Menina que nasceu ano passado com 340 gramas, teve alta pesando seis kg


Greice Kelly e Rafaella - Foto: Maternidade São Luiz/divulgação

 

A menina Rafaella, que nasceu, em 28 de março de 2017 com apenas 340 gramas, finalmente teve alta do hospital.

Na semana passada, prestes a completar 10 meses, Rafaella deixou o Hospital São Luiz e se tornou a menor bebê nascida no Brasil a sobreviver, segundo a equipe médica.

Ela cabia nas palmas das mãos ou “numa caixinha de sapato, com espaço sobrando ainda”, disse a mãe, a operadora de telemarketing Greice Kelly Amaral, de 30 anos, ao Estadão.

O irmão gêmeo dela já havia ido para casa bem antes: aos 6 meses de vida. A menina foi liberada pelos médicos após alcançar surpreendentes 6,6 quilos e melhorar a capacidade pulmonar.

“Ela ainda está com um suporte de oxigênio e uma sonda de alimentação, mas não são coisas permanentes”, conta a mãe.

“A primeira vez que minha filha me viu chorar foi quando ela teve alta. Mesmo com todas as dificuldades, eu não chorava na frente dela porque achava que não ia fazer bem, que eu precisava demonstrar força. Fico feliz que as primeiras lágrimas que ela viu no meu rosto tenham sido de felicidade”, contou a mãe.

História

Durante a gravidez, a paulistana foi diagnosticada com uma doença rara que enfraquece os músculos, a dermatomiosite.

Descobriu ainda que o problema de saúde prejudicava o andamento da gestação: uma das crianças – a gravidez era de gêmeos – tinha baixo peso e redução do fluxo sanguíneo na placenta. O outro bebê, Hulisses, se desenvolvia normalmente.

Ao completar cinco meses de gravidez, já internada por causa da doença e das complicações, Greice foi informada pela equipe médica que teria de fazer uma escolha difícil.

“Ou eu prosseguia a gestação para dar maiores chances ao Hulisses, mas com grande risco de a Rafaella morrer na minha barriga, ou eu tirava os dois e entregava na mão de Deus”, conta a mãe.

“Não pensei duas vezes. Nem liguei para o meu marido para perguntar. Decidi fazer a cesárea dos dois porque eu não ia desistir da minha filha”, relata.

O parto foi feito. Hulisses nasceu com 720 gramas, peso esperado para a idade gestacional.

Rafaella, porém, veio ao mundo com apenas 340 gramas, condição dramática, segundo os médicos.

“É rara a sobrevida de bebês com menos de 400 gramas. A taxa de sobrevivência não passa de 5%”, diz Graziela Del Ben, médica chefe da UTI neonatal do Hospital São Luiz, onde a bebê nasceu. Após anúncios continue lendo a matéria.

Tensão

A mãe relembra a tensão dos primeiros dias.

“Os médicos falaram que as 48 horas iniciais eram cruciais porque é nesse período que muitos prematuros não resistem. Ela sobreviveu e no primeiro mês teve duas paradas cardíacas. Era tão frágil que fraturou os dois braços e uma perna ao se movimentar muito na incubadora. A gente ia para casa com medo de ela não estar viva no dia seguinte.”

Ao longo dos meses, porém, Rafaella foi mostrando que poderia ser uma exceção às estatísticas.

Passadas as semanas iniciais, foi ganhando peso e deixando a família mais esperançosa.

“O aspecto mais crítico era o respiratório. O pulmão era muito imaturo. Aos três meses, ela saiu da intubação. Aos poucos, foi evoluindo”, conta a médica.

“Nosso desafio era monitorar essa parte respiratória, fazer de tudo para ela não perder calor e trabalhar com manipulação mínima da criança”, conta.

O contato físico com o bebê tinha de ser tão criterioso que a mãe só pôde segurá-la nos braços quando ela tinha seis meses.

Com informações do Notícia boa.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

353 casos de Febre Amarela no Brasil com 88 óbitos


 

Balanço do Ministério da Saúde divulgado hoje (7) atualiza em 353 o número de casos confirmados de febre amarela e em 98 os óbitos provocados pela doença entre 1º de julho de 2017 e 6 de fevereiro deste ano. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 509 casos e 159 óbitos.

De acordo com o boletim, foram notificados em todo o país 1.286 casos suspeitos de febre amarela, sendo que 510 foram descartados e 423 permanecem em investigação.

“Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano”, informou a pasta.

Transmissão

Por meio de nota, o ministério reforçou que não há registro confirmado de febre amarela urbana no país, mas destacou que o caso da doença identificado em São Bernardo do Campo (SP) está sendo investigado por uma equipe da secretaria Estadual de Saúde.

“Deve ser observado que o paciente mora na região urbana e possivelmente trabalha na área rural. Qualquer afirmação antes da conclusão do trabalho é precipitada. É importante informar que São Bernardo do Campo (SP) é uma das 77 cidades dos três estados do país (São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) incluídas na campanha de fracionamento da vacina de febre amarela.”

