(77) 99152-6666

Anitta diz não temer matadores de aluguel após falar da Amazônia


Café com Leite Notícias: É preciso aparecer outras Anitas da música brasileira, pra colocar a boca no trombone contra as aberrações que estão acontecendo no país. Hoje, por conta das ações e asneiras que o Presidente da República realizam, o Brasil nem só perde o crédito no resto do mundo, como, pior do que isso, fica ridicularizado, como está acontecendo. Quando a Alemanha e Noroega suspendem a verba de quase 300 milhões de apoio para preservação da Amazônia, o recado do presidente para os dois países  é que não precisa do dinheiro deles.

Agora fala em mandar 40 homens para ajudar a apagar os incêndios, mas ele mesmo diz que sabe que é um “pingo d’água no oceano”. Isso significa dizer que os incêndios vão continuar.

O pior de tudo não é as declarações do presidente na Globo News, dizendo que os incêndios podem ser provocados pelos ongueiros para prejudicar o seu governo. Pior é na hora que ele deu esta declaração, o jornalista não rebater com uma pergunta do tipo…”não é o senhor que está abrindo as portas da Amazônia para o mundo? não é o senhor que disse que não precisa do dinheiro da Alemanha e Noroega, que aplicavam no combate à devastação da floresta? Mas a parte pior mesmo, é que  nesse momento tem muita gente nesse país que concorda com o presidente e acha que realmente as ongues estão queimando as matas. Tudo é muito triste.

anitta

Quem achava que Anitta não se posicionava sobre nada acabou se impactando com as últimas declarações da cantora a respeito das queimadas criminosas que atingiram a Amazônia nos últimos dias.

Anitta chegou a compartilhar uma imagem que dizia em inglês: “A Amazônia vem queimando por três semanas, e só agora estou descobrindo isso porque falta cobertura de mídia. Esse é um dos ecossistemas mais importantes do mundo. Espalhe informação”, além de postar a matéria com o título, “Desmatamento na Amazônia está prestes a atingir limite irreversível”.

 

Depois dos protestos feitos, Anitta ainda decidiu se manifestar contra a agropecuária do jeito que é no Brasil, e mandou um recado a quem se incomodar.

“Se vier algum matador de aluguel tentar me matar porque eu estou me metendo e falando para não sei quantas milhões de pessoas que essa agropecuária precisa mudar, e que é um câncer para a nossa natureza, pode vir. Eu não tô nem ai. E eu ainda venho depois como alma penada puxar o pé de vocês. Estou super preparada para isso. Pode mandar ameaça e xingar, não estou me preocupando no momento.”, disse. Fonte Catraca Livre.

 

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Não espere as pessoas irem embora para demonstrar o valor que elas tem


“Não espere as pessoas morrerem, irem embora, não espere o definitivo bater na sua porta, nós não conhecemos a vida e não sabemos o que virá amanhã, viva como se fosse o último dia da sua história, se hoje você tivesse que realizar a sua última ceia, porque é conhecedor que hoje é o último de sua vida, certamente você não teria tempo pra pressa. Você celebraria até o fim e gostaria de ficlado de quem você ama.

Viver o cristianismo, é fazer a dinâmica da última ceia todos os dias, viva como se fosse o ultimo dia da sua vida, viva como se fosse a ultima oportunidade de amar quem você ama, de olhar nos olhos de quem pra você é especial…”

‘Infelizmente, a maioria da população aplaude’, diz MK sobre aumento de mortes por intervenção


Kertész criticou reação a óbito do homem que sequestrou ônibus no Rio

[‘Infelizmente, a maioria da população aplaude’, diz MK sobre aumento de mortes por intervenção]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (22), Mário Kertész falou sobre o índice de letalidade violenta, que mostrou que os óbitos por intervenção de agentes do Estado no Rio de Janeiro atingiram maior patamar em 20 anos, com 194 falecimentos no mês passado.

“Vão dizer que os números aumentaram porque tinham muitos bandidos e agora eles estão sendo atacados. No entanto, no meio disso, foi visto inclusive em recentes reportagens televisivas que tinha muita gente inocente”, lamentou ele.

