(77) 99152-6666

Raridade: filme caseiro mostra Raul Seixas nu em férias baianas


O vídeo mostra também o roqueiro comprando acarajé e fumo, visitando o Pelourinho, e na intimidade com a família e amigos

Foto : Reprodução YouTube

Publicado no canal oficial do artista, este filme raro em Super 8 mostra Raul Seixas e família em férias na Bahia no ano de 1973.  Além de imagens inéditas do cantor e compositor que tinha acabado de lançar o primeiro LP, “Krig-ha, Bandolo!”, o vídeo traz também vislumbres preciosos de Dias d’Ávila e Salvador naquele início de década.

Uma das cenas, por exemplo, mostra Raul subindo o Beco do Mota, no Pelourinho: Rua Leovigildo de Carvalho, onde moraram o sambista Batatinha e o obá de Xangô Miguel Sant’Anna. O roqueiro também pinta comprando acarajé, fumo, água de coco e assistindo a uma roda de capoeira, além de tomando banho de rio devidamente nu.

O elenco é de primeira: o irmão Plínio, a esposa Edith, o sogro, a mãe, o pai e uma das filhas de Raul, Simone Vannoy, então um bebê. Assista logo! #TaNoYouTube. Metro1

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Sextou: sorria, hoje é o dia da Preparação: por Walter Salles


 Se você tiver paciência, leia esse texto até o seu final. Tenho certeza que irá aprender muito. Isso se for um observador da Palavra de Deus (bíblia), ou pelo menos acreditar na mesma.

 

Através de Moisés os Dez Mandamentos foram entregues no Monte Sinai ao povo hebreu, por Deus, separadamente do restante da Torá (ensinamentos). De acordo com a Bíblia, os Mandamentos escritos nas duas tábuas da Lei, foram escritas pelo dedo do próprio Deus sendo que os demais foram ditados e escritos em pergaminhos por Moisés e ambos falados diretamente ao povo.

 

Walter Salles: Então, está achando mesmo que se trata de uma sexta feira que a galera se prepara para as baladas que já começa na sexta à noite e vai até o domingo, com muitas farras e cerveja gelada? Xiii, pensou errado, mano velho! Estou falando do dia da preparação para receber o Sábado que foi separado dos demais dias e o santificando, sabe por quem? Por Deus, meu amigo e minha amiga. E Deus não é de voltar atrás nas coisas que ele fala. O sábado é um dos 10 mandamentos de Deus, o quarto, e não adianta tapar sol com peneira. Em lugar algum você encontra na bíblia que o Sábado foi abolido.
Em Êxodo 20, do verso 8 até o 11 está bem claro, veja aí:

 8 Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, 10 mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. 11 Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado e o santificou.

Pois é meus amigos e amigas; é muito interessante a gente observar o que Deus deixou escrito na bíblia, através dos profetas, para que a nossa fé se aflore. Mas devemos lembrar sempre, que os mandamentos foram escritos pelo dedo do próprio Deus.

Vou mais adiante um pouco, para que você veja que a coisa é séria e que Deus mandou alimentos pro seu povo que atravessava o deserto. Mandava no primeiro dia da semana, (Domingo) no segundo, no terceiro, no quarto, no quinto e no sexto. Só que no sexto dia, que agente a chama de sexta feira, o alimento era dobrado para sobrar para o Sábado, pois no sábado não era preparado por Deus o alimento. O exemplo vinha e vem do alto. No entanto, se algum dos viajantes guardassem durante a semana algum daqueles alimentos para o dia seguinte, amanhecia cheirando mal e cheio de bichos. Veja da própria bíblia.

E, partidos de Elim, toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do mês segundo, depois que saíram da terra do Egito. E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto. E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera que nós morrêssemos por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes tirado para este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.

Então, disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá e colherá cada dia a porção para cada dia, para que eu veja se anda em minha lei ou não. E acontecerá, ao sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia. Então, disse Moisés e Arão a todos os filhos de Israel: À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egito, e amanhã vereis a glória do Senhor, porquanto ouviu as vossas murmurações contra o Senhor; porque quem somos nós para que murmureis contra nós? Disse mais Moisés: Isso será quando o Senhor, à tarde, vos der carne para comer e, pela manhã, pão a fartar, porquanto o Senhor ouviu as vossas murmurações, com que murmurais contra ele (porque quem somos nós?). As vossas murmurações não são contra nós, mas sim contra o SenhorDepois, disse Moisés a Arão: Dize a toda a congregação dos filhos de Israel: Chegai-vos para diante do Senhor, porque ouviu as vossas murmurações. 10 E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto, eis que a glória do Senhor apareceu na nuvem.