De acordo com o comunicado, a probabilidade da transmissão urbana no Brasil é considerada baixíssima pelos seguintes motivos:

– todas as investigações dos casos conduzidas até o momento indicam exposição a áreas de matas;

– em todos os locais onde ocorreram casos humanos também ocorreram casos em macacos;

– todas as ações de vigilância entomológica, com capturas de vetores urbanos e silvestres, não encontraram presença do vírus em mosquitos do gênero Aedes aegypti;

– Há um programa nacionalmente estabelecido de controle do Aedes em função de outras arboviroses (dengue, zika, chikungunya), que consegue manter níveis de infestação abaixo daquilo que os estudos consideram necessário para sustentar uma transmissão urbana de febre amarela.

“Além disso, há boas coberturas vacinais nas áreas de recomendação de vacina e uma vigilância muito sensível para detectar precocemente a circulação do vírus em novas áreas para adotar a vacinação oportunamente”, informou a pasta.

 

 

Ex-aluna de escola pública tira nota mil na redação do Enem e passa em medicina na UFRJ: ‘filha de pobre também pode ser médica’


Beatriz Servilha estuda Libras há dois anos e conta que chorou ao ver que tema de redação era sobre surdos. Ela gravou um vídeo em homenagem a eles.

Beatriz tirou nota mil na redação do Enem. (Foto: Arquivo pessoal)

Beatriz tirou nota mil na redação do Enem. (Foto: Arquivo pessoal

Beatriz Albino Servilha, de 19 anos, atribui suas vitórias aos pais: ao pedreiro Junior e à telefonista Renata. Sempre quis provar a eles que ‘filha de pobre também pode ser médica’. Depois de tantos obstáculos, o casal descobriu que a jovem estava entre os 53 candidatos que tiraram nota 1.000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Depois, viu o nome dela na lista de aprovados em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Foram gritos ao telefone e choro de comemoração.

“Era meu 3º ano tentando entrar na faculdade. Eu sabia que minha família não teria condições de manter meus estudos. Mas, mesmo assim, nunca me direcionaram para outra área. Nossa situação financeira não me impediu de correr atrás do que eu queria”, conta Beatriz.

Nota máxima na redação

Quando recebeu a prova do Enem e viu que o tema da redação era “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, Beatriz começou a chorar. “Não acreditei. Comecei a estudar Libras há dois anos, para me comunicar com uma amiga surda”, conta.

Ela havia se tornado intérprete da língua de sinais para os seguidores da igreja que frequenta. “Não achei tão difícil, porque tenho contato direto com a comunidade surda, que me impulsionou a continuar”, afirma Beatriz.

(Abaixo, veja vídeo que Beatriz gravou para o G1 enviando um recado aos surdos)

Jovem tira nota mil na redação do Enem e deixa recado a surdos

Jovem tira nota mil na redação do Enem e deixa recado a surdos

A jovem conta que, na redação do Enem, argumentou sobre a falta de intérpretes capacitados para atuar nas salas de aula. “Não basta formar qualquer tipo de profissional. Existem aqueles que têm capacidade de trabalhar em tribunal, em teatro, em igreja ou em escolas. A sociedade é muito ignorante e não vê Libras como algo importante e oficial”, diz.

“Há um tempo, fui levar minha irmã a uma unidade de pronto-atendimento e vi três surdos lá, desamparados, porque nenhum funcionário sabia língua de sinais. Ninguém pensa nisso”, completa.

Cotas para negros e pobres

A jovem foi aprovada no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) pela cota de estudantes de escola pública, autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar per capita inferior a 1,5 salário mínimo. Ela cursou o ensino médio em uma Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) do Rio de Janeiro. No último ano, percebeu que “estava zerada em matemática, em física e em conhecimentos básicos” – e então procurou um cursinho.

“Consegui uma bolsa de estudos porque minha prima havia estudado lá e passado na UFRJ. No meu segundo ano no preparo para o vestibular, continuei com a bolsa porque tirei nota boa na redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)”, conta.

Ela defende a política de cotas por ter vivenciado a dificuldade de uma estudante de escola pública conseguir recuperar o que não aprendeu no ensino médio.

“Isso não é sistema de benefício a ninguém. É a forma de o governo corrigir um erro que é deixar o negro de lado, negligenciar a educação do pobre. Por anos, não tive matemática nem biologia”

 

Reforma da Previdência: Está escancarada as negociações em Brasília, por Walter Salles


 

Resultado de imagem para foto de predio da previdencia

Walter Salles-  Quando o líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)  diz que só vai ser votada a Reforma da Previdência quando o Governo tiver a quantidade de votos suficiente fara passar, está querendo dizer que as negociações estão rolando com os parlamentares, que, pelo andar da carruagem, está cada vez mais difícil de chegar à quantia exata ou um pouco mais, porém, só desistem quando não tiver mais jeito. Enquanto isso, os deputados que estão sendo pressionados para votarem, se sentem entre o “mel e o fel”. O mel seria as tentações oferecidas pelo governo, que outro dia estava pressionando os ministérios para liberarem verbas para os parlamentares que fecharam com a votação a favor da reforma. Por outro lado, eles poderão provar do amargo fel, que é vê as urnas vazias na hora de apurar a votação nas eleições de outubro. O Agnaldo Ribeiro já avisou o Presidente da casa, o Rodrigo Maia, para só tirar a votação da reforma de pauta, se não houver, de jeito nenhum, alcançado a quantidade almejada pela cúpula.

