(77) 99152-6666

Lava Jato: PF prende novamente empresário Eike Batista


Decisão foi do juiz Marcelo Bretas, que expediu nesta fase da operação, no total, dois mandados de prisão e cinco de busca e apreensão

[ Lava Jato: PF prende novamente empresário Eike Batista ]
Foto : Arquivo/ Agência Brasil

Em mais uma fase da Lava Jato, a Polícia Federal prendeu, novamente, na manhã de hoje (8) o empresário Eike Batista.

De acordo com o G1, a decisão foi do juiz Marcelo Bretas, que expediu nesta fase da operação dois mandados de prisão. Além de Eike, também é alvo o contador dele, Luiz Arthur Andrade Correia, conhecido como “Zartha”, que está no exterior.

Foram expedidos outros cinco mandados de busca e apreensão.

Eike foi condenado a 30 anos de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro por decisão do juiz Marcelo Bretas. Ele foi réu no mesmo processo em que o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado a 22 anos e oito meses de prisão.

O empresário já havia sido preso em janeiro de 2017 logo após desembarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, vindo do exterior.

Cerca de três meses depois, em abril de 2017, após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, ele deixou o regime fechado e passou a cumprir prisão domiciliar.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

STF decide: Lula vai permanecer em Curitiba até habeas corpus ser julgado


A notícia de que o ex-presidente pode ser transferido para o presídio de Tremembé, caiu como se fosse uma bomba no meio político, inclusive  membros de partidos de direita e centro. Imediatamente os advogados do petista entraram em ação, e junto ao STF fizeram mais um pedido, que é do ex-presidente permanecer em Curitiba até o julgamento do AC, que foi mais um pedido dos advogados, com base, segundo eles, da parcialidade do então Juiz de Curitiba Sergio Moro, que cuidava do caso. Cabe agora ao STF julgar o destino do ex-presidente O pedido foi aceito. Até aqui Café com Leite Notícias.

Toffoli deixa pedidos de Lula com Fachin, e plenário analisa caso do petista

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em sessão plenária na tarde desta quarta-feira (7), suspender a decisão da Justiça que determinou a transferência de Lula, preso em Curitiba, para São Paulo.

Após a decisão da 12ª Vara Federal de Curitiba de enviar o ex-presidente ao presídio paulista, conhecido por abrigar criminosos de grande repercussão, a defesa do petista entrou com um pedido na Suprema Corte contra a transferência.

Os advogados de Lula encaminharam ao STF um recurso para que a Corte concedesse liberdade ao ex-presidente até o julgamento de um habeas corpus pela Segunda Turma do tribunal ou que mantivesse o petista preso em sala de estado maior (cela especial).

A análise entrou às pressas na pauta do plenário desta tarde porque o presidente da corte, ministro Dias Toffoli, apresentou a petição de Lula para ser julgada imediatamente —no jargão jurídico, o magistrado levou o caso em mesa.

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, também se posicionou contrário à mudança. Edson Fachin votou por suspender a transferência e manter Lula preso em Curitiba e foi acompanhado pela maioria dos ministros. Ao todo, foram 10 votos a 1 em favor do ex-presidente. Apenas o ministro Marco Aurélio divergiu, argumentando que não cabe ao STF, mas sim ao TRF4, analisar o caso.

fonte Revista Fórum.

Doença do pombo faz segunda vítima em Santos em menos de um mês


Com fortes dores, empresário de 56 anos passou por vários médicos atrás do diagnóstico

Em menos de um mês, Santos registra a segunda morte causada pela doença do pombo. A criptococose é causada por fungos presentes nas fezes do animal, que quando espalhados pelo vento podem ser inalados e, depois de instalados nos pulmões, migram para o sistema nervoso central.

A nova vítima é o empresário José Wilson de Souza, de 56 anos, que tinha rotina agitada, dividida entre trabalho, família e atividades físicas. Em quatro meses, uma dor de cabeça insistente avaliada por mais de dez especialistas evoluiu para um quadro irreversível.

Apesar de aparentemente bem, Wilson sentia-se cansado. Ele se internou em 6 de julho num hospital da região e, 13 dias depois, sua família recebeu a notícia de que estava morto.

Nesse período, segundo sua mulher Ana Lúcia de Souza, de 51 anos, o casal chegou a viajar para Portugal. Lá, passaram dez dias em maio e, depois disso, Wilson teria voltado pior.

Por contadas fortes dores de cabeça, ele procurava atendimento médico quase todos os dias. “Eram muitas injeções e a dor não melhorava”, diz Ana Lúcia.

O começo
Primeiro, Wilson procurou um oftalmologista. Depois, neurologistas, ortopedistas, clínicos gerais e cardiologistas, que não viram alteração em seus exames. Ele foi submetido a tomografias, exames clínicos e de laboratório e até ressonância magnética.

Diante de novos sintomas, como dor nas costas, dias sem dormir, agonia, formigamento e tremores, Wilson seguiu atrás de especialistas. Fez acupuntura, RPG, Reiki e lhe foi receitado remédio até para síndrome do pânico.

“Ele recebeu diagnóstico inclusive de AVC. Em 6 de julho, caiu da cama e foi levado pelo resgate ao hospital. Um amigo médico foi vê-lo, pois não sabíamos o que fazer. Disse que ele tinha pegado um bicho bravo”, diz a mulher.

Já era 9 de julho quando Wilson foi transferido à Santa Casa de Santos, onde morreu dez dias depois. Segundo Ana Lúcia, se estivesse vivo hoje poderia ter muitas sequelas. “É uma doença grave. Depois de internado, nunca mais voltou do coma. Não imaginava algo tão grave”.