E o Senhor falou a Moisés, dizendo: 12 Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel; fala-lhes, dizendo: Entre as duas tardes, comereis carne, e, pela manhã, vos fartareis de pão, e sabereis que eu sou o Senhor, vosso Deus. 13 E aconteceu que, à tarde, subiram codornizes e cobriram o arraial; e, pela manhã, jazia o orvalho ao redor do arraial. 14 E, alçando-se o orvalho caído, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra. 15 E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disse-lhes, pois, Moisés: Este é o pão que o Senhor vos deu para comer. 16 Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Colhei dele cada um conforme o que pode comer, um gômer por cabeça, segundo o número das vossas almas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda. 17 E os filhos de Israel fizeram assim; e colheram, uns, mais, e outros, menos. 18 Porém, medindo-o com o gômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco; cada um colheu tanto quanto podia comer. 19 E disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para amanhã. 20 Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés; antes, alguns deles deixaram dele para o dia seguinte; e aquele criou bichos e cheirava mal; por isso, indignou-se Moisés contra eles. 21 Eles, pois, o colhiam cada manhã; cada um, conforme ao que podia comer; porque, aquecendo o sol, derretia-se.

E aconteceu que, ao sexto dia, colheram pão em dobro, dois gômeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram e contaram-no a Moisés. 23 E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o; e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar ponde em guarda para vós até amanhã. 24 E guardaram-no até pela manhã, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal, nem nele houve algum bicho. 25 Então, disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis no campo. 26 Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá. 27 E aconteceu, ao sétimo dia, que alguns do povo saíram para colher, mas não o acharam. 28 Então, disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis? 29 Vede, visto que o Senhor vos deu o sábado, por isso ele, no sexto dia, vos dá pão para dois dias; cada um fique no seu lugar, que ninguém saia do seu lugar no sétimo dia. 30 Assim, repousou o povo no sétimo dia.

Muito linda assa passagem da bíblia. Bom, como hoje é sexta feira, o chamado Dia da Preparação, também é bíblico, vou encerrar as minhas atividades aqui, vou me preparar para amanhã que é o Sábadão do Senhor.

Já no primeiro dia da semana, o chamado domingo, é dia de trabalho pesado e assim o faço. Um abraço a todos e feliz Sábado!!

 



Barroso teve apoio da maioria do STF para mandar Senado instalar CPI da Pandem


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso ouviu informalmente todos os demais membros da Corte antes de assinar, nesta quinta-feira (8), a liminar determinando que o Senado instale a CPI da Pandemia, para investigar eventuais crimes do governo de Jair Bolsonaro no combate à pandemia de Covid-19, que já matou mais de 345 mil pessoas no Brasil.

Segundo reportagem da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a maioria dos ministros teria avalizado a decisão monocrática ao ressaltar que a jurisprudência do STF determina a instalação obrigatória de uma CPI quando os requisitos necessários são atendidos, sem que haja a possibilidade de uma análise política do caso pelo presidente da Corte.

No despacho sobre o caso, o ministro ressaltou que gostaria de levar o caso para ser analisado pelo plenário do tribunal nesta quinta-feira (8), o que não foi possível em função da realização do julgamento que proibiu a realização de cultos religiosos e missas presenciais durante a pandemia.

A abertura da CPI da Pandemia atende a um pedido da oposição para apurar eventuais crimes e omissões do governo Jair Bolsonaro no enfrentamento da crise sanitária. Decisão de Barroso aconteceu um dia após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), ter defendido que a CPI não fosse instalada.

 Bolsonaro faz ataque violento a Barroso e diz que ele fez “politicalha” ao mandar abrir CPI

“Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial. Não é disso que o Brasil precisa. Vivemos um momento crítico de pandemia, pessoas morrem, e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal”, disse Bolsonaro durante encontro com apoiadores no Palácio do Planalto, de acordo com o jornal O Globo

A informação é do 247

Marido de Elizabeth II, príncipe Philip morre aos 99 anos


[Marido de Elizabeth II, príncipe Philip morre aos 99 anos]

O príncipe Philip, marido da Rainha Elizabeth II, morreu na manhã de hoje (9) aos 99 anos, conforme comunicado anunciado pelo palácio de Buckingham. A família real anunciou que a morte aconteceu no Castelo de Windsor, pela manhã, de causas naturais. Duque de Edimburgo, ele tinha o recorde de longevidade de todos os consortes ingleses.

Philip serviu à Marinha durante a Segunda Guerra, e sua aposentadoria como figura pública foi anunciada em maio de 2017. No mês passado, ele havia sido internado na Inglaterra com problemas cardíacos.

Metro1

Com caos na economia e desemprego recorde, Bolsonaro quer manipular estatísticas do IBGE


Jair Bolsonaro voltou a criticar nesta quinta-feira (8) a Pnad Continua (indicador de desemprego), em uma repetição do que já havia feito há dois anos. Segundo ele,  a culpa pelo aumento do desemprego no Brasil seria apenas fruto da da metodologia do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que mede o índice.  Ele ameaça intervir no instituto, criado em 1936 e respeitado mundialmente. O Brasil em hoje taxa de desocupação de 14,2%, maior número de desempregados desde o início da série histórica da pesquisa Pnad

“Estamos criando empregos formais mês a mês. Mas tem aumentado o desemprego por causa dessa metodologia do IBGE que atendia ao governo da época”, disse em entrevista à CNN, mentindo sobre o índice e a realidade do desempregro.

