‘Lula só foi preso porque ganharia a eleição’, diz Roger Waters


Roger Waters fez homenagem a Marielle Franco em show no Maracanã

 

O ativista e músico Roger Waters, vocalista da banda britânica Pink Floyd, saiu em defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista à revista Brooklyn Vegan, Waters relembrou sua passagem pelo Brasil em 2018 e classificou a prisão de Lula como política. “Obviamente, a única razão pela qual Lula está na prisão é porque ele teria vencido a eleição com as duas mãos amarradas nas costas. Se ele pudesse concorrer, o que ele não pôde, porque eles o colocaram na prisão sob acusações falsas de corrupção”, afirmou o músico.

Waters lembrou que chegou a tentar visitar o ex-presidente Lula na prisão, pedido que foi negado pela Justiça brasileira. “Eu queria ir visitar Lula quando chegamos ao Sul, onde ele estava na prisão e o juiz local me negou essa oportunidade. Porque era um momento muito sensível, estava chegando a eleição”, relembrou. “As pessoas simplesmente dizem: ‘Ah, sim, outro político corrupto’. Não, ele não é. Ele não é um político corrupto; ele está na prisão por acusações forjadas colocadas pelos poderes que estão no Brasil”.

Repressão

O líder do Pink Floyd ressaltou ainda as ameaças que sofreu durante sua tour pelo Brasil. Em uma série de shows, Waters denunciou as tendências de ultra direita materializadas na candidatura de Jair Bolsonaro. Um dia antes da eleição, na apresentação em Curitiba, cidade onde Lula está preso, o músico chegou a receber uma notificação judicial. “Eles ameaçaram me jogar na prisão no Brasil porque eu estava colocando meu remo na eleição, juntando-me ao movimento #EleNão. Você sabe, o fascista Bolsonaro foi eleito apesar da resistência a ele”.

Depois de eleito 

O pior de tudo é que algo, tipo um antídoto qualquer, entranhou nos corações e nas mentes de boa parte dos brasileiros, que vivem repetindo uma frase sem ter inovações nas suas falas. “O maior ladrão é Lula”, ou “Bolsonaro vai ser o melhor presidente que esse país já teve”. Muito vago.  Quando aconteceu a greve dos caminhoneiros, por exemplo, muita gente esperava o que era mais coerente nos líderes do movimento, que era o grito por Lula Livre, pois durante 12 anos o país viveu uma grande paz na questão da alta de combustíveis e menos estradas ruins. Entretanto, começou outro tipo de som soar aos ouvidos brasileiros, q já podia esperar que alguma coisa não natural dos caminhoneiros estava por trás, que foi, ensinado por mensageiros, que foi: “Queremos intervenção já. Digam isso que a polícia nada vão fazer com vocês”. E assim seguiram com o refrão.

Um exemplo: Muita gente não tomou raiva da Gleisi por ela ter feito algo de ruim, mas sim por ela ser resistente às críticas, ter coragem de enfrentar barreiras pesadas e tantas outras atitudes que chocam a muita gente em defesa daquilo que ela acredita. Mesmo que seja comprovado algo de bom que ela faça para o Brasil e brasileiros, tipo trazer aquela lua linda de ontem e transforma-la em ouro e dividir com os apaixonados por Bolsonaro, eles irão criar algum tipo de simpatia por ela.  A mesma coisa é se o Bolsonaro chegar a prejudicar os próprios familiares, com as medidas tomadas nesse novo momento em que o Brasil atravessa, muitos continuarão com o mesmo amor pelo que eles chamam de Mito. Acho que a hora agora é de todos os brasileiros deixar aflorar a sua capacidade de raciocínio, até porque o povo brasileiro é um povo inteligente e forte, para analisar melhor o desenrolar dos trabalhos do novo governo.

A gente vê, por exemplo, obras sendo executadas, principalmente estradas, que já vinham sendo tocadas, até porque ainda não se teve tempo de realizar licitações, tem a questão de prazos de espera para então iniciar as obras e muitas outras burocracias. Muitas são obras que não param na passagem de um governo para outro. Portanto, dizer que esse governo está trabalhando e achar que em um pouco mais de um mês já mostraria a diferença em nível de obras, é apenas querer exaltar por exaltar quem quer que seja. O que se espera é que as obras não parem e que outras muitas sejam iniciadas. Tipo…se for merecedor de aplausos estaremos aqui para aplaudir, mas se for merecedor de críticas e cassação que assim seja, como muitas medidas que foram tomadas até agora, que nem uma favorece o trabalhador e o menos favorecido deste país. Vida que segue.