MK ainda criticou a reação da população aos casos de morte, mesmo em situações de crimes, quando os assassinatos são exaltados. Ele comentou o caso de terça-feira (20), quando um homem sequestrou um ônibus na capital fluminense e foi morto pela polícia.

“Infelizmente, nós vivemos em um estado de barbárie tal, que a grande maioria da população aplaude. O governador Wilson Witzel [ao chegar no local] foi aplaudido como se fosse presidente de um time de futebol em um estádio, após uma vitória, mas ele estava comemorando uma morte. Onde nós chegamos? Por que temos que comemorar morte? Mesmo de bandido. Aqueles nove cabeças decapitadas no presídio do Paraná foi comemorada por muita gente. Onde nós chegamos?”

Ouça o comentário:

O holocausto da Amazônia põe a civilização em alerta


A floresta está sendo queimada por uma mistura de ignorância com interesses truculentos. A reação a esta barbárie ambiental para evitar que cheguemos ao lugar sem volta. Declare-se o Brasil em estado de emergência ambiental

Incêndios na Amazônia
Imagem de satélite da NASA mostra a fumaça dos focos de incêndio na Amazônia. LAUREN DAUPHIN AFP

 

Quando a noite caiu sobre a cidade de São Paulo, às 3 da tarde, sendo uma de suas possíveis causas o encontro da frente fria com a fumaça das queimadas, muita gente se assustou com o que parecia um anúncio do fim dos tempos. Era algo parecido, se recuperarmos o sentido original da palavra holocausto: tudo queimado, no sacrifício dos tempos antigos entre os hebreus. Com duas diferenças: uma, que a holah do sacrifício judaico tinha o sentido de reparação, visava uma expiação geral dos pecados; outra, que depois do nazismo sacrificar milhões de judeus, a palavra ganhou um significado mais sinistro, e passou a ser tomada como qualquer grande e sistemática destruição  —sem importar a causa— até o extermínio. Eis o que acontece hoje: o holocausto da Amazônia.

Desde muito jovem me dediquei a pensar o significado da floresta, para além da economia e das dimensões materiais. Em 15 de julho de 2008, retornando ao Senado logo após deixar o Ministério do Meio Ambiente, publiquei um artigo intitulado Atrás de uma borboleta azul em que lembrei minha identificação irredutível com as milhões de pessoas que nascem e vivem na floresta. Dizia: “florestas não são apenas estatísticas. Nem apenas objeto de negociações, de disputa política, de teses, de ambições, de pranto. Antes de mais nada, são florestas, um sistema de vida complexo e criativo. Têm cultura, espiritualidade, economia, infraestrutura, povos, leis, ciência e tecnologia. É uma identidade tão forte que permanece como uma espécie de radar impregnado nas percepções, no olhar, nos sentimentos, por mais longe que se vá, por mais que se aprenda, conheça e admire as coisas do resto do mundo.” Passou-se mais uma década, mas mantenho o sentimento.

Agora vejo novamente o fogo matando a beleza da Amazônia e destruindo a perfeição de sua natureza. Lamento a perda de cada cheiro, cada cor, cada raiz, cada animal, cada planta, cada textura que nunca mais voltará. E embora não espere sensibilidade de quem não conhece a riqueza que se perde, sinto que é necessário alertar a todos e protestar contra um Governo que passa a senha da destruição, que torna a devastação fora de controle e causa enormes prejuízos para todos.

Estamos vivendo um momento de barbárie ambiental no Brasil, promovida pelo Governo Bolsonaro. Por mais que se alerte, por mais que se mostre evidências, por mais que se clame para evitar o caos ambiental, econômico, político, social, o Governo não mostra preocupação, apenas sua cumplicidade com a destruição.

É necessário, no entanto, enfrentar a emergência ambiental no Brasil, com a coragem e o sentido de urgência que a situação nos impõe, para evitar que cheguemos ao lugar sem volta, em que nem por hipótese devemos chegar, o da inviabilização sistêmica da floresta amazônica pelas ações predatórias que desequilibram as condições de sua existência. É necessária a mobilização de todos que não querem ter, em suas genealogias, o DNA da barbárie: academia, movimento socioambiental, empresariado, governos estaduais e municipais, juventudes, líderes políticos. De forma plural e suprapartidária, sem qualquer politicagem, é preciso dizer e dar um basta. Ao garimpo predatório e criminoso, à grilagem de terras públicas, ao roubo de madeira, às derrubadas e queimadas, à violência contra os índios e populações locais, aos prejuízos econômicos, políticos e sociais que já estamos sofrendo, dentro e fora do Brasil.