Segundo revelou reportagem do jornal Folha de S.Paulo, a taxa de desemprego no trimestre encerrado em janeiro foi de 14,2%, a pior para o período desde o início da pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2012. Ao todo, 14,3 milhões de brasileiros estavam em busca de uma vaga no período.

Esse é, segundo o IBGE, o maior número de desempregados desde o início da série histórica da pesquisa. São cerca de 200 mil pessoas a mais do que no trimestre anterior, encerrado em outubro, e 2,4 milhões de pessoas a mais do que no mesmo trimestre de 2020, antes do início da pandemia.

O IBGE explicou, em nota, há dois anos, que a metodologia segue das recomendações da OIT (Organização Internacional do Trabalho).

“A utilização de conceitos, classificações e métodos internacionais pelos órgãos de estatística de cada país promove a coerência e a eficiência dos sistemas de estatística em todos os níveis oficiais, conforme preconizam os Princípios Fundamentais das Estatísticas Oficiais”, informou o IBGE há dois anos.

A informação foi do 247

 

“Tira a máscara, caralho”, disse Bolsonaro a Queiroga em jantar com empresários


 Em jantar com empresários, ao contrário de Jair Bolsonaro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, circulou de máscara. Bolsonaro questionou: “Ô, Queiroga, tá de máscara? Tira a máscara, caralho”. Ao que o ministro respondeu, rindo: “tenho que dar o exemplo. Para com essa mania de querer desmascarar as pessoas”.

A parte pior da história, é que muita gente, [eleitores incondicionais], acham bonito esse modela de linguajá do presidente da República. Não se interessam saber o que está por trás deste jantar; não se interessam saber o quanto o governo escancaradamente está governando para os ricos; não se interessam saber o quanto as pessoas de baixa renda vão se prejudicar com a falta de vacina que já chega em conta gotas, e que sendo liberada para os empresários comprarem, certamente as gotas para a população vão ficar ainda mais lenta; enfim: não estão preocupados em saber o que está sendo feito com o Brasil, mas sim elogiar o presidente e até o aplaudir, cada vez que ele solta um palavrão desses que ele está acostumado. Infelizmente é assim. Pelo menos o Queiroga mostrou que não é tão pau mandado, a exemplo do outro que foi obrigado a suspender uma compra grande de vacinas no mês de Dezembro, que certamente, não sendo suspensa, muita mais pessoas já estariam vacinadas e,  consequentemente, muito menos mortes. Mas para quem não tem sentimentos, isso é o que menos importa.

Como fundador do Café com Leite há 32 anos, como editor do mesmo e um dos redatores, sempre presei por defender quem deve ser defendido. Na atualidade, o que acho é que o povo brasileiro, principalmente a classe mais pobre, vive numa verdadeira “roleta russa”, onde a “bala” atinge todos os dias de três a quatro mil pessoas e ninguém sabe quais serão os próximos dos dias que virão. Para livrar os amigos empresários desta “roleta”, agora será liberado para a furada de fila de forma injusta e nojenta, a compra de vacinas para vacinar seus familiares e amigos.

E por falar nisso, se você quiser saber o que rolou no jantar dos ricos, clique aqui nessas letras vermelhas.

Operação Cartel Forte: MP denuncia cinco pessoas por esquema de corrupção no Detran


Operação Cartel Forte: MP denuncia cinco pessoas por esquema de corrupção no Detran

Foto: Reprodução / TV Globo

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) denunciou cinco pessoas por crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, a partir da investigação realizada na Operação Cartel Forte. A denúncia foi apresentada na última segunda-feira (5). O grupo praticava crimes na prestação de serviço de estampamento de placas veiculares junto ao Departamento

Oferecida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), a denúncia partiu de investigações que revelaram a existência de novo grupo, formado por servidores do órgão público, que negociava e cobrava propinas nos serviços de vistoria e emplacamento de veículos.

 

Foram denunciados o presidente da Associação Baiana de Estampadores de Placas Veiculares e Similares (ABEPV), Adriano Muniz Decia, considerado o coordenador da associação criminosa;  Catiucia Souza Dias, apontada como gerente operacional do esquema; e os servidores do Detran Alex de Carvalho Souza Júnior, contratado via Reda; Leandro Reis dos Santos e Patrícia Meireles Notari, que coordenava o posto do Detran localizado no Shopping Salvador – ela foi exonerada após a segunda fase da Cartel Forte. Os crimes foram descobertos a partir da deflagração da segunda fase da operação, com análises das conversas entre os denunciados em aplicativo de mensagens. Adriano Decia e Catiucia Dias já são alvos de uma primeira denúncia do Gaeco, acusados de cometerem crimes de formação de cartel, falsidade ideológica, fraude em licitação e lavagem de dinheiro.