Doença

Para o infectologista Jacyr Pasternak, a doença é muito perigosa. “O paciente pode parecer muito saudável, mas por dentro os fungos estão agindo. As consequências da meningite são muito graves”.

O também infectologista Marcelo Ramos explica que os médicos devem ser rápidos no diagnóstico. “A doença se instala com a imunidade baixa, mas todos estão vulneráveis a isso. Quanto mais rápido se identificar a doença, maiores as chances de cura”. FONTENathália de Alcantara – A TRIBUNA

Jackson Freitas, criou a página SorocabaniceS no Facebook em 2015, apenas por diversão e para levar um pouco de humor para os Sorocabanos. Hoje em dia, o Sorocabanices, já se tornou a maior mídia social de entretenimento do interior de SP. Cobrando serviços dos governantes para a população de Sorocaba, com várias campanhas sociais, notícias e diversão, com mais de 1 milhão e 300 mil seguidores, levando o nome de Sorocaba para o Brasil e o mundo! Afinal, todo Sorocabano tem suas Sorocabanices.

Mulher quase tem dedo amputado após fazer a unha em manicure


Foto: Reprodução / Facebook

Uma mulher, que não teve o nome divulgado, quase perdeu o dedo depois de fazer as unhas na manicure. O caso aconteceu em Tuggerah, na Austrália e se deu devido a uma infecção grave que precisou de cirurgia.

Em um post que se tornou viral nas redes sociais, uma usuária compartilhou o relato que encontrou em um grupo do Facebook. Sonnie Noble alertou sobre a importância da esterilização de utensílios usados em manicures.

De acordo com o post, tudo começou quando após fazer as unhas, a mulher identificou o inchaço da ponta dos dedos. No entanto, mesmo depois de se consultar em uma clínica e iniciar o tratamento com antibióticos, o inchaço começou a se espalhar e a dor se tornou insuportável.

“Na sexta-feira de manhã, a pressão da infecção aumentou tanto que o dedo literalmente estourou e o líquido vazou por todo o lugar”, contou o relato no Facebook .

Felizmente, após ser atendida em um hospital e realizar uma cirurgia, o quadro de infecção da mulher foi controlado.

Fonte: Metro

Desmatamento bate recorde em um dos últimos “escudos” da Amazônia


Desmatamento em um dos últimos escudos da Amazônia cresceu 44,7% em maio e junho em comparação com mesmo período de 2018. Mundo vê com alarde e espanto destruição do meio ambiente brasileiro

desmatamento amazônia bolsonaro
Trecho desmatado no Parque Nacional do Xingu, no Mato Grosso. (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

reportagem de João Fellet, da BBC Brasil

O desmatamento em unidades de conservação na bacia do rio Xingu, nos estados do Pará e Mato Grosso, cresceu 44,7% em maio e junho de 2019 em comparação com o mesmo período do ano anterior, reforçando a tendência de alta no desflorestamento da Amazônia e ampliando as pressões sobre um dos principais corredores ecológicos do bioma.

Os dados são do Sirad X, boletim publicado a cada dois meses pela Rede Xingu+, que agrega 24 organizações ambientalistas. Além de compilar imagens de satélite, o sistema usa radares que permitem detectar o desmatamento mesmo em períodos chuvosos do ano.

O boletim diz que, entre janeiro e junho deste ano, a região perdeu 68.973 hectares de floresta – área equivalente à cidade de Salvador. A bacia do Xingu abriga 26 povos indígenas e centenas de comunidades ribeirinhas, que dependem do bom funcionamento dos ecossistemas locais para sobreviver. A região tem tamanho comparável ao do Rio Grande do Sul.

Como mais da metade da bacia é composta por áreas protegidas, ela também serve como uma espécie de escudo da Amazônia em sua porção oriental, dificultando o avanço do agronegócio pela floresta. E ela é uma das últimas áreas do bioma amazônico em contato com o Cerrado, o que lhe confere papel central em estudos sobre biodiversidade.

Quando se compara o desmatamento de maio e junho no Xingu com o do bimestre anterior, o aumento foi de 81% para toda a bacia e de 405% para unidades de conservação.

Governo Bolsonaro

O tamanho do aumento do desmatamento foi considerado alarmante pelos autores do estudo. Para eles, o crescimento se explica por ações do governo Jair Bolsonaro que fragilizaram o combate a crimes ambientais e por declarações do próprio presidente que estariam encorajando atividades ilícitas, especialmente o garimpo.

Bolsonaro e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, têm pregado uma mudança na política ambiental que reduza a ênfase em punições e considere o impacto econômico de atividades nocivas à natureza.

Uma das áreas mais impactadas pelo garimpo ilegal fica na bacia do Xingu, a Terra Indígena Kayapó. Bolsonaro defende liberar a mineração em terras indígenas e costuma dizer que “o índio não pode continuar sendo pobre em cima de terra rica”. A medida depende de aval do Congresso.

Várias das principais associações indígenas brasileiras são contrárias à atividade, temendo seus impactos sociais e ambientais. Segundo os autores do Sirad X, “o garimpo tem se destacado como o principal vetor do desmatamento” em áreas protegidas do Xingu.

Animais

Para Miguel Trefaut Rodrigues, professor de zoologia da USP e um dos maiores especialistas em répteis e anfíbios do mundo, a bacia do Xingu tem uma importância central nos estudos sobre a dispersão e diferenciação de espécies que habitam as florestas brasileiras.