A população já está começando a não entender o porque de tanto interesse em fazer essa reforma, se, de acordo ao resultado da CPI da Reforma, não há motivos para haver reforma, pois a instituição não se encontra com desfite, mas, no entanto, tendo pra receber de empresas grandes deste país, inclusive bancos, nada menos que 450 bilhões de Reais, quantia que deixaria a Previdência em situação bastante favorável. Não seria o caso desses nobres parlamentares procurar fazer movimentos na casa, para obrigar tais empresas a pagarem as sua dívidas? 
Outro dia, em áudio nos celulares, tinha um deputado, que a gravação não mencionava o seu nome e o seu partido, mas, pelo tom e pelo assunto levantado, leva a crer ser esquerdista, onde dizia ele que “uma mãe ou um pai quando vai dar um remédio de sabor ruim para os seus filhos, primeiro prova de tal sabor, para então os filhos tomarem o remédio”. Mas no caso dos arrochos junto ao trabalhador, as medidas tomadas entre governo e parlamentares, principalmente depois da chegada do atual governo, o “remédio ruim é só para os pobres”. O que queria dizer o amigo deputado, é que não acontece ao menos uma emenda a ser votada, para diminuir as mordomias dos políticos, os quais são votados pelo povo. É preciso sim que haja uma mudança de cima para baixo, inclusive obrigando os devedores deste país, pagarem as suas dívidas, para então, quando chegar alguma medida que mude a vida da classe mais baixa, seja com coerência e respeito, mudando para melhor.

O relator da Reforma, Deputado Arthur Maia, (PPS- BA) apresentou um novo texto, com algumas mudanças para tentar passar a reforma, onde a discussão sobre a nova tentativa, está marcada para o dia 19 deste mês. O novo texto traz algumas explicações um pouco mal explicadas, onde diz que a quantidade mínima para o contribuinte é de 15 anos para os trabalhadores de regime geral. Para os servidores públicos, a contribuição mínima é de 25 anos. Só que nas matérias publicadas pela mídia, não diz quanto esses contribuintes de 15 e 25 anos irão receber quando se aposentar, pois em outra explicação, fala que  nos dois casos, ou seja, servidor público ou regime geral, se quiserem receber o valor integral da aposentadoria terão que contribuir por 40 anos. Fica a pergunta do trabalhador brasileiro: Os nobres deputados e políticos em geral precisam contribuir 40 anos para terem as suas gorgas aposentadorias, ou apenas dois mandatos, que aliás, já são cheios de mordomias?

Se os grandões lá de Brasília não estão tendo respeito com o trabalhador e eleitor brasileiro, esses, [os trabalhadores] estão aprendendo reivindicar esse respeito e os seus direitos. Café com Leite Notícias.

 

 

Sepúlveda Pertence diz que perseguição a Lula é a pior desde Getúlio Vargas


 

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Sepúlveda Pertence disse nesta terça-feira (6) que ainda vai avaliar a estratégia para a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas adiantou que não é seu estilo ser agressivo. Criminalista, considerado um dos maiores especialistas em processo penal do Brasil, Sepúlveda disse ainda que a situação do petista é uma perseguição. “É pior, a maior (perseguição) desde Getúlio Vargas”, afirmou.

Convidado pelo advogado Cristiano Zanin Martins, responsável até aqui pela defesa de Lula, Sepúlveda disse que ainda vai conhecer o processo e combinar “com os companheiros” o que pode mudar na defesa. 

Vale lembrar que muitos especialistas do setor jurídico do mundo, tem se pronunciado com as mesmas palavras do Sepúlveda, pois não encontram motivos para tudo que fazem com um ex-presidente que teve duas gestões no Brasil, consideradas as melhores de todos os tempos no país. Até o momento, só quem está enxergando a culpa no petista, a ponto de condenação e impedir de ser candidato, são os juristas do processo de condenação, que inclui e Sergio Moro, que, com apoio de uma mídia, que aos poucos está perdendo credibilidade perante ao povo, vem segurando a condenação. É preciso que todos saibam que é o futuro do país que está em “jogo”.

A fonte desta matéria foi a UOL, um site que não faz parte dos que vêm defendendo o Lula, nessa questão, mas que, aos poucos, está dando demonstração que há sim um extrapolamento neste caso, o que, como disse o ex-ministro Sepúlveda Pertence, é uma das maiores perseguições políticas neste país, razão que faz muitos veículos de comunicação, ainda que tenha uma linha de direita, politicamente, vêm procurando ser menos imparcial.  Dois últimos paragrafos Café com Leite Notícias.

