(77) 99152-6666

Empresa detectou 135 ‘pontos críticos’ em prédio um mês antes de desabamento


A síndica do Edifício Andrea solicitou, um mês antes do desabamento, um orçamento para recuperação estrutural. Maria das Graças Rodrigues, de 53 anos, que continua desaparecida entre os escombros, havia entrado em contato com a CAC Engenharia por meio de telefone. No dia de 19 de setembro, a vistoria técnica da empresa detectou pelo menos 135 pontos com falhas estruturais na área do pilotis. O prédio desabou na manhã de terça-feira (15), deixando, até a última atualização desta reportagem, seis pessoas mortas. Outras quatro seguiam desaparecidas e sete foram resgatadas vivas.

O número foi repassado ao G1 por Alberto Cunha, engenheiro e presidente da empresa. O orçamento pedido pela síndica foi entregue no dia 30 último, mas a proposta foi recusada dois dias depois, porque uma concorrente ofereceu o serviço com menor custo.

“Quando o meu funcionário ligou, ela disse que a nossa proposta não foi aceita em assembleia, porque nosso preço tinha sido muito caro e o outro tinha sido 30% abaixo da nossa proposta, e a pessoa ainda dava a pintura do pilotis”, alega.

Durante a visita técnica, eles diagnosticaram rachaduras nos pilares, concreto soltando da armação e ferros soltos. Na casa de bomba, onde é feito o transporte da água da cisterna para a caixa, Alberto Cunha revela que o ambiente concentrava a maior parte das falhas.

“Tem uma área da casa de bomba que já estava muito crítica. As ferragens estavam todas expostas se deteriorando, combogós e pilares comprometidos”. Ainda conforme o engenheiro, Maria das Graças Rodrigues já tinha ciência dos riscos. “Ela estava se mostrando preocupada e queria resolver isso logo e que nós mandássemos orçamento o quanto antes”.

Empresa vistoriou edifício Andrea um mês antes do desabamento e encontrou pontos críticos na estrutura  — Foto: ReproduçãoEmpresa vistoriou edifício Andrea um mês antes do desabamento e encontrou pontos críticos na estrutura  — Foto: Reprodução

Empresa vistoriou edifício Andrea um mês antes do desabamento e encontrou pontos críticos na estrutura — Foto: Reprodução

O que se sabe até agora

  • Edifício Andrea desabou às 10h28 do dia 15 de outubro
  • Até a última atualização desta reportagem, havia 6 mortos, 7 resgatados com vida e 4 pessoas desaparecidas
  • O prédio ficava no cruzamento na Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli, a cerca de 3 quilômetros da Praia de Iracema, região turística da capital cearense
  • A prefeitura disse que a construção do prédio foi feita de maneira irregular e ele não existia oficialmente, mas o G1 localizou o registro do imóvel em um cartório da capital: a existência do edifício é conhecida desde 1982
  • Testemunhas contaram que o edifício estava em obras
  • Vídeo mostra que as colunas de sustentação estavam com situação precária
  • Ruas no entorno do edifício foram bloqueadas e sete imóveis próximos ao local do desabamento foram interditados

Vítimas identificadas

Operação de resgate em Fortaleza segue sem interrupções — Foto: Thiago Gadelha/SVM

Operação de resgate em Fortaleza segue sem interrupções — Foto: Thiago Gadelha/SVM

O Governo do Ceará divulgou a identificação das seis pessoas mortas. Nesta quinta-feira, foram identificados e retirados os corpos de Antônio Gildasio Holanda Silveira, de 60 anos, e da filha dele, Nayara Pinho, de 31 anos.

Antônio Gildasio foi identificado pela Perícia Forense por meio da necropapiloscopia, técnica específica realizada por meio da coleta da impressão digital do corpo e o confronto da impressão digital contida em um documento da pessoa.

No fim da noite, foram reveladas as identidades de Maria da Penha Bezerril Cavalcante, de 81 anos, e de Rosane Marques de Menezes, de 56 anos, que também foram retiradas sem vida dos escombros. Rosane é mãe de Fernando Marques, de 20 anos, o primeiro sobrevivente resgatado do desastre e filha de Izaura Marques Menezes, de 81 anos, que também morreu no desastre. O pai de Rosane, Vicente de Paula Vasconcelos de Menezes, de 87 anos, segue desaparecido.

A primeira morte foi confirmada foi de Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, entregador que estava em um mercadinho que funcionava ao lado do prédio.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Glenn diz que Moro e Lava Jato usavam lei “para fazer suas conspirações políticas”


“A lei era apenas uma ferramenta – uma máscara, um pretexto – para fazer suas conspirações políticas”, tuitou Glenn sobre Moro e a Lava Jato após divulgação de nova reportagem da Vaza Jato que mostra que procuradores blindaram Temer no golpe contra Dilma em 2016.

