(77) 99152-6666

Preços do petróleo desabam e têm maior queda diária desde 1991


Em resposta à Rússia, Arábia Saudita reduz preço do petróleo, e mercado reage

Em resposta à Rússia, Arábia Saudita reduz preço do petróleo, e mercado reage

Os preços dos contratos do petróleo recuavam ao redor de 20% nesta segunda-feira, depois que a Arábia Saudita cortou o valor de venda do barril e indicou o início de uma guerra de preços entre os grandes produtores. Na abertura dos negócios no mercado asiático, ainda no noite de domingo (horário de Brasília). O preço do petróleo do tipo Brent chegou a recuar 31%, no maior tombo desde a Guerra do Golfo (1990 e 1991).

A decisão da Arábia Saudita vem na esteira do fracasso das negociações entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia sobre o volume da produção da commodity.

A Rússia se opôs ao corte de produção sugeridos pela Opep para estabilizar os preços do petróleo em meio à epidemia de coronavírus, que desacelera a economia global e afeta a demanda por energia.

Perto das 8h, o barril de Brent caía 21,85%, em Londres, a US$ 35,38 na venda, enquanto que o barril WTI, nos EUA, perdia 22,75%, a US$ 31,89.

Segundo a Reuters, a Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo do mundo, planeja aumentar a produção acima de 10 milhões de barris por dia (bpd) em abril, após o atual acordo para restringir a produção entre a Opep e a Rússia – conhecida como OPEP + – expirar no fim de março.

A Arábia Saudita também reduziu o preço oficial de venda do barril para abril entre US$ 6 e US$ 8 dólar o barril.

“O avanço do coronavírus trouxe pânico para o mercado de petróleo”, diz o sócio fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. “O preço do petróleo nesse patamar deve provocar um estrago nas economias. O tamanho desse estrago vai depender de por quanto tempo os preços ficarão nesse patamar.”

Evolução do preço do petróleo
Valor médio do barril de Brent, em US$

68,9968,9966,4566,4576,6576,6574,4474,4480,4780,4765,1765,1756,4656,4664,1364,1371,271,263,363,3646462,3362,3365,965,955,755,745,2745,27jan/18fev/18mar/18abr/18mai/18jun/18jul/18ago/18set/18out/18nov/18dez/18jan19fev/19mar/19abr/19mai/19jun/19jul/19ago/19set/19out/19nov/19dez/2019jan/2020fev/20206/03/2020020406080100

set/18
78,86
Fonte: Tendências Consultoria e Reuters

Maior queda em 11 anos

Na sexta-feira (6), o petróleo Brent registrou a maior queda diária em mais de 11 anos com o fracasso nas negociações entre a Opep e a Rússia.

Como resposta ao governo da Rússia, a Opep removeu todos os seus limites de bombeamento. Até sexta-feira, os contratos de petróleo acumulavam queda de mais de 30% neste ano.

A ideia da Opep, apoiada pela Arábia Saudita, consistia em diminuir a extração diária da commodity em mais 1,5 milhão de barris até o fim do ano. A organização propôs inclusive que seus sócios de fora do cartel tivessem apenas um terço do corte.

Guerra de preços derruba as principais cotações de petróleo e afeta mercados de ações

Guerra de preços derruba as principais cotações de petróleo e afeta mercados de ações

Impactos no Brasil

Na avaliação de Pires, a queda brusca dos preços do petróleo pode levar o Brasil para dois caminhos: a Petrobras pode reduzir o preço da gasolina e do diesel, mas com o risco de inviabilizar o etanol, ou o governo pode aumentar a incidência da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (Cide) sobre os combustíveis para preservar a geração de receita da estatal.

Desde a greve dos caminhoneiros, a Cide está zerada para o diesel. Na gasolina, a cobrança é de 10 centavos por litro. “A grande prejudicada com essa queda no preço pode ser a Petrobras. Vamos ver como o governo vai agir”, afirmou Pires.

Neste ano, a queda do preço do petróleo tem levado a Petrobras a reduzir o preço dos combustíveis nas refinarias. A última redução ocorreu no fim de fevereiro. Os preços do diesel foram reduzidos em 5% e os da gasolina em 4%. Com informações do G1

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

“A gravidez era indesejada”, diz mãe que matou bebê de 46 dias


Mãe matou a filha asfixiada com uma fralda. A mulher foi liberada após passar por audiência de custódia. A Justiça entendeu que, pelo fato de ela estar em estado puerperal, caberia a liberdade provisória

mãe mata bebê 46 dias

Uma mãe foi presa por matar a própria filha na manhã da última terça-feira (3) em Brasília (DF). A bebê tinha apenas 46 dias de nascida.

Em depoimento, a mulher, que não teve a identidade divulgada, disse que a gravidez era indesejada e confessou ter sufocado a criança com uma fralda.

A mãe foi indiciada por homicídio duplamente qualificado — meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima — e liberada em seguida após passar por audiência de custódia.

Ao chegarem na casa da família na manhã de terça, os policiais se depararam com o corpo da bebê no colchão. Inicialmente, na delegacia, a mãe alegou que amamentou a filha e, em seguida, a colocou para dormir. Disse ainda que, ao acordar, notou que a criança não respirava.

