(77) 99152-6666

Clima entre Maia e Temer começa a esquentar


O Presidente da Câmara Rodrigo Maia se mostrou nervoso e disse que foi desrespeitado

Resultado de imagem para foto de rodrigo maia

De acordo a UOL, o  presidente da Câmara, Rodrigo Maia, reagiu neste domingo (15) às acusações do advogado do presidente Michel Temer de que a divulgação dos vídeos do operador financeiro Lucio Funaro no site da Câmara dos Deputados se tratou de um “criminoso vazamento”.“Da minha parte, uma perplexidade muito grande ver o advogado do presidente da República, depois de tudo que fiz pelo presidente, da agenda que construí com ele, de toda defesa que fiz na primeira denúncia, ser tratado de forma absurda e – vamos chamar assim – sem nenhum tipo de prova, de criminoso.”No sábado (14), Eduardo Carnelós divulgou uma nota na qual apontava um “criminoso vazamento” dos vídeos com depoimentos à Procuradoria Geral da República. O material, porém, estava disponível no site oficial da Câmara desde o mês passado.Neste domingo, Carnelós divulgou uma nova nota justificando que não poderia supor que os vídeos eram públicos e que “jamais pretendi imputar ao presidente da Câmara dos Deputados a prática de ilegalidade, muito menos crime”.Maia, no entanto, não aceitou integralmente a nota.“A nota do advogado não esclarece o ponto mais importante. Ele fala apenas que não sabia que o site da Câmara tinha dado publicidade. Ele deveria saber que todos os documentos encaminhados pelo STF estavam à disposição dele, dos advogados, dos ministros. (..) Então, o advogado faz uma meia justificativa, o que não esclarece os fatos e o que vai obrigar – infelizmente – a que os funcionários da Câmara tomem atitudes, inclusive na Justiça, porque são servidores, têm fé pública e, com a nota dele, continuam sendo desrespeitados.”Segue a íntegra do que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse ao blog: 

A nota do advogado… ela dá uma resposta parcial. Ele fala da publicidade dos vídeos, dos documentos no site da Câmara a partir do dia 29. Mas, três, quatro dias antes,  a Câmara dos Deputados, através do seu secretário-geral, deputado Giacobo, entregou ao assessor Gustavo toda documentação alertando que a pet 7099 estava sob sigilo e assim foi encaminhada para a Comissão de Constituição e Justiça. 

A nota do advogado não esclarece o ponto mais importante. Ele fala apenas que não sabia que o site da Câmara tinha dado publicidade. Ele deveria saber que todos os documentos encaminhados pelo STF estavam à disposição dele, dos advogados, dos ministros. Eu, inclusive, estive com a presidente Cármen Lucia e com o ministro Fachin perguntando o que estava sob sigilo e a única peça que estava sob sigilo é a pet 7099, que não tem relação com os vídeos do Lúcio Funaro. A pet 7099 é anterior à delação do Lúcio Funaro. Então, o advogado faz uma meia justificativa, o que não esclarece os fatos e o que vai obrigar – infelizmente – a que os funcionários da Câmara tomem atitudes, inclusive na justiça, porque são servidores, tem fé pública e, com a nota dele, continuam sendo desrespeitados. Após anúncios continua a matéria. 

E, da minha parte, uma perplexidade muito grande ver o advogado do presidente da República, depois de tudo que fiz pelo presidente, da agenda que construí com ele, de toda defesa que fiz na primeira denúncia, ser tratado de forma absurda e – vamos chamar assim – sem nenhum tipo de prova, de criminoso. Porque quando ele diz “aqueles que divulgaram os áudio são criminosos” e foi a Câmara que colocou de forma legítima, respeitosa, tudo aquilo que estava na denúncia de forma pública no site… quando ele diz que é criminoso, eu preciso, de fato, defender a minha posição porque eu não posso aceitar de nenhuma forma que um advogado possa me tratar desta forma. 

Acho que o advogado não respondeu de forma correta o que deveria e a minha posição é apenas que tudo fique claro. Os documentos que estão públicos são documentos que vieram sem nenhum tipo de ressalva por parte do Supremo, que foram esclarecidos comigo, com a presidente Cármen Lúcia e com o doutor Fachin. E se há alguma dúvida por parte do advogado, ele não deveria primeiro atacar. Ele deveria primeiro avaliar, investigar para ver se de fato existia alguma atitude criminosa que, eu tenho certeza, muito menos da minha parte, mas também da parte dos servidores da Câmara, não houve nenhuma atitude que não fosse apenas preservar a transparência e a possibilidade de cada um dos 513 deputados pudessem ter acesso a todos os documentos da denúncia apresentada pelo doutor Janot.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Provável carta testamento de Lula pós Lava Jato, por Laurez Cerqueira


A história de Lula é bem característica de histórias que já aconteceram em outras partes do planeta, mas, de acordo à "indústria" da manipulação, o povo se permite entender tudo ao contrário.
A história de Lula é bem característica de histórias que já aconteceram em outras partes do planeta, mas, de acordo à “indústria” da manipulação, parte do povo se permite entender tudo ao contrário.

 

Para meu filho Fábio deixo um Triplex no Guarujá, que apesar da escritura em nome da Caixa Econômica Federal, o Ministério Público e o juiz Sérgio Moro dizem ter convicção de que o apartamento é propriedade minha.

Por isso me condenou, sem nenhuma prova, com base apenas na vontade pessoal.

Para Sandro deixo um imóvel de propriedade da DAG Construtora, conforme escritura comprobatória, que, se comprado, teria sido destinado à construção da sede do Instituto Lula,

Mas que o Ministério Público diz ter convicção de que o terreno é meu.

Para Luís Cláudio deixo um apartamento alugado no prédio vizinho ao meu, cujo proprietário é Glaucos da Costa Marques, conforme escritura e comprovantes de pagamento de aluguel entregues ao juiz da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, mas que o Ministério Público e o juiz tentam convencer a opinião pública de que o imóvel me pertence.

Para Marcos e Lurian, meus netos e bisnetos, deixo o sítio de Atibaia, de propriedade do meu amigo Jorge Bittar, com escritura registrada em cartório, mas que o juiz Sergio Moro também insiste em convencer o mundo de que é propriedade minha.

Só porque fui algumas vezes ao sítio para descansar, jogar baralho, dominó, e deixei por lá sunga, sabonete, shampoo, camisetas, bermudas e chinelos, nos aposentos da casa, a Polícia Federal encontrou, levou, e o Ministério Público deve achar que é prova.

Deixo também para eles 2 pedalinhos, um barquinho de alumínio que Mariza comprou, para passearem no lago, e minha camionete F-1000, ano 1984, uma relíquia, para transportar esses preciosos equipamentos aquáticos.

E, para todos os meus filhos, deixo o apartamento que sempre morei com Marisa e eles, em São Bernardo do Campo, desde quando comprei em 1991. É o único que tenho convicção e provas de que é meu.