Error, no Ad ID set! Check your syntax!

Durante gravações da nova novela Globo, Fernanda Montenegro passa mal e é levada para o hospital


GauchaZH:

A atriz Fernanda Montenegro, 89 anos, passou mal durante as gravações da próxima novela das nove da Globo, A Dona do Pedaço, e precisou ser levada a um hospital de Jaguari, na região central do Rio Grande do Sul, por volta das 13h de terça-feira (19).

Segundo informações da produção e da prefeitura da cidade, ela sofreu uma queda de pressão devido ao calor. Por volta das 15h, ela retornou ao hotel. Às 16h, o Hospital da Caridade confirmou que o quadro dela era estável e que estava tudo bem. Ao jornal Extra, a assessoria da atriz confirmou que Fernanda ficou desidratada, tomou soro e foi liberada do hospital.

Mais tarde, à noite, Fernanda foi levada de ambulância até o aeroporto de Santa Maria . Lá, um avião particular, marcado para as 22h, a levaria até o Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela prefeitura de Santa Maria. A reportagem tentou contato com as assessorias da Globo e da atriz, mas ainda não obteve retorno.

Globo abre guerra contra Bolsonaro declaradamente. A queda de braço é forte


Muito estranho ver a Globo batendo num governo de extrema direita como o atual, onde o caldo promete engrossar. O Governo tem como vice presidente um Militar que tem mostrado, depois das eleições, principalmente depois da posse, um cidadão mais sensato e politicamente correto diante da crise que vem passando o Planalto. O que os brasileiros acham, pois nada está às claras, é que ele já deve está se preparando para assumir de vez o destino do país. Depois da briga com a Globo e acrise com o Babianno, a tendência é a cada dia o desgasre crescer.  Bolsonaro, que tem ouvido muitos os seus filhos, não deve ter ouvido deles, que “a Globo é um mal necessário” e que o melhor seria fazer as pazes. Seria! Pois, talvez, não tenha mais espaço para um abraço entre emissora e governo.  Até aqui Café com Leite Notícias.

 

Renata Vasconcellos e William Bonner no Jornal Nacional da Globo. Foto: DCM

 

Para o DCM, o 19 de fevereiro foi provavelmente o primeiro dia em que o Jornal Nacional terá iniciado uma guerra diária contra Jair Bolsonaro. A edição de ontem contou longos e intensos minutos, repletos de expressões sisudas de seus apresentadores.

Quem te viu, quem te vê. Em menos de dois meses, o governo que se elegeu pelo falacioso discurso anticorrupção passa a ter tratamento similar ao dispensado aos anteriores, quando desafetos da Globo. Praticamente metade do JN foi dedicado a denúncias das diversas espécies de laranjais bolsonaristas, com ênfase, claro, no diz-que-diz digno de novela mexicana que envolve aquele bando de orangotango.

Um governo que se elegeu por whatsapp e por whatsappgoverna (ou tenta)irá permanecer batendo na tecla de que Gustavo Bebianno era um ‘infiltrado’, alguém que estava vazando informações para a ‘imprensa inimiga’. Bebianno era ministro da Secretaria Geral, foi presidente interino do partido, cuidou da campanha de Bolsonaro desde aprimeira hora. Agora é um ‘infiltrado’?

As redes sociais do clã Bolsonaro simplesmente ignoram o laranjal do PSL. Nem mesmo o vídeo que o presidente gravou como despedida a Bebianno foi compartilhado. Ou seja, os apoiadores deste governo, que na escuridão vivem, na escuridão votaram, na escuridão permanecerão em termos de informação.

Mas eis que o destino prega uma peça. Ironicamente, o whatsapp que elegeu será o mesmo que irá derrubar o presidente. Sobretudo se novas mensagens vierem apúblico com teor mais explosivo. Bebianno já trocou sua foto de perfil por uma na qual está com uma metralhadora em mãos. Teria ele gastado todo o pente de munição ontem mesmo? A ver.