No entanto, de acordo com o delegado Raphael Seixas, à noite, uma testemunha compareceu à delegacia informando que a mãe teria confessado a ela que matou a menina.

“Desde o começo das investigações, desconfiamos de um suposto homicídio, até por conta da frieza da suspeita durante o depoimento. A perícia esteve no local, e o cadáver foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) para constatar as causas da morte”, afirmou.

Após o depoimento da testemunha, agentes voltaram ao endereço da mulher para efetuar a prisão, mas ela não estava em casa. Na manhã de quarta-feira, os policiais voltaram ao local e a prenderam em flagrante.

Ao ser interrogada, a autora confessou o assassinato e disse que a gravidez era indesejada. A mulher foi encaminhada ao IML, onde a equipe médica constatou estado puerperal.

A Justiça entendeu que, pelo fato de ela estar em estado puerperal, caberia a liberdade provisória, mediante uso de tornozeleira eletrônica. A mulher é casada e tem outros dois filhos. A juíza determinou que, por segurança, ela permaneça longe das crianças.

De acordo com o delegado Raphael, não se sabe se, no momento do crime, os demais familiares estavam na residência. “Temos 10 dias para concluir o inquérito. Agora, ouviremos o depoimento do pai, além de outras testemunhas, para reunir novos elementos”, conta o delegado.

Estado puerperal

Obstetra do Centro de Medicina Fetal em Brasília (Cemefe), Cybelle Bertoldo explica que o estado puerperal se divide em três fases.

“O blues (tristeza) puerperal é aquela tristeza que desaparece aos poucos, mas a mãe não chega a rejeitar o bebê. Essa atinge cerca de 80% das mulheres. A depressão pós-parto é uma melancolia impactante, em que a mãe tem dificuldade de vínculo com a criança e apresenta irritabilidade. Por último, há a psicose puerperal, que é um transtorno mais grave, em que há casos de agressão contra o bebê”, detalhou.

Segundo a especialista, a psicose puerperal é a mais rara e acomete menos que 0,2% das mulheres. “Esses sintomas podem aparecer 15 dias após o nascimento do bebê. O exame para identificá-los consiste em uma avaliação psicológica, na qual os profissionais colocam em consideração os fatores de risco da gravidez, se a paciente foi agredida durante a gestação ou se é algo indesejado”, ressaltou. Fonte: PragmatismoPolitico.

 

Disse Lula em Genebra: “Brasil não merece uma coisa grotesca como Bolsonaro”


“O Brasil merece outro tipo de gente, alguém que goste de democracia, de negro, de mulher, que respeite e goste de LGBT, alguém que goste de preservar o meio ambiente, alguém que não queira vender a Petrobras”, disse Lula nesta sexta-feira, 6, em encontro com representantes de sindicatos globais

 

Valéria Maniero, RFI – O ex-presidente Lula disse em Genebra que “o Brasil não merece uma coisa grotesca como o Bolsonaro”. “O Brasil merece outro tipo de gente, alguém que goste de democracia, de negro, de mulher, que respeite e goste de LGBT, alguém que goste de preservar o meio ambiente, alguém que não queira vender a Petrobras, alguém que não queira acabar com a estabilidade do servidor público”, disse ele, em encontro com representantes de sindicatos globais no Clube Suíço da Imprensa para falar sobre desigualdade.

Lula disse ainda que “quem não deveria estar no Estado era uma figura como ele, que foi tenente, expulso por insubordinação, tentou explodir um quartel. Na verdade, ele é o estranho, não é o servidor público. Não é o povo brasileiro que ele vive perseguindo. Não dá para desanimar, pra gente ter medo. Só tem uma luta que a gente perde: aquela que a gente não faz”, afirmou.

Segundo Lula, a prisão dele e o impeachment de Dilma aconteceram porque, se fosse candidato, teria sido eleito em primeiro turno. “Eu ganhei em 2002, 2006, 2010, com a Dilma, 2014, e fomos o segundo colocado com o Haddad agora em 2018. Se eu fosse candidato, certamente eu teria ganhado as eleições em primeiro turno. Essa é a razão pela qual houve o impeachment da Dilma e essa é a razão pela qual eu fui preso. Estejam certos disso. A razão da nossa prisão e do impeachment da Dilma não teve nada a ver com corrupção. A corrupção sempre foi utilizada, historicamente, para derrubar qualquer governo que se meta a fazer qualquer benefício para a parte mais pobre de cada população”, afirmou.

Lula voltou a falar que vai se casar em breve. “Espero de aqui a uns dias comunicar pra vocês o nosso casamento”. “Quando eu falo que estou com energia de 30 anos, que um cara de 74 vai casar outra vez é porque está com muita energia e disposição”, disse ao agradecer à namorada Rosângela da Silva, que o acompanhava no evento.

Ao dizer que estava muito consciente a respeito do que enfrentaria pela frente, voltou a dizer que estava muito disposto. “A morte que não espere por mim tão cedo. Eu brinco no Brasil que já nasceu o homem que vai viver 120 anos. E eu me pergunto: por que não eu? Quando eu falo essa história de que eu tenho 74, energia de 30 e tesão de 20, é porque se a morte estiver espreitando em algum lugar, esse cara vai resistir. Assim, eu vou levando a vida com muita disposição de lutar”, disse.