A Amazônia está sendo queimada por uma mistura de ignorância com interesses truculentos. O Governo está inaugurando um tempo de delinquência livre, em que se pode agredir a natureza e as comunidades sem receio de punição. Não negligenciemos o prenúncio, como no passado, pois o que ameaça refazer-se é, tanto pelo resultado, “tudo queimado”, quanto pelo caráter sistemático da destruição, a tragédia das tragédias: o Holocausto.

O povo brasileiro, sua parcela sensível e consciente, deve responder em nome dos povos antigos e das gerações futuras, da Amazônia e de toda a Natureza. Atendendo aos legítimos interesses da sociedade, da economia e da civilização humana, declare-se o Brasil em estado de emergência ambiental.

Mulher sobrevive a queda de 1.500 metros após paraquedas falhar


Uma mulher de 30 anos sobreviveu depois de cair de uma altura de mais de 1.500 metros de um avião após saltar de paraquedas. A mulher, cujo nome não foi divulgado, estava saltando perto de Trois-Rivières, em Quebec, no Canadá. Nem o paraquedas principal e nem o dispositivo de segurança reserva se abriram, e a mulher caiu em uma área cheia de árvores, o que amorteceu a queda.

De acordo com a CNN CBC, a mulher está no hospital com várias fraturas, incluindo vértebras quebradas. A polícia de Trois-Rivières disse que sua vida não está em perigo.

Um homem chamado Denis Demers testemunhou o incidente. Ele disse ao canal de televisão que a mulher com o paraquedas estava caindo mais rápido do que qualquer outra pessoa.

A canadense Océane Duplessis estava prestes a embarcar em um avião para seu próprio salto quando de paraquedas quando viu o acidente. Ela disse à CBC que “assistiu todo o salto até o fim”.

“Nós esperávamos que algo acontecesse”, acrescentou. “Nós estávamos muito preocupados. Muito.”

A polícia disse que a mulher tinha experiência em paraquedismo. Uma investigação está em andamento para determinar se é um caso de negligência criminosa.

 

 

Homem emagrece 80 quilos para ser doador e salvar a irmã


Foto: reprodução
Foto: reprodução

A força do amor! Jonathan Coronado emagreceu 80 quilos para ser doador de rim e salvar irmã mais nova, Denise, que sofre de uma doença rara.

Ele não podia doar um rim pra ela, porque estava com 165 quilos.

Os médicos disseram que se Denise – diagnosticada com o problema aos 13 anos – não recebesse um novo rim, nunca teria uma vida normal.

A doença da irmã de Jonathan é conhecida como púrpura de Henoch-Schönlein, que inflama os pequenos vasos sangüíneos nos intestinos e nos rins.

Foi então que Jonathan resolveu doar o órgão e imediatamente começou perder peso.

 

Como

Ele se concentrou em cortar uma coisa de cada vez, começando com refrigerante, doces e pão.

“Aprendi. Quanto mais eu perdi peso, mais eu fiquei confiante e acabou se tornando um hábito”, disse ele.

Jonathan também começou a se exercitar, com caminhadas no parque e depois, numa academia, pra treinar força.

Ele conseguiu perder 100 quilos nos primeiros seis meses, de 2014 à 2015, mudando apenas os hábitos alimentares com uma dieta saudável. Daí em diante, não parou mais.

“Eu senti que precisava perder mais, então eu reajustei minha dieta e minha ingestão de calorias”, contou.

Jonathan se concentrou em fazer mais refeições em casa e ir ao ginásio, perdendo mais 30 quilos antes que os médicos lhe dissessem que ele precisaria baixar ainda mais o peso para doar seu rim.

Ele chegou então 88 quilos.