Declarar como persona non grata um alto executivo da Globo, Paulo Tonet Camargo, foi dar combustível para a emissora que conversa com a grande maioria de brasileiros que não votou em Bolsonaro. Algo como 89 milhões de pessoas aptas ao voto.

Bolsonaro comprova ser totalmente desqualificado para o posto ao demitir aquele ministro com um mínimo de interlocução política no congresso. O resultado pode ser visto ontem mesmo com derrotas na Câmara (que derrubou o projeto que facilitava a decretação de sigilo absoluto a documentos públicos) e no Senado (que resolveu chamar Bebianno para que se explique sobre o imbróglio todo dos últimos dias).

Ato contínuo, o governo saiu dando suas já costumeirascaneladas. O porta-voz disse que não eram derrotas e, poucos minutos depois, o general – e vice-presidente – Hamilton Mourão concordou que sim, eram. “Perdi. Perdeu, playboy”, disse ele.

Não há duas frases seguidas em concordância no primeiro escalão da equipe bolsonarista. Pudera. Este governo foi montado às pressas, sob um partido nanico que se mostrou receptivo a centenas de aventureiros. Prova contundente é um dos trechos de áudio tornados públicos ontem no qual Bebianno defende-se com um “Não sabemos quem é quem”, sobre as laranjas nas campanhas estaduais.

A tal ‘comunicação direta’ entre governante e seguidores, baseada em tuítes e posts de Facebook, mostra-se um voo de galinha tão logo a campanha chegue ao fim. Mal gerenciada, como é o caso do atual e despreparado governo, torna-se um tiro no pé.

A Globo irá ganhar a simpatia de adversários em alta velocidade nos próximos dias. Aguarde para ver. E quando ela quer derrubar alguém, meu caro, é páreo duro.

Movimentação sobre reforma da previdência. E os privilégios dos grandes, algo vai mudar ou só quem vai ser penalizado é o trabalhador?


O povo precisa ficar atento ao que está acontecendo, com essa pré reforma, para então ficar sabendo como vai ficar a situação do brasileiro em geral.

Bolsonaro chega ao Congresso para entregar a Reforma da Previdência. Acompanhe ao vivo.

Posted by O POVO Online on Wednesday, February 20, 2019

Oposição leva laranjas a Bolsonaro durante apresentação proposta de reforma da Previdência


[Oposição leva laranjas a Bolsonaro durante apresentação proposta de reforma da Previdência]

 

Trajando aventais cor de laranja e com laranjas em mãos, os deputados do PSOL Marcelo Freixo, Ivan Valente, Sâmia Bonfim e David Miranda chegaram à Câmara dos Deputados para apresentação da proposta de reforma da Previdência pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Ele [Bolsonaro] prometeu na campanha combater a corrupção e agora eles estão enrolados com a corrupção. Em nenhum momento da campanha  ele falou sobre a reforma da previdência. Tem gravações dele falando que 65 anos não passava. Bolsonaro mente!”, disse Valente, líder da sigla na Câmara, em coletiva à imprensa.

Reportagens da Folha de S. Paulo revelaram que o partido do presidente utilizou candidatas laranjas durante as eleições de 2018. O fato teria motivado a exoneração do ex-ministro Gustavo Bebianno, presidente da legenda à época. Fonte Metrô 1.

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: comida

Bebianno seguirá atirando enquanto Bolsonaro e o filho Carlos jogam a presidência no colo de Mourão


 

Babianno vai continuar atirando

/

No ponto de vista de Joaquim de Carvalho, do Diário do Centro do Mundo, é irônico que um governo eleito com base em mentiras a rodo por WhatsApp e boatos sobre mamadeiras de piroca esteja se esfacelando com falsidades reveladas em conversas pelo WhatsApp.

Os áudios de Bolsonaro e Bebianno, que este vazou para a Veja cumprindo sua promessa de cair atirando, mostram, sobretudo, que o país está nas mãos de uma gente inepta, mal intencionada, corrupta e desonesta.

Bebianno, o chefe do laranjal do PSL, aparece com um tratamento sabujo dedicado ao “capitão”, apanhando por trazer para dentro do governo um “inimigo” — o lobista Paulo Tonet, diretor da Globo.

De onde veio isso tem mais. Batata.

Numa coletiva patética na tarde de hoje, o porta voz militar afirmou que Bolsonaro não tinha nada a declarar sobre as gravações e que o imbroglio já tinha sido esclarecido.