 

Deputado do PT pressiona Maia para decidir sobre auxílio


Resultado de imagem para foto do deputado Leo brito

Leo Brito (PT-AC) apresentou uma sugestão de pauta para a mesa do presidente da

Câmara proibir auxílio-moradia a parlamentares com casa própria no DF 

O deputado Leo Brito (PT-AC) apresentou nesta terça-feira (06) uma sugestão na mesa da presidência da Câmara para alterar o pagamento de auxílio moradia, mais especificamente, proibir a concessão do benefício para deputados que já tenham imóvel próprio no Distrito Federal. Pela regra atual, o dinheiro é autorizado apenas quando não houver vaga em apartamentos funcionais.
“A modificação visa atender aos princípios da economicidade e da moralidade administrativa para com o patrimônio público”, declarou o parlamentar no documento.
Segundo apuração da Folha de S.Paulo, 167 dos 594 deputados federais e senadores recebem atualmente ajuda financeira para moradia (em espécie ou reembolso), sendo que 13 deles recebem o benefício mesmo declarando casa própria em Brasília, incluindo o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e seu filho mais velho Eduardo Bolsonaro (PSC-SP). Ainda, durante o registro da candidatura em 2014, todos os 13 parlamentares declararam à Justiça Eleitoral terem mais de R$ 1 milhão.
 Como funciona o pagamento
Os deputados têm duas opções para acessar o auxílio-moradia: por reembolso apresentando recibo (R$ 4.253) ou em dinheiro, com desconto no Imposto de Renda (R$ 3.083). Já os senadores recebem apenas mediante reembolso (R$ 5.500). O salário médio dos parlamentares hoje no Brasil é R$ 33,7 mil e cada um tem a disposição R$ 102 mil para pagar salários de assessores e verba que varia entre R$ 30,8 mil a R$ 45,6 mil para custear despesas gerais, como aluguel de escritório, combustível e alimentação.
A polêmica do auxílio-moradia começou após o jornal Folha de S.Paulo revelar que o juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, e sua esposa recebem auxílio-moradia mesmo os dois morando juntos e em casa própria.
“Vi a notícia dando contra deste absurdo e temos que começar dando o exemplo de casa, no Poder Legislativo”, disse o deputado Leo de Brito.

Trump se irrita e chama Democratas de traidores


 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou os democratas de serem “antiamericanos” e “traidores” por não o aplaudirem durante seu discurso do Estado da União na terça-feira (30). Neste pronunciamento, ele falou sobre os salários em ascensão e do desemprego historicamente baixo dos norte-americanos negros.

“Eles prefeririam ver Trump se sair mal do que nosso país se sair bem. É o que isso significa”, disse Trump durante um pronunciamento sobre reforma tributária em uma indústria manufatureira de Ohio, na segunda-feira. “É muito egoísta. Foi uma energia ruim”.

 

“Eles foram como a morte, e antiamericanos. Alguém disse ‘traidores’. Acho que sim. Por que não? Podemos chamar isso de traição, por que não? Quer dizer, eles certamente não pareceram amar nosso país muito”, disse.

A traição é um crime capital punível com a pena de morte nos EUA.

Os democratas deram uma recepção fria a Trump durante o discurso do Estado da União. Embora o desemprego em retração tenha começado a elevar os salários, os empresários estão divididos no que diz respeito a quanto crédito dar a Trump sobre a melhora da economia.

“A liberdade de não aplaudir ideias com as quais você discorda é chamada de Primeira Emenda”, disse o senador democrata Jeff Merkley, do Oregon, no Twitter.

Ao longo dos últimos quatro anos a economia dos EUA gerou 10 milhões de empregos, e a taxa geral de desemprego atingiu sua cifra mais baixa desde 2000. Mas o crescimento do emprego vem sendo lento, embora tenha mostrado sinais de aceleração recentemente.

Durante o discurso da terça-feira passada, o presidente louvou os cortes de impostos e a diminuição de regulamentações que promoveu como a razão de os norte-americanos finalmente estarem vendo salários melhores depois de “anos e anos” de estagnação. Correio.