Glenn Greenwald, Moro e Bolsonaro (Montagem)
 

O jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, afirmou pelo Twitter nesta sexta-feira (18) que o ministro da Justiça e ex-juiz, Sergio Moro, e os procuradores da Lava Jato usavam a lei como ferramenta para fazer suas aspirações políticas.

“Moro e LJ: sempre a política em primeiro lugar (da direita), com vontade de violar leis e regras éticas para atingir esses objetivos políticos. A lei era apenas uma ferramenta – uma máscara, um pretexto – para fazer suas conspirações políticas”, tuitou Glenn.

Reportagem da série Vaza Jato, publicada nesta sexta-feira (18) pelo El País em parceria com o The Intercept, revela que a Operação Lava Jato protegeu o então vice Michel Temer para manter o golpe contra a ex-presidenta Dilma Rousseff em andamento em 2016.

Apenas duas semanas antes da data de afastamento de Dilma, em abril de 2016, os procuradores receberam um “anexo-bomba” contra Temer, mas escolheram rejeitar a proposta de delação que poderia levá-lo a uma condenação por corrupção.

No entanto, três anos depois, em março de 2019, a Lava Jato utilizou essa mesma delação para mover uma ação penal contra o ex-presidente e pedir sua prisão preventiva.

Juiz da Lava Jato à época, Moro assumiu o Ministério da Justiça de Jair Bolsonaro após acordo feito ainda durante as eleições 2018, quando o então magistrado liberou áudios do ex-ministro Antônio Palocci às vésperas do primeiro turno.

‘Se encontrar algum, mate e congele’: o alerta nos EUA pelo aparecimento de peixe cabeça-de-cobra, que respira fora d’água


O peixe cabeça-de-cobra devora outros peixes, sapos e pequenos lagartos e pode percorrer curtos percursos por terra — Foto: USGS/BBC

O peixe cabeça-de-cobra devora outros peixes, sapos e pequenos lagartos e pode percorrer curtos percursos por terra — Foto: USGS/BBC

“Se você acredita que capturou um peixe cabeça-de-cobra, não o libere. Mate-o imediatamente e congele-o”.

As instruções são do Departamento de Recursos Naturais da Geórgia, que se somou na semana passada à lista de 15 Estados americanos em alerta por causa da existência, no meio selvagem, de um predador voraz.

 

O peixe cabeça-de-cobra (Channa argus) recebe esse nome por causa de sua cabeça achatada.

As autoridades querem estudar os exemplares encontrados no país e mapear sua disseminação para tentar controlar sua reprodução.

Mas são outras características que fizeram desse peixe um animal temido, desde o momento em que foi detectado pela primeira vez nos Estados Unidos, no início dos anos 2000.

O peixe é originário da China, Rússia e da península da Coreia, e pode chegar a medir mais de 80 centímetros.

Ele tem um grande apetite – se alimenta de outros peixes, rãs e pequenos lagartos.

As diferentes espécies de peixe cabeça-de-cobra podem chegar a mais de 80 cm de comprimento — Foto: FWS/BBCAs diferentes espécies de peixe cabeça-de-cobra podem chegar a mais de 80 cm de comprimento — Foto: FWS/BBC

As diferentes espécies de peixe cabeça-de-cobra podem chegar a mais de 80 cm de comprimento — Foto: FWS/BBC

E, principalmente, o cabeça-de-cobra possui a notável capacidade de sobreviver fora da água durante alguns dias – se arrastando e com pequenos saltos, pode percorrer pequenas distâncias. É capaz, por exemplo, de chegar até algum outro curso de água, para buscar mais alimentos.

Uma vez que o peixe aparece em um habitat, é difícil combatê-lo, por causa de sua alta taxa reprodutiva.

‘Pode sobreviver fora da água’

As autoridades da Geórgia lançaram em 8 de outubro um alerta ao público assim que um pescador capturou o primeiro exemplar desse peixe no Estado.

Em suas instruções, o Departamento de Recursos Naturais adiciona: “Lembre-se que este peixe pode sobreviver fora da água. Se for possível, faça fotos do exemplar e tome nota do local em que foi capturado (curso d’água, marcos terrestres, GPS)”.

O comunicado oficial da Geórgia também recomenda que sejam tiradas fotos dos peixes, “inclusive imagens de detalhe da boca, barbatana e cauda”, para que possam verificar se é mesmo o peixe, e, de modo algum devem soltá-lo de volta à água ou – nesse caso bem específico – nem mesmo na terra.

