(77) 99152-6666

Empreendedora baiana vence prêmio global da ONU


Medina
Crédito da Foto: PNUMA / UNEP

 

Em Nova York, na última quinta-feira (26/9). Criadora do Aqualuz – startup formada ao longo do programa Academic Working Capital do Instituto TIM -, ela é a primeira brasileira que recebe este prêmio.

Anna, junto com estudantes das Universidades Federais da Bahia e do Ceará, desenvolveu um sistema mecatrônico de filtragem baseada em luz solar. A solução busca resolver um problema muito comum no Nordeste do Brasil: a falta de acesso à água potável.

O filtro purifica a água da chuva coletada por cisternas de áreas rurais por meio de raios solares e um indicador muda de cor quando o consumo é seguro. O Aqualuz já distribui água potável para 265 pessoas e alcançará mais 700 ainda este ano.

Anna Luísa ficou entre os 35 finalistas globais e concorreu na categoria América Latina e Caribe com outros quatro jovens.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Idoso bate em moto, chora e é consolado pelo próprio motociclista


“O rapaz levantou e simplesmente abraçou o idoso. Aí o senhor começou a pedir perdão e começou a chorar”

Aconteceu em Manaus.Fabiano Ladislau, 27 anos, estava a caminho do trabalho nesta terça-feira, 24, quando viu que um motorista idoso acabava de bater o carro contra uma motocicleta. Fabiano começou imediatamente a filmar – e por uma razão bastante específica, de acordo com o que relatou ao site Sempre Família:

“Achei que o motoqueiro ia brigar com ele. O rapaz da moto ainda estava no chão e o senhor saiu do carro agoniado, com as mãos na cabeça. Fiquei bem preocupado com o que poderia acontecer”.

Mas a cena que ele acabou gravando foi muito diferente de tudo o que ele já tinha visto no trânsito:

“O rapaz levantou e simplesmente abraçou o idoso. Aí o senhor começou a pedir perdão e começou a chorar”.

Os dois retiraram seus veículos da pista e Fabiano fez questão de elogiar o motociclista:

“Baixei o vidro e o parabenizei. Ele me disse que tinha perdido seu pai aos oito anos de idade, então dava muito valor às pessoas mais velhas. E como ele falou isso chorando, me emocionei também”.

Fabiano compartilhou o vídeo com amigos via WhatsApp: bastaram poucos minutos para as imagens chegarem a um jornal local, circularem pelas redes sociais e fazerem milhares de outras pessoas também se emocionaram. Alguns comentários de internautas foram postados no perfil do jornal Manaus Alerta no Instagram:

“Pensei que isso não existia mais”

“Eu chorei aqui”.

Os envolvidos no acidente não tiveram seus nomes divulgados. Seus gestos, porém, disseram tudo o que havia para ser dito.

Fabiano é casado, tem três filhas e o quarto está a caminho. Ele acredita que a cena que testemunhou traz esperança:

“Principalmente para quem, como eu, faz o possível para transmitir esses valores aos filhos. Afinal, temos que ter respeito e amor por todos”.

 

Em presídio feminino no Pará, presas tiveram de sentar seminuas em formigueiro


Após inspeção, OAB paraense denuncia violações sistemáticas de direitos humanos de detentas em unidade de Ananindeua.

Foto Jornal GGN.

Numa matéria publicada no Jornal GGN, informa o seguinte: As detentas do Centro de Reeducação Feminino de Ananindeua, região metropolitana de Belém (PA), foram acordadas às 4 horas da manhã do dia 4 de setembro por homens da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP), em sua primeira intervenção no presídio.

Os agentes atiraram bombas dentro dos cárceres e aplicaram spray de pimenta nas detentas. Em seguida, as mulheres foram obrigadas a ficar de roupa íntima, algumas tiveram que ficar completamente nuas. Depois, em procedimento, foram obrigadas a sentar no chão com as mãos na cabeça e receberam golpes de cassetete nas pernas e braços. Algumas foram arrastadas. Durante o tempo em que ficaram nessa posição, as mulheres foram privadas de água e receberam apenas uma alimentação por volta das 17h, após 13 horas.

A FTIP – convocada após o massacre ocorrido no Centro de Recuperação de Altamira, no sudeste do Pará, onde 58 pessoas morreram – também foi responsável por manter 80 detentas em uma única cela. Devido aos maus tratos, há relatos de presas que chegaram a desmaiar e elas contam que quem desmaiava era acordada com spray de pimenta nos olhos.