Isso porque a região engloba alguns dos últimos trechos preservados onde o bioma amazônico se encontra com o Cerrado – áreas que no passado provavelmente serviram como corredores para espécies que se deslocavam entre a Mata Atlântica e a Amazônia, tornando-as ambientes megadiversos.

Trefaut diz que entender como se deu esse deslocamento é um dos maiores desafios da zoologia moderna – mas que os estudos, ainda incipientes, dependem da preservação da mata.

“Derrubar essa área vai acabar com os resquícios e evidências de contato (entre a Amazônia e a Mata Atlântica) que houve no passado”. O zoólogo diz ainda que, quando um trecho da floresta é desmatado, há um impacto irreversível para a fauna daquele ponto, pois a grande maioria das espécies não tolera as temperaturas mais altas de ambientes sem cobertura vegetal.

“A fauna vai embora: desaparecem todos os roedores, lagartos, sapos, cobras e a maior parte das aves. Um ou dois bichinhos podem tolerar ambientes abertos, mas a maior parte dos bichos amazônicos some para sempre.”

Justiça autoriza transferência de Lula para São Paulo


Resultado de imagem para foto de lula com o povo

Na matéria que circula no portal UOl, diz que a Justiça Federal do Paraná autorizou hoje a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para São Paulo. A decisão é da juíza federal Carolina Lebbos, responsável pela execução penal do petista, que cumpre pena na sede da Superintendência da PF (Polícia Federal), em Curitiba, desde abril de 2018. A data da transferência e para onde Lula será levado ainda não foram definidos.

 

Ainda, segundo a UOL a decisão sobre o local onde Lula ficará preso será da 1ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo, cujo titular é o juiz Alessandro Diaféria. A juíza substituta da vara é Andréia Silva Sarney Costa Moruzzi.

Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, diz ser contra a transferência do ex-presidente neste momento. Zanin defende que se aguarde o julgamento final de um habeas corpus que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal) e que pede a suspeição do então ex-juiz Sergio Moro, o que poderia levar à liberdade de Lula.

O petista foi condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva no âmbito da Operação Lava Jato no caso do tríplex do Guarujá (SP). Ele cumpre pena de 8 anos e 10 meses em uma sala especial, chamada de sala de Estado Maior, por sua condição de ex-presidente.

O pedido de transferência do petista foi feito pela PF ainda em 2018. A corporação argumentou que a prisão de Lula na superintendência gerou transtornos às funções da corporação e também a moradores e estabelecimentos da região. Um dos pontos citados pela PF foi a presença de “grupos antagônicos” nos arredores do local.

Além de aguardar a decisão do STF, a defesa do ex-presidente também solicitou que, caso a transferência fosse realizada, que Lula fosse levado para São Paulo para uma instalação em condições semelhantes à sala onde ele cumpre pena em Curitiba.

No despacho, Lebbos acolhe o pedido para que a transferência seja feita para São Paulo, mas não garante que o ex-presidente seja levado a uma sala especial.

“Não obstante ausente imposição abstrata para o recolhimento em Sala de Estado Maior ou local assemelhado, possível que tal contexto se verifique, apenas se necessário à preservação da segurança e à garantia do efetivo cumprimento da pena, caso ausente outro local adequado”, escreveu.

Para a defesa de Lula, a decisão de Lebbos é uma negação ao direito de o ex-presidente à reclusão em sala de Estado Maior. “Lula é vítima de intenso constrangimento ilegal imposto por parte do sistema de Justiça”, diz o texto.

A nota diz, ainda, que Lula é inocente e foi condenado em uma “farsa judicial” -e que, por isso, sequer deveria estar preso.

O documento é assinado por Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados, e Humberto Souto, líder do PT no Senado.

Com informação da UOL.

 

Apresentador da Jovem Pan atacado por ‘bolsonaristas’ pede demissão


Crédito: Reprodução/Twitter

Na verdade o Carlos Andreazza já sabia que independente dele pedir ou não demissão, ele ia ter a sua cabeça cassada não tinha jeito. Já aconteceu com o Marco Antonio, já aconteceu com o Paulo Henrique Amorim e vai continuar acontecendo com quem ousar a fazer alguma crítica ao presidente Jair Bolsonaro. O jornalismo no Brasil, sem generalizar, está banalizado, pois os patrões fecham os negócios com o presidente e os jornalistas são obrigados a seguir. Jornalismo investigativo? Coisa para o Grenn ou aquele que resolver e tiver coragem para falar a verdade no seu próprio site. Pois até uma rádio é difícil de ser apenas neutra, pra poder transmitir a verdade. Hoje os acontecimentos estão ocultos e vão continuar. E se alguém se meter em “escrafunchar” e mostrar a realidade, é cachado de bandido e merecedor, dentro do atual sistema, de uma cana. Infelizmente a coisa está assim e com aval do próprio povo, em parte. Ate aqui Café com Leite Notícias.

veja abaixo a matéria da ISTOÉ.

 

Após Marco Antonio Villa deixar a Jovem Pan, Um outro jornalista também está de saída da rádio. Carlos Andreazza, repórter e apresentador, pediu demissão durante o programa 3 em 1.

“Pessoal, chegou a hora de eu deixar a Jovem Pan. Ao longo do último final de semana, conversei com a direção da rádio, apresentei meu pedido e fui liberado. As razões são inteiramente pessoais. Hoje eu me despeço. Foi meu último 3 em 1”, escreveu Andreazza no Twitter.

Antes atacado por petistas, Andreazza vinha sofrendo com ofensas e ataques virtuais de ‘bolsonaristas’, como são conhecidos também os eleitores do Jair Bolsonaro. No último fim de semana, o apresentador havia dito que o presidente havia enganado eleitores com seu discurso ao defender a nomeação de parentes.