Pediu uma salva de palmas aos professores de São Paulo que, recentemente, foram vítimas de violência. “O governador mandou agredir pessoas de 60 anos. Mulheres de 70 anos foram agredidas dentro do prédio da Assembleia Legislativa”, afirmou.

“Precisava sair para provar que canalhas foram aqueles que me prenderam”

Quando chegou, foi recebido com uma série de “Boa noite, presidente Lula”, como diziam para ele quando estava preso. “Esse grito: bom dia, lula, boa tarde, Lula, boa noite, Lula, foi durante 580 dias, ânimo que precisava para sair da cadeia mais forte, com mais disposição para lutar para provar a minha inocência e provar que canalhas foram aqueles que me prenderam, mentirosos foram aqueles que me prenderam e se alguém cometeu crime foram eles, que mentiram à sociedade brasileira. O tempo se encarregará disso. Aquelas pessoas que ficaram tomando chuva foram as que me sustentaram ali”, disse, agradecendo às pessoas que foram visitá-lo, lembrando do tempo em que estava preso e recebia parentes e amigos.

Ao deixar a presidência, em 2010, disse que “era um homem realizado politicamente”. “Quando eu cheguei na presidência, eu tinha medo de fracassar. Eu tinha na cabeça que não poderia fracassar, porque, se eu fracassasse, nunca mais um trabalhador conseguiria chegar à presidência da República. Eu era a primeira alternância de poder, de verdade, no Brasil”, disse ele, que informou também que, se tudo der certo, estará em 1 de maio em Cuba.

Encontro com pai de Julian Assange

Antes de se reunir com representantes dos sindicatos, Lula teve um encontro com o pai de Julian Assange, John Shipton, que está em Genebra. Ele defendeu a liberdade do fundador do Wikileaks, preso desde abril de 2019 em Londres.

Na entrada, um grupo com instrumentos musicais tocou: “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula” e “Lula é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo”. Com camisas vermelhas e bandeiras com a inscrição “Lula Livre” e “Liberdade para Lula”, além das do MST, 80 pessoas aguardavam a chegada do ex-presidente ao Clube Suíço da Imprensa. O evento, marcado para as a 18h, começou às 19h49 e foi até as 21h.

As pessoas também gritaram: “Lula, guerreiro, do povo brasileiro”. Vilma dos Santos e a filha Maria Vitória dos Santos levaram cartazes com frases de agradecimento ao ex-presidente: “Lula, nós “ti” amamos. Obrigado por tudo, meu presidente” e “O medo deles é o cara voltar”, escrito ao lado de uma foto de Lula. Manifestantes também levaram a placa de Marielle Franco, cujo assassinato completa dois anos na próxima semana.

Já na sala do evento, que demorou mais de uma hora e meia para começar, as pessoas gritaram: “Ô Lula, cadê você, eu vim aqui só pra te ver”, “Lula, guerreiro, do povo brasileiro” e “Marielle, presente!”. Três diplomatas venezuelanos e um cubano estiveram presentes ao evento.

Mais perto das igrejas

Hoje pela manhã, Lula esteve no Conselho Mundial de Igrejas (CMI), em Genebra, entidade que congrega mais de 340 igrejas, em mais de 120 países, representando mais de 500 milhões de fiéis no mundo.

“Vim trazer um testemunho. O de que é possível resolver o problema dos pobres no mundo. Não é teoria. Enfrentar ou não a fome é uma decisão política”, disse ele, que esteve no CMI para debater o enfrentamento à desigualdade.

Ele disse também que era contra a politização das igrejas. “Acho que na hora da eleição os pastores votam com a consciência deles. Mas na pregação, eles têm que defender os mais pobres, os esquecidos, os marginalizados. Essa é a causa de Jesus Cristo”, afirmou o ex-presidente, que se reuniu com o secretário-geral do Conselho, Olav Fylkse Tveit, com Isabel Phiri, secretária-geral adjunta do Conselho Mundial de Igrejas, com a pastora Lusmarina Campos Garcia, do Fórum Ecumênico ACT Brasil, e com o reverendo Odair Pedroso, diretor do Departamento de Fé e Ordem do Conselho Mundial de Igrejas.

O encontro pretende ser o primeiro de uma colaboração para debater a desigualdade no mundo. “Já tenho 74 anos e não posso sair da política, porque eu tenho uma causa. E a causa é a luta por um mundo mais justo, mais humano e mais solidário”, disse Lula.

Jair vai aos EUA fechar o acordo dos cassinos que o filho começou. Por Luis Nassif


Publicado originalmente no GGN:

Por Luis Nassif

Alguém consegue imaginar Jair Bolsonaro envolvido em qualquer tema politico ou econômico que não haja interesse direto do submundo da economia, do qual ele é representante.

A BBC supôs, usando para Bolsonaro a regra que cabe a todo presidente de país sério, que  se iria encontrar com políticos dos EUA, em sua próxima viagem, só poderia ser para tratar de temas de interesse dos políticos. E toca levantar os temas preferenciais de Rick Scott e Marco Rubio, dois dos políticos com os quais Bolsonaro irá se encontrar. Venezuela? Ceticismo climático?