“Vocês vão morrer”, ameaçavam os agentes. Nas semanas seguintes, as mulheres usaram, somente, roupas íntimas por dois dias da mesma forma a que foram submetidos os homens do Centro de Recuperação de Altamiraque passaram uma semana usando, apenas, cueca.

Foram sete dias, sem fazer higiene pessoal. A comida ofertada vinha estava azeda ou crua ou malcozida e elas bebiamm água da torneira. Há relatos de presas que menstruaram no próprio uniforme, porque não havia absorvente.

As violações de direitos humanos descritas acima constam no Relatório de Inspeção Carcerária do Centro de Reeducação Feminino de Ananindeua.

O documento elaborado pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Pará foi divulgado na última sexta-feira (20).

Humilhação, espancamento com cassetetes e socos são práticas descritas pelas presas como comuns por parte dos homens da FTIP. As presas entrevistadas apresentavam, em sua maioria, hematomas nos braços e pernas, algumas com marcas que sugerem que elas haviam sido arrastadas no chão.

Em meio à violência, presas permaneceram completamente nuas por horas (Foto: CDH/OAB-PA)

Tortura “sinistra”

A força-tarefa, composta por agentes prisionais federais, foi autorizada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, a pedido do governador Helder Barbalho (MDB). Inicialmente, seria mantida por 30 dias, mas teve seu prazo prorrogado até o dia 27 de outubro.

A ideia era que os homens atuassem em atividades de guarda, vigilância e custódia de presos. Mas no presídio de Ananindeua, os relatos são de tortura e violação de direitos humanos

O relatório da OAB foi feito com base em uma inspeção realizada nos dias 11 e 12 de setembro. As mulheres tinham hematomas, além de irritações na pele provocadas pelas cargas excessivas de spray de pimenta a que foram submetidas.

A maior parte dos hematomas foram provocados nos braços e pernas, partes que ficaram expostas enquanto as mulheres estavam sentadas no chão com as mãos atrás da cabeça. De acordo com o documento, as presas ficaram nessa posição por aproximadamente cinco horas e receberam golpes de cacete pelo corpo sem poder reagir.

A pedido da CDH, 64 mulheres foram levadas até o Instituto Médico Legal Renato Chaves (IML) para exame de corpo de delito.

A  Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) afirmou em nota que os laudos periciais não constataram sinais de tortura ou qualquer tipo de violência.

O representante da CDH José Maria Vieira afirma que não há dúvidas de que as mulheres foram submetidas a agressões sucessivas e que a mecânica com a qual o exame é realizado é ineficiente. Ele acrescenta o fato de que o exame foi realizado mais de uma semana depois das agressões.

“Vamos cobrar as responsabilidades individuais pelas agressões. Conseguimos encaminhar 30 detentas para o exame de corpo delito no primeiro dia e 34 no segundo. Mas o que acontece? Aqui no estado do Pará há um quesito obrigatório no IML para que o perito diga se houve ou não tortura. Então, os laudos dizem que tem lesão, mas não tem tortura. Entretanto, eles não têm treinamento para dizer isso e algumas lesões foram feitas mais de oito dias antes, algumas lesões já tinham diminuído de tamanho, mas eram bem evidentes e a tortura não é apenas física ela é também psicológica. Mas elas ocorreram e foram sinistras e complicadas e elas foram documentadas”, afirma.

Uma análise dos laudos – especificamente do item “ofensa à integridade corporal ou saúde da periciada relacionada ao fato em apuração” – constata que o médico legista, Roberto Soares Hage, aponta que sim, houve ofensa à integridade corporal ou a saúde de diversas detentas.

Leia também:  Gênero e educação: fortalecendo uma agenda para as politicas educacionais

As informações disponibilizadas pela Susipe trazem dados de apenas 55 das 64 detentas que foram encaminhadas pela OAB para perícia. Em 23 mulheres foram constatados algum tipo de agressão resultando em hematomas derivados de espancamento por cassetete, socos e há também relato de escoriações de uma presa que possivelmente foi arrastada.

Em oito detentas, o laudo aponta “não temos elementos suficientes para negar ou afirmar a ofensa”, mas nestes o médico descreve a presença de escoriações arroxeadas, azuladas ou ainda dor relatada pela detenta durante o exame.

Em 24 mulheres, não foram identificados lesões aparentes. Oito delas não tiveram o laudo divulgado.

 A lei 9.455 de 7 de abril de 1977 considera tortura constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça causando-lhe sofrimento físico ou mental. (Fotos: CDH/OAB-PA) 

Pimenta no olhos e apanhar de cassetete é tortura?