Terminou uma coletiva caótica, em que tentou emplacar uma conversa mole sobre ajuda humanitária para a Venezuela, mandando um místico “Paz e Bem”. Faltou fazer o sinal do doutor Spock.

Carlos, o menino maluquinho, se manifestou no Twtter, para variar histérico, deixando claro que não larga o osso.
“Têm (sic) jornalista bobinho querendo criar a narrativa que sumir de Brasília”, escreveu.

“Estão a serviço de alguém ou vivem em outra galáxia achando que algum dia me separarei de meu pai!”

Ui!

Eis os Bolsonaros em sua louca cavalgada rumo ao abismo — abismo que cavaram com seus pés, diria o poeta.

A apoplexia lembra Aécio em seus momentos mais alucinados do golpe, correndo para o buraco e arrastando o Brasil na pochette.

Jogando parado, sem fazer um quinto do esforço conspiratório do velho Michel Temer, o general Mourão assiste a presidência cair no seu colo.

Carlos Bolsonaro dá seu recado no Twitter. Fonte DCM.

Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito: superação


Walisson em 3 fases - Fotos: arquivo pessoal
Walisson em 3 fases – Fotos: arquivo pessoal

A história de força, determinação e superação de Walisson Pereira da Silva, de 32 anos, é digna de aplausos. O jovem, que morou nas ruas durante cinco anos, conseguiu se formar em Direito e agora quer ajudar os outros, como defensor público.

Walisson viveu durante 5 anos na rodoviária do Plano Piloto, em Brasília. Dormia na rua, pedia esmola, comia alimentos que tirava do lixo, estudava em bibliotecas públicas, mas nunca perdeu a esperança.

Há dois meses, ele se tornou bacharel em direito, depois de prestar o Enem e conseguir bolsa em uma faculdade particular de Brasília.

A cerimônia de formatura será no fim de março, com direito a festa totalmente paga pela empresa de eventos, que conheceu e se comoveu com a história do jovem.

Ajuda

Para se preparar para “o grande dia”, Walisson criou uma vaquinha online para arrecadar fundos para um tratamento dentário e, ainda, conseguir recursos para se manter, já que está desempregado.

“Me ajude a fazer um tratamento dentário”, pediu o jovem em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Dos R$ 7.500 que precisa, ele conseguiu até o fechamento desta matéria R$ 1.425, menos de 20%.

“Estraguei meus dentes com essa vida nas ruas e, hoje, um grupo de amigos se juntou para pagar meu aluguel”, disse ao G1.

Com as despesas mensais entre alimentação, transporte e aluguel, Walisson paga cerca de R$ 750.

“Também preciso me manter para passar no Exame de Ordem [dos Advogados]. Quero ser, acima de tudo, um defensor público.”

História

Aos 18 anos, Walisson conta que foi obrigado pelo pai a abandonar os estudos, no nono ano do ensino fundamental.

Eles conta que sofria violências físicas, por isso fugiu de casa e foi viver nas ruas.

Durante esse período, em 2003, o jovem diz ter sido vítima de outros tipos de violência fora de casa e, a cada instante, pensava “se seria o próximo a morrer”, lembra.

“Vi várias pessoas morrendo na minha frente. A rodoviária é um lugar triste, e só sabe disso quem viveu”.

A virada

A vida começou a mudar quando o jovem foi ajudado por um homem que o encontrou em uma parada de ônibus, na 904 Sul.

Ao perceber a vontade dele em voltar a estudar, o rapaz ofereceu um comprovante de residência para que Walisson se matriculasse em uma escola pública e concluísse os estudos.

“Eu ia sujo para sala de aula, passava a noite toda acordado pedindo esmola, acordava com sol quente no rosto, era uma saga triste”, lembra.

Conhecimento é poder

“Me emociona lembrar o quanto eu queria sair das ruas. Eu sabia que os estudos eram a única forma de eu sair daquele lugar.”

“Conhecimento é poder, e quem tem conhecimento não aceita qualquer coisa na vida como opção”, afirma Walisson.

Em 2010, Walisson concluiu o ensino básico no Centro de Ensino 123, em Samambaia e focou no Exame Nacional do Ensino Médio, Enem.