Trabalhadores em condição análoga à escravidão são resgatados em Ribeirão do Largo


Três trabalhadores foram resgatados, nesta segunda-feira (05), durante ação de combate ao trabalho escravo no município de Ribeirão do Largo, na região Sudoeste da Bahia. Segundo Admar Fontes Júnior, coordenador do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo na Bahia (NETP), todos os resgatados são do gênero masculino, com idades entre 40 e 55 anos, e estavam trabalhando em uma fazenda, sem condições de alojamento e higiene.
Ele afirmou que os trabalhadores são do município de Itambé e foram para a fazenda através de um aliciador. No local, um dos alojamentos tinha estrutura comprometida, com vigas expostas e escoradas por madeiras. “Os trabalhadores dormiam no mesmo local que era utilizado para guardar ração dos animais. As camas também eram improvisadas e apesar do frio que se abate sobre a região, eles não tinham colchões e cobertores”, contou.
Além disso, os alojamentos não possuíam água potável, não tinha sanitários em condições de uso, nem local para banho ou para que os trabalhadores pudessem realizar suas necessidades. “Nenhum dos trabalhadores tinha registro em CTPS, e um deles já estava trabalhando há 14 anos sem direito a férias e 13º salário”, contou Fontes, reiterando que “a exploração de trabalhadores em condições análogas à de escravo é crime, e gera repercussões administrativas, cíveis e criminais. O empregador deverá regularizar a situação dos trabalhadores de forma retroativa, bem como oferecer condições dignas de trabalho.
A operação foi realizada por equipes o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo na Bahia (NETP) da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e de outros órgãos que compõem a Comissão para a Erradicação do Trabalho Escravo na Bahia (Coetrae).

Casos de feminícidio aumentam 44% no 1º semestre de 2019 em SP


Vítima de feminicídio em Mauá, na Grande SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Vítima de feminicídio em Mauá, na Grande SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Os casos de feminicídio aumentaram 44% no 1º semestre de 2019 no estado de São Paulo se comparados ao mesmo período do ano anterior, de acordo com levantamento feito pelo G1 e pela GloboNews. Nos primeiros seis meses deste ano, 82 mulheres foram vítimas de feminicídio. Em 2018, foram 57 casos.

Nesta quarta-feira (7), a Lei Maria da Penha, que criminalizou a violência contra a mulher, completa 13 anos.

A maioria dos casos, 73%, ocorreu dentro de casa: 60 de 82. Em 46% dos casos, o suspeito foi preso em flagrante. A média de idade de todas as vítimas mortas em 2019 é de 36 anos. A reportagem analisou as idades de 75 das 82 vítimas mortas neste ano. As informações das outras sete vítimas não constam nos boletins de ocorrência.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, do total de casos registrados no período, “68 deles foram esclarecidos e seus autores presos em flagrante ou no curso das investigações. Outros oito feminicidas morreram após as ocorrências”.

Desde 9 de março de 2015, a legislação prevê penalidades mais graves para homicídios que se encaixam na definição de feminicídio – ou seja, que envolvam “violência doméstica e familiar e/ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher”. Os casos mais comuns desses assassinatos ocorrem por motivos como a separação.

Em junho deste ano, ocorreram 10 casos contra 6 no mesmo mês de 2018, aumento de 67%. Foi no 1º semestre deste ano que a polícia paulista registrou o primeiro caso de feminicídio de uma vítima transexual, como o G1 e a GloboNews revelaram em maio.

Casos de feminicídio aumentam 44% no 1º semestre de 2019
Houve aumento em todos os meses, se comparado aos mesmos meses de 2018
Anos20182019JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho2,557,51012,51517,520
Fonte: Levantamento do G1 e GloboNews com base em dados da SSP

Na contramão dos feminicídios, os demais crimes violentos reduziram no mesmo período. O estado de São Paulo registrou queda no número de casos de latrocínios, roubos, estupros e homicídios no primeiro semestre de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018.

Segundo dados divulgados no último dia 25 pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), o estado termina o primeiro semestre com o menor número de casos e vítimas de homicídios dolosos e latrocínios registrados para o período na série histórica.

Para a diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, há aumento real dos casos de feminicídio.

“Eu não acho que a notificação esteja aumentando, consideramos isso como hipótese por muito tempo. Acho que há um processo de acomodação. Como a maior parte desses casos é decorrente de uma relação entre casal, o chamado ‘feminicídio íntimo’, a polícia já vinha classificando de maneira adequada há algum tempo. Então, acho que estamos falando de aumento real da violência de gênero”, diz.

Traçando hipóteses para entender por qual motivo as mulheres estão morrendo em proporção maior, Samira vê como possibilidade o maior alcance de um discurso que incentiva a violência como forma de resolução de conflito. “É possível ver aumento de crimes como linchamento, violência policial e violência de gênero”, diz.

O número de pessoas mortas por policiais militares também aumentou no primeiro semestre no estado: 4,28%. Ao todo, 414 pessoas foram mortas pela PM entre janeiro e junho de 2019, enquanto 397 foram mortas no mesmo período de 2018.

Outro fator importante para Samira é que a maioria das vítimas de feminicídio não tinham medidas protetivas ou boletins de ocorrência registrados.

“Precisamos encorajar essa mulher vítima de violência a denunciar. Os instrumentos não podem ser acionados sem as vítimas. A rede de acolhimento também precisa estar fortalecida. A entrada delas só vai acontecer por meio da assistência social, Saúde, que precisariam funcionar minimamente para fazer com que essa mulher procure a delegacia para denunciar. Se a rede não estiver funcionando, ela dificilmente vai chegar na delegacia ou acionar 190”, disse.