Segundo o artigo 1 da lei nº 9.455, de 1997, tortura é “constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental”. A Susipe e o Departamento Penitenciário Nacional (DPEN) dizem que não, que não houve tortura. As detentas dizem o contrário e as lesões confirmam agressões.

Com informação do GGN.

Fique por dentro: Com Bolsonaro, dívida púbica federal ultrapassa barreira dos R$ 4 tri pela primeira vez na história


Estoque da dívida pública federal (DPF) subiu 2,03% em agosto, atingindo R$ 4,074 trilhões – é a primeira vez que o endividamento ultrapassa os R$ 4 trilhões. Em julho, o estoque estava em R$ 3,993 trilhões.

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Marcela Ayres, Reuters – A dívida pública federal do Brasil cresceu 2,03% em agosto sobre julho, ultrapassando a barreira dos 4 trilhões de reais pela primeira vez, mas ainda fora do piso estabelecido pelo governo como meta para o ano.

Segundo o Tesouro Nacional informou nesta quinta-feira, a dívida chegou a 4,074 trilhões de reais no último mês. Para 2019, a meta no Plano Anual de Financiamento (PAF) é de um estoque da dívida entre 4,1 trilhões a 4,3 trilhões de reais.

Entre agosto e julho, a dívida pública mobiliária interna teve alta de 1,74%, a 3,913 trilhões de reais, em função da emissão líquida de 39,94 bilhões de reais e apropriação positiva de juros de 27,02 bilhões de reais.

Já a dívida externa saltou 9,55%, encerrando o mês em 160,87 bilhões de reais.

Em agosto, o dólar teve valorização de 8,51%, num período marcado por grande volatilidade nos mercados domésticos de câmbio, tendo de pano de fundo as disputas comercias entre EUA e China, as incertezas político-econômicas na Argentina, além das novas atuações do Banco Central no mercado com leilões de swap reverso e venda de dólar à vista.

COMPOSIÇÃO

Em agosto, os títulos remunerados por taxa flutuante continuaram com maior peso na dívida, a 38,35% do total, sobre 38,37% em julho. Para o ano, a meta é de 38% a 42%.

Já os títulos prefixados avançaram a 31,44% da dívida, ante 31,05% no mês anterior, e uma meta de 29% a 33% para 2019.

Os papéis indexados à inflação, por sua vez, diminuíram sua representatividade a 26,06% da dívida total, ante 26,73% em julho, sendo que a referência para este ano é de 24% a 28%.

Os títulos atrelados ao câmbio subiram a 4,15% da dívida, contra 3,85% em julho, mas ainda dentro da banda de 3% a 7% para 2019.

Com informação do 247.

Bolsonaro quer acabar o maior centro de formação do MST no Nordeste


Através do Incra, governo Bolsonaro conseguiu decisão favorável da Justiça Federal para ação de despejo do maior centro de formação nordestino do MST, em Caruaru, interior de Pernambuco. O governador Paulo Câmara (PSB-PE) já se articula para tentar reverter a decisão e informou que não pretende usar a força policial para auxiliar na reintegração de posse, caso não se encontre uma saída. 

Batizado com o nome do educador pernambucano Paulo Freire, o centro de formação, que já funciona há 20 anos, faz parte do assentamento Normandia . O local conta com três agroindústrias, 52 alojamentos, salas de aula, auditório para 700 pessoas, centro comunitário, quadra esportiva, academia pública para atividades físicas, creche e refeitório.

A orientação do governador do Estado é de que o processo não seja executado. O MST montou acampamento no local com 1.500 pessoas e espera dobrar a quantidade até o final desta semana. “Vamos resistir”, disse Jaime Amorim, um dos coordenadores nacionais do movimento.

Com informação do Nocaute

Candidato a embaixador, Eduardo Bolsonaro publica foto falsa de Greta


Eduardo Bolsonaro; foto de Greta manipulada e foto original.

De acordo à matéria do 247, em mais uma demonstração de que não tem a menor condição de ser embaixador, e nem mesmo parlamentar, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) espalhou mais uma vez fake news em suas redes, dessa vez para atacar a ativista Greta Thumberg, jovem, de apenas 16 anos, que trava uma batalha mundial em defesa do meio ambiente.

Eduardo postou uma montagem onde Greta encontra-se em um vagão de trem e, do lado de fora, crianças em situação de miséria observam a garota com olhar triste. No entanto, na foto original, existe apenas um fundo com uma floresta

Além de Bolsonaro,  Greta vem sofrendo diversos ataques da extrema-direita. Rodrigo Constantino chegou a chamá-la de “retarda” pelo fato da jovem possuir Síndrome de Asperger, transtorno de desenvolvimento que afeta a capacidade de se socializar e de se comunicar com eficiência. Fonte 247.