As autoridades locais explicam que os hábitos alimentares desses predadores – por comerem desde plâncton a outros peixes – pode afetar severamente a oferta de alimento para outras espécies.

Peixe 'Channa argus' consegue viver muito tempo fora da água — Foto: Brian Gratwicke/VisualHuntPeixe 'Channa argus' consegue viver muito tempo fora da água — Foto: Brian Gratwicke/VisualHunt

Peixe ‘Channa argus’ consegue viver muito tempo fora da água — Foto: Brian Gratwicke/VisualHunt

Os cabeças-de-cobra podem, além disso, sobreviver em água com baixas taxas de oxigênio, o que lhes dá uma vantagem competitiva em relação a outras espécies, como trutas e robalos, que precisam de mais oxigênio.

Todas as espécies de cabeça-de-cobra podem respirar oxigênio atmosférico, segundo as autoridades americanas. Alguns respiram tanto o ar atmosférico como o oxigênio que há na água, e outras devem necessariamente respirar o ar atmosférico para evitar se sufocarem.

Ao contrário da maioria dos peixes, o cabeça-de cobra pode sobreviver fora da água por possuir pequenas bolsas acima das brânquias que funcionam quase como pulmões. Ele pode afundar e aspirar ar para dentro dessas bolsas e, em seguida, extrair oxigênio do ar armazenado.

Peixe piraíba de 90kg é devolvido à natureza

Peixe piraíba de 90kg é devolvido à natureza

Liberados intencionalmente

Acredita-se que os cabeças-de-cobra foram introduzidos intencionalmente na Geórgia por pessoas que os compraram como peixes ornamentais, ou em tanques da indústria pesqueira alimentícia, segundo as autoridades locais.

Peixes dessa espécie foram encontrados, além de na Geórgia, em outros Estados, como Flórida, Nova York, Virgínia, Califórnia, Massachusetts e Maryland.

O primeiro cabeça-de-cobra encontrado, em Maryland em 2002, foi particularmente preocupante, segundo as autoridades estaduais, porque foram encontrados exemplares jovens, o que indica que ela está se reproduzindo com êxito no meio ambiente.

 

 

Globo demite funcionárias acusadas de tentar prejudicar Maju Coutinho


Produtoras do Jornal Hoje foram acusadas de boicote contra nova apresentadora

Foto: Reprodução/TV Globo

Acusadas de passar para a imprensa os erros da apresentadora Maju Coutinho, recém ingressa no comando do Jornal Hoje, três jornalistas teriam sido demitidas por justa causa pela TV Globo.

Segundo o colunista Guilherme Beraldo, do A Tarde é Sua, da Rede TV!, as funcionárias trabalhavam na produção do vespertino e não viam Maju como boa opção para a bancada.

“Ah, ela errou tantas vezes isso, errou aquilo”, disse ele, simulando uma conversa das ex-contratadas da emissora, que recentemente promoveu Maju.

Ainda de acordo com o colunista, uma sindicância foi aberta para levantar quem estava perseguindo a jornalista e novas demissões não são descartadas. Fonte:Correio

Nasa faz nesta sexta a primeira caminhada 100% feminina no espaço


Astronautas Christina Koch e Jessica Meir em fotos oficiais da Nasa — Foto: Nasa

Astronautas Christina Koch e Jessica Meir em fotos oficiais da Nasa — Foto: Nasa

A agência espacial norte-americana (Nasa) faz nesta sexta-feira (18) a primeira caminhada espacial feita apenas com mulheres. Antes, mulheres já haviam feito caminhadas espaciais, mas sempre em equipes mistas.

As astronautas Christina Koch e Jessica Meir devem corrigir uma falha no sistema elétrico da Estação Espacial Internacional (ISS).

Desde 1965, a Nasa já fez mais de 200 caminhadas. Em março deste ano, uma caminhada feminina que estava prevista foi cancelada porque a Nasa não tinha trajes espaciais do tamanho adequado para as astronautas a bordo.

As astronautas da Nasa Jessica Meir (à esquerda) e Christina Koch dentro da câmara Quest, preparando os trajes espaciais e as ferramentas dos EUA que usarão na primeira caminhada 100% feminina no espaço — Foto: Nasa

As astronautas da Nasa Jessica Meir (à esquerda) e Christina Koch dentro da câmara Quest, preparando os trajes espaciais e as ferramentas dos EUA que usarão na primeira caminhada 100% feminina no espaço — Foto: Nasa

Na tripulação há quatro astronautas treinados para a realização destas manobras, dois homens e duas mulheres. Em mais de cinco décadas desde a primeira caminhada espacial, das 227 manobras, mulheres participaram apenas de 14, sempre acompanhadas de homens.