A SSP, por meio de nota, informou que “para combater a violência contra a mulher e reduzir a subnotificação desses crimes, o governo do estado ampliou de uma para 10 as delegacias de Defesa da Mulher 24 horas em todo o estado”.

“Outras 30 unidades também terão atendimento ininterrupto até 2022. Também implementou o SOS Mulher, aplicativo que prioriza o atendimento às pessoas com medidas protetivas, deslocando as equipes policiais mais próximas do local da ocorrência, e lançou uma campanha para conscientizar a população sobre o combate à violência doméstica, inclusive estimulando a denúncia dos agressores”, diz o texto.

Casa onde ocorreu o assassinato de uma mulher em Guarulhos — Foto: Reprodução/TV GloboCasa onde ocorreu o assassinato de uma mulher em Guarulhos — Foto: Reprodução/TV Globo

Casa onde ocorreu o assassinato de uma mulher em Guarulhos — Foto: Reprodução/TV Globo

Casos

Um dos casos de feminicídio íntimo desse semestre ocorreu em Guarulhos, na Grande São Paulo, quando um homem matou a mulher a facadas após uma discussão. De acordo com a polícia, Wladimir Oliveira da Silva, de 51 anos, estava em um bar por volta das 21h, quando decidiu voltar para a casa. Na residência, o homem brigou com a esposa Valdikelle Maria Silva, de 31 anos, e depois a esfaqueou.

Segundo os policiais, três crianças estavam dentro da casa na hora do crime, mas a polícia não confirma se são filhos do casal. Após esfaquear a esposa, o homem tentou se matar, também com golpes de faca. Ele foi levado para o Hospital Geral de Guarulhos.

Justiça

A Justiça aceitou denúncia e tornou réu sob a acusação de feminicídio Pablo Danilo dos Santos Damásio, 22 anos. Ele é apontado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual como autor do assassinato da garota de programa Viviane Miranda Maurício, 24 anos. O crime ocorreu dentro de um apartamento em Mauá, no ABC paulista, no dia 24 de abril deste ano.

Damásio, que fugiu após cometer o crime, foi preso em flagrante durante uma tentativa de roubo, na cidade de Paraty, no litoral fluminense, no dia 14 de maio. Até o momento da publicação desta reportagem, ele não tinha constituído advogado para defendê-lo dessa acusação.

Na denúncia, o Ministério Público sustenta que Damásio matou Viviane após se negar a pagar o valor acertado para o programa com a vítima.

Em um trecho da denúncia, o promotor de Justiça Flávio Leão de Carvalho afirma que “razões da condição do sexo feminino restaram comprovadas, vez que Pablo claramente menosprezou a vida da vítima pelo só fato de ser ela garota de programa”.

Ao defender a manutenção da prisão preventiva do suspeito, ou seja, sem prazo definido para a sua libertação, o promotor declarou que “o denunciado possui histórico de violência doméstica contra sua companheira ora testemunha, Camille, podendo ele, em liberdade, coagi-la a prestar depoimento em seu favor”.

Itabuna: Vítima de falso dentista teve 9 dentes extraídos de uma vez após se queixar de dor


-
Homem teve nove dentes extraídos de uma só vez por falso dentista na Bahia — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Uma das vítimas do falso dentista que é investigado por atuação irregular na Bahia denunciou nesta terça-feira (6) que teve nove dentes extraídos de uma só vez pelo homem durante uma consulta. A vítima, que preferiu não se identificar, contou que procurou o falso dentista, sem saber que ele não era um profissional da área, após uma inflamação em um dos dentes e afirmou que foi surpreendido com as extrações.

Segundo o homem, o procedimento foi realizado no mesmo dia em que ele passou por consulta com o suspeito, que ainda receitou remédios, no município de Itabuna, no sul do estado.

“Procurei, encontrei com o senhor Paulo… ele fez um orçamento. De imediato, mandou que eu comprasse uma medicação na farmácia em frente [ao escritório]. E, na mesma hora, ele arrancou os dentes e colocou os pinos na minha boca”, contou o homem.

Além dele, outras pessoas da cidade relataram problemas com o falso dentista. A empregada doméstica Sirlene Santos conta que ficou abalada após levar o filho de 21 anos para uma avaliação com o suspeito.

Paulo Henrico Almeida é investigado pelo crime de exercício ilegal da profissão de dentista em Itabuna e em Vitória da Conquista — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Paulo Henrico Almeida é investigado pelo crime de exercício ilegal da profissão de dentista em Itabuna e em Vitória da Conquista — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Durante a consulta, o falso dentista teria orientado que o jovem tivesse dois dentes extraídos e substituídos por implantes – o que foi seguido pela família. Contudo, Sirlene conta que, durante o procedimento, percebeu que algo estava errado.

“Com uma hora lá dentro, a moça já saiu com uma bandeja cheia de dentes. Aí eu comecei a chorar. Ele disse que o meu filho estava com uma bactéria no sangue, que poderia vir a óbito. Eu confiei nele. Achei que ele era dentista”, contou Sirlene.

Outra vítima denunciou que teve uma infecção grave após colocar implantes com o falso profissional. O carpinteiro Frank Andrade conta que pagou R$ 6 mil pelo procedimento, que também foi feito no mesmo dia do orçamento, sem nenhum preparo prévio.