Acho muito pouco o valor do auxílio-moradia, diz novo presidente do TJ-SP



Foto: Reprodução da cerimônia, com o discurso do presidente do Tribunal de Justiça, Manoel Calças
De acordo à matéria publicada pelo GGN, nesta terça feira, um juiz em São Paulo disse ser pouco o auxílio moradia que a classe recebe. Vejam o que ele falou quando questionado. “Acho muito pouco o valor do auxílio-moradia”, afirmou o novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Manoel Queiroz Pereira, ao responder a jornalistas, em tom irritado, durante a posse de Pereira na abertura do ano judiciário, nesta segunda-feira (05).
A fala cobrando, ainda, “respeito” da sociedade, ocorreu em meio à polêmica sobre o pagamento do benefício a juízes e desembargadores. O novo presidente do TJ defendeu a quantia de R$ 4,3 mil pago à magistratura.
“O auxílio-moradia é previsto na lei orgânica da magistratura. Eu recebo e tenho vários imóveis”, admitiu em resposta aos jornalistas. Irritado com a forma como os casos têm sido expostos pela imprensa, explicou que alguns dos imóveis que detêm são fruto de herança.
“Imagine os riscos aos filhos. A imprensa vai violentar a intimidade dele [do juiz que teve a casa ou apartamento exposto por jornais]”. Em seguida, foi questionado se considerava justa a quantia: “Acho muito pouco. Agora você vai e coloca isso. Não vou atender provocação”, se antecipou.
Manoel Pereira Calças ocupa o posto do comando do TJ de São Paulo desde o dia 1o de janeiro. Novamente insistindo que é favorável ao subsídio, o discurso foi aberto pela desembargadora Silvia Rocha, que pediu “respeito” aos magistrados. Após anúncio continue lendo a matéria 
“Respeito é bom e eu gosto. Nós respeitamos e gostamos de ser respeitados. Tudo parece tão óbvio que nem precisava dizer”, disse a oradora, antes de passar a palavra a Pereira.
“Veneramos no altar do civismo e do espírito público os valores imprescindíveis e imperecíveis para lograrmos a reconstrução do espírito e do orgulho nacional”, iniciou a fala, tratando de “civismo”, “patriotismo” e culto “ao passado e tradições”.
“É preciso dizer, em alto e bom som, que as três clássicas prerrogativas constitucionais da magistratura nacional não foram instituídas e sacralizadas com o escopo de amparar a pessoa do juiz, mas sim, para proteger e garantir aos cidadãos”, discursou nesta segunda.
“Ao invocarem a garantia da tutela jurisdicional, o exercício da função jurisdicional será prestado de forma livre, independente, desassombrada e sem o temor da interferência ou da pressão de formas econômicas ou da pressão de formas econômicas ou políticas pelos poderosos de plantão”, acrescentou.

Homem esfaqueado perdoa, paga advogado e liberta agressor


Hugo (esq) Sebastião - Foto: Foto: João Hélio/Acervo pessoal                                                                       Hugo (esq) Sebastião – Foto: Foto: João Hélio/Acervo pessoal

Um homem, que foi esfaqueado, perdoou o agressor, pagou um advogado e pediu à justiça para libertá-lo da prisão.

A historia incrível de perdão e compaixão aconteceu na cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba, no dia 24 de janeiro e foi divulgada nesta quinta-feira, 1º.

A vítima, Sebastião Felizardo, 39 anos, decidiu perdoar o ex-colega de trabalho Hugo Ferreira, 29, que foi preso em agosto de 2017 por tentativa de homicídio.

Hugo trabalhava como flanelinha e esfaqueou Sebastião durante uma discussão e foi preso em flagrante.

Depois de ser ferido, Sebastião foi socorrido em uma igreja ao lado e encaminhado para o Hospital Regional de Sousa, onde ficou quatro dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Recuperado dos ferimentos, Sebastião passou a fazer parte de um movimento evangélico e perdoou o Hugo Ferreira pelo crime.

A vítima conheceu o advogado João Hélio e pediu para que ele o ajudasse a tirar o agressor da cadeia.

João Hélio disse que nunca tinha visto nada parecido na carreira.

“Hugo já estava preso há uns quatro meses. Falei para Sebastião que a parte da acusação era com o Ministério Público, que não havia necessidade da minha participação no processo, mas então ele explicou que queria minha ajuda para soltar o seu algoz, e não condená-lo”, relatou o advogado.

Drogas

“Ele chegou para mim e explicou que havia perdoado de coração o que Hugo havia feito com ele. Na época Sebastião era morador de rua, usuário de drogas, vivia vulnerável”, disse advogado.

O advogado fez um pedido de soltura e na audiência foi realizada no dia 23 de janeiro, com participação de Sebastião Felizardo, Hugo foi solto.

“O próprio Sebastião manifestou ao juiz, no dia da audiência, que gostaria de retirar o processo, porque havia perdoado Hugo”, explicou João Hélio.

Ao fim da audiência, o juiz José Normando Fernandes decidiu revogar a prisão preventiva de Hugo Ferreira.

Atualmente os dois trabalham juntos no movimento evangélico e são amigos.

Hugo Ferreira está desempregado, à procura de trabalho, e Sebastião Felizardo trabalha como vendedor autônomo.

Para o advogado, o desenrolar do processo foi a “maior história de perdão” que ele conheceu. Fonte:Sónotíciaboa

Foto: João Hélio/Acervo pessoal

Foto: João Hélio/Acervo pessoal

 

Figuras denunciadas por vários crimes de corrupção, mas até o momento intocáveis. O povo está vendo tudo


Imagem relacionada

Jucá e Aécio são amigos e têm muita coisa em comum 

 

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), presidente do partido, virou personagem central em vídeo feito dentro de um avião. “E aí, senador, conseguiu estancar a sangria?”, questionou a autora da gravação, dentro da aeronave.