Veja a foto original: 

A foto abaixo foi manipulada, segundo o Brasil 247, por Eduardo Bolsonaro. Agora o que se pode imaginar durante a campanha?

 

Candidato dos bilionários, Luciano Huck já fala em deixar a Globo para disputar presidência


Candidato dos bilionários, Luciano Huck reuniu-se na segunda da semana passada com um time do PSDB, do DEM e do Cidadania para comunicar sua disposição em concorrer ao cargo de presidente em 2022. De acordo com o apresentador de TV, muito provavelmente a Globo será contra sua permanência nos quadros da emissora assim que anunciar a candidatura.

 

Luciano Huck reuniu-se na segunda da semana passada com um time do PSDB, do DEM e do Cidadania para comunicar sua disposição em concorrer ao cargo de presidente em 2022. As informações são do blogueiro Tales Faria no UOL.

A pergunta que fica é: O que tem a ver um apresentador de programa de televisão que nunca se interessou em entrar na política, já querer ser presidente da república? Será que se aproveita da fama para se eleger, ou será que se preocupa realmente com os problemas brasileiros e quer tentar solucionar? Mas por que não pensou, antes, numa carreira de deputado, por exemplo? Quanto a ser eleito, nada é impossível. Como disse outro dia o Gleen do site Intercept, quando perguntado se o Moro teria chance de se eleger caso venha ser candidato em 2022, a resposta foi que sim, “quando vi o Bolsonaro ser eleito, percebi que no Brasil qualquer um pode ser”! A mesma coisa é com o Luciano. Começa a reformar casas para um ou outro, mas com as câmeras encima, e ainda vem arrumando as “latas velhas”, nesse país é o suficiente para ganhar as eleições. Ultimo paragrafo Cafe com Leite Notícias.

Vaza Jato: ministro do STF atuou como orientador de Dallagnol


egundo as conversas obtidas pelo site The Intercept Brasil, o procurador teria acesso privilegiado a Luís Roberto Barroso, a quem recorreu para pedir conselhos

[Vaza Jato: ministro do STF atuou como orientador de Dallagnol]
Foto : José Cruz/Agência Brasil

Diálogos analisados e divulgados hoje (25) pelo site The Intercept Brasil em parceria com o jornalista Reinaldo Azevedo apontam que o procurador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, têm relações muito próximas. Barroso chega a se comportar como uma espécie de “tutor” de Dallagnol.

As conversas apontam que a proximidade parece ter se estabelecido numa viagem que os dois fizeram a Oxford, em 2016. Dallagnol teria acesso privilegiado ao magistrado, a quem recorreu para pedir conselhos. Há diálogos em que o procurador de primeira instância também aconselha o tutor.

Uma das conversas aponta que, pouco depois da morte do ministro Teori Zavascki, relator do “petrolão” no STF, integrantes da Lava Jato iniciaram uma articulação para que Barroso assumisse o posto. O magistrado chegou a conversar a respeito do assunto com Dallagnol, representante do órgão acusador. A estratégia, como revelam os diálogos, incluía mobilizar aliados na imprensa para plantar informações e “queimar” nomes. O grupo queria evitar a todo custo que a relatoria caísse nas mãos de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski ou Dias Toffoli.

Dallagnol e Barroso também conversaram sobre o indulto de Natal editado pelo presidente Michel Temer, que foi parcialmente suspenso pela então presidente do STF, ministra Carmen Lúcia. Veja a íntegra dos diálogos.

Fonte Metrô1.

Paulo Coelho diz que, mesmo correndo o risco de perder leitores, criticar Bolsonaro é um compromisso histórico


O escritor afirmou ainda que sentiu uma certa inveja de Felipe Neto, que distribuiu livros na Bienal: “eu queria ter tido essa ideia”

Um dos esportes nacionais: atacar, vilipendiar, desprezar e achincalhar Paulo Coelho (Foto site oficial)

 O escritor Paulo Coelho, afirmou em entrevista à BBC, publicada nesta quarta-feira (25) que, ao dizer o que pensa sobre Jair Bolsonaro está cumprindo um “compromisso histórico”. “O compromisso histórico é não ficar calado. Eu tenho que falar. Vou perder leitores? Vou. Tenho perdido? Devo estar perdendo? Não sei. Eu não fico contabilizando”, diz, enquanto a esposa Christina Oiticica, que acompanha a entrevista, assente com um leve gesto de aprovação.

