulo, João Dória, um pitbull espalhafatoso ao tempo que “mauricinho”, está de olho na candidatura e a fazer campanhas de marketing diuturnamente, a fim de ser o indicado a candidato à Presidência da República pelo PSDB. Dória é o Fernando Collor sem tradição política. Dá para imaginar Dória como presidente? Pobre do Brasil…
Contudo, as palavras de revolta e indignação dos irmãos Neves não convencem, ainda mais quando se sabe que eles são os principais agentes do golpe de estado de terceiro mundo e cucaracha que detonou a economia brasileira, humilhou o Brasil, pois é visto pela comunidade internacional como uma reles republiqueta das bananas, bem como tal golpe travestido de legal e legítimo por um Judiciário covarde e golpista está a dar fim em todos os programas de inclusão social em um País com um povo pobre, cuja violência o atinge duramente como se estivesse em uma guerra.
Não se deve jamais esquecer também que o golpe terceiro-mundista, mas violento foi organizado com a intenção de livrar os quadrilheiros da cadeia, que tomaram o poder central de assalto, assim como foi efetivado para vender o Brasil a preço de banana com o propósito de manter o Brasil, indefinidamente, com um País colonizado e subordinado e submetido à esfera de interesses dos Estados Unidos. Governo que não se dá o respeito e não tem vergonha na cara só pode administrar um país que não tem o respeito e a admiração de ninguém. Ponto.
Entretanto, voltemos aos irmãos Neves — Aécio e Andrea. E não é que a irmã do senador tucano sedicioso e conspirador, além de ser o pior perdedor de eleições que já se viu na história da República é o responsável número um pela deposição de Dilma Rousseff e pela crise político-institucional do Brasil, que dividiu a Nação, está a se perguntar de onde vem tanto ódio? Respondo: Vem de vocês e de seus apoiadores políticos, empresariais, midiáticos e dos coxinhas paneleiros vestidos de amarelo, além da gana e do casuísmo em não aceitar a quarta derrota consecutiva para os Partido dos Trabalhadores.
E não é somente isto. Antes das manifestações de junho de 2013, o Judiciário era praticamente, com exceções, a exemplo do juiz Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso, um poder da República que cumpria com seu papel constitucional, longe de se partidarizar e se politizar de tal forma que chegou ao ponto de ser a base de sustentação do golpe de estado deflagrado pelo ex-deputado e agora presidiário Eduardo Cunha — o bucha de canhão dos golpistas do PSDB, do PMDB, do DEM e do PPS, que, desprovidos de legitimidade constitucional e autoridade eleitoral, resolveram se aventurar em um golpe de estado que deixou o Brasil de joelhos e o envergonhou por sua sordidez e vileza.
Formou-se um consórcio de direita oriundo de diversos segmentos reacionários da sociedade e inconformados com as derrotas eleitorais para o PT, e deu no que deu: golpe de estado e a Nação a se odiar em incontáveis intolerâncias, porque houve a quebra da ordem institucional e constitucional por parte de grupos econômicos e políticos interessados em controlar a Presidência e entregar o Brasil ao barbarismo, às empresas e aos bancos transnacionais. Irresponsáveis! Toda vez que o juiz Gilmar Mendes envereda por ações partidarizadas e resolve dar declarações políticas e ideológicas, tal magistrado consegue a proeza de deixar o STF menor do que já é.
O Supremo deixou de ser Supremo e se diminuiu perante o povo brasileiro. O STF permitiu o golpe, e, portanto, é parte interessada em manter o status quo de grupos antidemocráticos e antinacionalistas, que jamais aceitaram a ascensão do PT, a independência do Brasil e a melhoria na qualidade de vida do povo brasileiro. O STF é muito menor do que o povo, porque se tornou um anão moral e se transformou no garrote vil da democracia e do estado democrático de direito. O Aécio Neves e sua irmã sabem disso, mas o tiro dos golpistas saiu pela culatra.
O choro é livre! As reclamações também. Aliás, Aécio, político que gosta de demonstrar coragem e macheza, deveria saber que “cabrito bom não berra”, bem como “pimenta nos olhos dos outros é refresco”, além de que “pau que bate em Chico bate também em Francisco”. O problema é que “pau que nasce torto continua torto”, fato que, exemplarmente, é o caso do playboy do eixo RJ/BH, que também está a se perguntar, tal qual à sua irmã, de onde vem tanto ódio.
Respondo novamente: “Aécio, o ódio vem do golpe de estado travestido de legal e legítimo; e você é o principal agente dessa violência, bagunça e intolerância que acontece no Brasil. Houve um golpe, Aécio, e golpes praticados por “elites” de republiquetas bananeiras jamais acabam bem, segundo a realidade, a verdade e a história da humanidade. Deu para entender? Com sua idade, vossa excelência deveria saber disso, até porque é neto de Tancredo Neves. Aliás, o que seu avô, aliado de Getúlio, de Jango e de Ulysses, diria ao vê-lo como o principal indutor do golpe de direita?” Com a resposta, o próprio senador Aécio Neves.
Aécio Neves está a experimentar o gosto amargo e opressivo das delações premiadas, que somente premiam criminosos que cometeram crimes de bilhões de reais depois de abrirem suas bocas ou baterem com as línguas nos dentes para logo serem soltos e usufruírem da comodidade e do conforto de suas casas espaçosas e luxuosas. A volta ao seio da família, com a aquiescência de juiz, procuradores e delegados da PF, que, na verdade, estão mesmo a fim de impedir que o líder trabalhista, Luiz Inácio Lula da Silva, vença as eleições em 2018, sendo que para isso é necessário destruí-lo moralmente e desconstruí-lo como animal político que é e sempre foi. Todo mundo sabe disso, inclusive o Aécio Neves.
O senador das Minas e não das Gerais, por ser um legítimo e autêntico representante da corte e não do interior, que é o “mundão de Deus” de Guimarães Rosa, só não sabe da realidade que o rodeia por conveniência, pois que as delações, de acordo com o político mineiro, são “criminosas e mentirosas” ao negar, na tribuna do Senado, que tenha recebido dinheiro da Odebrecht em conta nos Estados Unidos.
“É mentirosa a reportagem da revista Veja, que me acusou de ter recebido recursos ilícitos da Odebrecht em uma conta que seria operada por minha irmã em Nova York” — asseverou o senador do PSDB, para logo considerar que os “vazamentos são criminosos”, bem como informou que seu advogado ligou para o advogado de Benecdito Júnior, o autor das delações, que assegurou que seu cliente não acusou a irmã do senador, Andrea Neves.
Então vamos lá: o senador megadelatado Aécio Neves considera os vazamentos como crimes, seletivos, mentirosos e que tem por finalidade prejudicá-lo. Aécio Neves só não pode desta vez acusar o PT, mas como ele não é ingênuo e muito menos inexperiente poderia muito bem se perguntar se não é uma ação política de “fogo amigo” de bico longo ou simplesmente ter sido denunciado por todos esse sistema de corrupção que tem como essência as propinas e os caixas dois dos partidos políticos.
A verdade é que somente agora e após três anos o senador do PSDB sentiu o ferrão do marimbondo ou da vespa, até porque os tucanos são i-nim-pu-tá-veis! Não estão acostumados a serem alvos de calúnias, injúrias e difamações. Também nunca sofreram na pele e na alma as agruras e as covardias das conduções coercitivas, a toque de vara, das humilhações públicas e escárnios midiáticos perpetrados pela Polícia Federal (aecista), a serviço de procuradores obsessivos (somente com o Lula e o PT) e autores do irresponsável e ridículo powerpoint, além de os tucanos jamais serem objetos de punições do juiz imparcial, seletivo e partidário, do PSDB do Paraná, que, inacreditavelmente, reúne-se e participa de eventos oficiais, sociais e de imprensa, na companhia dos inimigos do PT e de Lula, Dilma, José Dirceu etc. Não é uma “beleza” tal conduta de um magistrado que vai julgar os petistas? Será que todos nós somos idiotas? Não. Claro que não… Inaceitável.
E não é que o senador Aécio Neves, que até hoje e apesar de ser acusado de estar envolvido em inúmeros casos de corrupção, até hoje não foi sequer incomodado pela PGR, Vara do Moro, Polícia Federal e MPF de Minas Gerais, Brasília e Paraná. Pois é. Agora, a se mostrar indignado, o senador solta a seguinte pérola: “O sigilo existe apenas para os acusados que não conseguem se defender de vazamentos parciais e dirigidos, motivados seja por antipatias pessoais ou políticas. Há meses vazamentos seletivos ocorrem. Reputações são queimadas em praça pública sem que o direito de defesa possa ser exercido” — afirmou Aécio Neves, que recebeu apoio de seus parceiros de Senado e de golpe de estado bananeiro, que devem estar a morrer de medo de também terem de dançar conforme a música dos vazamentos seletivos, persecutórios e covardes.