Recentemente publiquei o “Xadrez de como os cassinos financiaram a ultradireita e negociam com os Bolsonaro”, mostrando como o lobby dos cassinos americanos estava entrando no Brasil através do representante comercial dos Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, negociando com Sheldon Adelson, o cappo maior dos cassinos de Las Vegas.

Vamos conferir agora que são os políticos que se encontrarão com Bolsonaro.

Rubio já foi candidato a candidato à presidência da República pelo Partido Republicano em 2015. Sua participação em um dos debates foi curiosa.

Jed Bush Jr atacou Donald Trump, acusando-o de ter feito doações para sua campanha para governador porque tinha interesse em aprovar o funcionamento dos cassinos na Flórida. Era uma acusação pesada, da qual outros candidatos poderiam se valer para enfraquecer Trump. Mas Rubio calado, e sua assessoria alegou que ele não quis se envolver porque, afinal, os candidatos citados já estavam despencando nas pesquisas.

The Guardian matou a charada. Ambos, Jed Bush e Rubio, disputavam as doações de campanha de Sheldon Adelson, o bilionário que está tratando com Flávio Bolsonaro a abertura dos cassinos no Brasil. Segundo The Guardian, Rubio conseguiu a maior parte das doações de Adelson por ter defendido grande parte de suas demandas, os cassinos e o lobby de Israel. Adelson estaria preparando uma doação multimilionária para a ONG Conservative Solutions Project, pro-Rubio.

Já Rick Scott foi governador da Florida. 13 dias após ter sido eleito, em 2013, ele estava em Las Vegas se encontrando com Sheldon Adelson. Na volta instruiu sua equipe a trabalhar na legislação do cassino.

 

Brasil deve está sendo incentivado pelos EUA para entrar em conflito armado contra a Venezuela, acusa Maduro


O presidente venezuelano pediu aos “setores democráticos” brasileiros que impeçam “qualquer aventura de Jair Bolsonaro em coordenação com Donald Trump”.

Seria mesmo possível que o Bolsonaro entre nessa apenas para servir ao Trump? Todos sabem o interesse dos EUA invadir a Venezuela, não sabem? Qual seria outro motivo?

Resultado de imagem para foto de maduro

Revista Forum

No dia seguinte à decisão do Brasil de retirar seus funcionários diplomáticos da Venezuela, o presidente do país vizinho, Nicolás Maduro, comentou a situação e fez alusão a que a postura do Brasil de hostilidade para com o seu governo é incentivada pelos Estados Unidos. E foi além, disse que Washington atua para convencer Bolsonaro a iniciar um conflito armado com o seu país.

“A Casa Branca decidiu lançar um plano para trazer a guerra, o terrorismo, para desestabilizar a Venezuela e espalhar a violência, para justificar um conflito armado e a intervenção militar em nosso país”, denunciou o mandatário venezuelano.

Depois, Maduro mencionou o Brasil como principal aliado desse possível plano. “Ele (Bolsonaro) foi citado à mansão de Donald Trump, em Miami, para debater sobre um único tema”, disse o líder chavista, dando a entender que esse tema seria o possível conflito com a Venezuela.

Finalmente, o presidente venezuelano fez um pedido “aos setores democráticos, humanistas, ao povo do Brasil e suas forças militares, que detenham qualquer aventura de Jair Bolsonaro, em coordenação com Donald Trump, contra a Venezuela”.

 

VÍDEO – Lula participa de debate sobre a desigualdade com sindicatos globais em Genebra


O que acontece é que o trabalho que o Lula desenvolveu no Brasil, é mais reconhecido la fora, principalmente na Europa, do que no próprio Brasil. A questão é que houve um trabalho muito forte e poderoso na mídia e, mais recente, a enxurrada de fake news que surgiram, isso em nível de Brasil, a maior parte com uma carga muito grande de palavras que provocavam uma rejeição sem explicação, por um ex-presidente que deixou o seu segundo mandato com 87% de aprovação,  por ele ter lutado por um povo que estava abaixo da linha da pobreza, fazendo ter o direito de comer. Não se tratava de passear e ter carro. A preocupação do ex-presidente Lula era vê aquelas pessoas que passavam fome, ter o direito de comer três vezes ao dia. Isso lhe fez crescer no Brasil e fora, politicamente, mas depois, como foi dito, a mídia tratou de fazer o povo acreditar que ele merecia ser preso. O povo acreditou e o Lula foi preso sem provas de crime e sem manifestações no Brasil.

Agora está o Lula se reunindo com grandes instituições da Europa, numa luta que não pode parar, que é tentar diminuir essa tal  desigualdade social, que chegou a um ponto que não tem como ficar calado. Crianças no Haiti comem bolinhos de terra com manteiga como alimento principal do dia. Enquanto isso, há famílias no mundo que dobram seus patrimônios de 800 bilhões de dólares em um ano. Atualmente no Brasil, infelizmente, esse modelo está voltando, onde seguindo a filosofia do Maluff, ricos têm que ficar mais ricos e pobres mais pobres. Pasmem, mas esse desequilíbrio total que se alastra pelo mundo, muitos o chamam de equilíbrio, e assim o sistema da extrema direita vai seguindo e muitos sem recurso morrendo. É um verdadeiro extermínio lento e perverso. Veja o vídeo. Texto Café com Leire, vídeo DCM.   