 

Segundo o Gaeco, Patrícia Notari e Alex de Carvalho, em prévio ajuste de preços feito com Catiucia Dias, sob a orientação geral de Adriano Decia, recebiam propina para condenar placas de veículos, direcionando os clientes a comprarem um novo par de placas veiculares junto à empresa RF Placas, cujo quiosque, localizado no shopping próximo ao posto do Detran no SAC, era administrado por Catiucia. Conforme a denúncia, para cada venda de placa direcionada pelo valor de R$ 140, Patrícia e Alex recebiam R$ 40 e R$ 30, respectivamente. Como coordenadora do posto, ela gerenciava os agendamentos diários e as vistorias a serem direcionadas à empresa e ele, servidor responsável pela vistoria, “condenava” as placas, indicando aos clientes a necessidade da aquisição de novo par. Já Leandro Reis, aponta a denúncia, fazia o transporte e a entrega da propina em espécie. A denúncia estima que o quiosque faturava por mês cerca de R$ 14 mil. “Todo controle financeiro dos diversos atos de corrupção em série foi detalhadamente planilhado pela associação criminosa”, destacou o Gaeco.

Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-Ba).

Bolsonaro é um perigo para o Brasil e para o mundo, diz jornal britânico…


Jair Bolsonaro é tema de editorial do jornal britânico The Guardian - Raul Spinassé/Folhapress
Jair Bolsonaro é tema de editorial do jornal britânico The GuardianImagem: Raul Spinassé/Folhapress

Na noite de ontem, o jornal britânico The Guardian publicou um editorial criticando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Na opinião expressa pelo jornal, o político coloca não só o Brasil em risco, mas o planeta inteiro.

A publicação cita os mais de 60 mil brasileiros mortos em março por causa da pandemia da covid-19 e lembra que Bolsonaro já criticou o uso de máscaras, além de se posicionar contra as medidas de isolamento social e à vacinação. UOL

 

 

No dia mundial da Saúde, Lula lembra em carta que luta é contra Bolsonaro e coronavírus


“Hoje, Dia Mundial da Saúde, é dia de luta contra o genocídio. Contra o negacionismo de um governo que trata a maior crise sanitária da nossa história como uma gripezinha, e que diz ‘E daí?’ para os nossos mortos”, afirma Lula.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva publicou nesta quarta-feira (7) uma carta pelo Dia Mundial da Saúde. “Hoje é o dia Mundial da Saúde mais triste da história do Brasil, com o país como epicentro da pandemia mundial de covid19”, escreveu.

Nela, o ex-presidente diz que “não há o que se comemorar, quando uma pandemia sem controle já matou quase 3 milhões de pessoas ao redor do mundo, 330 mil delas só no Brasil. E continua matando”.

“Infelizmente, nosso país é considerado hoje uma ameaça global, pela circulação descontrolada do vírus e o surgimento de novas mutações. É preciso que se diga que essa ameaça ao planeta tem nome e sobrenome: Jair Bolsonaro, um presidente da República que nega sistematicamente a ciência e que faz pouco caso do sofrimento do povo que jurou defender”, adverte Lula.

Ele diz ainda que “hoje no Brasil, profissionais da área da saúde têm que lutar ao mesmo tempo contra um vírus mortal e contra o descaso do governo, que deixa faltar desde equipamentos de proteção individual, como as máscaras, até medicamentos para intubação e oxigênio”. Revista Forum

 

Polícia do Rio abre investigação contra cantor Rodolffo por crime de racismo


Polícia do Rio abre investigação contra cantor Rodolffo por crime de racismo
Crédito da Foto: Instagram/@irodolffo

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), da Polícia Civil do Rio abriu investigação para apurar suposto crime de preconceito racial praticado pelo participante do Big Brother Brasil 21, Rodolffo, contra outro confinado, o professor João Luiz.

“Foi instaurado procedimento para apurar o crime de preconceito racial. Imagens estão sendo analisadas e as investigações seguem em andamento”, declarou a assessoria da instituição. Já o Ministério Público do Rio (MP-RJ) informou, por meio de nota enviada ao Uol, que ainda não foi acionado sobre o caso. O órgão só pode encaminhar uma possível denúncia à Justiça caso João Luiz aprove.

A assessoria de Rodolffo também não se pronunciou ainda.

COMPARAÇÃO

A abertura do processo foi motivada por um comentário feito por Rodolffo, durante o “castigo do monstro”. Na ocasião, o cantor sertanejo disse que a peruca da fantasia de homem das cavernas parecia com o cabelo de João. “Não, não é igual. É diferente”, rebateu o participante.

Na noite desta última segunda-feira (5/4), durante o “jogo da discórdia”, João fez um longo desabafo sobre o episódio, e chegou a dizer que se sentiu “machucado”.

“Lá dentro, no quarto, me calei, fiquei calado, mas você não sabe o quanto aquilo que você falou me machucou. Machucou muito. E não adianta você vir com o discurso que não teve a intenção, porque eu tô cansado de ouvir isso, não é só aqui dentro. É lá fora também. Nunca ninguém tem a intenção de machucar. Nunca ninguém tem a intenção de fazer as coisas com a gente”, disse João. Do Aratuon

Filho de Bolsonaro viraliza com desafio em que cospe na mãe e faz dança militar


Jair Renan, filho 04 do presidente Bolsonaro, viralizou nas redes com vídeos em que dança de maneira tosca e cospe no rosto de sua mãe

Jair Renan Bolsonaro
Jair Renan Bolsonaro

O filho 04 do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan, viralizou nas redes sociais neste final de semana ao publicar vídeos para a plataforma TikTok, reproduzidos também em outras redes. No primeiro, o jovem de 22 anos compartilhou o momento em que cospe no rosto de sua mãe, Ana Cristina Valle.