Porém, o senador mau perdedor e que incendiou o Brasil por ser autoritário e arbitrário completou sua defesa inglória: “O {ministro Edson} Fachin tem que franquear à sociedade o conjunto das delações. Tem vazamento em beneficio sabe-se lá de que projeto”. U-lá-lá! Acabou o deleite. Ou seja, a posição e a situação de observador que “surfa” na desgraça alheia, como ocorre há 14 anos com as lideranças do PT e de seus aliados, seja nas áreas políticas e empresariais, que são alvos e vítimas de todo tipo de perseguição política e de combate desleal praticados pelo PSDB et caterva e os sistemas midiáticos privados e de mercado, juntamente com setores do Judiciário, que formam o consórcio golpista e de direita, que tomou de assalto o poder central. Será que o Aécio não sabe disso? Sabe. Só que, como afirmei anteriormente, “pimenta nos olhos dos outros é refresco”.
Aécio também criticou o “vazamento criminoso” de delações premiadas e informou ter pedido ao ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator da Lava Jato, que investigue como a informação chegou à revista Veja — a Última Flor do Fáscio. O político tucano pediu a punição daqueles que cometeram o crime (vazamento seletivo para a imprensa “amiga” dele, que apoiou em peso sua candidatura a presidente).
Aécio afirmou que tomou as medidas judiciais para que a verdade seja restabelecida, pois pretende “responsabilizar os culpados”. Agora, vamos à pergunta que não quer calar: “Quais culpados? A Veja, que sempre o apoiou, a não ser quando tem tucano paulista no meio? Os agentes e delegados (aecistas) da PF? Os procuradores obsessivos da Lava Jato? A PGR? O juiz de província e partidarizado? Quais culpados, senador Aécio Neves? Os seus próprios aliados? Tem que explicar melhor…
Por sua vez, Aécio não se dá por satisfeito. Ele cobra também o fim do sigilo das delações premiadas — aquelas que privilegiam os ladrões do dinheiro público. O senador sabe que a intenção do sigilo é que os delatores acusem para que os verdadeiros alvos dos golpistas, a exemplo de Lula, fiquem sob pressão constante até que seja possível realizar eleições indiretas, como já está a trabalhar por este golpe dentro do golpe o condestável juiz e presidente do TSE, Gilmar Mendes, que, como “conselheiro” do traidor e golpista, *mi-shell temer, defende, na maior desfaçatez e desrespeito com a Nação e com as leis, separar a chapa de Dilma e *temer.
Evidentemente que o propósito é punir a presidente deposta que não cometeu quaisquer crimes e, com efeito, salvar não somente a pele do Amigo da Onça usurpador do poder, mas, sobretudo, livrá-lo de suas culpas e, por seu turno, salvar seus ossos e órgãos internos, porque a cabeça há muito tempo este sujeito medíocre e detestado por 90% da Nação brasileira não tem ou nunca teve, pois é total e completa a falta de juízo, responsabilidade e discernimento de tal golpista, que é, indubitavelmente, tratado como bárbaro e pária pela comunidade internacional.
Se essa gente sem eira nem beira fosse séria e sensata, evidentemente que o Brasil seria pacificado por intermédio de eleições diretas. Porém, o que se esperar de cobras, escorpiões e lagartos, quando tal escumalha sempre considera que “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Este ditado popular é a cara e o focinho dos proprietários da casa grande de alma escravocrata, colonizada e subserviente aos ditames e interesses dos Estados Unidos.
Além disso, o que interessa mesmo à direita golpista e que jamais em sua história pensou o Brasil para desenvolvê-lo e, consequentemente, emancipar seu povo, é como impedir que o candidato do campo da esquerda seja o Lula. Entretanto, para que este golpe ocorra, será necessário que o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná e que tem ligações com os EUA, faça sua parte e contrarie os autos do processo, assim como tornar irrelevante a falta de provas contra o ex-mandatário trabalhista, que lidera todas as pesquisas eleitorais, mesmo após ser linchado em praça pública por todos esses anos.
Lula, além de ter sofrido durante três anos todos os tipos de opressões e arbitrariedades intermináveis, foi levianamente considerado chefe de quadrilha pelo coordenador da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, que, porém, ao fim de inúmeras pantomimas, afirmou, sem qualquer peso de consciência, que provas contra o Lula a Lava Jato não as tem, mas as “convicções” dos rapazes midiáticos, que fazem a vez dos “Intocáveis” e terão direito a um filme cujo financiador ninguém sabe quem é, pois “segredo de justiça”, são incontáveis e isto, para eles, basta. Durma-se com um barulho desse. Surreal.
Dallagnol foi ainda mais ousado e partidário quando afirma que o PSDB por não ser base do governo não consta na Lava Jato e, com efeito, não será punido. Como assim cara pálida? O PSDB e suas principais lideranças estão em todos casos de corrupção, em âmbito federal e estadual. Os mesmos financiadores de campanhas, com caixa um ou dois, com propinas ou sem propinas do PSDB são os do PT, do PMDB, do DEM e do PPS.
Além disso, sugiro ao MPF e seu chefe da PGR que comecem a investigar a entrega da Petrobras por Pedro Parente, um sujeito tucano e mão de tesoura, que não tem a mínima responsabilidade com o desenvolvimento do Brasil e de seu povo, além de comprovadamente incompetente por ter participado do governo sombrio e vaziou de esperança de FHC — o Neoliberal Golpista I —, aquele presidente tucano que foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado, com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes.
Depois de 13 anos sem controlar o Governo Federal, o PSDB assume o poder por intermédio de um golpe de estado e se torna historicamente e indelevelmente um partido golpista. Impõe à Nação o que seus integrantes não impõem às suas famílias e a seus grupos sociais. Junto com o PMDB, o PSDB, por intermédio do programa “Uma Ponte para o Futuro (no Inferno)”, volta a entregar e a desconstruir o Brasil, a traí-lo e a colonizá-lo, sem apresentar quaisquer propostas para melhorar a vida de um povo que vive em um País socialmente pobre e violento. Vade retro satanás! Enterre-se em sua iniquidade!
A verdade, porém, é que o megadelatado Aécio Neves, que consta em inúmeros escândalos, de acordo com a PF, MPF e a imprensa de negócios privados, está a vivenciar uma sinuca de bico. O”Mineirinho” ou o “Chato” da lista de Odebrecht e de outras listas, como a de Furnas, realmente discorda de vazamentos criminosos e seletivos. Porém, há um adendo: discorda quando é contra ele. Quando é contra os outros, principalmente contra os políticos do PT, Aécio Neves se sente à vontade e, quiçá, feliz e satisfeito.
A Cidade Administrativa em Minas e a usina de Santo Antônio são os objetos de denúncias do ex-executivo da Odebrecht e que a Veja — a Última Flor do Fáscio — jogou no ventilador, porque, certamente, está a apoiar possível candidatura de algum tucano paulista à Presidência da República. Ou será que não? Ou seja, a Veja — a Última Flor do Fáscio — está apenas a fazer jornalismo, doa a quem doer (Pausa). Agora podemos continuar a resenha. Acabei de dar uma altissonante gargalhada, daquelas que dói o estômago e te faz lacrimejar.
Pois é. Aécio Neves terá de se virar e provar sua inocência. Sua irmã Andrea se defendeu e afirmou que a denúncia “não tem embasamento e a atingiu de forma covarde”, porque se trata de “mentira e nós vamos provar”. Aécio foi na mesma linha, e disse: “Reagirei sempre com a indignação dos homens de bem, dos homens honestos e isso será desmascarado cabalmente”. Fecha. Pano de fundo…
Os irmãos Neves mandam e desmandam. Governam de maneira imperial. Não estão nem aí para o Brasil e seu povo trabalhador, porque comprovaram recorrentemente que lutam pelo poder para manter o status quo dos grupos os quais defendem e lutam para manter eternamente seus interesses. Apostaram em um golpe de estado de essência trágica e cooperaram para dividir a Nação e destruir a economia brasileira, a subjugá-las perante os interesses do grande capital internacional.
A verdade é que até mesmo a indústria e o comércio deste País de “elites” atrasadas e que investem no retrocesso estão a experimentar falências e prejuízos econômicos gravíssimos e astronômicos, com enorme desemprego, pois os empresários apoiaram o golpe que humilhou e desconstruiu o Brasil. O golpe tem preço e a cobrança é severa e rápida. Quem serve carne a lobos e leões com as mãos, evidentemente que ficará sem os braços. Ipsis litteris.
Os partidos golpistas e suas lideranças que tomaram de assalto o poder, como fazem os bandidos em seus dias, financiaram os fascistas de passeatas e internet, a exemplo do MBL, Vem Pra Rua e Revoltados Online, que recentemente realizaram manifestações fracassadas, porque até mesmo alguns coxinhas analfabetos políticos e celerados perceberam que deram tiros nos próprios pés, afinal essa gente ignara, querendo ou não, derrubou uma presidente honesta do poder para colocar no lugar dela uma quadrilha, que está a destruir propositalmente o País.
Trata-se de cinismo e hipocrisia em uma só pessoa: Aécio Neves. O tucano sente na pele o que o Lula sofre há anos. Só que contra o Lula, que é investigado há 40 anos pela direita estatal e partidária, nada foi comprovado. Desceram ao inferno e agora estão a receber seus galardões. É isso aí. Matéria do Blog do Latinha.