Lula participa de debate sobre a desigualdade com sindicatos globais em Genebra

Posted by Lula on Friday, March 6, 2020

Homem que revelou ter recebido para simular ataque a Guaidó já foi preso por tráfico de drogas. Por Fania Rodrigues


A foto da suposta tentativa de assassinato de Guiadó, distribuída por sua equipe à mídia

POR FANIA RODRIGUES, de Caracas

O líder opositor venezuelano Juan Guaidó denunciou que foi vítima de um atentado, no estado venezuelano de Lara, durante um ato político no último sábado.

“Meu carro recebeu pelo menos nove disparos de balas”, disse, durante uma transmissão ao vivo, via redes sociais no sábado a noite.

Nesse dia foram publicadas apenas três fotos pela agência de notícias AP, dos Estados Unidos, em que aparece o momento exato em que um homem armado aponta uma pistola para o deputado Juan Guaidó, que estava na rua cercado por assessores.

No entanto, a agência informou também que as fotos foram repassadas pela equipe de Guaidó e que a AP não esteve no ato político. Não existem vídeos, nem fotos do público, nem de jornalistas que cobriam o evento.

O caso sofreu uma reviravolta quando Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) identificou e prendeu o homem acusado de apontar a arma para o deputado venezuelano.

Em depoimento, Climaco Medina afirmou que não se tratou de um atentado e que, na verdade, foi contratado por assessores de Juan Guaidó “para assustar as apoiadores que participavam da marcha”.

Ele afirma que teria recebi 400 dólares para fingir o ataque à marcha de Guaidó.

“Me procuraram e me perguntaram que queria ganhar um dinheiro. Perguntei o que tinha que fazer. Então me disseram que Guaidó iria a Lara no dia seguinte e que andava buscando motoqueiros para fazer um trabalho. E eu disse que sim”, revelou.

 

Medina é morador de uma pequena cidade chamada Cabudare, no interior do estado Lara, e tem três passagens pela polícia. Foi preso pela primeira vez em 2009, por porte ilegal de armas e liberado poucos meses depois.

Em 2015, foi por resistência a averiguação policial e em 2018 voltou à prisão, acusado de tráfico de drogas.

Assim relata os fatos:

“No sábado de manhã fui encontrar com o Chicho [apelido de outro motoqueiro acusado de participação no mesmo crime] e no lugar do encontro apareceu outro senhor. Ele disse que o que eu tinha que fazer era assustar as pessoas. Tirou um revólver e me entregou. Eu tinha que apontar para as pessoas, assustá-las e apontar a arma para Juan Guaidó”, declarou.

Guaidó acusou a movimentos sociais chavistas, conhecidos como “coletivos”, de promover o ataque contra ele e seus seguidores.

Mas a escassez de imagens gerou suspeita e a história foi um dos temas mais comentados nas redes sociais da Venezuela esta semana, já que se tratava de um evento político,com público e imprensa.

Para o ministro de Comunicação da Venezuela Jorge Rodríguez foi um “falso ataque”.

“A verdade é que Juan Guaidó está desesperado, porque o que prometeu ao presidente da Colômbia, Ivan Duque, e aos Estados Unidos, não pode cumprir. Por onde ele passa encontra ruas vazias e rechaço”, disse Rodríguez, nessa quinta-feira, em entrevista coletiva.

O líder opositor Juan Guaidó não comentou essas últimas revelações feitas pela equipe de investigação do caso.

Leia matéria completa, inclusive com vídeo, no DCM

Bahia com um caso: Coronavírus já é transmitido de brasileiro pra brasileiro. Já são 9 casos confirmados


A Secretaria de Saúde da Bahia confirmou nesta sexta-feira (6) o primeiro caso no estado.

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira (5) que o Brasil já tem casos de coronavírus transmitidos localmente, ou seja, sem que os pacientes tenham viajado para outros países. Dois dos casos de São Paulo mostram que infecação aconteceu através do contato com pessoas que já estavan com o vírus.

O primeiro caso registrado no país foi de um idoso de 61 anos que viajou à Itália e, ao chegar ao país, passou a dar sinais da doença. Contudo, logo que retornou de viagem, o empresário fez um churrasco em sua casa com a família. Um dos seus parentes que esteve na reunião pegou o coronavírus e, depois, o transmitiu para uma outra pessoa.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que não há ainda transmissão comunitáriano país, o que ocorre quando um vírus circula livremente entre a população. Ele diz que, por enquanto, ainda é possível rastrear a origem de todos os casos confirmados e, no caso das transmissões locais, verificar que elas têm uma relação entre si.

“Até agora, conseguimos identificar a cadeia de transmissão do vírus. Isso significa que temos transmissão local, que é restrita, mas não temos uma transmissão comunitária, que é mais ampliada, em nosso território”, disse Oliveira.