A doação

Em 10 de setembro de 2018, Jonathan e Denise entraram no UT Southwestern Medical Center, nos EUA, onde seu rim saudável foi transplantado para a irmã.

Deu certo. Denise se recuperou e ficou mais saudável do que nunca.

“Agora, ela é uma estudante universitária. Foi uma mudança de vida para ela. Ela começou a ser mais feliz”, disse Jonathan.

“Ela está começando a sair, se divertir e fazer as coisas que ela não podia quando estava em diálise … Isso me deixa feliz.”

Ajuda

Jonathan quer ajudar outras pessoas que se sentem desesperadas e precisam perder muito peso.

“Mude apenas uma coisa [por vez]. Quando as pessoas começam a perder peso, elas excluem tudo. Comece devagar. Vai fazer a diferença”, ensina.

“Eu fiz isso por ela e por mim mesmo. Eu fiz isso para nós dois.”

“Eu vou para a academia, faço 45 minutos de levantamento de peso e faço 30 minutos de cardio quatro dias por semana”, disse ele.

O peso de Jonathan agora estabilizou em 90 quilos.

Ele salvou a vida da irmã e a dele.

Agora Jonathan pode acompanhar o filho e aguarda com expectativa um futuro brilhante cheio de amor e bem-estar.

Jonathan e a irmã Denise Foto: Facebook

Jonathan e a irmã Denise Foto: Facebook

Jonathan e a esposa Foto: Facebook

Jonathan e a esposa Foto: Facebook

Com informações do Inspire More

 

Após asteroide passar “perto” da Terra no dia 10, cientista diz que seremos atingidos


Depois que um asteroide maior do que o famoso prédio americano Empire State Building passou “perto” da Terra no último sábado, cientista dos EUA diz que é questão de tempo para um cosmo celeste atingir o nosso planeta: “é 100% certo”

asteroide na terra

A cientista Danica Remy, presidente da B612 Foundation, organização que trabalha em métodos para proteger o planeta contra ameaças externas, afirmou que “é 100% certo de que a Terra será atingida por um asteroide, mais cedo ou mais tarde”. As informações são da NBC.

Para devastar o planeta Terra seria necessário um asteroide com mais de 12 quilômetros de diâmetro. Segundo a Nasa, a agência espacial americana, pelo menos 95% dos corpos celestes com mais de 1 quilômetro de diâmetro já foram catalogados.

O que chegou mais perto de repetir o que aconteceu há 65 milhões de anos, quando os dinossauros foram extintos, foi o 2006 QQ23, que passou “perto” da Terra no último sábado (10/8).

Com mais de 560 metros de diâmetro, o 2006 QQ23 é maior do que o icônico prédio americano Empire State Building. O corpo celeste esteve a 4 milhões de quilômetros do solo terrestre.

A distância é considerada curta para a Nasa, agência espacial americana, mas não representou qualquer preocupação em relação a impacto. Em órbita no Sistema Solar desde 1901, o pedregulho já havia passado próximo do nosso planeta em janeiro de 2017.

Apesar de grande, ele é considerado lento já que viaja a uma velocidade de 16.737 km/h. Para efeito de comparação, o corpo celeste 2019 OK, que transitou próximo da Terra recentemente, tinha velocidade de 70.000 km/h.

“Esse é uma das passagens mais próximas da Terra por um asteroide que já identificamos”, disse Michael Brown, professor da Universidade Monash, em entrevista ao The New York Post.

O verdadeiro problema

De acordo com a cientista Danica Remy, a preocupação maior não é com os corpos rochosos como os que estrelaram filmes como Armageddon ou Impacto Profundo. O problema, na verdade, são os “mini-asteroides”.

No caso do impacto de um corpo menor, como um medindo aproximadamente 60 metros, uma cidade como Nova York poderia ter a região da ilha de Manhattan completamente destruída. O impacto mataria pelo menos 1,3 milhão de pessoas, de acordo com simulações da Nasa.

“Esse tipo de devastação seria em nível regional, mas traria consequências globais em relação aos sistemas de transporte e rede e também no clima”, afirma Remy. Segundo ela, é preciso estudar a trajetória desses asteroides.