A ação fazia parte de uma brincadeira em que Renan pedia para que ela imitasse o som de animais. No momento em que pede para que Cristina imite o som de baleias, Renan cuspiu a água do copo que segurava e a mãe reagiu com xingamentos.

Em outro vídeo publicado anteriormente, o 04 aparece dançando uma música popular em playlists de treinamento físico militar com a legenda: “Quando você é dispensado do Exército”. No TikTok, o post já foi visualizado por quase 200 mil pessoas.

“Bota o fuzil para cantar, pá-pum. Bota para cantar, pá-pum. Troquei o meu Playstation por um fuzil. A minha Coca-Cola é água quente do cantil”, diz a letra em trecho da música.

Com forte presença nas mídias sociais, Renan Bolsonaro já foi expulso permanentemente da plataforma de lives Twitch após ter um vídeo em que negava a gravidade da pandemia viralizado na internet. No material, o 04 reproduziu o discurso do pai e disse que o coronavírus não passava de uma “gripezinha”.

“Vamos na rua na pandemia, tá ok? Pô, que pandemia, malandro? Isso aí é história da mídia aí para trancar você em casa, para achar que o mundo está acabando. É só uma gripezinha, irmão, vai tomar no c..”, declarou.

VÍDEOS:

Rui critica demora da Anvisa em autorizar importação da Sputnik V: ‘Se for necessário, vamos novamente ao STF’


“Os brasileiros não merecem essa conduta de uma agência que foi capturada pela ideologia e por um discurso que não tem nada a ver com a ciência e com a vida humana”, desabafou o governador durante o Papo Correria

[Rui critica demora da Anvisa em autorizar importação da Sputnik V: 'Se for necessário, vamos novamente ao STF']
Foto : Bruno Batista /VPR

Durante o Papo Correria, realizado ontem à noite (6), o governador Rui Costa criticou a lentidão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para autorizar a importação da vacina russa Sputnik.

“A Anvisa convidou os governadores do Nordeste e do Norte do país para uma reunião e todos, assim como eu, estavam com uma grande expectativa. Depois de três horas de reunião, com muita burocracia, chega a informação de que eles [a Anvisa] vão precisar ir na Rússia para poder saber se autoriza ou não a vacina”, explicou.

A reunião aconteceu no mesmo dia em que o Brasil registra mais de 4 mil mortes por Covid-19 em 24 horas. “Os brasileiros não merecem essa conduta do Governo Federal e de uma agência que foi capturada pela ideologia e por um discurso que não tem nada a ver com a ciência e com a vida humana”, desabafou o governador. Segundo ele, se for necessário, a Bahia irá ao Supremo Tribunal Federal para conseguir a liberação para importação do imunizante. Por Metro1

Vacinação de idosos com 62 anos ou mais segue nesta quarta em Salvador; confira cronograma


Ação também é destinada a agentes da segurança pública, pacientes em hemodiálise, trabalhadores da saúde e segundas doses

[Vacinação de idosos com 62 anos ou mais segue nesta quarta em Salvador; confira cronograma]
Foto : Valter Pontes / Secom

A vacinação contra a Covid-19 para os idosos com 62 anos ou mais segue hoje (7) em Salvador. Acontece também a aplicação da primeira dose para agentes da segurança pública, pacientes em hemodiálise e trabalhadores da saúde e da segunda dose para idosos e profissionais da saúde.

Confira o cronograma:

Das 8h às 16h: 

  • Primeira dose para idosos com 62 anos ou mais, nascidos entre 7 de abril de 1958 e janeiro de 1959;
  • Primeira dose para agentes da segurança pública com 50 anos ou mais (policial militar, bombeiro, polícia civil, policial rodoviário federal, policial federal, guarda municipal e agente Transalvador);
  • Primeira dose para pacientes em hemodiálise;
  • Primeira dose para trabalhadores da saúde e profissionais autônomos (médicos, fisioterapeutas, dentistas, enfermeiros, farmacêuticos, auxiliar e técnico de saúde bucal);
  • Segunda dose para idosos;
  • Segunda dose para trabalhadores da saúde.

Confira os locais:

Primeiras doses a idosos:

Drive thru:

  • Universidade Federal da Bahia (Ufba) – Campus Ondina (PAF 1);
  • Arena Fonte Nova;
  • Atacadão Akarejo – Fazenda Coutos;
  • 5ª Centro de Saúde (Barris);
  • Parque de Exposições;
  • Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências (Cabula);
  • Centro de Convenções;
  • Unijorge – Paralela;
  • Vila Militar – Escola Militar (Dendezeiros).