Casos no Brasil

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) confirmou, na manhã desta sexta-feira (6), o primeiro caso de novo coronavírus no estado. A paciente é uma mulher de 34 anos, moradora de Feira de Santana, que retornou da Itália em 25 de fevereiro. No país europeu, ela teve passagens pelas cidades de Milão e Roma.

Ainda de acordo com a secretaria, a paciente manifestou os sintomas depois de ter chegado ao Brasil.

Com a confirmação na Bahia, o país agora tem nove casos de coronavírus. Na quarta-feira eram apenas quatro confirmações.

Todos os casos, até então, eram na região Sudeste: 6 em São Paulo, um no Rio de Janeiro e um no Espírito Santo. Outros 636 casos são dados como suspeitos e 378 foram descartados.

Com informação da Revista Forum

Globo detona Bolsonaro: “Imagem de quem não está à altura do cargo”


O que o texto da Globo está querendo dizer, ou melhor, está dizendo, é que já que o Bolsonaro não está sabendo conduzir o país na forma correta, não o faça de forma prejudicial. Admita que o cargo é muito além das suas capacidades e se demita. Porque o país está mergulhando no caos. Se é perguntado sobre o mísero PIB de 1%, ele manda um fraco humorista perguntar o que é PIB [?]

Do editorial do jornal O Globo.

Por mais que o presidente Bolsonaro tenha se esforçado para se esquivar de perguntas sobre o baixo desempenho da economia no ano passado, com a evolução do PIB se mantendo no nível decepcionante de 1%, a realidade de uma economia quase estagnada continua a existir e, cada vez mais, pressiona sua gestão.

(…)

Bolsonaro constrói com eficiência a imagem de alguém que não está à altura do cargo. Mostra não entender a dimensão da agenda presidencial. Dela consta não apenas apressar as reformas, como também resistir a pressões que devem surgir para abandonar o ajuste fiscal, a fim de supostamente acelerar a retomada da economia com mais gastos públicos.

O presidente deveria fazer uma reflexão profunda sobre as razões para atrairmos tão pouco investimento externo. Concluirá que parte da explicação está na imprevisibilidade do seu comportamento, fator de aumento da percepção de risco pelo investidor. Um país em tensão política constante, devido ao seu presidente, não é atraente a investidores em grandes projetos de longa maturação, como os de que o Brasil necessita, principalmente na infraestrutura.

(…)

Enquanto Bolsonaro perde tempo em patrocinar atos de desrespeito à imprensa, para animar uma plateia digital, há um expediente no Planalto à sua espera que não está sendo cumprido. O presidente precisa trabalhar, e para isso tem de desmontar o picadeiro eletrônico que armou à frente do Alvorada.

A fonte foi do DCM.

Vice-prefeito de Anagé tem carro metralhado no interior da Bahia


Vice-prefeito de Anagé tem carro metralhado no interior da Bahia
Crédito da Foto: Blog do Ricardo Nolasco

O vice-prefeito da cidade de Anagé, no sudoeste da Bahia, teve o carro metralhado na noite de segunda-feira (3/3). Enoque Nolasco também é pré-candidato a prefeitura do municipio e não se feriu.

O crime aconteceu na na Fazenda Fundo, Distrito de Lindo Horizonte. A prefeitura de Anagé publicou uma nota em repúdio ao “ato de violência”.

“Após o ocorrido, o vice-prefeito registrou a ocorrência na Delegacia para que as medidas investigativas sejam tomadas de acordo com a legislação”

VEJA A NOTA COMPLETA

Obstetra alcoolizado deixa morrer mãe e bebé em cesariana


As autoridades já confirmaram que o obstetra estava alcoolizado, após o médico ter realizado um teste de alcoolemia

Obstetra alcoolizado deixa morrer mãe e bebé em cesariana

Um médico obstetra foi detido no estado de Gujarat, na Índia, após ter realizado uma cesariana alcoolizado. A mãe e o recém-nascido acabaram por morrer na sequência do procedimento cirúrgico. Kamini Chachi deu entrada em trabalho de parto no hospital público esta segunda-feira, 29 de novembro. Por questões de saúde, a mulher foi encaminhada para o bloco operatório para realizar uma cesariana. O bebé morreu assim que nasceu. Kamini também não sobreviveu e morreu de seguida. Segundo declarações da família aos órgãos de comunicação locais, no hospital foi-lhes dito que Kamini morreu após ter perdido muito sangue.

«Descobrimos que estava alcoolizado e por isso detivemos o profissional de saúde»

A família ainda tentou levar a mulher para um hospital privado, mas já não havia nada a fazer. As autoridades foram chamadas ao local e foi confirmado através de um teste que o médico que realizou a cirurgia estava alcoolizado. «Descobrimos que estava alcoolizado e por isso detivemos o profissional de saúde», esclareceu um dos agentes da polícia. O hospital já organizou uma comissão que está a investigar o caso. A equipa quer descobrir se a causa da morte do recém-nascido e da sua mãe foi por negligência ou por razões médicas.