Paulo Coelho, que vive em Genebra, disse que “as pessoas ficam muito constrangidas em perguntar sobre o Brasil. Elas não perguntam. Eu tenho que dar uma entrada para as pessoas perguntarem. Eles vêm e dizem: ‘Ah, pois é, você viu que ele ofendeu a primeira-dama francesa’. Aí eu tenho que falar alguma coisa. Mas eu procuro evitar a conversa Brasil porque eu não posso no momento falar bem do meu país, e falar mal é muito chato”, revelou.

O escritor disse ainda que, aos 72 anos nunca viu nada igual. “Eu já vivi ditadura, democracia, muitas fases do Brasil, mas nunca vi o que está acontecendo agora. É um delírio. Necessitava (Howard Phillips) Lovecraft, um escritor de ficção científica, para descrever o Brasil. Fico muito triste com o que está acontecendo”.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro compartilha vídeo em que príncipe-deputado pede nova Constituição

Para Paulo Coelho, parece que o Brasil virou um Estado de negação. “As pessoas negam a realidade. ‘Ah, vou me fechar aqui e não quero ver o que está acontecendo’. Isso é muito triste. Veja, você tem um chanceler, Ernesto Araújo, que é um cara completamente despreparado. Não tem maturidade, não tem experiência, não tem nada que justifique a posição que ocupa. E o cara diz qualquer coisa. ‘Ah, eu fui à Itália, estava frio, então não tem aquecimento global’. Meu amigo, um dos sintomas do aquecimento global é o frio”, ensina.

Felipe Neto

O escritor mais traduzido do mundo revelou também que ficou com uma certa inveja do Felipe Neto, quando o blogueiro comprou 10 mil exemplares de livros com a temática LGBT e distribuiu na Bienal do Livro. “Não só elogiei, senti uma certa inveja positiva. Disse: porra, o cara teve essa ideia e eu não tive. Eu disse, porra, eu queria ter tido essa ideia. Mas aí ele começou a ser ameaçado. E eu resolvi me posicionar para que a pessoa seja defendida. Na época da repressão, digo no governo militar, quando as pessoas eram presas, elas eram agarradas na rua, sei lá, em qualquer lugar, e elas tinham que gritar o nome para que todo mundo soubesse que a pessoa estava sendo presa. Porque uma vez que as pessoas sabem, isso já é um escudo de proteção. A mesma coisa valia para o Felipe Neto. Não vamos deixar que as coisas sejam assim, não”.

Fonte desta matéria  Fórum clik 

 

 

 

Prefeitura de Porto Seguro divulga edital de concurso com remuneração de até R$ 8,3 mil


As oportunidades são para Ensino Médio, Médio Técnico e Superior

[Prefeitura de Porto Seguro divulga edital de concurso com remuneração de até R$ 8,3 mil]
Foto : Ascom/ Prefeitura de Porto Seguro

 

A prefeitura municipal da cidade de Porto Seguro, sul da Bahia, divulgou o edital de abertura de concurso para 579 vagas imediatas e 1.487 para o cadastro de reserva. As inscrições começam no próximo dia 30 e vão até o dia 27 de outubro, no portal do Instituto Brasil de Educação.

As oportunidades são para Ensino Médio, Médio Técnico e Superior. A remuneração varia de R$ 1.250 à R$ 8.333,60.

Entre os cargos de nível superior estão arquitetos, assistentes sociais, biólogo, enfermeiros, engenheiros, médicos, professores e psicólogos, além das vagas de nível médio, como agente de combate às endemias, agente comunitário de saúde, agente de trânsito e auxiliar de classe. O quadro completo de vagas está no edital.

A taxa de inscrição varia de acordo com o cargo pretendido. Para ensino médio, é de R$ 60, para Ensino Médio Técnico, R$ 70, para médico e médico do trabalho: R$ 150; procurador: R$ 110; professores e pedagogo, R$ 60. As inscrições para os demais cargos de ensino superior custam R$ 100.

A data provável da prova é 1º de dezembro de 2019.

Com informação do Metro1.

A menina que tinha tudo para ficar em silêncio, mas decidiu soltar a voz e se tornou um “perigo”. Por Moisés Mendes


Greta Thunberg. Foto: Reprodução site UN

Publicado originalmente no site Extra Classe

POR MOISÉS MENDES

Poucos adultos são tão perigosos hoje no mundo todo quanto essa menina da foto. A sueca Greta Thunberg, de 16 anos, alerta para a destruição da Terra e da humanidade, conspira contra negócios, crenças, interesses e crimes cometidos em nome do progresso.