Depois de refletir bastante, cheguei à conclusão de que meu testamento não deveria ficar restrito aos membros da minha família.

Deixo para o senhor juiz Sérgio Moro todos os documentos que provam minha inocência e o livro “Comentários a uma sentença anunciada: O Caso Lula”, um conjunto de 103 artigos assinados por 123 juristas militantes do direito e acadêmicos, que apontam os erros, as anomalias do processo e a minha condenação.

(*) Em tempo: gostaria de lembrar ao juiz Moro que corrupto rouba para ostentar carrões, iates, aviões, mansões, para manter contas milionárias em paraísos fiscais, como certos políticos que deram o golpe de Estado têm, muitos deles mandando no país, e para comprar até amor verdadeiro, como dizia o dramaturgo Nelson Rodrigues.

Não é meu caso. Eu não preciso disso. Se precisar de alguma coisa, tenho absoluta certeza que basta eu me manifestar que imediatamente surgirão pessoas de todos os cantos do Brasil para me doar, me ajudar de alguma forma.

Sou daqueles que precisa de muito pouco para viver. O senhor sabe de onde venho, que eu não sou de ostentar, e sabe que o que eu mais gosto na vida é de lutar ao lado do povo. Matéria na íntegra do GGN.

50 anos da morte de Che Guevara: um homem movido pelo amor


 

 

Por Elaine Tavares, jornalista e documentarista do IELA (Instituto de Estudos Latino Americanos da UFSC)

Sempre que se fala em Che Guevara a primeira coisa que vem a mente é a imagem do soldado, do revolucionário. Essa era uma das facetas do Che. Mas não a única. Desde bem garoto ele inventou de andar pela América Latina, gostava de conhecer as gentes e, com elas, estabelecia vínculos de amor. Formou-se em medicina e ainda estudante voltou a percorrer os caminhos da América do Sul. Seu coração de jovem médico era apaixonado por essa América profunda, pelos trabalhadores, pelos empobrecidos.  Ele não queria que a realidade fosse assim, tão dura, com os trabalhadores.  E foi esse amor pela sua gente latino-americana que o levou a ser um soldado da revolução cubana. Com seus companheiros cubanos ele empunhou o fuzil para derrubar uma ditadura, mas também cuidou dos caídos, dos doentes, dos feridos. Médico e soldado, coração e razão, sempre andando junto.

Quando a revolução foi vitoriosa ele acabou sendo Ministro da Indústria e Comércio. Mas, seu trabalho nunca foi só de gabinete. Ele andava pela ilha, vendo as coisas com os próprios olhos, trabalhando junto com os trabalhadores no corte da cana, no carregamento dos grãos. Vivia como pensava. Ele acreditava que um homem e uma mulher revolucionários precisavam  ser perfeitos, éticos, pautados pelo bem comum. Ele dizia: “temos de ser o melhor marido, o melhor filho, o melhor pai, o melhor estudante, o melhor trabalhador, o melhor tudo. Temos de ser perfeitos, para ser exemplo. Tudo aquilo que formulamos como moral para o outro, temos de ser”.  A palavra para ele não era coisa vã. Era a escritura de uma ação concreta na vida.

Tanto que não conseguiu aquietar-se num cargo de ministro da recém liberta nação cubana. Aquela gente sofrida da América que ele conhecera nas suas andanças continuava amargando dores, misérias e exploração. Então, para ele não podia haver acomodação na vitória. Seu desejo era voltar e iniciar uma revolução na parte sul do continente. Mas, naqueles dias, outros povos clamavam por libertação. Eram as gentes do continente africano que começavam suas lutas de independência das colônias europeias e do racismo fomentado por elas. Che não pensou duas vezes. Largou a pasta de ministro e foi se fazer soldado de novo. Ele era movido por profundos sentimentos de amor. “Enquanto houver um irmão injustiçado, somos companheiros”, era seu lema.  Como poderia descansar se outros companheiros e companheiras estavam em luta. E lá se foi para o Congo e Angola, batalhando contra o apartheid e o colonialismo.

Na volta da África, de novo, seu coração decidiu por fazer valer a ética que o caracterizava: o amor pelo outro, pelo caído, pela vítima do sistema capitalista, pelo que se levantava em rebelião. E, mais uma vez recusou cargos ou honrarias. Não haveria de descansar enquanto toda a América Latina não avançasse para um tempo de justiça. Foi quando viajou para a Bolívia, onde iria combater outra ditadura. Lá, por conta das diferentes condições históricas e erros de estratégia, foi capturado. Um dia depois, assassinado friamente por um soldado boliviano, mas a mando de agentes estadunidenses que foram chamados para documentar a morte do revolucionário. Não contentes em executar o então prisioneiro, desarmado e indefeso, os agentes lhe cortaram as mãos. Um toque de sadismo. Era preciso tripudiar do homem que ousara sair do comodismo de uma boa vida de médico burguês, e abraçara a causa dos trabalhadores, dos oprimidos.

A última imagem que temos do Che é a de um homem morto, deitado numa mesa fria, com os olhos bem abertos, mirando o infinito. Nem na morte os seus carrascos conseguiram apagar a luz que emanava do seu ser.

Obedecendo aos preceitos éticos que pregava, el Che foi o homem perfeito. Amou as mulheres, amou seus filhos, amou Cuba, amou o conhecimento, amou os cubanos, amou os africanos, amou os latino-americanos, e por conta desse amor incondicional entregou sua vida.  Ele curou vidas, produziu teoria, dirigiu uma revolução, comandou um ministério, morreu por seus ideais.

Esse é seu maior legado. Viveu o tempo todo, na prática, aquilo que apontava como teoria, como moral e como ética. Morreu de pé, olhando o inimigo no olho. Seu exemplo de ser humano é sua maior herança.

E hoje, quando lembramos os 50 anos do seu assassinato, é isso que nos conforta. Che Guevara ainda é um caminho.

Do Jornal  Che vive!  50 anos

Associação José Martí e Instituto Arco Íris


 

João Dória Junior canta Raul Seixas

 

 

Mamãe não quero ser prefeito, pode ser que eu seja eleito”. Este verso define bem o que tem sido a gestão do prefeito João Doria Jr: uma grande peça publicitária com uma mixagem ruim de músicas de Raul Seixas. Com a proximidade das eleições de 2018, torna-se mais compreensível que a eleição de João Dória em 2016 foi, na verdade, uma bela pré-campanha para presidência da República.

Para isto, João Dória busca se espelhar no exemplo de Donald Trump agindo como prefeito “laranja”. Por falar em laranja, tal qual as frutas brasileiras, tem passagem garantida para destinos diversos ao redor do mundo. Pela Capital Paulista, pelo Brasil ou pelo mundo, com uma indisfarçável fórmula neoliberal-entreguista resume sua concepção de gestão e governo no seguinte verso: “A solução é alugar o Brasil”.