Pontos fixos:

  • USF Vista Alegre;
  • UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras);
  • USF Resgate;
  • USF Federação;
  • USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas);
  • USF Plataforma;
  • USF Cajazeiras X;
  • Unijorge – Paralela;
  • 5ª Centro (Barris);
  • Colégio da Polícia Militar (CPM) – Dendezeiros.

Agentes da segurança pública:

Drive thru e pontos fixos:

  • FBDC Brotas;
  • Faculdade Católica de Pituaçu.

Pacientes em hemodiálise:

Drive thru e pontos fixos:

  • FBDC Brotas;
  • Faculdade Católica de Pituaçu.

Primeira dose para trabalhadores da saúde:

Drive thru e pontos fixos:

  • FBDC Brotas;
  • Faculdade Católica de Pituaçu.

Segundas doses para idosos:

Drive thru:

  • Barradão;
  • FTC – Campus Paralela;
  • USF San Martin III.

Pontos fixos:

  • Barradão;
  • FTC – Campus Paralela;
  • USF Colinas de Periperi.

Segundas doses para trabalhadores da saúde:

Drive thru:

  • Barradão;
  • FTC – Campus Paralela;
  • USF San Martin III.

Pontos fixos:

  • Barradão;
  • FTC – Campus Paralela;
  • USF Colinas de Periperi.

Antes de comparecer ao local da vacinação é necessário que a pessoa verifique se o nome consta no site da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Caso não esteja, o cadastro pode ser feito pelo próprio site ou presencialmente no 5º Centro de Saúde, nos Barris, para os idosos.

Para realizá-lo é necessário ter em mãos a carteira de identidade, CPF, RG e comprovante de residência. Para a segunda dose, basta levar o cartão de vacinação e um documento de identificação com foto. Aos profissionais da segurança, são pedidos um documento de identificação com foto e a cópia do último contracheque.

Os idosos acamados ou com dificuldade de locomoção podem solicitar a vacina domiciliar por este link. Em caso de segunda dose para idosos que receberam o imunizante em casa, não é preciso se registrar novamente na plataforma. Basta observar a data que consta no cartão e aguardar a equipe em domicílio no dia estabelecido para o retorno.

Para consultar a situação das filas em cada local, acesse o filômetro.Do Metro1

Juristas afirmam que suspeição de Moro deve se estender a todos os casos que envolvem Lula


Do Brasil 247

“O vício processual não está em um procedimento específico, mas no vínculo subjetivo estabelecido entre o juiz e o réu, razão pela qual a suspeição se estende, por imperativo lógico, reitera todos os demais inquéritos e processos”, afirmam os juristas do grupo Prerrogativas.

Ao julgar a suspeição de Sergio Moro, o Supremo Tribunal Federal enfim reconheceu que Lula não teve direito a julgamentos justos no âmbito da Operação Lava Jato.

Vítima de uma perseguição política liderada por um juiz acusador, que coordenou a equipe de procura da Força Tarefa, Lula foi retirado de uma eleição para a qual era franco favorito, e foi criminosamente de sua liberdade por 580 dias.

 

Embora ainda não tenha sido disponibilizado o acórdão, a certidão de julgamento registrou que a ordem foi concedida para anular todos os atos decisórios praticados pelo então juiz Sergio Moro no caso do tríplex, incluindo-se os atos praticados na fase pré-processual, nos termos do que veiculou o ministro Gilmar Mendes.

Portanto, não há dúvida de que o caso do tríplex foi integralmente anulado, desde o seu início e sem qualquer possibilidade de convalidação dos atos instrutórios.

A questão que se segue diz respeito ao destino dos demais casos em que Sergio Moro proferiu decisões contra Lula.

Notadamente sobre os casos do Sítio de Atibaia e do Instituto Lula haveria possibilidade de extensão ordem de habeas corpus?

A simples leitura do voto histórico do ministro Gilmar Mendes, que foi acompanhado por votos não menos brilhantes da lavra de  Ricardo Lewandowski e de Cármen Lúcia, nos remete a uma única resposta possível: todos os casos em que Sergio Moro proferiu decisões contra Lula devem ser anulados, uma vez que a suspeição, nos termos reconhecidos pelos ministros, por pacífica Doutrina a respeito e por farta jurisprudência, é condição personalíssima de um juiz em relação a um determinado réu. Condição que qualquer possibilidade de conduzir com equilíbrio e isenção qualquer que seja o ato processual em relação aquele específico réu.

Se estamos diante de uma condição personalíssima que afeta e compromete o juiz Sergio Moro em face de Lula, está claro que esta suspeição é inafastável sempre que a mesma relação processual se repetir. Assim, não resta outra alternativa senão reconhecer a quebra da imparcialidade em todos os processos nos Moro praticou atos decisórios que afetaram Lula, direta ou indiretamente.

Erros e acertos são contingências de qualquer decisão judicial, mas a independência do tribunal e a imparcialidade do julgador são condições indispensáveis de possibilidade para um julgamento justo e exercício pleno e efetivo da ampla defesa no processo penal.