Tornou-se ainda mais perigosa porque agora discursa na ONU. E descobriram que sua ameaça foi ampliada por uma notícia disseminada como difamação: Greta é portadora da Síndrome de Asperger.

Ela nunca escondeu a informação, mas seus algozes a exploram de forma espalhafatosa. Pela descrição bem resumida e genérica do que é a síndrome, Greta deveria ter deficiências com interação com outras pessoas, com a manifestação de sentimentos e até com a expressão verbal.

O mundo dessas pessoas, em alguns casos, é quase fechado em si mesmo. A síndrome é uma espécie de autismo e poderia fazer com que a sueca, mesmo sendo muito inteligente, estivesse resguardada em seu planeta particular. E Greta faz o contrário.

O planeta da sueca é o nosso, o que muita gente não quer ver, esse mundo a caminho da destruição pela ganância, pela indiferença e pela ignorância.

Greta disse na ONU, dirigindo-se sempre aos adultos: “Aqui e agora é onde demarcamos o limite. O mundo está acordando e as mudanças virão, gostem vocês ou não”.

Milhões não gostam. A direita acionou suas vozes ma política, na imprensa e nas redes sociais para que depreciem Greta. Se possível, que a desqualifiquem, como fizeram com todos os líderes pacifistas.

Gandhi e Luther King, por exemplo. Os dois foram seres imperfeitos, com muitos defeitos, apesar de alguns acharem que seriam inatacáveis. Mas atacavam um e outro com o moralismo da época, que se reproduz hoje com o mesmo formato e a mesma virulência.

Gandhi e Luther King seriam machistas e, ao mesmo tempo, seriam gays. Ser gay, na primeira metade do século 20, era um defeito ou uma doença, segundo o mundo dos reacionários. No Brasil do bolsonarismo, continua sendo.

Greta teria, nessa mesma linha de raciocínio, o defeito de ser portadora de uma síndrome. Se é diferente, se vê o mundo de um jeito especial, se ataca o dinheiro e o capitalismo, pode ser perigosa. Porque não seria uma menina normal.

O radicalismo de Greta deveria, dizem eles, ser substituído por um discurso mais moderado, por uma conversa mais liberal. Mas não há retorno. Ela advertiu em Nova York que entrou numa guerra.

“Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias e eu ainda tenho sorte. Pessoas estão sofrendo. Pessoas estão morrendo”, disse a adolescente.

É a verdade jogada na cara dos defensores do crescimento a qualquer custo, incluindo os brasileiros que seguem seu líder da extrema direita. Por isso, é natural que os predadores reajam.

Mas saber que eles contam com a adesão de jornalistas é constrangedor demais. O jornalismo que apoia Bolsonaro está empenhado em destruir Greta, antes que ela mobilize as crianças e os adolescentes e ajude a evitar a destruição do mundo.

Mas os reacionários radicais, que se juntaram a Bolsonaro para atacar até Raoni, terão de aguentar a radicalidade de Greta. Um dia ela disse: ser diferente pode ser um superpoder. Que seja.

Fonte desta matéria DCM.

Putin declara apoio a Maduro e se diz pronto a impedir golpe de Trump


O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou durante o encontro com o líder venezuelano, Nicolás Maduro, que a Rússia apoia o governo legítimo da Venezuela e juntos vão enfrentar tentativa de golpe de Trump.

(Foto: Reuters)

De acordo à matéria do 247, o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou em encontro com o líder venezuelano, Nicolás Maduro, que a Rússia apoia o governo legítimo da Venezuela.

Além disso, o presidente russo apoiou o diálogo com a oposição e reforçou que a rejeição do diálogo seria prejudicial e irracional.  “A Rússia apoia de forma consequente todos os órgãos legítimos da Venezuela, incluindo a instituição presidencial e o parlamento. Além disso, apoiamos o diálogo que você, senhor presidente, e o governo mantêm com a oposição. Consideramos qualquer recusa em dialogar como irracional, prejudicial ao país e uma ameaça ao bem-estar da população”, afirmou Putin.

Por sua vez, o presidente venezuelano afirmou que Moscou e Caracas “provaram que em conjunto podem superar quaisquer dificuldades”. Fonte 247.