Uma das líderes da operação, Megan McArthur, celebrou em uma rede social este evento que considerou “absolutamente animador.”

“O fato de que serão duas mulheres mostra que temos muitas astronautas capazes e qualificadas na missão” – Megan McArthur, astronauta da Nasa.

A Nasa esclareceu, por meio de um comunicado, que as falhas no sistema elétrico não prejudicam as operações da ISS nem representam um risco à segurança da tripulação.

Christina Koch (dir.) e Jessica Meir posam para foto na Estação Espacial Internacional (ISS) — Foto: Nasa

Christina Koch (dir.) e Jessica Meir posam para foto na Estação Espacial Internacional (ISS) — Foto: Nasa

Placar será 7 a 4 contra prisão após segunda instância, é o que acha Marco Aurélio Melo


“É apenas a minha percepção, eu sempre acredito no melhor”, declarou o ministro do Supremo Tribunal Federal

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

De acordo a matéria que circulou ma Forum e outras mídias, Marco Aurélio Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), declarou a jornalistas, nesta quinta-feira (17), que acredita em um placar de 7 a 4 para derrubar a possibilidade de prisão depois de condenação em segunda instância, de acordo com informações do blog de Fausto Macedo, em O Estado de S.Paulo.

Ministros da Corte de diferentes tendências, ouvidos pelo Estadão/Broadcast, consideram como certo que o STF vai derrubar a prisão após a condenação em segunda instância.

 

A dúvida é saber se prevalecerá o entendimento de que a execução da pena deve ocorrer depois do trânsito em julgado, ou após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que funciona como uma espécie de terceira instância.

“7 a 4 é o meu palpite. Não sei, como é que chegamos a sete? Eu costumo julgar os colegas por mim, às vezes sou otimista em excesso”, afirmou Marco Aurélio, no intervalo da sessão. “É apenas a minha percepção, eu sempre acredito no melhor”.

O ministro prevê que a leitura do seu voto levará 30 minutos. “Eu espero que todos percebam que há necessidade de se conciliar celeridade e conteúdo. Que nós temos um dever para com os contribuintes que é entregar prestação jurisdicional no prazo razoável”, considerou.

“Arroubo de retórica”

Marco Aurélio também comentou declarações do general Eduardo Villas Bôas, via Twitter, nesta quarta-feira (16), pressionando a Corte antes do julgamento.

Para o ministro, o comentário não passou de um “arroubo de retórica. Mas é ruim, isso não contribui para uma boa percepção do leigo”, acrescentou.

 

Deputado admite que se ‘infiltrou’ em reunião do PSL para gravar Waldir


Crédito: Reila Maria/Agência Câmara

O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) admitiu ter gravado a reunião da bancada do PSL em que o líder do partido, Delegado Waldir (GO), chama Jair Bolsonaro de “vagabundo” e fala que vai “implodir o presidente”. De acordo com o parlamentar, o objetivo foi “blindar” Bolsonaro na guerra declarada contra o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE).

“Era uma estratégia pensada. Eu, Carlos Jordy (PSL-RJ), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF). Todo o grupo do Jair para gente poder blindar o presidente”, afirmou Silveira.

De acordo com o parlamentar, a estratégia foi pensada em reunião de Bolsonaro com 20 deputados da qual participou ontem, por volta das 16h, no Palácio do Planalto. Lá, eles iniciaram o plano de se infiltrar no grupo de parlamentares ligados a Bivar. Naquele momento, “bolsonaristas” e “bivaristas” travavam uma disputa na Câmara para recolher assinaturas. De um lado, os aliados de Bivar tentavam manter Waldir no posto, enquanto a ala ligada ao presidente tentava emplacar Eduardo Bolsonaro como líder.

Silveira e outros dois deputados foram para a reunião no gabinete da liderança do PSL. Para convencer que estava do lado de Waldir, ele assinou uma lista de apoio ao líder do PSL. Após gravar a conversa, Silveira voltou ao Planalto e mostrou a Bolsonaro a gravação. “Ele ficou p… da vida”, afirmou à reportagem.

O deputado tem experiência em trabalhar disfarçado. Quando era membro da Polícia Militar do Rio, ele atuou na área do Serviço de Inteligência, a chamada P2. A unidade é especializada em atuar disfarçado, muitas das vezes infiltradas, em organizações criminosas para buscar provas de crimes.