O problema é que isso não é exatamente simples de ser feito. No fim de julho, por exemplo, uma rocha de pouco mais de 135 metros passou a uma distância de 64 mil quilômetros da Terra. Foi o mais próximo que um deles esteve perto do nosso planeta em mais de um século. A descoberta foi feita por astrônomos brasileiros.

Outro caso, esse ainda pior, ocorreu em 2013. Na ocasião, um asteroide de 16 metros entro na atmosfera na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. O impacto da rocha com o solo causou danos em pequenas estruturas e deixou mais de mil pessoas feridas.

Imagens da queda do meteoro em Chelyabinsk:

Faustão se irrita com música da Dança dos Famosos e interrompe programa


Programa foi interrompido e Faustão foi tirar satisfação com sua equipe nos bastidores

Foto: Reprodução

 

Na noite deste domingo (18), Faustão se irritou com a música de “suspense” que a produção do Domingão preparou para o quadro Dança dos Famosos. No último domingo, o apresentador já havia se estressado com a atração, mas por causa de um atraso causado pelo futebol.

O programa foi interrompido e Faustão foi tirar satisfação com sua equipe nos bastidores. “Estão de sacanagem. Não é possível, abertura da dança, estreia do quadro. Essa música foi feita para a tia de alguém, para algum parente?”, perguntou Faustão a Beto Silva, diretor do programa.

O apresentador pediu para que a música fosse reproduzida de novo, e fingiu que estava dormindo de tão parada que era. “Isso é suspense? Isso é suspensório”, disse o apresentador olhando em volta para a sala de direção. Após não encontrar outro responsável pelo programa, ele criticou: “Aqui na Globo é um problema. Você quer dar a injeção e não encontra a bunda”.

No caminho de volta para o estúdio principal, Faustão ainda deixou uma última brincadeira. “O câmera, para fazer esse trabalho, anda de costas. Aqui na Globo tem muita gente que anda de ré, mas com a câmera não é para qualquer um não”.

Messi abre seu restaurante para moradores de rua na Argentina


 

Lionel Messi

O jogador argentino Lionel Messi decidiu que seu restaurante, na cidade de Rosário, na Argentina, abrirá as portas durante os próximos 15 dias para moradores de rua.

Eles terão refeições disponíveis, além de banhos quentes, roupas e toalhas. Segundo Messi, a decisão foi tomada porque a temperatura na Argentina nestes próximos dias estará muito baixa.

Messi também está preparando locais para abrigo destes moradores, tudo custeado pelo craque argentino.

Luiz Bacci com MEDO, faz APELO: ”Estou sofrendo ameaças GRAVES e ninguém faz NADA”


O apresentador do Cidade Alerta, Luiz Bacci da TV Record está deixando sua marca no jornalismo brasileiro, pelo sua personalidade forte. Luiz Bacci cobra soluções de crimes das autoridades e não foi diferente com a morte de Rafael Miguel e seus pais, crime que acorreu há mais de 2 meses, mas a Polícia até hoje, não deu o parecer final do crime. A Polícia ainda não encontrou o autor dos disparos que ceifou as vidas de Rafael e seus pais, Paulo Cupertino Matias, o pai da namorada de Rafael.

Na última semana, Luiz Bacci voltou a falar sobre o crime e além de colocar á Polícia contra a parede diante da situação, Bacci disse ao vivo que está sendo ameaçado pelo irmão do assassino. Bacci ainda postou em suas redes sociais, deixando telespectadores e fãs bastante preocupados com a segurança do apresentador.

Revoltados, os seguidores de Bacci questionaram a Polícia sobre as ameaças e se isto também ficaria impune. ”Quem está acobertando a fuga?”, questionou o apresentador.

VEJA AQUI

 

“A cretinice não tem limites”, diz Orlando Silva sobre declaração de Bolsonaro de que ONGs queimam Amazônia


Marcelo Freixo também criticou: “Bolsonaro é um cínico. O objetivo do presidente é desqualificar e criminalizar órgãos e movimentos de preservação ambiental. Queimadas abrindo caminho à barbárie”

Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT

A declaração de Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira (21), acusando organizações não governamentais (ONGs) de estarem por trás das queimadas na Amazônia provocou revolta nas redes sociais. Veja repercussão:

“A cretinice não tem limites. O cara passa décadas a incentivar todo o tipo de barbaridades, assume o governo e diz que vai autorizar uma nova Serra Pelada na Amazônia, que vai acabar com as terras indígenas demarcadas e ainda culpa os outros pelas consequências. Dá nojo!”, disse o deputado Orlando Silva (PCdoB).