Ela fez referência a um dos áudios entregues pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado à Polícia Federal, no qual Jucá afirma que é preciso “estancar a sangria”, supostamente provocada pela Operação Lava Jato em ações contra políticos. No avião, o senador primeiro pediu respeito, e em seguida tentou arrancar o celular da mão da mulher, sem sucesso. Parte dos passageiros aplaudiu a intervenção da mulher. “Vai acabar o seu sossego. Quer viajar? Vai ter que viajar de jatinho particular”, disse ela. “O senhor deveria ter vergonha, o senhor protege corruptos”, afirmou. O senador afirmou ao UOL, fonte desta matéria, que foi vítima de agressão de uma pessoa que o importunou com desaforos e ofensas.

“Reagi à provocação tentando tirar o celular da mão da pessoa para que o vídeo parasse de ser feito. Respeito qualquer tipo de manifestação democrática. Mas não é correto importunar um passageiro num voo comercial. Isso é crime”.

Até dá pra concordar com o senador Jucá, quando se trata de pessoas que não tem mancha e pegadas sujas por onde passa, mas no caso dele, que há tantas denúncias, onde até políticos do seu partido o MDB, como o Jarbas Vasconcelos, PDB Pernambuco, que uma certa feita o chamou de crápula e que pretende vê-lo um dia sair do senado algemado. Essas palavras foram ditas no finalzinho do ano de 2017.

São muitas as denúncias de envolvimento de Jucá em falcatruas, que só mesmo sendo líder do governo e presidente do MDB, pra poder se segurar e se livrar das alfinetadas, até quando?

Em depoimento à Polícia Federal, o banqueiro José Augusto Ferreira dos Santos, que era controlador do Banco BVA, contou que embolsou 2,5 milhões que era para o Jucá, enviado pela Andrade Gutierrez, “provavelmente como propina”, disse o banqueiro. Por essas e outras tantas denúncias envolvendo Romero Jucá e outros, como este que está ao seu lado na foto, o Aécio Neves, que vai ficando cada vez mais difícil de se entender como, por exemplo, a suposição de um triplex ser do ex presidente Lula, o levar à condenação na segunda instância, enquanto figurões com tantas denúncias de envolvimento de corrupção, de forma brutal, até o momento intocáveis.

 

 

Cristiane Brasil se deu mal mais uma vez, com vídeo vazado em que a deputada coagia funcionários públicos


 

 

 

A deputada escolhida por Michel Temer para ocupar pasta de Ministra, está recebendo várias denúncias

 

A indicada pelo presidente Michel Temer para comandar o Ministério do Trabalho, Cristiane Brasil, entrou na mira de novas polêmicas, desta vez, flagrada em áudio ameaçando servidores públicos para conseguir votos.

O áudio foi transmitido pelo programa Fantástico, da rede Globo, neste domingo. A fala da deputada federal fluminense ocorreu em uma reunião, convocada por ela, em 2014, quando estava licenciada da Câmada dos Vereadores, atuando como Secretária Especial do Envelhecimento Saudável e da Qualidade de Vida, na prefeitura do Rio de Janeiro.

Cristiane tentava se eleger deputada federal pelo PTB e convocou cerca de 50 servidores públicos e prestadores de serviço da pasta que comandava para a reunião. A indicada de Temer cobrava o empenho dos funcionários para conseguir votos, em tons de ameaças.

“Bom dia! Aqui não é uma reunião tensa. É apenas pra gente situar vocês de coisas que não estão no dia a dia de vocês e que vocês precisam entender pra ajudar a gente. Se eu perder a eleição de deputada federal…Eu preciso de setenta mil votos. Eu fiz quase trinta (mil votos). Agora são setenta mil. No dia seguinte, eu perco a secretaria. No outro dia, vocês perdem o emprego”, afirma.

“Só tem importância na política quem tem mandato. Só tem mandato quem tem voto. Só tem voto quem tem pessoas como vocês que estão na ponta ajudando a gente pedir e propagar o voto. Do contrário, não funciona”, completou Cristiane Brasil.

“Eu só tenho um jeito de manter o emprego de vocês. Me elegendo”, disse a então candidata a deputada federal e indicada por Temer para comandar o Ministério do Trabalho, posto que ainda não conseguir se empossar por ter problemas com a Justiça do Trabalho.

De acordo com o Fantástico, o áudio ao que o programa teve acesso foi checado por um perito, que comprovou a autenticidade das falas de Cristiane, em 2014. O programa procurou a deputada para que ela ouvisse o áudio e responder, mas ela não aceitou.

O áudio e a matéria do programa foram reproduzidos nas redes sociais: Fonte GGN.

 

Reforma da Previdência começa enfraquecer


Resultado de imagem para foto de predio da previdência

Walter Salles- Desde que começou a se comentar sobre a Reforma da Previdência, logo que o Temer tomou posse, que o assunto tomou uma conotação polêmica, pois as opiniões se divergiam, sobretudo, pelo fato de prejudicar o mais fraco. No ano passado, após o resultado da CPI da Previdência, que constatou que não há deficit na instituição, mas sim uma dívida perdoada dos grandes empresários, que chega a 450 bilhões de Reais, valores que acertaria a vida da Previdência, reforçou ainda mais a possibilidade de não haver a reforma.