Em votos irretocáveis, Mendes, Lewandowski e Cármen  demonstraram que a predisposição de Moro condenar o ex-presidente levou o magistrado a usurpar atribuições acusatórias e investigatórias, corrompendo o devido processo legal com inadmissível abuso de poder.

A  toda evidência, os fundamentos apresentados no julgamento revelam que a quebra da imparcialidade não se restringiu a particularidades do caso do tríplex. Pelo contrário, o conjunto de fatos concretos analisados pelos magistrados, como bem demonstrou a competente defesa técnica coordenada pelos colegas Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, dizem respeito a uma disposição pessoal do juiz contra o réu, recorrente e sistemática. Disposição , é bom que se diga e reconheça, caracterizada pela existência de interesses próprios de Moro contra o petista.

Desse modo, o vício processual não está em um procedimento específico, mas no vínculo subjetivo estabelecido entre o juiz e o réu, razão pela qual a suspeição se estende, por imperativo lógico, reitera todos os demais inquéritos e processos.

Basta analisarmos os argumentos apontados na demonstração da parcialidade para perceber que a q transcende o caso do tríplex. Em síntese, os pontos analisados pela Corte foram: i) a espetaculosa condução coercitiva de Lula, se fosse oportunizada previamente a intimação pessoal para o depoimento; ii) a quebra de sigilos telefônicos de Lula, de seus familiares e até mesmo de seus advogados, com o intuito de monitorar e antecipar as estratégias defensivas; iii) a divulgação ilegal de conversas obtidas em interceptações telefônicas de com familiares e terceiros; iv) a atuação do então juiz Sergio Moro para impedir o cumprimento da ordem do TRF4 que determinava a soltura de Lula; v) a prolação de sentença por Sergio Moro em que manifesta percepção sobre sentir-se agredido e provocado pela atuação da Defesa de Lula; vi) o levantamento, de ofício, do sigilo de parte da delação premiada de Antônio Palocci Filho, cuja narrativa buscava incriminar Lula, e vii) aceitação do cargo de Ministro da Justiça após a eleição do atual Presidente da República Jair Bolsonaro, que há muito despontava como principal adversário político de Lula.

Pois bem. Além da inafastabilidade da suspeição de Moro como condição personalíssima contra Lula pode olvidar que a decisão proferida pelo STF atingiu expressamente todos “os atos praticados na fase processual”. Nesse ponto, vale ressaltar que tanto o caso do Sítio de Atibaia quanto o caso do Instituto estão fundamentados em atos, agora anulados, que foram praticados durante a fase pré-processual do tríplex. No caso do Instituto Lula, inclusive, há prova emprestada diretamente do caso, o que demonstra que os três casos estão interligados e não podem ter solução distinta a respeito da suspeição do magistrado. Segue a matéria após propaganda.

 

A segunda turma do STF merece, pois, nosso reconhecimento e nosso aplauso. Reconhecimento de inúmeros juristas, professores, advogados e demais operadores do direito que lutam incansavelmente reacreditação do nosso sistema de justiça.

Outro ponto importante a se destacar é a decisão do ministro Edson Fachin que declarou a incompetência da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba para o processo e julgamento de todos os feitos 13 Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba em que Sergio Moro atuou contra Lula. Tese sustentada, desde o início, pela defesa técnica do réu.

Fato é que a incompetência territorial não prejudica a suspeição. E nem poderia.

Tanto antes, reforça as razões que demonstraram a quebra da imparcialidade mediante a construção de um juízo universal em Curitiba, com o propósito de desempenhar a perseguição política liderada pelo juiz acusador, em conluio com procuradores que sempre agiram como advogados privados de acusação.

Além de reforçar a suspeição de Moro, pois os desdobramentos do habeas corpus que discute a questão da incompetência territorial da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba são reveladores da motivação política e da flagrante parcialidade dos procuradores da Força Tarefa da Operação Lava Jato.

Ao agirem como parte nesse habeas corpus, constituindo advogados particulares e formulando pedidos em um processo no qual não tem interesse jurídico para agir e interferir, os procuradores em questão revelam que, na verdade, também possuem interesses pessoais nas manobras supostamente articuladas por visando a condenação e inelegibilidade de Lula.

Manobras anunciadas por um colunista de um importante jornal, mas que não nos parecem verídicas.

Se o fossem, colocariam Fachin em uma posição tão constrangedora e parcial quanto a do próprio Moro.

Em nenhuma democracia moderna um juiz pode ter estratégia para “ganhar” uma causa, como se fosse advogado da parte.

No dizer de Roberto Tardelli, procurador aposentado, “isso seria verdadeiramente bizarro”.

Não cremos nisso. E não queremos crer…

Fachin, como os demais integrantes da Corte, merece respeito. E fará por merecer…

Já está corrompido o Estado que viola suas próprias regras a pretexto de um combate messiânico contra a corrupção.

Um julgamento justo e imparcial só pode ocorrer em um sistema acusatório que delimite adequadam separação das funções de investigar, acusar e julgar. Há uma longa caminhada rumo a um país livre, soberano, justo e solidário.