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

“Bolsonaro é um cínico. Mas não dá pra atribuir apenas ao cinismo a declaração de que ONGs estão incendiando a Amazônia. O objetivo do presidente é desqualificar e criminalizar órgãos e movimentos de preservação ambiental. Queimadas abrindo caminho à barbárie”, tuitou o deputado Marcelo Freixo (PSOL).

“Globo News irresponsável. Exibir a fala estúpida de Bolsonaro sem nenhum jornalista para contrapor na hora é de uma irresponsabilidade gigantesca no exercício da profissão. Como esse ignorante DIZ QUE PODE SER AÇÃO DE ONGs o desmatamento e ninguém contesta. Cadê a prova? Patético”, destacou a deputada Jandira Feghali (PCdoB).

Veja também:  “The Guardian” chama Bolsonaro de “segundo Trump” e critica “retórica ofensiva” do brasileiro

“Bolsonaro é um mentiroso, mas não um mentiroso qualquer. Sua mentira alimenta destruição e morte. Precisamos interromper esse governo, antes que não reste mais nada: nem verdade, nem floresta. Quem realmente devasta são madeireiros, ruralistas, mineradoras!”, disse a deputada Talíria Petrone (PSOL).

Dinheiro

Bolsonaro disse o seguinte aos jornalistas, na manhã desta quarta: “O crime existe. Isso temos que fazer o possível para que não aumente, mas nós tiramos dinheiro de ONGs, 40% ia para ONGs. Não tem mais. De modo que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro. Então, pode, não estou afirmando, ter ação criminosa desses ongueiros para chamar atenção contra minha pessoa, contra o governo do Brasil”, afirmou, em entrevista ao deixar o Palácio da Alvorada.

Orlando Silva

@orlandosilva

A cretinice não tem limites. O cara passa décadas a incentivar todo o tipo de barbaridades, assume o governo e diz que vai autorizar uma nova Serra Pelada na Amazônia, que vai acabar com as terras indígenas demarcadas e ainda culpa os outros pelas consequências. Dá nojo! https://twitter.com/Estadao/status/1164170286922686464 

Estadão

@Estadao

“Pode estar havendo, não estou afirmando, ação criminosa desses ‘ongueiros’ para exatamente chamar a atenção contra a minha pessoa”, diz Bolsonaro sobre queimadas na Amazônia http://bit.ly/31UA51c 

75 pessoas estão falando sobre isso

Marcelo Freixo

@MarceloFreixo

Bolsonaro é um cínico. Mas não dá pra atribuir apenas ao cinismo a declaração de que ONGs estão incendiando a Amazônia. O objetivo do presidente é desqualificar e criminalizar órgãos e movimentos de preservação ambiental. Queimadas abrindo caminho à barbárie.

887 pessoas estão falando sobre isso

Jandira Feghali

@jandira_feghali

Globo News irresponsável. Exibir a fala estúpida de Bolsonaro sem nenhum jornalista p/ contrapor na hora é de uma irresponsabilidade gigantesca no exercício da profissão. Como esse ignorante DIZ QUE PODE SER AÇÃO DE ONGs o desmatamento e ninguém contesta. Cadê a prova? Patético.

