Maracás: Moradores de bairros pobres clamam por atenção


20161026_092958

“Ha mais de uma década foi colocado o  meio fio, mas o calçamento nada”, desabafam os moradores

Os bairros pobres da cidade de Maracás não têm tido a atenção por parte do poder público municipal há mais de duas décadas, como é o caso do famoso Irmã Dulce, que já adquiriu um adjetivo que é (O Bairro). Parte dos moradores desta localidade têm enfrentado muitas dificuldades, pois, em muitas casas, nem banheiro existe, onde ainda prevalece aquela constrangedora fossa aberta, onde a porta é uma “cortina de plástico”. Pelo fato da existência de alguns transgressores no bairro, ficou certo preconceito no ar, mas na verdade mesmo, existem ali muita gente boa e honesta, mas que passam muita fome e outras necessidades.

No último mês que antecedeu as eleições, a prefeitura passou um pouco de asfalto nas ruas, o que não tem coerência com moradores que na sua maioria, “não tem se quer uma moto pra andar, imagina carro. O que a gente quer aqui é que nos ajude no que for possível como banheiro pra dentro de casa e ajudar na reforma, pois a gente vê a hora da casa cair”, comentou uma senhora que transparecia uma profunda tristeza.

Lembrando que o asfaltamento foi de qualidade ruim e que nas primeiras chuvas as ruas vão ficar cheias de buracos. Na verdade, o novo gestor precisa olhar pra aquele povo com mais carinho, pois além de saber votar e ter votado com amor e esperança que dias melhores virão, é um povo que sofre as dores de faltar quase tudo, assim como sofre també as dores do preconceito. Aqui vai uma sugestão: Caso o novo gestor não consiga um convênio junto aos governos estadual e federal, a prefeitura deve convocar a iniciativa privada para, através de mutirão com os próprios moradores, que muitos são pedreiros ou sabem atuar em outras profissões ligadas à construção, levantar uma bandeira, que seria o objetivo de reconstruir o bairro. Essa parceria pode ser  com madeireiras, material de construção em geral e também lojas de móveis etc.Afinal, ser solidário não é uma virtude, mas sim ser apenas normal, pois Deus criou o homem pra ser bom.

A mesma coisa acontece com o começo da rua que dá na conhecida Rua do Barranco. Trata-se da ladeira logo que começa no fim da Castro Alves. Onde os moradores têm procurado a nossa redação, para que os administradores se lembrem de calçar a rua, pois em dia de chuva é um transtorno. Só pra lembrar, segundo os moradores, na segunda administração do então prefeito Fernando Carvalho (hoje falecido), foi colocado ali os meios fios, o que fez todo mundo ficar feliz, mas até hoje nada de calçamento. “cansados de esperar por calçamento e nunca ninguém ter lembrado da gente, agora todo mundo votou no 12, para vê se o novo prefeito lembra da gente”, disseram alguns moradores da rua, acrescentando que em dia de chuva fica difícil até pra descer a ladeira.