Advogado é detido suspeito de estupro contra as próprias filhas


 

População fez tumulto se mostrando revoltada

Encontra-se no Complexo Penal de Vitória da Conquista, um advogado acusado de estuprar as filhas de 11 e 12 anos. De acordo com a Polícia Civil, a prisão ocorreu na terça-feira (4), após comprovação obtida por laudo que atesta a violação dos órgãos genitais das garotas. Segundo a Polícia, o crime foi descoberto após a professora das crianças ler uma redação em que uma delas se declarou infeliz. A professora estranhou o relato, avisou à direção da unidade escolar, que comunicou o Conselho Tutelar. Em seguida, o órgão fez a denúncia à polícia, que investigou o caso e constatou os abusos. Ainda de acordo com a Polícia, o advogado informou que as filhas moram com ele e que a mãe delas não participa da criação das meninas. As vítimas estão sob cuidados de uma família acolhedora. Já o suspeito, está no Conjunto Penal de Vitória da Conquista. Ouça o Plantão Policial do Jornal da Cidade que traz outras informa. Bolg do Anderson.

 

Exibindo IMG-20170406-WA0005.jpg

O cerco começa apertar pros grandões lá de Brasília


 

 

A informação da coluna Radar da Veja, de que a Odebrecht teria feito pagamentos milionários ao senador José Serra na conta de “uma parente” e através do lobista José Amaro Pinto, é a pá de cal na carreira do senador. Desvenda-se o maior segredo de Polichinelo da história da república: o processo de enriquecimento de Serra na política.

A parente de Serra obviamente é a filha Verônica. Completando a delação do executivo da Odebrecht, há a famosa tarja preta que a Polícia Federal colocou na agenda telefônica de Marcelo Odebrecht, antes de vazar a agenda para a mídia. Amadores, chamaram imediatamente a atenção de todos e não se deram conta de que um bom editor de imagens eliminaria as tarjas revelando os nomes. O compromisso tarjado era de Marcelo Odebrecht, com uma reunião com José Serra justamente no escritório de Verônica.

Com a possibilidade aberta, agora, de quebrar o sigilo das contas de Verônica Serra, especialmente dos seus fundos de investimentos, será bastante simples desvendar todo o sistema de lavagem de dinheiro de Serra, que o transformou em um dos políticos mais ricos do país. Continue lendo pós publicidade.

 

 

Os dois caminhos de Serra para a lavagem de dinheiro foram o mercado de tecnologia e o de obras de arte – ambos propícios à lavagem devido às precificações bastante voláteis e subjetivas.

Pessoas que visitaram Serra em sua casa, aliás, se espantaram com a quantidade de obras de arte espalhadas pelas paredes. Na denúncia que a PGR encaminhará ao STF (Supremo Tribunal Federal), se saberá qual o estágio atual de Rodrigo Janot em relação à blindagem de Serra. Se não incluir abertura de contas de Verônica e arresto de obras de arte, não será uma investigação séria.

Aqui está um roteiro simples e algumas pistas  para destrinchar os métodos de lavagem de dinheiro de Serra:

  1. O caso Santander-Banespa

Desde os idos de 2.000, Serra já se valia das incursões de Verônica no mercado de tecnologia para lavar dinheiro. Quem a conheceu na época sabia ser uma moça limitada, sem noção clara sobre empresas startups. Mesmo assim, conseguia feitos extraordinários.

O primeiro deles foi sua aproximação com argentinos da Patagon – um sistema de banking eletrônico. Verônica conseguiu vender para o Santander por US$ 700 milhões, uma soma impossível. O próprio presidente do banco participou das negociações.

Anos depois, procurei mapear os interesses do Santander na época. O maior deles era relacionado com a compra do Banespa. Para conseguir viabilizá-lo economicamente necessitava que fossem mantidas no banco as contas dos funcionários públicos e do Estado. A lei impedia.

De alguma forma, o Santander obteve a autorização. Embora o tempo transcorrido seja grande, provavelmente o rastro do dinheiro mostraria os beneficiários desse jogo e a maneira como conseguiu atropelar as leis e preservar as contas públicas, mesmo após a privatização do banco.

Pouco tempo depois, o Santander pagou US$ 5 milhões para os argentinos receberem o software de volta. Hoje em dia, ele repousa em um computador desligado, em um banco médio paulista.