Ele buscava refúgio em bibliotecas da capital. As horas dedicadas aos livros resultaram na aprovação em uma faculdade particular um depois, com 100% de financiamento no valor da mensalidade.

Com medo de ser discriminado, Walisson escondeu por um bom tempo a condição de morador em situação de rua.

“Eu tinha medo de descobrirem minha história, sentia vergonha, e dizia que estava sujo porque vinha do trabalho”, lembra.

Casa nova

No segundo ano do curso de direito, em 2016, Walisson conseguiu um estágio e, com o salário, conseguiu pagar um aluguel em Samambaia. Dos R$ 800 da bolsa, R$ 700 ficavam comprometidos todos os meses com as despesas da casa.

Walisson concluiu o curso e, em dezembro do ano passado, se tornou bacharel em direito.

Formado, mas ainda desempregado, ele sonha em conseguir um emprego para se manter.

Para ele, o próximo passo, agora, é se tornar um advogado e, futuramente, atuar na Defensoria Pública.

Walisson escolheu o direito na tentativa de ajudar outras pessoas que, assim como ele, “tiveram o acesso negado à educação, à justiça e a todos os direitos básicos”, diz.

“Escolhi o direito porque vi tantas injustiças acontecerem no coração da capital do país, tantos direitos sendo violados, e quis ajudar as pessoas a mudarem de vida”, concluiu.

Com informações do G1

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

A imagem pode conter: carro e texto

A imagem pode conter: 1 pessoa

Piloto morre em colisão entre aviões de equipe de acrobacias na Índia


Por Agência EFE

Soldados isolam área ao redor dos destroços de duas aeronaves do Time de Exibição Aerobática Surya Kiran, da Força Aérea da Índia, que colidiram no ar e caíram durante ensaio na Estação da Força Aérea de Yelahanka, em Bengaluru. Dos 3 pilotos a bordo dos aviões, 1 morreu e 2 conseguiram ejetar-se em segurança. Eles faziam um treinamento preparando-se para o evento Aero India — Foto: Reuters/Stringer

Soldados isolam área ao redor dos destroços de duas aeronaves do Time de Exibição Aerobática Surya Kiran, da Força Aérea da Índia, que colidiram no ar e caíram durante ensaio na Estação da Força Aérea de Yelahanka, em Bengaluru. Dos 3 pilotos a bordo dos aviões, 1 morreu e 2 conseguiram ejetar-se em segurança. Eles faziam um treinamento preparando-se para o evento Aero India — Foto: Reuters/Stringer

Um piloto militar indiano morreu nesta terça-feira (19) e outros dois ficaram feridos após seu avião de acrobacias se chocar com outra aeronave durante exercícios na cidade de Bangalore, no estado de Karnataka, no sul da Índia.

“Um piloto da Força Aérea Indiana infelizmente perdeu a vida. Outros dois feridos foram transferidos ao hospital, mas estão fora de perigo. Nenhum civil ficou ferido”, afirmou no Twitter M.N. Reddi, diretor-geral da polícia do estado.

O Ministério da Defesa da Índia informou que os dois aviões de treino tipo Hawk pertencentes a uma equipe de exibição se envolveram no acidente por volta das 11h50 no horário local ( 3h20 em Brasília) perto de um aeroporto militar, no norte de Bangalore.

Vídeos do acidente mostraram os aviões voando um sobre o outro momentos antes de um deles perder o controle. Após a colisão, as imagens mostram nuvens de fumaça preta no local do impacto.

O acidente aconteceu durante um treinamento prévio à inauguração da feira aeroespacial Aero Índia, onde a Força Aérea Indiana faria na quarta-feira (20) demonstrações acrobáticas.

A imagem pode conter: comida

A imagem pode conter: 1 pessoa

Jean Wyllys revela onde está vivendo e diz ter recebido oferta de asilo político


Por causa de ameaças que vinha recebendo, o então deputado anunciou em janeiro deste ano que desistia do seu terceiro mandato consecutivo na Câmara dos Deputados e deixaria o Brasil. Desde então, a sua primeira aparição pública foi durante sessão do filme brasileiro Marighella no Festival de Cinema de Berlim, na sexta-feira (15).