“Vou implodir o presidente”

Na reunião gravada por Silveira, ocorrida no fim da tarde de ontem no gabinete da liderança do PSL na Câmara, deputados relataram que estavam sendo pressionados por Bolsonaro a assinar a lista para destituir Waldir e apoiar o nome de Eduardo Bolsonaro como líder da bancada. O áudio do encontro, gravado por um dos presentes, foi obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

“Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Não tem conversa. Eu implodo ele. Eu sou o cara mais fiel. Acabou, cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu andei no sol em 246 cidades para defender o nome desse vagabundo”, afirma Waldir. Logo em seguida, alguém não identificado o alerta: “Cuidado com isso, Waldir.”

Embora o grupo ligado a Bolsonaro tenha apresentado uma lista com 27 nomes para destituir Waldir, a Câmara não aceitou todas as assinaturas e o manteve na liderança. No áudio, Waldir diz que pretende expulsar “um por um” dos que assinaram o documento contra ele.

Fonte desta Matéria, ISTOE.

Flávio e Edurardo, filhos do presidente, já não comandam o PSL em São Paulo e Rio de Janeiro


O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, removeu os filhos do presidente do comando dos diretórios regionais do partido

Bolsonaro com os filhos, Eduardo e Flavio – Foto: Reprodução

Depois de garantir um aliado no comando do PSL na Câmara dos Deputados, o presidente nacional do partido, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE) decidiu desferir mais um golpe na ala bolsonarista do partido. Em ofício assinado nesta quinta-feira (17), Bivar tirou o senador Flávio Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro do comando dos diretórios do partido no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Segundo o jornalista Igor Gadelha, da Revista Crusoé, o dirigente assinou a destituição dos dois filhos do presidente. Segundo o UOL, o ato não foi formalizado, mas Eduardo já foi comunicado.

Flávio comandava o diretório do Rio desde o ano passado e tinha o respeito da bancada do estado, apesar do escândalo do caso Queiroz. Já Eduardo assumiu a função em junho em meio a uma briga interna com o grupo ligado à deputada Joice Hasselmann, que foi destituída nesta quinta da liderança do PSL no governo por Jair Bolsonaro.

A resposta de Bivar vem em meio à disputa interna promovida pelo presidente da República, que ataca a ala ligada ao dirigente e tentou tomar o comando da bancada na Câmara, após a apresentação de duas listas com assinaturas “fakes”, constatadas pela Secretaria-Geral da Mesa da Câmara. A liderança continuou com Delegado Waldir (PSL-GO), próximo de Bivar.

Mais cedo, a deputada Bia Kicis, também pró-Bolsonaro, perdeu o comando da legenda no Distrito Federal.

O que se sabe é que a crise foi criada, ficando mais tensa depois da visita da Polícia Federal à casa do presidente nacional do PSL, o pernambucano Luciano Bivar. Bom, depois de tudo isso acontecendo, certamente ficou quase impossível o Eduardo Bolsonaro ser embaixador do Brasil nos EUA. Enquanto se atirou balas de metralhadoras para instituições e até dirigentes de outros países ainda ia se aguentando, mas agora que as flechadas foram na “casa de marimbondos”, as ferroadas comem de todos os lados.

Com informações da Forum, sendo o último parágrafo do Café com Leite Noticias.

Maracás ganha mais uma loja de peças automotiva


Nenhuma descrição de foto disponível.

A COMANDO PEÇAS é a mais nova loja do segmento de auto peças de Maracás, que, de acordo com os proprietários Aézio e Risa, como são conhecidos na cidade, a Comando chegou com o propósito de servir ao proprietário de carros da melhor forma possível, onde acompanhará o mecânico para depois de um orçamento baseado em necessidade realmente da reposição de tais peças, será feito a entrega das peças sempre procurando deixar o cliente satisfeito.

A direção da comando adotou algumas formas até então não vistas, que é a Disk Peças. Se o cliente estiver numa determinada oficina e precisar de uma peça, pois o seu carro não está em condições de ir até a Comando, nesse caso  a Comando leva a peça até a oficina. É só ligar que imediatamente chega a encomenda.

De acordo à informação dos proprietários, a casa dispõe de peças na categoria automóvel em geral, mas se acaso o cliente precisar de uma peça de carros pesados, caminhonete ou caminhão, o pedido ao fornecedor é imediato e no dia seguinte a peça chega, evitando assim uma viagem até cidades mais longe para encontrar o que procura. Vale lembrar que a Comando também dispõe de material de pintura, de chaparia e todo segmento óleo lubrificante.