  1. O caso Experian-Virid

O grupo britânico Experian adquiriu a Serasa e avançou como um leão faminto sobre o mercado de avaliação de devedores e de bancos de dados. Nessa ocasião houve a entrega para Experian do banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral pela presidente Carmen Lùcia. A operação voltou atrás depois do protesto de Marco Aurélio de Mello. Carmen Lúcia provavelmente não sabia dos valores envolvidos no mercado de banco de dados. Mas seria interessante saber dela quem a convenceu a oferecer o banco de dados do TSE.

A operação mais suspeita da Experian foi com os Cadins (Cadastro dos Devedores) estaduais. No final do seu governo, Serra entregou à Experian o Cadin do estado. Além do mais valioso, abriu as portas da Experian para os demais Cadins estaduais.

Pouco tempo depois, Verônica adquiriu participação em uma empresa de e-mail marketing, a Virid – que, na opinião de analistas de mercado não deveria valer mais de R$ 30 milhões. Em seguida revendeu-a para a Experiência por R$ 104 milhões. Na época, consultei o setor de relações com o mercado da Experian, em Londres, e me informaram que o valor da operação era sigiloso.

  1. Os negócios com Daniel Dantas

No livro “A Privataria Tucana”, o repórter Amaury Junior esmiuça os jogos de offshores de Verônica.

Há dois episódios pouco analisados e escandalosos. Um deles, o site de comércio exterior que Verônica montou com a irmã de Dantas e que conseguiu o acesso a informações sigilosas do Banco Central e do Banco do Brasil. Se não fosse denunciado, valeria dezenas de milhões de dólares.

Na campanha de 2002, Serra esquentou a casa onde morava, perto da Praça Pan-americana, com recursos supostamente enviados por Verônica dos Estados Unidos. Foi um esquentamento feito às pressas, depois que o PT levantou suspeitas sobre a casa.

Aliás, a história da casa é relevante. Serra a adquiriu quando Secretário do Planejamento de Montoro e quando corriam rumores da montagem de uma indústria de precatórios no Estado: mediante propinas, conseguia-se furar a fila de anos. Serra sempre dizia que alugara a casa – enorme – porque conseguira um aluguel especial com o proprietário.

  1. Os fundos de investimento

O fundo de investimento de Verônica Serra possui 10% do Mercado Libre, portal cotado até pouco tempo na Nasdaq em US$ 2 bilhões. Quebrando o sigilo de Verônica, será fácil rastrear a maneira como em tão pouco tempo ela acumulou um capital de US$ 200 milhões em apenas um investimento.

  1. O fator José Amaro Pinto

O lobista José Amaro Pinto sempre teve ligações estreitas com o lado FHC do PSDB. Foi colega de Sérgio Motta e FHC na Sociologia e Política. É um senhor já de idade, culto, cortês e que, até esta última informação, era conhecido como lobista dos grupos franceses junto ao Brasil. Dentre seus clientes estava a Dassault, que fabrica os Mirage, a Tales, de radares, e a notória Asltom.

Com a informação de que foi o intermediário entre a Odebrecht e Serra, surge a verdadeira face de Ramos: em vez de lobista da França no Brasil, era lobista do PSDB junto a interesses franceses. GGN

 

Tags

 

Estudar fora de graça? Canadá dá bolsas de até US$ 9 mil


Foto: @torontoontop/Instagram

 

Está sem dinheiro e quer estudar fora? O Canadá está oferecendo bolsas com tudo pago.

Mas corra! As inscrições terminam em abril.

O país exemplo em cidadania tem bolsas de estudo para alunos de graduação e pós-graduação que morem em países da América Latina, como o Brasil.

São mais de 400 bolsas – de 7.200 dólares canadenses por 4 meses e 9.700 dólares canadenses por 6 meses – administradas pelas instituições canadenses anfitriãs.

Os valores cobrem transporte aéreo, visto, seguro-saúde, livros, equipamentos (exceto computadores) e despesas com moradia.

O projeto faz parte do programa Futuro Líderes nas Américas (ELAP), realizado por meio de parceria entre instituições latino-americanas e canadenses, com início a partir de junho de 2017.

Ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares foi condenado injustamente’, afirma Altman