“Parte de um plano secreto, amigo fiel” [?]…de Geraldo Alckmin… “Eu fui escolhido por ele”. Só o Governador Geraldo Alckmin não sabia dos planos secretos de seu afilhado político. Acreditando que Dória lhe cederia palanque em São Paulo, vê seus holofotes sendo apagados pelo “João Trai… ops… balhador”. Mesmo que ambos façam parte de um partido golpista (ao menos por enquanto o PSDB), o governador deve aprender que escolhas não democráticas, unilaterais, não ajudam ninguém, nem mesmo os beneficiários imediatos. Ao menos o Judas da música do Raul é mais fiel. Andrea Matarazzo parece rir enquanto Alckmin canta para Doria:
“É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro
Evita o aperto de mão de um possível aliado, é…
Convence as paredes do quarto, e dorme tranquilo
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo”

“Um empresário que jurava que era santo”, sai por sua peregrinação de cidade em cidade ganhando títulos de cidadão de capitais atrás de capital político. Nas andanças, longe de sua residência eleitoral, flerta com outros partidos. Abstêmio, embriaga-se com a própria vaidade. Mas os paulistanos não estão gostando de um prefeito que não é gestor, nem trabalhador e nem se dá ao trabalho de se fantasiar de qualquer coisa… Saudade de quando ao menos fingia que varria o chão. A “Cidade Linda” é trocada por Belém, Natal, Miami, Paris… “A festa é boa tem alguém que está bancando”. Sem semáforos nesta cidade que funcionem, nem sequer para por aqui. Mas o leitor que se arrisque a atravessar uma rua em São Paulo: “Se você para/ o carro pode te pegar/ Bibi! Fonfon! Pepê!”.

Leitores e leitoras “eu sei até que parece sério, mas é tudo armação, o problema é muita estrela para pouca constelação”. Não falo isto só aos paulistanos, cada dia mais cientes do engodo; falo a todos os brasileiros e brasileiras que, tendo ou não recebido a visita de nosso prefeito [se ele estiver na tua cidade, mande lembranças por mim!] precisam ter ciência do risco que ele oferece ao Brasil. É preciso ter visão para que não “bata a cara contra o muro”. A quem só olha para o Bolsonaro, não percebe que o fascismo pode ter um terno mais alinhado e um pouco mais de gel no cabelo. Vista a gestão desastrosa nestes primeiros meses de mandato, devo deixar claro que, na melhor das hipóteses, teremos um candidato totalmente infiel aos compromissos mais elementares e incapaz de gerir minimamente uma cidade.

Enganando milhões, o prefeito canta por todos os cantos:
“Do passado me esqueci
No presente me perdi
Se chamarem, diga que eu saí”. Fonte Jornalistas Livres


Mulher de Nem, Danúbia Rangel vai e volta da prisão desde 2011, mas dessa vez ela chorou muito

 

10.out.2017 - Danúbia Rangel foi presa ao deixar o apartamento de uma amiga na Ilha do Governador

Danúbia chorou muito na frente dos jornalistas e policiais.

A prisão de  Danúbia Rangel, nesta terça-feira (10) aumenta a lista de entradas e saídas da cadeia da mulher do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Desde 2011, entre detenções, decisões judiciais e uma condenação, ela já foi encarcerada quatro vezes. Em três delas, recebeu da Justiça a liberdade.

Ao chorar cercada de jornalistas, na cidade da polícia, parecia querer evitar as câmeras. Mas nas redes sociais, demonstra não fazer questão de se esconder, mesmo quando foragida.

Sempre bronzeada e com longos cabelos loiros, gosta de exibir o corpo malhado em praias e piscinas, a vida agitada nas baladas, além de roupas e acessórios de grife.

Até um bilhete supostamente escrito por Nem, preso em 2011 e atualmente em uma penitenciária de segurança máxima em Rondônia, foi publicado. Nos comentários das imagens, elogios à beleza se misturam a julgamentos virtuais pela posição de “primeira-dama do tráfico”.

Na prisão, desta vez, a vida mudou para a moça bonita da Rocinha. No café da manhã o cardápio foi pão com manteiga e café com leite. No almoço arroz ou macarrão com carne branca ou vermelha, com direito a salada; o lanche da tarde já foi avisado que vai ser café com leite com pão ou bolo.

Como a “comandante” da Rocinha já está acostumada a entrar e depois sair da prisão sem muitas dificuldades, além dela já conhecer como é a vida lá dentro, não deixa de criar uma esperança que dias melhores virão. Contudo, apesar de ser solta quantas vezes ser presa, está bem claro que o crime não compensa e que um dia a casa cai.

Horário de verão 2017 começa neste domingo; moradores de 10 estados e DF devem adiantar relógio em 1 hora


Resultado de imagem para foto de um relogio de parede

O horário de verão de 2017 começa na primeira hora do próximo domingo (15). À meia-noite de sábado, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem adiantar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal) e vigora até 18 de fevereiro do ano que vem.

Com isso, o horário no leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia fica duas horas atrasado em relação ao de Brasília, enquanto oeste do Amazonas e Acre ficam três horas atrás.

O horário de verão foi instituído com o objetivo economizar energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar.

A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte.

Na verdade, mesmo as regiões que não vão mudar o horário terminam sendo afetados, pois tudo termina sendo alterado, e como as programação nos meios de comunicação vai mudar, muita gente termina ficando sem assistir o seu programa preferido. fonte G1.

Grampo de caciques do PMDB foi usado em denúncias por Janot e agora é arquivado


A conversa entre peemedebistas que se tornou um dos marcos dos grampos na Lava Jato foi usada pelo ex-PGR em diversas peças acusatórias. Quando deixou de ser necessária, tornou-se insuficiente para uma denúncia. Por Patrícia Faermann.

DE acordo às informações que foram colhidas pelo GGN, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, atendeu ao pedido do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e arquivou o inquérito contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL), José Sarney (PMDB-AP) o ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado, por obstrução à Operação Lava Jato.
Conforme o site divulgou, outras peças do ex-procurador-geral da República usavam trechos do diálogo grampeado entre Machado e os caciques peemedebistas para indicar que o impeachment de Dilma Rousseff foi parte das negociações de obstrução dos políticos aos avanços das investigações.
Foi o caso das denúncias contra Michel Temer, enviada à Câmara, e a denúncia contra Aécio Neves, enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF). Nas peças, Janot recorreu da chamada “estancar a sangria” para descrever ações de parlamentares e da cúpula do governo Temer para impedir as investigações da Operação, ocasionando o impeachment de Dilma.
No inquérito contra Aécio  Janot sustentava que o diálogo do senador com Jucá, mencionando que era preciso tomar alguma medida, porque seria “agora ou nunca”, era continuidade da conversa do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, de articulação dos parlamentares de ex-oposição para o impeachment e obstruir a Justiça.
Em seguida, nas peças contra o atual presidente da República Janot também enfatizava a conexão da mesma conversa com as intenções de Temer de impedir os avanços da Lava Jato. Sem mencionar diretamente a frase de Jucá que se tornou célebre, o ex-PGR usou a lógica:
“Em diálogo captado, Romero Jucá e Sérgio Machado aduzem essa solução: ‘SERGIO – Saiu na imprensa e… mais inteligente ela sair de licença. Passar o poder para o MICHEL. Ela tinha que garantir o que? Tinha que garantir que ela ficaria protegida. ROMERO – É, também acho… SERGIO – e se pode ser protegido pelo MICHEL. Então você tem a saída da renúncia que é melhor.., mas ela deixaria… acho que a licença… ROMERO – A licença é a mais suave, né? SERGIO – É má suave e ela continua presidente. – ROMERO – Negocia proteção ao Lula. SERGIO – Ela, ela sairia e continuaria presidente…(..) SERGIO – Tem que ter um… ROMERO – Eu acho que tem um, um pacto – SERGIO – Um pacto (..) o que for melhor pra segurança dela. Pede licença. Continua presidente. ROMERO – Num perde o forum.”
Depois de citar parte do diálogo, Janot admitiu que o processo de afastamento da ex-presidente foi parte da estratégia de obstrução dos opositores: “Como não lograram êxito em suas tratativas, em 29.03.2016, o PMDB decidiu deixar formalmente a base do governo e, em 17.04.2016, o pedido de abertura de impeachment da Presidente Dilma Rousseff foi aprovado pela Câmara dos Deputados.”

 

Entretanto, contrariando todas as acusações contra Aécio e Temer, Janot pediu o arquivamento do inquérito que investigava a cúpula peemedebista. O motivo foi a recomendação da Polícia Federal. A delegada responsável pelo pedido foi Graziela Machado da Costa e Silva que, conforme o GGN revelou em outra reportagem, cometeu uma série de erros que favoreceram peemedebistas na Operação Lava Jato.

A delegada colocou em risco toda a apuração após constatar que a delação de Sérgio Machado apresentava irregularidades. “Tem-se no caso presente que as conversas estabelecidas entre Sérgio Machado e seus interlocutores, limitaram-se à esfera pré-executória, ou seja, não passaram de meras cogitações (…) É preciso mais. Concluo que, no que concerne ao objeto deste inquérito, a colaboração que embasou o presente pedido de instrução mostrou-se ineficaz”, havia entendido.
O documento assinado pela delegada Graziela foi remetido a Janot, que também não quis dar sequência às investigações, ainda que tenha usado o grampo em outros inquéritos e denúncias. Assim, o ex-procurador-geral da República pediu o arquivamento, autorizado por Fachin nesta semana. Fonte GGN.

Mais batismo na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Maracás


img-20171009-wa0009

Pastor com novos batizados e os pais felizes pela escolha dos filhos.

 

p_20170930_113648-1

Pastor Rafael Fez oração, pedindo a Deus proteção e força para os novos batizados.

 

O último sábado do mês de setembro foi de festa para os Adventistas de Maracás, por estarem recebendo naquele dia mais nove almas irmãs, que decidiram descer às águas, para assim dar lugar para que o Espírito Santo possa fazer a transformação em sua s vidas.

p_20170930_113920-1

Logo na parte da manhã aconteceu o batismo de dois irmãos na Igreja Adventista do Bairro Airton Sena, realizados pelo pastor Rafael Mendonça. Na ocasião, outros irmãos da própria igreja e da Igreja do Centro, ambas Adventistas, fizeram presença para dar as boas vindas aos novos irmãos. Em uma rápida entrevista com Pastor Rafael, ele disse da grande alegria que sente no coração quando é dia de batismo, por saber que são mais almas para Deus.

Edvaldo com um novo convertido
Edvaldo com um novo convertido

 

O pastor comentou também, que diante da grande problemática que se tornou o planeta, onde o homem  a cada dia mais se afasta de Deus, existe, por outro lado, pessoas que diante desta mesma problemática encontra refúgio e proteção no Senhor Jesus Cristo. “Enquanto uns se afastam de Deus outros se aproximam.  A nossa vontade é ver muita gente tendo esse encontro com Deus para que haja alegria de viver ao lado de Deus”, comentou o pastor Rafael. O responsável pela Igreja do Bairro, o amigo Edvaldo, comentou com os olhos brilhando, da grande emoção que é assistir os irmãos se chegando para perto do Senhor, e que quando ele vê novas almas se batizando, percebe o quanto vale a pena lutar para conseguir cada vez novas almas. Edvaldo comentou que não adianta procurar conforto e refúgio em outros lugares, pois tudo é ilusão, e que a verdadeira alegria de viver é ao lado do Senhor.

Dailton, da igreja do Centro, estava lá prestigiando dando as boas vindas para os novos convertidos.
Dailton, da igreja do Centro, estava lá prestigiando dando as boas vindas para os novos convertidos.

 

Na parte da tarde foi a vez dos batismos de outros membros da Igreja da Rua Gescínio dos Anjos descerem às águas. Ali foram mais sete almas que se renderam ao Senhor Jesus.  Foi uma tarde de muita emoção e alegria para todos os presentes.

Na verdade, aos poucos as pessoas começam a entender que o mundo lá fora já não vale mais apena curtir, pois é como se as coisas comecem a se afunilarem e mais dias menos dias as complicações chegam. O que pode ser sugerido é que as pessoas que não tiverem uma bíblia em casa, procurar a adquirir, pois a bíblia leva o nome de Palavra de Deus. Sendo assim, a bíblia é uma espécie de carta ou manual de instrução, para que o povo não se perca. A partir de começar a se orientar por esse “manual”, certamente vai achar o caminho.

Voltando a falar dos novos convertidos, toda igreja Adventista de Maracás dá as boas vindas a essa nova família.

Parabéns pra vocês, Nelson e Maria Luíza


img-20171009-wa0028-1Avô e neta fazem aniversário no mesmo dia

img-20171009-wa0024

Galera feliz! Sheila com sua filhota, a aniversariante Maria Luíza que completou 2 aninhos. 

Aconteceu na cidade de Planaltino, no dia 8 de outubro, uma das mais belas festas de aniversário do ano. O veterano Nelson Sales Vieira, que completou seus 64 anos bem vividos, saiu lá do centro da amazônia, região onde ele mora atualmente, para curtir o seu aniversário aqui juntamente com os familiares. No mesmo dia a sua neta, Maria Luíza, que é filha do casal Júnior e Sheyla, também comemorou os seus 2 aninhos de vida. Vale lembrar que o dia oito de outubro foi consagrado como o dia do Nordestino, que são cabras retados como Nel, seus 13 irmãos e mais uma grande quantidade de heróis e heroínas de todas as idades nessa família.

Fotografando e sendo fotografado. Grande Edmar Vieira.
Fotografando e sendo fotografado. Grande Edmar Vieira.

 

Foi uma noite que vai ficar na memória e no coração de cada um que compareceu. Além dos aniversariantes, os organizadores e idealizadores da festa também estão de parabéns, pois tudo estava muito bacana. O conhecido Dinho dos Salgados, da cidade de Maracás, foi o responsável, juntamente com a sua equipe, pelo atendimento de bebidas e salgadinhos. Fezeram bonito e também  são merecedores de parabéns.

img-20171009-wa0048-1

Os dois filhos de Elizeu, Walter Sales e Nelson Sales.

A Irmã do aniversariante, Ciroka, como é chamada, com o veterano de 97 Elizeu Honório com
A Irmã do aniversariante, Ciroka como é carinhosamente chamada, com o veterano de 97 anos Elizeu Honório!

 

Na verdade foi uma festa bastante familiar, regada de muitos abraços e sorrisos. A galera de Salvador chegou  trazendo alegria, bem como a galera de Brejões e assim a festa se prolongou noite a dentro. O patriarca da família Vieira, uma das poucas figuras que está batendo na trave para completar 100 anos, estava lá e, entre um gole e outro de refri, ele acha de perguntar se não tem, por acaso, um licorzinho do bom!. Se trata de Elizeu Honório Vieira que dizia estar se sentindo feliz, mas o que ele talvez não sabia naquele momento, é que ele também era um dos motivos da felicidade de muita gente. Já o 64, Nel de Elizeu, como é conhecido por muita gente, garante que esse negócio de quantidade de anos vividos serve muito para experiência, mas em termos de vitalidade, vigor, vontade de virar o mundo viajando, trabalhar e outras coisas mais… é o mesmo menino. Eu, editor deste blog e do jornal Café com Leite sou irmão do aniversariante e, como já passei dos 50, estou de pleno acordo com o meu irmão.

Vejam mais algumas fotos da memorável noite de Nelson, popular Nerrei e a linda Maria Luíza. Pediremos ao bom Deus para que todos possam estar gozando de muita saúde, para acontecer outra grande festa em 2018. Agora é só fazer a contagem regressiva.

img-20171010-wa0021

img-20171010-wa0046

img-20171010-wa0030

Edmar Vieira e Jozi, que também são irmãos do aniversariante, estão com princesinha mais nova da festa, filha do casal Edmar e Nayra, que é Cecília.

img-20171009-wa0044

Caçulo, Vanda e Lole_ Walter, Ivone e Celeste, respectivamente.

Covardia do STF ou golpe do Senado?, por Aldo Fornazieri


S os poderes Judiciário e Legislativo não limparem este país, o povo vai limpar. As próximas eleições, por exemplo, certamente vai se tudo diferente.
Se os poderes Judiciário e Legislativo não limparem este país, o povo vai limpar. As próximas eleições, por exemplo, certamente vai se tudo diferente.

 

Texto de Aldo Fornazieri:  Nos próximos dias a política brasileira se moverá em torno da seguinte disjuntiva: covardia do STF ou golpe do Senado. O pano de fundo será o destino do mandado de Aécio Neves. Não que o STF já não tenha dado sinais de covardia ao permitir violações da Constituição, particularmente no caso do impeachment ilegal, sem crime de responsabilidade, contra Dilma Rousseff. O Senado também já se mostrou golpista, ao sacramentar o mesmo impeachment ilegal. Na hipótese de o STF mostrar alguma dignidade e manter Aécio afastado de seu mandato, se o Senado vier a sustar tal decisão, estaria perpetrando um segundo golpe, mergulhando as instituições numa crise sem precedentes, abrindo mais uma porta para os reclamos de uma intervenção militar. Após às publicidades continue lendo a matéria.

A suspensão do mandato de Aécio Neves vem suscitando enorme polêmica, inclusive no âmbito dos setores democráticos e progressistas, como foi o caso da desastrada nota da direção do PT, que criticou a decisão do STF de afastá-lo do mandato. Tudo isto mostra o grau de confusão mental, política, moral e teórica que vários políticos, jornalistas, analistas e juristas brasileiros estão metidos – uns por oportunismo e interesses, outros por incompreensão da natureza dos impasses e da crise.

A primeira confusão está na própria Constituição, no artigo 2º, que define que os poderes da União – Legislativo, Executivo e Judiciário – são independentes e harmônicos entre si. Não há como entender os fundamentos de uma constituição de um país democrático republicano presidencialista sem entender os princípios que deram origem à Constituição norte-americana, que é a matriz dessa tipologia de constituições. Quem estudou os Federalistas sabe que a relação entre os poderes não é harmônica, mas conflitiva, baseada numa relação de equilíbrios, pesos e contra-pesos, na qual, cada um dos poderes, tem meios de ataque e de defesa em relação aos outros. A ideia da harmonia é uma ideia bastarda, tipicamente brasileira, herdeira da ideologia da conciliação, que é uma ideologia da dominação das elites.

 

Em segundo lugar, a relação entre os poderes não é de independência absoluta, tendo cada um, um âmbito de ingerência parcial nos outros, exercendo de forma moderada e marginal, funções dos outros, sem descaracterizar a natureza específica das funções de cada um. Assim, é perfeitamente legítimo que as Supremas Cortes, no caso o STF, exerçam algum âmbito de função legislativa. Em terceiro lugar, não há nenhuma dúvida de que em matéria constitucional, as Supremas Cortes têm a última palavra, não cabendo nem ao Executivo e nem ao Legislativo avocar para si qualquer função revisora de uma decisão de uma Corte Constitucional. Além de decidir sobre conflitos constitucionais em última instância, uma Corte Constitucional pode preencher lacunas constitucionais. Foi isso que a Suprema Corte dos EUA fez no caso do aborto e que o STF fez no caso do casamento homoafetivo, dentre vários ouros casos.

A constitucionalidade da suspensão do mandato de Aécio Neves

 

Se há alguém que violou a Constituição, no caso do mandato de Aécio Neves, é o próprio Senado. Antes de tudo, é preciso observar que a imunidade parlamentar se refere apenas a opiniões, palavras e votos, conforme define o artigo 53 da Constituição. Na medida em que Aécio cometeu crimes comuns e feriu o decoro parlamentar, deveria perder o mandato por uma decisão do Senado. Quando sequer o Senado abre um procedimento na Comissão de Ética em face de atos  tão graves cometidos pelo senador, há uma evidente violação da Constituição por parte desta Casa. Neste caso, é preciso que o Supremo exerça o controle constitucional. Se a Constituição veda a perda do mandato por uma decisão do STF, ela não proíbe a suspensão do mandato para salvaguardar a moralidade pública e o espírito e a letra da Constituição em face de grave omissão do Senado.