Segundo o ‘UOL’, na entrevista desta segunda, o ex-deputado disse ter recebido oferta de asilo político do governo francês, mas não pretende aceitar. “O asilo político é um instituto que demora um tempo. Há outras pessoas que precisam de asilo político. Para mim, permanecer aqui com um visto de estudante ou pesquisador é muito melhor do que um asilo político”, explicou.

O político ainda lamentou a forma como Bolsonaro vem conduzindo o governo.

Um presidente deve cuidar da população de seu país. Depois de eleito, ele é responsável pela população. Mas esse sujeito ainda não age como presidente da República. Ele continua agindo como se ainda estivesse em campanha. Tratando as 40 milhões de pessoas que não lhe deram votos, que votaram nos outros candidatos, como inimigos.”

A imagem pode conter: comida e texto

Com risco “iminente” de rompimento, barragem pode inundar cidade no Nordeste


Foto/Reproducao
Publicidade

Do UOL – A barragem de um açude com 54,6 milhões de m³ de água corre “risco iminente” de romper, colocando em perigo a vida dos 62 mil habitantes da cidade de Piripiri (a 160 km de Teresina), no Piauí. Um relatório técnico resultou em uma Ação Civil Pública, mas o governador do estado, Wellington Dias (PT), falou do perigo como um boato, ou “fake news”, conforme noticiou a imprensa local.

A ação da Promotoria de Justiça de Piripiri se baseou em um relatório de inspeção do Dnocs (Departamento Nacional de Obras contra a Seca), que no dia 10 de dezembro do ano passado foi notificado sobre a existência de “uma grande cavidade” no açude, construído entre 1936 e 1945 para irrigar a região em períodos de seca.

Chegando ao local, os engenheiros encontraram outras crateras. “Importante registrar e informar a existência de outras erosões existentes ao longo do talude de jusante”, diz o relatório, que conclui: “Pela gravidade da situação, com risco iminente de rompimento da barragem, imediatamente recuperamos emergencialmente a cavidade”.

De acordo com o engenheiro Francisco Ribeiro Soares, que assina o documento, a erosão começou depois do asfaltamento da rodovia estadual PI 327, que cruza todo o açude. Construída sem espaço para drenar a água da chuva, a obra provocou a “anomalia” na barragem, “ocasionada pela pressão da água nos momentos de temporais”.

O Dnocs concluiu seu relatório pedindo ao DER (Departamento de Estradas de Rodagem) que corrigisse a obra “antes que algo de mais grave aconteça, qual seja até o rompimento da barragem, evitando dessa forma tragédias com ceifamentos de vidas humanas”.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

É hoje! Superlua maior e mais brilhante vai iluminar o céu


Superlua e lua comum - NASA / Goddard / Lunar Reconnaissance Orbiter
Superlua e lua comum – NASA / Goddard / Lunar Reconnaissance Orbiter

A superlua vai iluminar o céu nesta terça-feira, 19. Tomara que faça tempo bom onde você está!

Ela poderá ser vista 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal, a partir do início da noite.

A Lua estará no seu “perigeu”, a 356 mil quilômetros da Terra, ou seja, 27,4 mil quilômetros mais próxima do centro do planeta.

E para nossa sorte, será lua cheia, o que caracteriza o fenômeno chamado “superlua”.

Será a maior superlua de 2019.

Em 21 de janeiro, ocorreu também uma superlua coincidindo com um eclipse lunar total, o que é mais raro.

Mas, desta vez, a superlua está maior ainda e, calcula-se, somente em 2026 o satélite possa ser visto tão grande no céu quanto amanhã.

A órbita da lua não é um círculo perfeito, devido às forças gravitacionais do Sol e da Terra, e por isso sua distância com a Terra varia ao longo do ano.

Com informações da RevistaPlaneta

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, texto e atividades ao ar livre

Nenhuma descrição de foto disponível.

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

Beto Barbosa revela estar ‘100% curado’ de câncer


‘Não vejo a hora de voltar para casa’, afirmou o cantor

O cantor Beto Barbosa usou seu Instagram para contar que está “100% curado” de um câncer na próstata e na bexiga na noite do último domingo, 17.

Beto Barbosa
Beto Barbosa

Foto: Instagram / @betobarbosa / Estadão Conteúdo

Mais cedo, ele havia contado novidades sobre seu estado de saúde: “Hoje comecei a andar sem tantos aparelhos ligados. Tomei banho sozinho e comecei a sentir o ar da independência hospitalar. Não vejo a hora de voltar para casa.”