O grande problema que acontece na atualidade, é que a reforma está, (ou estaria) marcada para os próximos meses, período em que os deputados e senadores iniciam as suas pré campanhas para as eleições de outubro. Aí é que mora o perigo de cada um ficar marcado perante os eleitores, uma vez que sabem que é uma atitude impopular.

Na verdade, já há uma lista de deputados marcados pelos eleitores, por aprovar a nova lei trabalhista, que já apareceu os primeiros resultados, que foi muitos patrões não terem pago o décimo terceiro salário dos funcionários. A mesma coisa aconteceu com algumas prefeituras, que não respeitando mais a famosa Lei de Responsabilidade Fiscal, também ficaram sem pagar décimo terceiro e atrasam pagamentos do servidor.

Voltando à Previdência, agora, já no mês de fevereiro, certamente está acontecendo o recuo dos nobres parlamentares por está muito próximo das eleições. Pois se faltasse ainda ao menos dois anos, certamente eles iriam arriscar, apostando na velha filosofia de que brasileiro, principalmente pobre, tem memória curta.

O Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, em Brasília, disse em entrevista, que ainda não decidiu se vai tirar a Reforma da Previdência da pauta, e que vai ser discutido em plenário essa semana. Ou seja, ao que tudo indica, a probabilidade de acontecer a reforma não chega a dez por cento, na avaliação de muita gente que vem acompanhando a luta e reluta  para conseguir a quantidade de votos, a novela vai chegar ao fim, desta vez sem casamento. Isso depois de gastar milhões em dinheiro com campanhas, para tentar convencer o povo de que reformar é preciso. Agora, com a quantidade de votos cada vez menores, apesar dos presidentes de partidos ameaçarem punição e até expulsão dos parlamentares, caso não votassem a favor da reforma, aconteceu a desobediência e mais uma vez o tiro vai sair pela culatra. Café com Leite Notícias. 

 

 

DCM produz filme da caravana de Lula no Nordeste


Imagem relacionada
Depois do sucesso de crowdfunding  do “Helicoca – o Helicóptero de 50 milhões de reais, da “Lista de Furnas”, da “História da Delação Premiada” com o GGN, que geraram milhões de visualizações e ajudaram a revelar documentos confidenciais, o DCM vem pedir sua contribuição para um novo projeto de crowdfunding, desta vez em parceria com a TVT – TV dos Trabalhadores, o Instituto Alvorada Brasil e o Canal i Produções.
Apoie essa ideia!
A partir de R$ 25 você garante seu nome nos créditos do filme e eterniza sua colaboração para a democracia.
No segundo semestre de 2017, um grupo de cineastas e jornalistas independentes, percorreu com o ex-presidente Lula e sua comitiva 58 municípios do Nordeste, com a missão de fazer um longa-metragem inovador e surpreendente.
Diferentemente de outros documentários que colocaram suas lentes observando os bastidores das viagens ou das campanhas, O Povo Pode é um filme sobre o Brasil profundo, captado ao longo da Caravana Lula pelo Nordeste. É um filme através de Lula. Um filme captado e inspirado no seu olhar.
Milhares de brasileiros e brasileiras foram às ruas encontrar Lula pessoalmente. Dar visibilidade à caravana é, antes de tudo, afirmar a política feita nas ruas, no contato real com a população. Se a política é o que separa a civilização da barbárie, a política realizada com a participação dos movimentos sociais, dos sindicatos, das organizações mais diversas da sociedade civil, e da população mais carente, é a política que pode tornar o mundo melhor e mais justo.
O Povo Pode é um documentário com alto valor simbólico num contexto político e cultural que demanda um esforço de reconciliação nacional com as causas populares.

Uma obra de tremendo valor histórico para o Brasil — e também para toda América Latina, que vive momentos de retrocesso político e de acirramento de uma cultura de ódio.

Uso do dinheiro

Com sua ajuda vamos produzir um documentário de longa-metragem e uma série de reportagens inéditas para a internet que serão exibidos em todo o Brasil e no mundo.
O filme será lançado em 2018, antes da eleição, e precisa ser finalizado o quanto antes, já que nossa legislação eleitoral pode impedir sua exibição durante a próxima campanha presidencial.
Enquanto a equipe de cineastas trabalha no filme, o DCM vai exibir 12 trechos desse documentário, acompanhados de análises, de artigos e da opinião de políticos, economistas, intelectuais, artistas e demais personalidades brasileiras. A cada semana teremos no DCM um depoimento inédito sobre um tema fundamental para o Brasil.

Os recursos que agora estamos solicitando (R$ 300.000,00) serão destinados à amortização de custos que tivemos nos 36 dias de filmagem; o visionamento e seleção do material captado para roteirização; a elaboração de roteiros (do filme e das 12 reportagens na internet); a edição do longa-metragem e das reportagens; e a composição ou aquisição de direitos de trilhas sonoras originais para compor o filme.