Ademais, o artigo 102 da Constituição, alínea b, afirma que compete ao STF processar e julgar, originalmente “nas infrações penais comuns, o Presidente da República, o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador-Geral da República”. Então, acabou. A Constituição está acima do Senado e do próprio Supremo. E ela diz que cabe ao Supremo a própria guarda da Constituição.

 

Em matéria penal, não cabe ao Senado interferir,  pois isto viola a Constituição. Nenhum político e nem mesmo um ministro do Supremo pode estar isento de punição. Isto significa que nenhum senador, nenhum deputado e nem mesmo o presidente da República, nos casos de crimes comuns, podem ser protegidos pelo Senado, pela Câmara dos Deputados ou pela Presidência da República para isentar-se de responder juridicamente pelos seus crimes.

O golpe do Senado

Se o STF tiver coragem e dignidade, manterá a suspensão do mandato de Aécio Neves. Caso contrário, será coberto de opróbrio, de ignomínia e de vergonha eterna pela sua covardia e pela sua capitulação aos interesses corruptos do Senado. Manter a suspensão do mandato de Aécio, além de ser constitucional, significa enfrentar os marajás da corrupção incrustados no Senado. Significa confrontar os patriarcas do atraso, os supressores de direitos sociais, os denegadores da democracia, os sacramentadores do golpe.

Admitindo a hipótese de que resta um lampejo de coragem e de virtude ao STF, mantendo a suspensão do mandato de Aécio, se o Senado revisar esta decisão, será um golpe brutal no sentido e no conceito de República e na Constituição. Significa que o Senado se transformará em Supremo Senado da Federal, um poder usurpador e com uma soberania equivalente à dos monarcas absolutos que não eram passíveis de responder criminalmente e que, pela sua suposta descendência divina, eram irresponsáveis, penal e politicamente. Se o Senado fosse um poder politicamente soberano, com prerrogativa de revisão constitucional e decisão política em última instância, então, o impeachment de Dilma não teria sido golpe.

 

Na República Democrática não existem poderes soberanos e ilimitados. A soberania, pertencente ao povo, se expressa na Constituição. A própria Constituição é limitada e ela não pode ser modificada por nenhum poder constituinte de forma absoluta, pois ela precisa expressar um Estado de Direito. Este Estado significa que o poder deve ser limitado pelos direitos dos cidadãos e que estes não podem ser passíveis de supressão. Se o Senado confrontar o STF significa que ele se auto-instituirá como um poder político supremo e soberano. Este tipo de poder tem nome: é uma ditadura, seja ela conduzida por um general, por um ditador, por um corpo colegiado ou mesmo por um Senado.

O que se espera dos partidos progressistas (PT, PSol, PC do B, Rede, PDT, PSB etc.) é que não dêem um passo em falso se esta questão do mandato de Aécio vier a ser decidida no Senado. É preciso manter uma coerência democrática, republicana e anti-golpista. Manter Aécio Neves no Senado é uma indignidade, uma violação da Constituição, assim como é manter Temer na presidência da República. Nenhum cálculo político e eleitoral pode justificar qualquer condescendência com esses dois políticos abjetos. O aventureirismo político de Aécio foi a origem da desorganização da democracia e do próprio golpe Fonte GGN. Aldo Fornazieri é Professor da Escola de Sociologia e Política (FESPSP).

 

Homem de 39 anos mata ex mulher, cunhado e esfaqueia cunhada em Patos de Minas


Jovem se entrega para a polícia após matar a ex-mulher e ex-cunhado em Patos de Minas

Foto de família das vítimas

Na verdade foram duas tragédias que aconteceram no mesmo dia no Estado de Minas Gerais. Além do acontecimento que o segurança da creche ateou fogo nas crianças e no seu próprio corpo, que o número de vítimas chega a oito e muitas outras pessoas atingidas estão em estado grave, Ainda no Estado mineiro, um jovem de 29 anos confessou ter matado a ex-mulher e o ex-cunhado a facadas na madrugada desta quinta-feira (5) em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, gravou uma confissão do crime em áudio e enviou por WhatsApp para diversas pessoas. A veracidade da gravação, que viralizou em grupos do aplicativo, foi confirmada pelo delegado que está à frente do caso: Érico Rodovalho. Contudo, Rodovalho não chegou a afirmar que o áudio também foi enviado para a família das vítimas.

No áudio de 25 segundos, o autor se apresenta, diz o nome das vítimas e comunica que todos estariam mortos. Além de atacar a ex, de 24 anos, e o irmão dela, de 20, o jovem esfaqueou outra irmã da vítima, de 20 anos, que, apesar da gravidade dos ferimentos, sobreviveu ao crime.

Palavras do áudio- “Oi, gente. Boa noite. Aqui é o Pedro. Todo mundo já me conhece, só tô avisando que vamos ter velórios, né? Darc, Damaris e Calebe estão mortos porque eu matei, tá ok? Estou indo na delegacia agora me entregar, tá bom? Tchau”, se dizer por que enviou a gravação pelo aplicativo de bate-papo. “Ele disse que não se lembrava, mas admitiu que a voz era dele”, afirmou Rodovalho. A matéria segue após anúncio.

Motivação do crime

Testemunhas disseram à polícia que era madrugada quando o autor chegou ao prédio onde a ex-mulher estava vivendo há uma semana com os irmãos de 20 e 24 anos no Bairro Caiçara. O motivo do crime seria ciúmes. O criminoso suspeitava que a ex estava em outro relacionamento.

“Ele disse que chegou a amolar a faca [usada no crime], se preparou para aquilo. Ele chamou a ex, os dois começaram a discutir e ele começou a golpeá-la em várias partes do corpo. A irmã tentou interferir e acabou atingida. A ex ele golpeou na garagem e a outra [vítima] na escada. Ele ainda foi até o apartamento, onde encontrou o irmão da ex e o esfaqueou”, contou o delegado com base no relato do jovem e de testemunhas.

Após cometer o crime, o rapaz, que trabalhava com serviços gerais, mas atualmente está desempregado, foi até a delegacia e se entregou. Detido em flagrante, ele teve a prisão convertida em preventiva à pedido do delegado e foi levado para o Presídio Sebastião Satiro, em Patos de Minas.

Amigo afirma que assassino era tranquilo e na dele

“Ele só tem um antecedente por briga em uma festa. Ouvi outras pessoas que disseram que ele era calado, na dele, mas eu o considero uma ‘bomba-relógio’, representando perigo para a vítima que sobreviveu e para outras pessoas, como o rapaz que supostamente tinha um relacionamento com a ex-mulher”, afirmou Érico Rodovalho.

De acordo com o delegado, o jovem disse que cometeria o crime de novo.

“Ele disse que se tivesse que fazer de novo, ele faria e, se tivesse mais gente, teria matado todos. Uma frieza incalculável. Apresentou-se tranquilo, narrando [o crime] como se fosse um jogo de futebol”, relatou o delegado.