“Acredito que até terça-feira [19] já estarei em casa e, no dia do meu aniversário, 27, quero estar caminhando na esteira e malhando com a orientação da equipe médica. Deus me curou e me salvou através dos médicos”, continuou o cantor, que agradeceu as orações dos fãs.

Confira as publicações feitas por Beto Barbosa abaixo:

O Brasil anda tenso e o ódio continua respingando. Por Walter Salles


 

Por Walter Salles: O Brasil tem estado muito tenso diante de tantas conversas e de tantas divisões. Não estou aqui escrevendo para o Café com Leite digital e impresso, para ajudar na questão da rivalidade política em que foi implantada nos corações e nas mentes de muitos brasileiros. As minhas matérias são sempre pra informar fatos, acontecimentos que determinadas mídias não informam. Mas o que quero focar aqui e agora, é que as eleições passaram, Bolsonaro ganhou e que o Brasil inteiro tem que acompanhar os trabalhos que se iniciaram no dia 02 de Janeiro, como um único pensamento, que é de acontecer uma administração boa, para que esse povo brasileiro, sobretudo a classe mais carente, não venha a sofrer mais ainda que já sofre.

Quero dizer que participando de grupos de redes sociais, é preciso que os comentários sejam analisados, não pra fazer críticas, mas sim para que haja uma discussão saudável. Essa rivalidade deixa parecer quase como uma certeza, de que realmente foi distribuído o ódio e que as pessoas ficam guerreando de um lado e de outro do “muro”, como se houvesse só duas posições em que o brasileiro se encaixa: Ou ele é direita ou ele é comunista. Não é nada disso: A democracia e respeito tem que morar dentro de cada um de nós. E se de repente esse “muro” se arrebenta e o povo começa a sair na mão, risos. Rindo aqui sozinho de imaginar a cena. O eleitor, ou melhor, o brasileiro que participou das eleições presidenciais, estão no mesmo barco, não importando em quem votou. Quem votou no candidato vitorioso, mas que por ventura começar a encontrar falhas, medidas que ele ache que não deveria acontecer, que se manifeste e diga que não achou uma coisa boa tal atitude. A mesma coisa é quem votou no candidato que perdeu as eleições. Perdeu tá perdido! A hora agora é de junto com os eleitores que votaram no vitorioso, analisar os trabalhos, as atitudes, enfim o comportamento do novo governo nesses primeiros dois meses e continuar, pra ter uma base de como vai seguir. Se merecer aplausos, que todos aplaudem , se merecer críticas que todos critiquem. .

Quero acreditar que essa onda de rivalidade será passageira e assim os brasileiros, principalmente os que não fazem parte da famosa elite dominante, possa avaliar os acontecimentos com bastante calma e inteligência. É muito comum numa campanha política ter rivalidades, porém saudáveis, mas que depois dos resultados nas urnas, a tendência seja de acabar. Infelizmente, dessa vez está demorando. Vamos lançar aqui o abraço simbólico para todos os brasileiros que o que mais querem é ver um Brasil melhor para todos e esquecer as ondas negativas, até porque, todos estão no mesmo barco. Vamos também pedir força e chuva a Deus, para podermos plantar e colher. Um abraço a todos.

FHC vendeu estatais por US$ 93 bilhões, e dívida pública brasileira dobrou


FHC

Publicado originalmente no Monitor Mercantil

Fonte desta matéria, Diário do Centro do Mundo: Ao dizer que vai privatizar empresas para reduzir a dívida, Paulo Guedes repete a desculpa utilizada pela equipe econômica do Governo FHC. Qual foi o resultado? Quem disse que foi um sucesso ganha um curso online de Rodrigo Constantino ou Olavo de Carvalho.

A dívida líquida brasileira em 1994 montava a R$ 153,2 bilhões, equivalente a 29,2% de tudo o que o país produzia (PIB). As receitas com privatização entre 1995 e 2002 somaram US$ 93,4 bilhões, sendo US$ 14,8 bilhões equivalentes a dívidas transferidas aos compradores e US$ 78,6 bilhões em pagamento (destes, 5% em moedas podres).