 

A imagem pode conter: comida e texto

A imagem pode conter: texto que diz "VENDE-SE ESTA LOJA Vendo uma loja toda equipada, já com muita mercadoria, tudo da moda, sendo que no último balanço, muito recente, estimava em 120 mil reais em mercadoria, a preço de venda, porém terá um grande desconto para quem comprar. Vale lembrar que loja equipada com que há de mais moderno, em se tratando de instalação. Estamos instalados à AV Dr. João Pessoa, em frente Loja Completa, em Maracás. Interessados ligar para 98894 8014."

  • A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Papito Subirana, pessoas sorrindo, comida

Chegam mais venezuelanos a Feira de Santana e secretário diz que vai acionar a PF e a embaixada


Um grupo que chegou a uma semana está pedindo dinheiro nas sinaleiras.
Chegam mais venezuelanos a Feira de Santana e secretário diz que vai acionar a PF e a embaixada

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Com uma semana que chegou a Feira de Santana, um grupo de venezuelanos, composto por duas mulheres e cinco crianças, incluindo duas de colo, está nas sinaleiras da cidade com um cartaz pedindo dinheiro para comprar comida. Ao Acorda Cidade, as mulheres informaram que estão morando no bairro Mangabeira. Elas não falam português, mas através do cartaz estão conseguindo dinheiro para se manter na cidade.

O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Pablo Roberto, informou que o órgão já fez tudo que está ao alcance para atender da melhor forma essa questão dos venezuelanos, mesmo reconhecendo a ilegalidade deles no país e mesmo tendo inúmeras limitações no que diz respeito ao atendimento. No início do mês de fevereiro um grupo com cerca de 15 venezuelanos já tinha chegado em Feira de Santana.

“Já viabilizamos o local para eles se abrigarem, já viabilizamos alimentação e estamos constantemente orientando e acompanhando para que essas pessoas não continuem expondo as crianças às condições de vulnerabilidade em que eles estão. Agora vamos ter que tomar uma atitude um pouco mais severa que é acionar os mecanismos de Polícia Federal e embaixada no país para que possa nos auxiliar”, informou em entrevista ao Acorda Cidade.

Segundo Pablo, alguns venezuelanos, inicialmente não aceitaram o abrigo que a prefeitura ofereceu. Ele informa que mesmo com os benefícios oferecidos, os próprios venezuelanos informam as equipes da secretaria que preferem continuar na condição de pedinte, já que assim conseguem mais dinheiro.

“Eles mesmos relatam que é mais rentável. Eles conseguem cerca de 200, 300 reais em uma hora e por isso eles preferem ficar na condição de pedinte do que organizar a vida aqui na cidade. Eles alegam que Feira de Santana é uma praça muito boa e isso significa que eles conseguem muito dinheiro pedindo na rua. Hoje a tarde temos uma reunião com nossa equipe, já acionamos a Polícia Federal, vamos entrar em contato com a associação que cuida dessa situação dos refugiados da Venezuela aqui no Brasil e vamos tratar com a embaixada pedindo auxílio, pois não podemos ficar nessa situação”, destacou.

Pablo informou ainda que inicialmente chegaram em Feira de Santana cerca de 30 venezuelanos. Na semana passada chegou mais um grupo com cerca de oito pessoas. Com informações do Acordacidade.

 

Governo Bolsonaro passa a perna em Sílvio Santos e proíbe venda de Tele Sena em lotéricas


A proibição valerá a partir do dia 1º de abril e atinge todas as Casas Lotéricas do Brasil

Silvio Santos com Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

O governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) decidiu, nesta segunda-feira (2), praticamente inviabilizar a comercialização da Tele Sena e dos carnês do Baú da Felicidade. A decisão causou estranhamento, pois ambos pertencem ao Grupo Silvio Santos, aliado de primeira hora de Bolsonaro e representam grande parte do faturamento do SBT.

A Caixa Econômica Federal proibiu a comercialização das cartelas da Tele Sena e dos carnês do Baú nas loterias e em suas agências de maneira imediata, dando até o final de março para que as vendas acabem permanentemente.

A Tele Sena foi criada em 1991 pela Liderança Capitalização, uma das várias empresas do Grupo Silvio Santos, e desde então tinha sorteios semanais (e algumas vezes diários) na programação do SBT. A cúpula da Liderança Capitalização solicitou uma reunião emergencial com os executivos da Caixa Econômica Federal para tentar reverter a decisão.

A proibição valerá a partir do dia 1º de abril e afeta todas as Casas Lotéricas do Brasil, sem exceção, já que elas são controladas pela Caixa Econômica Federal. Em memorando interno, o Banco já informou o prazo para que as empresas se organizem.

“Prezado Parceiro, informamos que a partir de 01/04/2020 os produtos TELESENA e Carnê do Baú da Felicidade Jequiti não serão mais comercializados nas Unidades Lotéricas. Atenciosamente, GN Canais Parceiros”, diz o documento.

A proibição, de acordo com informações do TV Foco, representa uma perda de faturamento para a Caixa Econômica Federal, que irá repor o dinheiro perdido com a regulamentação da volta dos sorteios televisivos por meio de números com valor acrescentado, como foi o popular 0900 no final dos anos 1990.

Fontes ligadas ao Governo Federal afirmam que Bolsonaro não foi informado da decisão de proibir a venda da Tele Sena em Casas Lotéricas e a expectativa é de que ele fique irritado com a situação, de acordo com o Oba Notícias.