Se você ainda não conhece a Comando Peças, vá até a Praça da Feira, ao lado do Lojão São Paulo, em Maracás, onde você vai saborear um delicioso café regado a biscoitinhos, bem como água gelada. Mas no caso de querer ligar para pedir uma peça, o telefone é (73) 3533 2715.Ligou chegou. Outra coisa que a galera da COMANDO informou é a questão preço. Os proprietários garantem aos clientes que a casa vai ter preço compatível com as cidades grandes.

Deputada Joice disse que engoliu muitos sapos, mas agora quer carta de alforria


Deputada federal do PSL foi preterida da liderança do governo pelo próprio presidente Jair Bolsonaro: “Minha alforria chegou”, disse ela

Foto: Reprodução

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), retirada da liderança do governo no Congresso por Jair Bolsonaro, fez um desabafo, em mais um capítulo da guerra interna, que está desintegrando o partido.

“Minha alforria chegou. Estava cansada de fazer discursos para consertar as trapalhadas desse governo”, declarou Joice, conforme informações da GloboNews.

O jornal O Globo divulgou que seu substituto será o senador Eduardo Gomes MDB-GO.

Crise

A decisão de Bolsonaro acontece em meio a uma grAve crise com o PSL. Joice deixou claro seu apoio à permanência de Delegado Waldir (GO) na liderança do PSL na Câmara. O presidente, por sua vez, articulou para que Eduardo Bolsonaro (SP) assumisse o lugar.

“Passei esse tempo todo servindo ao governo de forma leal. Inclusive deixando de cuidar do meu mandato para gerir crises e apagar incêndios. Abri mão da minha família. Em alguns momentos, tive que engolir sapo para defender coisas com que eu não concordo”, disse à coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

“Fiz o papel de líder do governo no Congresso e na Câmara. Assumi pela falta de habilidade do governo na Câmara”, acrescentou.

“Desagregador”

A deputada ainda criticou a postura do filho do presidente, Eduardo Bolsonaro: “Porque ele é desagregador. Mas quando o governo quer dar tiro no pé, fazer o quê? Eu, para proteger o presidente, não entrei nisso. Não poderia colocar a minha assinatura numa loucura dessa. Mas porque eu assinei a lista de apoio ao Waldir, vem essa retaliação”.

Joice pretende brigar para ser a candidata do PSL à prefeitura de São Paulo, em 2020. No entanto, teve seu nome esnobado por Bolsonaro, que já sinalizou apoio ao apresentador José Luiz Datena.

Com informação da Forum.

 

Criança que teve dinheiro de campanha desviado pelo pai morre em MG


O pai foi preso em julho em Salvador, prestes a abrir prostíbulo

Diagnosticado com atrofia muscular espinhal (AME), o pequeno João Miguel morreu nesta quinta-feira (17), menos de duas semanas depois de completar 2 anos. O garoto teve uma campanha de arrecadação para tratar a doença, mas o valor levantado foi roubado pelo próprio pai, que acabou sendo preso em Salvador no mês de julho.

De acordo com o Estado de Minas, João Miguel passou mal na madrugada na casa da família, em Conselheiro Lafaiete (MG). Ele foi levado pela mãe para ser atendido em Belo Horizonte, no Hospital Infantil João Paulo II, mas não resistiu e morreu.

“A mãe está muito abalada e não consegue explicar direito o que aconteceu. Toda a situação é muito triste”, afirma Vanessa Reis.

O corpo será velado e sepultado em Conselheiro Lafaiete, mas ainda não há hora e data definidos.

(Foto: Reprodução)

Crime
Mateus Henrique Leroy Alves, 37 anos, foi preso em Salvador sob suspeita de desviar o dinheiro arrecadado na campanha. Foi ele mesmo quem iniciou o arrecadamento. O pai conseguiu levantar cerca de R$ 1 milhão que seria usado para comprar medicação para o bebê.

Contudo, embora o filho realmente seja doente, Mateus começou a usar o dinheiro para benefício próprio, sem preocupação com a saúde do filho, segundo denúncia recebida pela polícia mineira.

O caso teve muita repercussão na cidade mineira, com a campanha tendo participação de conselheiros tutelares e até políticos da região. O medicamento que o garoto filho de Mateus precisava, o Spinraza, tem custo aproximado de R$420 mil a dose. O valor arrecadado seria suficiente para uma etapa do tratamento.

Prostíbulo
De acordo com a polícia, Mateus pretendia usar o valor para manter uma vida de luxo e também estava prestes a abrir um prostíbulo na capital baiana. A ideia era montar um esquema de gerenciamento de garotas de programa.