Como iremos usar os recursos para o projeto:

20% – Roteirização
15% – Reportagens Web + distribuição na Web
40% – Montagem do Filme
10% – Trilha Sonora
05% – Recompensas

10% – Divulgação

Responsáveis pela realização do filme:


Criada em 2010, a TVT – TV dos Trabalhadores é uma emissora educativa outorgada à Fundação Sociedade Comunicação Cultura e Trabalho, entidade cultural sem fins lucrativos, mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Em São Paulo pode ser sintonizada através do canal 44, digital.

O Canal i Produções é uma produtora independente com vasto histórico na produção de programação cultural e educativa. Entre seus projetos destacam-se programas realizados para CUT, TVT e inúmeras emissoras educativas, tais como TV CUT, ReperCUT, a série Mais Direitos Mais Humanos, a séria documental Histórias do Poder e a série semanal Diário do Centro do Mundo na TVT.  Clique nas letras azuis e veja  trechos do filme que será lançado este ano. Novo projeto de crowdfunding do DCM: O filme da caravana de Lula no Nordeste

 

Juízes-celebridades podem virar carne moída. Por Gilberto Maringoni


 

Sérgio Moro. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas

Podem estar chegando ao fim os dias de glória dos juízes-celebridade e suas determinações de como devem se portar homens e mulheres na cena político-institucional do país.

Cumpriram o serviço sujo de derrubar um governo, condenar o maior líder popular da História do país, vários ex-ministros e dezenas de ativistas políticos e empresários com negócios ligados ao Estado. Foram incensados pela mídia, tornaram-se super-heróis da classe média e tiveram seus quinze minutos de fama. Foi muito bom, mas deu.

Passaram do ponto, para os de cima. Pensavam estar a cavaleiro de uma situação que na verdade os usou.

Como Eduardo Cunha, que se tornou um fardo após a votação do impeachment, os juízes pop-stars começam a ser enquadrados sem piedade por quem manda.

O ativismo judicial tornou-se disfuncional para a direita. Na situação atual, qualquer juiz de primeira instância nos grotões do Brasil tem o poder de interpelar altos poderes da República, processar o presidente e paralisar a vida institucional. Tornaram o país potencialmente ingovernável.

A reação começou pela língua que os excelentíssimos juízes conhecem bem, o da moralidade no trato da coisa pública. De repente, auxílio moradia, altos vencimentos e penduricalhos na folha salarial viraram escândalo. E quem denuncia não são celerados esquerdistas, é a Folha de S. Paulo, é a revista Veja, é Reinaldo Azevedo!

A máquina midiática de moer carne está triturando Marcelo Bretas e começa a apontar para Sérgio Moro. Outros virão.

As imagens da casa hollywoodiana de Bretas são mais devastadoras do que trinta passeatas contra ele. O lobby de magistrados – quase todos brancos e vestidos como se fossem a um shopping center – em defesa de privilégios em Brasília funciona como disparos de bazuca nos próprios pés. A figura patética de Carmen Lúcia parece ter percebido o jogo em cima da hora.

O chumbo grosso foi acionado pela direita. Será difícil, mas todos serão compelidos a voltar aos seus cercadinhos.

Isso quer dizer que a autodenominada justiça brasileira vá mudar? Sim e não.

Os arroubos teatrais contra os de cima devem refluir no médio prazo, com o Supremo e com tudo.

Para os pobres, para os rafaeis bragas, tudo seguirá como dantes e a impermeabilidade do judiciário às demandas sociais marchará em frente.

Mas os ataques contra a atividade política tendem a baixar de tom, nos próximos meses.

Contraditoriamente, hoje, esta bandeira interessa também à esquerda, que deseja colocar um freio à politização do mais obscuro poder da República. Fonte DCM.

 

Pra beleza não tem idade, o resto é preconceito. Quem garante é o Gavar, proprietário de uma agência russa


Ao 60 pode sim mostrar que a beleza é permanente

 

Uma agência de modelos russa só contrata modelos maduros, acima de 45 anos e está quebrando a ditadura dos padrões de beleza na moda.

A agência russa Oldusshka vai no caminho contrário de diversas marcas e revistas locais e aposta em idosos, homens e mulheres, para editoriais. Afinal, quem disse que só jovem é que pode ser bonito?

Criado pelo fotógrafo Igor Gavar, o projeto começou apenas como um blog. Nele, Gavar retratava a beleza de pessoas em idades avançadas.

Hoje, dos agenciados da Oldushka, a maior parte é do sexo feminino e tem em torno de 60 anos. E ainda há espaço para gente mais velha.

A idade máxima dos modelos da agência chega a 85 anos.

No perfil do Instagram da Oldushka, os cabelos completamente grisalhos são unanimidade.

E os modelos masculinos também se destacam pela elegância no auge da maturidade.

“Eles são um exemplo de que é possível ser muito bonito e assumir a sua própria idade”, explica Gavar em entrevista à Vogue norte-americana.. Noticia boa.