Parêntese: moedas podres eram títulos da União de pouco ou nenhum valor, como debêntures da Siderbrás, títulos da dívida agrária e letras hipotecárias da Caixa Econômica Federal. Apesar de quase nada valerem, foram aceitas pelo valor de face. Fecha parêntese.

A participação do capital estrangeiro foi bastante significativa no período 1995–2002, atingindo 53% do total arrecadado com todas as desestatizações realizadas no Brasil. As empresas nacionais responderam por 26% da receita, cabendo 7% às entidades do setor financeiro nacional, 8% às pessoas físicas e 6% às entidades de previdência privada.

A maior parte das privatizações (US$ 71,7 bilhões) ocorreram em 96, 97 e 98, quando o dólar médio estava na casa de R$ 1,10. Assim, em valores da época, o Governo FHC arrecadou coisa de uns R$ 100 bilhões, praticamente o valor da dívida apenas da União, excluindo estados e municípios.

Corta para 2002, ao final do governo tucano. Patrimônio estatal torrado, a dívida brasileira, turbinada por juros que alcançaram até 85,74% (em 1995), equivalia a 59,6% do PIB, ou R$ 850 bilhões. Duas vezes mais, em relação ao que o país produz, do que antes das privatizações.

Opaco

As associações de Jornais (ANJ), de Revistas (Aner) e de Rádio e Televisão (Abert) divulgaram nota conjunta preocupadas com a mudança feita pelo Governo Bolsonaro na Lei de Acesso à Informação. “Ao ampliar o número de pessoas que podem decidir sobre o sigilo de documentos públicos, o governo colocou em risco a transparência de seus atos e abriu a possibilidade de restringir o direito constitucional da sociedade e dos cidadãos de acesso a informações de seu interesse.” As entidades finalizam a nota manifestando esperança de que o ato seja revisto.

Ameaça

Espera-se das entidades ligadas à imprensa – especialmente ANJ e ABI – uma manifestação pública sobre a renúncia do deputado – e jornalista – Jean Wyllys a seu novo mandato. O parlamentar abandonou o país devido a sucessivas ameaças, intensificadas após a vitória de Jair Bolsonaro.

Na mira do leão

A Receita pode tornar inaptos 3,4 milhões de CNPJs, por falta de entrega de escriturações e declarações nos últimos cinco anos. A decisão poderá ser tomada até maio. “Cabe alertar que um CNPJ considerado inapto pode trazer problemas não só para a empresa, mas para seus sócios, que passam a ser responsabilizados pelos débitos da empresa e ter seus nomes vetados em novas inscrições no CNPJ”, informa Maurício Balassiano, diretor de Certificação Digital da Serasa Experian.

Berço

Os defensores da redução da maioridade penal no Brasil para 16 anos devem olhar com muita atenção as Filipinas. Lá, a idade mínima é de 15 anos, e o presidente Rodrigo Duterte quer reduzir para 9. Em um ano, 1,3 mil menores de 15 anos foram presos lá.

Paraíso

Uma amiga da coluna comprou dois produtos na Amazon do Reino Unido. A cobrança no cartão de crédito veio pela filial da gigante do comércio eletrônico em Luxemburgo. A Amazon pertence a Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo.

Prêmio duplo

A cada acordo de delação, o ex-ministro Antonio Palocci fica mais solto. No acerto com a PF, Palocci terá apenas que prestar serviços comunitários. É um acordo duplamente premiado: ganham o ex-ministro e os atores da Lava Jato que querem manter Lula na prisão pelo resto da vida. Vamos deixar a vida correr…

Bebianno e Bolsonaro negociam saída para crise política


[Bebianno e Bolsonaro negociam saída para crise política]

 

Uma saída para a crise política gerada pela demissão do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, foi articulada entre o próprio Bebianno e o presidente Jair Bolsonaro. As informações são da coluna do Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Ainda hoje (18), o mandatário vai fazer declarações públicas elogiosas ao ministro que está saindo do governo. Na última quarta-feira (13), Bolsonaro chamou Bebianno de mentiroso. Por sua vez, Bebianno também vai acalmar o imbróglio e se manifestar sobre o presidente em tom elogioso.

Na última sexta (15), o jornal Estado de S. Paulo informou que Bolsonaro já havia assinado a exoneração do ministro. Ainda segundo a publicação, o mandatário avalia escolher um general para o lugar de Bebianno. Metrô 1.