453 pessoas estão falando sobre isso

Talíria Petrone

@taliriapetrone

Bolsonaro é um mentiroso, mas não um mentiroso qualquer. Sua mentira alimenta destruição e morte. Precisamos interromper esse governo, antes que não reste mais nada: nem verdade, nem floresta. Quem realmente devasta são madereiros, ruralistas, mineradoras! https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/08/21/bolsonaro-diz-que-ongs-podem-estar-por-tras-de-queimadas-na-amazonia-para-chamar-atencao-contra-o-governo.ghtml 

Bruna Marquezine surge nua e fumando maconha em sua primeira protagonista no cinema


Resultado de imagem para foto de bruna marquezine
São Paulo – Bruna Marquezine se emocionou durante a exibição do seu primeiro filme como protagonista, no 47º festival de cinema de Gramado, nesta segunda-feira. Em “Vou Nadar Até Você”, a atriz interpreta a jovem fotógrafa Ophelia, de 20 anos, que decide nadar de Santos à Ubatuba, em São Paulo, quando descobre que o pai, um alemão que a abandonou antes dela nascer, está de volta ao Brasil.
Bruna comentou as cenas de nudez e disse que não houve motivo para ficar incomodada durante as gravações: Não são cenas gratuitas, fazem parte da história. Não foi uma preocupação. O foco era fazer arte, e o ambiente no set era de parceria e liberdade’, avaliou a jovem de 24 anos.
Alguns espectadores, no entanto, consideraram o cenário em que a atriz aparece nua, problemático. Durante o encontro da equipe com a imprensa, nesta terça, o diretor foi questionado sobre “fetichizar” e “objetificar” o corpo de Bruna (algo que não faz com os atores masculinos), em especial quando ela aparece sem roupa numa banheira e numa cama de hotel. O questionamento foi aplaudido.
“Talvez você não tenha entendido algumas coisas. São cenas naturais. A parte da banheira tem ligação com trabalhos que fiz nos anos 1990. Sempre trabalhei com a plasticidade dos corpos, inclusive de mulheres, e isso ficou bem representado pela Bruna”, rebateu o diretor Klaus Mitteldorf, que também é fotógrafo. ele destacou que os detalhes fazem parte de sua arte.Bruna comentou que a aventura pela qual passa sua personagem como uma jornada de autoconhecimento: “Sempre tive necessidade artística de fazer cinema, mas sempre emendei trabalhos na TV, não tinha tempo para me dedicar a um projeto com o qual me identificasse “, explica Bruna, cujo último trabalho foi na novela “Deus salve o rei”, da TV Globo . “Eu me encantei com a Ophelia. Não acho que escolhi fazer ela. Ela que me escolheu”. A atriz fez aulas de natação para o filme.

Enquanto isso: a Cracolândia pode se espalhar por São Paulo


Se aparece um administrador que pensa em tratar os dependentes como deve, logo é taxado de irresponsável e começam a o prejudicar politicamente, como já aconteceu. Mas, a tolice dos espertalhões, faz pensar que na truculência é mais fáscio, mas a estupidez não os deixa ver que o caos só aumenta apesar de parecer que está tudo se resolvendo
Foto da ONG Craco Resiste

 

A Prefeitura de São Paulo se prepara para fechar a última unidade de Atendimento Diário Emergencial (Atende) em funcionamento na região da Cracolândia. Os usuários do equipamento, situado na Rua Helvetia, o mais próximo do fluxo, estão sendo orientados a procurar outros locais.

No início de agosto, a prefeitura desativou o Atendimento que ficava na Rua dos Gusmões e, em junho, a havia desativado a unidade localizada na Rua Marechal Rondon. O encerramento dos serviços que oferecem banho, pernoite e alimentação faz parte do projeto de empurrar a população em situação vulnerável para longe da região.

Durante a inauguração das obras do hospital que será construído na área, o governador João Doria (PSDB) admitiu que pretende remover parte das pessoas para um novo espaço na zona norte de SP. O governador só finge ignorar que os serviços de atendimento foram instalados na Luz porque a população em situação de rua e com uso problemático de drogas vivia e frequentava o bairro e não o contrário.

Colocar os serviços em outro ponto da cidade não vai causar um deslocamento das pessoas. Por isso, se torna cada vez mais evidente a intenção do governo do estado e da prefeitura de fazer ações policiais violentas para espalhar e esconder a Cracolândia. Esse processo também prevê a expulsão da população pobre da região.

Para a construção do hospital, dezenas de pessoas foram despejadas. Pequenos comerciantes do bairro têm sofrido dura perseguição, com os estabelecimentos sendo emparedados. “Doria e Covas continuaram a usar as pessoas em situação vulnerável para destruir outros bairros. A Armênia, onde foram instalados os novos equipamentos de atendimento, parece ser o próximo alvo”, dizem os integrantes do movimento A Craco Resiste, um coletivo empenhado em auxiliar a população em vulnerabilidade na Cracolândia.