“Começou a sangrar pelos implantes 20h e foi parar 2h. Eu comecei a enfraquecer, enfraquecer… aí fui parar na UPA [Unidade de Pronto Atendimento]. Fiquei lá a noite toda tomando soro. Quase eu morria. Fiquei mal mesmo. E fiquei assim por seis meses, até descobrir que o implante estava infeccionado”, falou Frank.

O falso dentista é Paulo Henrico Almeida, que tem 38 anos. Ele é estudante de odontologia e é investigado pelo crime de exercício ilegal da profissão em Itabuna e em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia.

Em Conquista, em maio deste ano, o Conselho Regional de Odontologia (CRO) o denunciou pela atuação irregular. Já em Itabuna, a Polícia Civil pediu a suspensão temporária da clínica onde o falso dentista atuava.

De acordo com o delegado Humberto Marques, a clínica era investigada pelo CRO porque não tinha um responsável técnico especializado em implantes. Entretanto, os donos da unidade médica mudaram o nome do administrador.

Humberto Marques informou que a mudança de administrador da clínica foi considerada como uma tentativa de esconder a irregularidade. O delegado ainda contou que o novo administrador também não tem a especialização em implantes odontológicos.

Segundo o delegado, o inquérito do caso deve ser concluído em até 20 dias. O órgão vai ouvir nove dentistas e vai analisar o resultado dos laudos das perícias feitas para constatar as graves lesões nos pacientes.

Clínica onde falso dentista trabalhava no sul da Bahia — Foto: Reprodução/ TV Santa Cruz
Clínica onde falso dentista trabalhava no sul da Bahia — Foto: Reprodução/ TV Santa Cruz
Estudante já havia sido denunciado em Vitória da Conquista — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Estudante já havia sido denunciado em Vitória da Conquista — Foto: Reprodução/Redes Sociais

“Eu não vou te abandonar”, diz filho para mãe cega na cama: vídeo


Saulo alimenta dona Maria - Foto: vídeo/ Instagram

Saulo alimenta dona Maria – Foto: vídeo/ Instagram

São lindos o amor e a dedicação de um filho pela mãe, que ficou cega há 10 anos e está na cama há 5 anos.  “Eu não vou te abandonar”, diz  Saulo Luiz Albuquerque, de 37, anos a Dona Maria Emérita, de 79 anos (vídeo abaixo)

Ele dá banho, troca as fraldas, penteia os cabelos e dá comida na boca da mãe diariamente. E reconhece as dificuldades que a mãe teve para manter a família.

“Meu pai faleceu 15 dias antes de eu nascer, em 1982. Não tive oportunidade de conhecê-lo. Ela cuidou da gente sozinha”, contou Saulo em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Depois de criar os filhos, dona Maria teve glaucoma e perdeu a visão dos dois olhos. Depois sofreu duas quedas, quebrou o fêmur direito, o fêmur esquerdo e não se levanta mais sozinha.

“Na primeira vez ela escorregou em um tapete na porta do banheiro. Na segunda, foi levantar da cama sozinha para urinar e na hora que foi sentar no vaso, caiu”, contou o filho.

A família mora na cidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco. São 5 pessoas: Dona Maria, Saulo, o filho dele, a irmã dele, Elida Maria, que é diarista e o filho dela.

Saulo é conferente, trabalhou em almoxarifado, mas está desempregado há 6 meses. Hoje eles sobrevivem com as diárias da irmã Elida, como faxineira, mais um salário mínimo da pensão de Dona Maria.

Quando um filho arruma serviço, o outro tem que ficar em casa para cuidar da mãe.

‘Só Deus vai nos separar’

De uns tempos pra cá Saulo começou a gravar imagens do dia a dia dele com a mãe e a postar no perfil dele no Instagram, onde se autointitula “filho abençoado”.

Em um dos vídeos enviados por ele ao SóNotíciaBoa, Dona Maria aparece triste, chorando na cama e Saulo pergunta o motivo. Ela diz “emoção”.

Saulo responde: “Eu não vou lhe abandonar, não”.

Dona Maria sorri e beija o filho.

É uma relação de respeito, amor e gratidão.

“Só tenho a retribuir tudo o que ela fez por mim. Só Deus vai nos separar”, concluiu Saulo.

Assista:

Ex-ministro, Bebbiano dispara contra Bolsonaro: “Desenvolve uma gestão pela intimidação”


“O rei não tem quem lhe avise que ele está quase nu”, disse o ex-braço direito de Bolsonaro em entrevista em que afirma que o presidente não se conscientizou do papel que cumpre e que ataca indicação de Eduardo como embaixador: “imoral”, “péssima” e “antiestratégica”

Em entrevista à jornalista Mariana Sanches, da BBC News Brasil, o ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebbiano, considerou que o presidente Jair Bolsonaro não se conscientizou do papel que deveria exercer como presidente da República – e do peso das declarações – , destacou que ele sempre se promoveu pela polêmica e distribuiu críticas aos filhos do presidente, principalmente ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O ex-ministro avalia que Bolsonaro precisa entender que agora ele não pode mais viver de polêmicas, como fez durante toda a sua vida política. “A vida política dele é alimentada por isso. Ele teve uma carreira solo durante quase 30 anos. Nunca estabeleceu vínculos partidários, nem nunca se preocupou em fazer uma política com realizações. Não teve projetos muito relevantes como deputado e ele aprendeu a marcar o nome dele, manter o nome dele vivo na política com esse tipo de embate. Só que agora a função é completamente diferente”, disse.

Nesse sentido, considerou que Bolsonaro faz uma gestão complicada, sem a “sinceridade” dos subordinados. “Da forma como ele vem fazendo, me parece que ele desenvolve uma gestão muito mais pela intimidação, ou seja, as pessoas ao redor dele trabalham intimidadas, portanto, não tem espontaneidade nem sinceridade pra falar o que precisa falar pra ele, então eu acho que ele pode errar na dose e isso pode custar pra ele um preço bastante alto”, afirmou.

Veja também:  Bolsonaro acaba com publicação de balanço de empresas em jornais

Bebbiano ainda considerou a indicação de Eduardo para a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos como “imoral”, “péssima” e “antiestratégica”. “O Eduardo, coitado, ele não tem a menor condição. Ele sequer saber o papel de um embaixador. Ele não tem ideia. Eu convivi de perto com o Eduardo, ele não tem noções básicas de negociação, é um garoto, um menino, um surfista que teve um mandato por causa do pai, depois surfou de novo a onda do pai, na conquista do segundo mandato, mas é um rapaz completamente inexperiente. O nível acadêmico dele é bem iniciante, ele não tem condições. Então, é um equívoco monstruoso”, rechaçou.

Ele ainda criticou os outros filhos do presidente: “Carlos mantém uma influência mais à distância, quer dizer, próxima, mas velada. Ele gosta de fazer as coisas nos bastidores e o Flávio atravessa esse problema aí, de empregar parente, (de problemas na contratação no gabinete como deputado no Rio) e isso é muito ruim porque nada mais é do que a velha política”, disse.

Na entrevista ele ainda destaca que muitos dos que atuaram na campanha de Bolsonaro, como ele, foram deixados de lado e agora o presidente estão rodeado de “puxa-sacos”. “O rei não tem quem lhe avise que ele está quase nu”, disparou.

Bebianno deixou o governo Bolsonaro em fevereiro. Alvo de denúncias que o apontam como responsável por um esquema de candidatos laranjas na campanha eleitoral do PSL, o ex-ministro foi fritado pelo vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, que disse nas redes sociais que o então homem forte do governo mentiu ao falar que havia conversado três vezes com o presidente na semana em que as denúncias contra ele vieram à tona.

Com informação da Fórum.

Imagine um mundo sem médicos cubanos


Imagine um mundo sem médicos cubanos

Para um cientista político, a ação dos médicos de Cuba espalhados por diversos países, pode ser um bom remédio para a humanidade.

Pedro Monzón Barata (*)

Conhecer qual é a verdade em um mundo no qual muitas notícias,  declarações falsas e a falta de ética estão em moda, é muito difícil; mais ainda quando seus autores estão movidos pela bruta agressividade imperial.

Enganar, porém, nem sempre é fácil. Este é o caso da cooperação médica cubana. Organismos internacionais, revistas especializadas, governos e, sobretudo, os povos atestam a realidade.   Com razão insistem no mérito da participação massiva, sem precedentes, de especialistas da saúde cubanos em projetos solidários nos lugares mais distantes do mundo. Os números  não mentem. Em 55 anos, até 2018, 164 países foram atendidos por 407419 colaboradores da saúde cubanos.

Agora bem, às vezes se omitem o ângulo mais importante: o que haveria sucedido, em um mundo sem o esforço massivo, sem precedentes, de médicos cubanos? Haveria sido trágico:

  • Apenas entre 1990 e 2018 teriam morrido ou estariam sofrendo de doenças curáveis ​​1.515.996.582 pessoas no planeta. Isso mesmo: 1,5 bilhão de pessoas.
  • Permaneceriam na cegueira, ou quase cegos, mais de 5 milhões de pessoas na América Latina e Caribe.
  • Teriam morrido centenas de milhares de haitianos, equatorianos, paquistaneses, moçambicanos e de outros 22 países afetados por fenómenos naturais extremos, que foram atendidos pela Brigada contra desastres Henry Reeves.
  • Teriam morrido ou padecido por graves doenças muitas das 25.000 crianças contaminadas pela radiação no acidente de Chernobyl, que foram atendidas gratuitamente em Cuba.
  • Um número incalculável de africanos teriam morrido pela epidemia de ebola.
  • Em consequência da diabetes, dezenas de milhares de pessoas teriam tido que suportar amputações de membros.
  • Não estariam graduados mais de 29.000 médicos talentosos, porém de origem pobre, de aproximadamente 105 países, que após se formarem em Cuba regressaram à suas comunidades.
  • Não seria possível tratar em Cuba centenas de pacientes de câncer de pulmão, de pele, cabeça e pescoço, entre outras doenças.

Por outro lado, perder-se-ia a oportunidade de presenciar uma massiva experiência humanitária que demonstra que:

  • Os seres humanos podem trabalhar por vocação, não unicamente por dinheiro.
  • O direito humano à saúde é uma razão poderosa para tamanha empresa.
  • A prioridade é evitar doenças, não curá-las, e para isso eles se apoiam no  trabalho social.
  • Mesmo um pais pobre e bloqueado economicamente, que se guie por políticas humanistas, pode chegar a ter um sistema de saúde gratuito, altamente sofisticado e contribuir decisivamente para a sobrevivência da humanidade. Que, com muito mais razão, um país rico teria possibilidades infinitas de ajudar ao mundo, se utilizasse para este fim parte de sua riqueza, talvez somente a que se gasta em armas e agressões.
  • Um sistema como o cubano dá lugar a especialistas de saúde humanos e respeitosos com seus pacientes, independentemente da origem social, raça, gênero, religião, ideologia e posição política.