Em discurso que remete à guerra fria, Bolsonaro ataca comunismo, Cuba, Venezuela, França e mídia na ONU


Bolsonaro discursou na abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira (24) após ser recebido com protestos em Nova York

Bolsonaro em discurso na ONU (Reprodução/Youtube)

Bastante nervoso e demonstrando certa irritação, Jair Bolsonaro discursou na abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York nesta terça-feira (24) atacando o comunismo e o Foro de São Paulo, “criado por Fidel, Lula e Chavez” nos anos 90, e criticando as declarações do presidente francês, Emmanuel Macron, que segundo ele fere a “soberania brasileira” ao propor intervenções na Amazônia.

“O Foro de São Paulo, organização criminosa criada em 1990 por Fidel Castro, Lula e Hugo Chávez para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser combatido”, disse Bolsonaro.

Citando a youtuber indígena Ysany Kalapalo, Bolsonaro afirmou que o governo dele tem “compromisso solene” com a preservação do meio ambiente.

Veja também:  Acusado de vender sentenças no RJ, desembargador é alvo de operação da PF

“Nesta época do ano, o clima seco e os ventos favorecem queimadas espontâneas e criminosas. Vale ressaltar que existem também queimadas praticadas por índios e populações locais, como parte de sua respectiva cultura e forma de sobrevivência”.

O presidente brasileiro  citou os “ataques sensacionalistas” da mídia internacional, que teriam influenciado governos, como o francês – sem mencionar nomes -, contra o Brasil

“Problemas, qualquer país os tem. Os ataques sensacionalistas que sofremos da mídia internacional por causa dos focos de incêndio despertaram o nosso patriotismo”, disse.

Segundo Bolsonaro, a mídia propaga duas falácias, em dizer que “Amazônia é patrimônio da humanidade e que é pulmão do mundo”.

“Valendo-se dessas falácias, um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa, com espírito colonialista”, disse Bolsonaro, antes de agradecer a Donald Trump, que ficou de fora, no saguão dando entrevista.

“Agradeço àqueles que não aceitaram levar adiante essa absurda proposta. Em especial, ao Presidente Donald Trump, que bem sintetizou o espirito que deve reinar entre os países da ONU: respeito à liberdade e à soberania de cada um de nós”.

Bolsonaro foi recebido em Nova Iorque, na véspera da abertura da Assembleia Geral da ONU, com manifestações contra sua política ambiental complacente com as queimadas na Floresta Amazônica.

A ida do presidente à ONU foi colocada em dúvida diversas vezes devido ao grande número de críticas que Bolsonaro tem recebido no exterior por conta de sua política ambiental considerada complacente com a devastação da Floresta Amazônica.

As previsões do presidente não poderiam ser mais acertadas. Logo que chegou ao hotel InterContinental The Barclay, um dos mais luxuosos de Nova Iorque, Bolsonaro enfrentou um grupo de manifestantes que se concentrou ao lado da entrada principal do edifício. Sob gritos de “Amazônia sim, Bolsonaro não”, ele entrou às pressas na recepção.

Na tentativa de acalmar os ânimos, Bolsonaro usou um colar indígena ao sair do hotel para jantar. Segundo o Palácio do Planalto, o adereço foi um presente da youtuber indígena Ysani Kalapalo, da aldeia Tehuhungu, do Mato Grosso, que foi convidada para integrar a comitiva brasileira na viagem

Com informação da Fórum.

 

Ex-secretário de Alckmin defende Carlos Bolsonaro: “Para fazer as coisas rápido, a ditadura é o melhor regime”


O chefe manda, obedece quem tem juízo. Com isso, as ditaduras podem conquistar bons resultados no campo do desenvolvimento econômico”, relata o jornalista Carlos Graieb, que também foi editor executivo da Veja

Carlos Graieb em tempos de Veja, com Joice Hasselmann, e Carlos Bolsonaro (Reprodução)

Ex-secretário de Comunicação do governo Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, o jornalista Carlos Graieb, que também atuou como editor executivo da revista Veja, saiu em defesa do vereador licenciado Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) em artigo publicado no portal R7, do grupo Record, em que diz que “para fazer as coisas rápido, a ditadura é o melhor regime”.

“Quando se trata de fazer as coisas rápido, não existe regime melhor do que a ditadura. Elas são superiores à democracia na sua capacidade de implementar projetos, porque não precisam convencer ninguém, nem criar coalizões. O chefe manda, obedece quem tem juízo. Com isso, as ditaduras podem conquistar bons resultados no campo do desenvolvimento econômico”, diz o jornalista, que atualmente se define como “Head Of Public Affairs and Advocacy” nas redes sociais, citando exemplos, “a começar pelo Brasil dos anos 1970”.