Pela ordem: Delúbio Soares, Ronan Maria Pinto e Enivaldo Quadrado
De acordo informações do GGN, blog de responsabilidade do Jornalista Luiz Nassiff, com a absorvição por Sérgio Moro, na operação Carbono 14, um desdobramento da Lava Jato, o jornalista Breno Altman alerta que outros três réus, no mesmo processo que respondeu, foram injustiçados no inquérito aberto em meados do ano passado por uma denúncia do Ministério Público Federal. São eles o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e os empresários Ronan Maria Pinto e Enivaldo Quadrado, todos condenados a cinco anos de prisão por suposta lavagem de dinheiro.
Em entrevista a Luis Nassif, no programa Sala de visitas, Altman apontou as principais incoerências no processo que nasceu de denúncias feitas pelo publicitário Marcos Valério, como contrapartida de um acordo de delação premiada, que ele propôs em troca de redução da pena que cumpre por participação no esquema do mensalão. Valério afirmou ao Ministério Público Federal ter informações que poderiam ligar o Petrolão ao assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.
Porém, após um ano de investigações a justiça de Curitiba encontrou pontos desconexos nas informações relatadas pelo publicitário, uma delas envolvendo Breno Altman, que acabou sendo absolvido por Sérgio Moro. No final das contas, a Carbono 14 resultou em um processo de apenas 36 páginas, onde o assunto Celso Daniel desapareceu por falta de provas consistentes, restando apenas acusações de corrupção e lavagem de dinheiro que determinaram as condenações de Delúbio Soares, Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto, além de outros réus arrolados no processo.
Breno alerta, entretanto, que até mesmo as provas documentadas pelo MPF para justificar as condenações são frágeis. O MPF diz que Delúbio foi o beneficiado final de parte de um empréstimo de R$ 12 milhões que o Partido dos Trabalhadores conseguiu junto ao banco Schahin.
Como o partido não tinha crédito para fazer esse empréstimo, o contrato com o banco foi feito em nome do pecuarista José Carlos Bumlai. Cinco anos depois deste empréstimo, que já tinha sido quitado por Bumlai, o grupo Schahin foi contratado pela Petrobras para uma operação de leasing tomado pela estatal para a construção de sondas.
Para o MPF, mesmo tendo se passado cinco anos de um empréstimo quitado, a contratação dos serviços da Schahin pela Petrobras era prova de corrupção, levando também a uma condenação de nove anos de prisão do pecuarista Bumlai. Altman salienta, entretanto, que um empréstimo feito por terceiros nunca foi crime no Brasil e, ainda, que a tese do MPF de que o contrato do grupo Schahin com a Petrobras não poderia ser utilizado como prova de que o empréstimo (já pago) feito por Bumlai previa uma negociação ilícita que o banco esperava firmar com a petroleira cinco anos mais tarde.
Veja a seguir os trechos da entrevista onde Breno explica todas as falhas do processo:
Luis Nassif – Nas entrevistas que você deu [após sua absolvição para os jornais impressos, você] colocou mais dois injustiçados. Quem eram?
Breno Altman – Eu acho que tem mais três injustiçados, para te falar a verdade. Primeiro, o principal réu Ronan Maria Pinto. Sem qualquer juízo de valor sobre sua atividade empresarial, o Ronan Maria Pinto tomou um dinheiro emprestado. Esse dinheiro emprestado a investigação prova que tem como origem, supostamente, o empréstimo que o senhor [José Carlos] Bumlai teria feito junto ao banco Schahin, e cinco anos depois teria sido pago, também supostamente, com uma operação na Petrobras. Qual é a responsabilidade do Ronan Maria Pinto de saber qual é a origem dos recursos? Qual é a prova?
Luis Nassif – Ele tomou onde esse recurso?
Breno Altman – Ele tomou em uma empresa de crédito.
Luis Nassif – Numa empresa de crédito?
Breno Altman – Sim, de uma empresa de crédito, que foi absolvido, o dono da empresa de crédito que empresta o dinheiro ao senhor Ronan Maria Pinto foi absolvido.
Luis Nassif – Mas qual é a relação?
Breno Altman – O dinheiro teria sido empréstimo do Bumlai, ele teria repassado esses recursos para o Bertin. O Bertin, que é um frigorífico, teria repassado esses recursos para a Remar, que é essa empresa de crédito. E essa empresa de crédito teria emprestado ao senhor Ronan Maria Pinto. Esse é caminho que é identificado no processo.
Luis Nassif – A Remar, qual é o tamanho?
Breno Altman – A Remar é uma empresa de crédito normal, grande, especializada em cobranças e crédito no Rio de Janeiro. O proprietário da Remar foi absolvido porque a lavagem de dinheiro exige prova de dolo. A lavagem de dinheiro só existe quando a pessoa sabe que a origem dos recursos é ilegal. Isso manda a lei.
Luis Nassif – Ela captava o depósito e emprestava?
Breno Altman – Claro. É obrigatório saber que ouve origem criminosa dos recursos, não basta ter havido transferência dos recursos ilegais. Tem que ter consciência. Isso está chancelado em jurisprudência no STF [Supremo Tribunal Federal].
Luis Nassif – Quer dizer o Bertin aplicava nela, provavelmente, com juros de mercado maior.
Breno Altman – Exatamente, e esses recursos da Remar foram emprestados ao doutor Ronan Maria Pinto.
Luis Nassif – Quer dizer, entre o Schahin, e aqui [Remar] são cinco anos?
Breno Altman – Cinco anos, até que foi pago. Como não havia obrigação do senhor Osvaldo, o proprietário da Remar, de saber que, eventualmente, esse recurso tinha origem ilegal, ele foi absolvido. E o senhor Ronan foi condenado. Qual é a congruência disso? Por que quem tomou o empréstimo teria a obrigação de saber do eventual dolo, da eventual lavagem de dinheiro dolosa, e quem emprestou não? Essa é uma injustiça.
A segunda injustiça tem a ver com o senhor Enivaldo Quadrado. O senhor Marcos Valério, que foi uma espécie de delator premiado, informal, que inventou uma série de mentiras, inclusive minha, envolvendo, que depois se provaram mentirosas, por declaração do próprio juiz Moro. O próprio Ministério Público pede a absolvição do Marcos Valério. O senhor Erivaldo Quadrado era apresentado como uma pessoa que teria ajudado o senhor Marcos Valério na confecção dos contratos do empréstimo. Como pode, o mandante e operador da primeira tentativa de empréstimo, da primeira construção de empréstimo, ter sido absolvido, e o seu eventual auxiliar, cujo o único papel no empréstimo teria sido transmitir informações de um lugar para o outro, ter sido condenado?
Luis Nassif – Isso aí tudo o pessoal de Curitiba? Os procuradores de Curitiba?
Breno Altman – Terceiro, e principal injustiça, Delúbio Soares, que eu estou convencido que o único motivo da condenação é o fato de ele ter sido do PT. O Delúbio não participa de nenhum dos supostos episódios de lavagem. Ele teria participado de uma reunião na qual o senhor Bumlai teria dito que aceitava fazer o empréstimo, supostamente, em nome do Partido dos Trabalhadores.
Ora, um empréstimo não é um crime. Inclusive empréstimo terceirizado, basta a gente ver o que acontece no país hoje. O quando uma empresa não tem crédito na praça? Ela pede para uma empresa amiga que levante o crédito e repasse. Não há ilegalidade nisso. Um partido político, muito dificilmente vai conseguir recursos em bancos. Como é que uma entidade, uma instituição pública como um partido, uma associação de benemerência, um clube sem fins lucrativos, como eles operam no mercado financeiro, muitas vezes? Eles pedem pro seus sócios, ou pede pra amigos levantarem recursos em seus nomes, e fazem entre esses amigos ou sócios contratos privados de empréstimos.
Luis Nassif – Você tem o tal do empréstimo do Bumlai, agora ele tem alguma forma de pagamento…
Breno Altman – Qual é o problema fundamental: há um empréstimo. Bumlai toma o empréstimo, supostamente esse empréstimo era para o partido dos trabalhadores. Nisso não há crime nenhum. É disso que o Delúbio é acusado, eles participaram de uma reunião que, supostamente, na qual o Bumlai teria dito que o empréstimo tinha como destino o Partido dos Trabalhadores. Fato que o Delúbio nega, e apenas e então somente por isso, pela afirmação do Bumlai, o Delúbio é condenado, sem prova nenhuma, e sem ter participado de nenhuma lavagem do dinheiro. Porque a tomada do empréstimo não é lavagem.
Luis Nassif – É um empréstimo formal.
Breno Altman – Formal. Qual é a operação de maquiagem acusatória que faz o Ministério Público? Eles pegam um fato que ocorre cinco anos depois, supostamente o Schahin teria liquidado esse empréstimo de uma forma fraudulenta quando recebeu o contrato da construção de uma plataforma da Petrobras.
Luis Nassif – Ele já era fornecedor da Petrobras…
Breno Altman – Sim. Então é acusado o senhor Bumlai de ter sido o intermediário, entre a Petrobras e o banco Schahin, para, saindo essa plataforma com a ajuda do senhor Nestor Cerveró, a concessão desse contrato da tal plataforma liquidar o empréstimo feito pelo Bumlai, cinco anos antes.
Ora, ainda que essa história seja verdadeira, qual é a prova de que quando o empréstimo foi fornecido, já se sabia que o pagamento seria ilegal? Cinco anos antes? Ou seja, o empréstimo é totalmente legal. Ele não implicou em fraude nenhuma. O banco Schahin não emprestou recursos públicos, e sim recursos próprios, cobrou juros de mercado, o contrato passou pelas mãos de diversos peritos. É um contrato com taxas de juros normais, com prazos normais, esse contrato foi seguidamente cobrado do senhor Bumlai, várias formas de pagamento foram negociadas, o senhor Bumlai não pagou, ao longo de anos. O que o senhor Delúbio tem a ver com isso? O que o PT tem a ver com isso? Ou seja, fizeram uma forçação de barra: pegaram um fato supostamente criminoso, ocorrido em 2009, que teria sido o pagamento do Banco Schahin através desse contrato para a construção e operação dessa plataforma da Petrobras e pegam esse fato e dizem: ‘bom, se o contrato de empréstimo foi liquidado de forma criminosa, por consequência o empréstimo era criminoso’.
E fizeram-se, tão somente, porque só pode haver crime de lavagem se tem fato antecedente. Não pode existir lavagem de dinheiro pela nossa legislação, sem que tenha havido um crime antecedente que tenha gerado recursos que precisavam ser lavados.
Luis Nassif – E qual é a do Marcos Valério com você? 
Breno Altman – Eu só posso especular, não tenho informação. O Marcos Valério, em 2012, desesperadamente condenado no processo do Mensalão busca uma delação premiada, e ele tem uma audiência com o Ministério Público, se não me engano de Minas Gerais, no qual ele se oferece pra fazer uma delação premiada, e ele diz que entre outros fatos que ele teria a relatar, estaria esse suposto empréstimo que teria sido feito pelo senhor Ronan Maria Pinto. Ele fala de uma reunião na qual estaria presente o Ronan, o senhor Silvio Pereira, ele e eu. Nunca existiu essa reunião, aliás, o Ministério Público, não cita nas suas alegações finais que ele solicitou à Polícia Federal que investigassem junto aos hotéis, porque a reunião teria acontecido num hotel de São Paulo, chamado Pullman, solicitou ao hotel nas datas aventadas pelo senhor Marcos Valério provas da presença daquelas pessoas, nas câmeras da vigilância do hotel, e não havia prova nenhuma.
Luis Nassif – E não incluíram isso no processo? 
Breno Altman – Não. O Ministério Público brincou de um negócio que chama pular amarelinha, os advogados chamam desse jeito. O que é pular amarelinha? Essa prova eu falo, essa prova eu não falo, essa prova eu falo, essa prova não falo. Ao longo desse ano fui aprendendo várias expressões do jargão jurídico.
O Marcos Valério, eu creio, que inventou a história dessa reunião, que os outros três participantes negam: Ronan, nega, Silvio Pereira nega e, evidentemente, eu nego. Inventou isso como uma maneira de dizer que ele tinha informações sobre o PT. Ele tinha que colocar o Silvio Pereira nessa história e eu acho que ele me coloca por conta das minhas relações notórias com Partido dos Trabalhadores, com o José Dirceu, com o Lula. Tem que colocar um personagem. Evidentemente que ele não podia colocar o Lula, ou o José Dirceu em uma reunião desse tipo.
Então eu acho que ele calculou: vou colocar uma pessoa que eu possa dizer depois que era o representante. É a única explicação que tenho, porque é uma sórdida mentira.
Eu jamais estive pessoalmente com o Marcos Valério. O conheci em atividades públicas do PT, na época em que ele tinha relações com a tesouraria do PT. Devo tê-lo visto em duas ou três atividades das quais tinha 20, 30, 10 pessoas. Nunca troquei palavra com ele, não me lembro de ter sequer cumprimentado.
Luis Nassif – Essa entrevista eu dedico, particularmente, ao Ministro Luis Roberto Barroso, aquele que acha que o estado de exceção se justifica. Ministro, isso é um dos exemplos do que o senhor ajudou a criar nesse país. GGN.