“Ele fala que gastou cerca de R$ 600 mil. Ele efetivamente gastou, sendo que R$ 300 mil foram com farra com mulheres, com bebidas e com drogas. No momento da prisão, inclusive, ele estava com porções de maconha. E [com] o restante do dinheiro, ele alega que estava sendo extorquido”, contou à época o delegado Daniel Gomes.

Ao CORREIO, a assessoria da Polícia Civil de Minas Gerais também explicou que o acusado já tinha investido cerca de R$ 50 mil numa casa de prostituição em Salvador e tinha a intenção de abrir um novo local. Além disso, Mateus levaria, aproximadamente, quatro garotas de programa de Belo Horizonte para trabalhar em Salvador.

A Polícia teve acesso às conversas entre Mateus e uma mulher, cuja identidade não foi divulgada, negociando sobre como seria o funcionamento da casa de prostituição em Salvador.

Perfil usado para divulgar caso e pedir doações (Foto: Reprodução)

“O desejo demonstrado por ele é de que essa interlocutora trabalhasse como gerente do local e que Mateus é quem tomaria conta dos programas realizados por cada uma das garotas. Também fica claro que Mateus tinha a intenção de levar, pelo menos, quatro garotas de Belo Horizonte para trabalharem em Salvador, como garotas de programa”, explicou o delegado.

Na vida de luxo e ostentação em Salvador, segundo a polícia, o suspeito aparecia em vários vídeos em hotéis de soteropolitanos, ostentando um padrão de vida incompatível com seus ganhos mensais, chegando a dizer em um deles que: “existe vida mais barata, mas eu não vou querer não”. Isso tudo dentro de uma piscina, em um prédio de frente para o mar, em Salvador.

Ainda de acordo com as investigações, o acusado chegou a gastar R$ 7 mil em uma suíte luxuosa de um motel.

Confira parte do diálogo obtido e divulgado pela investigação:

Mulher: “e cê confia, Mateus?”
Mateus: “de olho fechado.”
Mulher: “tá bom, então.”
Mateus: “são meninas que já trabalhou na minha casa lá de [Conselheiro] Lafaiete, de Belo Horizonte.”

Defesa
Ao portal G1, o advogado Túlio César de Melo Silva afirmou  que Mateus foi vítima de extorsão. “A história que ele me contou parece que é a mesma que ele já contou para o delegado, que ele foi, na verdade, extorquido, né? [Isso aconteceu] quando ele foi para Belo Horizonte fazer um curso de segurança. Um curso interessante, porque parece que foi a própria irmã que pagou. Ele foi fazer o curso e conheceu uma pessoa que o levou até uma boca de fumo. Nessa boca, ele comprou droga (…) e pensou em fazer uma sociedade com um traficante. Esse traficante, então, talvez não sei se já sabia ou investigou um pouco sobre o Mateus, descobriu sobre a campanha, dos valores da campanha e, em cima disso, começou a extorquir [dinheiro] do Mateus”.

Crimes investigados
Mateus vai responder por estelionato, tendo ele ludibriado as pessoas a doarem dinheiro para a campanha do filho e usá-lo para outro fim, com pena de um a cinco anos e multa. Também por abandono material, abandono da família e dois filhos menores, sem condições de prover seu devido sustento, com pena de um a quatro anos.

A Polícia Civil mineira investiga também o crime de lavagem de dinheiro. Ele está em apuração em um novo inquérito policial, diante da complexidade exigida para a sua comprovação, que passa pela análise de todas as transações bancárias realizadas nas contas da campanha, destinação do dinheiro, onde o mesmo foi empregado e de que forma o dinheiro estava sendo reinserido no mercado, com o intuito de aparentar ter sido obtido por meios lícitos. A pena para este crime varia de três a dez anos.

 

Justiça revoga prisão domiciliar e Abdelmassih voltará a cumprir pena em regime fechado


Ex-médico Abdelmassih — Foto: Reprodução/TV Globo

Ex-médico Abdelmassih — Foto: Reprodução/TV Globo

A Justiça de São Paulo revogou nesta quinta-feira (17) a prisão domiciliar do médico Roger Abdelmassih, condenado a 173 anos, seis meses e 18 dias de prisão acusado de abuso sexual de suas pacientes em uma clínica de reprodução. A decisão é da juíza Andreia Brandão, da 3ª Vara de Execuções Criminais de São Paulo.

O ex-médico foi autorizado a se tratar de um problema de saúde em casa. Mas uma nova perícia mostrou que ele pode fazer um tratamento médico ambulatorial na própria unidade prisional.

Em agosto, a Justiça havia determinado a internação do ex-médico em um hospital psiquiátrico para que fosse possível fazer um “laudo real” da situação de saúde dele, já que havia suspeita de fraude no laudo que permitiu que Abdelmassih cumprisse em prisão domiciliar.