Vítimas saíram do Maranhão para estudar em MG

Os irmãos esfaqueados em Patos de Minas saíram de Grajaú, no Maranhão, para estudar na cidade mineira. A vítima de 24 anos cursava psicologia e o irmão morto estudava engenharia elétrica. Já a irmã que foi levada ferida para o Hospital Regional Antônio Dias, era aluna de engenharia ambiental.

Com a ex-mulher, o jovem tinha uma filha de dois anos e nove meses, que já estava sob os cuidados da avó paterna, residente em Brasília. A Polícia Civil apurou que a criança foi levada para a casa da família do agressor devido às brigas do casal e, até esta publicação, permanecia com a avó.

A funerária que recebeu os corpos da ex-mulher e do ex-cunhado informou que o velório das vítimas começou às 16h em Patos de Minas e seguiria até as 21h, quando os irmãos seriam levados para o enterro na cidade natal.

Já a irmã sobrevivente estava no CTI do Hospital Regional, segundo a assessoria da unidade. A assessoria informou que não poderia confirmar o estado de saúde da vítima. De acordo com o Érico Rodovalho, que esteve no hospital no início da tarde, a jovem passou por cirurgia e o quadro dela era considerado estável, apesar de grave.


Segurança suspeito de incendiar creche morre em hospital de MG. Segundo levantamento, ele sofria de doença psiquiátrica


 

05.out.2017 - Damião Soares dos Santos, 50, conhecido como "Damião Picolé", é o segurança suspeito de atear fogo em creche no norte de Minas Gerais

Morreu na tarde desta quinta-feira (5), no Hospital Regional de Janaúba (547 km de Belo Horizonte), o segurança Damião Soares dos Santos, 50, (foto) apontado pelas autoridades de segurança como principal responsável pelo incêndio que matou quatro crianças, hoje pela manhã, em uma creche da cidade. Todas as vítimas tinham quatro anos de idade. Santos trabalhava como segurança noturno da unidade, na condição de funcionário efetivo, desde 2008. De acordo com testemunhas, ele teria ateado fogo ao próprio corpo e ido em direção às crianças durante o ataque. Às 16h30, o delegado que chefia o inquérito sobre o caso, Bruno Barbosa Fernandes, confirmou a morte do segurança que estava internado em estado  grave no mesmo hospital para onde foi levada parte das vítimas. Ao todo, o ataque deixou ao menos 40 pessoas feridas.  Ao todo, o ataque deixou ao menos 40 pessoas feridas, 15 delas (11 crianças e quatro adultos), em estado grave.

 

Um dos casos graves é de uma professora da creche, que está com o corpo todo queimado, segundo Lilian Gonçalves, diretora do Hospital Regional de Janaúba. Os nomes das crianças que morreram no incêndio são: Juan Pablo Cruz dos Santos, Luiz Davi Carlos Rodrigues, Juan Miguel Soares Silva e Ana Clara Ferreira Silva.

Foi um dia de muita tristeza para toda a cidade, principalmente

para os familiares das vítimas. Só Deus para  amenizar tanta dor.

 

 

De manhã, equipes da Polícia Civil estiveram na casa do segurança e na de familiares dele. “Fomos até a casa do suspeito e encontramos vários galões com álcool, o que pode indicar a premeditação do crime. A casa estava completamente inóspita”, afirmou o delegado do caso. De acordo com o policial, três irmãs e a mãe do suspeito também foram ouvidas.

Questionado sobre o que teria causado o ataque à creche, o delegado resumiu: “loucura”. “Conseguimos um relatório do Caps [Centro de Apoio Psicossocial] indicando que ele estava em tratamento psiquiátrico desde 2014; ele sofria de muitas manias de perseguição”, disse. Ainda conforme o policial, a tendência é que, com a morte do segurança, o inquérito seja arquivado.

Cabe agora ao poder público municipal, dar uma explicação, contratar uma pessoa que sofre com um tipo de doença muito grave, ser contratado para trabalhar, principalmente num local dessa natureza. Fonte UOL.

Vitória da Conquista: Impasse entre CDL e prefeito Hélio Gusmão


Resultado de imagem para foto do centro de vitoria da conquista

 

Ainda repercute o impasse entre o prefeito Herzem Gusmão Pereira e a Câmara de Dirigentes Lojistas. O empecilho acontece por conta de intervenções que vem sendo realizada no Comércio de Vitória da Conquista sem o diálogo prévio. O caso mais recente aconteceu após as reduções de vagas para estacionamento nas vias públicas. Ao contrário do que Herzem Gusmão tem apregoado, a presidente da CDL, Ana Sheila Lemos Andrade, diz que essas medidas refletem negativamente no faturamento das lojas. No Band Revista desta quarta-feira (4), Sheila falou sobre o último encontro frustrado com o prefeito, tendo em vista que as suas reivindicações não foram atendidas, que giram em torno destes espaços para os carros de consumidores. Segundo Sheila, o prefeito mostrou os sonhos para o comércio, no entanto tudo ainda sem projeto concreto. “O prefeito pediu trinta dias para devolver essas vagas de estacionamento através de uma parceria com os estacionamentos privados da região. Então nós vamos aguardar aí, porque ele não mostrou projeto, é uma coisa ainda que estava só no pensamento, ele vai fazer esse projeto e vamos aguardar para ver se dá certo. Na verdade, o que a gente precisa é desse diálogo. A gente tem as nossas insatisfações e precisa que o prefeito nos escute” disse a presidente da CDL.

Naturalmente que com o aumento de veículos circulando pela cidade, o que se espera é que surjam mais vagas de estacionamento. De acordo às reclamações da presidente do CDL conquistense, Ana Andrade, se não voltar as vagas, em Vitória da Conquista vai acontecer o maior caos de todos os tempos. Principalmente por está se aproximando o final do ano, período de maior movimentação no comércio, bem como mais visitantes na cidade.

Na verdade, esse é um problema que tem que vem acontecendo em várias cidades de grande porte, por não ter planejamento. A cidade de Jequié, apesar de bem menor que Vitória da Conquista, também vem trazendo os proprietários de veículos atordoados, pois ao chegarem no Centro da cidade, ficam circulando pelas praças, na tentativa de encontrar uma vaga. No caso de Jequié a situação é um pouco mais complicada, pois as poucas vagas de estacionamento que existem, tem que serem divididas com as motos, por ser uma das cidades que mais circula motos, proporcionalmente no país. Mas no caso de Vitória da Conquista, o prefeito Gusmão tem que dá um jeito, pois o comércio, que já vem enfrentando grande crise, não pode perder a chance de recuperar os prejuízos com as vendas de final de ano. Fonte, B. do Anderson.