Por isso, o êxito das políticas dos Estados Unidos, seguidas por um grupo escasso seguidores,  não somente tirou dos trabalhadores da saúde cubanos a oportunidade de fazer algo nobre para a humanidade, mas, ao contrário, condenou à morte e a suportar doenças curáveis e tirou as esperanças de milhões de pessoas, sobretudo pessoas humildes e sem recursos. Nos seus jogos egoístas não se importam com as consequências. Cuba não faz política com a saúde do povo.

(*) Pedro Monzón Barata, cientista político pela Universidade de Havana, é Consul Geral de Cuba em São Paulo e ex-embaixador cubano na Austrália e na Malásia.

Fonte desta matéria, Nocaute.

Morre traficante que tentou fugir da prisão disfarçado de mulher


Clauvino da Silva foi encontrado sem vida em sua cela em Bangu 1.

DIVULGAÇÃO/SEAP

O traficante Clauvino da Silva, 42 anos, foi encontrado morto em sua cela de segurança máxima na prisão Bangu 1, no Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira (6).

De acordo com informações da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o traficante se enforcou. O corpo de bombeiros foi chamado para realizar o registro de ocorrência. Também será instaurada uma sindicância para apurar os fatos.

O detento tentou fugir do presídio Gabriel Ferreira Castilho, Bangu 3, no último sábado (3) usando uma máscara de rosto de mulher e vestindo roupas de sua filha.

Um vídeo, divulgado por autoridades prisionais, em que ele lentamente remove seu disfarce, viralizou na internet.

Twitter Moments Brasil

@MomentsBrasil

⚡Clauvino da Silva, traficante de Angra dos Reis, foi pego tentando escapar de Bangu 3 vestido de mulher. O pessoal achou até que fosse um trailer de ‘As Branquelas 2’.https://twitter.com/i/events/1157797778224893953 

Espera aí, a gente não lembra dessa parte de ‘As Branquelas’ 🤔

Após o ocorrido, o preso foi colocado em isolamento em Bangu 1.

Clauvino, que era conhecido como “Ronca” e “Baixinho”, cumpria pena de mais de 100 anos de prisão por tráfico de drogas.

A tentativa de fuga

De acordo com a Seap, Clauvino teria contado com a colaboração de sua filha de 19 anos, Ana Gabriele, que fez visita ao pai no sábado para planejar a fuga.

Ele vestiu as roupas da menina para tentar sair da prisão. Ainda, usou um óculos de grau e uma máscara de plástico que teriam sido levados para a penitenciária por uma mulher grávida, já que ela não poderia ser revistada.

Após o plano ser descoberto, os agentes penitenciários detiveram o traficante, sua filha e mais 7 visitantes que estariam envolvidos no caso.

Clauvino já havia tentado escapar pelo sistema de esgoto do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, em fevereiro de 2013. Porém, foi recapturado um mês após a fuga, na cidade de Angra dos Reis.

Apesar das tentativas de fuga, o traficante não tinha maiores problemas disciplinares na instituição e era apontado como um “detento calmo” pela Seap.

Torcedor do Corinthians é preso e humilhado por protestar contra Bolsonaro


“E aí, você não é valentão, quem mandou xingar o nosso presidente?”. PMs prendem, agridem e humilham torcedor do Corinthians apenas porque ele protestou contra Jair Bolsonaro. Trabalhador relata momentos de terror psicológico e pura maldade

torcedor do corinthians bolsonaro
O vendedor Rogério Lemes (reprodução)

O vendedor Rogério Lemes foi agredido, detido e levado à delegacia por policiais militares (PMs), no último domingo (4), apenas por protestar contra o presidente Jair Bolsonaro. Torcedor do Corinthians, ele estava na arquibancada no jogo da equipe contra o Palmeiras, na rodada de fim de semana do Campeonato Brasileiro, em Itaquera, na zona leste de São Paulo.

“Eu estava dentro do Estádio e comecei a gritar ‘Bolsonaro vai tomar…’. E os policiais vieram pra cima, um já me deu um “mata-leão” (imobilização). Quando eu caí, me algemaram, me levaram pra uma sala e ficaram me humilhando”, relatou Lemes nas redes sociais.

Exibindo marcas nas mãos e pulsos, o vendedor disse que apanhou antes de ser levado à Delegacia Geral de Polícia, na Luz, região central da cidade.

O Boletim de Ocorrência (BO) indica que não havia qualquer conduta ilícita que justificasse a detenção de Lemes. Jaciel Ferreira da Silva e Paulo Alexandre Pires de Souza, PMs que abordaram o torcedor alegaram que ele estava “gritando palavras contra o atual presidente” e para “evitar um princípio de tumulto” o prenderam.

No entanto, não existe a figura da prevenção de tumulto para prender alguém. Se estivesse ocorrendo uma discussão ou briga, outras pessoas teriam sido detidas com Lemes, como explicou o advogado e membro do Conselho Estadual de Proteção aos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) Ariel Castro Alves.

“A liberdade de opinião e expressão é garantida pela Constituição Federal. Os PMs que abordaram o torcedor na Arena Corinthians precisam responder por abuso de autoridade, previsto na Lei 4.898 de 1965. Se ele estivesse sendo agredido por outras pessoas, se justificaria que os policiais levassem para a delegacia do torcedor todos, ele como vítima, e os agressores. Os PMs justificam isso como um álibi, já que cometeram abuso de autoridade”, afirmou.

Na última semana, dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP) indicam aumento na violência e na letalidade policial em São Paulo. No primeiro semestre, policiais militares em serviço e de folga mataram 414 pessoas. Em igual período de 2018, os PMs mataram 397 pessoas.

Matéria na integra do Pragmatismo.