Na ocasião, a prisão domiciliar foi suspensa temporariamente e ele foi levado de seu apartamento nos Jardins, em São Paulo, para o Hospital Penitenciário de Santana, na Zona Norte da capital, onde permanece internado até o momento.

Agora, pela decisão, a juíza Andreia Brandão diz que Abdelmassih tem condições de retornar à prisão e pode ser levado a qualquer momento para um presídio, onde permanecerá em regime fechado cumprindo a pena pela qual foi condenado.

A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) do Estado de São Paulo irá definir para que presídio Abdelmassih será levado. A possibilidade é que ele retorne ao presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, onde cumpriu parte da pena.

Justiça suspende prisão domiciliar de Roger Abdelmassih

Justiça suspende prisão domiciliar de Roger Abdelmassih

Suspeita de fraude

Abdelmassih tem 75 anos e estava há dois anos em prisão domiciliar devido a dificuldades de condições de saúde, problemas de coração e pressão alta.

Em agosto, Abdelmassih, que cumpria prisão domiciliar, foi levado ao hospital psiquiátrico sob suspeita de fraude.

A informação que temos é que ele deixava de tomar a medicação antes de passar a perícia oficial, o que alterava o resultado dos laudos. Eu vou partir da premissa e levar em consideração que o perito agiu com boa fé, e que foi induzido ao erro pelo estado clínico e a idade dele”, disse na ocasião o promotor Marcelo Orlando Mendes, da Vara da Execuções Penais de São Paulo, que acompanha o cumprimento da pena de Abdelmassih.

 

Mulher de 75 anos dá a luz a bebê; pai da criança tem 80 anos


Medina
Crédito da Foto: The Mirror/Caters News Agency

Uma mulher de 75 anos deu à luz uma menina no Hospital Kinker, em Rajasthan, na Índia. De acordo com informações foram divulgadas pelo jornal The Mirror na terça-feira (14/10), a mamãe é Prabha Devi e o pai, que não teve a identidade divulgada, tem 80 anos.

O casal conseguiu engravidar através de fertilização in vitro e o bebê passa bem. De acordo com o jornal, a criança nasceu prematura com apenas 30 semanas, pesando apenas 1,5 kg. A menina teve que ser colocada em uma encubadora assim que nasceu, mas já foi retirada do equipamento. Os pais informaram ao hospital que já tinham um filho, mas ele era adotado e queriam muito ter uma criança concebida por eles. Para isso, foi utilizada a fertilização em vitro.

A médica Abhilasha Kinker, ginecologista e obstetra que realizou o parto, disse ao jornal que a ideia era fazer o parto normal, mas os planos tiveram que ser mudados: “Realizamos a ultrassonografia Doppler e descobrimos que houve complicações em sua gravidez, então decidimos dar à luz a criança através de cesariana. Ela estava doente e velha e não podíamos arriscar”.

O parto foi realizado com a criança prematura pois o bebê corria risco de vida. “Ela já carregava a criança há mais de seis meses, o que foi muito surpreendente para a idade dela. Se não tivéssemos entregue o bebê, ela poderia ter morrido no útero”.

A médica informou ainda que havia o receio de que a mãe não conseguisse gerar o bebê nem sobreviver ao parto. “Foi surpreendente para mim. A idade dela era um fator e ela estava doente. Ela tem um pulmão em colapso, por isso foi uma operação muito desafiadora”.

Hoje: Assalto em alto calibre no Aeroporto de Viracopos deixou 2 feridos e fechou rodovia no interior de SP


Caminhões incendiados na rodovia Santos Dumont em Campinas durante assalto ao Aeroporto de Viracopos — Foto: Arquivo pessoal

 

O crime ocorreu no terminal de cargas e o aeroporto ficou fechado para pousos e decolagens das 10h às 10h20, segundo a administradora do complexo. As lojas também tiveram de ser fechadas.

A Rodovia Santos Dumont (SP-075) está interditada na altura do km 68, próximo ao aeroporto. Ao menos dois caminhões foram incendiado para fechar a rodovia e dificultar o trabalho da polícia. O bloqueio causou caos no trânsito.

Caminhões incendiados na rodovia Santos Dumont em Campinas durante assalto ao Aeroporto de Viracopos — Foto: Arquivo pessoal

 

 

Fumaça visível da Rodovia Santos Dumont (SP-75), em Campinas — Foto: Carina Rocco/EPTV

De longe dava pra vê a fumaça dos caminhões incendiados

Matéria na íntegra do G1.