Cantor Arlindo Cruz segue internado no CTI Rio de Janeiro


O cantor e compositor Arlindo Cruz segue internado no CTI da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro. Seu estado de saúde continua grave, porém estável. Nesta segunda, foi realizada uma tomografia computadorizada do crânio, que apontou que não há necessidade de uma nova intervenção cirúrgica neste momento. A equipe médica vai começar a reduzir a sedação para observar a reação do paciente e fazer uma avaliação do quadro neurológico.

O sambista Arlindo Cruz (Foto: Divulgação)O sambista Arlindo Cruz (Foto: Divulgação)

Na última sexta-feira, o cantor passou mal em sua casa. Ele foi resgatado pela ambulância dos bombeiros e inicialmente levado ao CER da Barra da Tijuca. Por meio de exame de tomografia computadorizada cerebral, a equipe médica diagnosticou um AVC hemorrágico.

Após o quadro ter sido estabilizado, Cruz acabou transferido para a Casa de Saúde São José, no Humaitá. De lá, ele foi levado ao centro cirúrgico, onde foi instalado um cateter cerebral para monitorar sua pressão intracraniana. O procedimento foi realizado com sucesso ainda na noite de sexta.

Agronegócio não pode ser desvalorizado por ‘pequeno núcleo’, diz Temer ao G1


Resultado de imagem para foto de temer

O presidente Michel Temer disse nesta segunda-feira (20), ao comentar a operação Carne Fraca, que o agronegócio no país não pode ser desvalorizado por um “pequeno núcleo” e por uma “coisa que será menor”. O presidente ainda defendeu o sistema sanitário no país e afirmou que os frigoríficos investigados representam um número pequeno do total.

A operação, deflagrada pela Polícia Federal na sexta-feira (17), apura a existência de um esquema montado para liberar irregularmente licenças para venda de carne e fraudar a fiscalização de frigoríficos. Segundo a polícia, servidores do governo estão envolvidos nas irregularidades.

Temer falou sobre o escândalo da carne em discurso na reunião do Conselho de Administração da Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos (AmCham), em São Paulo. Ele ressaltou a importância do agronegócio na economia do país e disse que as irregularidades investigadas representam uma “coisa que será menor”.

“O agronegócio para nós no Brasil é uma coisa importantíssima e não pode ser desvalorizado por um pequeno núcleo, uma coisa que será menor, apurável, fiscalizável, punível, se for o caso, mas não pode comprometer todo o sistema que nós montamos ao longo dos anos”, afirmou Temer.

Temer disse ainda que o país tem um sistema “rigorosíssimo” de avaliação sanitária. “Temos 4850 plantas, mais ou menos, de frigoríficos no Brasil. Só 3 plantas foram interditadas, além das 18 ou 19 que serão investigadas. Isso num total de 4800 e tantas atinentes a essa área”, afirmou o presidente.

O governo realizou uma série de reuniões no fim de semana, inclusive com embaixadores de países importadores da carne brasileira, para evitar que a operação tenha impacto muito forte na venda dos produtos para o mercado externo.

No entanto, na manhã desta segunda (20), a Comissão Europeia informou que está monitorando as importações de carne do Brasil e que todas as empresas envolvidas no escândalo de carne terão acesso negado ao mercado da União Europeia temporariamente.

China, Coreia do Sul e Chile também anunciaram restrições temporárias a produtos brasileiros.

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e o Itamaraty foram procurados pelo G1, mas ainda não se pronunciaram sobre as afirmações da União Europeia.

Ao final de sua fala sobre carne na AmCham, Temer disse que “se Deus quiser”, o caso vai terminar “muito bem”.

“Estou tratando do assunto, porque é o assunto mais ou menos do dia, o de ontem pelo menos, mas que, se Deus quiser, vai terminar muito bem”, declarou.

Temer já havia informado no domingo que 6 das 21 unidades investigados exportaram nos últimos 60 dias. Ele não disse para quais países ocorreu a exportação. Fonte G1

Saiba o que rola e a verdade sobre uma das maiores obras do mundo, (Transposição do Velho Chico)


Resultado de imagem para foto da transposição do rio são francisco

Para quem viveu na seca, não tem como não valorizar uma obra desta magnitude

Por Otávio Antunes

José Bonifácio Gomes, proprietário do restaurante “Meia Pataca”, é um dos personagens da propaganda institucional do Governo Temer veiculada este mês. A propaganda afirma, entre outras coisas, que nos últimos dez meses a obra de transposição do Rio São Francisco “acelerou”, induzindo quem assiste o filme publicitário a acreditar que a transposição ganhou velocidade agora.

Enganam as pessoas, assim como tentou fazer Aécio durante a campanha eleitoral, a acreditar que era uma farsa a transposição e outras políticas públicas dos governos Lula e Dilma. Pior: vendem a falácia que o povo do sertão brasileiro acredita nessa história. Uma mentira sem tamanho.

A família Gomes é uma típica família de comerciantes da região do Cariri na Paraíba, como eles mesmos se definem.