E o primeiro passo para restabelecer a credibilidade do sistema de justiça brasileiro é o reconhecimento definitivo da suspeição de Moro em relação a todos os casos que envolveram Lula, pois se valeu da nobre função de magistrado para afrontar a soberania popular com seu projeto político de poder.

E que a este reconhecimento se some, em boa hora, o reconhecimento de uma condição que o reforça. A condição de juiz incompetente.

Ps: Importante frisarmos, para que se esgote o assunto, que a remessa da decisão monocrática de reconhecimento de incompetência do juízo de Curitiba para o Plenário da Corte é, além de contraditória, flagrantemente contrária aos comandos do Regimento interno do Supremo Tribunal Federal.  Nenhum interpretação, por mais criativa, seria capaz de justificá-la.

De toda sorte, caso esta matéria não seja debatida em uma espécie de “juízo de admissibilidade, evenventual e bem vinda ratificação da tardia declaração de incompetência da vara de Curitiba jamais poderia fazer que , como sustentam os “meninos dourados” ou “filhos de Januário”, o julgamento do HC da suspeição perdesse o objeto.

Concursos para o Ministério Público são, em regra, muito exigentes.

Deltan e cia (sem trocadilhos) deveriam saber, pois, como aqui dissemos, que o julgamento de um caso apenas reforça o do outro. São julgamentos claramente complementares.

Deveriam saber, também, que suspeição tem precedência em relação à incompetência.

E, por fim, deveriam saber que a segunda Turma concluiu o julgamento da suspeição. A extensão para demais processos é mera consequência lógica. Causa finita. Não existe recurso de Turma para o Plenário.

Um réu não pode ser julgado duas vezes pelo mesmo tribunal, mormente se foi vencedor no primeiro julgamento. Seria uma reformatio in pejus, o que é vedado pelo Direito mundial.

Deviam saber, ou estudar.

Assinam: Fernando Hideo Lacerda, jurista. Marco Aurélio de Carvalho, advogado. Lenio Streck, jurista. Pedro Serrano, jurista.

Sob pressão de Lira, Câmara encerra discussão e vai votar PL que legaliza fura-fila da vacina por empresários


 

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), conseguiu avançar com o projeto projeto de lei (PL 948/2021que visa dar a empresários o direito de comprar vacinas contra a Covid-19 para vacinar seus funcionários, o que na prática criaria um esquema privado de imunização. Apesar da tentativa de obstrução da oposição, a Câmara manteve o PL na pauta e já encerrou a discussão.

Por 343 a 117, o plenário votou a favor do encerramento da discussão do projeto de lei, que agora irá para votação. Apenas Apenas PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB e Rede foram contrários ao encerramento. O presidente da Câmara, Arthur Lira, tentou atropelar a votação e chegou a soltar “vamos votar rápido para superar essa obstrução”. Quem comemorou bastante o avanço do texto foi o Partido Novo. O líder da legenda, Marvel Van Hattem, chegou a soltar um “não existe vacina grátis”.

“É gravíssimo o projeto de lei que nós estamos analisando. O Brasil enfrenta uma situação dramática de uma pandemia que faz do nosso Brasil o País com maior número de mortes por dia, neste momento, devido à péssima condução da pandemia. O que este projeto propõe? Este projeto propõe uma espécie de “salve-se quem puder”. Como disse o Papa Francisco, a vacina não pode ser uma mercadoria. A vacina não pode ser um produto privilegiado para aqueles que têm poder econômico”, disse o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS).

O líder da Minoria, Marcelo Freixo (PSOL-RJ), destacou que o Brasil teve 4195 mortes nas últimas 24h e que o PL afronta os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS). “O que estamos votando aqui é se a rede privada vai poder comprar vacina para interromper os critérios do SUS. A rede privada pode comprar vacina? Pode. Compra e doa para o SUS. O que estão tentando fazer é que um brasileiro que tem comorbidade tome vacina depois de quem pode pagar”, disse.

“Se a rede privada quer ajuda, compra e doa para o SUS para que o critério da complementaridade e da universalidade sejam garantidos. O SUS tem princípios. Não podemos viver um descontrole absoluto”, completou.

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB-PA) ainda lembrou que não há vacinas suficientes no mundo para abastecer os países e que a compra privada limita ainda mais o acesso público aos imunizantes. “Quando você libera para o setor privado, você está institucionalizando o fura-fila, é isso que, na prática, está acontecendo aqui. Nós não podemos aceitar isso. Isso atrapalha, inclusive, a estratégia da vacinação”, afirmou.

Em entrevista concedida à Fórum na última semana, deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), ex-ministro da Saúde, considerou a proposta um “escândalo” e a classificou como um “camarote privado para furar fila”. Durante a votação, o líder da Oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), disse que o projeto “vai causar um apartheid sanitário no Brasil”.

Sob pressão, a a relatora, deputada Celina Leão (PP-DF), incluiu no texto a obrigatoriedade de doação de doses para o Sistema Único de Saúde (SUS) e retirou o abatimento dos gastos do imposto de renda pelas empresas.

Com informação da Revista Fórum