 

A imagem pode conter: comida e texto

A imagem pode conter: texto que diz "Oséias Estrutura de vidros em geral Rua Jaime Portela 435 Maracás- Bahia. Fone 73) 98833 9046- Ligue e peça um orçamento."

A imagem pode conter: comida, texto que diz "Panificadora & lanchonete o nome já diz tudo. está o sabor gostoso do pão, do bolo, do salgado e muito mais. Só Sabores Só Sabores Estamos instalados no Centro de Planaltino, em frente ao Bradesco"

 

A imagem pode conter: texto

 

Justiça quebra sigilos fiscal e bancário de acusados de assassinato de Marielle


Caso, que ainda não tem solução, busca a identificação dos possíveis mandantes do assassinato

[Justiça quebra sigilos fiscal e bancário de acusados de assassinato de Marielle]
Foto :

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a quebra do sigilo fiscal e bancário de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz, presos e acusados de ter assassinado a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018. O caso, que ainda não tem solução, busca a identificação dos possíveis mandantes do assassinato. Também foi determinado o sequestro de bens de Ronnie, como imóveis e uma lancha, e a quebra dos sigilos de outras cinco pessoas suspeitas de atuar como “laranjas” dos ex-PMs. O pedido foi feito pelo Departamento de Combate à Corrupção, Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil do Rio de Janeiro após investigação.

De acordo com o portal G1, a soma dos itens de Ronnie alvos de bloqueio é de R$ 2,7 milhões.

Constam da lista:

  • Imóvel na Barra da Tijuca, avaliado em R$ 1,25 milhão;
  • Terreno no condomínio Porto Galo, em Angra dos Reis, avaliado em R$ 500 mil;
  • Terreno em Mangaratiba, avaliado em R$ 300 mil;
  • Lancha Real 330 Special Edition, avaliada em R$ 450 mil;
  • Veículo Jeep/Renegade Sport AT, avaliado em R$ 70 mil;
  • R$ 61.293 apreendidos na casa de Ronnie Lessa, na Barra da Tijuca;
  • R$ 50 mil apreendidos na casa dos pais de Lessa.

“As investigações duraram aproximadamente um ano, mas a gente ficou uns seis meses parados devido à decisão do Supremo Tribunal Federal, de suspensão das investigações envolvendo relatórios do antigo COAF”, explicou o delegado Thiago Neves, responsável pela investigação. Fonte: Metro1

 

“Piada” de humorista com mãe de Isabella Nardoni repercute mal nas redes


Post chegou a sair do ar, mas ele fez questão de respostar. Menina de 5 anos foi vítima de um dos crimes mais repercutidos no Brasil nos últimos tempos

Leo Lins piada Isabella Nardoni

 

 

Na última quinta-feira, 27 de fevereiro, o comediante Léo Lins usou as redes sociais para fazer uma “piada” de mau gosto sobre o nascimento da filha de Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella Nardoni.

A menina nasceu na quarta-feira, 26 de fevereiro, e ele compartilhou no Instagram a notícia junto ao seguinte comentário: “Espero que ela more no térreo”. Léo Lins integra o elenco do programa de Danilo Gentili, no SBT.

Ana Carolina Oliveira também é mãe de Miguel, de três anos. Ela teve os filhos quase dez anos depois de perder Isabella, que foi morta pelo pai, Alexandre Nardoni e a madrasta, Anna Carolina Jatobá.

O crime, que ocorreu em 2008, abalou o Brasil quando a criança de 5 anos foi jogada pela janela do apartamento do pai e acabou não resistindo.

A “piada” de Léo Lins, que possui mais de 1 milhão de seguidores no Instagram, recebeu milhares de críticas. Tanto que o post chegou a ser denunciado pelos internautas e saiu do ar, mas Leo fez questão de repostar. “Removeram, mas ta aí de novo”, ironizou ele.

“Confesso que eu era fã dos textos do Leo Lins, mas depois dessa piada escrota postada por ele no Instagram… Pode até não existir limites para o humor, se é que podemos chamar isso de humor. Mas existe sim algo chamado respeito ao luto alheio. E pra você saber, senhor Leo Lins, quem assassinou a Isabela Nardoni não foi a mãe, mas a madrasta, junto com o monstro covarde que a menina chamava de pai”, comentou um seguidor, que angariou 1,4 mil curtidas. Com infomações do PragmatismoPolitico

Ana Carolina Oliveira não tem o costume de dar muitas entrevistas, mas em 2016, quando anunciou a gravidez do primeiro filho, a mãe voltou a tocar no assunto de Isabella.

“Com o apoio de família, religião e terapia. Até certo ponto, você aguenta sozinha. Mas tem uma hora em que a dor sufoca. Eu demorei dois meses para procurar terapia e cheguei a fazer três sessões por semana. Nos primeiros meses, o caso da minha filha aparecia todos os dias na TV. De certa forma, a comoção das pessoas me ajudou. Havia quem chorasse como se tivesse perdido o próprio filho. Recebi muitas cartas, muitos abraços. As pessoas torceram e sofreram por mim. Não comparo problemas e dores, mas não me permitia ter um papel de coitada e ir para o buraco”.