A matriarca da família, a senhora Irene Celina Gomes, uma professora extrovertida e sorridente que conta uma história por minuto, relata a emoção de ter todos os filhos na universidade. “Sempre disse que a educação é a maior herança que a gente tem. Era muito difícil estudar, mas Lula tornou tudo mais fácil. Veio um Campus da universidade Federal para Monteiro. Meus filhos estudaram pertinho de mim”.

O senhor José Bonifácio Gomes, que participou da peça publicitária do governo Temer, afirma que, para além da transposição do Rio São Francisco, o impacto do bolsa família na região foi algo extraordinário. “Antes era um sofrimento, quando a safra não acontecia muita gente ia para capital ficar pedindo dinheiro. O bolsa família deu dignidade, e movimentou o comércio. Foi uma revolução. Além disso o seguro safra deu a tranquilidade para quem perdia a colheita”. E o responsável por tudo isso? Ele não tem dúvida: “Lula é o pai da transposição e de muitas outras coisas por aqui. O novo governo fez a obrigação dele, que foi inaugurar a obra, mas quem tirou do papel foi Lula. A gente deve muito a ele”. Senhor José estava com o olho marejado: ‘’é o suor meu filho”, disfarça emocionado.

O filho do casal, José Augusto Gomes Neto, é a prova viva de que a sorte é o encontro da competência com a oportunidade. Desde menino sempre ouviu dos pais que deveria estudar, que teria oportunidade. Não esperava que tantas. Cursou tecnologia e edificação de edifícios, na universidade Federal da Paraíba, em sua própria cidade, Monteiro. “Foi uma honra estudar aqui, pertinho de casa, podendo ajudar em casa e no nosso comércio. Minha mãe se esforçou muito para que eu estudasse inglês, levava eu e minha irmã pra Campina Grande, a duas horas meia daqui. Foi um esforço, mas sabia que valeria a pena. Durante o curso de engenharia surgiu o programa “Ciências sem fronteiras”. Eu era o único que falava inglês, fui estudar na cidade de Windsor, no Canadá. Dilma criou esse programa e eu estava preparado para oportunidade. Foi uma experiência única. Maravilhosa. O diretor da faculdade falava para todo mundo: façam como o Zé, estudem inglês também que terão chance”. Hoje é doutorando e sonha em trazer tecnologia barata de construção, estuda o uso do bambu, para sua própria cidade.

A Dona Irene e o senhor José Bonifácio ainda foram atendidos pelo programa “Brasil sorridente”, criado pelo governo Lula e que levou atendimento odontológico para o interior do Brasil. “Nós fizemos até implante, que custaria mais de vinte mil reais, uma riqueza poder sorrir. E quem criou também foi Lula. Muita gente aqui não conhecia o programa, então não tinha nem fila, os dentistas são uma maravilha de educação e tratam a gente muito bem. Espero que continue ”.

Existe um Brasil, que a propaganda de Temer não conseguiu mostrar, e a grande imprensa insiste em esconder: é um Brasil que sonhou a ideia de viver com mais dignidade, onde havia fome e seca, passou a existir comida e esperança. Este Brasil abraça Lula e Dilma. Pena que parte importante do Sul e sudeste do Brasil não tenham a menor ideia do que se passa no Cariri paraibano, no sertão pernambucano, ou em todo árido do Nordeste, que, mesmo apreensivo pelas ações do governo Temer, respira o sonho de que tudo será melhor. Jornalistas Livres

Se há dois anos já descobriram que a carne era “fraca”, por que só agora a bomba explode? Jornalista assegura que os objetivos são outros


como-amaciar-carnes
Os Estados Unidos estão destruindo o nome ‘Brasil produtor de carne’ para que eles consigam comprar a nossa carne, por um preço baixo, e mais importante que isso, a nossa carne ‘in natura’. Eles não vão comprar de frigorífico brasileiro, só as peças de carne para que os frigoríficos americanos e de outros países especuladores possam revender essa carne com o nome deles”, resumiu o jornalista Leonardo Stoppa.
O jornalista lembra que os investigadores e Judiciário brasileiros já “sabiam que isso estava acontecendo há dois anos”, com as irregularidades agora deflagradas na Operação Carne Fraca. Stoppa defende que o problema já poderia ter sido resolvido, “de uma forma muito mais simples, sob segredo de Justiça”, visando a proteção das empresas brasileiras frente ao mercado internacional.
“É muito importante que nós brasileiros tomemos o controle do Brasil novamente. A gente não pode deixar a Polícia Federal e o Judiciário nas mãos dos Estados Unidos para que eles façam conosco aquilo que querem: coloquem nossos setores estratégicos na cadeia, construam situações para que as nossas indústrias percam a moral no mundo inteiro”, afirmou.
Agora, cá entre nós, se há dois anos as autoridades brasileiras já sabiam da qualidade da carne que iam pro mercado e nada foi feito para defender o consumidor brasileiro, por que só agora começa essa explosão de notícias acabando com o nome dos frigoríficos? O que será que há por trás disto? No sábado, o Trump conversou quase meia hora com o presidente da república brasileira, Michel Temer e o assunto foi carne. Durante dois anos o povo comeu carne podre, com as autoridades sabendo do fato, mas sempre preocupados em defender os interesses dos grandes frigoríficos, mas agora resolvem  “detonar” os grandes geradores de empregos em plena resseção, seria por interesses maiores? O que pensar de todas as áreas que envolvem a qualidade de vida dos brasileiros? E quem poderá investigar sobre esse fato? É preciso que o povo brasileiro abra os olhos para o que estão fazendo com o Brasil e o próprio povo. Jornalista Leonardo Stoppa, último parágrafo Walter Salles.

“O dia em que o Brasil parou”


Resultado de imagem para fotos dos protestos contra reforma da previdencia

 

Imagem relacionada

 

A canção de Raul Seixas, que tem o título Sonho de Sonhador, onde fala que a terra parou, quase aconteceu com uma parte da terra, chamada Brasil, nesta quarta feira 15 de março, que certamente vai ficar na história. Apesar da mídia tradicional, que são as TVs abertas, terem ocultado o assunto e nada divulgado sobre a manifestação, através  de WhatsApp e as redes sociais a divulgação foi grande e o povo gritou nas ruas das pequenas e grandes cidades do país. Isso apesar de uma grande quantidade nem saber o que é Previdência Social e direitos do trabalhador. Outros simplesmente diziam: “detesto greve”. Fazer o que? o país tem o povo que foi preparado pra ser, em partes.  Continue lendo depois das fotos!

Resultado de imagem para fotos dos protestos contra reforma da previdencia

 

Resultado de imagem para fotos dos protestos contra reforma da previdencia

 

Resultado de imagem para fotos dos protestos contra reforma da previdencia

Manifestações em Maracás Manifestações em Maracás Manifestações em Maracás

As fotos de Maracás foram de Carlomagnum

Manifestações em Maracás

A galera de maracás mostrou que não aceita essa reforma. “Chega de massacrar o trabalhador brasileiro”, gritava um manifestante

A manifestação foi um protesto contra a reforma da Previdência, que, se acontecer, certamente vai mudar a vida do trabalhador brasileiro pra pior, pois só aos 65 anos ele vai se aposentar, enquanto os políticos depois de dois mandatos já se aposentam ganhando muita grana. Vejam o que foi publicado recentemente, que mostrava que os ex governadores da Bahia recebiam uma aposentadoria de mais de 20 mil reais, isso com apenas um mandato. É essa área, a política, que precisa sofrer reforma, isso sim. Alías, é preciso que sejam marcados todos os deputados e senadores que aprovarem medidas contra o povo para que eles possam receber o troco no dia das eleições. Tem um que costuma vir muito a Maracás, mas lá em Piatã, cidade da Chapada Diamantina, a população daquela pacata cidade botaram o nobre parlamentar pra correr. “Acorda Brasil”! Esse era o grito de muitos.