“Peixes grandes” são presos por suspeita de Fraude na escolha da Rio 2016


Agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal prenderam Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, e Leonardo Gryner, ex-diretor de operações do comitê Rio 2016 e braço-direito de Nuzman, na manhã desta quinta-feira, 5, na Zona Sul do Rio. Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão. Nuzman é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olímpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016. Ele foi preso em casa, no Leblon, por volta das 6h. Nuzman é presidente do COB há 22 anos. O pedido de prisão foi decretada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Segundo a defesa de Nuzman, a medida adotada foi dura. “Vou me inteirar dos fatos agora. Eu não tenho a menor ideia. Vou saber agora o que se passa e quais são os fundamentos dessa medida. É uma medida dura e não é usual dentro do devido processo legal”, afirmou Nélio Machado .  Segundo o Ministério Público Federal, o pedido de prisão foi decretado porque houve uma tentativa de ocultação de bens no último mês, após a polícia ter cumprido um mandado de busca na casaa de Nuzman no mês passado. Entre os bens ocultados, há valores em espécie e 16 quilos de ouro que estariam em um cofre na Suiça. A ação é um desdobramento da “Unfair Play”, uma menção a jogo sujo e que é mais uma etapa da Lava Jato no Rio. Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização crimino. Fonte G1.

 

Maracás necessita de uma reforma geral


 

As cores azul e branca ficaram muito bonitas na prefeitura municipal de Maracás, porém, é preciso iniciar os trabalhos que a cidade necessita com urgência
As cores azul e branca ficaram muito bonitas na prefeitura municipal de Maracás, porém, é preciso iniciar os trabalhos que a cidade necessita com urgência

 

Maracás, atualmente já é considerada uma cidade que está chegando perto de participar das chamadas médio porte. Prova disto é que já existe um comércio bastante diversificado, graças a coragem dos empresários de pequeno, médio e grande porte, que vêm apostando nesta terra. Falta, no entanto, a participação do poder público municipal, que insiste em tratar essa cidade querida de tanta gente, como se fosse de pequeno porte, onde ainda se festeja com fogos, por exemplo, ao ser calçada uma rua, enquanto deveria, na verdade, ter esgotamento na cidade inteira, para quando a rua for calçada já existir o esgotamento.

O TRÂNSITO

 

Sinalização de
Sinalização na cidade deixa a desejar. Na rua ou Beco co Moreira, que fica no Centro da cidade, além de mão dupla, que representa outros erros na cidade, está representando também os maus tratos nas calçadas.

 

O sistema de trânsito é muito arcaico, meio parecido com a década de 70 e 80, que os carros que circulavam eram Rural,  Jeep, daqueles de guerra, C10 e outros iguais, esquecendo assim, que os tempos são outros. Só para servir de parâmetro, o famoso Beco do Moreira, ser mão dupla, é assinar em baixo que o trânsito de Maracás deixa a desejar. Outro local que merece explicação é a existência de placas de proibido dobrar a esquerda, outra no sentido contramão, num local em frente à loja Rosa e Azul, na Rua São Paulo, pois onde deveria ter um círculo pequeno ao centro, no lugar existe um triângulo que dificulta as manobras de carros de grande porte.  Outro dia estava lá um motorista no seu caminhão, que, por obedecer ao sinal de proibido seguir em frente, vindo da feira para subir a São Paulo, teve que fazer uma manobra difícil, no canto do triângulo, que depois de engatar por três vezes a marcha ré, seguiu em frente. O motorista obedecer as regras é o dever, como também o dever do poder responsável é arrumar o trânsito nas ruas da cidade.  Nosso blog e jornal Café com Leite tem falado muito sobre as mazelas da cidade.

 

O certo é saber que o certo é certo” Essa frase é do baiano Caetano Veloso, quanto em suas entrevistas ele fala das mazelas do Brasil, que, para infelicidade geral da nação, têm aprovação dos grandes poderes que regem o futuro desta terra. Lembrei-me disto ao vê, outro dia, um garoto vendendo uvas no espaço do forró, onde fazia queixa que chegou um fiscal da prefeitura lhe dando cinco minutos para ele sair do local. O garoto era ambulante, ia ficar ali uns 30 minutos ou uma hora, no máximo, só enquanto terminava a sua mercadoria. Mas, no entanto, outro dia, já depois do episódio do garoto, estava lá uma loja de móveis ao ar livre vendendo e ninguém deu cinco minutos para serem retirados os móveis do local. Não que esteja errada a venda dos móveis em praça pública. Nesse caso tem que olhar a legislação, mas o repúdio vai para o tratamento com o garoto das uvas, que deu o nome de Vitor, que dizia estar com medo do guarda voltar. Também está lá em frente ao Banco do Brasil, a famosa Barraca do Marcelo, que é, na verdade, uma verdadeira berração. Não que o Marcelo tenha que sair dali, afinal, assim como o garoto precisava vender as suas uvas ele também precisa vender seus lanches e cerveja. Mas não poderia ser um quiosque mais arrumado? Até a prefeitura poderia construir um espaço físico mais adequado e entregar  ao Marcelo, dando outro visual ao local.

 

Esse espaço pode e deve ser utilizado os 365 dias do ano, mas, contrariando muita gente, fica aguardando apenas os dias que festeja o São João.
Esse espaço que pode e deve ser utilizado os 365 dias do ano, mas, no entanto, contrariando muita gente, fica aguardando apenas os dias que festejam o São João.

 

Tenho falado sobre um espaço ficar o ano inteiro esperando chegar o São João para ser utilizado, como é o “elefante branco” bem no centro da cidade, enquanto está faltando espaço para estacionamento num local de muitas lojas e bancos. Além de ampliar o estacionamento, ainda poderia utilizar parte da área para a construção de quiosques, transformando assim numa Praça de Alimentação, o que iria embelezar e muito a querida  Maracás. Isso sim é cuidar da cidade. Outro dia, por pouco quase uma praça ia sendo vendida. Vamos organizar a nossa cidade, pois ela tem potencial e localização geográfica para ser uma das mais lindas e gostosas cidades de se viver do Brasil.

RUA JEQUIÉ

Essa rua muito mal tratada pode ser uma das Avenidas mais bonitas de Maracás.
Essa rua, que é muito mal tratada, pode ser uma das Avenidas mais bonitas de Maracás.

 

Pra finalizar, a AV Senador Luiz Viana Filho, mas conhecida como Rua Jequié, que teve as suas árvores retiradas e colocado um meio fio de material fraco, na gestão passada, poderia sim, ter outro tratamento. Já que hoje é uma Avenida bastante comercial e movimentada, com grandes empresas, como Supermercado Estrela, Comercial Braga e outros, poderia ser como é a AV Rio Branco em Jequié, recebendo  asfaltamento em toda sua extensão e não ter o canteiro do meio. Tudo isso são idéias para que sejam colocadas à mesa, para então serem discutidas com os senhores vereadores, prefeito e a sociedade.  O que não pode é Maracás continuar na mesmice ou, pior do que isso, retroagir.