Para Graieb, em seu artigo no portal do grupo capitaneado por Edir Macedo, democracias “não primam pela eficiência”.

“Elas permitem que haja trocas de poder sem guerra civil. E impedem que diferenças de opinião sejam resolvidas na base da violência ou da repressão. Democracia, disse alguém, é antes de tudo aquele regime em que se alguém bate na sua porta de madrugada, pode até ser má notícia, mas não será a polícia secreta. O preço a pagar é uma certa lentidão”, relata o ex-Veja, antes de dar um “conselho” ao filho de Jair Bolsonaro.

“Ao ler a queixa de Carlos Bolsonaro nas redes sociais, lembrei de um bordão que meu velho pai usava quando eu ficava impaciente. Não sei qual é a origem, mas não me surpreenderia se fosse coisa do período militar. Sugiro ao Carlos, meu xará: Calma, que o Brasil é nosso”. Fórum.

Presidenta do Congresso dos EUA pede impeachment de Trump


URGENTE: “O Presidente deve ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei”, declarou Nancy em sessão no Congresso

Bolsonaro e Trump (Foto: Alan Santos/PR)

Depois de meses de especulações, o Congresso dos Estados Unidos vai iniciar um processo de impeachment contra o presidente Donald Trump. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (24) pela presidenta da Casa dos Representantes, Nancy Pelosi, e envolve uma ligação telefônica feita por Trump ao presidente da Ucrânia com o objetivo de atingir Joe Biden, pré-candidato à Presidência pelo Partido Democrata.

“O Presidente deve ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei”, declarou Nancy em sessão no Congresso, segundo a CNN.

Na ligação, feita no dia 25 de julho, Trump pedia ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, que o país investigasse os negócios de Hunter Biden, filho de Joe Biden. Após uma suposta negativa, o estadunidense suspendeu 400 milhões de dólares em ajuda miliar aos ucranianos, como forma de pressionar o governante a atender a suas ordens. Caso contrário, perderiam o suporte dos EUA no enfrentamento com a Rússia.

Hunter atuou como diretor de uma companhia de gás no país enquanto Joe Biden era vice-presidente dos Estados Unidos. Trump alega que houve atos de corrupção na relação entre EUA e Ucrânia quando Biden ocupava o posto e tem cobrado investigações. Os democratas argumentam que a conversa é desvio de finalidade, uma das motivações para um impedimento no país.

“O Congresso determinou a ajuda. O presidente a reteve porque queria pressionar uma potência estrangeira para investigar seu oponente político. O único remédio para isso é o impeachment. Ponto”, declarou a deputada democrata Pramila Jayapal, integrante do Comitê de Justiça (HJC) da casa.

O rito não está bem definido, mas alguns congressistas, como Jayapal, são contra a criação de uma comissão especial para a análise do pedido e defendem que o HJC seja responsável pela investigação. A pré-candidata à Presidência pelo Partido Democrata, Alexandria Ocasio-Cortez, concorda: “É uma emergência. Não temos tempo de nos dar ao luxo de criar outro comitê. O Judiciário investiga e reúne as provas há meses. O impeachment pertence a eles. Devemos honrar a jurisdição, o precedente histórico e o trabalho realizado para permitir que o Judiciário avance”, tuitou.

Pouco antes do anúncio, o presidente Donald Trump, que participou mais cedo da Assembleia Geral da ONU e apertou a mão de Jair Bolsonaro, declarou que disponibilizará a íntegra da conversa telefônica nesta quarta-feira. “Autorizei a liberação da transcrição completa da minha conversa telefônica com o Presidente Zelensky. Vocês verão que foi uma ligação muito amigável e totalmente apropriada”, declarou.

Questionado, mais cedo sobre a possibilidade do impeachment, ele declarou que acha “ridículo e inapropriado” e crê que a motivação é a eleição deste ano. “Isso nunca aconteceu com um presidente antes. Isso é sem sentido. […] Não houve pressão”, declarou. Os EUA nunca derrubaram um presidente por meio de impeachment, apesar de Richard Nixon ter renunciado com o avançar de um processo.

Elizabeth Warren, pré-candidata democrata à presidência, defendeu a abertura do processo. “Ninguém está acima da lei – nem mesmo o presidente dos Estados Unidos. O Congresso tem autoridade constitucional e responsabilidade de responsabilizar o presidente. Isso não é sobre política, é sobre princípio. Temos de iniciar um processo de impeachment”, tuitou

Com informação da Fórum.