 

Procuradoria dá aval ao trancamento de ação sobre acervo de Lula


Lula tem demonstrado muito seguro em seus depoimentos  

 

É destaque na coluna da jornalista Mônica Bergamo, na Folha desta quarta (15), que a Procuradoria Geral da República opinou pelo trancamento da ação penal em que Lula e Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, são acusados de lavar R$ 1,3 milhão recebidos da OAS para custeio da manutenção do acervo presidencial.

Segundo a jornalista, o Ministério Público Federal “deu parecer favorável ao trancamento da ação penal contra Paulo Okamotto” e a decisão se estende a Lula e a Leo Pinheiro, da OAS. “O MPF endossou os argumentos do advogado Fernando Fernandes, de que os objetos são de interesse público e que portanto não seria crime o armazenamento deles ter sido pago pela OAS.”

Essa denúncia específica envolvendo o Instituto Lula é um dos três eixos da ação penal em que Lula é acusado de ter recebido da OAS a posse oculta de um apartamento no Guarujá. O processo corre nas mãos do juiz Sergio Moro. Além do acervo e do triplex, Lula é acusado de ser mentor de um esquema de corrupção na Petrobras para favorecer a OAS com três contratos milionários. Segundo o jornal O Globo, a subprocuradora Áurea Lustosa Pierre apontou que não há “vantagem indevida ou lavagem de dinheiro, uma vez que há previsão legal de pessoas físicas e privadas se interessarem na preservação da memória do Estado brasileiro.” A manifestação foi feita a pedido do ministro Félix Fischer, relator do habeas corpus, e o trancamento ou não da ação deverá ser decidido pela Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Leia mais: Para entender, com detalhes, o caso triplex

Okamotto ofereceu uma primeira defesa, segundo Bergamo, em outubro de 2016, ocasião em que explicou que o “acervo de Lula que foi mantido pela OAS tem 369 mil cartas, 9.965 livros e 15.896 discursos feitos pelo petista”. A empresa Granero foi contratada para cuidar do armazenamento.

Já naquela época, o advogado Fernando Fernandes sustentou “que o acervo era de interesse público e que não houve benefício pessoal. Portanto, não teria havido corrupção nem lavagem de dinheiro.”

Fernandes também disse que não tinha esperança de ter um julgamento “isento e justo” pois o processo é “uma farsa” que conta com o “apoio” de Moro. “Nossa esperança são os tribunais superiores”, afirmou.

O depoimento de Lula no processo do triplex está agendado para o dia 3 de maio, em Curitiba. Informações do GGN

Familiares de Vitória da Conquista querem o senhor Osvaldo de volta


Marque bem a fisionomia do senhor Osvaldo e ajude a procurá-lo

Após uma divulgação nas redes sociais de um idoso que se encontrava dormindo nas  noites frias das ruas de São Paulo,  seus familiares entraram em contato com a reportagem do Blog do Rodrigo Ferraz e revelaram que o idoso, identificado como Osvaldo da Costa Gomes, está na capital paulista há 20 anos.

É preciso que autoridades de São Paulo dê uma busca e descubra o paradeiro deste senhor que, sem condição de voltar pra sua terra e ter perdido o contato com familiares, sofre no frio das noites de São Paulo, Sabe-se lá há quanto tempo.

Quem souber do paradeiro do idoso, ligar para a sobrinha de Osvaldo, pelo telefone (77)98884-6230.

Rodrigo Maia diz que Justiça do Trabalho não deveria existir


 rodrigomaia-justicatrabalho.jpg
 O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, criticou a atual legislação trabalhista, afirmando que ela gera desemprego e insegurança para os empregadores, também afirmando que a Justiça do Trabalho toma decisões “irresponsáveis”. Para Maia, a Justiça do Trabalho “não deveria nem existir”.
Ives Gandra Martins Filho, presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), divulgou nota através de sua assessoria de imprensa discordando do presidente da Câmara e explicando que há uma tendência mundial de especialização dos ramos do Judiciário.
“A Justiça do Trabalho tem prestado relevantíssimos serviços à sociedade, pacificando greves e conflitos sociais com sua vocação conciliatória”, disse o magistrado.
A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e o Colégio de Presidentes e Corregedores de Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) repudiaram a declaração de Maia.
“Há mais de 70 anos, a história da Justiça do Trabalho está ligada ao fortalecimento da sociedade brasileira, através da consolidação da democracia, da solidariedade e da valorização do trabalho”, disseram as entidades.
“Somente em 2015, 11,75% (4.980.359 processos) do total de novos processos ingressados no Poder Judiciário representaram as ações relativas ao pagamento de verbas rescisórias, dado que revela o quanto a Justiça do Trabalho é imprescindível em um país desigual e injusto”, ressaltaram os presidentes da Anamatra, Germano Silveira de Siqueira, e do Coleprecor, James Magno Araújo.
Maia também afirmou que a proposta de reforma trabalhista enviada pelo governo é “tímida”. “O excesso de regras no mercado de trabalho não gerou nada no Brasil e os juízes tomando decisões das mais irresponsáveis, quebraram o sistema de hotel, bar e restaurantes no Rio de Janeiro”, disse o deputado.
Leia abaixo a íntegra da nota do presidente do TST:
Diante da declaração do Excelentíssimo Presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia, a quem admiro e estimo, de que a Justiça do Trabalho não deveria existir, em face da irresponsabilidade de suas decisões, não posso deixar de discordar de Sua Excelência.
A tendência mundial é a da especialização dos ramos do Judiciário, e a Justiça do Trabalho tem prestado relevantíssimos serviços à sociedade, pacificando greves e conflitos sociais com sua vocação conciliatória. Não é demais lembrar que não se pode julgar e condenar qualquer instituição pelos eventuais excessos de alguns de seus integrantes, pois com eles não se confunde e, se assim fosse, nenhuma mereceria existir. Matéria na integra do GGN.

Parabéns, Dona Nancy, pelos seus 85 anos bem vividos


 

Exibindo IMG-20170225-WA0027.jpg

Boa parte da galera da Igreja Adventista esteve prestigiando a festa. Como sempre, todo mundo querendo comer o bolo!!!

O começo da noite de 24 de Fevereiro foi de festa e alegria na casa de Dona Nancy, como é carinhosamente conhecida, que mora com o casal Walter e Nyde genro e filha. A galera da Igreja Adventista, a qual a família faz parte, estava lá para levar presentes, dar abraço e comer bolo.

 

Exibindo IMG-20170225-WA0040.jpg

Aqui está Dona Nancy com a sua filha Nyde e tambem seu filho Colmar que veio de Sao Paulo para comer um pedaço do bolo
e dar um abraço na mãezona. Walter Salles que é genro da aniversariante, também marcou presença ao lado da sua irmã Ci.

 

Esse ano a Dona Nancy de Moraes Moreira contou com um presente especial que foi a presença do seu filho Colmar, que veio lá de Sorocaba, São Paulo, para dar e receber abraços.

Exibindo IMG-20170225-WA0034.jpg

Dona Nancy recebendo o abraço de Denise. Que beleza!!

A aniversariante, que teve alguns probleminhas de saúde recentemente, agora recuperada, cantou hino com a galera, comeu bolo e sorriu muito. “Que Deus lhe dê muitos anos de vida, Dona Nancy, para cantar e dividir a alegria e o bolo com todos nós durante muitos anos, amém?.