Luz

O equipamento que oferecia banho, refeições e pernoite na Rua dos Gusmões foi desmontado. No lugar, foi instalado um estacionamento para a Guarda Civil Metropolitana (GCM). Um símbolo de como a prefeitura trata as pessoas que dormem nas ruas e com uso abusivo de drogas – na pancada.

Uma parte do serviço que funcionava no mesmo local já havia sido desativada, deixando as pessoas sem serviços essenciais para manutenção de dignidade mínima. A medida faz parte de um esforço de expulsar as pessoas que formam a Cracolândia da Luz.

O desmonte dos serviços está acompanhando de uma violência constante, especialmente da GCM. No dia 8 de agosto, equipes de assistência social da prefeitura foram obrigadas a sair do território para dar espaço para mais uma ação truculenta da guarda. A finalização das obras dos últimos prédios do conjunto habitacional do Complexo Júlio Prestes aumenta o temor de uma grande operação policial, como as realizadas em 2017.

Iniciado no primeiro semestre de 2017, o programa Redenção, voltado especialmente ao resgate e tratamento dos dependentes químicos na região da Cracolândia, no bairro da Luz, apresenta como saldo, segundo a Prefeitura de São Paulo, a redução do número de usuários de drogas naquele local de 4 mil para 420 pessoas, durante o dia.

Amazônia: foto de tamanduá cego fugindo do fogo comove as redes


O fotógrafo Araquém Alcântara captou com sua lente a fuga de um tamanduá mirim cego que fugia do fogo na região amazônica. Araquém dá um depoimento comovente em seu perfil no Facebook, alertando para os riscos reais de a floresta ser devastada pela irresponsabilidade de um governo.

Café com Leite Notícias: Pois é Araquém: não é só você que se comove e se entristece com o que está acontecendo nem só com a Amazônia, mas com todo Brasil, com este atual governo. O pior de tudo é saber que todos estão vendo tudo isso acontecer, mas boa parte continua o chamando de mito, como se aprovasse o que ele faz e fala.

Se não acontecer uma mudança de postura no Parlamento, Senado, Judiciário, Polícia Federal e outros órgãos responsáveis pelo bom andamento em todas as esferas, pra que possam barrar as irresponsabilidades de um governo que quando abre a boca estremece o mundo, no sentido ficar estarrecido com o que ouve, o fim desse país, que apesar de ter potencial para ser uma das maiores potências do planeta terra, vai se tornar um pobre coitado com uma cuia nas mãos pedindo esmolas, que serão as migalhas que sobram dos EUA..

Ele de novo! Idoso conhecido por furtar ônibus é novamente preso, dessa vez em Dias D’Ávila


Medina
Crédito da Foto: leitor/Aratu On

Você já conhece Jorge Fernando Pereira da Silva, de 62 anos. Duvida? Ele é o idoso que ficou conhecido por roubar um ônibus na Estação Mussurunga e afirmar que o próximo alvo seria o helicóptero do Graer (Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia). Nesta quarta-feira (21/8), por volta das 5h, Jorge foi preso mais uma vez por roubar um terceiro ônibus, dessa vez em Dias D’Ávila.

Policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadial disseram ao Aratu On que uma guarnição do Posto Rodoviário da Canal de Tráfego foi acionada para atender à ocorrência de furto de veículo e o localizou na BA-528, conhecida como estrada do Derba.

Jorge foi capturado e apresentado, junto com o ônibus, na Delegacia de Dias D’Ávila, onde já tinha sido aberta ocorrência, para formalização da prisão. Com isso, o idoso acumula, agora, 21 passagens pela polícia.

Após o primeiro crime que ganhou repercussão, no início de agosto, o idoso já expulso de uma garagem localizada próxima à Rótula do Abacaxi, no Cabula, roubou outro ônibus, em Barra do Jacuípe, e foi preso novamente por furtar objetos da Delegacia de Camaçari.

PRIMEIRO CASO: